A verdade está lá fora

Fotografia de suposto óvni feita nos anos 1950 e retirada dos arquivos da Força Aérea Brasileira

Com essa frase aí em cima os produtores da já clássica série “Arquivo-X” atiçavam a curiosidade dos telespectadores em meio a rocambolescas tramas que envolviam conspirações, alienígenas e criaturas bizarras. Sempre curti bastante as aventuras de Mulder e Scully, que acabam de completar duas décadas de existência. Mas as verdadeiras histórias de óvnis são bem mais legais.

Peraí, verdadeiras? Há verdadeiras? Olha só, se seguirmos o que disse a Força Aérea Brasileira em um documento recentemente “desclassificado” pela corporação (ou seja, liberado de seu status confidencial), os objetos voadores não-identificados existem sim e pressupõem ações inteligentes!

Leia este trecho do relatório que foi assinado pelo brigadeiro-do-ar José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, comandante interino do NuCOMDABRA (Comando de Defesa Aérea Brasileira), em 2 de junho de 1986.

Recentemente tive de dar uma de Fox Mulder para produzir um dossiê sobre todos os relatos de óvnis liberados dos arquivos da FAB (para lê-lo, procure a edição de setembro da revista “Superinteressante”), e esse foi o documento mais interessante com que deparei.

Por uma razão muito simples. Ele é uma das raras instâncias, entre as mais de 2.600 páginas liberadas e colocadas à disposição do público para consulta no Arquivo Nacional, em que os militares tiram conclusões. Oficialmente, a Força Aérea Brasileira jamais reconheceu a existência ou a natureza dos óvnis. Mas escondida lá, no meio de páginas e mais páginas, há essa pérola.

O relatório se refere a um episódio que ficou conhecido como a “noite oficial dos discos voadores” no Brasil. Em 19 de maio de 1986, diversos óvnis foram detectados por radar e por contato visual, houve perseguição mútua entre caças da FAB e os objetos misteriosos, capazes de incríveis variações de velocidade, direção e altitude, conforme descrito no trecho destacado acima.

A conclusão é tão taxativa quanto pode ser para um grupo de pessoas perplexas. “(E)ste Comando é de parecer que os fenômenos são sólidos e refletem de certa forma inteligências, pela capacidade de acompanhar e manter distância dos observadores como também voar em formação, não forçosamente tripulados”, diz o relatório.

“EU QUERO ACREDITAR”

Talvez o leitor mais familiarizado com este espaço esteja estranhando a presença de um texto sobre ufologia — o esforço (normalmente tido como pseudocientífico) de estudar os “causos” de objetos voadores não-identificados.

Considere-o uma provocação. Porque se, de um lado, temos de admitir, como o fazem os cientistas, que ufologia não é ciência, por outro há de se reconhecer que existe uma certa arrogância intelectual em descartar todo e qualquer relato de óvni como alucinação ou fraude.

É verdade que a imensa maioria dos episódios relatados ao longo das décadas é mentira deslavada ou piração de quem conta. Cerca de 99% das ocorrências é facilmente descartada como fenômeno natural ou fraude.

O prédio do Banespa e o característico poste de luz que queria se passar por óvni

(Eu mesmo já tive de desmascarar uma fraude uma vez, quando um fotógrafo espertinho disse ter registrado óvnis sobrevoando o tradicional prédio do Banespa, no centro de São Paulo. Ele tentou vender as imagens para a Folha e, como repórter familiarizado com fenômenos celestes, coube a mim avaliá-las. Consultei o astrônomo Cássio Leandro Barbosa, da Univap, e ele matou a pau: os supostos discos voadores não passavam de reflexos gerados no interior da câmera pelos característicos postes de três lâmpadas localizados naquela região do centro da cidade. Salvamos uns trocados do jornal naquele dia e frustramos os planos malévolos do espertalhão.)

Acontece que, tirando todos esses enganos e fraudes, sobram, ainda, uns poucos casos que desafiam qualquer explicação trivial. Cientistas de primeira linha tomados por uma dose incomum de coragem, como Michio Kaku e David Grinspoon, já admitiram que há coisas inexplicadas no céu e que, embora isso não seja prova de que existam alienígenas inteligentes nos visitando, cabe seguir o bom e velho conselho do saudoso Carl Sagan e manter a mente aberta.

Há duas ordens de argumentos contra a hipótese de que os óvnis sejam espaçonaves extraterrestres. A primeira diz respeito às dificuldades envolvidas no voo interestelar, que é impraticável pelas tecnologias atuais e impõe um desafio tão grande que muitos astrônomos preferem supor que ele seja impossível.

A segunda linha de frente contra as naves ETs é o fato de que, até agora, elas conseguiram impedir que qualquer prova material de sua existência fosse analisada por cientistas imparciais. Os fãs da ufologia querem crer numa conspiração governamental que esconde esses artefatos assim que os localiza, mas quem lê o Mensageiro Sideral com frequência sabe que eu não me entusiasmo facilmente com teorias conspiratórias.

Os dois argumentos, tanto o da improbabilidade das viagens entre as estrelas como o da falta de provas materiais, são bem razoáveis, e não culpo os cientistas por se ancorarem neles para não acreditar na hipótese da visitação alienígena. Mas existe aí também uma pretensão não muito científica ao afirmar que essas justificativas eliminam qualquer possibilidade de que pelo menos alguns dos óvnis não explicados sejam mesmo alienígenas.

CIÊNCIA DE FORA

Essa repulsa científica tem justamente a ver com o fato de que ufologia não é ciência. Ela carece de alguns elementos essenciais ao método científico, como a capacidade de reproduzir experimentos e formular hipóteses, ou a viabilidade de verificação por pares dos dados obtidos.

Em geral, os relatos ufológicos acabam sendo aceitos pelo valor de face, porque é impossível separar os casos possivelmente verdadeiros dos falsos. Está tudo no mesmo saco. E não se pode fazer ciência misturando relatos verdadeiros e falsos.

Não é à toa que os ufólogos menos maliciosos (ou seja, aqueles que não têm por objetivo enganar ou manipular seu público) são obrigados a admitir que, mesmo supondo que os ETs estejam entre nós, é impossível saber o que eles estão fazendo aqui e o que querem conosco.

Seria mais ou menos como os macacos resos do Instituto Butantan tentarem descobrir o que aqueles caras querem com eles ao injetar aquela vacina experimental contra o HIV. Faltam informações e controle aos nossos primos símios (para não falar em inteligência) para tirar qualquer conclusão científica a respeito do procedimento a que são submetidos.

Resumo da ópera: os óvnis são um fenômeno interessante, que pode até ter relação com astronautas alienígenas, por mais improvável que isso possa soar à luz da ciência. Contudo, é um daqueles temas inabordáveis pelo método científico, que entra na mesma categoria das religiões e do sobrenatural.

Se um ET descer na Avenida Paulista e se prontificar a nos explicar as coisas, o assunto deixa de ser ufologia e passa a ser xenobiologia.

E para verificar que a ufologia tem mais a ver com psicologia do que com alienígenas, basta verificar o levantamento de dados publicado pela “Superinteressante” com base nos documentos da FAB. De todos os episódios datados desde os anos 1950, o menor número de casos (14) é justamente nessa década inicial, onde a TV ainda tinha um papel pouco importante na vida dos brasileiros. Já o maior número de casos (249), disparado, ocorre na década de 1990, quando estreava um certo seriado chamado… “Arquivo-X”. Será que tem a ver? Eu apostaria que sim.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Comentários

    1. Na época, eu solicitei todos. Eles têm um serviço por e-mail. A Abril pagou o custo, pois estava escrevendo para a Super.

  1. A verdade é que, embora o mais provável seja que as viagens interestelares beirem o impossível, entre milhares de casos de óvnis relatados em todo o mundo, em tempos recentes ou mesmo na antiguidade (há vários relatos em textos mitológicos que se assemelham aos relatos atuais), basta que um único caso tenha sido verdadeiro (e que se conseguisse de algum modo prová-lo) para comprovarmos a existência de pelo menos uma civilização extraterrestre com tecnologia altamente avançada. Não duvido que isso já tenha ocorrido (a visitação). Até porque não necessariamente uma sonda espacial precisa levar uma tripulação, pode viajar apenas com robôs. Nós terráqueos, que já mandamos diversas sondas não-tripuladas pelas vizinhanças que o digamos! Mas a priori, quando ouço relatos de óvnis eu tendo a interpretá-los como farsa, ilusão ou ignorância pseudo-científica.

  2. Pessoal, vocês que possuem um conhecimento maior nessa área, por favor, poderiam me orientar se há alguma definição sobre as aparições dos Foofighters do passado?
    Obrigado

  3. Como construir um disco (ou aro) voador

    http://sbtvd.anadigi.zip.net/images/disco.JPG

    Faça um túnel dentro de um toróide.

    Ponha um gás a circular dentro do túnel numa velocidade de 11.000 km/s ou mais.

    Ponha a base do toroide sobre a superfície da Terra.

    Todos os pontos da base do toróide devem ficar à mesma distância do centro da Terra.

    De acordo com a balística de Newton, o toróide vai flutuar.

    Qualquer dúvida, consulte seu físico de confiança.

  4. A verdade é que ninguém tem certeza de nada esse universo é muito grande, só temos suposições e hipóteses, só existe aquilo que conhecemos e aquilo que não conhecemos onde se enquadra? Tenho um questionamento: por que existe animais que estão nesse mundão muito a mais tempo que nós e não se desenvolveram como nós? A evolução teve muito mais tempo para atuar nesse animais, como exemplo as baratas os escorpiões?
    Acredito muito na célebre expressão de Shakespeare:
    “Há mais entre o céus e a terra do que pressupõe vossa vã filosofia”
    Ele quis dizer que pensamos saber de tudo, mas na verdade existem coisas cuja compreensão estão além do que podemos perceber.
    E nossa história está muito além do que sabemos.

  5. O Pessoal gosta de escrever mesmo!
    Senhores vamos ser mais plausíveis, não adianta explicar fusão nuclear com chef’s de cozinha.
    Observemos e depois com uma prova contudente, entraremos em um estado de histeria, os seres humanos ai da que achem não estão preparados para o desconhecido.

  6. Pelo número de comentários, o assunto desperta muito interesse. Mas, teorias a parte, se você viu não há como esquecer, não há como entender também. Eu viu uma coisa que nunca vou poder explicar e olha que fiz meu doutorado em físico-química.

  7. Apenas gostaria de dizer o seguinte :
    Em primeiro lugar não sabemos se alguns dos OVNIs são mesmo naves ETs ou outro tipo de inteligência. Em segundo lugar, não podemos afirmar ser a viagem interestelar impraticável por que máquinas podem fazer isso com bem menos energia que levar civilizações inteiras.
    Assim simplesmente não sabemos do que se trata isto se comprovado for que temos objetos controlados de forma inteligente por ai que não são nossos . A Ciência dizia a poucas décadas ser impossível detectar exoplanetas, então nós sabemos tão pouco que não podemos afirmar com certeza nada . Também não podemos usar o caso ser humano na Terra como argumento de uma hipótese, é uma amostra única que não tem validade para se afirmar como se comportará alguma outra forma de vida inteligente…

  8. A liberação pela FAB, enaltece e da credibilidade ao trabalho desenvolvido pelo pessoal da Revista UFO, do CUB, e da UPOANI.

  9. O grande pecado da maioria dos ufólogos e “apaixonados” pela ufologia é pensar, a princípio, que o desconhecido é algo de outro mundo. Essa parece ser uma condição natural do homem, que atribuía fenômenos naturais como raios e trovões a “deuses”. Hoje o que não entendemos ou é ET ou “santas”, “assombrações” e por aí vai… É bom lembrar que os aparatos autônomos de espionagem existem desde o fim da década de 1940. E que determinados governos até incentivam grupos ufológicos, que buscam ETs para acobertar seus exercícios aéreos ilícitos, ações de espionagem, entre outras. É bom ter o pé no chão para não comer maionese azeda – apesar de a ciência (que já mandou queimar pessoas…) atualmente estar um passo atrás de ações (sim, estas são fatos!) desconhecidas como estas. Eu não acredito em bruxas, mas algo parecido com elas exste…

  10. Recomendo que leiam o Livro “O Mundo Assombrado pelos Demônios” de Carl Sagan. E assistam ao episódio “Enciclopédia Galactica” da série Cosmos, tambem de Sagan. Pelo próprio tamanho do Universo é impossivel não haver vida extraterreste.Mas a fisica envolvida para viajar entre as estrelas, só possibilita tal viagens para civilizações que controens naves tão grandes, que se elas visitassem a Terra, seria impossivel não vê-las. Ou seja não estamos sendo visitados por extraterrestres.

    1. Bem pensado Andre. Que nem as naves gigantescas e os cosmonautas movidos a melange da série de livros de ficção-científica Dune do Frank Herbert.

  11. Estranho, achei que o número de comentários seria grande.

    Aparentemente pessoas acreditam mais em OVNI’s visitando a terra do que na ida do homem a lua.

    Mundo esquisito …

    1. Ricardo, tem a ver com exposicão também. Esse post não foi parar na home do UOL (seria parte de uma conspiração para esconder a verdade? rs), então acabou só circulando nas redes sociais. Pelo alcance limitado, até que foi bem de comentários e curtidas…

  12. “dificuldades envolvidas no voo interestelar, que é impraticável pelas tecnologias atuais e impõe um desafio tão grande que muitos astrônomos preferem supor que ele seja impossível”.

    Eis uma visão bem terrestre sobre o assunto, não? Se é impossível para nós, terrestres, então deve ser impossível para o resto do universo, né? Egocentrismo puro!

    Considerar que, caso existam outras civilizações, que nós sejamos a menos avançada das formas de vida do universo, isso ninguém cogita! O que para a gente pode parecer impossível, para uma tecnologia mais avançada pode ser algo corriqueiro.

    A visão da ciência pode ser demasiado estreita as vezes, e sendo estreita, considero algo muito limitador considerá-la como a única possibilidade…

  13. Documento de 1986????? Me parece que foi impresso em jato de tinta. Em 86 jato de tinta ainda nao existia no Brasil.

    1. Verdade, Luciano. Ele é de 2004 e trata-se de uma réplica, feita após solicitação de um deputado, do relatório que teria sido produzido em 1986. O original não consta dos arquivos da FAB (talvez indicando que ainda haja coisas não divulgadas, embora a Aeronáutica diga que o registro completo de óvnis já está no Arquivo Nacional), somente essa referência posterior.

  14. Quando se tem a noção do tamanho da nossa galáxia, em relação à nós, e o tamanho do universo em relação à nossa galáxia, seria de muita mediocridade a idéia de vida inteligente apenas nesse nosso pequeno grão de areia flutuante chamado de terra. Nosso grau de evolução tecnológico remonta ao do século XV, com as grandes navegações. Ou seja, nossa tecnologia é ainda caótica. O fato de não conseguirmos ver ou sentir outras dimensões não impede a sua existência. Portanto, sejamos céticos, sim, mas não sejamos criaturas bitoladas como cavalos com viseiras….

  15. Uma prova documental da presença extraterrestre na Terra:
    O Livro Perdido de Enki (pdf) , cuneiforme, deixado na biblioteca de Nippur em 2017 a.C.

    1. No livro, o relato da construção da primeira plataforma de pouso e decolagem de naves espaciais em Baalbek:
      “Ali, em um vale entre montanhas, aplainou a superfície com raios de força. Os
      heróis extraíram das ladeiras grandes pedras para as esculpir.
      Transportaram-nas e as colocaram para sustentar a plataforma com as naves
      celestes.”

        1. Não quem falsificou foi a pessoa que disse que foi o escriba Endubsar, de Eridu, que escreveu.

          1. Ja foi provado que caçadores e coletores tinham todas as ferramentas para fazer isso. Inclusive ja foram feitas replicas usando tecnologia da epoca. Apenas homens e alavancas , cordas e troncos de rolagem.

  16. Ouvi de um amigo, a esse propósito: a prova da existência dos extraterrestres está aqui entre nós, com Lula e Dilma.É gente do outro mundo, diz ele.

  17. Tive a mesma experiencia em 1996 e nunca me esqueço, era noite, e observando o céu do nada, avistei um objeto que alterava a sua luminosidade e que se deslocava de um ponto a outro no céu em uma velocidade supersônica…. Na época contei para algumas pessoas, mas ninguem acreditou… Com certeza não era deste mundo… Nada aqui na terra se desloca em uma distância tão grande de um ponto ao outro com tanta velocidade.

  18. Já vi uma coisa voando estranho perto de casa, e tinha luzes verdes, vermelhas e pairava no céu, outras vezes ziguezaveava… até filmei… não sei o q seria… de vez em quando ele aparece lá… em distancias diferentes… mas sempre perto da serra da cantareira – sp.
    http://www.youtube.com/watch?v=9HFgjzJQJ6s

  19. Porque uma(s) raça(s) viajaria grandes distâncias (estamos falando de ANOS-LUZ) para simplesmente ficar se exibindo pelos céus para uma raça tecnologicamente inferior. Será que essa(s) raça(s) tão avançadas a ponto de se deslocar pelo universo não possuem nenhum mecanismo de camuflagem ?

    Será que essa(s) raça(s) tão avançadas tecnologicamente precisam ficar sequestrando pessoas mundo afora desde os anos 60 ? Que estudo demorado esse, esses aliens são meio devagar em biologia 😉

    Se são mesmo várias raças será que todas pensam exatamente igual ? Devemos ir no planeta atrasado, nos exibir descuidadamente pelos céus, raptar os nativos para experiências,…

  20. eu e minha irmã no ano de 1979 tivemos o privilegio de ver um objeto bem semelhante a um disco voador,tinha muitas luzes brancas e fazia ziguezague no céu c/ uma velocidade incrível,depois parou e apagou todas as luzes,foi ai nesse momento q pudemos contemplar o formato de um prato de cabeça p/ baixo,ou seja,um disco voador mesmo,até hoje nunca esqueci aquela imagem,eramos crianças,na época aquela imagem no céu nos deixou paralisadas,só depois é q corremos.

  21. Vivemos o mesmo momentum q Colombo viveu. Preparamos “jangadas” espaciais para navegar até a ilha + próxima (Lua) e “esticamos” a visão para tentar ver além de nossa atmosfera. Nem ufólogos nem cientistas estão certos. Os primeiros por falta de provas e os segundos porque nem a matemática é exata (1+1=2, certo? Mas 1+1=1, se adotarmos a teoria dos conjuntos. Algo somente é exato se tiver uma definição absoluta, única e eu coloco no mesmo saco a Física, que hoje “força a barra” com a teoria das cordas). Então, não adianta gastar saliva enquanto nossa ciência está na Idade Média e nossos “sábios” discutem o sexo dos anjos. E tenham um ótimo dia, aliens de plantão.

  22. gostei da matéria e gosto da imparcialidade no assunto, mas acho que muito ceticismo faz com que “não acreditar em conspirações” seja entendido como ingenuidade…tecnologia, informação, ou o que mais seja, adquirida de outro pais ou planeta, da vantagem técnica ou estratégica sobre os demais… ter este ceticismo significa aceitar a religião como algo palpável, correto, irrefutável, sei la mais o que já que dadas as dificuldades que nos achamos dificílimas de resolver na viagem espacial, dificuldades estas que são nossas, não de outros, concluímos que somos os únicos seres do universo e se deus existe, perdeu tempo fazendo este monte de coisas sem vida ao nosso redor…os americanos também adoram perder tempo ouvindo conversas da Petrobras ou de lideres do governo e seus planos administrativos e financeiros…nos acreditamos que os pólicos trabalham duro e precisam ganhar bem e representam o povo e não cometem falcatruas…
    …este é o problema de ser tão cético…acreditamos sempre que a teoria é bem parecida com a pratica…eu ainda acredito que existem distancias estelares entre a teoria e a pratica…hahahahahaha

  23. Um ponto de vista a ser considerado e a matemática como encaramos a vida e a existência de outros seres foram da terra de forma mais comum a cada dia. A nossa compreensão vai na medida que as descobertas são mais óbvias a cada novo ciclo, que por ventura foi datado por nós seres humanos. Fingimos ou ignoramos a existência de dimensões alternativas por mera conveniência, mas pelo medo do que não sabemos ou pelo que iremos descobrir. O nível de civilidade é determinante para descobrirmos a consciência coletiva que abrange o universo, e que para tudo acharemos explicação na proporção que forem sendo necessárias respostas aos nossos anseios. Nunca seremos satisfeitos, mas podemos ser felizes com aquilo que nos foi ofertado. Façamos o que há de melhor: COMEÇO, MEIO E FIM. Particularmente a viagem é eterna e a paisagem opcional para se descobrir o quão lindo é o universo e os entes que nele coexistem.

  24. “Salvamos uns trocados do jornal naquele dia e frustramos os planos malévolos do espertalhão.)”
    É POR TEXTOS COMO ESSES QUE FICA DIFICIL ACREDITAR NISSO,REALMENTE A MACONHA É DA OTIMA.

  25. Só sabe quem viu, como foi o meu caso.

    Ver um objeto brilhante durante o dia, e fazendo uma curva na velocidade em que vinha, nada atualmente faz aquilo.

    E ainda presenciei outro fato.

    Ninguém lembra aqui do OVNI que apareceu no RJ, onde mais de 20.000 pessoas viram enquanto estavam parados na estrada em feriadão ?

    Reparem que a cada dia a mídia fala mais sobre o assunto, vemos mais filmes e aos poucos, estão nos preparando para um contato inevitável.

    Pelo que já estudei, existem vários tipos e formas, bons e maus. O que chegam à terra para estudos somente e os maus, os que somem com pessoas para testes em seres humanos e raptos.

    Com mais de 200 bilhões de galáxias, é sério que ainda há quem acredite que só há vida na terra ?

  26. Nós seres humanos, acreditamos em um Deus que fez tudo,o que nós estamos vendo,(em sete dias) agora neste momento.E aqueles que tiverem fé, ( OU ACREDITAR NO QUE ESTAR ESCRITO NOS LIVROS SAGRADO) viverá uma vida eterna , em um paraíso,la não existirá doenças etc,etc,etc
    Agora vem dizer, que não acreditam em OVNIS, no seculo XXl, estão de brincadeira.
    Quem me garante que o Deus, não foi um ET , até na Bíblia ( Livro sagrado para os Cristãos ) tem algumas passagens, que vc fica em dúvidas.

    1. Tem um livro antigo, de um ilustre brasileiro, Fernando Cleto Nunes Pereira, que é bastante esclarecedor sobre o seu questionamento: A Bíblia e os Discos Voadores (pdf).

    2. “Quem me garante que o Deus, não foi um ET”

      Já pensou morrer e descobrir que Deus é o ET de varginha 😉

  27. O universo é infinito. Como a misericórdia divina também o é. O universo contém uma infinidade de estrelas iguais ao nosso sol. Em volta dessas estrelas, vários planetas desenvolvem o seu movimento de translação, exatamente da mesma forma que a nossa casa Terra. É muita presunção da raça humana terráquea, achar que apenas no seu planeta exista vida em abundância. Deus, a energia criadora do universo, é justo, misericordioso e plural. Com a mais absoluta convicção, podemos afirmar que existe vida em outros planetas. Que foram criados, exatamente como o nosso, através de equipes de engenheiros siderais, sob a regência das leis das ciências naturais, amparados pela energia maior que abastece e alimenta todo o universo: O Amor Divino.

      1. Eu acredito por que já vi e até me belisquei, para ter certeza que estava lúcida ,ano 1970, numa localidade interiorana , foi lindo voava ,talvez a uma altura de mil metros, não sei precisar muito bem…eu, outras pessoas que estavam comigo também viram . Dois círculos , um maior e outro menor por dentro , havia um espaço que permitia ver estrelas que brilhavam acima . O fenômeno perdurou por mais ou menos 02 minutos e permitiu que observássemos detalhes. uma pessoa que estava presente falou assim parece que temos um imã esse objeto emite luzes alaranjadas para baixo . Foi lindo !

  28. Com bilhões de estrelas somente em nossa Galáxia é uma pretensão muito grande achar que somente a Terra seja habitável.

  29. Existem muitos argumentos contra a suposta visita de seres extraterrestres. A primeira pergunta é porque eles fariam tanto esforço para não aparecer? Eu tive uma fase em que observava o céu diariamente com um telescópio de 13 cm de diâmetro e observei coisas curiosas. Em uma delas um objeto voava em zig zag muito alto. Consegui apontar uma luneta de 50mm e visualizei algo que emitia uma luz intermitente que ia de uma intensidade muito baixa (mas não apagava completamente) até uma mais intensa. Consegui acompanhar por poucos segundos. Curiosamente na mesma época tinham sido observados objetos semelhantes sobre o aeroporto de Confins em Belo Horizonte, região onde eu residia. Estava acostumado a observar o céu e não encontrei explicação para o fenômeno. Uma outra vez estava acompanhado um satélite artificial e de repente ele alterou a rota bruscamente aumentando a velocidade subitamente com um rastro como se fosse retrofoguetes. Mas para este eu achei a explicação. Por uma questão de “sorte”, passou no campo da luneta uma estrela cadente, dando a impressão que era o satélite que tinha ligado retrofoguetes para mudar a rota. Estatisticamente bem difícil de acontecer em função do campo restrito da luneta. Mas é uma explicação…..

    1. Paulo, a questão de evitar aparição é óbvia: hostilidade. Imagina se Cabral chegasse no Brasil e pudesse ser trucidado pelos índios. Outra linha, o jornal recentemente mostrou filmagem de uma tribo isolada, sem contato algum. Por que o fotógrafo se escondeu? Por que não se faz contato com esses índios? Aqui mesmo temos as respostas do difícil contato. E hj se agrava porque não sabemos ao certo o quanto de contato já ouve e o quanto está acordado para fazerem contato. Uma coisa é certa. A humanidade está muito longe de emocionalmente e intelectualmente preparada para socializar com um raça alienígena. E claro, a questão bélica. Eles podem ser avançados, mas moralmente muito avançados a ponto de viajarem universo afora sem necessidade de armas. Isso, parece ainda uma pedra no caminho da nossa verdadeira evolução.

      1. Leandro,

        No caso dos índios evita-se o contato mas os dois lados sabem que o outro existe. No caso de OVNIs não se tem nenhum relato que realmente mostre sem sombra de dúvidas que eles existem. Ou a vinda deles é muito rara ou eles tem um motivo muito forte para nunca aparecer. Só aparecem por aparente descuido.

  30. A alternativa c é absurda é impossível dizer as alturas mencionadas. É como já diziam na década de 60 todos os que acreditam que viram óvnis tem problemas sexuais

  31. Porque uma civilização tão adiantada que conseguisse viajar pelo espaço interestelar, gastaria recursos e tempo para se interessar por um planeta tão insignificante como o nosso e que deve ser mais comum do que imaginamos,e porque, por séculos ficariam rondando a Terra sem deixar nenhuma prova de sua existência.
    Também temos que considerar que com tal inteligência, conhecimento e tecnologia, não faz sentido terem vindo de tão longe e ficarem rondando nosso planeta por tanto tempo.
    Se até o Obama consegue saber tudo que acontece no mundo em tempo real, não é crível que os ET precisassem de tantos séculos para obter todos os dados necessários sobre nosso planeta e seus habitantes.

  32. Características comuns nos relatos de ovnis são a movimentação bastante rápida, paradas bruscas, variação de cores, ausência de atitudes agressivas, aparentando acompanhar o observador, mas agindo de forma completamente aleatória e sem uma finalidade aparente.
    Tudo isso realmente descarta a possibilidade de serem alienígenas, pois se fossemos nós por exemplo, a visitar outro planeta, jamais agiríamos dessa forma.
    Por outro lado, se imaginarmos alguém dirigindo um feixe luminoso no céu, em que de alguma forma o trajeto desse feixe estivesse oculto para não revelar a sua origem, e as cores ou o aspecto da projeção pudessem ser variados de alguma forma,o que observaríamos seria exatamente o que aquelas descrições dizem.
    Uma evidência de dimensões adicionais ou de universos paralelos? Talvez…

  33. Seremos mera experiência?? e Deus criou o Mundo.Quantas dimensões ainda existem?Vamos lá, além do sistema binário.

  34. Bom que a FAB tenha se manisfestado, não há mais dúvidas que extraterrestres estiveram aqui no passado (deuses da antiguidade), e cada dia vai se confirmando sua presença hoje. Como diz o ex ministro da Defesa do Canadá:”O mundo tá uma bagunça”.
    http://www.youtube.com/watch?v=JN0hqnxVTLM
    Os interesses deles, estão nos tornando cada vez mais desunidos.

    1. Finalmente um post pra você se deliciar com as maluquices do beck que você teima em não compartilhar com a gente!!!

  35. Completando a frase do Carl Sagan: “E bom manter a mente aberta, mas não tanto a ponto do cérebro escapar pelo buraco!.

  36. É incrível como algumas armas dos EUA se parecem com óvnis. Vejam os caças invisíveis STEALTH ou os drones capturados no Irã e me digam se não cabem nos relatos de óvnis. Sobre o documento da FAB é incrível.

  37. Mas Salvador, a evidência mais sólida CONTRA os OVNIS (melhor dizendo, contra a possibilidade de que os OVNIS sejam seres extraterrestres) não é nenhuma dessas, mas, sim, a FÉ dos “ufólogos”! Cientistas devem ser céticos por definição… Qualquer um que acredita TANTO, de antemão, em algo TÃO improvável, é um religioso, um cultista, algo assim… qualquer coisa MENOS uma mente científica.

    1. Edu, a fé realmente é anticientífica. Mas ela, por si só, não invalida a hipótese. E a fé dos céticos de que, como 99% dos casos são comprovadamente enganos/fraudes, o 1% restante também deve ser?

      1. Strawman argument. De onde o autor tirou a idéia de que os “céticos” defendem uma posição sem lógica como essa? De nenhum lugar, pois é meramente uma generalização simplória.

        E não existe nada de “inarbordável” cientificamente em ufologia. Aliás, a incredulidade dos cientistas se dá exatamente por empregarem o método científico na análise das “teorias” nada científicas dos ufólogos. E em um parágrafo o autor se contradiz totalmente: como ele mesmo diz, basta uma evidência sólida para que o assunto “ovnis” passe a ser encarado com mais seriedade pela Ciência.

      2. Caro Salvador. Fé é usar a area do cerebro dedicada a amar pessoas, para amar hipoteses. Este sentimento de amor dá a ilusão de que a hipotese é verdade mesmo sem provas. Um céticos é uma pessoas que não tem fé em nada. ou seja não nutre amor pelas hipoteses que acredita ser verdade. Portanto você esta errado ou afirmar “fé dos céticos” pois céticos não tem fé. Os céticos não tem fé que 99% dos casos são enganos/fraudes, os céticos provam que 99% dos casos são enganos/fraudes. Pode constatar que as pessoas que tem sua fé provada como sendo falsa, tem as mesmas reações fisiológicas de uma pessoa que descobre que é traida pela pessoa amada. Por isso as pessoas que tem fé não mudam de ideia mesmo com provado que elas estão erradas, enquanto os céticos são pessoas mais flexiveis diante de provas. Então caro Savador se um cético tem fé, então ele não é cético .

        1. Aí é que está. Os céticos não percebem que mesmo o mais profundo ceticismo exige uma módica quantidade de fé. Um exemplo: fé que de que o mundo é inteligível. É impossível provar que o mundo faz sentido 100% do tempo. É preciso dar um salto de fé nesse sentido, ad-hoc, sem o qual a ciência não é possível. É exatamente esse mesmo salto — se o mundo parece fazer sentido 99% das vezes, então concluo que ele faz sentido sempre — que eles dão com os óvnis — se provamos que os óvnis são fraudes ou enganos 99% das vezes, então concluo que eles são fraudes ou enganos sempre. Não passa de um salto de fé.

          1. Não podemos provar com 100% de certeza nada, logo, tudo é possível. Ou impossível.

            E aqui amigos, nesse misto de “apelo à ignorância” e “apelo à fé”, temos a origem dessa patética doença chamada de Solipcismo, que afeta tantos “humanistas relativistas”.

          2. Não podemos provar com 100% de certeza nada, logo, tudo é possível. Ou impossível.
            E aqui amigos, nesse misto de “apelo à ignorância” e “apelo à fé”, temos a origem dessa patética doença chamada de Solipsismo, que afeta tantos “humanistas relativistas”. Editado: (corrigido typo)

          3. Caro Salvador . Você continua confundindo Fé com acreditar. São duas coisas diferentes. Fé é sentir amor por uma hipotese que acredita ser verdade. Não é preciso nenhuma fé que de que o mundo é inteligível. Só é necessário acreditar que de que o mundo é inteligível. O que vocês pessoas credulas, na qual incluo você Salvador ,é que não é exigido nenhuma fé para isso. E se você estudar a fisica envolvida para tornar possivel a viagem entre as estrelas vai perceber que seriam necessario naves tão grandes que seria impossivel não ve-las voando pelo sistema solar. Portanto não é um salto de fé concluir que não existem Extraterrestres no sistema solar. E sim um dedução racional baseada em evidências, e não é nenhum salto de fé. Poranto Salvador não confunda Fé com acreditar.

          4. Andre, você está enganado nas duas. Ter fé é aceitar dogmaticamente uma proposição. Você pode até evitar a palavra fé, para não ser confundido com religioso, mas isso não muda o fato de que a ciência se assenta dogmaticamente sobre a proposição de que o mundo faz sentido e pode ser compreendido pela razão. Isso é mais velho que minha avó. Veja a base do racionalismo, com Descartes, que os pressupostos estão lá.
            Já sobre viagens interestelares, você também está errado. Nos anos 70, por exemplo, o Projeto Daedalus resolvia o problema com fusão nuclear. A nave era bem maior que as que temos, mas não tão grande a ponto de ser detectável a meio Sistema Solar de distância. Era menor que esses asteroides que passam de raspão pela Terra e os astrônomos só veem quando estão na nossa cara.
            E isso só falando em tecnologia atual. Vale dizer que ainda há muito a se descobrir na física. Na Nasa, por exemplo, um laboratório explora a possibilidade de mover uma nave extraindo energia do vácuo. Caso isso se viabilize, pode-se fazer viagem interestelar sem levar o combustível, o que reduziria em muito o tamanho das espaçonaves. Enfim, rola um preconceito sim contra viagem interestelar, e não é nada saudável ou digno de uma postura legitimamente cética.
            Crédulos somos todos, meu caro. Resta saber em quê. Eu acredito na ciência. E também nas limitações dela. De onde sai a moralidade dos céticos? De onde vêm as convicções deles sobre o certo e o errado? A ciência certamente não versa sobre isso…

          5. Obrigado Hélio pelas suas referencias que embasam meus argumentos. Eu não estou querem me desvencilhar a fé do contexto religioso. As maiores fraudes na ciência aconteceram quando os ciêntistas sairam da postura cética em suas pesquisas e passaram a ter fé que seus resultados estavam certos. A fé mesmo fora do contexto religioso é prejudicial a mente humana e tambem para a pesquisa cientifica.A ciência não aceita dogmaticamente a proposição de que o mundo faz sentido e pode ser compreendido pela razão. E sim aceito pelo fato que observamos que o mundo faz sentido pela razão aliada a mais evidência. A razão pura não leva a verdade. Se fosse assim pela razão o Sol giraria ao redor da Terra. É preciso razão e evidências fisicas. E pesquise mais sobre o Projeto Daedalus, pois ainda não inventaram motores e nem usinas a fusão nuclear. E mesmo assim tais naves voando pelo sistema solar , seus motores seriam como um vagalume piscando dentro de um salão escuro. Encotrariamos facil facil. E mesmo que desenvolvamos tais motores e usinas, eles teria que ser instalados em naves semelhantes a Rama, idealidado por Arthur Clack. Como no video “Espaçonave Rama – Se fosse feita pela Humanidade . – YouTube”. E qualquer aproximação seria detectado pela Terra. E não venha com esse erro que todos somos credulos, pois eu não creio em nada. Nem mesmo nas coisa que eu acredito. E você deveria ter vergonha de dizer que acredita nos limites da ciência e ainda faz afirmações sobre a energia do vacuo.De onde sai a moralidade dos céticos? Vem do principio da reciprocidade .De onde vêm as convicções deles sobre o certo e o errado? Vem das regras de ouro da convivência humana. A ciência certamente versa sobre isso ,mas você não é capaz de enxergar . Eu sonho com as viagens interestelares, mas mantenho meus pés não chão. Tenho esperança que um dia voaremos pelas estrelas, mas não tenho fé nisso.

          6. A questão não é de gosto. Sim coragem de aceitar os fatos que são desconfortaveis. E aceitar abrir mão de ilusões , para estes fatos .

          7. É razoável acreditar que elfos, duendes e fadas realmente possam existir (ou ter existido)? Claro que ninguém consegue provar com 100% de certeza que tais criaturas não existem. Pela lógica (ou falta de) do jornalista, é preciso um “salto de fé” para acreditar que os inúmeros relatos sobre elfos, duendes, fadas, pé grande, monstro do lago Ness, etc são fraudes ou enganos sempre.

            http://www.livescience.com/25413-fairies.html

          8. Hélio, existe uma diferença. Óvnis, ou seja, objetos voadores não-identificados, existem. Já foram registrados muitas vezes, e os arquivos da FAB reforçam esse fato. A grande questão é: o que seriam eles?

            A postura cética saudável exige que não se acredite em nada até que existam evidências que corroborem ao menos uma opinião educada. No caso de elfos, duendes e fadas, não existe nem evidência anedótica de sua existência. Os casos do lago Ness e do pé-grande são um pouco diferentes (no sentido de que há pelo menos evidência anedótica, o que enseja algum tipo de investigação), mas ainda não cruzaram a fronteira entre o incrível e o crível.

            Os óvnis estão um pouco mais adiante. Eles são um fenômeno real, que pode ser natural ou artificial. Sendo completamente honesto, acho que tudo não passa de fenômeno natural, e que ETs não seriam tão discretos assim. Contudo, vê-se, por exemplo, que a FAB pensou diferente, ao reportar o caso de 1986.

          9. O que seriam eles? Mudar o poste não muda o erro no seu raciocínio.

            Não existe diferença entre a “crença” em duendes (seres mágicos) e a crença em OVNIs (seres extraterrestres). Você só afirma isso porque hoje em dia é óbvio que duendes não existem. Apesar de existirem evidências fortes de que o fenômeno dos OVNIs é alimentado por fatores culturais mais do que qualquer outra coisa, você se apega a supostos relatos “com alguma credibilidade”. Deixe-me usar outro exemplo. Antigamente se acreditava em monstros marinhos. Mais do que isso, “monstros marinhos” eram tidos como reais, pois os relatos de marinheiros e oficiais civis e militares davam credibilidade a essas lendas. Hoje em dia sabemos que os relatos foram, hum, exagerados. Desde sereias (fantasia absurda) até lulas e polvo gigantes (exagero sobre fatos reais). Em grande parte os marinheiros não estavam inventando nada, só estavam exagerando. Hoje em dia por motivos óbvios sabemos a verdade. Tudo era lenda. É muito provável que algo semelhante aconteça com os OVNIs. Crença em duendes = crença em monstros marinhos = crença em OVNIs. Ou seja, OVNIs extraterrestres são provavelmente tão fantasiosos quanto duendes e monstros marinhos e é absoluta perda de tempo querer achar que a probabilidade deles existirem é maior do que o que as evidências indicam. Crença diante de ausência de qualquer evidência sólida é sinônimo de fé. Não dúvida ou especulação científica baseada em margem de erro e confiabilidade, que é OUTRA COISA.

          10. Hélio, você tem que lembrar que óvnis não são passíveis de dúvida — são Objetos Voadores Não-Identificados. Se houver algo no céu não-identificado, lá está um óvni. Pronto.

            O que se pode questionar é o fato de óvnis (ao menos alguns deles) serem espaçonaves de origem extraterrestre. De fato, faltam evidências para corroborar isso, e daí a dúvida.

            Ocorre que inteligência extraterrestre não é uma ideia não-científica. Há muitos cientistas procurando por eles com sinais de rádio.

            Igualmente, há cientistas tentando desenvolver tecnologias para voos interestelares.

            Logo, parece-me possível — embora não seja capaz de estimar a probabilidade — que extraterrestres estejam por aí viajando pelo espaço interestelar em naves mais avançadas que as nossas.

            Daí a associar essas ideias — todas dentro do espectro científico — a óvnis, vai uma longa distância. Mas duendes e monstros marinhos não passam por essas etapas. Tudo é fantástico neles. E é mais fácil especular sobre o porquê de alguém os ter imaginado do que sobre sua realidade. (Aliás, tenho minhas dúvidas se alguém já acreditou a sério em duendes, embora tenha convicção de que nos monstros marinhos muita gente já acreditou.)

            O seu ceticismo é anticientífico. Talvez a hipótese de visitação extraterrestre se transforme no duende de amanhã. Mas você não sabe disso. É mais um salto de fé da sua parte afirmar categoricamente agora, quando não há evidência contrária. Uma vez que fique constatado que a vida inteligente é rara no Universo (os cientistas estão trabalhando nisso), poderemos afastar com mais convicção a hipótese de visitação. Por ora, a resposta científica é: “provavelmente os óvnis podem ser explicados por caminhos naturais, e não há alienígenas envolvidos, mas por ora NÃO SABEMOS que esta é a verdade para 100% dos casos”.

        2. Você está se apegando a um único relatório que pode ter sido escrito por oficiais da FAB enganados por seus viéses cognitivos, iludidos por efeitos causados por fenômenos naturais ou algum glitch eletrônico ou de processamento de dados (ou uma mistura disso tudo), etc. Só porque o relatório foi feito por militares (muitos dos quais são crentes, espíritas, acreditam em astrologia, seres humanos crédulos quanto quaisquer outros, etc) não é garantia de foi feito de forma rigorosamente científica, revisado por pares, auditado, etc. Provavelmente nem foi feito no âmbito de alguma investigação mais séria, estilo projeto “Blue Book” norte-americano. E mesmo se esse único relato tivesse passado por essa prova de fogo científica isso só indicaria que OVNIs (para dar um nome ao fenômeno misterioso) foram observados, nada mais do que isso. Estatisticamente seríamos forçados não a ter “fé” de que os militares da FAB tiveram contato com OVNIs extra-terrestres, mas muito pelo contrário, que o grau de erro é alto demais para sequer tirarmos qualquer outra conclusão.

          1. Hélio, eu nunca disse que eles tiveram contato com óvni. Disse que eles acreditam terem tido e enxergaram inteligência. Um detalhe importante: esse episódio em si teve muitas testemunhas e foi noticiado amplamente na época. Contudo, eu concordo com você que cada caso, por si só, não consiste em evidência sólida. Aliás, uso até a estatística de casos, ao final do texto, para mostrar que o fenômeno, no mais das vezes, tem mais relação com a psiquê humana que com alienígenas.
            Nada disso muda o que afirmei nos comentários, de que qualquer busca por conhecimento, mesmo pela via científica, parte de pressupostos ad-hoc que poderiam ser configurados como saltos de fé.
            Obrigado pela discussão inteligente! 🙂

      3. Da onde tirou dos casos são 99% comprovadamente engano? Aonde você viu isso? É melhor dar uma pesquisada, uma estudada pra não vir aqui e falar o que não sabe ou besteiras. Eu já vi com os meus próprios olhos e não tenha ninguém que me convença que é mentira!

        E tem mais, temos casos e casos comprovados que são verdadeiros, não é porque uma pessoa não acredita que ela tem o direito de vir falar que as provas são falsas.

        1. Essa estatística dos casos que foram registrados (fotografia ou filme) e analisados por cientistas imparciais. A imensa maioria é fraude ou engano. Eu mesmo conto de uma fraude a que fui submetido anos atrás.

        1. Einstein era CATÓLICO??? Ele era judeu! Mas não mantinha os costumes do judaísmo.
          Mas você pode citar Galileu. Galileu era católico. Praticante. Nada impede que o sujeito seja cientista e religioso. O que não pode é querer misturar a religião com sua prática científica. Imagine se, em vez de tentar entender as leis matemáticas que regem o movimento dos projéteis, Galileu adotasse a postura: “Os movimentos são esses porque assim quis Deus”. Faz sentido tentar extrair leis matemáticas de um fenômeno que só acontece por vontade divina?

    2. eu já vi um na Chapada Diamantina na Bahia ele era um branco opaco e estava parado no ceu, fiquei alguns instantes observando e quando me virei pra chamar minha amiga ele fez uma manobra incrivelmente rápida e sumiu!

    3. André,

      Ter fé é acreditar em alguma coisa pelas próprias convicções sem a necessidade de provas. Um cético pode ter sim fé. Ele tem fé na verdade que ele defende. Eu sou cético em relação aos OVNI’s. Ou seja acredito piamente que eles não estão nos visitando. Mas não posso provar isto. Logo é fé.

    4. Outra coisa. As viagens interestelares só se tornarão realidade quando dermos um salto imenso em nossos conhecimentos físicos. Só hoje os físicos admitem a existência de universos paralelos, dobras espaciais etc. recentemente saíram os primeiros trabalhos sobre universos cíclicos etc. O vácuo já não é mais visto como a ausência de tudo. É na verdade a ausência de matéria como a conhecemos. Logo é possível sim armazenar ou até gerar energia do vácuo. São conceitos que fogem da nossa compreensão de física atual. E não estou falando de fé mas de mente aberta para novas possibilidades.

Comments are closed.