A vida como ela era

Um quarteto internacional de pesquisadores diz ter identificado os primeiros sinais indisputáveis de vida encontrados na Terra. Os fósseis remontam a 3,48 bilhões de anos atrás e foram localizados na Austrália.

Estruturas deixadas por micróbios 3,5 bilhões de anos atrás. Velho é apelido.

Nora Noffke, da Old Dominion University, em Norfolk (EUA), apresentou o trabalho durante o II Workshop de Astro e Paleobiologia, realizado no IAG (Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas) da USP (Universidade de São Paulo). Um artigo científico foi recentemente publicado no periódico “Astrobiology”.

Os sinais, encontrados em rochas da Formação Dresser, em Pilbara, no oeste australiano, são conhecidos pelos cientistas pela sigla Miss (Microbially induced sedimentary structures). Em português, estruturas sedimentares induzidas por micróbios.

O resultado apimenta a disputa pela busca do registro mais antigo de vida no planeta Terra. Sinais mais antigos, que chegam a 3,8 bilhões de anos de idade, foram apresentados no passado, mas acabaram contestados por boa parte da comunidade científica.

“Muita gente discorda, pois nem todos os critérios de biogenicidade são satisfeitos”, afirma Douglas Galante, astrobiólogo do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), em Campinas, e um dos organizadores do workshop na USP. “Ainda há muito para ser discutido antes de batermos o martelo nessa questão.”

A TERRA COMO EXEMPLO

Determinar quando as primeiras formas biológicas surgiram na Terra é, evidentemente, uma das questões centrais para o estudo das possibilidades de vida em outras partes do Universo.

Sabe-se que a Terra se formou há 4,6 bilhões de anos, e que passou por intenso bombardeio de bólidos celestes (inclusive, potencialmente, a grande colisão que deu origem à Lua) até cerca de 3,8 bilhões de anos, quando as coisas finalmente se acalmaram no Sistema Solar.

Determinar que a vida surgiu logo após a estabilização das condições ambientais do planeta traz consigo uma premissa poderosa: a vida parece tomar conta de um ambiente tão logo ele se mostra favorável.

Daí os cientistas podem derivar algumas hipóteses: ou a vida já veio pronta do espaço, talvez transportada no interior de meteoritos, e colonizou o planeta assim que foi possível, ou os processos químicos que levam ao surgimento da vida não foram tão complicados e puderam ser realizados num período relativamente curto, logo que as condições planetárias se tornaram favoráveis.

Uma terceira possibilidade — não muito fácil de defender — é que simplesmente demos uma sorte danada, e fenômenos muito improváveis aconteceram aqui na Terra em rápida sucessão para dar origem a todos os organismos vivos que hoje habitam nossa biosfera. Mas não seria um processo que se repete com facilidade.

Qual será a alternativa correta? Ninguém sabe.

O interessante é que as tais Miss representam o trabalho não de uma única espécie de micróbio, mas de uma comunidade complexa de criaturas unicelulares. Um ecossistema microbiano. “Essa comunidades provavelmente existiam quase 3,5 bilhões de anos atrás”, afirma Noffke.

De certa forma, isso indiretamente empurra para trás o momento em que os primeiros seres vivos iniciaram seu reinado sobre o ambiente terrestre e sugere que a vida pode mesmo ser um fenômeno comum no cosmos. Embora, claro, a confirmação dessa premissa só poderá ser feita quando encontrarmos outros mundos com vida ou quando algum cientista conseguir recriar em laboratório todas as etapas exigidas para ir da química simples à complexidade dos organismos vivos.

Por ora, tudo não passa de material para reflexão.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Comentários

  1. Olá Salvador, certa vez eu vi uma matéria do Richard Dawnkis onde ela faz uma pesquisa sobre os criacionistas que afirmam que a Terra tem apenas alguns milhares de anos, ou seja, não mais que 10 mil. Ele questiona um geólogo criacionista, biólogo e outras pessoas e pergunta:
    Mesmo com o 12 métodos de datação diferentes vocês ainda sustentam uma Terra jovem. Eu sei que um dos métodos é o Carbono 14, você saberia os demais?

  2. No mais Cícero, Richard W. Nelson se valeu da prática do quote mining, ao menos com as citações que faz de Gould e Dawkins.

    Isso se chama DESONESTIDADE.

    VC AINDA INSISTE EM QUERER QUE UM CARA DESSE TENHA CRÉDITO?

    Ainda Cícero que TODA teoria evolutiva estivesse completamente errada, o criacionismo e seus correlatos não seriam validados por default.

    O criacionismo é uma ideia que adora pegar carona em lacunas do conhecimento e se estabelecer como alternativa default.

    Isso não pode, seja em qualquer disciplina que tenha um mínimo de academicismo. Para algo ser considerado um estudo validado, tem de se construir com suas próprias hipóteses, teses e teorias.

    Do contrário o que temos é o argumento da ignorância, comumente presente em todo o lixo produzido pelo criacionismo.

    Por isso o livro de Nelson não serve para nada. Tenta desqualificar uma teoria científica e, com isso estabelecer suas crenças como verdades por default.

    Por que será que nenhum criacionista expõe suas teses ou as submete ao escrutínio científico ein Cícero?

    Será que os malditos ateus crentes darwinistas detentores do stablishment acadêmico perseguem mesmo os coitadinhos dos criacionistas cristãos?

    Por que será ein Cícero?

    Ainda Cícero qual seria o motivo dessa perseguição?

    O que a academia ganharia em sustentar uma mentira? Será que todo mundo que é cientista é um anticristão? Por que não seria um antiinduísta ou um antibudista?

    Qual o objetivo para tal perseguição ein Cícero?

    O que a academia ganha dizendo que bíblia não passa de lenda?

    E ai Cícero, por que os criacionistas não apóiam o criacionismo indiano ou japonês?

    Por que temos de engolir as baboseiras do criacionismo judaico-cristão e somente eleas nada mais que elas? Por que ein Cícero?

    Qual é a prova de que o cristianismo é a verdade e o xintoísmo ou o hinduísmo não?

    Para que Cícero haveria uma conspiração desta contra a bíblia? É o diabo?

    Por que não há uma e apenas uma evidência que sustente o criacionismo, seja ele de qual vertente for? Por que será ein Cícero?

    Por que será ein Cícero que quando um criacionista cita um trabalho científico ele aje de má fé, fazendo quote mining e se valendo de falácias, inventando dados e omitindo estudos?

    Por que será que somente fundamentalistas apóiam o criacionismo?

    Por que será que quem mais faz barulho são os evangélicos?

    por que será ein Cícero que a escola Adventista não fala de outras formas de criacionismo?

    Por que será ein Cícero que vez ou outra os criacionistas tentam obter na Justiça o direito de idiotizar, digo de ensinar, o criacionismo, violando regra constitucional lá nos EUA?

    Então Cícero: POR QUE SERÁ?

    1. Isso é sempre a sua desculpa de – “prática do quote mining, ao menos com as citações que faz de Gould e Dawkins. Isso se chama DESONESTIDADE.”

      Ora, se Dawkins cita esses seres “transicionais” em seus livros porque depois diz que:
      “Nós precisamos de mais fósseis” e também:
      “Nós não precisamos de fósseis para demonstrar que a evolução é um fato.”

      Então ele fala coisas nonsense se contradizendo a si próprio; ou não foi ele que disse; foi um fantasma?!

      O Geneticista Wolf-Ekkehard Lönnig do Instituto Max-Planck na Alemanha, no livro intitulado “A Evolução da girafa de pescoço longo” como Dawkins, candidamente aponta para o fato de que uma “série gradual de intermediários no sentido de Darwin nunca existiu e, portanto, vai nunca existir. “

      1. Não Cícero, a desonestidade/ingenuidade ou burrice mesmo parte de vc.

        Tudo que vc cita apresenta o quote mining, o qual se faz presente em todas as suas frases.

        Isso sim é a desonestidade nua e crua.

        Quer ver:

        Vamos jogar a sua frase no deus -google:

        SURPRESA!!!! Qual site abriu:

        http://darwinismo.wordpress.com/2013/11/22/richard-dawkins-rejeita-o-registo-fossil/

        Ora se não é um site criacionista… Além de um dos supra-sumos da desonestidade intelectual…

        Por que vc não traz a fonte original ein Cícero? Por que vc fica caçando frases em sites criacionistas que se valem dessa prática desonesta?

        Já te expliquei uma vez e vou te ensinar de novo:

        QUANDO VC CITAR O QUE ALGUÉM DISSE, AINDA MAIS SE EXTRAÍDO DE UM LIVRO, NÃO BASTA VC JOGAR UMA FRASE. CITE O RACIOCÍNIO COMPLETO. AI SIM TEREMOS NA REAL O QUE O CAMARADA QUIS DIZER.

        No mais, Cícero o cara que vc cita é um pro – DI, o que de pronto já invalida qq citação dele.

        Extraído de um site pró DI:

        http://www.evolutionnews.org/2010/10/wolf-ekkehard_lonnig_under_neo039191.html

        E aqui uma historinha malograda das falcatruas do DI:

        http://www.jackscanlan.com/2010/12/the-id-community-isnt-lonnig-from-their-mistakes/

        aqui o artigo de Wolf-Ekkehard Lönnig :

        http://www.weloennig.de/GiraffaSecondPartEnglish.pdf

        Se vc se der ao trabalho de ler o artigo, o cara induz que o pescoço da girafa apareceu do nada.

        eis o artigo completo dele:

        http://www.weloennig.de/LaryngealNerve.pdf

        Se vc se der ao trabalho de ler o trabalho dele, verá que é um amontoado retórico. Um belo texto, porém com conteúdo zero, que distorce as referências para adaptar ao mundo maravilhoso das falcatruas do DI.

        No mais Cícero, todo e qq ser vivo que existe hj e que existiu no passado é o transicional de alguma coisa, se a espécie não for parar em um beco sem saída e ainda que vá para esse beco sem saída.

        Abaixo, segue um artigo sério sobre girafas, para o seu deleite:

        http://www.blc.arizona.edu/courses/schaffer/182/Giraffe/WinningByANeck.pdf

        Quer fósseis de girafas Cícero? Pois não:

        Sivatherium, Palaeotragus, Climacoceras, samotherium, honanotherium.

        Esses caras ai são intermediários de girafas, sendo que o ocapi ainda mantém muitas das características desses intermediários.

        Por isso ele é considerado um intermediário, assim como um Parantropus, que nada tem a ver com a linhagem humana, se estivesse vivo seria um intermediário entre homo e australoptecíneo.

        A mesma coisa ocorre com o arqueopterix e toda a turma dos fósseis chineses de dinos emplumados.

        Muitos não têm qq elo direto com as aves atuais (como é o caso do arqueopterix – hj considerado uma ave), mas são intermediários entre dinossauros e aves por apresentarem caracteres de ambas as espécies.

        Ex do arqueopterix –

        caráter de dinossauro: cauda longa e com vértebras, dentes no bico, pelve de teropode;

        caráter de ave: bico córneo, penas e parece que era um bom voador.

        E aqui, mais um artiguinho sobre girafas e outras coisas mais:

        http://www.livescience.com/3306-fossils-reveal-truth-darwin-theory.html

        O nervo laríngeo da girafa pode não provar a teoria evolutiva, mas joga o DI no lixo, onde é o lugar dessa excrescência religiosa travestida de ciência.

        Como eu lhe disse Cícero, vc se atém somente a lixo. Vc somente lê lixo. Vc somente dá crédito a lixo.

        Seu material de consulta é do tipo:

        Nasceu burro

        Não aprendeu nada

        E desaprendeu o pouco que sabia.

        É o material BCO – Bom para Crente Otário.

        Se vc se desse ao trabalho de botar sua incredulidade pessoal e a sua religião doente de lado, aprenderia a analisar melhor as coisas e não cometeria tantas gafes, que somente fazem vc assinar seu atestado de ignorância e de desonestidade.

        Para variar, vc se desviou do assunto.

        Vc realmente é engraçado: quando se vê encurralado foge formulando outras perguntas ou desviando-se do assunto.

        Por que não respondeu minhas perguntas?

        Vamos, se restar uma gota de honestidade em vc, as respoderá.

  3. Cá entre nós Cícero: DE ONDE É QUE VC TIRA TANTA BOBAGEM?

    Como quebra de gravidade nas núvens, que amebas viram elefantes, que a célula suriu do nada, que o DNA aparece do nada, aquele papo das anomalias genéticas, fora suas citações fora de contexto…

    Conta, de onde é que vc tira todas essas PEROLAS?

  4. Bom Cícero, o que eu posso lhe dizer é o seguinte, se tudo o que digo é ignorãncia, idiotice, besteira e mentira, então aponha sua versão dos fatos.

    Claro, apresente bibliografia condizente com o tema (peer reviwed, publicação em revista científica ou publicação em informativo reconhecido).

    Em momneto algum vc citou algo que prestasse ou que atendesse os requisitos de uma publicação coentífica.

    A propósito, acerca de suas anomalias do passado inexistirem, vc se baseou em que estudo para aventar tal afirmativa?

    vamos lá Cícero, quero ver suas referências bibliográficas…

  5. Cícero:

    [Como vc mesmo admite: “pois avaliamos tudo antes mesmo de termos vontade, bem como moral é algo em parte ensinado culturalmente…”

    A pré-analise, avaliação racional de nossa consciência, julgamento é o fator desencadeante das reações químicas elétricas no cérebro, e não a própria matéria no cérebro, que é irracional, amoral, impessoal, incogníscivel,… logo esse atributos singulares nos humanos é contrário a uma suposta evolução meramente física/mecânica biológica.]

    Cícero isso é um processo meramente natural que não passa de uma reação química no seu cérebro, cuja mensagem vem com retardo no tempo.

    Não existe um deuzinho dentro do seu cérebro dizendo “faça isso/ faça aquilo”. Isso é transmissão de pulso elétrico que formam a sua consciência para vc dizer faço/não faço.

    São seus neurônios interligados por sinapses é só.

    freud já demonstrou que a consciência é a instãncia mais insignificante do cérebro e que o inconsciente é quem manda. Esse foi o terceiro golpe que a humanidade tomou.

    Pelo visto vc ainda deve estar tentando superar o primeiro (substituição do geocentrismo pelo heliocentrismo – iniciada por Aristarco de Samos seguido por Hipatia da Alexandria, retomado por Copérnico e lavrado por Galileo).

    O segundo, vc ainda bate a cabeça como se o mundo tivesse aberto sob seus pés: A Evolução das espécies Levantada desde o tempo dos gregos, por Aristóteles que viu que existia algo diferente na vida, seguido por Darwin e Wallace e hoje, sem ela a biologia não faz sentido.

    O terceiro, acho que vc nem sabia dele…

    Bibliografia recomendada:

    Dalgalarrondo – Evolução do Cérebro

    Pinker – Do que é feito o pensamento, Tábula rasa e Como a mente funciona.

    Shermer – Cérebro e crença;

    Harris – A paisagem moral

    Ingenieros – As forças morais, Para uma moral sem dogmas

    Resweber – A filosofia dos valores

    Park – Superstição – crenças na era da ciência.

    Hovestol – A neurose da Religião

    Dennett – Quebrando o encanto, Content and Consciousness, Consciousness explained, Freedom evolves e Darwin Dangerous idea.

    Hessen – teoria do conhecimento

    Kauffman – Reinventing the sacred

    Churchland – Matéria e consci~encia.

    1. As sinapses são consequência e não causa de nossos atos, pensamentos. Elementos químicos não decidem, apenas reagem.

        1. Do seu link:
          “Dentritos (do grego dendron, que significa árvore) são prolongamentos geralmente muito ramificados. Eles são responsáveis pelo recebimento dos sinais;”

          Exato. Os sinas recebidos dos nossos pensamentos, ações, emoções.
          Repito. Neurônios não decidem, apenas reagem.

          1. Tá legal Cícero. Deus manda vc pensar e decidir e os neurônios transmitem.

            O pensar é separado da mente poque deus é quem manda na sua mente.

            Satisfeito agora Sr. Neurologista, psicólogo psiquiatra, filósofo da consciência.

            Vc realmente é o supra sumo da teimosia.

            Sem cérebro meu caro não há pensamento. Sem reação química cerebral, vc não pensaria e sequer viveria, portanto não decidiria nada. Alias, vc decide se o seu coração vai bater ou se suas suprarenais secretarão corticoide? Não né?!

            Portanto, pensamento é fruto de seu cérebro. Nada mais que um monte de reações químicas, conscientes ou inconscientes (na esmagdora maioria das vezes, comop para fazer vc viver).

            Leia a bibliografia que eu lhe indiquei.

            E, larga de ser teimoso!!!

          2. Qdo vc age de forma consciente, o meio provoca a reação em vc; seu cérebro analisa as circusntâncias, antes mesmo de vc achar que está pensando.

            Depois vem a decisão fazer/não fazer, a qual é comunicada via todo mecanismo neuronal.

            Por isso quando vc usa drogas químicas (ex maconha) ou psíquicas (fanatismo religioso) vc perde parte desse poder de análise.

            Mas claro, como vc é um desonesto de marca maior só pegou do artigo o que lhe interessava. Aqui vai a parte anterior à explicação das partes de um neurônio:

            “Todos os estímulos do nosso ambiente causam, nos seres humanos, sensações como dor e calor. Todos os sentimentos, pensamentos, programação de respostas emocionais e motoras, causas de distúrbios mentais, e qualquer outra ação ou sensação do ser humano, não podem ser entendidas sem o conhecimento do processo de comunicação entre os neurônios.
            Os neurônios são células especializadas, que junto com as células gliais formam o sistema nervoso.
            Os neurônios são constituídos fundamentalmente por:”

            Satisfeito agora

            Leia antes de falar besteira e ser desonesto!!!

  6. [Segundo a Wikipedia:

    “A segunda lei é uma conseqüência da aleatoriedade assumido de caos molecular”.
    Como a entropia aumenta, há um aumento correspondente na desordem – o caos.
    Com base na lei da física fundamental do universo (segunda lei da termodinâmica) a entropia avança ao longo do tempo a partir de ordem (complexo) a desordem, a degeneração, logo a evolução biológica (simples) indo da desordem para a ordem (mais complexos), é um fato de contradição com as leis físicas da natureza.
    Um sistema deixado a própria sorte tende a se destruir.]

    Mas quanta teimosia e desonestidade!!! Como sempre o maldito quote mining!!!

    Eis o trecho completo Cição:

    “In the modern microscopic interpretation of entropy in statistical mechanics, entropy is the amount of additional information needed to specify the exact physical state of a system, given its thermodynamic specification. The role of thermodynamic entropy in various thermodynamic processes can thus be understood by understanding how and why that information changes as the system evolves from its initial condition. It is often said that entropy is an expression of the disorder, or randomness of a system, or of our lack of information about it. The second law is now often seen as an expression of the fundamental postulate of statistical mechanics via the modern definition of entropy.”

    Em resumo, não é nada do que vc disse.

    Entropia já é MATÉRIA DADA Cícero. Retorne ao post sobre entropia e releia.

    Ou vc não entendeu, ou não leu ou quer só causar. Qual é a sua Cícero? Por que vc teima em errar para uma coisa que já lhe foi explicada dezenas de vezes?

    Isso somente mostra que seu entendimento de entropia é completamente errado.

    Ou vc quer testar as pessoas até o limite da paciência para depois sair arrulhando a vitória?

    Quando temos um sistema fechado, ele troca apenas energia com o meio. Os exemplos que se aproximam de sistemas fechados são as máquinas, os motores e quase toda a tecnologia inventada pelo homem.

    MAS CLARO, NÃO SO COMPLETAMENTE FECHADOS. Trocam massa com o meio (o vapor e a fumaça que saem dos escapamentos), mas fazem transformações adiabáticas. Se vc não abastecer o motor ele pára de fornecer energia. Isto é não fornecerá mais o calor (energia) para fazer mover um pistão e assim fazer uma locomotiva a vapor andar mas, por alguns momentos, se comportam como sistemas fechados.

    Nesses sistemas, a equação a ser usada é:

    ∫〖dQ/T〗 = ΔS > 0

    Ou seja a entropia tende a aumentar.
    O sistema isolado cujo único exemplo e ainda sob suspeitas que existe é o universo, não troca nada com o meio. Isto quer dizer que, uma vez degradada sua matéria e energia ele pára e é para sempre.

    Ex prático: um calorímetro adiabático. Se eu coloco lá papel pegando fogo, ele ira se consumir até que o papel se consuma, vire cinza e consuma o comburente. Daí, toda a energia estará lá, só que degradada em sua forma mais baixa que é calor e o processo não mais será reversível, pois não há entrada ou saída de energia ou matéria.

    Dessa forma não há mais energia útil para o sistema realizar trabalho.

    Assim, se aplicará a equação:

    ∫〖dQ/T〗 = ΔS > 0

    Como funciona uma transformação adiabática?

    A transformação é dada por:

    dU = dQ – dW

    sendo

    dQ = 0 → dS = 0

    dU = – dW → dW = CvdT

    Em um processo isoentrópico reversível não há transferência de energia calorífica, e por isso o processo é também adiabático.
    Em um processo adiabático irreversível, a entropia aumentará, de modo que é necessário eliminar calor do sistema, para manter a entropia constante.

    Por isso, um processo isentrópico irreversível não pode ser adiabático.

    Assim aplicaremos a equação:

    ∫〖dQ/T〗 = ΔS > 0

    Pela “n – ésima” vez Cícero: SISTEMAS ABERTOS NÃO ESTÃO LARGADOS À PRÓPRIA SORTE. ELES TROCAM MASSA E ENERGIA COM O MEIO E ISSO FAZ COM QUE LUDIBRIEM, AINDA QUE TEMPORARIAMENTE, A ENTROPIA.

    Ao fazer essas trocas com o meio externo, o sistema aberto recebe massa e energia do meio externo. Essas duas componentes alimentam esse sistema e assim fazem ele exercer trabalho e portanto se organizar.

    Onde isso ocorre?

    Em qualquer sistema vivo pode haver ordem a partir do caos. Maior exemplo disso. Olhe-se no espelho. Vc nasceu, comeu pra cacete, cresceu e degrada sua energia vivendo. Por isso envelhece e um dia ira sentar no colo do capeta.

    Se as coisas fossem como vc acha que são, a vida seria impossível. Nada no mundo nasceria. Nem mesmo planetas teriam se formado ou estrelas se acendido.

    Assim, a entropia, no que se refere à entropia energética, somente trata se as transformações propostas na primeira lei da termodinâmica ocorrerão ou não na natureza.

    É claro que ainda que um sistema aberto reduza sua entropia interior, se for computado o balanço desta com o meio, sempre, sempre haverá aumento de entropia. Ex. mais emblemático: a geladeira

    O motor trabalha para jogar calor para fora. A entropia dentro da geladeira cai. Mas o meio externo tem um grande aumento de entropia: perdas nas turbinas da hidrelétrica (energia sonora, atritos e calor), perdas de carga nas linhas de transmissão e no motor (efeito Joule), perdas sonoras e atritos do motor, perdas nas chicanas do trocador de calor (aquela grade atrás da geladeira) perda na compressão do fluido de troca.

    O mesmo se dá com a vida. Vc perde energia respirando, andando, comendo, falando, para manter seus órgãos funcionando, em fim, para viver. Embora a entropia baixe dentro de um ser vivo, se somada com a perdida para o meio sempre será maior que zero.

    A segunda lei mostra que, toda vez que realizamos algum trabalho, parte da energia empregada é perdida para o ambiente, ou seja, não se transforma em trabalho útil. Ao organizarmos um sistema, gastamos energia e, conseqüentemente, liberamos algum calor para o meio ambiente.

    A energia liberada desorganizará as moléculas ao redor do sistema, aumentando a entropia do meio externo. Dessa forma, para diminuir a entropia de um determinado lugar é necessário aumentar a entropia em outro. Isso a vida faz numa boa.

    A manutenção da vida é um embate constante contra a entropia. A luta contra a desorganização é travada a cada momento. Desde o momento da nossa concepção, a partir da fecundação do óvulo pelo espermatozóide, nosso organismo vai se desenvolvendo e ficando mais complexo.

    Partimos de uma única célula e chegamos à fase adulta com trilhões delas, especializadas para determinadas funções.

    Isso tudo porque nossas células usam energia e produzem trabalho útil, embora boa parte dele se perca como calor que é a entropia.

    Com o passar do tempo, os sistemas vivos não conseguem mais vencer sua batalha contra a entropia. Eles envelhecem, até que um dia morrem.

    A chamada “aleatoriedade” como já “ad nauseam” lhe foi explicada, é a OCUPAÇÃO DE NÍVEIS DE ENERGIA PELA MATÉRIA QUANDO AQUECIDA, conforme dado pela formula:

    ΔS = K*lnΩ ou ΔS = c*logΩ (vai ao gosto do freguês).

    Se tivermos um corpo a 0K ele terá entropia zero, pois Ω=1, que quer dizer ocupação de um nível de energia pela matéria, ou seja, é o nível mais baixo a ser ocupado. Quanto maior T, mais níveis de energia a matéria ocupará e, portanto, maior será a entropia.

    Caso tenhamos uma transformação isotérmica, ex um gás comprimido, a entropia desse sistema será no início, menor em termos posicionais. Se o expandirmos, suas moléculas ocuparão um maior espaço, o que é dado por:

    dU = dQ – W

    dU = dQ – PdV

    em sendo dU = 0, pois dU depende da temperatura do corpo, temos:

    dQ = PdV

    mas

    dS = dQ/T = PdV/T

    sendo PV = nRT → P/T = nR/V

    multiplicando tudo por dV resulta:

    (PdV)/T = nRdV/V

    mas

    dS = dQ/T = PdV/T

    assim:

    dS = nRdV/V, que integrando entre Vi e Vf resulta:

    ΔS = nR ln(Vf/Vi)

    Ou seja, a entropia variou em termos posicionais, pois o sistema perdeu energia pela expansão do gás. Assim, a desordem aumentou com a expansão do gás, sem a participação da temperatura.

    Para sistemas reversíveis, como um ser vivo ao longo da maior parte de sua vida, usamos a equação

    ΔS= ∮〖dQ/T〗 = 0,

    pois as transformações neles ocorrem de forma reversível, uma vez que são abastecidos pelo meio externo de massa (animais e plantas) e energia (plantas).

    Assim, se o sistema vivo em sí reduz sua entropia, ele reduz a de suas células, pois elas captam matéria prima do meio para crescerem e se reproduzirem.

    Ao se reproduzirem por mitose (duplicação celular) ou meiose (formação de gametas), as células usam energia que captaram do meio para montar seus cromossomos. Isso, não representa qualquer violação da segunda lei.

    O organismo e a espécie dele vivem assim. Seus genes recombinam, se sintetizam, nos organismos, que se cruzam entre si e geram formas variáveis que se submetem a pressões seletivas do meio e assim toda a espécie evolui.

    Assim, a evolução das espécies não viola a segunda lei, pois como foi dito, seres vivos captam matéria e energia do meio e se constroem, bem como a todo seu arcabouço genético.

    Todo e qualquer ser vivo parte do caos para a ordem, dom menos para o mais complexo e o segredo disso está no trabalho útil empregado pelas nossas células na construção do organismo.

    Quanto a aspectos informacionais da entropia, a homologia entre energia e informação é óbvia – de fato, o físico francês Léon Brillouin (1889-1969) cunhou o termo negentropia (entropia negativa) para denominar informação.

    Assim, podemos redescrever a Segunda Lei da Termodinâmica em termos informacionais e dizer que, “em um SISTEMA FECHADO, a informação se degrada”.

    Da mesma forma como a capacidade de fazer trabalho de um SISTEMA FECHADO decai progressivamente, a quantidade de informação de uma mensagem também diminui. Há sempre algum ruído nas linhas de comunicação, degradando a qualidade da mensagem transmitida.

    Olha o cara disse SISTEMA FECHADO, SISTEMA FECHADO SISTEMA FECHADO!!! ELE NÃO FALOU SISTEMA ABERTO, ELE DISSE SISTEMA FECHADO!!!

    Além disso, há sempre a possibilidade de erro de compreensão daquele que recebeu a mensagem e que pode passá-la adiante de forma incorreta ou truncada.

    Isso significa, então, que é impossível recapturar o passado, já que a informação do que aconteceu vai se dissipando com o tempo? Sim.

    Por isso ao lidarmos com o passado (história, evolução das espécies, arqueologia, paleontologia, geologia, climatologia, vulcanologia, criminalística), muitas vezes não conseguimos resgatá-lo fielmente.

    A informação se foi, pois não houve a retroalimentação para que ela se mantivesse. É como um ser vivo que não obteve energia e matéria do meio. Morreu, não volta mais.

    Assim, a partir de tudo isso: EVOLUÇÃO BIOLÓGICA PELA “N + 10 ^ ∞ VEZES” NADA ABSOLUTAMENTE NADA TEM A VER COM ENTROPIA.

    [A evolução biológica existe como pensamento filosófico – não como um fato científico.]

    Já explicado acima Cícero.

    BIBLIOGRAFIA RECOMENDADA:

    http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/deriva-genetica/a-procura-do-passado-perdido/?searchterm=%C3%80%20procura%20do%20passado%20perdido

    http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/fisica-sem-misterio/o-caos-e-a-ordem/?searchterm=O%20caos%20e%20a%20ordem

    Halliday e Resnick – Física Vol. II

    Pauli et Al – Física Vol. II

    Atkins- Four laws that rule the Universe

    Fermi = Thermodynamics.

    Nussensweig – Complexidade e caos

    Prigogine – Order out of Chaos

    Bloomberg – Physics of life.

    Bruhat e Kastler – Curso de Física geral – termodinâmica.

    Davies e gregersen – Information and the nature of reality

    Gleick – The information e Caos: a criação de uma nova ciência.

    Arnold – Teoria da catastrophe

    Briggs e Peat – a sabedoria do caos.

  7. MAIS UMA VEZ CÍCERO:

    [É verdade Elyson, Stephen Meyer sendo PhD em filosofia da ciência, não poderia falar de evolução, pois esta não é ciência, e sim pseudociência…]

    Caramba Cícero vc é difícil ein?! Quanta teimosia!!! Qual é a sua nessa “jihad” ridícula contra o conhecimento? É fazer conversão e garantir seu lote no céu? Ou é causar?

    Meyer não pode falar de evolução porque ele é GEÓLOGO E FÍSICO, ALÉM DE SER UM PHD EM FILOSOFIA DA CIÊNCIA. ELE NÃO É UMA AUTORIDADE NO ASSUNTO, COMO EU NÃO SOU UMA AUTORIDADE PARA FALAR DE LITERATURA MODERNA!!!

    ALÉM DISSO, ELE COMETE ERROS CRASSOS AO TRATAR DO TEMA. ERROS DIGNOS DE QUEM SEQUER BRIU UM LIVRO DE BIOLOGIA E SE DEU AO TRABALHO DE LER UMA LINHA.

    Mesmo no trabalho dele sobre filosofia da ciência, só falou besteira, tanto que foi rejeitado como peer reviwed (se isso acontecesse comigo eu sumiria do mapa, trocaria de nome e faria uma plástica).

    Estudou o design dos seres vivos e chegou a “brilhante” conclusão de que era preciso um designer. Para se ter uma conclusão assim, não precisa fazer um PhD, basta ser idiotizado pelos pais indo a igrejas fundamentalistas e saber falar. Ou seja, com 5 anos de idade e diploma do maternal se chega a conclusão semelhante.

    Novamente:

    FILOSOFIA DA CIÊNCIA NÃO É CIÊNCIA:

    O método filosófico difere do método científico, pois a filosofia apenas se pauta na argumentação, enquanto a ciência se pauta pelo empirismo.

    Eu fiz na faculdade de física 1 ano de filosofia da ciência Cícero. E, posso lhe assegurar que é apenas filosofia e não ciência natural, pois seu único intuito é traçar as formas da argumentação, que nas ciências naturais se constrói com a lógica e a evidenciação, para se chegar ao discurso científico.

    Não é qualquer bobeira que vc pode argumentar em ciência. Antes de reproduzir qualquer argumento, vc deve verificar as premissas e conclusões (verdadeiras/falsas) e depois organizá-las em silogismos (lógico/não lógico) para se ter o raciocínio (sólido/não sólido) que será usado na argumentação do discurso científico.

    A pseudociência se diz baseada em fatos científicos, porém, sua base não tem qualquer comprovação científica.

    Não pode ser testada direta ou indiretamente, usa afirmações vagas, improváveis e deposita excesso de confiança em suas afirmativas.

    Não se vale de exame rigorosos e nem se abre a outros profissionais de modo a ser avaliada (a revisão por pares) e nem há sistematização em seus processos para que se desenvolvam teorias racionalmente aceitáveis e, tampouco capazes de cumprir as normas estabelecidas pela metodologia científica.

    Exemplos mais emblemáticos: astrologia, búzios, alquimia, criacionismo, evolução segundo o espiritismo, cientologia e design inteligente.

    Criacionismo e DI sequer verificam suas premissas e conclusões pautadas na metodologia científica. Eis suas falhas científicas.

    Quanto à lógica, assentam-se no argumento da ignorância, pois não constroem seu arcabouço de premissas e conclusões.

    A conclusão já está pronta (foi o designer/ foi deus). Também, se pautam na prova negativa, que é extraída de alguma suposta lacuna do conhecimento, ou seja, não se validam de per se. Aqui está sua falha lógica.

    E, retoricamente, é essa porcaria que vemos: um discurso totalmente fora da realidade, proselitismo religioso, desonestidade intelectual, que se resumem num amontoado de besteira sem pé nem cabeça como teoria das hidroplacas, entropia genética, baraminologia, dentre outras bobagens típicas encontradas em seus argumentos viu Cícero.

    O que é método científico?

    São regras estabelecidas de modo a se produzir o conhecimento científico, seja ele novo ou uma correção do que havia anteriormente.

    Essa metodologia pode variar segundo o campo científico em estudo, podendo ela ser:

    Via evidenciação direta aquela feita em campo ou em laboratório);

    Via evidenciação indireta, aquela que se vale de análises a distância (como o estudo de atmosferas planetárias ou temperaturas de estrelas ou de análises por ultra-som de minerais em camadas bem inferiores do planeta Terra) e de fatos que ocorreram a tempos atrás (arqueologia, paleontologia, cosmologia pós big bang e física pré big bang).

    Por que teoria da evolução não é pseudociência?

    Porque ela é testável direta e indiretamente, o que a faz submeter suas teses ao escrutínio científico e assim essas teses se tornam teorias.

    Os testes indiretos da teoria evolutiva advêm da paleontologia, reforçados pela geologia, biogeografia, ecologia, fisiologia, genética e anatomia animal e vegetal.

    Quanto a seus testes diretos, estes estão ocorrendo na atualidade com todo o arcabouço da biologia molecular, principalmente no que concerne ao campo voltado para a citologia, histologia, epigenética e genômica.

    Entendeu agora?

    Compreendeu a diferença entre ciência e pseudociência; entre filosofia e ciência natural?

    Ou vou ter que repetir mais 1000 vezes?

    Bibriografia recomendada:

    Watson et al – DNA recombinante

    Cox et al – Biologia Moelecular

    Futuyma – Biologia Evolutiva;

    Descartes – O discurso do Método

    Freeman e Herron – Análise Evolutiva

    Dawkins – O maior espetáculo da Terra, a escalada do monte improvável, O relojoeiro cego, O capelão do diabo, Desvendando o arco íris e The river out of Eden.
    Ridley – Evolução

    Junqueira – Biologia Celular

    Popper – A lógica da pesquisa científica e Conhecimento objetivo

    Peirce – Ilustrações da lógica da ciência

    Navega – pensamento crítico e argumentação sólida

    Le Bon – As opiniões e as crenças.

    Fitch – The three failures of Creationism: Logic rhetoric and ascience

    Griffths et al – Introdução à genética

    1. “Por que teoria da evolução não é pseudociência?
      Porque ela é testável direta e indiretamente, o que a faz submeter suas teses ao escrutínio científico e assim essas teses se tornam teorias.”

      LOL!! as maiores provas/evidências do mito, seriam os registros fósseis intermediários evidenciando plenamente macroevolução nos planos corporais ascendentes dos organismos.

      Quando TESTADA cientificamente cfe. sua explicação Dr. Elyson ela falha e peca vergonhosamente mantendo-se na vala de pseudociência. E não sou eu apenas que afirmo isso. Inclui-se aqui, figuras como Darwin, Gould e Dawkins em suas declarações como bem resume este link:
      http://www.darwinthenandnow.com/2013/05/richard-dawkins-dumps-the-fossil-record/

      1. Falha para vc Cícero que só le porcaria e não se dá ao rabalho de ler um material sério e quando o faz tenta adaptá-lo às suas crendices.

        quer fósseis intermediários Cícero? Pois não:

        Pikaia, considerado um dos primeiros cordados.
        Vulcanodon, transição entre dinossauros Prossaurópodes e dinossauros saurópodes.
        Pakicetus, transição entre Condilarthros e cetáceos, anterior ao Ambulocetus.
        Protosuchus, transição entre tecodontes e crocodilos.
        Scleromochlus, transição entre tecodontes e Pterossauros.
        Tetraceratops, transição entre Pelicossauros e Terapsidas.
        Lagosuchus, transição entre tecodontes e dinossauros saurísquios.
        Cynognathus, transição entre sinapsidas e mamíferos.
        Heterodontosaurus, transição entre saurísquios e ornitísquios.
        Archaeopteryx, transição entre répteis e aves.
        Tiktaalik roseae, um peixe sarcopterígeos com muitas características de tetrápode terrestre.
        Ambulocetus, uma forma basal de cetáceo, que ainda retinha a capacidade de caminhar em terra.
        Australopithecus afarensis (Lucy), uma espécie importante para perceber a evolução dos hominídeos.
        Ocapi, tida como espécie transicional ainda viva da girafa.
        Darwinius masillae (Ida), a transição entre os estrepsirrinos e os haplorrinos.

        Acho que tem bastente coisa aqui.

        Cícero, francamente!!! Citar site criacionista e autor criacionista não cola!!!

        Richard William Nelson é um criacionista, o que já o coloca na berlinda. O cara rejeita qualquer evidência científica que atente contra a bíblia, sem falar que a argumentação dele são os velhos e batidos erros do criacionismo.

        olha ai a biografia do bonitão:

        http://rationalwiki.org/wiki/Richard_William_Nelson

        E vc quer que um cara desses tenha credibilidade?!

        Em resumo, use o livro dele como papel higiênico ou apoio para mesa capenga.

        Quando eu digo que vc só lê lixo, vc sempre confirma essa minha afirmativa!!!

        Leia a bibliografia que eu lhe indiquei. Essa sim vc apresnderá alguma coisa, pois se trata de material sério apoiado em trabalhos com cunho científico de verdade e não em retórica vazia.

        No mais, tudo que vc lê é material do tipo:

        nasceu burro;

        não aprendeu nada;

        e desaprendeu a metade.

        1. Não sei como o Cícero não falou daquela história do Celacanto…. kkkk… agora que eu lembrei, espera pra ver… é tipo o trunfo dos criacionistas! Kkkk

          1. Putz Carlos.

            Ele já falou disso e eu tive de dizer uma 4 vezes para ele que os que tem hj são Latimeria chalumnae e Latimeria menadoensis e que existe uma porrada deles extintos.

            Olha só que tão fazendo com o celacanto!!!

            http://viajeaqui.abril.com.br/national-geographic/blog/curiosidade-animal/celacanto-peixe-evolucao-dos-vertebrados/

            http://blogs.estadao.com.br/herton-escobar/cientistas-desvendam-o-genoma-do-celacanto/

            PONTO PARA A TEORIA EVOLUTIVA!!! ZERO PARA O CRIACIONISMO!!!

            Mas O Cição não fala dos Límulos (DO DEVONIANO)… Esses caras estão aqui na Terra bem antes dos celacantos (DO CARBONÍFERO).

            http://portalevolution.org/mundo-animal/limulo-o-caranguejo-ferradura

            Para o nosso amigo, essas criaturas são provas de que a teoria evolutiva é furada!!!

            Ou seja, o conceito dele de evolução é aquele dado pela literatura criacionista: Que td que viveu no passado não deveria estar vivo, pois a evolução não permite isso, porque tudo, forçosamente tem que mudar e eles não mudaram.

        2. Claro, esse é o critério, se for criacionista, mesmo sendo biólogo não sabe nada e nem merece atenção,… e por que eu deveria dar atenção aos evolucionistas?
          No link, ele apenas cita as perturbadoras e comprometedoras declarações dos próprios evolucionistas aumentando ainda mais, as lacunas insolúveis do mito!

          Cara, se esses fossem seres transicionais, o próprio Dawkins os citaria!

          Vi alguns, e nada de características transicionais com novas estruturas aparecendo como pés, patas, asas, órgãos, partes do corpo em plena transformação anatômica acentuada.
          Na verdade, são seres bem inteiros, completos e funcionais e bem adaptados ao seu habitat, criaturas únicas.
          Só porque estão extintos e semelhantes a outros seres vivos de hoje não significa que seja transicionais. Assim, eu poderia dizer que o pássaro Dodô extinto foi um transicional sendo semelhante a uma galinha, ou mamutes também semelhantes a elefantes… etc.

          Existem muitas diferenças anatômicas e visuais entre Ambulocetus e Pakicetus por ex.

          No caso do tecodonte a própria Wikipedia que vc tanto endeusa diz:
          “Qualquer arcossauro que não fosse crocodiliano, pterossauro ou dinossauro era classificado como tecodonte, …Isso ocorre pelo fato deste processo evolutivo ainda não estar muito bem esclarecido.”

          O Lagosuchus é totalmente diferente dos Tecodonte e dinossauros saurísquios nada a ver!!

          O Scleromochlus a “sua classificação é incerta, podendo ser um ornithodira basal ou um grupo irmão dos pterossauros.” como diz a Wiki, com diferentes gritantes entre os tecodontes e pterossauros igualmente.

          O Tiktaalik, estudos mostram grande controvérsia sobre pegadas e datação deste peixe invalidando sua posição de transicional; pois nem haveria sequer, a essencial locomoção. O artigo diz:
          “They note the fossil structure of transitional species such as Tiktaalik or Panderichthys 4 — another elpistostegid — would make such walking motion “impossible“.
          http://www.nature.com/news/2010/100106/full/news.2010.1.html#B2

          E quando ocapis passaram a gerar girafas?? diga-me 😀 pelo equílibrio pontuado? que saltão hein! ainda hoje nascem girafas de ocapis??
          Me desculpe é muita patetice…

          1. O critério é o seguinte Cícero:

            Se o cara só fala abobrinha sem base alguma e se o raciocínio dele é inconsistente, ele é posto de lado.

            Se vc quiser continuar insistindo em errar, isso é problema seu certo? Para mim não faz quente nem frio as suas convicções e a sua incredulidade pessoal. Mas não tente querer enfiar seu besteirol goela abaixo das pessoas.

            Se vc não leu Dawkins, (eu duvido que tenha lido) ele trata deste tema em “A grande história da evolução” e em “O grande espetáculo da Terra”, sem falar que em todo e qq livro universitário de biologia essa história é muito bem tratada.

            Mas duvido que vc leria um livro desses. Seu interesse é por lixo que sustente as suas ideologias.

            No mais Cícero o que vc quer?

            Uma minhoca com asas? Uma ave com escamas? Um peixe com patas? Um sapo com pelos? Um mamífero com cauda de serpente?

            É claro é óbvio que todo e qq ser vivo será “bem inteiro, completo e funcional”.

            São transicionais porque apresntam características d eum e de outro grupo. Isso é um ser transicional.

            É óbvio que entre um ambulocetus e um pakicetus haverá diferenças anatômicas, afinal são seres diferentes, que viveram em épocas diferentes, mas que seguem um amesma linha evolutiva.

            Como a wiki é boa só quando atende seus interesses, Aqui vai o trabalho do próprio Gingerich:

            http://deepblue.lib.umich.edu/bitstream/handle/2027.42/48501/ID352.pdf

            e aqui um artigo da Science:

            http://www-personal.umich.edu/~gingeric/PDFfiles/PDG133_Pakicetus.pdf

            e aqui um do Thewissen

            http://www.faculty.virginia.edu/bio202/202-2002/Lectures%2020202/thesissen%20et%20al%202001.pdf

            e ainda leia:

            Rose – The Beginning of the Age of Mammals

            Thevissen – The Emergence of Whales: Evolutionary Patterns in the Origin of Cetacea.

            Quem sabe com isso vc se conforma.

            Sobre tecodontes:

            estes animais foram classificados em 4 subordens:

            Proterosuchia – as formas mais ancestrais de dinossauros

            Phytosauria – muito assemelhados a crocodilos, mas sendo um caso de evulução convergente com os crocodilianos

            Aetosauria – os dinossauros blindados do triássico superior.

            Pseudosuchia – inclui os crocodilianos e os dinossauros teropodes.

            Os tecodontes nada mais são que os primeiros répteis que levariam aos dinossauros a darem as caras pelo plante, durante o Permiano.

            A classificação hj é:

            Phytosauria

            Archosauria. Destes temos:

            Pseudosuchia

            Avemetatársila, de onde saem ornitischia e saurischia.

            Assim, os antigamente chamados tecodontes e hoje chamados arcossauros são os precursores de todos os dinossauros conhecidos.

            Bibliografia recomendada:

            Rich e Rich – Wild life of Gondwana;

            Sues e Fraser – Triasic life on Land

            Witton – Pterosaurs.

            Chatterjee – The rise of birds

            Carroll – Patterns and processes of vertebrate evolution.

            “The early evolution of archosaurs: relationships and the origin of major clades”. Bulletin of the American Museum of Natural History

            Com isto, vc talvez se conforme.

            Sobre o Tiktaalik, o estudo que vc apresenta é de extrema controvérsia.

            Não há o fósil do animal para se fazer a correta avaliação do que ele era;

            Também o artigo “The presumed amphibian footprint Notopus petri from the Devonian: a probable starfish fossil” mostra que pode haver equívocos e não ser nada relacionado a tetrápodes.

            Aínda que estas pegadas sejam de tetrápodes (o que particularmente eu duvido, por razões evidenciais de casos mal interpretados que na verdade eram rtrópodes e não terápodes), não seriam o fim da teoria evolutiva, mas uma correção do que foi estabelecido para a árvore evolutiva dos tetrápodes, o que não elmina a transição entre animais aquáticos e terrestres.

            Draganits, E., Grasemann, B., & Braddy, S. (1998). Discovery of abundant arthropod trackways in the ?Lower Devonian Muth Quartzite (Spiti, India): implications for the depositional environment Journal of Asian Earth Sciences, 16 (2-3), 109-118 DOI: 10.1016/S0743-9547(98)00008-7

            Derek E. G. Briggs, & W. D. Ian Rolfe (1983). A Giant Arthropod Trackway from the Lower Mississippian of Pennsylvania Journal of Paleontology, 57 (2), 377-390

            O ocapi como transicional:

            A família Canthumerycidae deu origem as formas intermediárias como:

            Palaeotragus (18 milhões de anos) do qual o ocapi é o único remanescente vivo hoje.

            Giraffokeryx (12 milhões de anos) de onde vem as girafas.

            jamais um ocapi viraria uma girafa, conforme reside na sua compreensão tosca da teoria evolutiva. O fato é que ocapis e girafas possuem uma ancestralidade comum e o ocapi manteve muitas das características desse ancestral comum, o grupo que deu origem aos antílopes em geral.

            Bibliografia recomendada:

            “Mitilanotherium inexpectatum (Giraffidae, Mammalia) from Huélago (Lower Pleistocene; Guadix-Baza Basin, Granada, Spain) — Observations on a Peculiar Biogeographic Pattern”

            http://tsjok45.files.wordpress.com/2012/12/giraffeevolution.pdf

            Bom Cícero, o que lhe falta são duas coisas:

            HONESTIDADE – principalmnete;

            LEITURA – em segundo nível;

            CUIDADO – ao fazer suas considerações imbecis.

          2. No mais Cícero, Richerd W. Nelson se valeu da prática do quote mining, ao menos com as citações que faz de Gould e Dawkins.

            Isso se chama DESONESTIDADE.

            VC AINDA INSISTE EM QUERER QUE UM CARA DESSE TENHA CRÉDITO?

            Ainda Cícero que TODA teoria evolutiva estivesse completamente errada, o criacionismo e seus correlatos não seriam validados por default.

            O criacionismo é uma ideia que adora pegar carona em lacunas do conhecimento e se estabelecer como alternativa default.

            Isso não pode, seja em qualquer disciplina que tenha um mínimo de academicismo. Para algo ser considerado um estudo validado, tem de se construir com suas próprias hipóteses, teses e teorias.

            Do contrário o que temos é o argumento da ignorância, comumente presente em todo o lixo produzido pelo criacionismo.

            Por isso o livro de Nelson não serve para nada. Tenta desqualificar uma teoria científica e, com isso estabelecer suas crenças como verdades por default.

            Por que será que nenhum criacionista expõe suas teses ou as submete ao escrutínio científico ein Cícero?

            Será que os malditos ateus crentes darwinistas detentores do stablishment acadêmico perseguem mesmo os coitadinhos dos criacionistas cristãos?

            Por que será ein Cícero?

            Ainda Cícero qual seria o motivo dessa perseguição?

            O que a academia ganharia em sustentar uma mentira? Será que todo mundo que é cientista é um anticristão? Por que não seria um antiinduísta ou um antibudista?

            Qual o objetivo para tal perseguição ein Cícero?

            O que a academia ganha dizendo que bíblia não passa de lenda?

            E ai Cícero, por que os criacionistas não apóiam o criacionismo indiano ou japonês?

            Por que temos de engolir as baboseiras do criacionismo judaico-cristão e somente eleas nada mais que elas? Por que ein Cícero?

            Qual é a prova de que o cristianismo é a verdade e o xintoísmo ou o hinduísmo não?

            Para que Cícero haveria uma conspiração desta contra a bíblia? É o diabo?

            Por que não há uma e apenas uma evidência que sustente o criacionismo, seja ele de qual vertente for? Por que será ein Cícero?

            Por que será ein Cícero que quando um criacionista cita um trabalho científico ele aje de má fé, fazendo quote mining e se valendo de falácias, inventando dados e omitindo estudos?

            Por que será que somente fundamentalistas apóiam o criacionismo?

            Por que será que quem mais faz barulho são os evangélicos?

            por que será ein Cícero que a escola Adventista não fala de outras formas de criacionismo?

            Por que será ein Cícero que vez ou outra os criacionistas tentam obter na Justiça o direito de idiotizar, digo de ensinar, o criacionismo, violando regra constitucional lá nos EUA?

            Então Cícero: POR QUE SERÁ?

      2. Sério Cícero, se ao menos uma vez, em sua miserável vida, vc tivesse estudado filosofia da ciência e lógica, vc entenderia porque a argumentação criacionista não cola.

        O argumento criacionista é como um discurso de político: lindo, maravilhoso, convincente; porém vazios de significado e de sentido.

        É como business bingo: frases e palavras lindas e com efeito; porém com conteúdo zero.

        http://www.stupidnews.com.br/economia/carreira/566-business-bingo-como-se-manter-atento-em-reunioes-e-montar-seu-proprio-discurso

        Quando montam slides nem se fala!!!,

        Lindos e maravilhosos, com efeitos especiais fantásticos, mas o conteúdo é nada.

  8. Elyson,
    Ainda em tempo, o difícil é acreditar que existe uma proliferação da indústria dessas bactérias cícero-cambriana no planeta. A indústria da Fé.

    1. Isso é culpa da ignorância e de um sistema ruim de educação que da azo a proliferação dessas igrejas de quinta categoria que tem de segurar seus fiéis pelo medo, culpa e promover a ignorância para tal.

    2. Ae gente, descobri de onde o Cícero tira tantas informações coerentes…

      http://www.youtube.com/watch?v=_UP1l2t-oQU

      KKKKKKKKKKK, INCESTO TOTAL! SACANAGEM PURA! MUITO… MAS MUITO CRISTÃO MESMO! KKKKKKKK… E OS CARAS FALAM QUE O MUNDO ESTÁ PERDIDO HOJE! CARACA VÉI…

      sabem porque?…

      http://ceticismo.net/wp-content/uploads/criacionismo_3.jpg

      Melhorando um pouquinho o modelo do professor (pastor!), o criacionismo seria algo assim:

      http://3.bp.blogspot.com/_R-rTvAicCNQ/Syu57LwZbUI/AAAAAAAADZ0/Ys0gbH3JXFo/s400/criacionismo_x_teoria_da_evolucao_02.png

      KKKKKKKK…MUITO HILÁRIO! KKKKK

      1. Mais ignorância e desonestidade pra variar!… leia, estude antes o Livro que deseja atacar.

        Adão e Eva tiveram dezenas de filhos e não somente Abel, Caim e Sete.
        Pelo tempo que viveram, mais de 900 anos, estudos indicam uns 60/70 filhos.
        “E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos, e gerou filhoS e filhaS.” Gn 5:4.

        Na época que viveram não haviam imperfeições genéticas no inicio da raça humana. Deus criou Adão geneticamente perfeito. Defeitos genéticos resultaram da Queda (desobediência) e só ocorreram gradualmente depois por longos períodos.

        Assim, os homens casaram-se entre irmãs ou sobrinhas no começo da raça humana.
        Naquela época não havia o mandamento de Deus para não casarem com parente próximo (incesto). O contexto e época eram totalmente outros. Este mandamento da Lei veio só milhares de anos depois com Moisés cerca 1400 AC.

        1. Certo. Menopausa, nem pensar. Aqueles ovulinhos de barro não acabavam nunca, hein?
          Imagina a hora do jantar, chamando a molecada pra vir comer.
          Agora só falta você me dizer que esses dois aí viveram 6.000 anos atrás. Aí eu queria a sua explicação científica pras ossadas de 12 mil anos que o pessoal tem encontrado na América do Sul (bem longe do Éden), um pessoalzinho idêntico a nós (e, por extensão, a Deus). Foi deles que Deus copiou a fórmula?
          Cícero, uns caras mais entendidos que você em assuntos de fé (João Paulo II, por exemplo, um sujeito que já foi líder da maior igreja cristã do mundo, não sei se você já ouviu falar) já esclareceram a seus fiéis que a Bíblia não deve ser interpretada literalmente. Aliás, até você, em outro comentário, apontou os aspectos alegóricos do texto bíblico. E agora está caindo no erro para o qual você mesmo alertou? Está faltando coerência… afinal, devemos ler a Bíblia literalmente (e acreditar nessa pataquada de Adão e Eva) ou interpretar de forma alegórica? Ilumine-nos, mestre!

          1. Peço isso há anos pra esse povo. Poderiam separar a bíblia em cores: em vermelho o que não é pra levar a sério ou coisas que caducaram, como o pecado de comer camarão,ou cortar cabelo na lateral da cabeça, apedrejamento de infiel,etc…
            em verde o que vale, como amar o próximo, etc;
            e deixar as partes que não entram em acordo de amarelo…

            Já ajudaria a ficar um livro menos polêmico.

          2. Salvador,
            Sobre a cronologia bíblica, não podemos afirmar que o mundo tenha 6 ou 10 mil anos. A bíblia não menciona isso e muito menos eu. Há boas evidências (até científicas) que a humanidade tenha bem mais que isso.
            O universo pode ter milhões, bilhões, trilhões de anos, isso não desaprova a Bíblia. Ela apenas nos diz “No princípio criou Deus os céus e a terra.” Gn. 1:1.
            Quando isso aconteceu? Não sabemos.
            E não sabemos por quanto tempo Adão e Eva viveram antes da Queda; pois a Bíblia não revela esse fato, e nem uma suposta idade pro Universo. Isso é segredo de Deus – Dt 29:29.

            É óbvio que deveria haver um casal inicial para a humanidade.
            Tens provas que Gênesis é mito/pataquada? Jesus e os apóstolos citaram sobre Adão e Eva; ou eles também seriam mitos?
            Também temos registros históricos e arqueológicos além da bíblia.
            As tábuas de Ebla-atual Síria datadas em torno de 2400 AC citam a criação a partir do nada. Ali contém nomes das cidades de Ur, Sodoma, Gomorra e deuses pagãos citados na bíblia como baal, além de nomes como ADÃO, EVA e Noé.

          3. Ricardo, vc já sabe muito bem que muita coisa do AT da Lei dos judeus, não serve nem mais para eles e muito menos para nós…

          4. Isso é normal no Cícero, Salvador.

            Ele fala tanta bobagem que acaba caindo em contradição.

            Em vez dele entender a bíblia como um livro de metáforas, que implicam em histórias para a vida (o que vc deve ser e o que vc não deve ser), como é todo e qualquer livro ou história sagrada, ele se esquece disso.

            Prefere correr atrás de provas para o seu deus da mentira e da enganação, de forma a sustentar sua débil fé neste ser e a sua incredulidade pessoal quanto ao que se opõe as suas ideologias.

            Ditado:

            A MENTIRA TEM PERNA CURTA!!!

        2. meu deus!!!! quanta asneira ein Cição!!!

          nem a sua religião vc entende direito..

          [Cara, se não fossem esses micro-organismos nós e outras formas de vida nem existiriam! e bastam regras sanitárias higiênicas para evitar doenças deles. Estude/pesquise antes de falar besteiras…]

          Nossa ein Cícero!!! dessa vez vc se superou!!!

          Se vc fala daquelas bactérias que vivem em simbiose conosco e com outras espécies, vá-la.

          Deve ser muito maneiro ter varíola, catapora, herpes, rubéola, caxumba, aids, HPV, sífilis, lepra, peste bubônica, gonorreia, infecção por strepto e stafilococus, tuberculose, sem falar em babésia, giardióse, amebíase, fasciola hepática, solitária, amarelão, filariose, esquistossomose, dentre outros presentes deixados pelo seu criador demente, digo, ineligente.

          Acho que vivemos bem mais tempo ocm eles dentro do nosso corpo.

          E eu é que preciso estudar… Eu é que falo asneiras…

          1. “Non sequitur”.

            Muitos dessas mazelas são causadas pelo próprio homem, as inúmeras contaminações, poluições, radiações, agressões e invasões do homem contra a natureza causam desequilíbrios, invadindo o habitat desses micro-organismos o homem facilmente se contamina incluindo dengue, febre amarela, malária devido a uma vida desregrada e falta de controle sanitário básica de prevenção.
            O homem altera, invade e destrói a natureza e suas leis naturais do Criador e seus seres, e não quer pagar o preço de seus erros!

            A decadência, rebeldia e orgulho do homem contra Deus seria outro fator desencadeante desses males.

          2. Ah, Cícero, pelo amor de Deus, né?
            Explica então bactérias resistentes a antibióticos, faz favor. Vou dar uma dica. A explicação começa com a letra e…

          3. É talvez no tempo de Adão e Eva, tudo isso viva em simbiose conosco ou então nada vivia dentro de nós.

            Ai, devido ao pecado do homem, houve a “batalha das bactérias, vírus, protozoários vermes e outras coisas”.

            Os maus viraram parasitas, os neutros ficaram na sua e os bons ganharam o prêmio de viver em simbiose.

            Olha Cícero, se vc for para lugares como Botswana no delta do Okawango e no Lago Vitória (já fui, é D+!!!), vc terá de tomar muito cuidado com água e mosquitos (fui muito bem orientado por pessoas que vivem lá).

            Já, os habitantes humanos da região não precisam ter esse nível de cuidado.

            A seleção natural os selecionou para resistirem a muitas coisas que existem lá (não contraí-las ou viver de boa com elas).

            Se no passado, se essa gente entrasse em contato com varíola (felizmente erradicada no mundo) e hiersinia pestis, havia grandes chances de se contaminarem e morrer. Isso aconteceu na América.

            A maior arma dos europeus foi a varíola e a gripe.

            Francamente Cícero!!! Quer dizer que se não aceitar o seu deus o prêmio são doenças e morte.

            Dá licença veio!!!!

          4. Pronto! Lá vem as pragas do Egito! Kkkkk coisa de Deus bondoso e sem nenhum rancor! Kkkkk… sabia que ele ia chegar aqui… kkkk

          5. Salvador, bactérias nunca evoluíram, elas se adaptam, ou seja ADAPTAÇÃO a novas situações pela seleção natural e não uma suposta evolução para outro ser diferente.
            Bactérias sempre foram e sempre serão bactérias, não viram formigas, por isso existem a milhões de anos. Só caras fanáticos como Elyson e outros, acham que elas viram elefantes, camelos e GENTE! em milhões de anos!

            É isso mesmo Elyson, o salário do pecado é a morte não importa se por micro-organismos…

          6. Cícero, pega um livro de evolução e vai ler. Não adianta, por mais que o ensinemos, vc não aprende. vc deve ser uma das anomalias que vc levanta tanto em sua “entropia genética”.

            Sério cara, procure uma ajuda de um desprogramador religioso, pois vc está muito doente. Sua lavagem cerebral foi tão intensa que vc está cego. Não vê e não enxerga nada.

            Olha cição se prepare para morrer, pois mentir é pecado e vc faz isso com recorrência. Mas no seu caso acho que é patológico…

        3. Cícero:

          [Pelo tempo que viveram, mais de 900 anos, estudos indicam uns 60/70 filhos.]

          Que estudos? Quem fez? Qual o peer reviwed? Qual a revista científica onde isso foi publicado?

          [Na época que viveram não haviam imperfeições genéticas no inicio da raça humana. Deus criou Adão geneticamente perfeito. Defeitos genéticos resultaram da Queda (desobediência) e só ocorreram gradualmente depois por longos períodos.]

          Qual a evidência disso? Existe publicação científica? Em que revista? Qual o autor desse estudo?

          O incesto Cícero, é mais um tabu social que realmente um mal. Claro que isso é sério, pois genes recessivos podem aparecer com muito mais frequência em casamentos endogâmicos que em casamentos não endogãmicos.

          Antes o incesto ocorria devido às pessoas viverem muito próximas e em clãs.

          Mais tarde, esses clãs começaram a interagir uns com os outros e ai precisaram fazer casamentos entre as pessoas deles para se estabelecerem alianças e assim poderem viver.

          Mais tarde, isso gerou as tribos e posteriormente as cidades.

          Os reis ou chefes eram “filhos dos deuses” ou deuses propriamente. Por isso, em uma tentativa de manter o poder em família, casavam-se entre sí.

          Se vc seguir a genealogia da família imperial japonesa chegará a Amaterassu. Se seguir a família real inglesa ou outras de origem europeia do norte, chegará a Wotan.

          Se seguir os egípcios chegará a Isis e Osíris, se seguir os nobres indianos chegará a Krishna. Os gregos vc chegará a Zeus e os romanos a Júpiter, Os chineses ao Imperador Amarelo.

          Bibliografia recomendada:

          História do povo judeu

          Franchini – Mitologia Nórdica, Mitologia Celta, Mitologia Egípcia, Mitologia Hindu.

          Prandi – Mitologia dos Orixás;

          Seganfredo – Mitologia Japonesa e Mitologia Chinesa.

          Comelin – Mitologia Grega e Romana.

          Philippe – Mitologia Cristã.

          Bultmann – Jesus Cristo e Mitologia

          Campbell – As máscaras de deus e O poder do mito.

          Bini – sabedoria da Mitologia.

          Sacha Calmon – A história da mitologia judaico-cristã.

          Nickelsburg – Literatura judaica: entre a bíblia e a mixna.

          1. Publicações científicas dos mandarins obtusos do stablishment e acadêmia não aceitariam isso, devido ao preconceito religioso, pois tudo que se refere a bíblia alegam que seria falso, mesmo não tendo provas!… apenas alegam para manter o fundamentalismo blindado.

            E quem prova que no começo da raça humana haviam imperfeições genéticas gerando anomalias graves como hoje em dia? se sabemos que hoje, a exposição a diversas contaminações é bem maior.

            Seja o primeiro, o Nobel te espera. 🙂

          2. Não Cícero!

            Isso são publicações de gente séria, as quais são fundadas em trabalhos que passaram por peer reviwed e se tornaram teses para obtenção de algum título de carreira universitária acadêmica.

            Não babacas, com fundamento na cabecinha deles, que a todo custo querem fazer valer a sua religião como suprema verdade acima de tudo.

            Cícero, quem alega a afirmação extraordinária é que deve demonstrá-la.

            Se eu disser que na minha casa tem um ET, não é vc que tem de provar que eu não tenho, mas sou eu que tenho de provar que tenho.

            Se vc alega que a bíblia é verdade, cabe a vc demonstrar isso e não a mim demonstrar que não é.

            Para mim, tudo o que está lá, nada deve ser levado ao pé da letra, simplesmente porque não existe razão lógica ou científica para que aqueles fatos mirabolantes acontecessem.

            A bíblia deve ser compreendida à luz do mito, como qq outro livro ou lenda sagrada.

            Se vc alega que um cara tem 600 anos, podemos demonstrar que ele tem esta idade. Basta examinar os tecidos ósseos dele. Onde, até hj apareceu uma ossada com uma idade dessa? Que eu saiba nunca e nem jamais irá aparecer, pois pessoas não vivem todo esse tempo.

            Isso é notório, isso é claro, isso é testável.

            Cícero!!!

            O comportamento de genes dentro de uma espécie não demanda nenhum nobel, pois é algo mais que óbvio.

            Temos mutações? Sim, temos muitas. Normalmente a natureza elimina as mutações deletérias.

            Vc já viu elefantes em cadeiras de rodas, zebras com bengalas de cego, leopardos com aparelho de surdez, hienas tomando remédio para pressão, babuínos com muletas, girafas acondroplásicas, lobos retardados, crocodilos alérgicos, gansos com prótese de asa, leões com sindrome de Down, tatus sem pernas com outro empurrando a cama deles, soltos na natureza?

            Acho que não né Cícero…

            Vc não vai ver essas anomalias na natureza seja hj, ontem ou amanhã, simplesmente pelo fato de ELAS NÃO SOBREVIVEM, SÃO ELIMINADAS, NÃO PASSAM SEUS GENES ADIANTE.

            SÃO DIFERENTES DE HUMANOS DO SEC XXI, cuja sociedade permite essas pessoas viverem, O QUE ERA DIFERENTE DE HUMANOS DO SEC XIX E ANTERIORMENTE.

            Cara, vc não pensa, vc não analisa as coisas. Sai falando as besteiras que vc lê em sites criacionistas.

            Anomlias ocorrem em qualquer espécie. Se vc alega que tais anomalias não existiam no passado é vc quem deve demonstrar isso.

            Anomalias existiam no passado e muitas. Esparta é o exemplo: Todos que nascessem e não fossem seres humanos adequados aos padrões deles morriam.

            Em Roma as “bestias” (pessoas com anomalias) eram mortas.

            Muitos deficientes físicos ou mentais, sequer passavam da vida de bebê. Esse cara seria um peso na vida das pessoas.

            O que vemos é o parâmetro atual de como os genes se comportam e eles deveriam se comportar assim seja hoje, ontem ou amanhã.

            Hj vc vê muitas pessoas com anomalias por ai por dois fatores:

            – a população do mundo cresceu;

            – essas pessoas tem maior chance de sobreviver. No passado elas morriam ou eram abandonadas para morrer, pois eram um peso para os familiares.

            Se vc está falando de contaminações, a história é bem diferente. Se um corpo é infectado por mutagênico biológico, f´sico ou químico, pode acontecer de mutar genes e resultar em anormalidades.

            Exs mais emblemáticos:

            Agente Laranja

            Chernobyll

            Essa é uma circunstância muito diferente de mutações deletérias ocasonais.

            O problema de criacionistas é que o que eles publicam não é algo validamente científico; não há dados que corroborem suas teses e quando aparecem com dados, são notoriamente forjados.

            Logicamente, as teses craicionistas não se sustentam, pois são assentadas em falácias.

            Por fim, se valem de uma péssima retórica, algo digno de gargalhadas de Seinfeld, três patetas e de Big bang Theory.

            Por isso esses lixos não são aceitos pela academia. Não é perseguição. É porque é uma droga mesmo ao estilo Benitez, Daniken, Zecaria e Dan Brown e outros escritores de realismo fantástico.

          3. O evento foi bem antes de Esparta e Roma.

            As condições pré-diluvianas eram bem diferentes, principalmente climático/atmosférica pois havia “um vapor, porém, subia da terra, e regava toda a face da terra”. Gn 2.
            Havia bem menos incidência de raios ultra-violeta, radiações diversas e menos variações bruscas climáticas, um ar com uma composição diferente da atual, menos nocivo.
            Sabemos que o sol, o oxigênio envelhece as células (é um oxidante que detona o corpo se inalado puro por muito tempo). Como seria um mundo com uma atmosfera distinta de hoje? aliado a fatores não poluentes e contaminantes advindos posteriormente; nossa genoma agradeceria sem sofrer ataques.
            É fato que houve mudanças climáticas no passado, como a idade do gelo.

            Pessoas que viveram centenas de anos, foram antes do Dilúvio, e naturalmente desapareceram nele.

          4. Ahhh Cícero!!! Francamente!!!

            Vc está curtindo com a minha cara é? Vc acha que sou palhaço por acaso?

            vc vem fala esse monte de besteira e eu tenho que acreditar em vc ?

            vc usa a bíblia como fonte científica??? Ahhh veio!!! vai lamber sabão com cândida e pinho sol!!!

            vc alega o extraordinário.

            Cabe a vc fazer prova de suas afirmativas.

            Muito bem, qual é o estudo que demonstra toda essa baboseira que vc falou?

            Apresente o artigo científico, o peer reviwed e a publicação em periódico científico ou de divulgação reconhecido.

            Serio, de onde vc tira tanta idiotice ein Cícero?

            Condições “pré diluvianas”… realmente, se considerarmos as condições pré diluvianas, elas ocorreram por volta de uns 4 bilhões de anos, quando a Terra se esfriou e houve um dilúvio de 1 milhão de anos.

            realmente a essa época o sol estava começando a bombar.

            Por isso era mais fraco em calor. Mas em radiação gama era um matador implacável.

            Quando uma estrela acende, o teor de radiação, além da faixa do violeta, é bem maior que quando ela assume um “regime permanente”.

            Mas o teor de ondas abaixo do vermelho é menor.

            Isso quer dizer que no início de uma estrela, sua luminosidade é maior. Esta luminosidade cai e a temperatura aumenta. E, quando nossa estrela está para morrer, sua luminosidade e calor sobem.

            A Terra não tinha uma atmosfera com camada de ozônio o que a tornava um terreno calcinado pela radiação UV e gama, que era até mais forte que a atual.

            Por isso a vida demorou para conquistar a terra. Teve de haver oxigênio emitido pelas primeiras células fotossintetizantes.

            A tendência de uma estrela é se tornar cada vez mais violenta devido aos processos de fusão. Quanto maior a composição nuclear, mais energia libera. É por isso que o sol virará uma gigante vermelha e nada mais viverá por aqui nos próximos 4 ou 5 bilhões de anos (lembrando que o Sol está no meio de sua vida e que dentro de uns 500 milhões de anos as coisas começarão a ficar feias por aqui).

            Como seria a Terra com uma atmosfera diferente da de hoje? Ela seria diferente e, dependendo dos componentes dela, seria propícia a aeróbicos, ou a anaeróbicos ou a nada.

            Sol é vida, pois é energia que organiza e permite moléculas reagirem e fazer organismos se desenvolverem (lembra da entropia e do sistema aberto?).

            Oxigênio é um poderoso catalizador de reações químicas que permitem uma queima de combustível sensacional. Sem ele o máximo que teria por aqui eram bactérias.

            Mesmo aqueles seres que vivem no fundo do mar e são multicelulares usam oxigênio como “reagente” para produzir energia.

            Pelo que vc diz acho que Noé deveria fazer quimiossíntese…

            Teve o dilúvio e td mundo sumiu… O dilúvio fez as pessoas e os animais viverem menos…

            Francamente né Cícero!!!!

            Até para ser burro, ingênuo ou fanático doentio existe um limite…

          5. Aprenda alguma coisa de útil com a astronomia da USP:

            http://www.astro.iag.usp.br/~dalpino/AGA215/APOSTILA/newcap11.pdf

            Mas claro… são malditos ateus, satanistas, crentes darwinistas, endemoniados, blasfemadores contra deus, mandarins do stablishment acadêmico, dominados pela maçonaria e pelo iluminati, cujo intuito é estabelecer a nova ordem para preparar o mundo para a chegada de “O ANTICRISTO”!!!

            Tudo o que escrevem é anti-bíblico e anticristão e claro anti-criacionistas.

  9. Elyson Scafati, do Cícero só não li que já encontraram argila na célula humana, ele, pode ter certeza, vai ainda defender essa tese. Elyson, perdoe esse ser, que serás perdoado

      1. ai ai ai Cícero!!!! Site criacionista não cola!!!!

        Vir do barro é vc ter o seu caráter moldável e não que vc veio do barro. Isso é que a Torá em Bericht quer dizer.

        Como digo, vc não sabe o básico das coisas; Nem religião judaico-cristã vc entende.

        1. A Bibliografia com referências científicas está bem destacada no final do artigo.

          Mas como sempre, fundamentalistas ateus não creem na ciência…

    1. grande Zezão!!!

      A paciência é uma virtude e debater com o Cícero e destruí-lo é um grande aprendizado.

      Quem sabe um dia ele defenda que nosso DNA por ser uma hélice é devido ao fato dos silicones fazerem esse tipo de ligação… Afinal barro é feito de sílica. Essa pode ser uma “assinatura” do criador…

      Talvez deus tivesse uma máquina de transmutação de elementos que dava para transformar silício em carbono.

      1. A fé é uma virtude. Por isso invejo a descomunal e formidável fé dos ateus.
        Pois acreditam que o DNA, o sistema de informação em código mais sofisticado e complexo do universo criou-se a si mesmo! 😀

        1. Eu sempre pensei mais fácil acreditar nisso (e olha que não sou ateu!) do que acreditar que uma criatura sem DNA teria feito criaturas com DNA. Porque se Deus tem DNA, haveria de se perguntar como surgiu o DNA Dele. Se não tem, não só não entendo por que Ele faria questão de criar criaturas que têm (a não ser que Ele desejasse que elas sofressem evolução! Rá!) como essa atitude estaria em contradição com as Sagradas Escrituras, que especificam que o homem foi criado à imagem E SEMELHANÇA de Deus. (Inclusive, o homem era imortal, até Adão fazer aquela cagada de dar ouvidos à mulher dele, certo?)

          1. “o homem foi criado à imagem E SEMELHANÇA de Deus.(Inclusive, o homem era imortal, até Adão fazer aquela cagada de dar ouvidos à mulher dele, certo?)”

            Essa imagem e semelhança (não igual) é no sentido espiritual, moral, cognitivo e não físico. A imortalidade seria um atributo não físico. Contudo, a imortalidade ainda continua no plano espiritual – incluindo nossa personalidade, caráter, qualidades, temperamento, individualidade!

          2. Pelo que entendo, a gente morre mesmo, segundo os cristãos. Some. E ressuscita, no corpo físico antigo, para o Juízo Final (por isso nãos e admite cremação; a caveirinha vai ter de levantar da cova). E só depois disso que viveremos eternamente ao lado de Deus, se para isso formos dignos. Como ainda não rolou o Apocalipse, todo mundo que morreu segue mortinho da silva.

          3. Putz Cícero se existir a tal imortalidade eu tô lascado!!! Já pensou ter de viver a eternidade cercado por caras iguais a vc?

            Vai ser um horror, um saco!!!

            Pior: não vai dar nem para me matar pois já estarei morto… Sem dúvida, será o inferno para o meu espírito…

          4. Portanto o Cícero conclui que:
            “Se Adão fez a cagada de ouvir a mulher e deixar de ser imortal!”

            E

            “A imortalidade é um atributo não físico, é espiritual!”

            Vemos que não iremos pra Paraíso ou Inferno coisa nenhuma. .. visto que não iremos viver no plano espiritual! Não somos Espiritualmente Imortais!… bela conclusão!
            Contradiz em Grau, Numero e Genero, todos os ensinamentos Cristãos que afirmam existir vida após a morte!
            Boa Cícero, obrigado por no elucidar. .. você realmente é a OBRA MÁXIMA DO CRIADOR! A CEREJA DO BOLO! INTELIGÊNCIA PURA! KKKKKKKKK

          5. “todo mundo que morreu segue mortinho da silva.”

            Sim, fisicamente o corpo material está decomposto não importa se por fogo, no mar etc…
            Contudo, vc está vivo! (somos eternos assim como Deus) sua personalidade, suas características, seu caráter, seu ser imaterial (alma) continua bem vivo e consciente! porém, num lugar terrível longe de Deus ou num lugar maravilhoso e indescritível perto de Deus… esse destino já é selado aqui em vida na terra conforme nossa posição em aceitar ou negar o Filho de Deus – Jesus – que desceu à terra para nos libertar, salvar e dar nova vida.
            “Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele todos vivem.” Lc 20:38.

            Isso independente de religiões, igrejas, denominações. Somos julgados ou justificados pela PALAVRA.

            A ressurreição do apocalipse é só para unir novamente o corpo físico aos salvos e julgamento final dos ímpios que já estão presos esperando a sentença de seus pecados.

          6. Não, você está equivocado. O espírito desencarnado não existe para o cristianismo. Por isso toda assombração é necessariamente coisa do capeta. E Jesus, quando ressuscitou, ainda tinha as chagas no corpo. Maria subiu aos céus sem morrer, com seu próprio corpo. O espírito não existe sem o corpo para o cristão. Morreu, morreu. Só volta no Juízo Final.

          7. Salvador,
            assombração é coisa do capeta sim, pois quem morre não volta. A não ser casos de ressurreição do corpo físico para voltar a morrer.
            Jesus ressuscitou fisicamente levando outros salvos do AT junto cfe. Mt 27:52. Aguardamos esse tipo de ressurreição quando de Sua Volta na 2ª vez.

            Paulo tinha o desejo de estar com Cristo pois era “melhor”, e isso não poderia ser um sono inconsciente da morte, ele afirma:
            “Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.” Fp 1:23.
            Mas partir, obviamente significa morrer e o corpo ser enterrado. Logo é separado do espírito consciente, cfe. ensina a Palavra:

            “E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.” Ec 12:7.

            A Palavra não menciona nada de Maria subir aos céus em corpo. Isso é tradição e crendice da ICAR. A Palavra inclusive diz que ela carecia de salvação como qualquer outro ser humano!

          8. Sim, sim, eu sei que não tá na Bíblia e é um dogma católico. Logo se vê que você é evangélico. Não esperava menos de você. É pastor ou rebanho? 😛

          9. Olha, sou rebanho de Cristo, apesar de frequentar uma igreja evangélica (nem sempre) não me atenho a igrejas, religiões, denominações, placas,… pois seremos justificados ou condenados pela Palavra e procuro segui-la, e não por homens ou instituições humanas, apesar de ser bíblico a reunião, comunhão entre os irmãos.

          10. Ótimo você dizer isso. Acaba de admitir que cabe a cada um interpretar a Palavra como lhe convier. Então, por favor, não venha aqui pregar e impor a sua interpretação particular. Vamos discutir religião, ou vamos discutir ciência, sem problemas. Mas não vamos misturar os dois no mesmo saco, porque o resultado costuma ser horroroso… 😉

      2. [A fé é uma virtude. Por isso invejo a descomunal e formidável fé dos ateus.
        Pois acreditam que o DNA, o sistema de informação em código mais sofisticado e complexo do universo criou-se a si mesmo!]

        O que me espanta Cícero é a sua desonestidade e insistência.

        O assunto DNA já é MATÉRIA DADA e ninguém jamais disse que apareceu do nada, mas ha modelos que mostram que foi um longo estágio até se chegar a essa substância.

        Bibliografia recomendada:

        Bloomberg – Physics of life

        Hernani e Ilda – Origens da vida

        Yarus – Life from an RNa World

        Deamer – First Life

        Dyson – Origins of life.

        Davies – O quinto milagre e The goldlocks enigma

        Jastrow e Rampino – Origins of Life in the Universe

        Pross – What is life? How Chemistry becomes Biology

        Luisi – The emergence of Life.

        Luque et al – Astrobiologia

        Guijarro e Yus – The origin of Chirality in the molecules of life.

        Se vc se der ao trabalho de ler esses livros creio que passara a falar bem menos besteira do que de costume.

        Parará de levantar FALSO TESTEMUNHO (pecado!!! Olha o capiroto!!!) dizendo que os outros disseram o que não disseram.

        1. Não Elyson, não!
          para um ser unicelular sobreviver e metabolizar precisaria de TODO o DNA COMPLETO e não aos poucos em tentativas (seriam bilhões de acertos em bilhões de combinações!)… além de outras substâncias celulares. Jamais haveria um ser incompleto vivente e replicante. Não existe uma pré-célula em vida.
          Ou mostre-me alguma citação de algum biólogo afirmando ser possível isso!

          1. Parece-me que todos os biólogos que defendem o surgimento do metabolismo primeiro (seguindo os experimentos de Urey-Miller) vão apoiar isso. Em contraposição a eles estão o que defendem o surgimento da informação primeiro (mundo de RNA, que pode agir como metabólito, além de codificar informação). De toda forma, o DNA é só a última peça do quebra-cabeça da origem da vida.

          2. Errado Cícero!!

            O DNA veio muito mais tarde na história da vida.

            RNA e proteína dão conta do recado, pois quem realiza metabolismo são enzimas. RNA também funciona como enzima e como agente replicante. Idem para as proteínas, pois príons se replicam.

            Leia a bibliografia que lhe recomendei.

            Como já lhe disse, vc quer discutir coisas que estão muito além de sua capacidade intelectual. Por isso fala tanta abobrinha.

          3. Então vejamos:

            “RNA e proteína dão conta do recado, pois quem realiza metabolismo são enzimas. RNA também funciona como enzima e como agente replicante.”

            Este processo acontece dentro de uma célula já TOTALMENTE formada.

            “Idem para as proteínas, pois príons se replicam.”

            Este processo acontece dentro de uma célula já TOTALMENTE formada.

            “Como já lhe disse, vc quer discutir coisas que estão muito além de sua capacidade intelectual. Por isso fala tanta abobrinha.”

            Vc ainda não me mostrou algum estudo, provando que vida ativa replicante seria possível antes da formação da primeira célula.

          4. O que eu não entendo é por que ele precisa provar que vida ativa replicante seria possível antes da formação da primeira célula. É evidente que em algum momento a vida precisou surgir, e se o encapsulamento era o fator preponderante (formação de célula) para isso, não havia vida ativa replicante antes da formação da primeira célula. O que ele precisa provar é que havia PRECURSORES da vida ativa replicante antes da célula. E isso já foi feito. O surgimento de aminoácidos a partir de química simples é sem dúvida um precursor. A síntese de ribose (base do RNA) em argila a partir de química simples também. A recente síntese de proteínas que usam como base somente os aminoácidos abióticos (que podem ser sintetizados sem vida, à la Urey-Miller) também. E também há experimentos interessantes de como camadas de gordura naturais poderiam ter formado cápsulas para dar origem à primeira célula. Parece-me que tem um longo caminho de sucessos aí de PRECURSORES da vida para você prontamente desprezar em sua cruzada antibiológica… rs

  10. Não é fácil de aceitar passivamente a hipótese da panspermia cósmica. É muito difícil acreditar que um ser vivo possa sobreviver num asteroide ou cometa durante bilhões de anos, sendo submetido à baixíssima temperatura (menor do que -100ºC), intensas e letais radiações, sem ambiente favorável (com água, oxigênio, alimentação, etc), e depois enfrentar um violentíssimo choque térmico com a temperatura mudando bruscamente para quase 7000ºC em poucos minutos.

    A velha e simpática suposição da biologia que sugere a sequência: compostos inorgânicos<compostos orgânicos<coacervados<aminoácidos<proteínas<…<ser humano, é mais atraente e não fere o bom senso.

    Essa ideia de que asteroides e cometas são semeadores da vida no universo é muito temerária. Na melhor das hipóteses talvez eles sejam apenas cemitérios móveis espalhando cadáveres por aí.

    A não ser que uma bacteriazinha dessas venha vestindo um caríssimo traje espacial, muito mais eficiente e bonito do que os 'modelitos' da NASA.

    1. Concordo, também acho difícil uma bacteriazinha ter viajado até aqui, mais apesar do intenso estudo nesta área nem mesmo os cientista descartam esta hipótese.
      É apenas pouco provável.

    2. A hipótese seria que os asteróides conteriam partículas formadoras de aminoácidos, etc, não a vida em sí, ou seres vivos…
      Os mesmos asteróides em outros planetas, como Venus por exemplo, não dariam em nada. Não basta ter os componentes. É preciso uma conjunção de fatores gigantescos simultaneamente até onde se sabe, baseado no único exemplo que existe (Terra).

  11. Não é fácil aceitar passivamente a hipótese da panspermia cósmica. É muito difícil acreditar que um ser vivo (mesmo uma humilde bactéria) possa sobreviver num asteroide ou cometa durante bilhões de anos, sendo submetido à baixíssima temperatura (compostos orgânicos<coacervados<aminoácidos<proteínas<…<ser humano, é mais atraente e não fere o bom senso.
    Essa ideia de que asteroides e cometas são os semeadores da vida no universo é muito temerário. Na melhor das hipóteses, talvez eles sejam apenas simples cemitérios móveis espalhando cadáveres por aí.
    A não ser que uma bacteriazinha dessas venha vestindo um caríssimo traje espacial, muito mais eficiente e bonitinho do que os 'modelitos' da NASA.

  12. Dizer que a vida chegou aqui na terra a bordo de um corpo celeste, somente transfere o problema, de determinar como e quando a vida surgiu, para outro lugar. Arrumar um CRIADOR para todas as coisas somente transfere o problema para um degrau acima. Quem criou o criador ? E o criador do criador, infinitamente ?
    Por que não tomamos umas doses de coragem, e vamos estudar de verdade tudo isso, com o que temos em mãos ? Se estudarmos com determinação e mentes abertas , acabaremos achando as respostas.
    É muito cômodo arrumar um criador para todas as coisas ! É preguiça de pensar…

    1. Pode ser, pode ter acontecido, mas particularmente não creio nisso. É a tal da Panspermia.

      Estou escrevendo algo nesse sentido, mas acho que apronto lá pelo ano que vem, pois o assunto é enrolado e preciso ir de física para química, geologia, cristalografia, exobiologia, bioquímica e biologia. Dá trabalho!!!

    2. Concordo em quase tudo, não é DIZER que a vida pode ter vindo em um corpo celeste, é apenas uma teoria dos cientistas como outras que a vida pode ter se desenvolvido aqui! E se for constatado que a vida veio de fora qual o problema? Não estamos em busca da verdade?
      É tudo teoria, não estou dizendo que a vida veio de fora mais como não temos a resposta ainda suponho que nada deve ser descartado.

      Abraxxx…

      1. Como já foi colocado por alguém aqui, é pouco provável que tenha existido algum lugar melhor para a vida surgir(no sistema solar, com certeza). Então, o que temos hoje é isso: A vida surgiu aqui mesmo. Pelo menos, a vida que está aqui. Uma vez que não temos opção melhor para a vida que vemos todo dia por aqui. Se os meteoros fizeram parte do processo físico-químico, aí já são outros quinhentos. Toda ajuda é bem vinda. E meteoros, nada mais são que pedaços da própria terra que chegaram atrasados para a reunião. Afinal, de que foi formada a terra toda ?

  13. Penso eu que a pergunta “Como surgiu a vida na Terra?” tenha várias respostas, claro que o que temos hoje são apenas teorias de como a vida tenha surgido, no *MEU ponto de vista acredito que formas de vida podem ter surgido na Terra simultaneamente. Só para dar um exemplo, um organismo poderia ter pego carona em um corpo celeste e ter evoluído aqui na Terra, ao mesmo tempo a energia do choque deste corpo celeste com a Terra poderia sintetizar aminoácidos e moléculas básicas a vida ( mesmo assim a vida não precisaria vir de fora ).
    Já a algum tempo li em um artigo que supernovas próximo do nosso sistema solar poderiam ter ajudado a evoluir e diversificar da vida na Terra, devido ao poder de mutação causado pela energia da supenovas.

    Achei muito interessante, e com base nesta teoria a possibilidade da vida ter evoluído em outro planeta seria mais provável próximo do centro da nossa galáxia, devido ao maior número de supernovas. Oque acha Salvador?

    Abraxxx…

    1. Acho que supernovas fazem mais mal do que bem para a vida. Mas vai entender. Estou prestes a postar uma coisa que vai nessa direção de “catástrofes benéficas”… em alguns minutos! :-p

      1. vai fundo Salvador.

        Por um lado elas fazem bem. Se vc não existir elas podem fazer com que vc exista. se uma explodir perto de vc, vc deixa de existir e dá a chance de uma outra coisa existir.

        Viemos do pó e para o pó tornaremos (das estrelas…). Smos filhos das estrelas, pois todos os elementos que existem em seu corpo foram cozidos no interior dessas maravilhas.

        1. Será o Benedito Cícero!!!! Vc não entende o sentido conotativo de uma frase? Para que ser tão desonesto? Ou vc se faz de bobo? Vc tem dificuldades de compreensão? Ou se recusa a compreender o que vai contra seus dogmas estabelecidos, jurados e sacramentados?

          Quer dizer que quando algo vai contra o que vc estabeleceu como certo e como verdadeiro vc passa a se valer de sarcasmo infantil?

          Cícero, estrelas não pensam, elas consomem seu combustível para se manterem acesas e quando ele acaba elas pifam. É tudo uma questão de entropia…

          Como nasce a estrelinha?

          Isso também tem a ver com termodinâmica só que das reações nucleares.

          Ele se dá de início por atração eletrostática entre partículas de poeira e de gás. depois por trabalho da energia gravitacional. Esse trabalho é a energia suficiente para que o hidrogênio entre em trabalho de fusão nuclear, que libera calor e evita que a estrela se colapse em um buraco negro.

          Aquelas do começo do universo (estrelas de ordem 1) nascem pelo colapso da nuvem de hidrogênio.

          Mas como ocorre esse colapso?

          Ao que parece há regiões do universo onde a gravidade é mais intensa que em outras regiões, o que faz a matéria se concentrar de forma mais intensa nessas partes. Isso se confirma por pesquisas com lente gravitacional, nas quais se observa que, embora aparentemente não haja nada nessas regiões a luz se desvia como se existisse algo ali. É o modelo de matéria escura.

          Durante o processo de contração, as partículas da nuvem vão sendo atraídas para o centro de gravidade dessa nuvem, o que as acelera, aumentando gradativamente suas velocidades.

          Os choques entre partículas se intensificam e a nuvem se aquece, e passa a emitir luz e energia, sendo que as partículas da nuvem procuram atingir sua distribuição de menor energia (lembra da entropia? Pois é essa é a entropia energética).

          A forma de menor energia é a forma esférica, Isso funciona inclusive para planetas, pois tem a ver com o estudo da geometria do espaço-tempo lá na relatividade geral.

          Essa esfera de matéria se denomina de Proto-estrela, que continua a concentrar sua matéria e diminuir de tamanho. Isso faz a temperatura interna aumentar muito e ionizar os átomos.

          Ou seja, os elétrons que giram em torno do núcleo atômico são removidos. O interior da proto-estrela passa então a se constituir de uma mistura de prótons e elétrons que é o plasma.

          Devido à alta temperatura, os prótons apresentam um movimento muito intenso com grandes velocidades, podendo chocar-se e vencer as forças de repulsão eletrostática e se unem entre si, no que se chama processo de fusão nuclear, o que marca o nascimento da estrela.

          É pelo processo de fusão nuclear que uma estrela “fabrica” elementos químicos e seus isótopos, o que libera grande quantidade de energia. Por isso uma estrela brilha.

          O que a estrelinha faz? As reações dela são as seguintes:

          (1,1)H + (1,1)H → (2,1)H + (0,-1)β

          (2,1)H + (1,1)H → (3,2)H

          (3,2)H + (1,1)H → (4,2)He + (0,-1)β
          ————————————
          4(1,1)H → (4,2)He + 2(0,-1)β + energia

          Obs: (x,y) = (massa, carga)

          Uma estrela praticamente fabrica toda a tabela periódica até o Urânio, o que depende do tamanho da estrelinha como será visto mais adiante.

          Enquanto houver combustível nuclear no interior da estrela que possa ser convertido num elemento mais pesado com a liberação de energia, a estrela permanecerá viva.

          O Sol é uma estrela de segunda ou terceira ordem, por isso não nasceu só do hidrogênio, mas de partículas de poeira também. Por isso existem planetas a orbitando.

          Seu nascimento se deu pelo colapso de uma nuvem, muito provavelmente causado por um evento de super-nova. O resto é tudo igual.

          Estrelas como o sol conseguem fazer até o Fe-56, o que quer dizer que Fe é um problema, pois marca a morte de uma estrela, tornando-a uma gigante vermelha.

          Isso ocorre pois a força nuclear tende a equilibrar a força gravitacional e, como já foi convertida muita matéria em energia somente resta a estrela inchar para contrabalançar o efeito de explosão nuclear.

          Isso também tem a ver com entropia energética, pois colapsar um excesso de matéria foge às regras naturais do universo no que se refere à busca pelo menor nível energético. Assim, enquanto a estrela colapsa, intensifica-se a reação nuclear para contrabalançar este efeito.

          O dia que essa energia não for mais suficiente ocorre a ejeção de matéria e a gigante vermelha colapsa em uma anã branca, que é como uma panela esfriando sobre o fogão.

          Ela demorará para se resfriar e terá uma matéria altamente concentrada (0,6 massa solar dentro de um volume como o da Terra). formarão uma nebulosa planetária e o corpo será formado por um núcleo composto praticamente de carbono e oxigênio.

          Estrelas com até 10 massas solares se tornarão anãs brancas.

          Estrelas maiores serão super-novas que poderá seguir os seguintes caminhos:

          Entre 10 e 50 massas solares – supernova do tipo II ( a do tipo I ocorre em sistemas onde há uma anã branca e uma estrela gigante, sendo que esta tem sua matéria drenada por aquela).

          20 Massas solares → estrela de nêutrons
          De acordo com sua força magnéticas temos os seguintes tipos de estrelas de nêutrons:

          • Pulsares de rotação
          • Pulsares de acreção
          • magnetares

          Acima de 20 massas solares → buraco negro.

          É nas supernovas que os elementos acima do Fe são sintetizados. Quando ocorre o colapso da supernova, a matéria é ejetada com tanta violência que ocorre uma fusão d elementos acima do ferro, formando-se de dentro para fora.

          Esses eventos são raros, por isso elementos como Cu, Ag, Au, PT, Os, Lantanídeos, Actinídeos, ou seja, tudo que está acima do Fe é raro de ser encontrado. Existe muito pouca quantidade deles.

          Assim, todos os elementos químicos que formam a natureza como: o nitrogênio, o oxigênio, o enxofre e o carbono de suas proteínas, o iodo em sua tireóide, o cálcio em seus ossos, o zinco que faz a sua cicatrização, o flúor em seus dentes, o cobre que ajuda a fazer seu sangue, o cromo em seus citocromos, o ferro em sua hemoglobina, o fósforo em seu DNA, o sódio e o potássio em sua bomba de sódio, o cloro do HCl em seu estômago, o magnésio em seus ATPs, foram “cozidos” nas estrelas, por meio de reações nucleares.

          Vale ainda citar o Urânio e o Tório e seus isótopos, presentes no núcleo da Terra, que a mantém aquecida, com um núcleo derretido que propicia a formação de um dínamo que mantém o geomagnetismo, o que evita de os ventos solares carregarem a atmosfera e a água, bem como propicia a tectonia de placas o que renova os solos (vide Marte um deserto gelado calcinado pela radiação solar).

          Sem falar ainda toda a gama de elementos químicos que formam os compostos existentes nos planetas e em seus satélites.
          Por isso as super-novas, como todas as estrelas, são importantes para haver vida.

          Estamos no auge do universo, pois estamos em sua fase adulta, que durará mais uns 8 ou 10 bilhões de anos.

          Depois será o declínio, até que a ultima estrela se apague e até que o último buraco negro se evapore e que a última subpartícula se converta em energia. Isso levará mais alguns “zilhões” de anos, entre 100 e 200 bilhões de anos.

          Vida não é uma conseqüência de um super ser existir, sujeita aos seus humores. É uma condição natural de um universo, caso ele tenha leis que levem a um tempo duradouro e a síntese de elementos pesados.

          MATÉRIA DADA É MATÉRIA ESTUDADA!!!!

          NÃO ERRE MAIS!!!!

          NÃO INSISTA EM ERRAR!!!

          1. Vc que tem sérios problemas cognitivos e emocionais, certamente devido ao seu fundamentalismo ateísta darwinista incontrolável…

            Acaso, eu duvidei ou perguntei sobre o processo de formação das estrelas??

            Mas mande esse texto para o Sol, a estrela mais próxima, e deixe ele analisar e opinar sobre esses processos, afinal:

            “Smos filhos das estrelas, pois todos</b< os elementos que existem em seu corpo foram cozidos no interior dessas maravilhas."

            Afinal, apenas quero ressaltar que somos a obra-prima máxima do Criador – a cereja do bolo – singulares e especiais e únicos seres racionais no universo (até prova em contrário), ainda que tendo os mesmos elementos químicos das poderosas estrelas. 😛

          2. Na bíblia inteira não tem nada tão interessante como as postagens do Elyson, admiro muito pessoas com bastante conhecimento e mais ainda por se tratar de um professor, a profissão mais honrada entre todas.

          3. [Afinal, apenas quero ressaltar que somos a obra-prima máxima do Criador – a cereja do bolo – singulares e especiais e únicos seres racionais no universo (até prova em contrário), ainda que tendo os mesmos elementos químicos das poderosas estrelas.]

            Jura Cícero?

            Faça prova de sua afirmativa.

            Se todas as obras primas do criador forem como vc, melhor ele voltar aos bancos escolares!!!

            Ô projetistazinho ruim!!!!

            També já é matéria dada os erros de nosso projetista e sua tendencoa fazer o mal.

            Vide vírus, bactérias mortais, fungos, protozoários e vermes parasitas, insetos hematófagos, animais vetores de doenças, os coelhos coprófagos, os caracois que defecam sobre a própria cabeça, cometas e meteoris errantes, explosões de raios gama, dentre outras obras primas do designer intelijumento.

          4. Cara, se não fossem esses micro-organismos nós e outras formas de vida nem existiriam! e bastam regras sanitárias higiênicas para evitar doenças deles. Estude/pesquise antes de falar besteiras…

            A propósito, sobre o assunto “estrela” tinha esquecido.
            É fato que depois do hidrogênio se esgotar numa estrela e se converter em elementos mais pesados, não pode mais ser restaurado ao estado original. Se estrelas se formam com restos de outras estrelas, corpos celestes, donde viria novo combustível (hidrogênio)???
            Apenas um Criador seria uma causa adequada para criação de novos átomos de hidrogênio do nada. 🙂

          5. Não rola criação de hidrogênio do nada. O que acontece é que o consumo do hidrogênio produzido no Big Bang é paulatino. Hoje formam-se menos estrelas no Universo do que em outros períodos. Mas tudo depende de ondas de compressão (geradas pela explosão de estrelas formadas na geração anterior) iniciarem a compactação de massas de hidrogênio disperso, dando origem a outras estrelas.

            Importante também ressaltar que, nas estrelas, o hidrogênio é esgotado apenas no núcleo. Na atmosfera, ainda sobra um monte de hidrogênio, que é soprado para o espaço interestelar quando a estrela morre.

            Mas de fato uma hora o hidrogênio deve se esgotar no Universo. E até agora nenhum Criador apareceu para reabastecer os estoques. Mas já pensou se a moda pega e Ele começa a reabastecer os poços vazios de petróleo? 😛

          6. Ótimo Salvador, foste direto ao assunto. O que eu queria dizer era isso mesmo; considerando que não há mais tanto material e hidrogênio no vácuo sideral pra formação de novas estrelas; isso nos remete a um universo limitado, finito do qual se requer um Início para tudo e não poderia ser eterno, estando de acordo com a visão da criação bíblica.

            Robert Jastrow fundador do Instituto Goddard da NASA admite:
            “Agora vemos como a evidência astronômica leva a uma visão bíblica da origem do mundo. Os detalhes divergem, mas os elementos essenciais presentes tanto nos relatos astronômicos quanto na narração do Gênesis são os mesmos: a cadeia de fatos que culminou com o homem começou repentinamente e num momento preciso no tempo, num flash de luz e energia.” (A scientist caught p.14).

            E ainda complementa:
            “Os astrônomos descobriram agora que ficaram encurralados porque provaram, pelos métodos, que o mundo começou repentinamente num ato de criação… e descobriram que tudo isso aconteceu como produto de forças que jamais poderão descobrir”. (God and the astronomers p.115).

          7. Cícero, sempre achei que os criacionistas deveriam fazer do Big Bang sua trincheira. Mas eles (como você) preferem bombardear onde a ciência já não mais permite: no campo da biologia. Você quer defender que o Big Bang é um desígnio divino, e vais er difícil, com a ciência de hoje, desprová-lo. Mas se você começa a dizer que a existência da vida e o surgimento do homem exigem design inteligente, o resultado será os cientistas sérios rirem da sua cara. Se falar então que as nuvens contrariam a lei da gravidade, vira gargalhada digna de Seinfeld. 😛

          8. Como surgiu o hidrogênio.

            Logo após o big bang, tinhamos as 4 forças fundamentais não dissociadas. A primeira que se libertou foi a gravidade, depois a nuclear forte, seguida pela nuclear fraca e por fim sobrado a eletromagnética.

            Com a disociação da gravidade, a energia do universo passou a vibrar em partículas e antipartículas elemntares as quais se destruíram em uma terrível batalha. mas havia mais matéria que antimatéria.

            Esta matéria é o que hoje conhecemos como partículas fundamentais como quarks, glúons, bósons W+, Z e W-, elétrons, etc.

            Os nêutrons se formaram por três quarks (dois down – carga -1/3 e um up – carga 2/3) e além dos neutros partículas como os píons, unidas pelos glúons (mediadores da força forte.

            Devido a força fraca, quando da geração desse neutron, eles passaram a decair da seguinte forma:

            d → u + W-

            W- → β +ν

            Ou seja:

            n → β +ν + p

            O papel do bóson W é muito importante no decaimento nuclear, na conversão de neutrons em prótons, com a emissão de um elétron (partícula beta) e de um anti-neutrino do elétron.

            Um quark down decai em um up mais um W- que decai em um elétron e um antineutrino do elétron, o que converte um nêutron em um próton, pelo decaimento beta.

            Este próton ao capturar um elétron formou o hidrogênio. Pois o par e-p é mais estável energeticamente e H-H é mais estável ainda. Isso se deu 500 mil anos após o big bang.

            Há pares com 1 p e 1 n e 1 p e 2n que formam deutério e trítio respectivamente. É a formação do núcleo atômico, sustentado pela força nuclear forte.

            Dessa forma, 1 bilhão de anos após o big bang, as estrelas de primeira geração (já explicado como se formam) começaram a fusionar esses hidrogênios e a fazer hélio e lítio. Quando atingiram um estágio onde ocmeçaram a fazer ferro explodiram em um final apoteótico, fazendo super novas com buracos negros supermassivos, ao que parece, os quasares, que são as proto galáxias.

            Buracos negros se fundem e ficam amiores ainda. aAssim se fazem as galáxias. Em torno destes monstros gravitacionais. Por isso uma galáxia gira.

            Eram grandes e viveram intensamente, Tiveram curta duração em torno de uns 100 a 500 milhões de anos.

            Essas galáxias são ricas em H2 e em elementos mais pesados, o que propiciou a formação das estrelas de segunda e terceira geração como nosso sol, que se constroem a partir de escombros de outras estrelas e de hidrogênio, que é a matéria mais abundante do universo.

            Assim, as estrelas de primeira geração não queimaram todo o H do universo. Ainda tem muito por ai, para formar estrelas de 4 e 5 geração.

            Assim, o hidrogênio não é um mistério. Dá para ser explicado.

            resumindo, seu designer foi despejado de mais esta lacuna…

          9. Salvador,
            O modelo do big-bang tem forte base científica empírica, estando plenamente de acordo com a visão, mesmo figurada, da bíblia em Gn 1:3.
            O que são cientistas sérios? são somente os ateus e agnósticos? esse é o critério? isso se chama preconceito fundamentalista.
            Na verdade, cada vez mais cientistas e astrônomos, mesmo não cristãos, estão rejeitando a ideia irracional e ilógica do nada, acaso, sorte, caos… serem os causadores do majestoso universo e da complexa vida.

            “A maneira mais fácil de encaixar as observações com os parâmetros recentes é admitir que o Universo tenha sido criado do nada, num instante, e que continua a se expandir” – Arno Penzias descobridor da radiação pós-explosão – prêmio Nobel. (Show Me God, p.156).

            Ora, as nuvens pré-temporal contrariam frontalmente a Lei da Gravidade. Fato empírico observável. Contra fatos não há gargalhadas. 🙂

          10. Cientistas sérios são aqueles que não trabalham com hipóteses sobrenaturais aprioristicamente. Explicam o mundo natural pelas causas que eles podem observar e testar. Caso não seja possível explicar um dado fenômeno nesses termos, cabe ao cientista declará-lo um mistério corrente, evitando preencher o vazio explicativo com ideologia ou religião. Basta informar a ausência de explicação e deixar que cada um preencha com seu próprio subjetivismo o não-explicado.

            Exemplo: as constantes do Universo. Elas determinam a própria viabilidade da hierarquia de estruturas que vemos, dos átomos aos aglomerados de galáxias, passando pela vida. O que as determinou no Big Bang? Aparentemente não há no momento uma explicação teórica satisfatória que determine por que essas constantes têm o valor que têm. O que cabe ao cientista? Declarar que a teoria não preenche este vazio.

            Aí cabe a cada um, pessoalmente, julgar no que deve preencher esse espaço. O acaso? Deus? O multiverso? Princípio antrópico?

            Um mistério, para um cientista sério, é um mistério. Não uma evidência de divindade — conceito metafísico e, por definição, inexplorável pela ciência.

            Então, eu não defino os cientistas sérios pelo ateísmo, e sim pelo agnosticismo. E nada vejo de fundamentalista nisso, justamente porque deixa cada um decidir por si o que preenche melhor aquele vácuo de conhecimento.

          11. Então diga-me Dr. Elyson,
            qual a origem dos elementos do big-bang? qual a origem do hidrogênio? qual origem das 4 forças fundamentais? e da matéria e da antimatéria?
            Foi o deus nada, o deus acaso, o deus sorte, ou o deus caos…???
            E os processos estabilizadores e mantenedores do universo e posteriormente da vida? também foram esses deuses? 🙁

          12. Concordo Salvador,
            o método científico estuda as leis naturais; e estas são eventos repetíveis, regulares, previsíveis. Contudo a detecção direta de Deus e seus eventos milagrosos sobrenaturais (como origem do mundo e da vida) são eventos singulares, extraordinários, irregulares, imprevisíveis que fogem aos instrumentos e metodologia científica tradicional limitada e falha que estuda a natureza e seus fenômenos causados. Adentrando assim o campo metafísico, transcendental para o sobrenatural.

            Mas nos caso da ciência das origens; assim como a história do nosso planeta; todos os cientistas acreditam que a origem do universo e a origem da vida são eventos singulares, especiais e não-repetíveis.
            Não somente a origem de matéria, energia, espaço e tempo e suas leis/constantes finamente ajustadas hoje e ontem no universo, assim como pela analogia, cientistas aprenderam que certos níveis de complexidade específica originam-se apenas de seres inteligentes.
            Acharíamos estranho e insensato se um professor de biologia dissesse que foi uma causa natural para as faces esculpidas (dos presidentes) no monte Rushmore.

            Assim, é errado supor que leis naturais e o domínio da lei científica é sobre todo e qualquer evento, mas apenas sobre eventos regulares, normais e não de TODOS os eventos possíveis.

          13. Isso. Então para de procurar ciência na Bíblia, porque ela diz respeito aos fenômenos que você descreve como irregulares, que desobedecem às leis físicas.

          14. [Sempre há exceções nas Leis Universais, ou entram no campo sobrenatural.]

            Quais exceções Cícero? Apresente estudo com respectiva publicação científica (peer reviwed, periódico científico ou periódico informativo reconhecido).

            Salvador, o modelo da teoria das supercordas tem respondido satisfatoriamente por que as constantes são o que são. E, ao que parece, elas variam à medida que o universo envelhece.

            Tudo é uma questão que está de acordo com o “tecido do universo”, ou seja, de como se formou o espaço e o tempo para o nosso universo e de quanta energia, em forma de matéria, ele possui, o que vence a barreira para termos ou não um universo. A energia negativa será dada pela energia potencial disso tudo. Ambas somadas o valor é zero.

            Em post mais acima no qual trato da afinação do universo, explico por que isso tudo ocorre e por que tudo é como é.

            Há até modelos simulados de universos com força fraca menor que a que temos, os quais possibilitariam até mesmo a formação de vida.

            Não há necessidade de recorrermos ao sobrenatural, mas sim de buscarmos respostas para como as coisas acontecem e o que as torna como são.

            O sobrenatural deve estar relegado ao foro íntimo de cada um, pois cada pessoa deve ter sua concepção do que é sobrenatural (não digo que nenhuma e certa e que nehuma é errada).

            O sobrenatural, quando levado à inconsequência de uma religião doentia, é um inimigo da busca por respostas e um grande aliado da preguiça mental.

            Bibliografia recomendada sobre o tema:

            Kaku – Hiperespaço e Mundos paralelos

            Greene _ O tecido do Cosmo, O universo elegante e The Hidden reality.

            Wolf – Parallel Universes

            Yau e Nadis – The Shape of inner space

            Susskind – The cosmic Landscape

            Krauss – A universo from Nothing

            Polchinski – String Theory Vol I e II

            Randall – Warped Passages e Knocking on heaven´s door

            Woit – Not even Wrong

            Stenger – The fallacy of fine tunning e Has science found God?

            Rees – Apenas 6 números.

            Hawking e Mlodnow – The Grand design.

            e, claro:

            A tese de Hugh Everett III o cara que deu a partida na ideia de universos paralelos.

            http://www-tc.pbs.org/wgbh/nova/manyworlds/pdf/dissertation.pdf

            Em resumo, ideias como “afinação inteligente do universo” e “princípio antrópico”, não passam de metafísica.

            Não são falseáveis e, tampouco, podem ser consideradas como científicas, uma vez que apresentam um ponto estanque além do qual não se pode ir, que é a “INTELIGENCIA DIVINA TRABALHANDO POR VOCÊ”.

  14. As pessoas tendem a desacreditar aquilo que não compreendem, como no caso do Big Bang e as suas premissas, isso tbm serve pra tal entidade “Deus”. Particularmente, creio eu que essa postura é falha. Eu por exemplo nunca entendi matemática, mas ela tá aí bombando, não tá? :p

  15. teoria do criacionismo é a verdadeira somente quem quiser dizer outra coisa diga depois prestará contas ao Criador e não diz que não avisei!

  16. Salvador essa hipótese de a vida ter vindo em um asteróide tem amparo por parte da comunidade científica? E mesmo assim só explicaria o surgimento da vida na Terra, não o surgimento da vida, tem mais, você não acha improvável que com tanta afinidade com esse planeta a vida tenha vindo do espaço, ela teria que ter vindo de muito longe porque por aqui por perto(sistema solar e adjacências) não tem nenhum lugar que esses micróbios poderiam suportar como “lar” não acha? Como eles teriam entrado nesse corpo? Como poderiam suportar as mudanças violentas na temperatura do astro?

    Pronto! Abçs!

    1. Jonas, diversos estudos já demonstraram conclusivamente que organismos vivos podem viajar de um corpo celeste a outro dentro do sistema planetário (mas não por distâncias interestelares). Se isso de fato aconteceu aqui, não sabemos. De toda forma, como você bem disse, isso não explica como se dá a origem da vida, apenas esclarece o caso terrestre.

      1. Também penso como o Jonas, estava outro dia vendo aqui mesmo a hipótese da vida na Terra ter sido originada em Marte, sinceramente acho difícil um organismo vivo suportar uma viagem interplanetária, tem alguma fonte para passar para nós?
        Acredito que deve realmente existir alguma forma de vida fora do nosso planeta mas acreditar em “importação” de vida via asteroide é complicado.

  17. Qualquer ser dotado de minia inteligencia e sobretudo hunildade sabe que existe um criador mesmo que nao aceitamos ou nao comprendamos.
    Aceitar que todo o mecanismo da vida vem do nda eh mais infantil que aceitar um criador que forneceu e criou o nada e o tudo.
    Enfim, se para existir Deus pergunta se quem o criou perguntamos o mesmo, e sse nada como cmecou algo do nada? Algo tao maravilhoso e complexo que nem mesmo podemos enteder criou se do nada e sem inteligencia conciente, infantil demais e sobre tudo prepotente afirmacao.

    1. Não não… é mais “FÁCIL!” bem mais “FÁCIL!”, acreditar que tudo é obra de um “CRIADOR MAIOR!”… resumindo… coisa de preguiçoso!… não tem propotência alguma tentar mensurar, analisar, calcular e entender Fenômenos e Eventos Universo afora, ou tem? Natural é o questionamento sobre o Universo, e não a simplicidade em dizer que “FOI TUDO FEITO SEGUNDO À VONTADE DE DEUS!, NÂO PERCAM TEMPO TENDANDO ENTENDER!”

      1. Os homens acham mais fácil acreditar do que pensar. Ainda bem que temos seres pensantes, caso contrário estaríamos ainda na idade média. Só me admiro com a quantidade de gente ainda ligada as igrejas. O Brasil é um país místico demais. Tudo fruto da colonização de povos que incutiram religião. O preço é gente alienada demais.

      2. Realmente nada pode surgir do nada. E também dizer que a vida vem de um ser superior ou de um raio e uns materiais orgânicos ou de qualquer outra forma sem que seja comprovado não é certo também o que se pode fazer é falar de possibilidades. Cada um pensa o que quer, mas só se deve passar o que for correto.

    2. E o criador nasceu espontaneamente? Ou foi uma evolução de um criador anterior?

      Fala sério, preciso ser humilde para acreditar nesse criador? Quem precisa de humildade é você achando que tem uma resposta.

  18. Oh Deus, eles não sabem o que falam . E o boneco de barro que o Sr. grandioso deu um sopro nas ventas ?

    1. Esse aí não deu certo porque em vez de ajudar a humanidade a se desenvolver ficava olhando para o próprio umbigo…

        1. Ué???….quando você termina a obra tem de puxar aquele barro final que sobra…..dai surgiu o umbigo….

  19. O grande elefante branco do surgimento da vida se chama – Explosão Cambriana – como poderia se passarem uns 4 bilhões de anos na Terra sem que nada mais complexo que seres unicelulares se formasse?

    Nenhum registro fóssil na Geologia revela algum evento único no Cambriano que permitisse a formação de seres multicelulares.
    Como num período tão curto surgiu uma multi-diversidade tão grande de organismos multicelulares?
    Isso não está de acordo com uma suposta evolução biológica gradual pela qual os seres vivos tem passado, baseado na seleção natural e adaptação.

    1. Há um viés de observação, Cícero. Seres unicelulares são muito diversos entre si e representam largos passos na evolução, dos extremófilos aos fotossintetizantes. O nível de especiação não é muito maior no Cambriano, o que acontece é que a vida multicelular surge para valer e começa a especiar. Como são criaturas macroscópicas, deixam a especiação no registro fóssil, o que faz parecer que houve uma grande explosão evolutiva. Na verdade, houve uma explosão evolutiva da vida macroscópica. Mas a evolução não esteve de folga antes disso. Esteve trabalhando na vida microscópica, que, com a fotossíntese, oxigenou a atmosfera e forneceu as condições para o surgimento dos organismos multicelulares.

      1. Salvador,
        A Explosão Cambriana depõe contra a Teoria da Evolução como o próprio Darwin reconhece.

        Mesmo aumentando a quantidade de oxigênio na Terra, isso seria totalmente irrelevante pra formação de novos clados biológicos diferenciados, a partir de simples amebas, bactérias. Mas estudos indicam que o oxigênio já estava presente a muito tempo. http://live.psu.edu/story/38514.
        Assim, seria ilógico a evolução esperar bilhões de anos pra formar seres macroscópicos.

        A diversidade de seres na Terra já aconteceu no Cambriano, sendo extraordinariamente modernos e complexos com muitas espécies multicelulares sem antepassados transitórios e espantosamente similares às de hoje, como os atrópodes e seus modernos sensores de localização, os polvos com seus sofisticados olhos tipo câmera (melhores que os nossos! considerado o top da evolução??), e até seres vertebrados como peixes/tubarões, já existiam naquele período ou logo após, o que prova que os seres completos e funcionais surgiram de forma imediata.

        A TE nem mesmo explica a formação e transição de tais órgãos e sistemas complexos surgidos subitamente como: cérebros, olhos complexos, pernas articulas, tecidos, sistema nervoso e toda uma nova morfologia.

        Não nego a “especiação” – formação de novas espécies – pela seleção natural, mas isso não passa de recombinação de material genético (adaptação) e não criação de algo novo/difertente com aumento de infomação genética (macroevolução vertical).
        A especiação não produzirá estruturas biológicas radicalmente distintas, resultando num animal totalmente diferente – algo que é necessário para que a evolução moléculas-unicelular-mamíferos-homem seja cientificamente válida – mas sim uma variabilidade única e abragente no fenótipo que constitui as espécies animais específicas dentro do mesmo Gênero, Família, Ordem na escala taxonômica.

        É somente a incrível e descomunal fé dos crentes darwinistas para acreditar que bactérias evoluíram para peixes e depois anfíbios e répteis evoluíram para pássaros, e que animais terrestres evoluíram para baleias! 🙂

        1. Cícero, para variar, vc não leu direito o artigo que citou. Este oxigênio não estava livre na água ou na atmosfera, mas era proveniente de aberturas marinhas.

          Isso ocorre até os dias de hoje nas fumarolas e em “lost city”, só que a percentagem de oxigênio é baixa frente aos resíduos mineralizados (carbonatos) e gases tóxicos dessas aberturas (CO2, SO2, HCl, CH4 e H2).

          Por isso, os minérios de ferro desse tipo especial de hematita são achados em áreas onde havia atividade vulcânica marinha.

          Essas regiões de fumarolas apresentam altíssimas temperaturas (temperaturas superiores a 400ºC) e pressão, o que influencia nas reações químicas. As fumarolas expelem fluido ácido (pH entre 2 e 3) e Lost City básico (pH entre 9 e 11).

          As reações de produção de hematita são exotérmicas. Por isso temos fornos para produzir Fe, segundo a reação:

          2Fe2O3(s) + 4C(s) + O2(g) –> 4Fe(s) + 4CO2(g), ΔH = +1.275 kJ/mol (25º C) que quer dizer que é uma reação endotérmica.

          Assim, temperatura é um agente que desfavorece as reações de formação de hematita, pois a tendência é deslocar a reação para seu lado endotérmico, embora haja que se considerar a reatividade da molécula de O2 frente a metais ferrosos (propriedade periódica dos elementos), um ingrediente para termos uma reação exotérmica.

          Isso se chama princípio de Le Chatelier.

          Se a temperatura aumenta, a reação se desloca para o sentido onde ela absorve energia.

          2Fe(s) + 3O2(g) –> Fe2O3(s) ΔH = −825.50 kJ/mol (25º C) (oxido férrico – hematita)

          É uma reação desfavorável a alta temperatura, mas pode ter seu rendimento facilitado pela pressão, como será visto adiante.

          Todavia esse ferro pode reagir com a água e resultar em hematita:

          2Fe(s) + 3H2O(l) –> Fe2O3(s) + 3H2(g) ΔH = -538,92 kJ/mol (25º C), que é uma reação também exotérmica.

          Porém, sob a ótica do princípio de Le Chatelier, é mais fácil de ocorrer que a primeira reação, embora a pressão baixe o seu rendimento.

          A influência da pressão no princípio de Le Chatelier se dá da seguinte forma: quanto maior a pressão, a reação se desloca para onde há contração de volume e vice-versa.

          No caso da quantidade de reagentes e produtos, quanto maior os reagentes, mais produto se forma e vice-versa.

          No caso do O2(g) a pressão aqui atua, pois ela é alta (ex. a 1Km de profundidade; P = μgh = 1000Kg/m3*10m/s2*1000m = 107Pa ou 100 atm), e temos reagentes e produtos gasosos. Para a reação com água a pressão é contrária ao rendimento da reação. Se tivermos H2O(v), a pressão será indiferente.

          Resumindo temos duas variáveis opostas ao rendimento da reação, no caso da água e uma oposta no caso do oxigênio. Mas a questão termodinâmica prepondera sobre a questão da pressão, o que se leva a crer que a reação com água seria bem mais favorável para fazer a hematita.

          Há que se saber também que quanto maior a temperatura de um fluido, mais gases se separam dele e assim estão prontos para reagir com outras coisas.

          Dessa forma, para O2 saído de aberturas oceânicas, não haveria tempo hábil para esse oxigênio se difundir pela atmosfera antes de haver vida, pois as quantidades de ferro oceânica e em terra firme eram imensas, além do que o O2 tem baixo percentual se comparado aos demais resíduos dessas aberturas.

          Se houvesse tanta abundância de O2, reação de formação de hematita ocorreria normalmente, principalmente em terra onde havia temperaturas menores que nas aberturas oceânicas, muito reagente e menor pressão.

          Assim, o único O2 para fazer frente a essa eliminação de ferro e transformação dele em hematita e ainda formar-se atmosfera, é o oxigênio de origem biológica, que, segundo os estudiosos do papper, colocaria as cianobactérias como existentes há 3,46 bilhões de anos atrás e não conforme os registros que as colocam entre 2,5 a 2 bilhões de anos idade de datação de seus fósseis.

          Segundo o Dr. Ohmoto isso explicaria que os resíduos carbonatados encontrados em rochas de 3,8 bilhões de anos poderiam ser de vida em vez de meros resíduos químicos.

          Tal idéia pode ter respaldo científico, mas é controversa.

          Permitam-me fazer uma resenha cruzada de uns artigos científicos:

          “De acordo com o artigo “As raízes mais profundas da vida” acerca de “Lost City”, muitos micro-organismos desenvolveram a capacidade de consumir a abundante energia contida no hidrogênio, sendo os metanogenos um desses grupos. Estas criaturas geram metano. Como se constatou, até um terço dos microorganismos em Lost City são metanogenos pertencentes à familia Methanosarcinales. Sua presença não surpreende, dada a abundância de hidrogênio nas águas termais.

          Os metanogenos de Lost City precisam apenas de dióxido de carbono, água em estado líquido e peridotito, que reagem para formar os ingredientes naturais de que necessitam para sobreviver.

          Pesquisadores constataram que as duas reações geoquímicas resultantes da serpentinização e da atividade de metanogenos biológicos são fonte de metano para o ecossistema de Lost City.

          Essa produção simultânea do gás pode não ser coincidência. Em diversos estudos realizados nos últimos anos, o bioquímico William Martin, da Universidade Heinricheine, na Alemanha, e o geoquímico Michael Russell, do Jet Propulsion Laboratory, da Nasa, em Pasadena, examinaram todos os passos químicos necessários para produzir metano abiótico, ou seja, sem participação de organismos vivos, em ambientes como Lost City.

          Descobriram que cada etapa é replicada nos caminhos biológicos dos organismos produtores do gás. Com base nesse trabalho, sugeriram que nos primórdios da Terra, lugares como Lost City produziam metano geoquimicamente e que as formas de vida ancestrais podem ter agregado para si cada uma das etapas químicas, originando o que pode ter sido a primeira trilha bioquímica.

          Nas últimas décadas, pesquisadores desenvolveram técnicas específicas que permitem investigar a história evolucionária de micro-organismos, ao combinar registros geológicos de fósseis químicos, não físicos.

          Fósseis químicos são moléculas rastreáveis até organismos vivos e podem permanecer preservados em rochas durante milhões, até bilhões de anos. A maioria deles deriva de lipídios que constituem as membranas celulares São indicadores confiáveis de vida e podem ser portadores de diagnósticos estruturais dos organismos que os produziram.

          Além disso, o próprio carbono, que forma os lipídios, é informativo por conter como marcador o C-13 que revela como um organismo o extraía de seu meio ambiente.

          No ambiente, o carbono apresenta uma relação aproximada de 98.93 de C-12 para 1.07 de C-13, ou seja, a concentração de C-12 em organismos vivos é maior que a de C-13 pois reações bioquímicas ignoram o C-13 quando há excesso de C-12.

          O carbono nas rochas tem uma relação de 100 C-12 para 1 C-13, o que se aproxima da relação presente no ambiente.

          O C-13 não degrada ao longo do tempo. O carbono existente na maioria dos organismos apresenta entre 1% e 3,5% menos de C-13 que o dióxido de carbono dissolvido na água do mar.

          Segundo o artigo “Scientists Strengthen Case For Life On Earth More Than 3.8 Billion Years Ago”, nas rochas da Groenlândia, a relação se apresentou em mais de 3% de diferença na concentração do C-12, o que indicaria esse carbono ser de origem biológica.

          Portanto, presumiu-se que o carbono contido em rochas antigas, e depauperado nesse percentual de C-13, derivava de organismos vivos. Como consequência dessa norma, o carbono em rochas ancestrais não reduzido de C-13, resultaria de processos abióticos.

          Mas Lost City refuta essa teoria, pois alguns dos lipídios mais abundantes, encontrados nos carbonatos do campo termal, se originam de metanogenos.

          No entanto, esses lipídios não exibem nenhum depauperamento de C-13. Seus conteúdos do elemento são iguais aos que seriam de esperar de materiais que não derivaram de organismos vivos.

          Como se explica isso?

          Através da utilização do C-13 como rastreador de vestígios de vida, com base na suposição de que há mais dióxido de carbono disponível no meio ambiente do que pode ser consumido. Enquanto houver um excedente de CO2, os organismos podem incorporar as moléculas mais leves do C-12, que eles preferem, e ignorar o C-13 mais pesado.

          Se, no entanto, o dióxido de carbono fosse escasso por qualquer razão, os organismos absorveriam do ambiente todas as moléculas de carbono que conseguissem, tanto da variedade mais leve como da mais pesada. E, se isso ocorresse, a relativa abundância de C-13 nos organismos não diferiria da que existe no meio ambiente. O rastreador químico de vida seria invisível.

          É precisamente esse processo que se manifesta nas fontes hidrotermais de Lost City.

          Ao contrário de quase todos os outros ambientes terrestres, onde há sempre disponibilidade de CO2, naquele campo predomina o hidrogênio e o dióxido de carbono é escasso.

          Na prática, isso obriga os organismos que vivem ali a extrair isótopos de carbono indiscriminadamente. O problema da invisibilidade também se aplica ao metano.

          Em geral, esse gás, quando produzido por organismos vivos, apresenta uma depauperação extrema de C-13, em comparação ao metano resultante de reações geoquímicas.

          Mas essa diferença nem sempre aparece nos sistemas de serpentinização. O metano nas águas termais de Lost City não apresenta a reveladora redução de C-13.

          Pesquisadores sabem, por meio de observações, que ele é uma mistura de produtos geológicos e biológicos. Mas isótopos de carbono isolados são incapazes de fazer a distinção.

          Assim, a ausência de depauperamento de C-13 em lipídios de origem metanogênea não evidencia se traços de carbono com relação C-12/C-13 tal como a do ambiente é de origem especificamente abiótica.

          Ainda, os supostos registros fósseis presentes nas rochas da Groenlândia implicam um metabolismo sofisticado, que teria de ter emergido de formas de vida ainda mais antigas”, diz Christopher Fedo.

          Também, revelou-se que este carbono depauperado em C-13 é oriundo de grafita, segundo o estudo “Metasomatic Origin of Quartz-Pyroxene Rock, Akilia, Greenland, and Implications for Earth’s Earliest Life”.

          A rocha de piroxênio-quartzo interpretada como uma formação ferrífera bandada (FFB) da ilha de Akilia, sudoeste da Groenlândia, contem carbono na forma alotrópica de grafite, empobrecido de C-13, o qual tem sido apontada como evidência para a mais antiga forma de vida da Terra.

          Dados geoquímicos possuem características distintas consistentes com uma rocha ígnea ultramáfica, não relacionada a uma formação de protólito para esta litologia e para xistos adjacentes de FFB. A Sílica metasomatica tardia e a introdução de ferro resultou apenas em uma rocha que superficialmente se assemelha a um FFB.

          Esta origem ígnea ultramáfica invalida alegações de que a composição isotópica do carbono de inclusões de grafite representa evidência de vida no momento da cristalização da rocha.

          Ainda, se o caso fosse realmente o de uma forma de vida, os ancestrais desses organismos obrigatoriamente teriam de ter vivido durante o cataclismo lunar, uma hipótese bastante improvável, pois durante essa época qualquer coisa que se aventurasse a viver na terra teria sido vaporizada.

          Nem mesmo a formação de hematita com mais de 2,1 bilhões de anos pode dizer se a vida fazia fotossíntese antes desse período, pois dá para ocorrer reações de formação de hematita com água.

        2. Mesmo que a vida tenha idade tão avançada, estes eram “anos difíceis”. Ainda que com oxigênio na atmosfera, temos de entender que para a maioria dos seres vivos da época ele era altamente tóxico. Assim requereu-se uma adaptação celular para que ele se tornasse algo respirável.

          A mitocôndria soube fazer bem isso, tanto que ela existe em procariontes e eucariontes, pois deve ter sido fagocitada e aprendido a viver em endossimbiose, o que abriu espaço para a complexidade das células eucarióticas e a multicelularidade. Assim, o oxigênio é o responsável pela vida complexa como a conhecemos, pois mais energia representa melhor condição de vida.

          Repetindo, há que se ter em mente que durante o Criogeniano a vida foi quase que apagada da face da Terra. Após este período é que vem o Ediacarano com suas formas de vida em bom nível de complexidade, sendo as precursoras dos animais Cambrianos como aqueles de Burguess Shale.

          Quanto a peixes e tubarões Cícero, eles não são animais cambrianos (540 a 485 milhões de anos atrás), mas se tratam de fauna do Siluriano (440 a 420 milhões de anos).

          Quanto aos olhos Cícero já discutimos isso. Olhos de cefalópodes em nada se assemelham com os nossos, quanto a sua estrutura bioquímica, a qual é semelhante aos olhos de protostomia (artrópodes, moluscos, vermes). Estes olhos em câmara, se comparados com os olhos de deutesrostomia.

          São mero caso de evolução convergente, como tantos outros (baleias, tubarões e ictiossauros; insetos, pterossauros, aves e morcegos; tilacíneo e lobo; basilisco verde, dimetrodonte, edafosauro e peixe vela; leite da Tsé Tsé e leite de mamíferos; desenvolvimento interno de fetos em mamíferos, tubarões, escorpiões, certas baratas e certas serpentes; dentre tantos outros).

          Atente ainda que caso queiramos saber a origem dos olhos eles têm sua raiz nos sistemas fotoquímicos de bactérias, passando por sistemas fotoquímicos de protozoários, celenterados, vermes, ocelos e formações de olhos tipo compostos ou olhos tipo câmara.

          Assim, olhos como qualquer outro órgão, não apareceram do nada, eles têm sua origem desde as células.

          Outros exemplos: aparelho digestivo e aparelho excretor tem sua raiz na digestão celular, como aparelho respiratório tem sua raiz na respiração celular.

          Não há nada de extraordinário nisso se vc estudar anatomia comparada.

          Mais uma vez: aumento de informação genética se dá pela duplicação de genes, sendo que estes se denominam genes parálogos e, quando ocorre um evento de especiação, temos os genes ortólogos.

          Cópias de genes parálogos são utilizadas para o estudo de eventos de duplicação gênica em famílias ou superfamílias de genes.

          Cópias de genes ortólogos são utilizadas para a reconstrução filogenética de grupos taxonômicos. Esses genes podem se ativar ou desativar conforme mecanismos de regulação gênica, causados por genes homeobox, numa reação em cadeia o que gera estruturas diferenciadas como pernas, asas, órgãos, etc..

          Já um tipo especial de gene homeobox, denominados genes hox são os responsáveis pela formação do eixo corporal, determinando onde estarão as pernas, as asas e demais segmentos de um copo, seja numa larva ou num feto.

          Se duplicados, podem dar origem a novos segmentos de um corpo que é o que vemos em animais segmentados como minhocas, miriapodes, insetos e poliquetos.

          Quanto á especiação vc disse o óbvio Cicero: ela se dá por recombinação gênica e não só isso: por seleção também, desde que, uma população seja submetida ao isolamento geográfico ou a pressões seletivas, caso em que ela pode ser levada a se transformar em novas espécies.

          Uma nova espécie surge quando dois indivíduos não se reconhecem como parceiros sexuais ou, caso se reconheçam, não haverá descendência, ou esta será estéril ou inviável.

          Exs mais claros: salamandra ensatina e rana pipiens e claro, os famosos tentilhões, rinoceronte branco, rinoceronte negro, urso panda – herbívoro com estômago de carnívoro e demais ursos – onívoros.

          Quanto às suas considerações sobre fé transformista, crença darwinista, ideologia darwinista dentre outras bobagens, consideradas com “mantras criacionistas”, como já lhe disse, e repito, vc somente revela um conhecimento péssimo acerca da teoria evolutiva e de qualquer ciência natural.

          Pudera, só lê porcaria e quando lê algo bom distorce em busca de respaldar seu ideário religioso e sua incredulidade pessoal.

          Já lhe falei uma vez, vc comprovou e volto a repetir: no que se refere às ciencias naturais, vc não sabe o básico. Não dá para vc discutir coisas avançadas sem esse básico e só com artiguinhos da internet.

          Por isso vc faz essa tremenda lambança conceitual e fala um monte de coisas “nonsense”.

          (matéria dada é matéria estudada!!!! Não erre mais e nem insista nos erros!!!)

          Referências bibliográficas:

          Biologia celular e Molecular – Junqueira;

          Fundamentos de sistemática filogenética – Dalton Amorim;

          Specialization, Speciation and radiation – The evolutionary biology of insects – Tilmon;

          Biogeografia – Cox e Moore;

          O olho: Uma história natural da visão – Simon Ings;

          Anatomia vegetal – Cutler et al;

          Quimica – Quagliano e Vallarino;

          Fundamentos de Fisico Química – Castelan;

          Microbiologia – Trabulsi e Altherthum;

          Princípios de Genética de populações – Hartl e Clark;

          Biologia Marinha – Castro e Huber;

          Embriologia Comprada – Romário Mello;

          Genética Clásica e Molecular Bresch e Hausmann;

          Células e estrutura Celular Holtzman e Novikoff;

          Citologia, Histologia e embriologia Junqueira e Carneiro;

          Os invertebrados: uma síntese – Barnes et al.

          The emergence of life – Pier Luigi Luisi;

          Ligação química – Companion;

          Por que ocorrem as reações químicas – Campbell;

          Cinética Química Albuquerque e Gonçalves;

          Química Geral – Russell;

          Fundamentos de química orgânica – Moura Campos.

          Sciam Brasil – As raízes mais profundas da vida.

          Para desaprender o que vc sabe: A caixa preta de Darwin – Behe.

          Se achar que tudo está errado Cícero escreva para estes autores e apresente as suas teses. Quem sabe eles lhe darão ouvidos se vc tiver evidências cabais de seus “criadores fantásticos” e de seus “processos inteligentes”.

          As discussões que vc trava Cícero são apenas “armações retóricas” (por sinal uma retórica bem fraquinha), para confundir leigos, mais nada além disso.

          Obs, onde se lê 107 pa Leia-se 10^7 Pa

          1. Por essas e outras é que esse povo acredita em criacionismo e seres mágicos. Dá pra imaginar esse povinho entendo isso de química, bioquímica, etc?
            Entre estudar isso e acreditar em magia eles ficam com o mais fácil…

        3. quem é vocÊ ricardo para subestimar a inteligÊncia e SABEDORIA do “povinho”, queria ver a quem recorreria numa doença grave, ou duvidar dos milagres confirmados pela medicina?

    2. Já sei… já sei… o Cícero daqui a pouco vai vir com essa: “Deus disse: “Produza a terra seres vivos segundo a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selvagens, segundo a sua espécie.” E assim se fez.” Gênesis 1:24… rsrsrskkkkkkhahahahahehehehe…. espera pra ver…. kkkk.

    3. Post Correto:

      Cícero, vou contar uma historinha a vc que se passou há muito muito tempo, numa época muito muito distante, quando o homem ainda nao andava sobre a Terra e os deuses ainda não tinham sido inventados (ao menos por aqui, para quem acredita em ets).

      Bactérias são muito diferentes umas das outras mais até que vc e um pé de laranja ou um caracol (neste caso, vc está anos luz mais perto deles, que dois extremófilos entre si).

      A origem da vida não se deu no Cambriano (540 a 485 mi de anos), mas muito, muito antes dele, no Arqueano, entre 3,8 a 2,5 bi de anos atrás).

      O advento da fotossíntese se deu nessa época, com as cianobactérias, as quais deixaram seus vestígios por aqui na forma de estromatólitos (na Australia tem uma praia só deles, é a coisa mais linda vê-la ao vivo). Isso se deu no mesoarqueano (entre 1,6 a 1 bi de anos atrás).

      Com isso a vida em terra e nos mares mudou muito. O oxigênio foi um dos maiores assassinos da natureza. Oxidou o ferro presente nos mares (antes o mar era verde e hoje dá um reflexo azul, sendo a água transparente) e criou a atmosfera propícia à reações de oxidação nos organismos.

      Por que deu certo respirar O2?

      As reações quimiossintetizantes possuem um rendimento muito menor que as fotossintetizantes e que as heterotróficas oxidantes. Tudo é uma questão de cinética química e de termodinâmica.

      O advento do oxigênio livre na atmosfera foi o primeiro passo para a vida multicelular, a qual se originou no Paleoproterozóico (entre 2,5 e 1,6 bi de anos atrás).

      É este o período em que os eucariontes marcam presença no planeta. Ao que parece foi uma união entre archeae e bactéria (esta fagocitou aquela e passara a viver em simbiose).

      A evidência disso é que nossos genes são mais próximos de archeae e que a membrana dupla que envolve o núcleo é porosa.

      Ainda temos as mitocôndrias que fazem a respiração celular e os plastos que fazem a fotossíntese. Ambos eram bactérias independentes. A evidência disso é que ambos possuem DNA, sendo que as mitocôndrias passaram a fazer parte das células antes dos plastos.

      Dessa forma, o advento do oxigênio livre na atmosfera foi o primeiro passo para a vida multicelular, a qual se originou no Paleoproterozóico (entre 2,5 e 1,6 bi de anos atrás).

      Qual a vantagem de ser eucarionte?

      Essa vantagem reside no fato de conservar o DNA protegido e organizado, bem como ter membranas internas que auxiliam no metabolismo celular, muito maior para os eucariontes.

      É esse metabolismo elevado que permitiu as células eucariontes crescerem e, no mundo microscópico, quem é grande está na vantagem; preda bem mais do que é predado.

      Ao crescer, o volume de uma célula aumenta bem mais que sua área, o que obriga a célula a fazer mais trocas com o meio para se manter viva. Isso aumenta seu metabolismo.

      Porém a célula não pode contar com a eficácia de suas trocas com o meio, pois neste os recursos podem rarear, bem como com a célula acima de um tamanho crítico, a eficácia em suas trocas com o meio caem.

      Assim, ou o organismo reduz seu metabolismo ou então parte para a multicelularidade.

      Assim, muitos protozoários partiram para uma vida em colônia, sendo que quando a união se dá entre seres da mesma espécie ocorre o agregado colonial (ex. clamidomonas, volvox e eudora elegans).

      Ao se estabelecerem em colônias, as células partem para a diferenciação o que ocorre devido à regulação genética (relação entre transcrito gênico e sua proteína respectiva).

      Determinados genes podem mutar e assim ativar ou desligar sequências, o que os torna diferentes e os permite fazer com que uma célula haja de forma diferente, dependendo de sua posição dentro da colônia. É a especialização celular ou formação de tecidos diferenciados (ex. raiz, caule, folhas, flores e frutos – em plantas; esqueleto, sangue, nervos, músculo liso, músculo estriado, epitélio, etc. – em animais).

      Assim, para a formação de multicelularidade a ordem é a seguinte:

      agregado -> esfera oca -> células se especializam para a reprodução -> invaginações para formar tecidos.

      Esse procedimento até hoje é repetido pelos organismos eucariontes multicelulares (não existem procariontes multicelulares!!! Salvo algumas colônias de cianobactérias).

      Maior evidência disso: a embriologia, na qual as células em estado de gastrulação começam a agir diferente e a formar tecidos diferenciados.

      Quanto aos animais, as esponjas são animais multicelulares bem simples, cuja diferenciação celular é bem pequena e as cianobactérias que embora procariontes, formam colônias de células com pouquíssimas especializações, como células fixadoras de nitrogênio e células fotossintéticas.

      Quando ocorrer a interdependência funcional entre as células temos a multicelularidade, como ocorre com as clorofíceas de onde vieram as plantas terrestres.

      E, voltamos a repetir, foi a multicelularidade que permitiu os mecanismos regulatórios para a diferenciação celular.

      E, com a diferenciação celular, o metabolismo das células pode se adaptar ao meio em que o organismo vivia, sendo que os genes poderiam tranquilamente mutar, fundir-se ou separar-se gerando formas cada vez melhor adaptadas ao seu respectivo meio.

      Isso abriu espaço para que seres maiores pudessem sobreviver, ou seja, trocar energia de forma bem mais eficiente e eficaz com o meio externo, pois surgiram células ou órgãos especializados na realização dessas trocas, aproveitando bem mais a energia.

      Dessa forma, os seres vivos se tornaram bem menos sujeitos aos humores do ambiente, sendo que mecanismos de homeostase auxiliaram o meio interno para a devida manutenção da vida.

      As células não pararam por ai. Por meio da seleção natural (ocorrendo dia a dia ainda que o ambiente esteja em estase) ou saltacionismo (em fases de estresse ambiental intenso), novas especializações foram aparecendo e se adaptando, cada vez mais aos meios oferecidos pelo planeta, o que levou a vida na Terra à imensa variedade de formas de ontem, de hoje e provavelmente do futuro.

      Hoje pela biologia molecular estamos começando a entender como funcionam os mecanismos evolutivos, pois eles estão presentes em todas as populações de uma determinada espécie. É por meio dos estudos de genética populacional, associado à genética, à teoria evolutiva, à paleontologia e à bioquímica que tem se elucidado os mistérios da vida.

      No Proterozoico entre 2,5 bilhões e 542 milhões de anos, mais especificamente no Criogeniano (entre 860 a 635 milhões de anos) é que temos a presença marcante da multicelularidade com as esponjas.

      Anteriormente no Toniano vemos organismos unicelulares como os acritarca, com 1,8 bilhões de anos.

      No Ediacarano, 635 e 542 milhões de anos atrás, é que os multicelulares se firmam sobre o planeta. Já apresentando tecidos diferenciados, aparentando-se como vermes segmentados, discos ou imobilizados.

      Essa fauna em quase nada se assemelha a atual, e mesmo se comparada com aquela do Cambriano, é difícil de ser interpretada. Todavia o que temos aqui são animais que tiveram sua própria explosão, após o Criogeniano.

      Por que aconteceu esta explosão de vida?
      Após o Criogeniano, o mundo mudou. Começou uma era de aquecimento global devido a intenso vulcanismo e os oceanos antes sobre uma capa de gelo derreteram amenizando o clima e permitindo que a vida se irradiasse e ocupasse novos ambientes, outrora restritos a fumarolas ou próximos a algum ponto quente.

      Isso deu azo a uma especiação e a uma explosão de vida em que alguns multicelulares do Criogeniano se irradiaram nas espécies que ocuparam o mundo Ediacarano. Uma vez que a vida parece ter sido dizimada, as populações da fauna de Ediacara se constituíram de poucos indivíduos via efeito fundador, propiciando o aumento do tamanho e da complexidade dos seres vivos.

      Aqui estava pavimentada a estrada que levaria à explosão cambriana, entre 541 a 485 milhões de anos. É aqui que encontramos a famosa fauna de Burgess Shale e Warrawoona. Esta fauna apareceu muito rapidamente, conforme explicado pela teoria do equilíbrio pontuado, ou seja, as espécies apresentaram uma evolução muito rápida.

      Assim, não há qualquer “elefante branco” para explicar a explosão cambriana. A vida já existia bem antes disso, quase pereceu durante o Criogeniano, mas se segurou. Dessa forma, conforme o acima explicado, havia vida antes do Cambriano, e há registros fósseis que demonstram este fato.
      Teoria evolutiva não é só seleção natural. É especiação, é equilíbrio pontuado, é genética populacional e biologia molecular e muitas outras disciplinas da biologia, menos acaso cego.

      Vale a pena, em vez de se prender a bobagens de criacionistas, ler material sério. Isso faria vc aprender alguma coisa e assim, vc evitaria ficar repetindo os “mantras do criacionismo” ad infinitum e tentando provar que sua fé, fundada em sua incredulidade pessoal contra tudo que se oponha às suas ideologias, é algo real e que mereça crédito científico.

      Design inteligente e criacionismo são falhos em suas explicações, pois se fundam na idéia negativa, o que os torna argumento da ignorância, aliado ao argumento da preguiça, reforçados pela incredulidade pessoal. Ambos não constroem seu arcabouço de evidências, mas se assentam em supostas lacunas do conhecimento.
      Ambos são opostos à metodologia científica, pois violam o método científico e a navalha de Occam, uma vez que criam entidades para responder um problema, chutando-o para tais entidades, que é o mesmo que não explicar nada.

      Sem falar ainda que ambos são violação de regra constitucional, no que se refere à liberdade de crença religiosa (pois querem enfiar mitos cristãos travestidos de ciência nas salas de aulas, sem respeitar demais mitos religiosos) e ao ensino com qualidade (pois ensinam tudo errado e distorcido) e, em muitos casos, podem se subsumir à prática criminosa que é o caso de estelionato, pois muitos criacionistas buscam auferir vantagem ludibriando jovens, crianças e pessoas menos intelectualizadas.

      Assim, o criacionismo deve ficar restrito às aulas de religião e não à sala de aula do ensino formal.

      Quanto ao DI ainda é mais desonesto que o criacionismo, pois vale-se de jargão científico, porém sem o menor sentido, do ponto de vista científico e lógico. Nem deve se tocar nesse assunto, pois é fazer com que os alunos desaprendam ou pior; que aprendam errado.

      Bem, contei para vc a história de 3,2 bilhões de anos de vida na Terra em algumas linhas e expliquei por que criacionismo e DI não são nada além de retórica vazia. Creio que essas singelas linhas jogaram água sobre seu “elefante branco” e o tornaram um “elefante cinza”, como qualquer outro elefante.

      Lembre-se matéria dada é matéria estudada!!!

      Para maiores detalhes acerca de material sério de modo a entender entre 3,8 e 0,5 bilhões de anos atrás, além de conceitos sobre teoria evolutiva consultar:

      Wonderful life de Stephen J. Gold.

      O que é evolução de Ernst Mayr.

      Trilobite de Richard Fortey;

      The cambrian Explosion de Douglas Erwin e James valentine;

      A sea without fish de David Meyer e Richard Davis;

      The rise of animals de Mikhail Fedonkin et al.;

      Life de Richard Fortey;

      Horseshoe crabs and velvet worms de Richard Fortey;

      A escalada do monte improvável de Richard Dawkins;

      Oxygen the molecule that made the world de Nick Lane;

      Out of thin air de Peter Ward;

      Biologia Molecular de Cox, Doudna e O’Donel;

      First Life de David Deamer;

      Biologia Vegetal – de Raven et al.

      O maior espetáculo da Terra – Richard Dawkins;

      A grande história da evolução – Richard Dawkins;

      Paleontologia do Carvalho;

      Why evolution is true de Jerry Coyne;

      DNA recombinante – Genes e Genomas James Watson et al.;

      5 Reinos de Margulis e Schwartz;

      Tratado de botânica de Strasburguer de Brezinsky et al.;

      The three failures of creationism – Logic Rethoric and Science de Walter Fitch.

      Qualquer dúvida Cicero consulte a bibliografia recomendada acima.

        1. Elyson,
          A sua carta de base do seu castelo, já entrou doente e debilitada. Como vc mesmo admite:

          “O oxigênio foi um dos maiores assassinos da natureza. Oxidou o ferro presente nos mares (antes o mar era verde e hoje dá um reflexo azul, sendo a água transparente) e criou a atmosfera propícia à reações de oxidação nos organismos.”

          Sim, a presença de oxigênio molecular impede as reações químicas das quais os modelos Urey-Miller dependeriam, oxidando e destruindo as diversas reações necessárias tanto para os unicelulares como posteriomente para formação dos multicelulares.
          E não temos como determinar exatamente a quantidade de oxigênio naquela atmosfera primitiva hostil, muito menos a camada de ozônio (nosso escudo). A radiação ultravioleta e a radiação cósmica seriam graves fatores impeditivos das reações químicas vitais à formação de vida.

          “Mesmo sob condições químicas ideais, com todas as moléculas pré-bióticas necessárias e a ausência total de moléculas contaminadoras, esta forma ‘mais simples’ de vida não teria condições de se agrupar sozinha, nem mesmo dentro do tempo da existência do universo!” – Collin Patterson. Evolution, 2a. ed., Ithaca, NY: Cornell University Press, 1999, p. 22-23.

          Ainda assim, mesmo considerando a ausência de registros fósseis pré-cambriano e os intermediários; assume-se a evolução a priori; numa resposta circular dogmática em defesa do mito em suas inúmeras etapas desde bactérias até árvores, elefantes, baleias, homens! num perfeito transformismo, sincronismo e MÁGICA cfe. seu discurso já ad nauseam.

          Ora, para formação de organismos complexos multicelulares exige-se um aumento e organização na informação genética da forma de vida.
          Mas segundo o que a ciência tem mostrado, tais processos e informações deixados ao léu por forças não intencionais, não dirigidas, não inteligentes tendem a dissipar-se e desordenarem-se cfe. a aplicação da 2ª Lei da Termodinâmica. O caos seria a regra e não a evolução/ordem/melhoramento/adaptação.

          Na verdade, o abrupto surgimento de mais de 20 tipos de planos corporais fortemente diferenciados e intricados sem precursores, desafia qualquer explicação naturalista, não importa quão rápida tenha ocorrida na era Cambriana.

          O primeiro trilobita é totalmente trilobita. O primeiro anomalocaris é totalmente anomalocaris. Nenhum biólogo sério afirmaria que um micróbio dividiu-se para gerar um trilobita.
          Contudo, num tempo relativamente rápido para os padrões evolutivos, em 300 milhões de anos seres unicelulares invisíveis ao olho nu, passaram a seres macroscópicos gigantescos como criaturas marinhas, os cefalópodes.

          Mas se tens tanta convicção e certeza de tua verdade, de tua interpretação, de tua crença, de tua ideologia transformista, então envie sua explicação para o autor PhD deste livro que expõe brilhantemente as insolúveis falácias do dogma explosivo Cambriano entre outros temas.
          http://www.amazon.com/dp/0062071475/ref=rdr_ext_sb_ti_hist_1

          O elefante branco está evoluindo para uma baleia branca! (a propósito, a religião darwinista prega isso mesmo! animais terrestres viram baleias! :-D).

          1. Então tá. Deixa eu ver se entendi. Deus trabalhou para criar umas bactérias que jamais poderiam adorá-lo. Aí, bilhões de anos depois, ele ficou de saco cheio, voltou à Terra, e criou a explosão do Cambriano. E aí deixou na mão do relojoeiro cego (apelido carinhoso do Dawkins para a evolução) por 540 milhões de anos, em meio a colisões periódicas de asteroides, até produzir criaturas à sua imagem e semelhança que pudessem adorá-lo. É isso? Essa é a hipótese mais provável?

          2. Cícero, não vou discutir com vc. Não estou disposto a repetir “n” vezes a mesma coisa para vc vir “n+1 ” vezes com seu rol de besteiras.

            Isso foi extraído de bibliografia condizente com o tema e não de retórica vazia, ignorância e desonestidade intelectual, como é o seu costume.

            Se acha que o que eu escrevi é tudo idiotice, envie cartas ou e-mails aos autores dos livros e diga a eles que estão errados. OK.

            Sugestão Cícero: use sua indicação bibliografica como papel higiênico ou, na melhor das hipóteses, como apoio para mesa capenga.

            O autor nem de perto é um cientista da área de biologia e sim um proponente do DI, embora tenha formação em física e geologia e PhD em filosofia da ciência.

            Portanto, Stephen Meyer não é autoridade para falar de biologia e assemelhados.

            No mais, de onde ele tira as ideias dele? Elas são calcadas em trabalhos cieníficos com peer reviwed ?

            Livro Cícero qq um escreve. Eu mesmo posso escrever um de arte deco ou de literatura modernista (assuntos que sou um verdadeiro zero à esquerda) contestando tudo o que os bam bam bams dizem. Será um show de idiotice. Agora transfira isso para Meyer.

            Já tive o desprazer de ler um livro dele para comentar as falácias do cara com meus ex-alunos. Foi a “Sessão comédia” na sala de aula…

            Até o subs. do reitor veio ver o que era e entrou na dança (o cara era um biólogo e bioquímico). Acabou se empolgando e falou sobre biologia e bioquímica.

            Quanto ao seu quote mining de Collin Paterson (claro, é só jogar o nome do cara que aparece a site Nomenklatura… o especialista em desonestidade intelectual), aqui ninguém está falando de experimento de Urey-Miller, mas de vida propriamente dita. Portanto sua citação é fora de contexto.

            Putz Cícero de novo entropia!!! vc não aprende mesmo ein!? É sempre a mesma baboseira… Esse assunto já é matéria dada.

            Mais uma vez: Entropia e evolução não tem nada a ver uma coisa com outra. Entropia se aplica a sistemas fechados ou isolados. A vida é sistema aberto.

            Qq sistema aberto ludibria a entropia e pode surgir organização a partir da desorganização. Basta fornecer energia.

            Assim, dando energia para um ser vivo ele vive, cresce, se reproduz, envelhece e morre. A espécie pode tranquilamente evoluir, mutar saltacionar e se especiar. Sem falar que nem toda mutação é corrigida pelo DNA, conforme já foi discutido.

            Segundo o Professor Philip Awadalla em “Variation in genome-wide mutation rates within and between human families”, seu estudo revelou que cada um de nós recebe cerca de 60 novas mutações em nosso genoma a partir de nossos pais. Isso em 1 geração que deve dar uns 20 anos.

            Extrapole isso para 7 milhões de anos supondo a taxa de acumulo de mutações iguais e o prazo de uma geração 20 anos (um compensa o outro, pois com 20 anos uma pessoa da idade média poderia ser considerada um senhor e a taxa de mutação pode variar para mais ou para menos). Isso daria 21 milhões mutações.

            Mais uma resenha de artigo:

            “O Projeto Genoma Humano constatou a presença de aproximadamente 20-25 mil genes, que geram cerca de 400 mil proteínas. A razão para existirem mais proteínas do que genes deve-se principalmente ao fato de que, nos eucariotos (células com núcleo), ocorre a editoração do RNA, chamada splicing (ver ‘A leitura do DNA: como é processada a informação dos genes’ em Ciência Hoje nº 171). Isso quer dizer que a partir de um mesmo trecho do DNA podem ser transcritos vários RNAs diferentes. Como isso acontece?

            Imagine que um determinado DNA é transcrito e o RNA resultante é clivado, isto é, cortado, em pontos específicos. Isso ocorre graças a um sistema complexo de controle que ainda não está completamente esclarecido. É bom lembrar também que nem todo gene passa por esse processo.

            Alguns dos trechos cortados do RNA são eliminados (os introns) e os fragmentos restantes (os exons) são unidos, formando um RNA mensageiro. Esse RNA mensageiro é então traduzido, gerando uma proteína, digamos, a proteína A. Por outro lado, o mesmo RNA primário transcrito do mesmo trecho de DNA pode ser clivado em pontos diferentes, produzindo assim um RNA mensageiro com uma seqüência distinta da do primeiro e, conseqüentemente, uma proteína B, também diferente.

            Desse modo, dependendo da posição das clivagens no RNA primário (transcrito primário), o mesmo trecho de DNA pode gerar proteínas diferentes. Esse processo é análogo à edição de fitas de vídeo ou de áudio. Dependendo do editor, as imagens ou o som resultantes dos cortes e das junções serão diferentes.”

            Ou seja, dá para mudar muito com o tempo, ainda que a atual variação humana seja pequena, pois passamos por um efeito gargalo quando o monte Toba explodiu (entre 70 e 75 mil anos atrás).

            Agora, vamos reforçar sua aulinha de entropia e refrescar sua memória:

            Sei que falar sobre entropia para crias que insistem em errar é o meu Karma…

            Sisitema aberto é o que troca massa e energia com o meio;

            Sistema fechado é aquele que não troca nada com o meio externo;

            Sistema isolado apenas troca energia com o meio;

            Se vc é um sistema aberto, vc “ludibria” a entropia, uma vez que o fato de vc comer, reduz a sua entropia e vc cresce, se desenvolve, fala besteira e vive.

            Ou seja, fornecemos energia para vc viver (fique sem comer uma semana e chegará perto da morte… ai entenderá o sentido da entropia).

            Se vc fosse um sistema fechado, vc se degradaria exatamente como manda a segunda lei, ou seja, de forma espontânea, sendo dS > 0 onde dS é a entropia do meio e de suas vizinhanças (ex. expansão livre dos gases e resfriamento de um corpo).

            Assim, entropia diz respeito à reversibilidade de uma transformação. Ex. um corpo com uma temperatura mais baixa não transmitirá calor a um com temperatura mais alta, espontaneamente, o que seria a inversão do processo de transmissão de calor.

            Ex se eu quiser que minha geladeira resfrie os alimentos, o que não é um processo espontâneo, forneço a ela energia, ligando-a na tomada. Com isso reduzo a entropia dentro da geladeira. Mas se considerarmos, grosso modo: a hidrelétrica, as linhas de transmissão e os atritos do motor, há muita perda de energia no sistema, a qual se transforma em calor, energia sonora e outras formas de energia não aproveitáveis. Isso é o aumento de entropia entre o sistema geladeira e sua vizinhança.

            Ex uma planta; dê a ela: água, um solo onde se fixar e extrair nutrientes, CO2 e luz solar. Uma semente vira uma árvore, contrariando a lei da entropia, pois transformará CO2 e água em açúcar e O2, o qual, heterótrofos como vc e uma barata usarão para converter carboidrato em energia e CO2, sejam plantas ou animais, ambos ludibriarão a entropia, ainda que temporariamente.

            Entretanto, mesmo vc sendo um sistema aberto, sua guerra contra a entropia está perdida, pois seu corpo está se degradando (sua mente já dá sinais disso…). Ou seja, vc vai morrer e será desagregado por completo.

            Só o fato de vc viver, vc perde muita energia para o meio, principalmente calor. Isso é a entropia entre o sistema Rubens e sua vizinhança.

            Ou seja, o seu processo de viver não é reversível, como nada o é na natureza. Essa reversibilidade pode temporariamente ser conduzida com o fornecimento de energia. Ex se vc emagrecer 5Kg, vc transformou gordura em energia para correr na esteira e calor para se manter aquecido.

            Se eu lhe der um saco de bombons, uma feijoada e uma pizza de 5 queijos, vc pode recuperar essa massa perdida em alguns dias. Ou seja, a custa de energia, recuperei o que vc degradou em calor e energia para correr na esteira. Houve uma reversibilidade de sua condição.

            Mesmo que vc vença batalhas contra a entropia (reduzindo-a dentro de vc e construindo seu corpo) ao longo de sua vida, se fizermos o balanço entre vc e as fronteiras do sistema externo, o saldo da entropia sempre será maior que zero. Jamais qq sistema, quando consideradas suas fronteiras, violará a segunda lei.

            Quer aprofundar a gente aprofunda:

            Entropia, de acordo com sua concepção, Cícero, é apenas desordem, conceito esse digno de leigos. Mas o que é essa desordem?

            Na verdade ela se refere a uma função de estado, relação entre duas ou mais variáveis de estado (massa, quantidade de matéria, temperatura, energia interna, entalpia) que definem o estado de um sistema termodinâmico. Elas não dependem do processo. Por essa razão interpreta-se a entropia, ainda que para os ciclos irreversíveis, como uma integral de linha. 0>S=∮〖dQ/T〗.

            Um estado de um sistema é descrito por um conjunto específico de valores de suas variáveis de estado. A definição de “estado” do sistema – e mesmo das variáveis de estado – assume em princípio o sistema em equilíbrio termodinâmico (equilíbrio térmico).

            Também existe a concepção molecular de entropia, ou seja, aquela de que um átomo ou molécula somente pode possuir certos valores de energia, denominados níveis de energia, como ocorre se aquecemos alguma coisa. As moléculas dessa coisa ocuparão níveis de eenrgia conforme a temperatura aumenta.

            Não dá para saber o estado de energia de cada molécula; assim, falamos de população de moléculas em determinado estado. Se considerarmos T = 0K, somente o estado mais baixo encontra-se ocuipado pelas moléculas.

            À medida que aquecemos um sistema, as moléculas passam a ocupar níveis de energia mais alto, o que torna mais e mais estados acessíveis a serem ocupados. Ou seja, havera maior população em determinado estado que em outro.

            Caso atinjamos uma temperastura tendente ao infinito, o número de estados ocupados tenderá também ao infinito, o que é dado pela equação de Boltzmann:

            S= k*ln(W),

            onde W é o número de microestados, maneiras com pelas quais as moléculas de um sistema podem ser distribuídas mantendo-se constante a energia total. Esta formula é conhecida como entropia estatística.

            O conceito de microestados torna quantitativo os conceitos qualitativos mal definidos de desordem e de dispersão de matéria e energia, utilizados para introduzir o conceito de entropia.

            Quanto maior o número de microestados ocupados pela matéria e pela energia (faces opostas de uma mesma moeda), maior a entropia. Esse é o conceito de desordem.

            Resumindo, ALUNINHO, entropia trata da reversibilidade ou não de processos, o que se denomina “flecha do tempo”, ou seja aquele processo que leva ao aumento da entropia total, considerando o sistema mais a sua vizinhança é o que ocorrerá de forma espontânea (sem fornecimento de energia) na natureza.

            Quanto à desordem, se trata do número de micorestados ocupados pela matéria e pela energia que mantém constante, a energia total do sistema. É como podemos distribuir a população de átomos ou moléculas em níveis de energia, ou estados da matéria.

            Logo, um ser vivo, se considerado ele apenas, sofre uma diminuição da entropia.

            Entretanto, o sistema ser vivo + vizinhanças sofre um aumento líquido da entropia, sendo que este sistema considerado jamais estará em equilíbrio. Isso quer dizer que jamais poderemos definir a variação da entropia para um sistema que não esteja em equilíbrio.

            Isso vale inclusive para as origens da vida, uma vez que não temos estado inicial ou final de equilíbrio, o que não nos permite dizer nada sobre a variação de entropia desse sistema.

            Logo, a termodinâmica comum de equilíbrio nada dirá diretamente acerca de processos em sistemas vivos, para o qual se aplica a termodinâmica irreversível.

            Na termodinâmica irreversível nos valemos do postulado do equilíbrio local, ou seja, divide-se um sistema em células tão pequenas que cada uma corresponda a um dado ponto no sistema, mas tão grandes que cada uma contenha milhares de moléculas.

            Ou seja, se tomarmos a pressão e a temperatura no sistema original de não equilíbrio, como sendo igual a estes mesmos valores na célula correspondente, quando esta atinge o equilíbrio no tempo t + dt, especificamos sua pressão e temperatura, neste tempo.

            Assim, todas as funções definidas para o estado de equilíbrio local, são idênticas às relações entre as funções ordinárias de equilíbrio, de modo que todas as relações entre as funções de estado que foram deduzidas para os estados de equilíbrio também sejam válidas para as funções definidas para os estados de não equilíbrio.

            Uma conseqüência disso é que se pode aplicar a equação de Gibbs a cada célula do sistema.

            Agora passemos as energias de Helmholtz e de Gibbs, que são as duas mais importantes conclusões da termodinâmica para a química:

            Ao ocorrer uma mudança de estado no sistema, e há troca de calor entre entre ele e as vizinhanças, a desigualdade de Clausius diz: dS ≥ dQ/T.

            Essa desigualdade assume duas maneiras: a volume constante (dH≤TdS) e a pressão constante (dU≤TdS).

            Ou seja:

            A energia de Helmholtz é dada por: dA = dU – TdS. Isto é quanto menor dA, maior dS. E essa energia é a função trabalho máximo de um processo, ou seja, nem toda energia interna está disponivel para se transformar em trabalho.

            Logo, para a transformação ser espontânea, parte da energia deve escapar do sistema, na forma de calor, para a vizinhança e assim gerar suficiente entropia nesta vizinhança, a fim de compensar a redução de entropia no sistema.

            Portanto, o processo natural se dá a custa de uma parte da energia que não se transforma em trabalho, a qual é a energia de Helmholtz.

            Assim, a transformação de um sistema a temperatura e volume constante é espontânea se dA ≤ 0.

            Ou seja, haverá espontaneidade numa transformação se a energia de Helmholtz diminuir. Assim, os sistemas se transformam espntaneamente mediante processos que os levem a um “A” mais baixo, que quer dizer que o sistema evolui pára estados de entropia total (sistema + vizinhança) mais elevada.

            Logo, dS é a variação da entropia do sistema e -dU/T é a variação da entropia na vizinhança, sendo que o total de ambas tenderá a um máximo, que é o máximo trabalho associado a um processo.

            Esse trabalho é a energia transferida para a vizinhança em um movimento uniforme de átomos.

            Assim: U é a energia interna total do sistema e TS é a energia de movimento térmico, que não pode ser usada para se conseguir movimento uniforme e organizado nas vizinhanças, o que implica em dizer que somente A será a energia convertida em trabalho.

            Para sistemas não isolados, a energia pode fluir como calor quando o trabalho é realizado. Caso a entropia do sistema aumente, é possível que a entropia da vizinhança se reduza e o processo seja espontâneo, uma vez que a entropia global aumenta.

            Isso quer dizer que uma certa quantidade de calor pode abandonar a vizinhança e entrar no sistema, contribuindo para o trabalho que está sendo gerado. Portanto, o processo natural se faz à custa de energia captada do meio.

            A energia de Gibbs é dada por dG = dH – TdS. Assim, as reações químicas são espontâneas no sentido da diminuição da energia de Gibbs, que é a energia total disponível para executar trabalho útil ou transformar reagentes em produtos.

            Quando ocorrem reações endotérmicas espontâneas, dH aumenta, levando o sistema a um estado de entalpia mais elevada. Isso quer dizer que a entropia do sistema aumenta o suficiente para que TdS supere em módulo dH.

            Assim, as reações endotérmicas elevam a entropia do sistema, que supera a redução de entropia da vizinhança, fazendo entrar calor no sistema.

            Assim, dH é a energia liberada pela reação e Tds é a energia gasta para organizar as moléculas finais da reação, sendo dG o saldo de energia aproveitável, máxima energia liberada pelo sistema em forma de trabalho útil.

            Dessa forma, quando dG > 0, podemos acoplar outras reações, exatamente como ocorre em organismos vivos, de forma a fazerem um ovo a partir de alimentos ou mesmo de produzirem tecidos para construir um corpo, sendo o somatório da energia de Gibbs dessas reações dG 0 de determinada reação, se somado aos demais dG de outras obtivesse um resultado dG < 0 o que nos leva a um acoplamento de reações espontâneo, o que sem dúvida permite uma origem química para a vida.

            Em resumo, processos acerca de uma origem química da vida são muito plausíveis em termos termodinâmicos, enquanto que evolução das espécies e entropia são conceitos NADA A VER UM COM O OUTRO, mas tudo a ver quando se trata de um organismo considerado como vida simplesmente poder viver.

            O restante, por amor à brevidade leia aqui:

            http://cienciaxreligiao.blogspot.com.br/2010/07/explicando-o-universo-parte-vii.html

            Olha Cícero, não erre mais. Não use mais esse argumento da entropia, pois esse nem mais os crias de 5a categoria tem usado. E, esqueça aquela besteira de "entropia genética" a nova "coqueluche" dos criacionistas… NÃO INSISTA MAIS EM ERRAR!!! OK!?

            [Mas segundo o que a ciência tem mostrado, tais processos e informações deixados ao léu por forças não intencionais, não dirigidas, não inteligentes tendem a dissipar-se e desordenarem-se cfe. a aplicação da 2ª Lei da Termodinâmica. O caos seria a regra e não a evolução/ordem/melhoramento/adaptação.]

            Que ciência? Apresente bibliografia condizente (peer reviwed e publicação em revista científica ou ao menos em informativo científico reconhecido).

            Quanto ao resto de suas considerações, já é matéria dada. Não adianta vir com seus joguinhos retóricos. Vá estudar que é bem melhor…

            Bibliografia recomendadae utilizada além de toda aquela de posts anteriores:

            Halliday e Resnik. Física, vol. II, LTC;

            Davies. The 5th miracle. Simon & Schuster Paperbacks;

            Davies. The goldlocks enigma. mariner books.

            Luisi. The emergence of life. Cambridge;

            Davies. Origins of life. Cambridge;

            Bloomberg. Phisics of life. Elsevier;

            Pross. What is life. Oxford;

            Atkins e De Paula. Físico Quimica, Gen LTC;

            Atkins. Four Laws that drive the Universe. Oxford.

            Atkins, Friedmann e De Paula. Físico química Quanta, matéria e mudança, Gen LTC;

            Castelan. Fundamentos de Físico Química, LTC;

            Fitch. The three failures of creationism. University of california Press Berkeley.

            Coyne Why evolution is true. Penguin.

            Jastrow & Rampino. Origins of life in the universe. Cambridge.

            Moore. Físico Química, Vol. I e II. Edgard Blucher;

            van Wyllen e Sonttag. Fundamentos da Termodinâmica, Edgard Blucher;

            Gleiser. Criação imperfeita. Record;

            Ricklefs. A economia da natureza. Gen.

            Eldredge. O triunfo da evolução e a falência do criacionismo. Funpec.

          3. Debilitado em que Cícero? Só poque usei a palavra criou? Se for, mais uma vez, para variar vc foi desonesto.

            Entenda que em meu contexto não me referi a seres extraordinários mas a cianobactérias fazendo fotossíntese, cuja reação resumida é:

            12CO2 + 6H2O + energia –> C6H12O6 + 6O2. Reação endotérmica.

            Isso libera oxigênio que cria uma atmosfera.

            Vc respirando faz a reação inversa, o que substitui o O2 por CO2 e é exotérmica.

            Bem condizente com o conceito de entropia…

            Sacou ou tem que desenhar?

            e, lembre-se:

            NÃO DIRÁS FALSO TESTEMUNHO!!!!

            Não minta, não enrole, não crie falsas ideias, não omita, não distorça, não divulgue o erro e a ignorância, não seja leviano, não haja com má fé, não jogue naboca dos outros suas palavras, não haja com desonestidade.

            Atitude punível e condenada não só pelo sistema cristão de crenças, mas por todos que pregam ética e moral.

            Se preza tanto seu deus e o que seu semi-deus disseram, pule fora do criacionismo, pois ele é a “barca do inferno”pelo teor de mentiras e de leviandade e por TOMAR O NOME DE DEUS EM VÃO.
            .

            Lembre-se: o demo, o capiroto, o pé preto, o chão frio, o mochila de criança, o chuveiro gelado o fechadura quebrada, o tinhoso, o insônia em véspera de viagem, o vírus de computador, o colchão afundado, o branco no dia da prova, o afta na bochecha, o unha encravada, o esposa zangada, o hematoma na canela, o espinha na ponta do nariz, o pneu furado na Marginal Tietê, o dedo indicador cortado, o bateria pifada, o farpa de madeira debaixo da unha, o botijão vazio no domingo de festa, é o pai da mentira, e, portanto do fundamnetalismo cristão (essa religião doente a que vc é engajado) , do criacionismo e de sua versão requentada o DI.

            Isto é:

            NÃO TOMARÁS O NOME DO SENHOR EM VÃO!!!

            Quer dizer: não use o nome do divino para acobertar suas falcatruas, ignorância, erros e cobiça; prática bem manjada em igrejas que pregam o criacionismo a ferro e fogo.

          4. Então Deus fez o Trilobita à sua imagem e semelhança? Ou fez o Anomalocaris? Quem saiu da costela de quem? Ajuda ae Cícero… é por isso que a gente não vê Deus? Ele é a imagem de um artropode extinto? Que decepção. .. achava mais plausível ele ficar em cima de uma nuvem (constituida de vapor de água. .. rsrs, não podia deixar sem essa! Kkkkk) mandando e desmandando e que todos sofressem sua ira! Kkkkkkk

          5. Será que o relojoeiro cego, poderia fazer isso com sua cegueira?
            http://www.youtube.com/watch?v=nOmn-p67fhw

            Creio que sorte, acaso e cegueira nao criam mecanismos, ainda mais para vida orgânica biológica e suas intricadas estruturas inter-dependentes, mesmo para bactérias que não são nada simples.

            Os asteroides só aumentariam o caos, num mundo caótico sem direção, sem ordem, sem intenção, sem inteligência. O caos só geraria mais caos, a não ser que Alguém Intervenha, e ainda introduza a cognição, moral, pensamentos, idéias no singular e especial homem.
            Ou será que o ceguinho também produziria esses atributos não-físicos não-biológicos???

          6. Realmente como disse Salvador esse tal é muito volúvel. Ele tem paciência de bilhões de anos pra criar as bactérias, mudar tudo, mudam as espécies, muda de novo, extingue de novo… e assim vai por 4 bilhões de anos até surgir Adão e Eva.
            Tinha paciência de esperar tudo isso. Mas ai do nada fica bravo e manda dilúvio…
            Uma hora tem paciência, noutra fica irritado…
            Esse cara tem problema psiquiátrico !! Bipolar!!

          7. [Será que o relojoeiro cego, poderia fazer isso com sua cegueira?
            http://www.youtube.com/watch?v=nOmn-p67fhw

            Creio que sorte, acaso e cegueira nao criam mecanismos, ainda mais para vida orgânica biológica e suas intricadas estruturas inter-dependentes, mesmo para bactérias que não são nada simples.

            Os asteroides só aumentariam o caos, num mundo caótico sem direção, sem ordem, sem intenção, sem inteligência. O caos só geraria mais caos, a não ser que Alguém Intervenha, e ainda introduza a cognição, moral, pensamentos, idéias no singular e especial homem.
            Ou será que o ceguinho também produziria esses atributos não-físicos não-biológicos???]

            Putz Cícero!!! De novo insistindo com essa ideia de acaso que é necessária uma intervenção do além!?

            Isso já é matéria dada.

            Leia tudo de novo sobre a aulinha de entropia!!!

            Moral, pensamentos, ideias e sentido para a vida e para o universo estão no espaço entre as suas duas orelhas, ou seja, no seu cérebro. É claro que vc pode dar um sentido para sua vida como eu dei para a minha (estudar, me formar, trabalhar, aprender mais e sempre e ser um cara que pratica o bem).

            Se tiver algum neurocientista, ou biólogo ou assemelhado, que entenda como um cérebro funciona, favor mostrar ao Sr. Cícero como funcionam os pensamentos e, consequentemente a moral e as ideias.

            No Mais Cícero, recomendo que entre no site da Duetto e assine a revista Mente e Cérebro, com as edições especiais.

            Certamente muitas de suas dúvidas, acerca de como funciona a consciência, serão esclarecidas de uma forma bem mais elegante, científica e lógica que dizer “FOI UM SER INTELIGENTE”.

          8. Elyson, e seus jornais tipo-linguiça super-prolixos ad-nauseam, ad-nauseam… choque visual para impressionar!

            Nenhum de seus pontos lá acima, provou macroevolução vertical nos organismos.

            Ué? então o PhD Stephen Meyer não pode falar de evolução, somente biólogos? Seria o mesmo que somente mecânicos pudessem falar e explicar sobre carros…
            E para seu conhecimento ele tem trabalhos cieníficos com peer reviwed sim.

            “Em 2004, Meyer provocou uma tempestade de mídia e controvérsia científica quando um jornal de biologia da Smithsonian Institution publicou seu artigo científico peer-reviewed avançando design inteligente.”

            Vc insiste na sua baboseira fundamentalista diferenciando a entropia no tal sistema aberto e fechado. Alega-se que o universo inteiro seria um sistema fechado, pois não poderia sofrer influências externas!… e acaso sabemos se há algo fora do Universo?? que iditotisse! isso seria o próprio universo; seria outra parte dele.
            Qualquer elemento está em estado de entropia natural: o sol, planetas, seres vivos, nós, objetos etc, sofrendo desgaste, degeneração, deterioração… ou seja entropia. Anomalias genéticas seriam exemplos de entropia genética quando os mecanismos reparadores do DNA falham.

            As 2ª e 3ª Leis da Termodinâmica demonstram que o universo não pode ser eterno, pois está se desgastando, se consumindo;… o que requer uma Causa Inicial originadora do universo, assim como a formação de organismos mais simples e suposta e posterior evolução para diferenciados e mais complexos com aumento de informação genômica; seriam tais processos, contrários às forças degeneradoras da entropia.

            “Se tiver algum neurocientista, ou biólogo ou assemelhado, que entenda como um cérebro funciona, favor mostrar ao Sr. Cícero como funcionam os pensamentos e, consequentemente a moral e as ideias.”

            Então se informe com alguns deles se a origem das reações químicas elétricas no cérebro são em decorrência de nossos atos e vontades cognitivos/morais? ou são espontâneos e surgem por si só dos próprios elementos químicos da matéria?

            Na verdade, seu objetivo aqui como em outros blogs facilmente se percebe é sempre ficar com a última palavra para “vencer” nos argumentos (como deduz-se involuntariamente), mas principalmente sua necessidade e dependência viciante em receber destaque, louvores e aplausos de seus bajuladores “yes-man”. 😛

          9. vamos falar sobre Meyer:

            [Ué? então o PhD Stephen Meyer não pode falar de evolução, somente biólogos? Seria o mesmo que somente mecânicos pudessem falar e explicar sobre carros…
            E para seu conhecimento ele tem trabalhos cieníficos com peer reviwed sim.
            “Em 2004, Meyer provocou uma tempestade de mídia e controvérsia científica quando um jornal de biologia da Smithsonian Institution publicou seu artigo científico peer-reviewed avançando design inteligente.”]

            Que trabalho? Aquele amontoado de besteira filosófica que está no site do Discovery Institute? Me poupe Cícero!!!! Aquilo não passa de uma armadilha retórica bem peba.

            Aliás, aquilo não se trata de um trabalho no campo das ciências naturais, mas sim de filosofia da ciência que é muito diferente de ciências práticas.

            O artigo de Meyer foi publicado no Proceedings of the Biological Society of Washington. E o periódico se retratou dizendo que o artigo não cumprira o padrão científico para ser considerado um peer reviwed.

            Por que; é uma perseguição inflingida pelos malditos crentes ateus evolucionistas transformistas dominadores do stablishment acadêmico?

            Não!!! As razões para a não aceitação do artigo foi que Richard Sternberg, o editor-chefe na época, é um companheiro da Sociedade Internacional para Complexidade, Informação e Design (ISCID), grupo que promove o DI, sendo que o camarada até apresentou uma palestra sobre tema no Research e progresso em Design Inteligente (RAPID ) de conferência. Claro que Sternberg negou tudo…

            No mesmo ano, Sternberg também se associou ao conselho editorial do Grupo de Estudos de Baraminologia, um grupo de criacionistas da Terra jovem cujo intuito é identificar e classificar as espécies conforme menciona a criação nas escrituras.

            Sternberg também é signatário do Instituto Discovery no que se refere à petição de dissidência Científica do darwinismo.

            Resumindo: não houve imparcialidade alguma e claro, como tudo ocorre no criacionismo e correlatos, o peer reviwed de Meyer não passa de uma FARSA.

            No mais Cícero, o fato de alguém ter um PhD não quer dizer que ele possa falar sobre qq coisa. Se ele falasse dentro da área dele (alguma coisa de física ou alguma coisa de geologia ou de filosofia da ciência) beleza.

            Mas se arriscar em campos que é notório que o cara não sabe nada, ai não dá.

            Ex. em física não posso falar de Astronáutica ou de construção de foguetes, pois não é minha área.

            Não posso escrever livros de matemática, pois não sou um matemático, embora conheça razoavelmente bem tudo o que preciso para ser físico e, mesmo assim, tem casos em que trabalho em parceria com matemáticos dando a eles a física e eles me dando a linguagem matemática.

            Em biologia não vou tratar de fisiologia animal ou vegetal, não estudei isso (o pouco que sei é de leituras), como em química não vou falar de refino de petróleo, pois não estudei isso.

            Assim como no meu exemplo ridículo, não vou escrever sobre arte Deco, literatura moderna ou fazer um livro sobre o estilo de Beethoven.

            Posto isso, o que posso lhe dizer é que Meyer não é habilitado a tratar do tema “Teoria Evolutiva”, pois os erros que ele comete são crassos.

            Principalmente quando ele faz considerações acerca do aumento na informação genética. Isso já é sabido que genes ortólogos respondem essa questão, ponto.

            Não precisa chover no molhado e concluir dizendo que só pode existir um designer por trás disso.

            É a mesma coisa que o trabalho de Dembisk. É matematicamente furado, pois ele insiste em cair na segunda lei e pior a acochambra para fazer as coisas darem certo e assim validarem o trabalho dele.

            Eis sua resposta quanto às críticas de seu trabalho:

            “I’m not and never have been in the business of offering a strict mathematical proof for the inability of material mechanisms to generate specified complexity in the same way that no physicist is in the business of offering a strict mathematical proof for the conservation of energy.”

            Em suma, é um argumento da ignorância…

          10. [Vc insiste na sua baboseira fundamentalista diferenciando a entropia no tal sistema aberto e fechado. Alega-se que o universo inteiro seria um sistema fechado, pois não poderia sofrer influências externas!… e acaso sabemos se há algo fora do Universo?? que iditotisse! isso seria o próprio universo; seria outra parte dele.]

            Cícero, o assunto aqui não é universo é segunda lei da termodinâmica, portanto sua colocação está fora de contexto.

            Se vc acha que sistemas abertos, isolados e fechados são a mesma coisa, não vou discutir com vc.

            Recomendo que leia Fenômenos de transporte de Pitts e Sisson. Quem sabe ai vc entenderá ao menos o que é sistema aberto, fechado e isolado.

            Como já lhe disse, ENTROPIA É MATÉRIA DADA.

            Se duvida do que eu lhe ensinei, consulte qq livro de termodinâmica. A bibliografia está dada no post.

          11. [Qualquer elemento está em estado de entropia natural: o sol, planetas, seres vivos, nós, objetos etc, sofrendo desgaste, degeneração, deterioração… ou seja entropia. Anomalias genéticas seriam exemplos de entropia genética quando os mecanismos reparadores do DNA falham.]

            Cícero, nenhuma coisa que existe no universo está em estado de entropia natural.

            O estado de entropia natural seria o zero absoluto onde nada se move. As coisas no universo estão buscando o equilíbrio. Esse equilíbrio cessa quando a energia assume seu estado mais degradado que é calor. Esse calor degradado é que se chama entropia, mais especificamente entropia energética.

            Entropia é aquele calor que vc perde na lâmpada, no motor do carro, no ar condicionado, ao viver, nos atritos, na resistência dos flidos, na expansão de um gás, na fusão nuclear das estrelas, no aquecimento do planeta pelo seu núcleo, etc.
            Entropia energética é CALOR PERDIDO.

            Ela diz respeito à reversibilidade de uma transformação. Entropia posicional É DESORDEM, que é dada pela equação de Boltzmann, que nada mais é que ocupação de microestados energéticos da matéria.

            ISSO JÁ É MATÉRIA DADA!!

            A entropia energética e a posicional se relacionam da seguinte forma: quando a energética cresce a posicional decresce e vice versa. Isso é o que ocorre com o universo. A energética está decrescendo (o combustível está sendo consumido) e a posicional aumentando (o universo está se expandindo e o que sobra desse combustível está se expandindo também – ex- uma ejeção de massa coronal, o calor do sol, a radiação UV, etc.).

            Assim, anomalias genéticas não são fruto de entropia nenhuma. São apenas mutações deletérias.

            Por dia, devido aos agentes físicos químicos e biológicos (danos – anormalidades físicas no DNA como a ruptura da fita, e replicação em número anormal), bem como devido a erros na própria replicação (mutação-mudança na sequência de bases), nos sofremos cerca de 1 milhão de lesões moleculares/dia, por célula, o que pode alterar a transcrição gênica.

            Assim, o DNA tem de estar constantemente se auto-reparando.

            Conforme nossas células e nós envelhecemos, essa taxa de auto-reparação decai. Isso dá as células três destinos:

            Morte celular (apoptose);

            Carcinogênese (câncer);

            Senescência celular (dormência), quando os cromossomos param de se replicar. Por isso ficamos com aparência de velho.

            Isso sim tem tudo a ver com entropia. Mas é um processo termodinâmico natural. Não existe entropia genética. Essa é mais uma das baboseiras do criacionismo!!!

            Em algumas ocasiões, os danos no DNA não são reparados, isso quer dizer que esse mecansmo de reparo é sujeito a erros o que resulta numa alteração da sequência original.

            Quando isto ocorre, as mutações podem propagar-se nos genomas de descendência da célula. Se tal evento ocorrer em uma célula germinativa, sendo ela um gameta, a mutação poderá ser transmitida aos descendentes do organismo.

            A taxa de evolução de uma espécie em particular (ou, em um gene particular) é uma função da taxa de mutação. Isso quer dizer que a taxa de precisão e de mecanismos de reparo do DNA têm uma influência sobre o processo de mudança evolutiva.

            Assim, essa história de entropia genética, como tudo que é produzido pelo criacionismo e seus correlatos, não passa de besteira da grossa. Pudera seu “criador é John Sanford, um notório criacionista, figurinha já bem conhecida, sendo um membro devotado do criacionismo da Terra jovem e pasmem, é graduado em horticultura!!!

            O termo popular em que a entropia genética se assenta e a falácia da involução perda de qualidades benéficas, como força e inteligência, e de retorno a um estado mais atávico.

            Essa idéia não possui respaldo científico, pois para a teoria evolutiva o padrão de excelência não existe, pois nada retorna a um estágio anterior.

            Ex: tetrápodas sairam da água e, mais tarde, mamíferos como baleias, crocodilianos, ictiossauros, plesiossauros, patos, focas, retornaram a água.

            Os primeiros terópodes não voavam. Mais tarde alguns passaram a voar, as aves apareceram e muitas perderam a capacidade de voo.

            Nada disso é involução, mas é evolução, pois é uma condição nova para um organismo que foi submetido a um estresse ambiental e teve de se adaptar a uma nova vida para não ser extinto.

            Isso é bem estabelecido pela Lei de Dollo ou lei da irreversibilidade da evolução.

            De acordo com esta hipótese, uma estrutura ou órgão que tenha sido perdido ou descartado através do processo da evolução não reaparecerá exatamente da mesma forma em que ocorrera na linhagem evolutiva desse organismo.

            Para Dawkins, a lei é “realmente apenas uma afirmação sobre a improbabilidade estatística de seguir exatamente a mesma trajetória evolutiva duas vezes (ou, de fato, qualquer trajetória particular), em ambos os sentidos.”

            Gould vê a idéia de forma menos estrita, o que sugere que a “irreversibilidade” exclui certos caminhos evolutivos uma vez que formas amplas tenham surgido:

            Ex. uma vez que seja adotado o plano corporal normal de um réptil, centenas de opções estão sempre fechadas, e as possibilidades futuras devem se desdobrar dentro dos limites desse plano herdado.

            Exemplo real da lei de Dollo, segue o link da Nature “An epistatic ratchet constrains the direction of glucocorticoid receptor evolution”:

            http://www.nature.com/nature/journal/v461/n7263/full/nature08249.html

            Em suma, a teoria de Sanford se assenta numa falácia. Era esperado, pois o bonecão se trata de um YEC!!! O resto de seu raciocínio é a mesma baboseira de sempre “TUDO QUE É COMPLEXO FOI FEITO POR ALGUMA COISA INTELIGENTE”.

            Quanto às origens do Universo, Cicero, isso já é MATÉRIA DADA.

            REFRESCANDO SUA MEMÓRIA:

            De acordo com a física pré-big-bang ou teoria das cordas, o universo é um “grande almoço grátis” e deus se torna inútil para sua criação.

            Toda a energia que vemos armazenada em matéria e energia propriamente dita, somada à energia potencial do universo resulta em zero. Ou seja, temos zero de energia no universo o que indica que não há necessidade dela ter vindo de lugar algum.
            Tal energia pode sempre ter existido e oscilar de tempos em tempos, à medida que o universo se torna um vácuo quando de sua expansão a níveis extremos. Nem mesmo o vácuo é um vácuo.

            Ele parece possuir algo esquisito como uma “espuma quântica” (turbulências no espaço tempo) que podem ou não interagir com partículas subatômicas, uma vez que possuem a ordem do comprimento de Planck. Esta espuma foi proposta por Wheeler, por meio de uma fusão grosseira entre a física quântica e a teoria da relatividade geral.

            Einstein descreve o espaço tempo como algo suave o que vai contra a teoria da espuma quântica. Há experimentos que apoiam as duas teorias.

            Porém para entendermos como o vácuo funciona necessitamos de uma teoria quântica da gravidade.

            Há uma teoria que ainda se encontra em nível matemático que surgiu com Everett que o universo não é único mas possui infinitos universos paralelos nascendo e morrendo a cada tempo de Planck.

            Falar de tempo somente faz sentido quando estamos dentro da brana de um universo. antes disso tempo e espaço não fazem sentido. Ou seja entre duas branas sde universos paralelos não existe tempo ou espaço (parece loucura).

            Perguntar quanto tempo ficamos sem universo antes do big bang não faz sentido. É o mesmo que querer encontrar o ponto ao sul do extremo do polo sul e saber qual a cor mais escura que o preto.

            O que se pode dizer pela teoria dos universos paralelos é que o universo é infinito e é repleto de infinitos subconjuntos, chamados universos paralelos, os quais assumem as mais diversass características ao se mecher em apenas 6 números:

            1 – N = é a relação entre as forças elétricas que mantêm nossos átomos coesos dividida pela força da gravidade que atua entre eles;

            2 – e = eficiência nuclear: as forças nucleares são cruciais para manter prótons e nêutros nos núcleos atômicos;

            3 – o = razão entre densidade real e densidade crítica: quantidade de matéria que exerce a atração gravitacional, ou seja, se a densidade de matéria exceder um valor crítico bem definido, que corresponde a cinco átomos por metro cúbico o universo colapsaria;

            4 – L = a constante cosmológica de Einstein: é o número que Einstein encontrou quando de da aplicação de sua teoria da relatividade geral ao Universo, que controla a expansão do Universo e o seu destino;

            5 – Q = é a relação entre a intensidade de ligação das estruturas do cosmo (estrelas, galáxiase aglomerados), ou seja, quanta energia seria suficiente para destruí-las e dispersá-las e a sua energia de repouso (E=mc^2);

            6 – D = número de dimensões espaciais em nosso mundo: este número vale 3. Em mundos com três dimensões, as forças gravitacional e elétrica obedecem a lei de inverso da quadrado da distância. Três dimensões são cruciais para a vida, uma vez que em um mundo com duas dimensões as estruturas complexas não se formariam, como por exemplo, as moléculas da vida, uma vez que o carbono faz ligações tetraédricas.

            Assim, podemos reduzir estes seis números para quatro: (força da gravidade, nuclear forte, nuclear fraca e eletromagnética).

            Maiores detalhes aqui:

            http://cienciaxreligiao.blogspot.com.br/2010/06/introducao-em-minhas-andancas-pela.html

            e aqui:

            http://cienciaxreligiao.blogspot.com.br/2012/12/os-argumentos-do-desespero-de-um.html

            Aos interessados: ler os seis posts.

            Muitos dizem que isso é a tal “afinação do universo” mas na verdade é o espaço de Calabi-Yau onde nos encontramos.
            As variedades de Calabi Yau são infinitas, contedo os números certos de picos e vales, variando em uma ampla faixa, desde 3 até 480 buracos.

            São as formas de Calabi-Yau que satisfazem os severos requisitos impostos pela teoria das cordas a qual impõe ás dimensões adicionais. Há diversos tipos diferentes de buracos, os quais podem ter diversas dimensões. Para cada buraco há uma família de vibrações das cordas de energia mínima.
            As variedades de Calabi-Yau são de grande importancia no estudo da teoria das cordas satisfazem o requisito de espaço para as seis dimensões espaciais “invisíveis” da teoria das cordas. É no modelo do mundo das branas que ocorre a grande quantidade de dimensões extras das variedades de Calabi-Yau.

            Caso o espaço de Calabi-Yau tenha 3 buracos, haverá 3 famílias de partículas elementares, o que reflete o número de buracos existentes na forma geométrica em que se encontram as dimensões adicionais ocultas.

            Assim, o tema principal da teoria das cordas é que as leis físicas que enxergamos dependem da geometria de dimensões adicionais ocultas.

            Os mínimos dessa paisagem multidimensional corrspondem às configurações estáveis do espaço-tempo, denominadas de vácuos estáveis, que é onde se formam universos semelhantes aos nossos.

            Então, tudo em relação a SE um universo existira ou não, com um tempo razoável (coisa de uns 50 a 100 bi de anos), e SE terá ou não vida, é uma questão de probabilidades de em que buraco nos encontraremos.

            Tudo depende de estabilidade energética e não de afinação gerada por um ser inteligente.

            Cada vácuo estável é caracterizado por seu número de alças, branas e quanta de fluxo, mas há que se considerar que cada um desses elementos pode ser criado e destruído, de modo que, após períodos de estabilidade, o mundo pode passar a uma configuração diferente.

            Ou seja: criação = big bang e destruição (big crunch, big rip ou bib chill – morte energética).

            Ao que parece, nosso universo se encaminha para um big rip, ou seja a energia escura o acelerará tanto que o tecido do espaço tempo poderá ser rasgado.
            Nosso universo irá morrer, mas sua brana se chocará com a de um outro univerrso e formará um novo universo que poderá mesmo levar á vida inteligente.

            A energia para tal está ela todinha confinada no universo, ainda que degradada quando do cenário de um big chill ou de um big rip (mais provável).

            Bastaria uma oscilação dessa energia para tudo recomeçar.

            Por esta razão a ideia de criação, meio e fim do universo parece estar se desfazendo (o modo semita de se pensar). Ao que parece nosso universo é cíclico como imaginavam os orientais.

            Assim, aos crias de plantão digo que se quiserem apoiar uma forma de criacionismo, apoiem aqueles das religiões orientais, pois a ciência tem demonstrado que estes é que estavam certos.

            Consultar

            Polchinski – String Theory

            Kaku – Hiperspaço

            Greene- O universo Elegante, The hidden realyty e o Tecido do Cosmo.

            Stenger – The fallacy of fine Tunning.

          12. [As 2ª e 3ª Leis da Termodinâmica demonstram que o universo não pode ser eterno, pois está se desgastando, se consumindo;… o que requer uma Causa Inicial originadora do universo, assim como a formação de organismos mais simples e suposta e posterior evolução para diferenciados e mais complexos com aumento de informação genômica; seriam tais processos, contrários às forças degeneradoras da entropia.]

            Uau!!! O cara que não sabem nem que Q = mcΔt falando de segunda e terceira lei da termodinâmica!!! O resto é uma lambança sem precedentes…

            Finalmente uma bola dentro ein Cícero!!! Realmente tudo o que existe se encaminha para o fim.

            Vamos lá Cícero vou lhe dar uma aulinha grátis sobre Leis da Termodinâmica:
            A lei zero da termodinâmica estabelece como acontecem as trocas de calor entre os corpos. Ela está relacionada com a energia interna dos materiais expressa, indiretamente, pela temperatura.

            Assim, corpos com maior temperatura terão maior energia interna, a qual é dada pela identidade:

            dU = dQ – dW

            Esta é uma equação fundamental da termodinâmica, pois retém em si todas as informações acerca do sistema, que de fato é constituído por um número de elementos tendentes ao infinito (as moléculas de um gás – exemplo mais utilizado).

            Desse modo, o conceito de equação fundamental reside no fato de, uma vez estabelecida a fronteira do sistema, com todas suas particularidades e grandezas, as condições deste sistema quando atingido o equilíbrio termodinâmico, se encontram-se por estas grandezas e mais algumas outras, completamente determinadas, sendo obviamente calculáveis.

            Mas

            U = Uo + ∑Ec + ∑Ep + ∑Er

            Onde:

            Uo = mc^2 energia da massa de repouso;

            ∑Ec = somatório das energias cinéticas das partículas do sistema;

            ∑Ep – somatório das energias potenciais das partículas do sistema;

            ∑Er = somatório das energias de campos radiantes (fótons térmicos confinados no sistema).

            A energia interna pode ser dada pelas propriedades extensivas de S, V e M (entropia, volume e massa) por:

            U(S,V,M) = k * e^(S/(c*M))* V ^(-R/c) * M^((R+c)/c)

            Onde

            k = constante positiva e arbitrária);
            c = capacidade calorífica do gás;
            R = constante universal do gases perfeitos
            e = base neperiana.

            A partir dessa equação temos que:

            T = ∂U/∂S e p = – ∂U/∂V que leva a PV = nRT

            Para sistemas fechados (que não trocam massa com o meio, somente energia), a energia interna é dada por:

            dU = δQ + δW; porém δQ = 0 o que leva a dU = δW ou dU = -pdV

            Por essa equação definimos a direção do trabalho que é energia fluindo do sistema para suas fronteiras. Assumindo-se que a transformação seja reversível.

            Assim em sendo a transformação reversível, devemos mandar de volta para o sistema como energia exatamente aquilo que foi perdido que é:

            δQ = T* dS.

            Isso leva a equação:

            dU = T* dS + δW, que é a variação na energia interna.

            Isso quer dizer que a energia flui de corpos com maior quantidade para os de menor quantidade de energia. Ou seja, ela passa do corpo mais quente para o mais frio.

            Para o sistema isolado (que não troca nada com o meio), haverá um estado em particular, caracterizado pela constância de todas as grandezas termodinâmicas mensuráveis, que, uma vez dado tempo suficiente para as transformações necessárias ocorrerem, sempre será atingido.

            Ou seja, é nesse estado que a entropia não poderá ser revertida, pois não entrará no sistema qualquer massa (o que se chama transporte de massa) ou qualquer energia que é dada por: δQ = T* dS, que reverteria esse estado de equilíbrio.

            Este estado final de equilíbrio do sistema se denomina estado de equilíbrio termodinâmico, sendo que se define temperatura apenas quando ocorre o estado de equilíbrio termodinâmico, não se definindo em princípio a mesma grandeza para sistemas fora do equilíbrio.

            Num sistema aberto, haverá tanto transporte de energia quanto transporte de massa que pode ser convertida em energia. Seres vivos são sistemas abertos e, portanto, neles há transporte de massa e de energia o que faz com que a degeneração seja, ainda que momentaneamente revertida.

            O estado de equilíbrio de um ser vivo é a morte, quanto não recebe mais energia do meio e se degrada em moléculas que retornam ao ciclo natural alimentado por energia.

            Assim Cícero, o equilíbrio do universo se dará quando ele atingir 0K e vai ser daqui há bastante tempo!!! Sobre uma causa primeira para o universo, se considerarmos que há apenas este universo, é como querer saber o quinto lado de um quadrado ou o canto de uma esfera, ou querer ir ao norte do pólo-norte. NÃO FAZ SENTIDO.

            Essa colocação viola a primeira lei da termodinâmica da qual falaremos agora.
            A primeira lei da termodinâmica fala da conservação de energia. E, claro, é regida pela equação:

            dU = dQ – dW

            Para a maioria dos corpos podemos dizer que o aumento da energia interna em um sistema corresponde a um aumento em sua temperatura. Mas na verdade, quando se considera um processo adiabático a relação é entre energia térmica e temperatura.
            Logo, a energia interna do sistema é uma função de estado, pois ela depende unicamente dos valores assumidos pelas variáveis de estado do sistema, e não da forma como tais variáveis assumiram tais valores.

            Isso nos leva a equação dQ = m c dT, pois o calor recebido por um sistema é igual à soma entre a variação da energia interna do sistema e o trabalho efetuado pelo sistema.

            Mas esse calor é energia e como tal essa energia tem de ter uma fonte. Para o Universo, seria deus essa fonte? E de onde teria vindo deus?

            Não, para o Universo, há que se considerar que ele é um grande almoço grátis, pois o somatório de toda sua energia cinética com a potencial gravitacional resulta em zero, ou seja, o balanço de energia do universo é nulo, o que não requer qualquer fonte de energia. Se essa soma fosse diferente de zero, faria sentido a idéia de uma causa primeira, que não necessariamente seria um deus, pois este não explicaria nada.

            Assim, dentre as causas de nosso universo, os universos paralelos (ainda que indiretamente demonstrados) fornecem a resposta para o enigma da energia do universo.

            Um choque entre branas teria dado a origem a toda energia cinética e a energia potencial gravitacional seria a atração gravitacional de nosso universo por essas duas outras branas que nos originaram, o que leva a um balanço zero de energia, pois esta bolha criada pelo choque tem energia positiva e a gravidade energia negativa.

            Resumindo, para se fazer um universo somente se precisa de NADA. Ou seja, quanto maior a entropia posicional, menor a entropia energética e as duas somadas dá zero.

            Assim, se deus criou o universo, deus é uma aberração da física.

            Segunda lei – Entropia que tende a aumentar: já comentada, portanto é MATÉRIA DADA.

            A terceira lei diz que no limite do zero absoluto, o limite da variação da entropia será nulo, ou seja:

            Lim ΔS = 0 para T→0 (Teorema de Nerst), ou seja ΔS = K lnΩ (entropia energértica por níveis de energia da matéria).

            Onde:

            K = cte. de Boltzmann
            Ω = número de microestados consistentes com a configuração macroscópica.

            Caso Ω assuma o valor unitário, ΔS = 0 que é um estado fundamental único.

            Nernst concluiu também que é impossível atingir o zero absoluto através de um número finito de passos. Isto significa que não existe a temperatura de zero absoluto no universo em que vivemos, ao menos por enquanto…

          13. [Então se informe com alguns deles se a origem das reações químicas elétricas no cérebro são em decorrência de nossos atos e vontades cognitivos/morais? ou são espontâneos e surgem por si só dos próprios elementos químicos da matéria?]

            É Cícero e o que eles disseram? Aponte bibliografia condizente com o tema.

            Ao menos até onde li sobre o Tema (Steven Pinker – “Tábula Rasa” e “Do que é feito o pensamento” e “Como a mente funciona bem como Michael Shermer em “Cérebro e Crença”, além do que é publicado na mente e cérebro e em Scientific American Brasil Edição no. 40, em busca da Consciência), ninguém disse que há o seu mantra por trás de nosso cérebro: “UMA CAUSA INTELIGENTE”.

            Todos são unânimes em dizer que o cérebro funciona por impulsos elétricos e que suas vontades possuem mecanismos de freio, pois avaliamos tudo antes mesmo de termos vontade, bem como moral é algo em parte ensinado culturalmente (leia José Ingenieros e Marcel Conche), bem como algo em que nos foi evolutivamente incorporado, sendo que até animais possuem esse senso moral.

          14. [Na verdade, seu objetivo aqui como em outros blogs facilmente se percebe é sempre ficar com a última palavra para “vencer” nos argumentos (como deduz-se involuntariamente), mas principalmente sua necessidade e dependência viciante em receber destaque, louvores e aplausos de seus bajuladores “yes-man”. ]

            Que dor de cotovelo ein negão!!! Esse é o típico argumento de quem não tem argumentos. Vc é hilário Cícero!!!! Para mim, destroça-lo é uma diversão!!!

            Meu objetivo aqui é desfazer o estrago que vc faz. É levar conhecimento às pessoas e arrebentar com o criacionismo essa excercência religiosa que transformou a tradição do meu povo nesse show de mentiras e palhaçadas.

            Também, confesso sinto o maior tesão em ser exaltado. Sou bom no que faço. Sempre arrebento a boca do balão em tudo!!! Que fazer se YHWH me concedeu graça de ter um QI de 135 e a vc um QI de 60?

            Que fazer se eu sempre mandei bem na escola e vc deve ter sido um daqueles caras de turma D ou E?

            Que fazer se eu tenho inteligência para ver as coisas como são e vc precisa ficar recorrendo a seres fantásticos para explicar até por que as nuvens se formam?

            Que fazer se eu tive bala na agulha para passar na USP, e fazer engenharia e física estudar química e biologia para fazer minha tese de mestrado na física e depois ter a chance de ir para Berkeley e dar uma esticada em Oxford e vc comprou uma vaguinha numa faculdadezinha peba de teologia (bem chulé por sinal, pois pelo nível de suas pregações, deve ter sido numa daquelas faculdades de fundo de quintal e não uma PUC)?

            Quando se deparar com o CARA, faça uma reclamação por escrito e mande os crias lá dos quintos dos infernos assinarem a petição para vc. Quem sabe YHWH se compadeça de vc e lhe dê luz para ser usada em um outro universo… numa outra encarnação…

            No mais queridinho, vai chorar na cama que é lugar quente.

            Bibliografia recomendada:

            Molecular Biology of the Cell – Lodish et al.
            Físico química – Atkins Vol I e II.
            Thermodynamics – Fermi;
            Física vol. II – Haliday e Resnick;
            Física vol. II – Pauli, Farid e Heilmann
            Mundos paralelos – Kaku
            Wolf – Parallel Universes
            Bruhat e kastles Curso de Física Geral – Termodinâmica.
            Hawking e Mlodnow – The grand design.

            E, MATÉRIA DADA É MATÉRIA ESTUDADA!!!!

            NÃO INSISTA EM ERRAR!!!!

            NÃO RECORRA A FANTASIAS PARA RESPONDER QUESTÕES CIENTÍFICAS. ISSO NÃO AJUDA; NÃO ESCLARECE; SÓ EMBURRECE.

        2. Vamos esclarecer umas coisinha spara vc Cícero:

          [Elyson, e seus jornais tipo-linguiça super-prolixos ad-nauseam, ad-nauseam… choque visual para impressionar!
          Nenhum de seus pontos lá acima, provou macroevolução vertical nos organismos.]

          Cícero o assunto aqui é termodinâmica. Como já lhe foi dito ad nauseam, termodinâmica nada tem a ver com evolução das espécies.

          É o mesmo que vc dizer que as leis de Faraday não provam por que leões comem zebras.

          Resumindo, sua colocação está fora de contexto.

          A única coisa que vc faz, como todo bom criacionista, é criar armadilhas retóricas recheadas de desonestidade e ignorância, que fariam um estudante de primeiro grau morrer de rir.

          Sua argumentação pode colar no púlpito de uma igreja e para pessoas não familiazadas com a seara científica. Mas para mim e garanto para muita gente aqui não passa de bobagem.

          No mais, a prolixidade é porque vc não entende o que escrevo. Não tem nível intelectual para entender, pois vc não sabe o básico das coisas e tem de recorrer a uma entidade divina para obter respostas.

          Típico de pessoas que não pegaram em um livro na vida, que só leram lixo. Pessoas sem um mínimo de bom senso e de senso crítico.

          Além do mais, não tenho culpa se vc não tem nível para entender corretamente o que é entropia. Nem um probleminha simples vc conseguiu resolver, dirá entender os conceitos…

          Se vc prefere acreditar em sites criacionistas, vai fundo…

          Se quer teimar em errar para mim não interessa e não faz diferença.

          Quem vai pagar o mico é vc.

          E, já sei que daqui para frente vc vai ficar batendo na mesma tecla, chorando e esperneando que vc está certo.

          Eu lhe pergunto, o que vc quwr com tudo isso? É provar que vc está certo?

          Ou vc enfrenta uma cruzada contra ideias que se opõem as suas ideologias?

          Ou vc tem medo de encarar a realidade e perder sua débil fé em um deus da mentira e da enganação?

          1. É verdade Elyson, Stephen Meyer sendo PhD em filosofia da ciência, não poderia falar de evolução, pois esta não é ciência, e sim pseudociência…

            Segundo a Wikipedia:
            “A segunda lei é uma conseqüência da aleatoriedade assumido de caos molecular”.
            Como a entropia aumenta, há um aumento correspondente na desordem – o caos.

            Com base na lei da física fundamental do universo (segunda lei da termodinâmica) a entropia avança ao longo do tempo a partir de ordem (complexo) a desordem, a degeneração, logo a evolução biológica (simples) indo da desordem para a ordem (mais complexos), é um fato de contradição com as leis físicas da natureza.
            Um sistema deixado a própria sorte tende a se destruir.
            A evolução biológica existe como pensamento filosófico – não como um fato científico.

          2. Como vc mesmo admite: “pois avaliamos tudo antes mesmo de termos vontade, bem como moral é algo em parte ensinado culturalmente…”

            A pré-analise, avaliação racional de nossa consciência, julgamento é o fator desencadeante das reações químicas elétricas no cérebro, e não a própria matéria no cérebro, que é irracional, amoral, impessoal, incogníscivel,… logo esse atributos singulares nos humanos é contrário a uma suposta evolução meramente física/mecânica biológica.

          3. Não adianta!!! Vc não APRENDE MESMO!!! O TEIMOSIA!!!!!

            O cara circula sempre em torno de um mesmo ponto, batendo insistentemente na mesma tecla.

            ENTROPIA É MATÉRIA DADA!!!!

      1. Explicação muito boa. Se torne professor (Ou continue se já é). O mundo precisa de pessoas exclarecidas.

      2. Falou quem sabe!
        Comentários/Respostas assim é que tornam o M.S. uma parada obrigatória na net!
        Parabéns Elyson, pelo esclarecimento (ou… escurecimento do elefante) !

      3. Ainda bem que este blog manteve a discussão sobre ciências viva. Já que o Reinaldo abandonou o blog dele, podemos acompanhar as aulas de Elyson aqui!

      4. Meu “lado” cartesiano com pitadas de empirismo me diz que há um número considerável teorias de como teria acontecido a vida na Terra. Mas, apenas teorias, bem construídas e consolidadas e por vezes em “cima” de outras teorias, que parecem demonstrar o que EFETIVAMENTE aconteceu num passado muito longínquo. Por ora, é um ótimo material para reflexão, e só!

        1. Na verdade a teoria que fala do nascimento da vida na Terra é uma só que eu tenha conhecimento e que caso um dia chegue-se a conclusão de que a vida começou em Marte e veio pra cá de carona, eu acho que seria completamente adaptável já que existem grandes chaves de Marte ter sido como a Terra, ainda sim com todos os “se’s” essas teorias tem muito mais embasamento que as estórias que tem por aí.

      5. O que dizer? … Brilhante!

        Desonestidade e preguiça são duas palavras que resumem o criacionismo e DI.

      6. Elyson,
        Relaxa!… que esse aí é difícil de entender mermo! nem demonstrando matematicamente, estatísticamente e com todas os métodos científicos conhecidos, ele não entende! e não desiste! (ele afirma categoricamente que nuvens de chuva são milagre! rsrsrs, só faltou falar em chuva de maná.. acho que ele não lembrou kkkk). Chega à ser engraçado um cara que cita a “2ª lei da Termodinâmica” e não entede como a nuvem se forma por Resfriamento Adiabático (que é um processo de transformação Termodinâmica)
        Elyson, gostaria de parabenizá-lo pela excelente explicação e pelo gosto em ensinar… mas tá ligado que pro Cícero não vai servir pra muita coisa, sabe né Entropia rima com Atrofia (no “CÉLLLEBRO!” rsrsrs) por isso ele não muda o discurso…
        Toda essa teoria Criacionista Transvestida de Ciência apresentada pelo Cícero, só conclui que “DEUS FEZ O TRILOBITA À SUA IMAGEM E SEMELHANÇA!” kkkkkkkk….

        1. Pois é Carlos…

          O cara sempre vem com as mesmas histórias sem pé nem cabeça. Que já foram “n” vezes refutadas por mim e por outros.

          Toda vez é destroçado e sai catando os cacos.

          Ai some por uns tempos.

          Toma um fôlego e retorna com as mesmas bobagens alimentadas por sites criacionistas, por quote mining e por artigos científicos distorcidos. detalhe: ele só cita aquilo que aparentemente parece dar azo as suas crendices.

          Quando vc vai a fonte o lance é bem diferente.

          Esse comportamento desonesto e teimoso mesclado a um desejo proselitista só pode ser fruto de uma lavagem cerebral intensificada.

          É a total má compreensão dos fundamentos de uma religião; é a religião que envenena e que se esquece do que é fazer o bem e se prende em fazer provas de que é algo que tem de ser entendido como uma verdade absoluta, sobre o que quer que seja.

          É a religião que para se sustentar tem de ser assentada sobre a mentira, o erro, a canalhice, o engodo, o medo, a culpa, a ignorância e o proselitismo doentio.

          A fé dessa gente é tão fraca que eles têm uma necessidade extrema de provar que seus deuses existem e que seus dogmas e mitos são a verdade absoluta acima de tudo.

          É fazer má religião e má ciência.

          É enganar-se a sí mesmo, de forma a que seus castelinhos de areia não se desfaçam.

          Crer em deus não é ser estúpido; mas, mentir em nome dele é ser canalha e dar de ombros ao conhecimento é ser idiota.

        2. Carlos,
          Lamento se vc não crê e não aceita os Fatos científicos observáveis. Exceções também tem base científica.

          Se a Lei da Gravidade não fosse quebrada por alguns instantes, nem haveria formação de nuvens com água e gelo dentro delas, não somente vapor ahahahah!! 😀

          1. Cícero, quem não aceita os fatos é você! Ainda mais cientificamente, então faz assim…
            Vou lhe propor um DESAFIO!
            Calcula e demonstra aqui no blog, como seria esse efeito de falta de gravidade geradora de nuvem, tô falando de matemática, não adianta versinhos bíblicos, demonstra aí o valor que define o tempo de falta de gravidade na atmosfera que gera nuvem com gotículas de água e gelo e explique como o evento funciona…
            Ah e nem venha com essa de milagre… isso só reforçaria a sua falta de conhecimento. … ACEITA O DESAFIO?

          2. Como vc mesmo já admite:
            “o valor que define o tempo de falta de gravidade na atmosfera que gera nuvem com gotículas de água e gelo”
            O tempo é irrelevante, sendo o fato plenamente observável especialmente em nuvens tipo cumulonimbus.

          3. Caramba Cícero .. tú e bobo ou quer 1 Real? ( só de moeda tá rsrs)
            Cadê. .. aceitou o desafio ou não?

            Como você diz que eu admito um… um… um… MILAGRE DESSES!

            Tu é mula mermo heim, tentando sair pela tangente?

            Você viu que a matemática divina não aguenta essa e demonstra isso como resultado? Lamentável. .. poxa podia usar até Alquimia que ficava menos feio…

            Se você diz que tem uma quebra na lei da gravidade que permite a geração de nuvens, essa quebra se dá em um instante, se é em um instante, é em algum momento que ele deve ser mensurado, na unidade de tempo, entendeu?
            Agora, se o fato é plenamente observável, ele pode ser mensurado, se pode ser mensurado, pode ser descrito… e então? O que você e seu Deus demonstram (processos, equações e afins…) a respeito desse fenômeno intrigante “A QUEBRA DA LEI DA GRAVIDADE!”?
            vamos Cícero. .. você consegue. .. pelo menos alguma coisa engraçada eu sei que você é capaz! KKKKK

          4. Cícero, no processo de formação de nuvens não há quebra alguma da lei da gravidade.

            Nuvens são água em forma de vapor, que sobe até a uma certa altura onde é frio e se condensa por ação da temperatura.

            Dependendo da quantidade de água as nuvens se condensam mais rapidamente e se saturam.

            Por isso em dias quentes e abafados se formam aquelas nuvens pretas e caem aqueles pés d´água. Essas nuvens se saturam muito rápido pela temperatura e, às vezes formam até granizo.

            O granizo se forma em grandes nuvens de tempestade, particularmente naquelas com correntes ascendentes e intensas, com alto conteúdo de água líquida, grande extensão vertical, gotas de água de grande porte e onde uma boa parte da camada de nuvem tenha temperatura abaixo de 0°C.

            Em dias mais frios vemos aquele céu azul com uns risquinhos que são cristais de gelo sob a forma de nuvem. Ou então nubla devido ao encontro de uma corrente de ar frio com uma de ar quente, o que faz o vapor se condensar e chover sem parar.

            Quando ocorre a saturação de líquido, que é mais denso que atmosfera, ai chove.

            No vapor de água houve a ruptura das pontes de hidrogênio devido ao calor. Pois é, tem tudo a ver com entropia. que, na vaporização é dada por S = mLv/T, sendo T constante para a água sair de seu estado líquido e se tornar vapor. Essa energia é usada para executar as quebras das pontes de hidrogênio que o H2) forma e assim a água se vaporiza, pois ela é uma molécula cujo M=18g.

            Todavia, à temperatura e pressão ambiente, ela é líquida, pois se trata de uma molécula polar e é essa polaridade que gera as pontes de hidrogênio.

            Se vc tomar por exemplo propano(C3H8), essa molécula tem um peso molecular muito maior que o da água e se trata de um gás porque é uma molécula apolar e não faz pontes de hidrogênio. Vc liquefaz este gás a baixas temperaturas e alta pressão (é o botijão de gás (deveria se chamar botijão de líquido).

            Assim, Cícero a chuva e a formação de nuvens não se tratam de milagres, mas de física e química. Não necessitamos de criadires para explicar nada disso, mas apenas de física e química.

            Nuvens e atmosfera não escapam para o espaço pois sua velocidade de circulação é muito menor que a velocidade de escape do planeta dada por:

            v = (GM/R)^(0,5)

            Ainda na atmosfera, temos a lei de distribuição barométrica dada por:

            P = Po * e ^(-Mgz/RT), que traduz como se comporta a coluna de fluido num ambiente sob ação da gravidade.

            Ainda Cícero temos que todas as acelerações que influenciam em um corpo são dadas pela derivação da seguinte identidade:

            R = Ur*r, sendo R e Ur vetores.

            o que nos leva a (sendo Uθ):

            a = Uθ* (αR + 2ω (dr/dt)) + Ur [rω^2 + (d^2r/dt^2]

            sendo

            αR = aceleração tangencial

            2ω (dr/dt) = aceleração de Coriolis

            rω^2 = aceleração centrípeta

            d^2r/dt^2 = aceleração radial

            Em resumo, não há força centrífuga e, nem essas acelerações agem de forma a fazer com que a atmosfera fuja para o espaço.

            Pode ocorrer de moléculas gasosas como o H2 escaparem da atmosfera, pois elas são muito leves (pouco densas em relação ao ar) e sobem muito alto na atmosfera, onde a gravidade é bem mais fraca e assim escapam para o espaço.

            A única coisa que é capaz de varrer uma atmosfera são os ventos solares, mas isso ocorre devido a perda do campo magnético de um planeta pelo resfriamento de seu núcleo, como ocorreu com Marte.

            Mas aqui na Terra ainda existe magma em seu interior o que é um bom sinal, pois demonstra que o núcleo está ativo e que o campo magnético continuará firme e forte por um bom tempo, embora ele oscile, o que é demonstrado pelo paleo magnetismo.

            Assim, Cícero, não há milagres em chover ou ter-se uma atmosfera que forme nuvens.

            Milagres não existem. São frutos de nossa imaginação e de nossa ignorância acerca dos fenômenos que nos cercam.

            E ai Cição entendeu ou vai continuar insistindo em errar?

            Bibliografia recomendada:

            Castelan – Fundamentos de Físico química.

            Beer Johnston – Mecanica vetorial para engenheiros.

          5. Aos teimosos, ignorantes…

            Nuvens são água em forma de vapor, que sobe até a uma certa altura onde é frio e se condensa por ação da temperatura.

            Negativo. Se condensa, então vira líquido como vc mesmo afirma abaixo e a Wikipédia. O vapor é o trânsito até as alturas.

            O granizo se forma em grandes nuvens de tempestade, particularmente naquelas com correntes ascendentes e intensas, com alto conteúdo de água líquida, grande extensão vertical, gotas de água de grande porte e onde uma boa parte da camada de nuvem tenha temperatura abaixo de 0°C.

            Uma clara e visível quebra da Lei da Gravidade. Como granizo e água líquida poderiam flutuar? só se tivessem asas! tais nuvens, visíveis a nós, nem deveriam se formar mas imediatamente se despencar sendo de água e granizo (gelo). Somente cegos e teimosos para insistirem nesta falácia.

          6. caramba Cícero !!!! Vc não sabem nada mesmo de física ein!

            INSISTE EM ERRAR, INSISTE EM TEIMAR, INSISTE EM SER BURRO!!!

            VC REALMNETE É A OBRA PRIMA DO CRIADORE DEMENTE, DIGO INTELIGENTE. VC CONSEGUE SE SUPERAR A VC MESMO EM TERMOS DE TEIMOSIA E IGNORÂNCIA.

            E depois os outros são ignorantes.

            Entenda uma coisa:

            NÃO HÁ QUEBRA DE GRAVIDADE EM LUGAR ALGUM DO UNIVERSO. NEM MESMO EM BURACOS NEGROS ISSO ACONTECE. AO MENOS POR ENQUANTO, ISSO NÃO VAI ACONTECER E NÃO ACONTECE.

            Condensar é virar líquido Cícero, mas esse líquido para precipitar tem de se saturar. Não existe um bloco de gelo no céu ou uma poça de água nas nuvens.

            Primeiro, porque as gotículas de nuvem são minúsculas, com diâmetro médio menor que 20 μm. Evaporariam antes de atingir a superfície.

            Segundo, as nuvens consistem de muitas destas gotículas, todas competindo pela água disponível; assim, seu crescimento via condensação é pequeno.

            Uma gotícula com 20 μm de diâmetro teria uma velocidade terminal de 1,2 cm/s levando, portanto, cerca de 50 horas para cair de uma altura de 2200m.

            Portanto, as gotículas de nuvem precisam crescer o suficiente para vencer as correntes ascendentes nas nuvens e sobreviver como gotas ou flocos de neve a uma descida até a superfície sem se evaporar. Para isso, seria necessário juntar em torno de um milhão de gotículas de nuvem numa gota de chuva.

            Formação de precipitação:

            O processo de colisão-coalescência ocorre em algumas nuvens quentes, isto é, nuvens com temperatura acima do ponto de congelamento da água (0° C).

            O processo de Bergeron aplica-se a nuvens frias, que estão em temperaturas abaixo de 0° C.

            Em função da forma como a parcela de ar se eleva e atinge a saturação existem três tipos de chuva.

            – CHUVA CONVECTIVA OU DE CONVECÇÃO OU DE VERÃO

            – CHUVA OROGRÁFICA OU DE RELEVO

            – CHUVA FRONTAL OU CICLÔNICA

            Bibrliografia recomendada:

            Galvani, Emerson PROCESSO DE FORMAÇÃO DE NUVENS E DE CHUVA – Departamento de Geografia Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Universidade de São Paulo.

            aqui segue o artgo do galvani inteiro:

            http://www.geografia.fflch.usp.br/graduacao/apoio/Apoio/Apoio_Emerson/Texto_Precipitacao.pdf

            Ou será que o cara não sabem nada também?

            Bom Cícero, o sujeito é professor na área. Será que ele também é um ignorante por não falar em quebra de gravidade?

            Acho que o ignorante aqui é vc Cícero.

            LEIA MAIS ANTES DE ESCREVER TANTA ASNEIRA.

          7. Obrigado Elyson…

            O estudo do Galvani vem confirmar indiretamente a quebra da Lei da gravidade momentaneamente, ainda que ele não percebeu diretamente a implicação da queda possível das gotículas antes de atingir o nível de gota de chuva mais pesada.
            Ele diz:

            “Devido ao pequeno tamanho, sua velocidade de queda seria tão pequena, de modo que, mesmo na ausência de correntes ascendentes, ela se evaporaria poucos metros abaixo da base da nuvem.”
            “A velocidade de queda de uma gotícula de nuvem ou cristal de gelo através do ar calmo depende de duas forças: a força da gravidade (peso) e o atrito com o ar. “Quando a partícula é acelerada para baixo pela força da gravidade, sua velocidade cresce e a resistência do ar cresce até eventualmente igualar a força da gravidade”
            “Mesmo que elas descessem da nuvem, sua velocidade é tão pequena que elas percorreriam apenas uma pequena distância antes de se evaporarem no ar não saturado abaixo da nuvem.”
            “Portanto, as gotículas de nuvem PRECISAM crescer o suficiente para vencer as correntes ascendentes nas nuvens e sobreviver como gotas ou flocos de neve a uma descida até a superfície sem se evaporar.”

            Epa!! mas espere aí, por que a Lei da gravidade deveria esperar até que as gotículas PRECISASSEM crescer o suficiente para virarem gotas pesadas de chuva????? 😉
            Ora, o efeito da gravidade seria contínuo mesmo para gotículas leves, portanto deveria ser constante o movimento de queda e evaporação como diz Galvani:
            “poucos metros abaixo da base da nuvem.”
            Assim na verdade, não haveria nunca chuva, devido ao efeito constante da gravidade num ciclo interminável de queda e subsequente evaporação poucos metros abaixo da base da nuvem!

          8. ERA ISSO QUE EU TAVA FALANDO CIÇÃO! ESSE NIVEL DE BABOSEIRA QUE EU SABIA QUE VOCÊ CONSEGUIA FALAR! Noooosssaaa! Viajou mais que uma gotícula de água à 3000m…
            Tú é muito mula! Kkkkk… tentando jogar a física contra a física! Além de tudo é analfabeto!
            Cícero. ..
            As correntes ascendentes irão gerar resistência ao movimento de queda da gotícula de água (a gravidade tá puxando, mas o ar ascende mantém ela nas alturas), até que em determinado instatante, ele se torne pesada o suficiente para que a resistência do ar não consiga segurá-la e ela vem em direção ao solo!
            Portanto não existe essa tal ANTI-GRAVIDADE que você tanto prega!
            Mas Cícero. .. tô esperando a demonstração do fenômeno, pede

          9. Santa teimosia e santa ignorância Batman!!!!

            Vc realmente é uma NULIDADE ME FÍSICA!!!

            Ou deve ter problemas sérios de cognição!!!

            Ou então gosta de curtir com a cara dos outros…

            Qual é Cícero, vc tá me tirando de otário É?

            Onde foi que o cara falou de quebra da gravidade Cícero?! vc pirou!?

            Cícero, isso não é quebra da gravidade.

            Pensa:

            Existe uma atmosfera certo?

            Essa atmosfera possui uma resistência do ar certo?

            Essa resistência do ar é uma força contrária à queda de um corpo dada por F = k*v^2, onde k é a constante que depende do formato do corpo e v é a velocidade do corpo, certo?

            Existe o empuxo da atmosfera que também é uma força contra o peso da gotícula certo?

            Agora, faça uma coisa:

            Se vc morar num prédio, jogue ao mesmo tempo um martelo e uma almofada de sua sacada, ambos com a mesma massa.

            Teoricamente, se nosso mundo não tivesse atmosfera, pela descoberta de Galileo, os dois chegariam ao solo no mesmo tempo e com a mesma velocidade certo?

            Entretanto, o martelo chegará primeiro, justamente porque temos atmosfera e essa atmosfera tem um empuxo dado mor E=dl*Vc*g (dl = densidade do fluido, Vc= volume imerso do corpo e g= gravidade) e uma resistência dada por R = k*v^2.

            Assim, o que temos é:

            F = P-(E+R), sendo P > E-R

            m*a = m*g – dl*Vc*g – k*v^2

            O que notamos é que a resistência do ar crescerá até se igualar com P-E, o que fará com que a gotícula caia com velocidade constante após percorrer um certo espaço.

            a equação em termos de espaço é dada por:

            M (d2s/dt2) = mg – dl*(m/dc)*g – k (ds/dt)^2

            pois dc = m/Vc e Vc = m/dc

            Sendo ainda que m e k variam devido à evaporação de líquido por ação do calor (perde-se massa de líquido o que altera o volume e a área da gota).

            Ou seja, o que temos é uma aceleração menor em relação á queda do corpo (gotícula). Mas só se P > E-R, pois do contrário isso não irá acontecer e a gotícula permanecerá em suspensão na nuvem.

            Se o empuxo supera o peso, o corpo não cai (ex. balão de gás e rolha que flutua na água) . Isso por acaso é quebra da gravidade? Não né?!

            E agora se o gás do balão acaba? Ele vai cair né? Por que ele cai? Porque temos um corpo com densidade maior que a do ar, sendo que o peso desse corpo supera o empuxo e a resistência do ar.

            Assim, se ocorrer a formação de uma gota que supere o empuxo e a resistência do ar, o que vai acontecer? Vai cair certo?

            E por que essa gota se forma? Por que a água condensa certo?

            E por que se forma uma gota maior?

            por que a água possui moléculas que se atraem eletricamente e formam pontes de hidrogênio, certo?

            O que é saturação? Quando tratamos de substâncias voláteis, é o equilíbrio entre a fase líquida e a de vapor.

            Ao diminuir a temperatura, ocorre o ponto do orvalho que é onde essa água condensa e começa a ser acrescida de mais e mais água.

            Por que isso ocorre? porque no ponto de orvalho, densidade de vapor é a máxima e se iguala a da saturação.

            Se mais vapor for acrescentado ao ar já saturado, ele irá condensar, o que forma a nuvem.

            Se a temperatura cair mais, removerá mais vapor até que se formem gotículas que superem o empuxo e a resistência do ar e assim começa a chuva.

            Caso ocorra uma temperatura de orvalho negativa, o vapor sublimará em gelo, o qual após formar um floco que supere E+R precipitará na forma de neve.

            Entendeu Cícero?

            NÃO HÁ QUEBRA ALGUMA DE GRAVIDADE. O QUE HÁ É TUDO UMA QUESTÃO DE HIDROSTÁTICA, POIS ATMOSFERA É UM FLUIDO COMO ÁGUA, METANO OU GASOLINA.

            Se não existisse atmosfera, não se formariam nuvens e não choveria. Nem mesmo água haveria. A propósito, vc já ouviu falar que chove na Lua ou em Marte?

            Te garanto (aliás eu não, Galileo) que se vc jogar da sacada do prédio o martelo e a almofada lá na Lua, eles chegarão ao solo no mesmo tempo e com a mesma velocidade.

            Por que?

            Pois é nesses lugares a atmosfera é tão rarefeita que não chove. Se ouve atmosfera algum dia nesses lugares ela foi carregada pelos ventos solares.

            Mas já ouviu falar que chove metano em Titã…

            Por que?

          10. O cara é difícil né Carlos…

            O maior defeito dele é a TEIMOSIA!!!

            Há os seguintes tipos de ignorantes:

            O que é ignorante, sabe que é e deseja continuar sendo ignorante;

            O que é ignorante, sabe que é e deseja sair da ignorância; [Este tipo de ignorante somos nós…]

            O que é ignorante, não sabe que é mas aceita quando mostram a sua ignorância;

            O que é ignorante, não sabe que é não aceita quando mostram a sua ignorância;
            [É aqui que está o Cição…]

          11. Vamos lá Cícero!!! Recapitulando a matéria:

            Exercícios:

            1 – Já teve o prazer de voar de balão? Por que um balão mais pesado e mais denso que o ar voa? Seria quebra da gravidade ou seria uma questão de hidrostática? Justifique.

            2 – Por que às vezes, quando venta, as folhas de uma árvore voam? Seriam correntes de ar ascendentes ou quebra da gravidade? Justifique.

            3 – Por que quando vc ferve água na tampa da panela formam gotículas? Por que elas ficam presas na parte interna da tampa? Se eu acrescentar mais vapor, formará mais água? Como essas gotas crescem e por que?
            Vai chegar um momento que elas precipitarão para dentro da panela? Por que? Que forças elas terão de vencer para precipitar? Tem alguma corrente gasosa envolvida nosso tudo? Qual? Estaria envolvida a quebra de gravidade nesse fenômeno? Justifique.

            Agora a pergunta que vale a nota máxima (pra lavar a égua e escovar o jumento!!!!):

            4 – Por que gotículas de água ficam suspensas nas nuvens? Como elas se formam? Por que precipitam? Que forças tem de vence rpara haver a chuva? Haveria alguma questão termodinâmica envolvida nisso tudo? Seria quebra da gravidade ou uma questão hidrostática mais correntes de ar ascendentes? Como se dariam essas correntes de ar ascendentes? Justifique.

            Vamos ver Cícero se vc aprendeu alguma coisa. Pode consultar o que vc quiser, menos material criacionista que acho que é de onde vc extrai essas pérolas do absurdo.

    4. Vai Cícero!… não desiste!… não deixa eles te surrarem, te jogarem nas cordas! Usa aquela sua arma secreta… o livro do Gênesis! Ou sei lá… qualquer poesia bíblica, ou num sei… quem sabe… Abiogênese?
      KKKKKKHAHAHAHAHHEHEHERSRSRSRSKKĶKK
      Vai Cícero!. … rebate essa! Tá facil pra sua criatividade! Você tem muita… desiste não! KKKKKKKKHAHAHAHEHEHEHRSRSRSRSKKKKKK

          1. Pô Eu… não precisava ofender… as ANTAS! Uma coisa que o Criacionismo explica é que como não tem evolução, o Cícero já foi criado BURRO! Kkkkkhahahhehehrsrsrskkkkk!

          2. Pelo seu nome (eu) nota-se facilmente quem é anta aqui!

            E talvez pelo “equilíbrio pontuado” o Carlos passe direto de hiena risonha para mais um evoluBURRIcionista militante fundamentalista! 😛

    5. Antes da explosão do Cambriano já haviam animais modernos, os poríferos e os cnidários.
      Além desses também havia a misteriosa fauna de edicara, que não deixou descendentes no eon fanerozoico.

      É bom lembrar também que a explosão do cambriano não ocorreu de uma vez, ela se deu em estágios, num intervalo de aproximadamente 50 milhões de anos (nada comparado ao tempo anterior decorrido)

  20. Fico com a primeira opção, veio do espaço, na grande colisão, como os anunnaki contaram aos sumérios.

    1. Pergunta pro Conan quem criou o Universo, e ele com certeza vai te mandar pro outro mundo sem cabeça! KKKKKK… afinal ele é Sumério! KKKKKK

  21. Se juntarmos a já comprovada abundância de água no universo e a provável existência de grande número de planetas semelhantes à Terra, acredito que a hipótese mais possível é a vida como consequência de um ambiente propício a ela. Acho ainda que nunca estivemos tão perto de encontrar stas evidências com o avanço significativo dos instrumentos de pesquisa.

Comments are closed.