Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade

Cassini filma misterioso hexágono de Saturno

Por Salvador Nogueira

Parece nome de filme B de ficção científica, né? “O misterioso hexágono de Saturno.” Mas não é isso, é algo muito melhor: pura realidade científica. A sonda Cassini fez um precioso registro de uma bizarra formação atmosférica localizada no polo norte do planeta, famoso por seus anéis.

Imagem em cores falsas revela detalhes do polo Norte de Saturno
Imagem em cores falsas revela detalhes do polo Norte de Saturno

A foto obviamente usa o artifício de atribuir cores diferentes de acordo com a densidade de partículas que circulam pela atmosfera, o que permite visualizar os movimentos com mais clareza. Mas o hexágono é visível até em imagens que apresentam as cores reais do planeta, como nesta publicada recentemente pelo Mensageiro Sideral.

Saturno visto de cima, em mosaico de imagens da sonda Cassini
Saturno visto de cima; repare no hexágono no polo Norte

O hexágono é uma formação sem igual nos planetas do Sistema Solar. Há uma tempestade no centro dele, parecida com as da Terra, mas muito mais intensa — ela já perdura por décadas. Especula-se que a duração das tempestades se deva ao fato de que Saturno não tem um solo sólido e acidentado que ajude a conduzir e bloquear as correntes de ar, dissipando a tempestade. Sendo uma imensa bola de gás, ele tem fenômenos atmosféricos bem mais duradouros.

O hexágono em torno da tempestade, por sua vez, tem 30 mil km de diâmetro (não custa lembrar que a Terra inteira tem 12,7 mil km de diâmetro!), e é formado por um fluxo de ventos que viaja a 320 km/h! Vento soprando na velocidade máxima de um carro de Fórmula-1!

Animação mostra movimentação atmosférica no hexágono
Animação mostra movimentação atmosférica no hexágono

Embora já seja conhecido há tempos, o hexágono só está podendo ser bem estudado agora, pois é neste momento que o verão saturnino está começando no hemisfério Norte, permitindo que a região central dele — o polo — seja iluminada pela luz solar. Lembre-se de que Saturno está bem mais afastado do Sol que a Terra, e por isso leva 29 anos terrestres para completar uma volta. Um verão de alguns anos a cada 29. (Um ser humano vivendo em Saturno comemoraria, na melhor das hipóteses, três míseros aniversários antes de morrer. Por isso, os saturninos devem ser muito mais criteriosos na hora de escolher os presentes que querem ganhar!)

O pessoal da Cassini já está ansioso para acompanhar possíveis mudanças no hexágono durante o verão. E eles terão até 2017 para isso, data para o término da missão estendida da sonda. Ela já está operando em órbita de Saturno desde 2004.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade