O balé do pálido ponto azul e sua lua

Salvador Nogueira

É impossível não sentir um arrepio quando vemos a nossa Terra de longe. Como diria o saudoso astrônomo Carl Sagan, é apenas um “pálido ponto azul” na imensidão do cosmos. Você já imaginou o que veria pela janela de uma nave caso estivesse viajando na direção da Terra, vindo do espaço profundo? Pois não precisa mais imaginar. A sonda Juno, da Nasa, acabou de filmar isso para nós. Confira o vídeo.

O encontro, que revela o bonito balé da Lua girando ao redor da Terra, teve seu momento de máxima aproximação no dia 9 de outubro. Obviamente, o vídeo integra mais de uma semana de viagem em poucos minutos, mas é de tirar o fôlego (a música original composta por Vangelis para ele também ajuda um bocado). Quando a Terra é avistada na imagem, a Juno está a cerca de 1 milhão de km de nós (cerca de duas vezes e meia a distância daqui até a Lua). Ao passar de raspão por nosso planeta, chega a estar a meros 559 km da superfície terrestre.

As imagens foram registradas por um instrumento da Juno projetado para detectar estrelas muito sutis. É o que permite detectar a Lua na mesma imagem, mesmo ela sendo bem menos brilhante que a Terra. Em compensação, as imagens têm baixa resolução, o que fica evidente conforme a sonda se aproxima mais de nosso planeta.

Lançada da Flórida em 5 de agosto de 2011, ela foi até o cinturão de asteroides e voltou. Ao sobrevoar da Terra, ela usa o campo gravitacional do planeta para acelerá-la, qual fosse um estilingue, na direção de seu destino final: Júpiter.

Concepção artística da passagem da sonda Juno pela Terra
Concepção artística da passagem da sonda Juno pela Terra

Lá, a Juno entrará em órbita polar ao redor do maior dos planetas do Sistema Solar, com o intuito de revelar os segredos das entranhas desse mundo, permanentemente escondidos por nuvens espessas. Daí a escolha do nome para a missão. Na mitologia romana, Juno era a esposa de Júpiter, sempre a vigiar e desfazer o véu de trapaças criado por seu marido insistentemente infiel. (Na mitologia grega, os dois deuses eram conhecidos como Hera e Zeus.)

A sonda deve chegar a Júpiter em 5 de julho de 2016.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Comentários

  1. É delírio de uma tarde de verão, mas imagine-se à bordo de Juno e você está voltando para casa após uma longa jornada e vendo aqueles pontinhos “flutuando” no espaço.

  2. Nossa sociedade tem em torno de 10.000 anos de idade aproximadamente, se é que existiram outras. Mas só agora tivemos a oportunidade de ver o sistema terra-lua de longe. É um grande privilégio para nós!

  3. Caro Jurandir.
    Seu comentário para ser coerente deveria se apresentar com humildade diante da grandiosidade do cosmo e este COSMO, certamente, possui um criador. Como somos pequeninos diante da criação e a ciencia que o diga porque vem patinando no decorrer dos séculos e até hoje, não passa de uma inventora que criou um artefato e com uma bela Câmara fotográfica para registrar o belo que o TOPO PODEROSO CRIOU. A GRANDIOSIDADE DA CRIAÇÃO, NOS SEUS MÍNIMOS DETALHES, NOS FAZ PEQUENOS E INSIGNIFICANTES DEMAIS DIANTE DO MISTÉRIO QUE SE ESCONDE NA VASTIDÃO DO UNIVERSO. PENSE NISSO, REAJA E NÃO SEJA UM DESCRENTE PARA APENAS SATISFAZER O SEU ÉGO E EM DECORRÊNCIA DISSO, VIR SE APRESENTAR DIANTE DA MÍDIA COMO SENDO UM SER ULTRA MODERNO. TENHO QUASE QUE CERTEZA, LÁ NO FUNDO DE SUA ALMA VOCE TEM MEDO DA SUA PRÓPRIA PEQUENEZ, CONDIÇÃO HUMANA QUE LHE FAZ TORNAR IMPOTENTE DIANTE DAS CIRCUNSTÂNCIAS COTIDIANAS – AFETA AO SER HUMANO. NÃO É MESMO ?
    REPOUSE EM MEIO A PAZ E TENTE SONHAR COM O MARAVILHOSO QUE AO DESPERTAR SENTIRÁS PARTE DA CRIAÇÃO DE DEUS.

    1. Você poderia ter,resumido tudo assim:
      Caro Jurandir.
      Deus criou tudo.

      os crentes agora andam com essa mania de validar suas bobagens com textos enoooooormes.

        1. Jonas e Charles, não adianta nós, seres críticos, pensantes e indagadores tentarmos ensinar, provar, argumentar e demonstrar o que a ciência vem reiteradamente, dia após dia, provando.
          Fé é isto, é simplesmente fechar os olhos, ouvidos e consciência para tudo que é coerente e simplesmente dizer: “EU ACREDITO NO INIMAGINAVEL!!! EU ACREDITO NO QUE MEUS PAIS, MEU PADRE, PASTOR E MINHA IGREJA ME IMPOEM, EU NÃO RACIOCINO POR MIM, EU SOU UMA OVELHA, EU APENAS SIGO, SEM QUESTIONAR, INDAGAR OU OUSAR DISCORDAR!!!” ( assim mesmo, sempre em CAIXA ALTA).
          Eu cansei de tentar ensinar algo de produtivo, mas cheguei a conclusão que é mais fácil ensinar aos Primatas sobre ciência que aos Crentes sobre esta.
          O que mais me indigna é que quando estes mesmos “crentes” estão adquirem alguma doença, correm para os braços da ciência, sejam hospitais, clinicas, médicos ou fármacos! Porquê não correm para dentro de suas igrejas em busca de uma cura milagrosa?
          Minha esperança é que os cientistas comprovem a existência de vida fora do planeta Terra, para que, quem sabe assim, os seguidores de espíritos inexistentes percebam que a vida não nasceu de um sopro divino e que a Terra não é o centro do universo. E é claro, espero estar Vivo para assistir de camarote a ruina total de todas as religiões existentes….


  4. Salvador,
    O orbital da Lua aparece tão “largo” em virtude da pequena distância de Juno?
    É isso ou alguma outra coisa?
    [Quando a Terra é avistada na imagem, a Juno está a cerca de 1 milhão de km de nós (cerca de duas vezes e meia a distância daqui até a Lua)]

  5. Coisa linda viu, arrepiei!

    Salvador, a sonda foi ao cinturão de asteroides e voltou?? Não seria mais “lógico” ela passar por ele já que ele fica entre Marte e Júpiter?

    1. Ela entrou numa órbita solar oval com afélio (distância máxima do Sol) no cinturão e periélio na região da Terra. Aí, ao passar na Terra, ganhou o empurrão extra para entrar noutra órbita solar mais alongada, que vai dar lá em Júpiter. Aí a Juno vai passar pela órbita de Júpiter justo quando ele estiver lá, e vai manobrar para entrar numa órbita polar. Se fosse uma missão de sobrevoo, poderiam mandar ela direto, mas aí ela ia chegar lá com muita velocidade, o que dificulta a entrada em órbita de Júpiter. Do jeito que foi planejado, ela chega lá quase parando, com “vontade” de cair pra dentro do sistema de novo. Aí é preciso menos energia para colocá-la em órbita.

      1. Que belo trabalho, linda oportunidade da divulgação e perfeita a sua abordagem.
        Parabéns mais uma vez, e muito obrigado.

      2. parabéns pelo vídeo realmente muito legal. Agora comentando a missão, embora as pesquisas das agências espaciais invistam em diversificados projetos, acredito que esses projetos pontuais e diversos fogem um pouco dos anseios imediatos da humanidade tais como a busca por vida ou desvendamento de enigmas da matéria escura, energia escura, buracos negros, etc. Não há dúvidas que a visão atual é producente, porém mediatamente para os anseios do homem; não seria mais interessante e instigador deixar o previsível de lado e ao invés de sondar as nuvens de Júpiter, centrar foco nos anseios imediatos e ao alcance, quero dizer, centrar foco em Europa e Titã, por exemplo? quatro projetos para Europa com foco na busca de vida são mais instigantes do que quatro para cada planeta gasoso, na minha opinião.

        1. Samuel, acho que há vários aspectos a se considerar. Primeiro que, do ponto de vista de um programa espacial, colocar todas as fichas na busca por vida pode ser contraproducente a longo prazo. Se nada é encontrado, é muito fácil decidir que não precisamos de programa espacial. Aconteceu algo parecido com a exploração de Marte, após as sondas Viking. O foco na busca por vida era tão grande que, quando nada foi encontrado, a Nasa demorou décadas a levar novo veículo à superfície marciana.

          Por outro lado, mesmo quando não estamos buscando por vida, estamos aprendendo sobre as circunstâncias da vida. Uma das missões da Juno é estudar o campo magnético de Júpiter, que por sua vez é essencial para compreender o ambiente de radiação em Europa. Então, nunca existe uma desconexão completa.

          E, por fim, temos a questão da serendipidade: o fato de que podemos ser surpreendidos por descobertas acidentais. Por essas e por outras, sou a favor de um programa de exploração mais abrangente, como o que a Nasa adota. Mas entendo o que você diz e me frustra trabalharem tão pouco numa missão de pouso em Europa…

    1. Se a Terra e a Lua estivessem mergulhadas numa nebulosa cheia de gases, meteoros, cometas e outros corpos celestes maiores, você ainda diria que o Universo é perfeito?

  6. Como é lindo ver a nossa casa pairando no Universo. Somos um planeta pigmeu diante da imensidão. Graças a ciência cada vez não sentimos a existência de Deus, mas como desligar dessa ideia que a 2.000 anos nos foi imposta…

  7. Sr. Salvador Nogueira. Muito obrigado por ter disponibilizado este espetáculo emocionante aqui no site.

    Hoje o meu dia será melhor!

  8. No espaço profundo! Brilhante! Na câmara dos destinos, viajei até a Suméria. Em Canaã Júpiter/Zeus era conhecido como Baal, e na Suméria, Shamash, de Sippar, Cidade dos Passaros (dos Carros Celestiais).

Comments are closed.