Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

O balé do pálido ponto azul e sua lua

Por Salvador Nogueira

É impossível não sentir um arrepio quando vemos a nossa Terra de longe. Como diria o saudoso astrônomo Carl Sagan, é apenas um “pálido ponto azul” na imensidão do cosmos. Você já imaginou o que veria pela janela de uma nave caso estivesse viajando na direção da Terra, vindo do espaço profundo? Pois não precisa mais imaginar. A sonda Juno, da Nasa, acabou de filmar isso para nós. Confira o vídeo.

O encontro, que revela o bonito balé da Lua girando ao redor da Terra, teve seu momento de máxima aproximação no dia 9 de outubro. Obviamente, o vídeo integra mais de uma semana de viagem em poucos minutos, mas é de tirar o fôlego (a música original composta por Vangelis para ele também ajuda um bocado). Quando a Terra é avistada na imagem, a Juno está a cerca de 1 milhão de km de nós (cerca de duas vezes e meia a distância daqui até a Lua). Ao passar de raspão por nosso planeta, chega a estar a meros 559 km da superfície terrestre.

As imagens foram registradas por um instrumento da Juno projetado para detectar estrelas muito sutis. É o que permite detectar a Lua na mesma imagem, mesmo ela sendo bem menos brilhante que a Terra. Em compensação, as imagens têm baixa resolução, o que fica evidente conforme a sonda se aproxima mais de nosso planeta.

Lançada da Flórida em 5 de agosto de 2011, ela foi até o cinturão de asteroides e voltou. Ao sobrevoar da Terra, ela usa o campo gravitacional do planeta para acelerá-la, qual fosse um estilingue, na direção de seu destino final: Júpiter.

Concepção artística da passagem da sonda Juno pela Terra
Concepção artística da passagem da sonda Juno pela Terra

Lá, a Juno entrará em órbita polar ao redor do maior dos planetas do Sistema Solar, com o intuito de revelar os segredos das entranhas desse mundo, permanentemente escondidos por nuvens espessas. Daí a escolha do nome para a missão. Na mitologia romana, Juno era a esposa de Júpiter, sempre a vigiar e desfazer o véu de trapaças criado por seu marido insistentemente infiel. (Na mitologia grega, os dois deuses eram conhecidos como Hera e Zeus.)

A sonda deve chegar a Júpiter em 5 de julho de 2016.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade