De volta ao trabalho, Philae!

Salvador Nogueira

Após a confirmação da espetacular ressurreição do módulo Philae, anunciada neste domingo (14), os cientistas envolvidos com a missão já estão ansiosos para colocá-lo para trabalhar na superfície do cometa Churyumov-Gerasimenko.

Imagem obtida pela sonda Rosetta no último dia 5 mostra atividade intensa no cometa Churyumov-Gerasimenko. Como será que estão as coisas lá no chão? É o que o Philae irá responder. (Crédito: ESA)
Imagem obtida pela sonda Rosetta no último dia 5 mostra atividade intensa no cometa Churyumov-Gerasimenko. Como será que estão as coisas lá no chão? É o que o Philae irá responder. (Crédito: ESA)

“O principal agora é entender a dinâmica do núcleo do cometa”, afirma Lucas Fonseca, engenheiro brasileiro que trabalhou na missão enquanto esteve no DLR (Centro Aeroespacial Alemão). “Comparar com os dados iniciais e ver o que mudou, qual a transformação do cometa perto do periélio [ponto de máxima proximidade do Sol].”

Essa sempre foi uma das maiores ambições do projeto. Sabemos que cometas são basicamente imensos agregados de gelo e rocha. Quando eles avançam em suas órbitas e se aproximam mais do Sol, o gelo começa a sublimar, o gera a famosa cauda do cometa. Em resumo, a cada passagem, o astro se transfigura, conforme partes de si se convertem em vapor e ficam para trás.

Uma das coisas que os cientistas não sabem, por exemplo, é como o solo ao redor do Philae se transformou desde que o módulo se desativou, por falta de energia, em 15 de novembro do ano passado. Espera-se que novas imagens possam revelar isso.

Outra coisa que a simples retomada de comunicação poderá permitir é a identificação precisa da localização do módulo. Até agora, apesar de meses de análise de imagens colhidas pela sonda orbitadora Rosetta, ainda não foi possível identificar o pequeno lander, que tem o tamanho de uma máquina de lavar roupa.

Imagens de antes e depois do pouso revelam um ponto brilhante que pode ser o módulo Philae. Ou não. O futuro dirá. (Crédito: ESA)
Imagens de antes e depois do pouso revelam um ponto brilhante que pode ser o Philae. Ou não. O futuro dirá. (Crédito: ESA)

Há um candidato promissor, visto apenas como alguns pixels brilhantes na superfície (confira a imagem acima), mas somente com a retomada das comunicações entre a Rosetta e o Philae e a triangulação resultante será possível confirmar que é ele mesmo. E um aspecto curioso é que no momento é impossível para a Rosetta fazer um voo rasante sobre o núcleo para obter imagens mais próximas — o nível de atividade em razão da aproximação com o Sol impede a navegação segura.

Ainda não está claro o quanto do Philae está funcionando, e os cientistas serão bastante parcimoniosos com relação ao consumo de energia do robô — o que talvez restrinja medições que exijam movimento mecânico –, mas a expectativa é levar a missão à sua fase mais emocionante. O periélio acontece em 13 de agosto.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook e no Twitter

Comentários

  1. Quem diria, pois até o pessoal da ESA tinha se mostrado reticente na possibilidade da Philae voltar a “acordar”, bela notícia.

    Que ano espetacular hein Salvador, Rosetta-Philae, Dawn e News Horizons, todos chegaram aos seus destinos e vão trazer com certeza muita informação e imagens para os próximos anos, na expectativa e contando os dias para imagens de Plutão.

    1. Tá demais mesmo! Estava comentando em casa, embasbacado, no domingo. E desconfio que os anos tendem a ser assim daqui para frente. Tem muita gente no espaço e muita missão ao mesmo tempo.

    1. Eu, aposto que a Philae está nas imagens da direita, pois o local planejado para pouso era “plano” e ela ricocheteou várias vezes antes de cair num buraco…

      Logo saberemos! 🙂

      1. Opa.. Acho que logo saberemos! Os cientistas da ESA estão apostando na imagem do canto superior esquerdo (inclusive é a mesma imagem do post), mas como tudo nessa bichinha é uma surpresa…

        😉

      1. Todos os nomes da missão são egípcios, seguindo a linha da pedra de Rosetta. Philae é uma ilha de onde foi tirado um obelisco que, em combinação com a pedra de Rosetta, ajudou a decifrar os hieróglifos.

  2. Ha! Eu sempre acreditei na ressurreição do Philae… Tomara que seja possível localizá-la e retomar as atividades planejadas.

    Sem dúvida, uma das coisas mais legais que já conseguiram fazer no espaço!

    Abração, Salva!

  3. Salvador, se você está empolgado, imagine o pessoal da equipe da ESA. Depois de tanto trabalho, não é justo que o robô não mande notícias.
    Agora é aguardar.

  4. Nogueira ,
    me parece um pouco fantasioso relacionar o ponto brilhante observado no cometa à Philae , visto que a foto foi feita a partir da Rosetta estando a kms de distancia do cometa . Na foto o ponto brilhante me parece grande demais para uma lavadora de roupas !!!! Qual sua opinião ?

    1. O tamanho é o certo. O problema é a baixa resolução, que impede de descartar alguma mudança natural na superfície.

  5. Olá Salvador, então como ainda falta alguns meses para o periélio, é seguro afirmar do ponto de vista da energia para funcionar, que teremos transmissões por um bom tempo do Philae?!…. E quem disse que na ciência não a Ressurreição :v rs

    1. Não dá para contar com sucesso antecipado. O cometa deve estar bem ativo e só vai piorar. Muita coisa pode dar errado ainda…

      1. É só lembrar do filme Armaggedon… O filme é besta, mas as cenas espaciais são muito boas e mostram que um objeto na superfície pode ser jogado longe com o aumento da atividade no cometa provocado pela aproximação do Sol.

  6. O ponto brilhante do cometa parece com o do planeta anão Ceres . Será que aí pode estar ao ponto brilhante de Ceres ? Ou seja, gelo mesmo .

  7. O despertar da Philae está relacionado ao aumento de calor pela aproximação com o sol? Se sim, uma vez recarregada deve operar por quanto tempo? seria cíclico esse processo? qual a expectativa de “vida” útil?

  8. Fantástica notícia, Salvador. Estava torcendo e esperando por ela. “Para o infinito e além”, como diria o Buzz…

        1. O Philae deu dados sobre a estrutura interna do cometa, temperatura, composição orgânica da poeira, investigou a dureza da superfície e obteve uma visão panorâmica do local de pouso, revelando as estranhas características da superfície.

          1. Nunca nenhuma sonda havia pousado num cometa, então não tínhamos esses dados de nenhum outro cometa.

    1. Ela já mandou muitos dados, na época do pouso, mas a ESA só vai divulgá-los em “papers” escritos por seus cientistas. Dois a três anos de espera, portanto…

  9. interessante, espero que funcione bem e traga bons dados.

    um off: tem uma matéria sobre ovnis e um evento que andou rolando, o mais engraçado é que sempre tentam enfiar goela abaixo a ideia de espiritualidade em cima dos tais ETs. O povo quer viver para sempre, mas sem a ciência, claro. Se o povo soubesse o quão escuro é o espaço as escrituras sagradas apontariam o que consideram como céu (ou firmamento) como o inferno, até porque o espaço é tremendamente congelante. E não há mente sem corpo, ou seja, sem as mínimas funções vitais o cérebro para e daí acabou o que acreditam ser um espírito, sem essa de sair daqui e viajar até outro planeta e “aterrizar” noutro corpo alienígena, em estado mais evoluído.
    Queria ver me darem R$ 300,00 por pessoa se fosse comentar acerca do que sei sobre vida fora da Terra. Por falar mais na linha científica, fiquei sem um tostão. Melhor nem falar de dízimo.

    1. Pior é que é isso mesmo… Vender ilusão rende muito mais que vender a realidade. Nem de graça a maioria das pessoas querem a realidade.

  10. Salvador, gostaria de lhe fazer um convite para um projeto. Poderia me passar seu email, por gentileza?

  11. Salvador, sempre escrevo para te “alugar” com perguntas.
    Desta vez, escrevo apenas para dizer que o seu blog é excelente. Espero que você continue escrevendo eles por anos.
    Parabéns!

  12. E isso ai, vamos navegar pelo espaço. Alguns ETs poderiam nos emprestar suas fabulosas naves espaciais para podermos dar umas voltinhas por esse infinito universo e talvez encontrar uma ” racinha” um pouco melhor do que essa aqui da terra.

  13. Acho que isto não é um cometa .

    A Nasa recebeu um sinal de rádio dele . anos atrás . e resolveu averiguar . gastou bilhões de dólares . e mandou uma sonda , a qual viajou 10 anos ,para chegar . acho que é uma base alienígena . e lógico os E.U.A. tem interesse lá , quem sabe no futuro . bases de lançamento para o espaço sideral .

  14. Olha, que surpresa! Estava pessimista. A sonda pousou numa área escura. A Philae pode de deslocar para um lugar com mais iluminação?

    1. Acho que não… E se ainda tem combustível, o risco é grande demais, a gravidade lá é quase nula.

Comments are closed.