O novo anúncio da Nasa sobre Marte…

Caso você esteja se perguntando, o anúncio que a Nasa ia fazer sobre a atmosfera de Marte diz respeito à taxa de perda da atmosfera para o espaço, recém-medida pela sonda Maven. Confira tudo a respeito aqui.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook e no Twitter

Comentários

    1. Vai saber. É possível. Mas não sabemos quantos nutrientes há nesses oceanos, nem se existe alguma fonte de oxigenação que pudesse alimentar metabolismos mais poderosos.

  1. Com certeza há modelos estatísticos robustos, nos quais se baseiam os cientistas da NASA. Mas, a ciência em geral, se apoia em castelos de cartas e basta uma cair para desmontar toda a estrutura. Fico pensando. Se o vento solar, com mais força no primeiro bilhão de vida da estrela, foi a causa da quase extinção da atmosfera marciana, porque isso não aconteceu com a Terra, já que estamos dezenas de milhões de quilômetros mais perto do Sol, logo mais sujeito a tais ventos? Não se pode dizer que a questão foi que a Terra partiu de uma quantidade de atmosfera muito maior, pois a NASA advoga a idéia de que Marte tinha água liquida em abundância no primeiro bilhão. Se assim fosse, então a atmosfera de Marte devia ser até mais densa que a da Terra. Penso que a carta que cairá algum dia nesse castelo é a premissa de que Marte perdeu sua atmosfera há bilhões de anos. Creio (como não sou cientista, posso utilizar essa palavra sem ter comichões) que esse evento é bem mais recente (que se pode contar em milhões, quem sabe em milhares, de anos) e foi algo cataclísmico.

    1. Há uma proposta sobre como ocorreu a perda da atmosfera, e essa se deu por conta do desligamento parcial do campo magnético devido a um impacto com um asteroide. Reconstruir a historia geológica não é fácil, imagina de outro planeta. Mas a ciência é assim mesmo, ela permite correções de curso.
      http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/asteroide_gigante_deformou_superficie_de_marte.html
      http://blogs.diariodonordeste.com.br/diariocientifico/astronomia/cientistas-ja-sabem-como-marte-perdeu-quase-toda-a-sua-atmosfera/

      1. o diluvio foi na época da queda da atlandida quando o planeta foi derrubado de quinta pra terceira dimensão como encima de nossas cabeças ainda havia uma pelicula de agua que caiu ,mas realmente aconteceu

        1. Atlântida e o dilúvio (como a descrição bíblica, uma chuva imensa que recobriu o mundo inteiro de água em tempos geologicamente recentes) são só lendas.

  2. Eu™
    Deixou de ser intrigante!

    Salvador Nogueira comentou em 06/11/15 at 7:03 pm
    Afrânio comentou em 06/11/15 at 9:19 pm
    Salvador Nogueira comentou em 06/11/15 at 10:23 pm
    Afrânio comentou em 06/11/15 at 11:15 pm
    Salvador Nogueira comentou em 06/11/15 at 11:45 pm
    Afrânio comentou em 06/11/15 at 11:25 pm
    Salvador Nogueira comentou em 06/11/15 at 11:43 pm

    Como eu tenho certeza que você não é o Afrânio, cai por terra minha teoria. rs

        1. Loga lá e clica em “Novas Postagens”. Vai ver as últimas mensagens. Pode seguir a partir daí! Cada linha é um tópico sobre um assunto diferente, e pode ter uma ou mais páginas de comentários… qualquer coisa mande email, te explico por lá!

    1. Ao contrário. O tratamento de dados inventou o planeta. Esse era um caso limítrofe da tecnologia, e muita gente já tentou confirmar esse planeta, sem sucesso. Estava com jeito de que não existia mesmo. Mas acho até boa notícia. Queremos planetas com órbitas mais simpáticas por lá! 🙂

      1. veja bem um telescopio com infravermelho vê somente o raio de visão da dimensão onde se vê ou seria quarta dimensão apenas

  3. Salvador, sobre a anomalia do campo magnético terrestre no atlântico sul além da costa do Brasil, em uma área de 4,8 milhões de KM quadrados.
    Isto é verdade mesmo? Se afirmativo, nosso campo magnético está mesmo enfraquecendo?

    1. A anomalia é verdadeira sim, e ninguém sabe explicar direito, mas não é sinal de que o campo esteja enfraquecendo. Mas sabemos que o campo magnético da Terra inverte seus polos com alguma frequência, e uma nova virada deve estar próxima. (O sul magnético vai virar norte, e vice-versa. Durante algum tempo, isso será um problema para nós. E pode acontecer em breve, na escala geológica.)

  4. Boa tarde, Salvador.

    As evidências de hoje comprovam o que se cogitava há muito tempo: a degradação de marte se deu pela perda de seu campo magnético.
    Pelo seu artigo, fica entendido que essa perda se deu por conta do arrefecimento do núcleo do planeta vermelho.

    Considerando que (1) Marte tem metade do tamanho da Terra, e (2) que o campo magnético da Terra está na metade do seu “ciclo de vida”, então faz todo sentido acreditar que o arrefecimento do núcleo de Marte se deu por conta de CAUSAS NATURAIS.

    Contudo, Salvador, ainda pergunto: gigantescas erupções vulcânicas não poderiam ter potencializado exponencialmente esse processo de esfriamento do núcleo do planeta? Ou não existe se quer alguma correlação entre uma coisa e outra?

  5. Outro dia estava pensando se poderíamos terraformar Marte.

    É, não dá, nem em teoria sabemos como fazer isso direito, pensei.

    A engenharia planetária é uma tecnologia muito avançada, pensei novamente.

    Até que nem tanto, na verdade, somos ótimos em “venusformar” a Terra, conclui.

  6. Pessoal, um artigo interessante.

    O Brasil está perdendo a corrida espacial para a Argentina e eu sou do tipo que acha que ganhar da Argentina é bom até em disputa de par ou impar. kkkk

    É, nós brasileiros que adoramos medir nossas forças com os argentinos, estamos levando um goleada dos nossos queridos hernamos.

    “Apesar de décadas de investimentos, o Brasil não obteve os resultados de seus pares no Brics – Rússia, Índia e China – no setor espacial. Além disso, está perdendo para a Argentina, que coloca em órbita seu segundo satélite geoestacionário e constrói o terceiro em seu próprio território. A avaliação foi feita pelo presidente da Visiona Tecnologia Espacial, Eduardo Bonini, em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), nesta quinta-feira (5).”

    http://www.aereo.jor.br/2015/11/06/brasil-perde-para-argentina-na-corrida-por-satelites-afirma-especialista/

    Brasil, decime qué se siente… (odeio essa musiquinha kkkk)

  7. Salvador, sobre os comentários relativos a Vênus, da mesma forma que houve uma mudança dramática em marte, é possível que haja alguma mudança em vênus em ordem de que algo o torne, digamos, mais resfriado e assim mais atrativo à visitação humana, no futuro? De qualquer forma, já que é um terroso, não seria interessante já ir explorando bem sua superfície tal como se faz para Marte, com o envio de sondas e tudo mais? Quero dizer, porque não alternam as missões pelo menos numa proporção de 3×1 entre marte e venus?

    1. Wikipedia:

      “Vénus tem uma atmosfera extremamente densa, que consiste principalmente de dióxido de carbono e uma pequena quantidade de nitrogênio. A massa atmosférica é 93 vezes a da atmosfera da Terra, enquanto a pressão na superfície do planeta é 92 vezes aquela na superfície da Terra – uma pressão equivalente àquela a uma profundidade de quase 1 km no oceano da Terra. A densidade na superfície é de 65 kg/m³ (6,5% da densidade da água). A atmosfera rica em CO2, juntamente com as espessas nuvens de dióxido de enxofre, gera o mais forte efeito estufa do Sistema Solar, criando temperaturas na superfície acima de 460 °C.[31] Isto torna a superfície venusiana mais quente do que a de Mercúrio, que tem temperatura superficial mínima de -220 °C e a máxima de 420 °C,[32] apesar de Vénus estar a uma distância do Sol quase duas vezes maior que a de Mercúrio e receber apenas 25% da irradiação solar que Mercúrio recebe (2 613,9 W/m² na atmosfera superior e 1 071,1 W/m² na superfície).”

      Você pode ler mais aqui: https://pt.wikipedia.org/wiki/V%C3%A9nus_(planeta)

  8. primeiro a foto mostrando rachaduras feitas supostamente por agua é fake algo montado em computador nao existe nenhuma possibilidade de saber nada sobre pq marte existe ou o q tem dentro sua atmosfera etc etc o homme nunca saiu da terra ja q é impossivel motores a reação de gases nao tem força onde nao tem massa de ar ja q nao ha a ação e reação ou seja gases em alta velocidade saindo do foguete e se chocando com a massa de ar fazendo o foguete subir por isso todos os foguetes vão até 32 km de altura gasta milhões pra fazer uma pura propaganda de pirotecnia falsa todos os foguetes lançados cai no mar ,marte é um planeta na q na verdade esta muito proximo da terra e marte é um objeto muito pequeno usando telescopio gigantes nao tem como ver objetos pequenos e quando usa telescopio pequenos ver marte apenas como uma bolinha vermelha imagem sem nitidez alguma todas as fotos de marte feita pela nasa é CGI eles recria um falso planeta marte igual fazem nos filmes de ficçao , temos uma enorme mentira feita pelo establishment em areas de astronomia fisica ,quimica etc um problema serio a maçonaria controla os principais paises do mundo isso ja ha um bom tempo a ideia é criar uma falsa esperança q existe vida fora da terra etc fabricar milhares de ateos em escala global com pura mentira especulação fraude , o homem nao sabe nem o q tem no nucleu do nosso planeta se é q tem nucleo ninguem nunca foi ate o nucleo da terra o maximo q se chegou foi a 32 km de profundidade e dai nao passa uma operação feita por russia

      1. Todas as vezes que o roger comenta algo, eu fico me questionando, onde ele estudou? Quantos anos ele tem? Ele morava em alguma comunidade Amish?

        1. Ele não estudou, deve ter uns 10 ou 11 anos de idade, e pela quantidade de erros no texto e de besteiras que escreve, o QI deve ser menor que a idade.

          Uma pedra é mais inteligente – e ainda presta pra alguma coisa, como segurar portas, por exemplo.

          1. Não duvido do QI ser menor que a idade, isso esta absurdamente claro, mas pelo fato dele mencionar física “motores de reação” me leva a crer que ele passou pelo ensino médio… diga-se, passou, não estudou… eu só queria saber onde ele brincou de estudar, para nunca matricular meus filhos, meus sobrinhos, meus cachorros, meus gatos e até os passarinhos que passam por aqui, nessa gloriosa escola….

      2. Ele não sabe dizer, os “funcionários da NASA” não deixam ninguém chegar perto da parede de gelo.

        Inclusive, HAJA FUNCIONÁRIO para monitorar uma área tão extensa. Imagina o quanto não gastam de salários! Por isso que não sobra verba pra mandar gente pra Marte, ops, pra fingir que mandam gente pra Marte!

        KKKKK

      3. Quando vejo um comentário desse me pergunto qual a razão de estudar o cérebro do Einstein. Seria muito mais interessante estudar o cérebro de um sujeito como esse!

    1. primeiro a foto mostrando rachaduras feitas supostamente por agua é fake algo montado em computador

      Errado

      nao existe nenhuma possibilidade de saber nada sobre pq marte existe ou o q tem dentro sua atmosfera etc etc

      Errado

      o homme nunca saiu da terra

      Errado

      ja q é impossivel motores a reação de gases nao tem força onde nao tem massa de ar ja q nao ha a ação e reação ou seja gases em alta velocidade saindo do foguete e se chocando com a massa de ar fazendo o foguete subir

      Completamente errado. Seu(s) professor(es) de física deve(m) estar morrendo de vergonha.

      por isso todos os foguetes vão até 32 km de altura

      Mais errado impossível

      gasta milhões pra fazer uma pura propaganda de pirotecnia falsa

      Me enganei, é possível sim estar mais errado

      todos os foguetes lançados cai no mar ,

      Super errado

      marte é um planeta na q na verdade esta muito proximo da terra

      Completamente errado

      e marte é um objeto muito pequeno usando telescopio gigantes nao tem como ver objetos pequenos

      Errado errado errado

      e quando usa telescopio pequenos ver marte apenas como uma bolinha vermelha imagem sem nitidez alguma

      Zzzzzzzzz

      todas as fotos de marte feita pela nasa é CGI

      Ã, ainda tá falando

      eles recria um falso planeta marte igual fazem nos filmes de ficçao

      Arrã. Ô

      , temos uma enorme mentira feita pelo establishment em areas de astronomia fisica ,quimica etc

      CONSPIRAÇÃO, CONSPIRAÇÃO EVERYWHERE

      um problema serio a maçonaria controla os principais paises do mundo

      Não

      isso ja ha um bom tempo a ideia é criar uma falsa esperança q existe vida fora da terra etc fabricar milhares de ateos em escala global com pura mentira especulação fraude

      Enganado

      o homem nao sabe nem o q tem no nucleu do nosso planeta

      Sabe

      se é q tem nucleo

      Tem

      ninguem nunca foi ate o nucleo da terra o maximo q se chegou foi a 32 km de profundidade e dai nao passa uma operação feita por russia

      Ninguém nunca foi até o Sol, mas sabem como ele é composto. Se VOCÊ não sabe, é porque é burro pra caralho.

      Eu sei voar e tenho visão de raio-x, já fui até Marte e olhei pra baixo e vi o que tem no centro da Terra. Sei que tudo o que falam é verdade. Meu nome verdadeiro é Kal-el. Quero ver vocÊ dizer que é mentira, duvido.

    2. O pior é que tudo o que ele escreveu é o que repetem até a exaustão em diversas igrejas evangélicas de várias correntes. Ignorantes adoradores da burrice e da estupidez, querem manter todo o mundo na ignorância pelos motivos mais mesquinhos e egoístas possíveis e por este motivo pode se dizer que todo fanático religioso é mais diabólico do que o próprio Diabo.

      Este roger pode até não ser um deles, pode apenas estar enchendo o saco ou nos testando, mas o que ele escreveu não fica muito distante do que eu já ouvi por ai.

  9. Hipóteses absurdas!

    Quem foi que disse Marte “..passou de um mundo com rios, lagos e oceanos, 4 bilhões de anos atrás”????

    Isso é pura especulação! Não existe nenhuma confirmação disso…………….

        1. JR e Oswaldo Gil de Souza são Apolinário Messias com sérias restrições orçamentárias. 😛

  10. será que tudo isso se deu por acaso ou coincidencia? Medidas e proporções exatas para que o homem pudesse estar aqui?

    1. Claro que não foi por coincidência! O homem evoluiu neste ambiente, e é resultado de um processo de seleção dos mais adaptados a ele. Não é surpreendente que achemos o ambiente da Terra incrível para nós! Nós evoluímos de forma a achar isso! 🙂

        1. Vocês estão loucos, não é nem uma coisa nem outra. O homem não teve qualquer ingerência na Terra e a Terra não teve qualquer interferência com o homem, salvo ter as condições ideais.

          1. A Terra não teve interferência com o homem? Vá dizer isso para o pessoal que morreu em Pompeia, só pra citar um exemplo bacana…

          2. Hahaha… pior que eu tô imaginando aqui o vadinho conversando com uma das “estátuas humanas” de Pompéia, e pior, esperando uma resposta.

            KKKK

            Tadinho.

          3. Vadinho, só um exemplo aqui:

            http://hypescience.com/10-poderes-incriveis-de-raras-mutacoes-geneticas/

            “Moradores de zonas frias têm diferentes respostas fisiológicas a temperaturas baixas, em comparação com aqueles que vivem em ambientes menos gelados. Pode haver pelo menos um componente genético para essas adaptações, porque mesmo se alguém se muda para um ambiente frio e vive lá por décadas, seu corpo nunca atinge o mesmo nível de adaptação dos nativos que viveram no ambiente por gerações. Por exemplo, pesquisadores descobriram que os indígenas siberianos são melhores adaptados ao frio, mesmo quando comparados com os russos não indígenas que vivem na mesma comunidade.”

            Se isso não é adaptação do homem ao planeta, não sei o que é.

          4. E não me venha com essa de que a Terra não sofre com a ação humana… O meio ambiente está degradado, a atmosfera está poluída, estamos provocando o aquecimento global… Estamos destruindo nosso meio ambiente.

          5. Meu filho adolescente não seria capaz de pronunciar tal insanidade.
            Salvador, esse cara faz de propósito, pois necessita de suas palmadas diárias.

  11. Salvador, bom dia.
    Você cita aqui o desligamento do Campo Magnético, assim como vi a Nasa citar isso ontem. Mas como ocorre esse Desligamento, o que leva um Planeta a perder esse seu campo?

    1. O campo magnético é produzido pelo núcleo metálico do planeta, que, movido pelo calor interno, gira e acaba agindo como um ímã gigante. Todos os planetas têm núcleos metálicos, mas quanto maior ele é, mais tempo seu interior leva para se resfriar (maior quantidade de elementos radioativos e mais calor para perder). Marte é menor que a Terra e se esfriou antes (evidência disso é o fato de o planeta estar geologicamente morto, sem vulcões ativos, diferentemente do nosso). Já Vênus ainda não se esfriou e tem atividade vulcânica. Mas aí o problema é o da rotação. Vênus gira muito, muito, muito devagar (243 dias terrestres para uma volta em torno de seu próprio eixo, um dia venusiano). Provavelmente isso levou ao desligamento do campo magnético. A Terra, eventualmente, também irá desligar seu campo magnético, quando não houver mais calor suficiente em seu interior.

        1. Porque o Sol está ficando mais quente. Em 1 bilhão de anos, esse aumento levará os oceanos da Terra a evaporarem, aumentando brutalmente o efeito estufa.

          1. entao esse papo de aquecimento global eh inutil, nosso destino ja esta tracado hehehe.
            By the way, viu que o gelo antartico esta aumentando e nao diminuindo? haaa, interessante….

          2. Vi, mas não me parece particularmente surpreendente. Com a mudança climática, é natural que mais gelo se acumule em algumas regiões e menos em outras. É curioso notar que, na Antártida, essa soma é positiva — ganho de gelo. É uma boa notícia. Mas ainda assim temos muito gelo sendo perdido na Groenlândia, e isso ainda torna o aumento do nível do mar algo inevitável.

          3. Este aumento do gelo na região da Antártida e diminuição no Ártico, não poderia ser apenas conseqüência do movimento de precessão dos equinócios, que está expondo mais verticalmente, aos raios solares, o hemisfério norte e mais tangencialmente o hemisfério sul, repetindo os intermináveis ciclos das geleiras?

          4. Boa pergunta. Talvez. Mas o ponto é que o total de gelo está diminuindo. O que nem chega a ser problema se for gelo sobre água. Mas gelo sobre continente, quando derrete, vai para a água, e aí sobe o nível do mar.

          5. Desculpe por estar sendo insistente e chato! Mas, a elevação e a diminuição do nível dos mares não fazem parte sistemática dos ciclos das geleiras, como mostram os estudos geológicos?

          6. No ritmo observado, não. É óbvio que já houve épocas com mais calor e zero geleiras na Terra no passado (sobretudo na época dos dinossauros), mas por mecanismos naturais nunca haveria uma mudança tão rápida (exceto episódios extremos, como o impacto de um asteroide, que, aliás, foi o que matou os dinossauros, levando a um temporário resfriamento global).

          7. O que nos impede de acreditar que no processo evolutivo da nossa espécie, o próximo passo na evolução não seja nos adaptar, pelo mecanismo da seleção natural, a este tão temido aquecimento global?

          8. Porque a mudança é muito brusca para o ritmo da seleção natural. Pergunte aos ursos polares…

          9. http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2015/11/1702422-antartida-esta-ganhando-gelo-nao-perdendo-afirma-estudo-da-nasa.shtml

            Destaco o trecho abaixo:

            “A descoberta não significa, porém, que não exista aquecimento global.

            A hipótese para explicar o fenômeno, aliás, relaciona-se justamente com a mudança climática em curso.

            A Antártida funciona desta forma: o gelo chega por meio da precipitação (“chuva”), e vai embora quando um bloco congelado se solta do continente, derretendo lentamente no mar, ou por meio de drenagem, ou seja, do escorrimento da água que vai aparecendo.

            Se houver mais gelo saindo do que entrando, há então um deficit. Supostamente o aquecimento global deveria facilitar isso ao promover o derretimento, mas pelo jeito não é o caso.

            A explicação possível é que o aquecimento global também reforça a precipitação de neve sobre a Antártida. Isso porque ele aumenta a evaporação da água pelo mundo, e as correntes atmosféricas se encarregam de levá-la ao polo Sul.”

            E estamos vendo (especialmente no sudeste do país) a consequência disso.

            Tolo é aquele que acha que “aquecimento global” significa apenas mais calor. Desconhece completamente o ciclo climático, correntes marítimas e demais elementos que impactam diretamente na superfície do nosso planeta.

            Mais tolos ainda é aquele que acha que está tudo bem, que não existe nada disso, é só “invenção do establishment” ou “estratégia dos Illuminati”.

            Todos pagaremos o preço de tamanha insolência e ignorância, cedo ou tarde.

          10. Caro Salvador,
            Qual é o problema de aumentar o nível dos oceanos em 2 metros por século ?
            Em 100 anos o homem não é capaz de se mover, e mover todos os edifícios, estradas, etc… em 2 metros de altura para dentro dos continentes ?
            Hoje em dia levamos quanto tempo para construir novos portos, novas estradas, novas cidades ?
            Quanto tempo dura um prédio construído à beira-mar ?
            Essa historinha de que o nível do oceano não pode subri uns meros 2 metros em 100 anos, parece histeria…

          11. Claro que é! Ninguém está falando que o aumento do nível do mar vai matar a espécie humana. Só vai dar um prejuízo do cão. Veja, o principal problema da mudança climática (e note que, se ela não é antropogênica, como todos os cientistas dizem que é, aí que estamos ferrados mesmo) tem a ver com mudança das regiões boas para plantar, o que vai deixar alguns países melhores (pro Canadá, tenho a impressão, será uma maravilha) e outros piores (para o Brasil, será bem ruim). O perigo é que esse jogo não é de soma zero, ou seja, não é que vamos ganhar terrenos bons na mesma proporção em que perderemos. E aí você pode, sim, ter problemas na produção de alimentos. Da mesma maneira, vemos como a escassez de água causa transtornos para grandes cidades. Pode todo mundo se mudar de São Paulo para fugir da falta d’água? Pode. Mas vai causar enormes transtornos. Melhor seria ter água para a cidade. (Não estou dizendo que a mudança climática está causando a escassez de água em SP; estou só mostrando como esse seu argumento da mobilidade das populações é péssimo.)

  12. Salvador,
    falando em NASA, ouvi hoje de manhã pelo rádio da universidade outro anúncio: pela primeira vez a NASA avistou uma movimentação de saída de um buraco negro. É isso mesmo? Tem mais detalhes?

    1. Não é o que parece. É uma rajada de energia resultante do buraco negro comendo alguma coisa. Nada de fato saiu do buraco negro.

  13. E aí todo mundo se pergunta. E essa balela de aquecimento global?
    Será que vão continuar com esse papo?

    1. Não tem balela. Você se confundiu de planeta. Ninguém jamais falou em aquecimento global em Marte. 😉

      1. Não não. To falando da Terra mesmo. Que atribuem o aquecimento global ao aumento do CO2 enquanto Marte está aí pra provar que não é bem assim.

        1. Hehehe, Danny, o CO2 é só a ponta do iceberg. Ele muda o equilíbrio da atmosfera, que por sua vez muda a dinâmica da cobertura de nuvens, que por sua vez leva a derretimento de gelo onde não pode (principalmente na Groenlândia), que leva a mais evaporação de água (mais vapor d’água é mais efeito estufa). A relação é complexa. Mas certamente não é só o CO2 que causa a mudança climática. O CO2 é meramente o gatilho. (E Marte tem uma atmosfera muito rarefeita e quase sem vapor d’água, por isso o efeito estufa é pequeno — mas não negligenciável, ou as noites marcianas teriam a mesma temperatura das lunares, o que não é o caso. Além disso, Marte está 50% mais longe do Sol que a Terra.)

          1. Salvador, ninguém sabe o que é o gatilho.
            A terra já teve épocas em que a concentração de CO2 na atmosfera era 11 vezes maior que a atual, e isso não foi suficiente para desencadear nenhum dos efeitos que tanto nos alarmam hoje.
            Pesquise sobre as condições da atmosfera da terra e a temperatura média global nos períodos Siluriano e Devoniano.
            Você é um homem da ciência, e por isso tem o dever de se informar melhor que a maioria. Vá pesquisar e deixe de acreditar nas abobrinhas dos verdinhos.

          2. Anibal, não é abobrinha de verdinho. É a única correlação que existe. Que a temperatura está subindo, ninguém questiona. Os dados estão aí para mostrar. E não há nada que esteja acompanhando essa subida, exceto o aumento de CO2. Os modelos que mostram o funcionamento da atmosfera todos concordam que o CO2 é o gatilho. Você quer refutar os modelos? Ótimo. Faça um que explique o aumento de temperatura sem correlação com o aumento de CO2. Não fique simplesmente atacando os climatologistas (que você, de forma panfletária, chama de verdinhos, como se todo climatologista fosse abraçador de árvore). E o Siluriano tinha temperatura média três graus maior que a atual. Devoniano, seis graus acima do atual. Agora, note que essas são estimativas sobre coisas que aconteceram meio bilhão de anos atrás — quando, a propósito, o Sol era um cadinho menos quente do que hoje. A climatologia trabalha com medições reais de temperatura no último século e meio e com proxies mais seguros, que se estendem por centenas de milhares de anos, não meio bilhão. Enfim, é domingo e tou com preguiça de ficar refutando essas abobrinhas negacionistas. Mas aí já tem uns dados e argumentos para você se divertir.

          3. Salvador,

            Respeito tudo o que os climatologistas escrevem. Mas só o que eles realmente escrevem. Não respeito as interpretações alarmistas dos verdinhos. Dá pra separar claramente, o que é ciência do que é achismo.

            Os registros históricos dos períodos Siluriano e Devoniano podem estar errados, é claro. Afinal, não estávamos lá para medir.

            Estou aplicando a essas estimativas apenas o benefício da dúvida. O mesmo benefício deve ser aplicado aos modelos climáticos na reprodução dos climas observados.

            Quanto ao clima dos períodos remotos, como eles estão em sequência, vale notar que a diminuição da concentração de CO2, pela metade, em vez de resfriar a terra, aumentou a temperatura. Não é pouca diferença, e vai na contramão daquilo que afirmam os aquecimentistas de carteirinha de hoje.

            Período Siluriano, que durou 27 milhões de anos(443-416 milhões de anos atrás), as condições na terra eram:

            Oxigênio: 14% da atmosfera (21% hoje)
            CO2 : 4500 ppm (11 vezes maior que hoje, 400ppm)
            Temperatura média Global: 17 °C (14 hoje)

            Período Devoniano, que durou 57 milhões de anos(416-359 milhões de anos atrás):

            Oxigênio: 15% da atmosfera (21% hoje)
            CO2 : 2200 ppm (5,5 vezes maior que hoje, 400ppm)
            Temperatura média Global: 20 °C (14 hoje)
            Nível do Mar : +180m a +120m (hoje 0m)

            Apesar de a concentração de CO2 ter caído de 4500 para 2200 ppm, a temperatura global subiu de 17 para 20 graus centígrados. A concentração de CO2 caiu mais da metade, e a temperatura global em vez de cair, subiu 3 graus.

            E agora ? 
            Quanto mais CO2 na atmosfera, maior a temperatura do planeta ?

            Essa correlação funciona na prática ?

            Já funcionou alguma vez ?

            Já falhou ?

            Aqui ( http://mudancasclimaticas.cptec.inpe.br/~rmclima/pdfs/prod_probio/Relatorio_1.pdf ) tem, caso se interesse, a prova de que os modelos climáticos, apesar de serem ótimas ferramentas para avançarmos no estudo do clima, não merecem ainda o crédito que alguns fanáticos querem lhes dar, e erram muito ao tentar reproduzir os climas já medidos e observados.
            Trecho do trabalho:
            ” No caso de temperaturas e viés sazonais, a Figura 35 e as figuras do Anexo I mostram que o modelo CCCMA e em menor grau o modelo do CSIRO apresentam vieses frios na maior parte do Brasil, com valores de até 4ºC menor que a climatologia observada durante todas as estações do ano. Na primavera, o modelo do GFDL tende a ser mais quente que o observado (até 4ºC na Amazônia), enquanto que o viés é menor no CCSR/NIES. No verão o HadCM3 aparece como o mais próximo à climatologia observada enquanto que o GFDL tende a ser mais quente no sul do Brasil e o CCSR/NIES tende a ser mais frio que o observado ao leste dos Andes. No outono, o HadCM3 aparece mais próximo a observações com anomalias moderadas entre +1 e -1ºC em relação à 98 climatologia, e no inverno o GFDL é mais frio na Amazônia central (até 2ºC) e o HadCM3 tende a ser ligeiramente mais frio que nas observações no Brasil subtropical. Ë importante considerar estes vieses no momento de avaliar os cenários futuros, para poder estimar os valores de chuva e precipitação além das anomalias em ralação ao clima do presente.”

          4. CO2 e H2O são os dois principais gases de efeito-estufa na atmosfera. Então, eu diria que, sim, salvo grandes emissões de CH4, pelo CO2 e pelo H2O na atmosfera, tomando a radiação solar como constante, dá para calcular a temperatura média do planeta a qualquer tempo.

          5. Salavador, sem querer pender nem para um lado nem para o outro. Só não consigo acreditar mesmo muito nesse papo de aquecimento global. Mas, existe a possibilidade de você escrever um texto a respeito disto, sendo imparcial, visto que há muita discussão entre cientistas sobre o tema? Não estou aqui falando como esse pessoal da terra plana ou que não acreditam em viagens espaciais. Estou apenas argumentando sobre um tema que não é unanimidade entre os acadêmicos.
            https://www.youtube.com/watch?v=eK2695GS5hM

          6. Dois gases de efeito estufa principais ?
            Tá forçando demais a barra…

            Temos um principal, que é a água.
            O outro é uma merreca.

            Se você tivesse uma fábrica que produzisse 5 produtos, e a proporção das quantidades produzidas fossem:

            50 peças de H2O,
            01 peça de CO2,
            0,002 peça de CH4
            0,00002 peça de NO2,
            0,000001 de outros gases,

            Seria correto você dizer que tem 2 produtos principais ?

            Ou seria mais fiel à realidade dizendo que tem 1 produto principal ?

            Se você pudesse calcular a temperatura da terra, como gostam de brincar de fazê-lo, os pseudo-climatologistas, os modelos climáticos conseguiriam isso com muito mais facilidade que você.

            No entanto, apesar de eles levarem em conta TODAS as variáveis climáticas conhecidas, na razão e proporção que eles atualmente acham a mais correta, ainda assim, o resultado não é satisfatório, como você pode ver no relatório que lhe passei o link.

            Mas esse assunto envolve fé. Eu não tenho a fé necessária para acreditar, sem ver os experimentos e escrutinar os cálculos, simulações, e todo o arcabouço científico envolvido no assunto. Por isso, desconfio das previsões alarmistas, que sempre são fruto de quem não entende a fundo do assunto, ou está enviesado politicamente. Até mesmo os enviesados, quando vão publicar seus trabalhos tomam o maior cuidado para não afirmarem aquilo que eles não sabem, como nesse exemplo retirado do mesmo trabalho:

            Página 3:

            “Extremos climáticos recentes como as secas na Amazônia, no Sul do Brasil, na Espanha e Austrália, os invernos intensos da Ásia e Europa, as ondas de calor da Europa 2003, o furacão Catarina no sul do Brasil em 2004, e os intensos furacões no Atlântico Norte durante 2005, têm sido atribuídos ao aquecimento global, ainda que as evidências não permitam estabelecer relações entre eles com grande certeza. O
            que se sabe é que estes fenômenos têm afetado a população, com grandes perdas em vidas humanas e na economia, agricultura, saúde, e com impactos
            graves nos ecossistemas.”

          7. Anibal, não é questão de fé. É questão de fazer ciência — e fazer ciência é encontrar explicações cada vez melhores. Se você me disser o que mudou nos últimos 50 anos que não foi o CO2 atmosférico e que pode explicar a mudança climática, eu vou te dizer que você tem uma hipótese melhor que a atual. Por enquanto, não tem. O que temos é: CO2 subiu, nada mais mudou, temperatura subiu. E os modelos corroboram isso. (Concordo que ainda não entendemos bem a atmosfera e sua dinâmica, e que os modelos só explicam porque partem de certos pressupostos, mas, de novo, não temos nada melhor. Ache algo melhor e aí voltamos a conversar. Ciência é assim. Não adianta dizer “Newton não explica a órbita de Mercúrio”. Você precisa achar uma explicação melhor, aí aposenta o Newton.)

        2. Ok Danny, mas faz diferente agora, mude de planeta.
          Leia sobre o efeito do CO2 na atmosfera de Vênus.
          Vai ver o efeito estufa em toda sua glória rsrsr

          1. There ya go. 🙂
            Agora, importante lembrar que aí também a densidade tem um papel fundamental: a atmosfera de Vênus é 90 vezes mais densa que a da Terra.

        3. Inacreditável como muitos ainda pensam que efeito estufa é balela.O capitalismo fala mais,por isso pouco se faz.Vejam Neil DeGrasse Tyson falando sobre o tema e colocando um executivo da GM que não acredita em efeito estufa em seu devido lugar.
          BH teve no mês passado sua temperatura mais alta registrada em mais de 100 anos,ultrapassou os 37 graus,nenhum habitante da cidade,seja o mais velho jamais viu isso.O sudeste nunca teve seca,etc.Vai ver que tudo é obra do acaso.

      1. Ainda bem que estão desaparecendo. Se estivessem aumentando, aí sim, nossa situação seria desesperadora.

  14. Muito interessante, mesmo. Mas no texto diz-se que, entre as várias causas, está o esfriamento. E Vênus, que também não tem magnetosfera mas possui interior provavelmente mais quente do que a Terra? É considerado planeta-irmão da Terra em termos gelogicos. Qual seria a causa de Vênus não ter uma? Seria a excessiva proximidade do Sol e a exposta a uma força maior ainda do que a Terra e marte sofreram, durante os primeiros miilhões de anos do Sol? E por que Terra tem um campo magnético tão intenso, se comparado com outros planetas, mesmo com o do Saturno? Creio que se deve à densidade do núcleo, muito alta. E o que aconteceria se a densidade fosse menor? A vida teria acontecido como ocorreu?

    1. Vênus tem mais gravidade para reter atmosfera e tem vulcanismo ativo até hoje, que reabastece a atmosfera. Então, há erosão, mas há reposição à altura da atmosfera. Sobre o fato de Vênus não ter campo magnético global, acho que tem a ver com a rotação lenta do planeta.

  15. E O VENTO LEVOU…

    Descobriram o que há muito se suspeitava, ou seja, que o vento solar despojou Marte de sua atmosfera. Isso porque, ao contrário da Terra, Marte não possui um campo magnético.

    É interessante também frisar que, mesmo com um campo magnético, nos primeiros bilhões de anos, a vida na Terra se restringiu apenas ao leito dos oceanos, único habitat em que a vida de fato prosperou.

    Com efeito, foi só com o surgimento da camada de ozônio que a vida finalmente emergiu para a superfície do nosso mundo, já que a exposição aos raios solares antes do surgimento da camada de ozônio era fatal.

    A vida na Terra é um equilíbrio tão delicado e precioso que muitos realmente tendem a pensar, ainda que motivados pela própria vaidade, que somos únicos no universo, a obra máxima de um Deus.

    Não discordo que a Terra é de certa forma privilegiada, que está no lugar certo e reúne em si todas as condições ideais para o surgimento e desenvolvimento da vida como a conhecemos. Mas o que posso dizer?

    Acho que acertamos na loteria, apenas isso! No entanto, o universo é tão vasto que, com certeza, deve haver muitos outros “ganhadores” espalhados por aí.

    É, Marte tem esse poder, me faz pensar o quanto afortunados nós somos e como as coisas podem dar errado quando esse equilíbrio que favorece a vida é alterado. E, infelizmente, teimamos em mexer nele. 🙁

    http://www.huffingtonpost.com/entry/nasa-discovery-atmosphere-on-mars_563b6fd6e4b0307f2cac3d9e?utm_hp_ref=science

    1. No meu modo de ver, o excesso de gente é que provoca os maiores danos… Menos gente significa menos poluição, menos carros, menos indústrias, menos lixo, mais florestas…

      Não cabem tantos bilhões de pessoas no mundo, desequilibrando a vida no planeta e degradando seu meio ambiente. Seria maravilhoso se as religiões passassem a dar a mensagem de que mais de dois filhos por casal desagrada a Deus (ou aos deuses)…

      1. Radoico, boa noite.

        A taxa de fertilidade dos muçulmanos é de 8,2 por casal. e ninguém lá está preocupado com isso, porque sobrevivem com o mínimo. E a essa taxa serão os donos da Terra.
        Nos países europeus e ocidentais varia de 1,2 a 2,3. e de acordo com o Eduardo Cunha há uma pressão dos países desenvolvidos sobre os subdesenvolvidos/emergentes para exercer esse controle de natalidade.

        Sobre a taxa de 8,2 há uma pesquisa e um vídeo na Web.

        Veja esse: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica-brasil-economia/63,65,63,14/2015/11/06/internas_polbraeco,505351/projeto-de-eduardo-cunha-aponta-interesses-super-capitalistas-pro-aborto.shtml

        1. O Eduardo Cunha é um sujeito falso, demagogo, mal caráter e nada que vem dele pode ser levado a sério. Nem o tal projeto. E tirar o direito ao aborto das mulheres é um contra senso de gente ingênua e tola, pois abortos são feitos todos os dias neste país e a consequência é que muitas mulheres ficam com sequelas. O poço de falsidade do Cunha colocou este projeto em pauta para tentar desviar as atenções dos seus problemas bem conhecidos. O que ele disse é extensamente repetido pelos conservadores contra o aborto e tudo aquilo não passa de pura balela. As intenções deste pessoal são muito piores do que qualquer coisa que eles sempre atribuem a outros.

          Nos países islâmicos a taxa média de natalidade é de mais de 8, ou pelo menos é bem mais alta do que nos países mais desenvolvidos, e me diga onde há países em constantes crises e guerras que parecem não terminar? O Estado Islâmico não surgiu atoa agora, a taxa de natalidade sempre explode depois de guerras ou revoluções. Querer isto para o Brasil é pura irresponsabilidade religiosa conservadora.

      2. Radoico,
        Já manifestei em outra oportunidade o quanto admiro seu conhecimento e suas intervenções inteligentes, mas me parece que neste caso você não está correto, pois diminuir a natalidade por decreto não dá certo, vide a china, dizimação em grande escala também não, vide as guerras medievais e o holocausto. Na nossa história, nem tudo que a época parecia ser muito bom para a humanidade se revelou verdadeiro, como nem tudo que parecia ser ruim assim o foi, portanto não tenho e não acho correto assumir posição com teorias radicais achando que elas resolverão logo logo os temores que nem se quer sabemos verdadeiros.
        Eu prefiro confiar na capacidade biológica e no processo seletivo e de adaptação dos animais de toda a linha evolutiva que habitam a terra.
        Confio que a humanidade evoluirá muito bem, com, sem ou apesar de todas as teorias conspiratórias que afirmam que a humanidade está irremediavelmente destruindo o mundo.
        Um Abraço!

        1. Mas a humanidade está destruindo o planeta.Isso é concreto,sem dúvida alguma.E a explosão populacional é o grande responsável.E não há nenhuma ação verdadeira e eficaz até hoje pra reverter isso.

          1. É impossível negar que a presença humana não interfira no equilíbrio da natureza, só reforço que este fenômeno, para o bem ou para o mal é inexorável, pela simples constatação de sermos o principal integrante dela. O que discuto é o quanto se torna improdutivo as acusações genéricas de que “estamos destruindo a natureza”, pois ela (a natureza) também tem a obrigação de se adaptar a nós, (não riam, por favor!), pois o sentido disto tudo é a nossa existência e a nossa perpetuação, ou… a nossa eventual extinção, de acordo com qual for o melhor caminho determinado pela seleção natural.
            Milhões de espécies já se extinguiram nos processos adaptativos pelo quais já passou nosso mundo, e porque o Urso Polar, que o Salvador citou estes dias, não pode ser o primeiro do próximo milhão neste processo contínuo de adaptação?
            Na minha juventude apanhei muito da polícia nos movimentos estudantis contra a ditadura, participei ativamente da hoje famosa guerra da Rua Maria Antônia em 1968, tinha 23 anos de idade, acusávamos os militares por toda a ordem de mazelas da nossa sociedade, como hoje os “profetas do fim do mundo” acusam a humanidade impessoalmente pela degradação do meio ambiente.
            Vencemos a guerra contra os militares e o Brasil só piorou. Ironicamente hoje se os militares quiserem voltar, eu pessoalmente, velho como estou, pegarei em armas para ajudá-los.
            Existe um “mote” que delineia o andar dos eventos na natureza, a presença do homem poluidor é algo já configurado, e só haverá modificação desta realidade, se surgir um novo “mote”, o que não se conseguirá apenas com posições pessoais e catequeses tipo praticadas pelo Apolinário, ou queixas e afirmações vagas publicadas em blogs, da mesma maneira que não modificaremos o Brasil simplesmente postando criticas, sátira e fazendo piada sobre o que está acontecendo.

      3. Concordo plenamente com vc. Nossa espécie é uma praga. Se espalha pelo planeta e não temos nenhum predador natural.

    2. Vitor,
      A “camada” de ozônio, é simplesmente uma ilusão. Ela não existe. O que existe de fato é a camada de Oxigênio molecular(O2). Essa concentração de oxigêniomolecular é a real causa da existência do que se diz “camada” de ozônio. Basta existir O2 na atmosfera, que o sol se encarrega de “fabricar” o O3(ozônio).
      Não existiria O3(ozônio) se não existisse O2 na atmosfera. Uma vez que exista O2 na atmosfera, é impossível não existir O3, a menos que o sol parasse de emitir radiação na faixa ultravioleta, coisa que nunca aconteceu até hoje, e que se parasse de acontecer, o eventual ozônio não serviria pra nada.

      Vale a pena estudar o assunto com mais cuidado.

      Todo o Ozônio existente sobre sua cabeça hoje, se fosse trazido à pressão do nível do mar, formaria uma “camada” de apenas 3 milímetros de espessura…

      Para acreditar que 3mm de um gás seja suficiente para lhe proteger de alguma coisa, é preciso ter muita fé !

      1. Anibal, mas o ozônio não fica à pressão do nível do mar. Portanto, a camada não tem 3 milímetros. Tem muito mais. E outra: verdade que é o UV sobre o O2 que produz o O3. Mas se você emite substâncias que degradam o O3, ele pode desaparecer mais depressa do que é fabricado, e aí você tem falta de ozônio. Já tivemos essa discussão antes sobre o ozônio, e você já desfilou os mesmos argumentos, todos prontamente refutados. Achei que você já tinha superado essa. rs

        1. Salvador, para “superar” essa, eu precisaria jogar fora todo o conhecimento atual de físico-química.
          Os conceitos de velocidade de reação química, versus concentração e temperatura dos reagentes, por exemplo, funcionam em todos os processos químicos que conhecemos.
          Esse do ozônio seria o primeiro caso em que essas regras seriam quebradas. Não seria impossível, mas para isso acontecer de fato, é preciso medir, fazer novamente, documentar, etc…
          A presença de catalisadores, como o Cloro, é apenas uma das variáveis da equação de formação e destruição do ozônio.
          E como a reação de formação de ozônio, já consome o UV mais perigoso(UV-C), tanto faz que ele seja destruído logo após a sua formação, porque a energia em UV já foi “consumida” no processo da quebra do O2.
          Confesso que é muito difícil desapegar desses conceitos.
          São coisas que se aprende, e que só podem ser “desaprendidas” com grandes saltos em conhecimento, como na época da descoberta da relatividade de Einstein.
          Se houvesse, e se houver em qualquer tempo, qualquer substância catalisadora capaz de acelerar as reações de destruição do ozônio, não haveria nenhum problema, porque ele passaria a ser “produzido” nas camadas inferiores da atmosfera, onde a pressão é maior, e logicamente quantidade de moléculas de O2, também.
          O fato de o ozônio ser detectado em enormes altitudes, é porque é lá que as condições são favoráveis.
          Qualquer mudança pra pior nas condições, vai apenas fazer essa altitude diminuir. Atualmente está em média nos 40km de altitude.
          Se baixasse pra 15 km, que diferença faria ?
          Qual a real chance de um Raio de UV-C, que porventura, passe incólume pela altitude de 40km, onde existem apenas 0,4% das moléculas de O2, porque a pressão atmosférica é uma mixaria, consiga atravessar os últimos 15km, onde estão concentradas 90% das moléculas de O2, existentes na atmosfera ?

          1. Certo. Todos os cientistas que estudam a camada de ozônio, monitoram o buraco na Antártida via satélite, não sabem nada de físico-química. Você, e só você, sabe. Hmm. Certo.

Comments are closed.