Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade

Astrônomos brasileiros registram cometa Catalina

Por Salvador Nogueira

O cometa Catalina (C/2013 US 10), que avança rapidamente para se esconder nos céus do hemisfério Norte, atingiu seu brilho máximo ontem (4). O Mensageiro Sideral então contatou Cristóvão Jacques, astrônomo amador do Observatório SONEAR — instalação dedicada à busca de asteroides ameaçadores à Terra, localizada em Oliveira (MG) –, na esperança de que o grupo pudesse obter um registro de “despedida” do cometa nos céus do Brasil.

Registro feito pelo Observatório SONEAR, em Oliveira (MG), revela as duas caudas do Catalina (Crédito: SONEAR)
Registro feito pelo Observatório SONEAR, em Oliveira (MG), revela as duas caudas do Catalina (Crédito: SONEAR)

O tempo ajudou, e os astrônomos mineiros conseguiram um belo registro. Na foto, pode-se ver duas caudas do cometa, uma produzida pelo rastro de poeira (que acompanha a trajetória do cometa) e outra gerada pela ionização de partículas pela radiação solar. Essa se desloca sempre na direção oposta ao Sol e aparece na diagonal, à direita. A imagem em versão negativa deixa as duas caudas ainda mais evidentes.

O vídeo, por sua vez, exibe a coma (a atmosfera estendida do cometa gerada por sua proximidade com o Sol) e o movimento do astro com relação ao fundo de estrelas. Um risco que corre a imagem é um satélite artificial trafegando pelo campo de observação do telescópio. E um ponto em movimento ao fundo é um hot pixel da câmera — um artefato do dispositivo de captação das imagens. O vídeo em loop representa 10 minutos de observação.

Aproveitando o ensejo, não deixe de visitar a página do Observatório SONEAR no Facebook: www.facebook.com/SONEARObservatory.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade