Documentário conta história de corrida para a Lua

Manja “Corrida Maluca”, o desenho animado? Neste momento, algo muito parecido está rolando entre grupos aeroespaciais privados — uma corrida para a Lua. E estamos agora na reta final, marcada para dezembro de 2017. O prêmio para o vencedor? US$ 30 milhões, oferecidos pelo Google.

Este é o Google Lunar X Prize, que acaba de ganhar um documentário produzido pelo mais novo queridinho de Hollywood, J.J. Abrams (responsável por outras sagas espaciais do cinema como o reboot de “Star Trek” e a última continuação de “Star Wars”), com direção de Orlando von Einsiedel.

Dividido em 9 curtas, com duração total de 50 minutos, “Moon Shot” será exibido no Google Play no dia 15 e no YouTube no dia 17. O trailer foi divulgado nesta quinta-feira (3), exatamente às 11h, e você pode ver (e se arrepiar) aqui.

O GLXP (sigla inglesa para Prêmio X Lunar Google) é uma competição cujo objetivo é lançar um pequeno veículo não-tripulado capaz de pousar em nosso satélite natural, obter imagens em alta resolução de sua superfície e avançar pelo menos 500 metros pelo solo com seu robô.

O prazo para vencer a competição expira no fim do ano que vem, e duas equipes já têm contratos para lançamento de seus veículos, a israelense SpaceIL e a americana Moon Express. São, portanto, as favoritas à conquista, dentre as 16 equipes inscritas (havia inclusive um time brasileiro, o pessoal da SpaceMETA, que até já tinha um acordo assinado para voar no primeiro foguete ucraniano Cyclone-4 que decolasse de Alcântara, huohuohuhoh).

Confira os 16 times na disputa:

SpaceIL (Israel)
Astrobotic (EUA)
Team Italia (Itália)
Moon Express (EUA)
Stellar (internacional)
Independence-X (Malásia)
Omega Envoy (EUA)
Synergy Moon (internacional)
EuroLuna (internacional)
Hakuto (Japão)
Part-Time Scientists (Alemanha, a da foto acima)
Team Puli (Hungria)
SpaceMETA (Brasil)
Plan B (Canadá)
Angelicvm (Chile)
Team Indus (Índia)

Dessas equipes todas, cinco venceram prêmios de ínterim por demonstrar marcos tecnológicos significativos, como o teste de tecnologias de pouso, mobilidade e imageamento. O Google já distribuiu US$ 6 milhões, entre os grupos Astrobotic, Team Indus, Moon Express, Hakuto e Part-Time Scientists.

Criada pela Fundação Prêmio X e bancada pelo Google, a disputa segue os moldes do primeiro Prêmio X, que tinha por objetivo alavancar o turismo espacial em voos suborbitais e foi vencido em 2004 pela equipe da empresa Scaled Composites, liderada pelo engenheiro Burt Rutan. Na ocasião, a premiação era de US$ 10 milhões, bancados pela milionária iraniana Anousheh Ansari. A tecnologia desenvolvida para vencer o prêmio é a mesma que levou ao desenvolvimento das naves privadas da companhia Virgin Galactic, que pretende iniciar voos comerciais em 2017.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. O documentario tem inicio com imagens de Senna nas competicoes de kart e uma declaracao onde ele diz que em sua epoca de kart as corridas eram “reais” porque nao envolviam dinheiro nem politica. Logo em seguida o primeiro destaque fica por conta de sua primeira participacao no Grande Premio de Monaco em 1984, onde largando atras no grid, atingiu a segunda posicao, e so nao venceu a disputa pelo fato da corrida ter sido interrompida a pedido do frances Prost.

  2. Salvador ja que estamos falando de satelites. É possivel um satelite de um planeta ter seu próprio satelite. Mas estou falando na hipotese de planetas gigantes..com satelites do tamanho da terra por exemplo que teriam seus proprios satelites. estou viajando muito?

    1. Não, não está. E, como eu disse, é possível. Mas desconfio que a órbita seria instável, pela interação gravitacional entre planeta e lua.

    2. Desculpe pela intromissão, mas na verdade existem até mesmo asteroides com “satélites”. Um deles é o Dáctilos, que circunda, se bem me lembro, o asteroide Ida.

  3. É isso mesmo. Essa tal ida à Lua não passa de ficção. Os americanos inventaram essa lorota lá no fim dos anos 60. Mas filmes de ficção de viagem ao espaço já existiam e continuaram a ser feitos. Espero que prossigam.

    1. É isso mesmo. Essa tal ida à Lua não passa de ficção.

      Prove

      Os americanos inventaram essa lorota lá no fim dos anos 60.

      Prove

      Mas filmes de ficção de viagem ao espaço já existiam e continuaram a ser feitos. Espero que prossigam.

      Vão prosseguir, não se preocupe. Agora prove que a ida do homem à Lua foi uma farsa.

      1. Mas não foi vc que jurou de pé junto e calça arriada que não ia mais ‘causar’ no blog.? Que hipócrita chato.

        1. Espero ver você, muito breve, na Lua (ou quem sabe, nossos netos poderão passar sua lua de mel no satélite.

    2. Qual é a sua expectativa para as próximas eleições nos EUA, Donaldo Trompa? A Hilária Clitóris será a sua adversária?

  4. Deus não fez o homem para ir a Lua! kkkkkkkkkkkkk to brincando! é que tava faltando um comentário desses… Show de bola, o trailer arrepia mesmo!!! Um abraço Salvador!

  5. Sei que o Salvador Nogueira fez um livro sobre a corrida espacial. Não estou encontrando via internet, e as livrarias que encontrei, consta que não está disponível. Poderia saber, onde encontrar o mesmo, se for possível?
    Grata
    Suely

    1. Suely, de fato, o meu “Rumo ao Infinito”, de 2005, está esgotado. Você só vai achar em sebo. Preciso fazer uma versão digital, para o livro não sumir de vez. Mas e tempo para isso?

      1. Oi, Salvador.
        Acabo de adquirir seu livro Extraterrestres, no Kindle.
        Confesso que já o tinha visto lá muitas vezes, mas pensava se tratar daquelas bobagens, tipo revistas fantasiosas de UFOS, e nunca dei muita bola.
        Quando vi que era você o autor, soube se tratar de coisa boa e comprei na hora.
        Não sei nem se é possível a essa altura do campeonato (ou se é do seu interesse), mas te sugiro alterar o título, pra evitar que outros cometam o mesmo erro que eu.
        Grande abraço e parabéns pela coluna.

        1. Marcelo, agora é tarde para mudar o título (que, a propósito, não era o meu original, foi mudado pela editora por rações mercadológicas). Mas, se você pensar, é mais importante que um livro desses chegue a quem gosta de óvnis do que que chegue a quem já é mais ilustrado e sabe que disco voador é tudo meio cascata… 😉
          Abraço!

          1. “TUDO MEIO cascata..”
            Rs…
            Vou completar:

            Tenho QUASE absoluta CERTEZA de que é mentira.
            “Sou 99% ateu…” (não me refiro à ninguém, só um exemplo)
            “Estou MEIO GRÁVIDA”
            “O copo está MEIO VAZIO.”

            O mais irônico é que na natureza, como as coisas não são sempre tão exatas, essas “ilações” do tipo “MEIO” encontram respaldo.
            Tudo é relativo, “MEIO”.
            Certamente, mais essa característica da natureza (ou da forma como a medimos), deveria ser um incentivo à pesquisa, não ao preconceito.
            Uma motivação para não taxar tudo que é “estranho” de “cascata”.
            Daí o Salvador ser coerente com a natureza e com o posicionamento científico.
            Daí eu concluir que está QUASE abolutamente certo.

  6. Caramba, hein, Salva! O post é sobre a corrida à Lua e a tigrada acaba falando até em raça de cachorro! kkkkk BRhuee…
    Voltando a falar do programa, qual abordagem daria mais certo tendo a grana (e, portanto, a carga) como um forte limitante: uma trajetória percorrida de maneira mais lenta usando a captura gravitacional da lua como freio (pensa na mira do maluco para acertar de primeira) e levar uma carga maior ou disparar que nem um raio, levar e usar uma descarga de combustível para frear a nave, mas com uma carga paga menor? Eu chutaria a segunda. É por aí? Abraço!

    1. Wagner, acho que a segunda, porque a primeira ia exigir um motor iônico, e como a tecnologia é mais nova é menos confiável.

  7. Criacionismo, eta criatividade porreta, passamos para raças, infiltradas de cães: chegamos as fofuras, qualquer menções aos gordos é pura criatividade, cruzamos a Africa, flutuações de temperaturas na Lua, corridas malucas, tudo isso para chegarmos que atualmente temos condições técnicas, diferentemente da década de 60, para chegarmos até a Lua. Ida sem volta e quiças uma descida, não queda.

      1. Assisti pela televisão a chegada na Lua. Até prova ao contrário “eu vi”. Atente ao blogue.

        1. hehehe… falou o Wadinho! Eu de fato não tinha entendido o seu post. Parece que o Pallando tb não… a propósito, eu também vi. Muito marcante! Nessa, ganhamos do Salva!

          Retorno meu elogio!

    1. Capacidade para ir e voltar da Lua já existe desde a década de 60.
      O detalhe principal é que usando tecnologia moderna uma “pequena” empresa privada seria capaz de um feito que a poucas decadas atrás só os governos das grandes potências mundiais eram capaz de financiar e fazer.
      Esse é o grande salto, sacou? E viva os aventureiros!

      1. Não disse nada ao contrário, o pessoal fica falando de alhos e bugalhos e não atentam para o blogue.

  8. Esperemos que não seja o riso o maior objetivo dessa “corrida maluca”, porque isso o desenho já fazia e muito bem.

  9. olá Nogueira ,
    dessas equipes na disputa , qual vc acredita que tem maior potencial de concretizar a missão ?

    1. Acho que, apesar de não ter ganho prêmio de ínterim, a melhor até agora é a SpaceIL, porque tem uma carona “boa”, num Falcon 9 da SpaceX. A Moon Express é tecnologicamente mais sólida, mas depende de um acordo com uma empresa de foguetes que nunca lançou o modelo contratado. Ou seja, a chance de não sair do chão até dezembro de 2017 é grande. Aliás, eu acho que ninguém vai ganhar o prêmio. Exploração da Lua é um troço difícil. Vamos ver se alguém tira um coelho da cartola.

  10. O prêmio poderia ser dobrado se eles conseguissem aproximar e tirar fotos das tranqueiras das missões Apollo.

    Mas então aqueles sujeitos obtusos iriam dizer que tudo é montagem e faz parte da conspiração midiática dos illuminatis.

    Já falei aqui nesse espaço que, pra esses caras, só se eles fossem lá, mas com apenas 1min de ar, pra dar tempo só para se arrependerem de quanto foram imbecis…

    Mas voltando ao tema… A Google™ nos enche o saco com publicidade, guarda informações pessoais que realmente preferíamos que ninguém soubesse, mas nos devolve ferramentas e avanços tecnológicos que parecem até compensar a perda da privacidade…

    1. Tenho muito mais confiança nos desdobramentos ciêntificos deste premio (nesta corrida maluca eu voto na Penélope Charmosa, hehehe) do que nos possíveis benefícios do tal “Carro sem motorista”.

      Isso sim me dá medo!

      Bicicletas e transportes públicos, Já!!!

      1. Nah, uma coisa não exclui a outra. Carro sem motorista é sensacional. É o fim dos estacionamentos, é o fim da guerra entre taxistas e uberetes (todos se lascam por igual) e, principalmente, o fim do ZONA AZUL. E outra: como bônus, também podemos ter ônibus sem motorista. Qual é o sentido de colocar alguém que fica cansado, estressado, sofrendo no trânsito por horas a fio?

        1. É que os dois sistemas (software e burroware) vão conviver durante muito tempo.

          Ai não tem AI que consiga evitar as cagadas…

          Outra coisa, onde você vai colocar aqueles motoristas de ônibus do Rio De Janeiro, sempre tão educados e solícitos??? hahahaha

          E o que acabaria com as zonas azuis, não seriam carros autônomos, mais sim o “empréstimo/compartilhamento” de carros (como estes sistemas de locação/empréstimos de bikes)

  11. Vixxxiii Salva…
    Já estou prevendo que vai chover comentários aqui de que o homem nunca pisou na lua!!!..rs

    1. Tenho lá minhas dúvidas se pisou mesmo!!! com a temperatura oscilando entre -153ºC à noite a +107ºC de dia o traje espacial tem que ser bom mesmo!!!!

      1. Não se você só pegou a tardezinha lá. (Detalhe, um dia lá dura 14 dias terrestres. A estadia máxima foi de 3 dias, na Apollo 17.)
        E outra: flutuação de temperatura por flutuação de temperatura, imagine a variação na órbita da Terra, passando 45 minutos no escuro e 45 minutos sob o sol escaldante?

        1. Como te falei tenho minhas dúvidas, parece sempre obscuro quando se fala da Lua, inclusive da Apolo XX sobre resgate de uma nave pousada na Lua ou sobre a EBE (entidade biológica extraterrestre) que trouxeram no módulo. Se estiveram lá, estão com medo de voltar por algum motivo.

          1. Não teve Apollo 20. A última Apollo foi a 17. Você está confundindo boato com fato.

          2. Com Apolo XX e EBE só pode ter dúvidas mesmo. Ficar lendo bobagens nesses sites de conspirações e boatos feitos para enganar da nisso.
            Sugiro passar a régua e buscar informações corretas, pode começar pela Wikipedia tem bons artigos lá.
            Ao invés de medo e dúvidas, vc ficará deslumbrado em perceber como a inteligência e inventividade humana supera tantos obstáculos. Os fatos sobre a ida do homem a Lua superam em muito todas essas bobagens que pessoas mal intencionadas e desonestas ficam publicando a torto e direita na internet.
            Todas suas dúvidas serão respondidas, pois solução tiveram para tudo, afinal estiveram lá por 6 vezes. Essas missões não aconteceram por acaso, foram fruto de muito trabalho e persistencia.
            Não tenha medo de ter duvida, e jamais tenha medo de procurar a resposta. Resposta verdadeira claro.

  12. Mais tarde volto pra descobrir se há algum comentário conspiracionista ou sobre fome na África.

    1. Eu vou começar…. Ninguém acredita nessa fraude… O homem nunca pisou na fome na África! Se o homem já mandou comida para o continente africano porque não manda hoje? Outra coisa: Reparou que nas fotos do continente só aparecem negões? Onde estão a Charlize Theron, o Freddie Mercury… Tudo montagem!

      1. Negro seria raça, e NÃO existe “Raça Negra”!!! (só uma banda xexelenta de pagode)

        O que existe são seres humanos (uma raça), constituídas de indivíduos brancos, amarelos, vermelhos, cores-do-arco-íris (hehehehe) e PRETOS!!!

        Se nós queremos merecer dominar o espaço, temos que jogar o racismo na lata do lixo.

          1. Ah, fica tristim não, Salva, eu tenho todo amor do mundo por você (melhor dizendo, pelos seus posts e conhecimentos, hahahaha)

            Se bem que teve um “rapaz” aqui, no ano passado, que declarou te achava bem fofo! Lembra???

            Eu não chego a tanto.

        1. Eu até entendo você, que está certo na essência embora discorde da abordagem. Mas reparou que em momento algum citei negro como raça? Também não considero negro raça (E me parece que biologicamente não é mesmo), mas usar negão em momento algum supõe raça. Você tem uma idéia sobre isso quase parecida comigo e quis aplicá-la em uma situação que na verdade não coube.

        2. Perfeito seu comentário, Xangô! Só existe UMA raça humana!

          Mal comparando, só existe uma raça canina de poodles e eles também têm várias cores (pretos, brancos, beges, por exemplo)… E existe OUTRA raça canina, a dos Dog Alemães, também com várias cores (pretos, cinzas, marrons, malhados)… E há muitas outras raças de cães. Mas uma só raça humana!

          Nunca vi um cão menosprezar outro pela sua cor diferente!

      2. Daqui a pouco, vão dizer que o furacão Methew foi provocado pelos Estados Unidos…

Comments are closed.