Kepler ‘renascido’ acha mais 104 planetas, cinco com potencial para a busca de vida

Salvador Nogueira

Como diria Mark Twain, os rumores sobre a morte do satélite Kepler foram enormemente exagerados. No primeiro grande trabalho de consolidação dos resultados obtidos após a “ressurreição” do telescópio espacial na forma da missão K2, um grupo internacional de astrônomos anunciou a descoberta de mais 104 planetas — alguns deles potenciais alvos para a busca por vida fora do Sistema Solar.

Essa é a diferença crucial entre os mundos identificados agora e os que foram revelados durante a missão original do Kepler — eles estão mais próximos e em estrelas potencialmente mais brilhantes que permitirão a futura análise de sua composição atmosférica. E nela poderemos encontrar a “assinatura” característica de biologia. (Na Terra, as grandes quantidades de oxigênio só poderiam ser explicadas pela presença de seres capazes de fotossíntese. Um ET que nos estudasse a alguns anos-luz de distância seria capaz de dizer isso, mesmo sem jamais nos visitar.)

Dos 104 planetas, 64 não haviam sido investigados antes, 37 são de porte relativamente pequeno — com no máximo duas vezes o diâmetro terrestre — e 5 deles recebem nível de radiação de suas estrelas similar ao que a Terra recebe do Sol. Ou seja, em princípio, poderiam ter um ambiente capaz de manter água em estado líquido, condição essencial para a vida como a conhecemos. Mas será que é esse o caso? Com alvos como esses, poderemos tentar obter a resposta a partir de 2018, quando a Nasa pretende lançar o Telescópio Espacial James Webb. Mais sensível que o Hubble e operando no infravermelho, ele terá o poder de detectar ao menos alguns traços da composição atmosférica desses mundos.

O artigo que reporta as descobertas contempla os cinco primeiros “campos” de observação da missão K2 (Campanhas 0 a 4), realizados entre março de 2014 e abril de 2015. Desde então, novas campanhas seguem em andamento, de modo que podemos esperar muito mais descobertas nos quatro anos previstos de operação para a missão. “Extrapolações da coleta planetária atual sugerem que o K2 descobrirá entre 500 e 1.000 planetas”, escrevem Ian Crossfield, da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, e seus colegas, em longo artigo científico aceito para publicação no “Astrophysical Journal Supplement Series”.

Os cinco campos das campanhas 0 a 4 do Kepler, e seus 104 planetas confirmados (Crédito: Karen Teramura/UHIfA)
Os cinco campos das campanhas 0 a 4 do Kepler, e seus 104 planetas confirmados (Crédito: Karen Teramura/UHIfA)

O RENASCIMENTO
O trabalho consolida diversas descobertas dispersas feitas recentemente, com um esforço mais rigoroso de confirmação e validação dos resultados. Para a análise, os cientistas contaram com observações de apoio feitas com os telescópios Gemini e Keck, no Havaí, além dos dados colhidos pelo K2, o “Kepler renascido”.

Maior satélite descobridor de planetas da história, o Kepler foi lançado em 2009, e seu objetivo era justamente produzir números superlativos. Ele foi projetado para se manter o tempo todo apontado para a mesma região do céu, um pequeno campo estelar que representava apenas 1/400 de toda a abóbada celeste. Lá, ele monitoraria o brilho de cerca de 150 mil estrelas, em busca de “mini-eclipses” — planetas que passassem à frente da estrela e bloqueassem parte de sua luz.

E foi isso o que ele fez, entre 2009 e 2013, colhendo uma amostra significativa dos tipos de sistema planetário existentes lá fora. A ideia era essa mesmo, realizar um censo, produzindo estatísticas que nos permitissem responder a uma pergunta simples: com que frequências planetas como a Terra se encontram em circunstâncias similares às do nosso planeta?

A missão foi um sucesso, mais de 2.300 planetas foram descobertos, e a questão crucial foi respondida. Hoje sabemos que, em média, uma em cada cinco estrelas similares ao Sol têm um planeta com diâmetro e nível de radiação comparáveis aos da Terra — o que sugere a presença de bilhões de mundos parecidos com o nosso, só na nossa Via Láctea.

Contudo, uma coisa que o Kepler não havia sido projetado para fazer era se concentrar em estrelas mais próximas, que permitissem estudos posteriores de caracterização dos planetas ao seu redor. Ao se manter sempre apontado na mesma direção, ele não podia “escolher” seus alvos.

E então veio o defeito que quase acabou com ele. Para manter seu apontamento preciso, o satélite era equipado com quatro giroscópios (dispositivos giratórios que ajudam a apontar a estabilizar o veículo no espaço), dos quais no mínimo três eram necessários para a operação bem-sucedida. Só que dois deles falharam, deixando o Kepler com apenas dois funcionais. Fim da missão?

Os engenheiros tiveram então uma ideia brilhante para trazê-lo de volta à ativa. Reapontar o Kepler de forma que a pressão exercida pela luz solar funcionasse como o terceiro giroscópio, estabilizando-o num dos eixos. Assim, o satélite poderia voltar às observações, com algumas diferenças. Conforme ele avançasse em sua órbita ao redor do Sol, a luz solar estaria vindo de uma região diferente do céu, de forma que ele teria de ser reapontado em outra direção.

Nasceu então a missão K2, em que o telescópio espacial permanece apontado durante cerca de 80 dias de cada vez para uma dada região do céu ao longo das constelações do zodíaco. Os resultados agora apresentados refletem o sucesso obtido nas primeiras cinco campanhas — pouco mais de um ano de observações.

Em sua nova missão, o telescópio espacial busca planetas nas constelações do zodíaco (Crédito: Nasa)
Em sua nova missão, o telescópio espacial busca planetas nas constelações do zodíaco (Crédito: Nasa)

OS ALVOS MAIS SABOROSOS
Números superlativos deixaram de ser o principal atrativo da missão. Agora o objetivo é se concentrar em estrelas mais brilhantes e encontrar planetas que possam ser futuros objetos de caracterização detalhada. Os dados do Kepler oferecem apenas uma estimativa do tamanho e da órbita dos mundos descobertos. Mas queremos saber mais: qual a composição desses planetas? O que há no ar por lá? Algum deles tem oceanos de água? Existe vida neles?

A missão K2 se concentra agora em encontrar essas joias planetárias, que estão na distância certa para que possamos estudá-las mais a fundo com os telescópios de próxima geração — não só o James Webb, mas também os grandes telescópios terrestres que devem entrar em operação na próxima década, como o E-ELT, do ESO (Observatório Europeu do Sul), e o GMT, de um consórcio internacional com participação paulista.

O Mensageiro Sideral perguntou a Ian Crossfield que planetas dessa baciada ele acha mais atraentes para futuros esforços de caracterização e detecção de composição atmosférica. “Sim, estamos muito empolgados de achar vários alvos excelentes para o James Webb em nossos esforços com o K2”, disse. “Vários planetas especialmente interessantes que são bons alvos são os três planetas pequenos e frios orbitando [a estrela] K2-3, o planeta K2-18b e os dois maiores gigantes gasosos em órbita de K2-24.”

Quer conhecê-los? Vamos lá!

A estrela K2-3 é uma anã vermelha com cerca de 60% do diâmetro do Sol, a cerca de 150 anos-luz da Terra. E o sistema de três planetas foi um dos primeiros a ser descobertos pela missão renascida — o Mensageiro Sideral mesmo já falou nele quando Crossfield anunciou sua primeira identificação, no ano passado. O terceiro e mais interessante deles tem diâmetro 50% maior que o da Terra e está numa região que poderia em tese permitir que fosse habitável. A conferir nos próximos anos.

Já o planeta K2-18b tem um tamanho intermediário entre a Terra e Netuno, recaindo sobre uma categoria que não tem igual no Sistema Solar. Daí o interesse dos cientistas por ele e por sua caracterização. Ele tem cerca de 30 mil km de diâmetro e completa uma volta em torno de sua estrela, outra anã vermelha, a cada 32,9 dias.

Por fim, os planetas K2-24b e c têm respectivamente 52% e 72% do diâmetro de Júpiter e completam uma volta em torno de sua estrela a cada 20,8 e 42,3 dias, respectivamente. E o interessante é que estão em torno de uma estrela cerca de 20% maior do que o Sol.

Ou seja, veja você que os cientistas não estão interessados meramente em planetas com potencial para vida. Na verdade, eles querem entender que tipos de planetas há lá fora e como eles se formam. Tudo numa busca por entender o contexto da nossa própria existência num Universo muito, muito grande. Responder se estamos sós ou não é apenas parte dessa resposta.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Pô, Salvador, não consigo mais ler seus posts. :/ Mesmo logado, não é mostrado a postagem completa.

    1. Do mesmo jeito que ela pode ser usada para empurrar um veleiro solar. Há transferência de momento entre os fótons solares e a superfície sobre a qual eles rebatem. Isso mantém o Kepler tendendo a ficar perpendicular à luz solar (que empurra o satélite por igual, mantendo-o estável), e os outros dois giroscópios dão conta dos outros dois eixos.

  2. Boa noite.

    Salvador, pelo que entendi do post, o James Webb – substituto mais novo e mais moderno do Hubble – também vai ajudar na descoberta de exoplanetas. Isso significa que não teremos um substituto mais avançado do Kepler, da mesma forma que acontecerá com o Hubble?

    1. Aud_Vix, o Webb vai ajudar a estudar exoplanetas, mas não descobrir. Para novas descobertas de alvos para o Webb, contamos com o K2 e com um novo satélite a ser lançado pela Nasa no ano que vem ou, mais tardar, 2018, chamado TESS. A exemplo do K2, ele vai se concentrar em estrelas mais brilhantes (logo, mais próximas) e em todas as regiões do céu (ainda mais flexível que o K2).

  3. Salvador, se encontrássemos vida em outro lugar, tipo Marte ou Europa e descobríssemos que ela se originou da própria terra, ela seria considerada extraterrestre? Ou o que?
    A proposito, estou lendo seu livro de mesmo nome, é muito bom, não se cansa de ler!
    Abraços

    1. Luiz Henrique, ela seria tecnicamente extraterrestre, mas de origem terrestre, o que ainda nos deixaria com dúvidas sobre quão frequentemente a vida se origina naturalmente no Universo. E legal que você está curtindo o livro!
      Abraço!

  4. Ateus, atoas apreciem bem as jóias apresentadas até o momento, não é sempre que temos a oportunidade de condensarmos tanta ciência em tão pouco espaço, dificilmente terão outra oportunidade de adentrarem um besteirol tão desencontrado e insano, indigno de respostas racionais e tão desfocado da apresentação.

    1. Por que você não morre????? Tá passando da hora meu chapa. Coisa chata seu bosta. Vai cassar tua turminha que acredita em estórinhas de fantasmas.

        1. Até tu, ó brutus, patada é a defesa dos quadrupedes, não sabia que fazia parte desse contexto.

      1. Não porque a progenitora iria sentir saudades, por outro lado é caçar, seu ignorante, analfabeto.

    2. Oswaldo, para você, respostas “racionais” são apenas aquelas tiradas da bíblia… como o livrinho não fala nada sobre estrelas e planetas fora do Sistema Solar, eles não existem. Sábia conclusão, mas, para isso, você não precisa vir comentar aqui, precisa?

    3. osvaldo gil, já pensou na possibilidade de abreviar seu encontro com deus e deixar que nós infiéis cumpramos aqui nossa danação eterna erm paz?

      ah tá, agora que entendi: você deve fazer parte do castigo!!

      bom trabalho, cara!!

    4. Oswaldo Gil de Souza. Aqui não é seu lugar da mesma maneira que soa estranho Osvaldo com W

      1. Realmente, no morro deve ser com v, no meu convívio, v é o inicio de sua prerrogativa.

    1. Vai ser nos Andes chilenos, espelho de 25 metros, início das operações no começo dos anos 2020, e a Fapesp está investindo US$ 40 milhões nele por tempo para pesquisadores paulistas.

  5. Os cientistas sabem q não existe vida inteligente fora da terra. Especulam que haja vidas primitivas.

    1. Não, eles não sabem disso. Você está confuso entre o que eles sabem e o que não sabem.

  6. Salvador,
    Qual a distancia mínima (anos luz) o K2 está observando estrela com potenciais planetas?
    Qual a percetagem do céu cobrirá até o fim da missão?

    1. Sidney, a distância mínima é tão mínima quanto as estrelas mais próximas. Mas dependemos de elas estarem alinhadas de forma a produzir trânsitos.
      Sobre o percentual do céu, ele deve ter 16 a 18 vezes mais “céu” que a missão original do Kepler, mas tem uma perda associada: como ela só pode observar cerca de 80 dias de cada vez, o período orbital máximo que um planeta pode ter é de uns 40 dias, para termos preferencialmente três trânsitos dele. Ou seja, o K2 jamais poderia confirmar um planeta com órbita similar à da Terra, porque veria no máximo um trânsito dele nos 80 dias em que estivesse olhando naquela direção. (Já a missão original do Kepler ficou 3,5 anos olhando pra mesma direção, e aí pôde detectar planetas com período comparável ao da Terra.)

  7. Fantástico! adoro astronomia. Tal qual as caravelas dos séculos catorze e quinze hoje o homem fuça as galáxias. VIVA O HOMEM! Não se acomoda; vai em frente.

      1. Quando se fala “homem” de forma genérica, isso quer dizer a humanidade, então elas estão muito bem incluídas na frase…

  8. para achar vida em outro planeta é preciso mais que antenas ouvindo sinais, os aliens inteligentes devem ser poucos e estão bem distante de nós e, além disso, podem fazer uso de sistemas de comunicação mais evoluídos e de pouco ou nenhum vazamento ao espaço.

    se nos enviaram uma mensagem que chegou aqui há mil anos, ninguém viu. Não há nada que obrigue um alien a mandar uma mensagem na hora e momento que eu quero.

    1. Mas se eles forem inteligentes o suficiente e se interessarem por nós saberiam como enviar a mensagem.

  9. Essa “Elizabeth Koslova” me respondeu a um email (já tem uns 10 anos) com um esclarecimento bastante pertinente sobre a evolução do programa espacial brasileiro, comparado com outros programas espaciais de emergentes. Depois vi uma avaliação que ela fez sobre a V2 que eu fiquei bastante impressionado. Mas, realmente não sei se é um nick ou uma pessoa real.
    De fato, uma coisa que me chamou a atenção é o fato de ela ter um curriculum invejável com tão pouca idade.

    1. Se o curriculum é falso, já não é tão impressionante mais, né? De toda forma, sim, ela impressiona pelo nível das informações. Mas não é quem diz ser, infelizmente.

  10. Tudo isso é ilusão nada existe somos meros fantoches, se existisse vida fora da terra já teria sido descoberto, somos meros fantoches, até os ateus já estão revendo os seus conceitos, pois algo não tá se comportando como deveria… A física quântica jogou um balde de água fria naqueles que se achavam senhores da razão.Como explicar um universo tão grande e só a terra habitada ? Tudo talvez seja apenas um pano de fundo
    Na realidade se partimos do tradicional somos todos originários de poeira cósmica ou se partimos para uma concepção mais polemica poderemos ser apenas linhas de um código de um software, nada menos que Elon Musk e alguns cientistas já defendem isso! A física quântica veio para dar uma tapa na cara dos céticos q achavam q já sabiam de tudo! Como explicar q um maldito feixe de elétrons se comporte de maneira diferente quando está sendo observado?(experimento da dupla fenda de Aephraim Steinberg) como ele sabe q tá sendo observado? Ou o entrelaçamento quântico que Albert Einstein chamou de “ação fantasma à distância se recusando em sua época a acreditar nessa propriedade bizarra em que hoje a física já comprova sua existência embora seja incomum e até fantasmagórico”! (Pois nessa propriedade as partículas se comportam como almas gêmeas o que se faz com uma instantaneamente acontece com a outra, indiferente com a distancia q estejam entre si) Como explicar isso? Como ela sabe que o seu par foi modificado a bilhões de quilometro de distancia?????

    1. Bráulio, não.
      Suas fontes de informações são incompletas, falam o que lhes interessa.
      Como o assunto é complexo, sabem que a maioria de nós não irá atrás.
      Fale por você.

      1. Meu caro mesmo sabendo q vc não tem formação formal na área cientifica admiro o teu esforço de autodidata que deve sobre humano (imagine ser expert em astrobiologia, astronomia, Astronáutica, física quântica tudo ao mesmo tempo) agora o que aprendi na vida é que devemos enfrentar os “problemas” de frente e não varrê-los para debaixo do tapete e fingir q não existem! Vc fala de informações incompletas, mas não especifica o q! Vamos parar de falar das especulações de Elon Musk já q não temos provas cabais sobre isso (e quem é Elon Musk mesmo né), agora o entrelaçamento quântico isso já foi testado e comprovado vc pelo menos já deve ter lido algo a respeito o efeito pratico disso no futuro e quase inacreditável poderia ser usado nas comunicações (seria instantâneo independente da distancia) possibilidade até de teletranporte não somente de partículas quânticas (imagine seria igual à jornada nas estrelas) só que isso fere mortalmente a lei da física q diz q nada pode ser mais rápido q a luz (exceto o pensamento rss) vc é capaz de dedicar mais de 70 linhas para justificar sua desconfiança sobre uma pseudocientista da época de sua puberdade, mas não argumenta de modo claro e consistente um fato real que a física moderna já aceita, pelo contrario responde de modo até truculento (deve pensar já vem àquele cara com aquelas questões polemicas) parece até eu respondendo aos meus filhos (eles tem 02 anos são lindos, não, não faça isso seu menino levado) a humildade faz a gente melhor a vida é uma eterna aprendizagem devemos ser sábios a imaginação é mais importante que o conhecimento (Albert Einstein) se é assim definida por um ícone da física moderna porque castrar esses novos pensamentos ou ignorar as novidades da física quântica q despontam causando incomodo aos tradicionais e gerando um turbilhão com mais perguntas do que respostas!

        1. Braulio,
          Quem deticou mais de 70 linhas sobre a cientista fui eu, e não o Salva…
          Segundo você escreve ocmo se fosse um expert, como se realmente conhecesse do assunto a fundo…mas hoje em dia é muito, mas muito fácil ser expert em algo por traz de um computador…basta respirar tirar uns 15 minutos correndo o google e pronto, temos respostas tecnicas com conceitos difíceis que até mesmo quem copiou não entende nada, mas finge cara de intelectual de gênio da ciência… Então meu amigo, já que você é tão inteligente assim, de sua cara a tapa…Qual a sua profissão? É formado em ciências? Qual seu verdadeiro nome??? Coloque a cara a tapa e não se esconda atrás de um nick pra ficar colando textos da net com tanta especulações e sem as menores provas….
          Seu nome por favor???

    2. Eu acredito que você mesmo deu as respostas a essas perguntas no início de seu próprio texto.
      Tudo isso é ilusão.
      A matéria não existe de verdade. O tempo é a somatória de agoras. Ou seja: O tempo como imaginamos também não existe.
      Apenas nossa Consciência é capaz de experimentar algo que não existe. A Consciência é a ferramenta e a raiz de todo o Universo.
      Sem Ela, as probabilidades seriam apenas, probabilidades. Nunca teriam se manifestado, cristalizado em energia, colocado o tempo prá correr.
      A consciência que colapsa o elétron é a mesma que separa as partículas entrelaçadas, criando a ilusão do espaço.

      1. Na boa, acho que não.
        A consciência é nossa forma de perceber o mundo. O Universo e tudo que há nele existe independente da nossa consciência.
        Vc (como o Braulio) deve estar se referindo aos fenômenos quânticos, interpretados de forma poética e romântica. Quando diz que um elétron muda seu comportamento quando o observamos é porque ocorreu uma interação e não pq tomamos consciência dele.
        Da forma que vc diz que a consciência é a raíz do Universo é mesmo que dizer que o Universo tivesse surgido a partir do momento que homem consciente passou a existir… hum, vamos colocar aí uns 100 mil anos.
        Mas o Universo surgiu bilhões de anos antes, e vai continuar existindo por outros zilhões quando formos extintos.
        Lamento, mas não somos o centro do Universo. Desculpa aí se ofendi.

        1. Falar que o universo vai sempre existir pode ser até poético mas não é racional, já que foi comprovado que o universo está em expansão e o seu fim poderá ser frio e sem vida,quem defendia um universo estático e consequentemente eterno era Einstein teoria q caiu por terra em definitivo graças às observações feito pelo telescópio hubble…

          1. Ler corretamente o que esta escrito faz parte da interpretação.
            Eu disse “e vai continuar existindo por outros zilhões (anos)”. Em nenhum momento eu disse que iria existir para sempre.

            E uma correção, a teoria de um universo estático já tinha caído por terra em definitivo a décadas atrás devido a descoberta da expansão do universo por Edwin Powell Hubble (Einstein reconheceu isso na época) e não foi devido as observações do Telescópio Hubble.

    3. Caro Bráulio,
      Fico até sem saber de onde começar a lhe responder…
      Uma diferença do Homem para os Animais é que o Homem faz Ciência;
      Você parte de uma premissa correta, em relação a nosso pequenez. Realmente somos habitantes de um planeta em um braço da Via Láctea, longe de grandes agrupamentos planetários.
      Mas o fato de não termos contato não quer dizer que não ocorrerá contato.
      Enquanto os europeus não descobriram (ou redescobriram) a América, não quer dizer que não houvesse América.
      O fato de com apenas 5 mil anos de anos de civilização não termos descobertos outras vidas ou mesmo outras civilizações não quer dizer que elas não existam neste universo de 13 bilhões de anos.
      É isso.
      Cordiais saudações.

      1. Pode ser até antagônico mas o contato seria o maior sonho de minha vida, acredite! Tudo de bom pra vc ! Um abraço !

    4. quanta besteira!!!

      a física quântica apareceu para explicar um tipo de fenômeno cujas regras desconhecíamos antes. a relatividade surgiu par explicar o que a física clássica não explicava antes. a teoria da gravitação universal de newton explicava por que os corpos no espaço se comportavam como se observava antes. nunca teve nada de misterioso. como sempre, se estava procurando um modelo que explicasse um conjunto de observações bem conhecidas.

      a física quântica faz exatamente a mesma coisa: observou-se fenômenos novos impossíveis de se explicar com a física que se conhecia desde então, por isso buscou-se um modelo novo. nada de misterioso. o fato de seus conceitos poderem surpreender nosso senso comum só mostra que nossos sentidos são falhos, e não que tais fenômenos sejam “sobrenaturais” ou que escondam verdades obscuras…

      1. Não sabia que os experimentos da dupla fenda foram feitos a olho nu, obrigado pela sua “valiosa” informação! Quanto ao entrelaçamento quântico que Albert Einstein chamou de “ação fantasma à distância se recusando em sua época a acreditar nessa propriedade bizarra ele deveria ter tomado umas né, o cara achou tão estranho que classificou como fantasmagórico e se recusou acreditar em sua existência, deve ser um louco qualquer com os sentidos já “falhando”.

        1. Beleza, te mostro como fazer sim, com uma caneta laser que custa no máximo uns 10 reais. vamos combinar?
          Quanto a Einstein, ele só achava que deveria existir um modelo explicando o fenômeno quântico que não precisasse fugir de uma explicação relativística, e procurou este modelo até o fim da sua vida. Mas todos nós sabemos que ele não conseguiu, né? 😉

          1. Na verdade Einstein desdenhou, já que violava a sua teoria da relatividade que diz que o limite de quão rápido qualquer tipo de informação pode viajar, o entrelaçamento só foi comprovado recentemente e ainda não é unanimidade se viola ou não a relatividade de Einstein, já q alguns insistem q o entrelaçamento não pode ser usado para transmitir informação, à outra vertente q diz q sim, que é possível e estão provando isso !

        2. “ação fantasma à distância se recusando em sua época a acreditar nessa propriedade bizarra”

          Vc não poderia estar mais errado que isto. Como cientista, Einstein nunca se “recusaria a acreditar” num fenômeto físico cuja validade foi verificada experimentalmente, sem margens para dúvidas quanto a erros de medições, procedimentos experimentais, etc. Ele não rejeitava o FATO “entrelaçamento quântico”, estava óbvio que ele acontecia. O que ele recusava era a explicação quântica para o fenômeno, e viveu tentando, sem sucesso, encontrar alguma explicação mais “clássica” para ele…

          1. David,
            Parabens..colocou o sabichão em seu lugar, argumentos simples e concretos, sem muita enrolação.

          2. Não somente se recusou como desdenhou chamando o fenômeno de fantasma, escrachando na tentativa ridicularizar aqueles que a defendia pois batia de frente a sua teoria da relatividade. A validação ao contrario do q afirmas só foi comprovado depois da sua morte !

          3. Bráulio, sua formação em Física dá respaldo a esta sua afirmação, eu imagino, né? Vc é físico?

      2. O problema da física quântica é que pseudos cientistas e muitos esotéricos levam ela para o campo da espiritualidade, falam baboseiras que nada tem a ver com o que realmente é….

      3. Já que abriram mesmo a porta do hospício, também vou dar minha contribuição:

        Sempre pensamos no tempo comouma linha na qual podemos avançar (o que fazemos o tempo todo) ou retroceder (algo por enquanto apenas disponível no campo da ficção científica). Mas e se, ao invés de uma linha, o tempo for bidimensional? Da mesma forma que só conseguimos perceber um hipercubo através de sua projeção tridimensional pela limitação de nossos sentidos, o tempo bem poderia ter 2 ou mais dimensões, mas nossas condições físicas só nos permitiria enxergá-lo como uma linha na qual pareccemos avançar sempre.

        Acredito que um tempo no qual as particulas pudessem percorrer bidimensionalmente poderiam explicar bastante dos fenômenos quânticos mais esquisitos para nossa compreensão…

    5. Perfeito, Bráulio.
      Para ilustrar, a menina estava na praia e ia e vinha da linha d’água trazendo uma pazinha de água e colocando em seu baldinho. “Filha, que você está fazendo?” “Estou colocando o mar todo no meu baldinho, mãe!”.
      O Universo é o mar, nossa mente limitada e caída é o baldinho.

      1. Isto me lembra que uma vez Jesus, diante de deus discípulos, tomou uma vara e desenhou no chão um ponto, uma reta e, enquanto descrevia uma longa curva que passava entre esta reta e o ponto, foi dizendo:

        “O Reino dos Céus é como o lugar geométrico dos pontos equidistantes de um ponto focal e uma reta de suporte…”

        Sem nada entender, os discípulos perguntaram:

        “Mas o que é isto, Mestre?”

        E Jesus responde, sereno:

        “Nada demais, é apenas mais uma parábola…”

        1. O que é a eternidade, Bráulio? Para mim, equivale ao Infinito… Nas máquinas fotográficas, “foco no infinito” equivale a uns 10 metros de distância. Nas nossa vidas de 90 anos, 200 anos já é uma eternidade… Fique olhando um relógio por 10 minutos… No segundo minuto, você já vai achar que se passou uma “eternidade”.

          É ilógico imaginar que um ser “eterno” e “infinitamente bondoso” condene uma pessoa a sofrer pela “eternidade” porque ele não seguiu a religião certa…

    6. Ainda tô esperando a grande revelação prometida pelo Gevaerd… Grandes autoridades globais, revelações perturbadoras bem próximas…
      Será esse comentário um SINAL? kKKKKKKKKKKKK

      1. Fábio,com certeza não, mesmo notando a ironia vc merece uma resposta educada é só isso q estou dando enfase , minha mãe sempre diz q educação vem do berço… Humilhar uma pessoa não lhe fará melhor que ninguém. Só lhe fará ignorante. Inundado na arrogância, na falsa modéstia. Quando as pessoas são tomadas pela arrogância, elas tendem a esquecer que são humanas, fazendo-o enxergar apenas o que lhe convém.

        1. Concordo, voce só enxerga o que lhe convém. E só para sua informação, os ateus não estão revendo seus conceitos, pelo menos os que eu conheço, pode ser até hajam um ou outro. Não sei se voce sabe, mas os ateus não se reúnem em templos onde uma pessoa, se dizendo emissário do nosso não-deus, dita nossos pensamentos, como acontece com os não ateus.

    7. Você escreveu…escreveu…usou nomes de cientistas…voltou a falar mais e mais…
      Mas em momento disse o que precisava, comprovando sua tese de tudo é ilusão.
      Me diz dentro da física quântica ou mecânica quântica onde prova que não a vida em outros planetas, onde comprova que estamos sozinhos no universo e onde afirma que tudo é ilusão??
      Me diz onde por favor…..
      Acho que você anda assistindo Matrix demais…

    8. Seu comentário e reação é de quem se assusta com o desconhecido. Se o entrelaçamento existe,um dia será explicado. É uma questão de tempo. Agora achar que somos apenas linhas de um programa de computador, isso sim é especulação.

    9. “Como ela sabe que o seu par foi modificado a bilhões de quilometro de distancia?????”

      ele não sabe. são objetos físicos, fazem isto respondendo leis físicas que, no caso, ainda não compreendemos inteiramente. não têm consciência para decidir fazer ou não.
      bom, possívelmente nossa própria consciência pode ser uma ilusão (adorou esta frase, né??), achamos que decidimos nossas ações mas somos simplesmente regidos por leis fpisicas atuando em nossos neurônios e sinapses.
      na ausência de comprovações experimentais só podemos especular. minha favorita para explicar o entrelaçamento quântico é que, de alguma formula, a partícula A consegue propagar para o passado, até o momento do entrelaçamento, a informação de que seu estado foi alterado, e que a partícula B já se separou de A com esta informação “embutida”, se manifestando no momento correto. para nossos sentidos (estou incluindo nossos sensores artificiais, para ficar bem claro) parece que a transmissão foi instantânea, mas na verdade ela teria se propagado através do nosso tempo em algum tipo de… (como chamar coisas que ainda não sabemos que existem) digamos, uma espécie de “paratempo” (um tempo que correria numa direção diferente daquele que conhecemos.

    1. Oswaldo, o Kepler nunca se afasta muito da Terra. Ele está numa órbita de 371 dias em torno do Sol — bem parecida com a nossa, de 365,25 dias. 😉

  11. Tudo não passa de ilusão ! Somos meros fantoches, tá tudo programado para parecer real, mas alguma coisa não bate…Já vi vários comentários inclusive de alguns ateus q não acreditava em nada e hoje tá revendo os seus conceitos pois existe algo q não pode ser explicado e q talvez seja o indicio para uma revelação maior! Não é logico q exista um universo infinito e somente a terra seja habitada ! Tudo talvez não passe de uma encenação um pano de fundo para encobrir a dolorosa realidade ! A física quântica veio para jogar um balde de água fria naqueles q se achava senhores da razão , como aceitar uma experiencia em que foi comprovado um compartamento bizarro

  12. Salvador, acompanho suas matérias sempre com muito interesse. Sugeriria você entrar em contato com Dra Elizabeth Koslova, uma curitibana com formação em engenharia e doutorada pela Academia de Ciências Espaciais de Moscou, na área de Gerenciamento de Projetos Espaciais. Ele é muito bem informada na área de espaço e defesa e poderia, talvez, colaborar com a sua coluna. Ela também atua em grupos de tecnologia e defesa.
    O Email que tenho dela é koslova@yahoo.com, mas não sei se ainda está ativo.
    Uma das publicações que vi dela está na url
    http://www.naval.com.br/blog/2010/06/16/satelites-nucleares-sovieticos/
    Talvez ela possa enriquecer ainda mais a sua coluna.
    Abraço

    1. César, eu conversava com a Koslova tempos atrás. Faz tempo que não falo com ela. Ela já me passou um bocado de informações interessantes, mas nunca consegui confirmar a identidade dela… 😛

      1. Salve Salva…
        Fiquei muito curioso quando você disse que nunca conseguiu confirmar a identidade dela, ainda mais você que conhecesse tanto. Então fui fazer uma rápida pesquisa no oráculo e também não achei nada dela, alias achei bastante opiniões dela em forum de discussões e opiniões em sites, porem nada que de credibilidade. Achei meio estranho alguém com um curricullum desses não ter uma indicação de credibilidade…achei muito estranho, alem de que o nome dela aparece muito em discussões e opiniões de fóruns, mas tudo no período do ano de 2010…. Estranho..

        1. Pois é. Eu sempre dei ouvidos a ela, mas nunca publiquei nada que não conseguisse corroborar com outras fontes.

          1. Achei uma apresentação dela do ano 2.000 onde ela se apresentava com engenheira mecânica com 25 anos e apaixonada por misseis a aviões, porem em outra em 2008 ela já diz ser engenheira de programas espacias com trabalhos na Russia,China e Israel…. Caramba que up grade ou deve ser apénas mais um John Titor..rs

          2. Desvendando o Mito…
            Olha que interessante o que achei…
            Amo o oráculo..rs

            Caro Túlio, acho que derrepente acabei entrando em um assunto que não me diz respeito e pior, virando um pivô. Então, para que a coisa não se volte contra mim, vou dar minha versão dos fatos.

            Quem freqüenta a internet desde meados dos anos 90, muitos daqui por sinal, me conhecem de diversos fóruns, pois cheguei uma época a participar de forma bem ativa em cerca de 10 deles, tanto no Brasil quanto no exterior (Argentina, Chile, Venezuela, Paraguai e Portugal), e ler uns outros 20. Era inclusive um dos moderados moderadores do “Asas de Guerra”, que era homônimo ao precursor do DB. Muito de meus amigos do meio militar, como o Hélio, Bacchi, Alfredo Tassara, André Mileski e outros, vieram dessa época.

            Nesses áureos tempos era comum a utilização de nicknames, que era mais uma forma folclórica de se manifestar, que vinha desde as antigas redes DDS. O meu era Parabelum e este me acompanhou até poucos meses atrás, porem muitos integrantes, como eu, sempre nos identificamos, exatamente para dar um mínimo de credibilidade no que escrevíamos.

            Nos idos de 95/96 (ou 97/98, não sei ao certo, pois estou puxando da memória) surgiu num fórum de Simudores de vôo de caça, chamado Rede C3, criado e moderado por um tal de Mutley, um tal de Dragonheart, um cara que também se dizia engenheiro e que trabalhava em uma grande empresa aeroespacial ligada a defesa européia. Ele surgia com diversos “furos”, principalmente sobre caças, em particular pelo Gripen e o Eurofighter. A sua fama começou a ficar tão grande que seus posts eram replicados para outros diversos fóruns, inclusive para os “Asas de Guerra” (os dois!), mas parece que ele se empolgou um pouco e criou uma promoção, no mínimo, mirabolante: Ele iria sortear entre os membros do fórum uma viagem a FIDAE 96 (ou 98), com tudo pago e com o direito a participar de um vôo em um Panavia Tornado da RAF que estaria no evento. Não preciso dizer que o fórum “bombou”. No dia do sorteio houve uma grande surpresa, o vencedor teria sido um tal de Arcanjo, que tinha se inscrito no fórum a poucos dias do sorteio e nunca havia postado nada! Lógico que foi uma decepção geral, mas muitos membros do RC3 ainda acreditavam no cara. Passou o tempo, a FIDAE acabou e nada. Nenhuma mensagem ou foto sobre a viagem ou o tal vôo e o pessoal começou a questionar o Dragonheart, sempre defendo pelo Mutley, até que o tal Arcanjo apareceu, falou que a viagem foi sensacional, maravilhosa, mas que infelizmente não tinha fotografado nada. Disse ainda que demorou a se manifestar, pois descobriu que seu pai tinha câncer!!! Aí não demorou muito para o fórum virar uma balburdia e em um belo dia o Mutley tirou o fórum do ar e deixou no lugar uma carta dizendo que estava fazendo isso porque as pessoas estavam ligadas demais a internet e deveriam viver mais a vida!!!!

            Tempos depois um integrante do fórum apareceu e me disse o óbvio: Mutley, DragonHeart e Arcanjo eram a mesma pessoa.

            Essa pequena introdução foi pára fazer uma analogia a um fenômeno que surgiu alguns anos depois: Koslova.

            Com a espanssão da internet, começaram a surgir muitos fóruns. Varios desapareceram, outros se dividiam, mas a coisa estourou no final dos anos 90 com o Yahoo Groups. De dezenas de Fóruns eles viraram milhares!!!

            Surgiu o Aerospacial (criado pela Koslova), Sistema de Armas, Poder Naval, Defesa, Armas, Segunda Guerra Mundial, Saorbats, Ad Astra e um tanto de outros somente ligados ao segmento aerospacial e defesa.

            Koslova surgiu como e se apresentou como Engenheira Espacial, com formação de Engenharia Elétrica pela UNICAMP, que, com cerca de vinte e poucos anos já era doutora, inclusive teve aula com um dos projetistas do Su-27, membro da Academia Espacial da Russia (ou algo assim, lembrem-se que estou puxando da memória) e que trabalhava com sistemas de quiagem de mísseis em uma empresa em Israel. Naquela época havia muita gente que trabalhava na área, principalmente na Embraer, que não queria aparecer, mas que postava coisas legais sobre pseudônimos e achei que “ela” também fosse um caso desses (Nada haver com muita gente COVARDE que hoje se esconte por tras de Nicks para ofender outros!!!!). Tempos depois ela saiu de Israel e, como não queria voltar para o Brasil, aceitou trabalhar em uma escuderia de Formula 1, acho que a Benetton, para projetar a parte aerodinâmica do carro. Depois voltou para o Brasil onde iria trabalhar em empresas de Telecom. Realmente uma carreira sensacional, principalmente para alguém com cerca de 25 anos!

            Meus maiores contatos com a Koslova foi em um fórum do Yahoo chamado Aerofans que só tinha fera. Gente do calibre de Helio Higuchi, Reginaldo Bacchi, Jackson Flores, Alexandre Fontoura, Pepe, Operti e muitos outros. Lá o disseminação do conhecimento foi tal, que rapidamente formou-se uma legião de pessoas que se integraram de tal forma que pode-se dizer que todos tornaram-se especialistas na área. Todos nós crescemos muito, inclusive a Koslova. Se pegar um texto dela de 1999 e comparar com um de hoje verá que as opiniões divergem bastante.

            Porem, como eu disse, o que valia ali era o conhecimento, e ninguém queria saber sobre a vida pessoal dos integrantes do fórum e, pelo menos eu, levava as histórias da Koslova como algo folclórico. O problema foi em uma LAAD, acho que a de 2005, onde a EADS (acho) estava doida para encontrar formadores de opinião para vender seus sistemas de armas, se interessou pela Engenheira Espacial brazuca, afinal seus textos já haviam extrapolando o universo dos fóruns e estavam sendo replicados para sites, até o During da DefesaNet havia postado um texto seu. A EADS começou a procurar pela Koslova e aí ninguém sabia dela. Foi em todas as mídias, na Unicamp e em outros diversos lugares e nada. Aí apareceu um jornalista (não vou dizer qual) que conhecia pessoas na Policia Federal e conseguiu que alguém buscassem informações sobre uma Koslova através de seu passaporte. Também não achou nada.

            Quando alguém do fórum falou isso a ela, a coisa esquentou.

            Ela disse que seu nome era Anna Elizabeth Koslowa e que o Koslova com “V”, que foi o procurado nos sistemas da PF, era porque já existia uma Elizabeth Koslowa no Hotmail. O problema é que o sistema da PF é por aproximação, não achou Koslova, mas achou vários nomes foneticamente parecidos, como o da jornalista Glenda Kozlowski, ou seja, se existisse uma Koslowa ele mostraria.

            Bem, não estou aqui para acusar ninguém também, mas como o próprio Tulio disse, ele ou qualquer outro que queira acreditar em Elizabeth Koslova, ou Koslowa, “está no seu Direito. Do mesmo modo que eu em não acreditar.

            Claro, até aparecer PROVA!”, por qte senão, todo o resto é que é papo furado!!!!

          3. Oswaldo, nunca fui tão longe assim na investigação. Mas me chamou atenção na época o fato de Koslova não ter sabido me dizer como se pronunciava Soyuz corretamente. Fico imaginando se um dia saberemos quem é. rs

  13. Fico cada vez mais fascinado com a variedade de possibilidades de descobertas que se abrirão nos próximos anos… começo a acreditar com mais intensidade que a descoberta de vida, mesmo que não seja inteligente, é uma questão de anos… tal é a quantidade e o leque de dimensões, composição de cada um dos bilhões de planetas e nível de luminosidade recebidos de suas estrelas…existir vida fora da Terra passa a ser uma probabilidade estatística cada vez maior…falta só nos depararmos com ela a partir destes instrumentos fantásticos que apontam para o restante do Universo…

Comments are closed.