Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Astronomia: O quintal da humanidade

Por Salvador Nogueira

Vênus, Marte, Júpiter, Saturno e o grande além: confira por onde andam nossas espaçonaves.

TÁ TUDO DOMINADO
O Sistema Solar é o quintal da humanidade. Os cientistas discutem a possibilidade de micróbios em Marte ou nas luas de Júpiter, mas, em termos de vida inteligente, nós somos os donos do pedaço. E a essa altura já começamos a fazer jus ao título. Confira onde há espaçonaves operacionais neste exato momento.

OS MUNDOS QUENTES
Em Mercúrio, rola uma entressafra. Até o ano passado, estava por lá a americana Messenger. Em 2018, uma nova sonda partirá para ocupar seu lugar: a europeia Bepi-Colombo. Já Vênus está sendo orbitado solitariamente desde dezembro do ano passado pela sonda japonesa Akatsuki.

PLANETA VERMELHO
Marte abriga no momento dois jipes funcionais, os americanos Opportunity e Curiosity. Em órbita, trabalham as naves americanas Mars Odyssey, Mars Reconnaissance Orbiter e Maven, além da europeia Mars Express e da indiana MOM. Como se não bastasse, chegará por lá em outubro a europeia ExoMars.

TERRA DE ANÕES
Na região do cinturão de asteroides, temos a sonda americana Dawn, que visitou Vesta e agora orbita o planeta anão Ceres, e por ali também está a europeia Rosetta, que encerrará no fim de setembro sua missão ao cometa Churyumov-Gerasimenko.

JÚPITER E SATURNO
A americana Juno acabou de entrar em órbita do maior planeta do Sistema Solar, para uma missão que deve durar pelo menos até 2018. E em Saturno encontramos a Cassini, que está por lá desde 2004 e encerrará sua missão no ano que vem.

ALÉM
Na orla do espaço conhecido, encontramos a New Horizons, que cruzou as órbitas de Urano e Netuno antes de passar por Plutão, no ano passado, e em 2019 deve visitar outro objeto daquela região. Já as sondas mais distantes em contato com a Terra são as gêmeas Voyager 1 e 2, que devem funcionar até 2030, antes de se tornarem embaixadoras inertes da humanidade no grande vazio interestelar.

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Blogs da Folha