Astronomia: O quintal da humanidade

Vênus, Marte, Júpiter, Saturno e o grande além: confira por onde andam nossas espaçonaves.

TÁ TUDO DOMINADO
O Sistema Solar é o quintal da humanidade. Os cientistas discutem a possibilidade de micróbios em Marte ou nas luas de Júpiter, mas, em termos de vida inteligente, nós somos os donos do pedaço. E a essa altura já começamos a fazer jus ao título. Confira onde há espaçonaves operacionais neste exato momento.

OS MUNDOS QUENTES
Em Mercúrio, rola uma entressafra. Até o ano passado, estava por lá a americana Messenger. Em 2018, uma nova sonda partirá para ocupar seu lugar: a europeia Bepi-Colombo. Já Vênus está sendo orbitado solitariamente desde dezembro do ano passado pela sonda japonesa Akatsuki.

PLANETA VERMELHO
Marte abriga no momento dois jipes funcionais, os americanos Opportunity e Curiosity. Em órbita, trabalham as naves americanas Mars Odyssey, Mars Reconnaissance Orbiter e Maven, além da europeia Mars Express e da indiana MOM. Como se não bastasse, chegará por lá em outubro a europeia ExoMars.

TERRA DE ANÕES
Na região do cinturão de asteroides, temos a sonda americana Dawn, que visitou Vesta e agora orbita o planeta anão Ceres, e por ali também está a europeia Rosetta, que encerrará no fim de setembro sua missão ao cometa Churyumov-Gerasimenko.

JÚPITER E SATURNO
A americana Juno acabou de entrar em órbita do maior planeta do Sistema Solar, para uma missão que deve durar pelo menos até 2018. E em Saturno encontramos a Cassini, que está por lá desde 2004 e encerrará sua missão no ano que vem.

ALÉM
Na orla do espaço conhecido, encontramos a New Horizons, que cruzou as órbitas de Urano e Netuno antes de passar por Plutão, no ano passado, e em 2019 deve visitar outro objeto daquela região. Já as sondas mais distantes em contato com a Terra são as gêmeas Voyager 1 e 2, que devem funcionar até 2030, antes de se tornarem embaixadoras inertes da humanidade no grande vazio interestelar.

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Salvador,

    A algum tempo atrás questionei a tua fé na suposta formação natural dos sistemas, demonstrando evidências contrárias que refutam este posicionamento (como a rotação retrograda de Vênus e o cinturão de asteroides onde não há aglomeração alguma).

    Como a tua fé é forte, mesmo com estas evidências contrárias, inacreditavelmente disseste que colisões de meteoros foram capaz de mudar sua rotação sem destruí-lo (o que é impossível) e também ignoraste o fato de haver este cinturão (entre Marte e Júpiter) e NENHUM agrupamento (demonstrando que a gravidade não tem este suposto poder criador que vocês creem)

    Agora Salvador, o que tens a dizer sobre os “Hot Jupters”, que são exoplanetas (alguns maiores do que Jupiter) de ORBITA RETROGRADA a sua estrela (como o WASP-17b, na constelação de Scorpius)?

    O que irás dizer desta outra forte evidência que TAMBÉM coloca em xeque a crença da “evolução cósmica\estelar”?

    1. Lá vamos nós de novo. Eu prometi não responder mais você, mas como acho seus argumentos minimamente interessantes nesse caso — e numa mensagem curta –, acho que vale a pena responder.
      Sobre mudanças em padrão de rotação, não há nada de misterioso nisso. Aliás, para DESTRUIR um planeta com uma colisão de asteroide ou cometa, você ia precisar DE UM SENHOR ASTEROIDE. Então é mais fácil alterar sua rotação do que explodi-lo mesmo. (Acho que você tem algumas dificuldades com escala aí.) Mas veja quem diz isso não é a minha fé. São estudos e modelos de computador em que se injeta a lei da gravidade (suponho que você acredite na lei da gravidade) e se calcula exatamente o que pode acontecer. Não é fé. Não é uma coisa que eu li. É uma coisa que foi testada, do único modo possível. A mesma coisa dos efeitos da superrotação da atmosfera venusiana. Não é uma ideia louca que os cientistas jogam para preencher livros-texto. Eles testam essas ideias com observações e modelagens matemáticas. Suponho que você acredite na matemática.

      Sobre o WASP-17b, é fascinante! Os Hot Jupiters por si só são bizarros e levaram a um novo entendimento da formação planetária, com o desenovelamento dos fenômenos de migração. Aí você aponta um Hot Júpiter com rotação retrógrada! Uau! É um caso raro, sem dúvida, haja vista que, até onde eu sei, é o único Hot Jupiter nessa condição já descoberto! Sua condição diferente sugere que ele foi parar lá por um mecanismo diferente do que as migrações clássicas, que acompanham a rotação da estrela e do disco de acreção formador de planetas.

      Meu palpite? WASP-17b pode ter sido um planeta errante — formado em outro sistema planetário e ejetado de lá por interações gravitacionais — que, quase caiu na estrela WASP-17, mas não caiu — entrou numa órbita altamente elíptica, e retrógrada (um planeta errante pode vir de qualquer lado, sem problemas). Com o tempo, o efeito de maré circularizou a órbita. Voilà, um Hot Jupiter retrógrado!

      Considerando que planetas errantes devem existir aos montes e que estrelas se formam em ninhadas, esse mecanismo não parece absurdo numa primeira aproximação. Agora, veja só: estou me baseando 100% no que você disse. Nem dei um Google para saber os detalhes da descoberta do WASP-17b ou o que os cientistas pensam dele. Farei isso oportunamente, só para ver para onde a banda toca.

      Mas veja que casos como esse não derrubam os modelos de formação planetária (que, volto a repetir, não dependem de fé, mas de observação e experimentação, duas coisas que só a ciência faz por você!), apenas nos dão pistas de como sistemas anômalos podem se formar em circunstâncias especiais. Ter uma exceção é justamente o que confirma a regra! Se a regra estivesse errado, não haveria uma exceção; haveria distribuição mais ou menos por igual entre Hot Jupiters retrógrados e prógrados. Não é o caso.

      Enfim, respondo isso em benefício dos outros leitores que podem ter ficado curiosos. Eu sei que você mesmo sou incapaz de sensibilizar para a verdade. Tanto que, em geral, não vou respondê-lo mais. Respondi essa porque achei realmente interessante o tal WASP-17b. 😉

      1. Aliás, para DESTRUIR um planeta com uma colisão de asteroide ou cometa, você ia precisar DE UM SENHOR ASTEROIDE. Então é mais fácil alterar sua rotação do que explodi-lo mesmo (…) Meu palpite? WASP-17b pode ter sido um planeta errante — formado em outro sistema planetário e ejetado de lá por interações gravitacionais

        Sério mesmo????? E o crente sou eu????
        De um lado, temos a crença absurda de que um conglomerado de gases e poeiras SOZINHOS viram planetas e estrelas. De outro lado temos a REALIDADE, planetas de orbitas e rotações contrárias que refutam este posicionamento (Isso sem contar com a 2º lei da Termodinâmica, que também é um problema para este modelo).

        O que fazer então?
        No seu caso (e provavelmente no caso de muitos crentes naturalistas), danem-se as evidências e permaneça-se a fé.
        Como se não bastasse esta fé absurda, mais fé, e ainda mais absurda, é demandada para que a fé anterior não se perca frente as evidências que a refuta.

        É fé atrás de fé para não descartar a fé principal que claramente se mostra falsa.

        Parabéns… “belo” modelo de se fazer “ciência”, não?
        Fico pensando, se todos cientistas DE FATO descartassem as “teorias” que se chocam com as evidências, hoje certamente teríamos, no mínimo, o dobro da tecnologia e inovação científica que temos.

        Como diz o velho ditado: “errar é humano,mas insistir no erro é burrice”

  2. Salvador, nesta matéria só questiono, se nós e que mandamos no pedaço, acredito que eles e quem mandam,=Ciborgues.
    acredito que eles andam por ai , e A NASA e as agencias espaciais saibam, afinal , estão tantas e tantas sondas e telescópios ,estações etc, não esta possível que eles não tenham visto nada. do que os pássaros fazem no quintal.

    https://www.youtube.com/watch?v=Q70MrmN8DkU

        1. Claro, afinal se está no Youtube SÓ PODE SER VERDADE!

          Cara, você é divertido. Inocente, porém divertido.

          1. Existe dois traços não peculiares de anomalia no vídeo, que me faz crer na realidade deles, um aparenta tipo; um cupimzeiro cor prata, que para mim esta um traço de colonia marciana, já que nas imagens feitas pelas Rovers e sondas, também se encontram estas anomalias tanto em marte e na lua e segundo também em vénus!!(traço de colonia intro-terrena, a outra claro, faces e olhos eclodem da nave, colocando em velocidade 0.25 e Hd , da para se ver que a nave parece , bio-nanotecnologia, já que a mesma abre e fecha como uma bolha, deixando uma matéria tipo plasma cair. mesmo ela se abrindo depois não se verifica fendas nas dobras e aberturas, quando se fecham. , Eu sei o que esta um unity, Brender, maya, estudo computação Po.O avançada! analiso também estas possibilidades, existe outro vide , agora se dizendo no chile, que mostra a mesma nave e as mesmas anomalias no terreno(traços de colonias intro-terrenas) bolhas-ovas-perolas grandes!!

          2. É claro que a constante divulgação das informações não pode mais se dissociar das regras de conduta normativas. Nunca é demais lembrar o peso e o significado destes problemas, uma vez que o início da atividade geral de formação de atitudes assume importantes posições no estabelecimento dos índices pretendidos. Todavia, a valorização de fatores subjetivos oferece uma interessante oportunidade para verificação das formas de ação. No entanto, não podemos esquecer que o início da atividade geral de formação de atitudes cumpre um papel essencial na formulação de alternativas às soluções ortodoxas.

  3. Nunca mais ouvi falar das sondas Pioneers, I e II, antecessoras das Voyagers.
    Na época, das Pioneers, elas foram as primeiras a saírem do sistema solar.
    Só as Voyagers levam a fama ?
    Onde estarão agora as Pioneers…sozinhas…no frio vazio do espaço.
    Para o xintoísmo até as pedras têm alma.
    O espaço não é tão vazio quanto se pensava.
    Mas que, ainda assim, deve ser uma solidão tremenda, isso deve.
    Em comparação…o Curiosity, embora vagando sozinho em Barsoom, deve se achar no auditório do Chacrinha, o Velho Guerreiro.

    1. As Pioneers (na verdade os números são 10 e 11; houve outras, claro, mas não foram as que saíram do Sistema Solar) já esgotaram suas baterias e estão inertes agora.

  4. Savador,

    Como é feito o contato com as Voyagers? Devido a distância, esse contato será possível até o fim da missão em 2030? Elas tem alguma direção específica, algum alvo? Ou estão apenas navegando no espaço profundo em busca de qualquer coisa que encontrar?
    Obrigado.

  5. Salvador, tens algum material sobre a influência da gravidade de Júpiter sobre a trajetória da Terra na translação em volta do Sol? Ou é insignificante?

  6. outras dimensões, ninguém falou disso. Procuramos coisas que estão na nossa visão tridimensional, estreita, apenas uma fímbria de visão que esquece todas as utras dimensões, já provadas matematicamente. Esconde-se a informação. O tempo existe oju é apenas uma “noção” nossa? O passado ainda existe? O futuro já existe? “Visitantes” estão vindo de outras dimensões, de distancias que nem podemos imaginar, porque não existem nas 3 dimensões do nosso “universo” limitado. Tem muito mais por ai, tem muita gente que SABE. Os governos omitem. Um abraço, belo site, boas discussões…

    1. Ninguém “esconde” a existência de múltiplas dimensões. A própria Teoria das Cordas partia da hipótese de existirem várias delas, mas como o modelo não servia para explicar fenômenos observados experimentalmente, ela foi sendo deixada de lado aos poucos. Para explicar todos os fenômenos físicos observados atualmente, três dimensões espaciais e uma temporal ainda são suficientes… 🙂

      1. Assim como a física de Newton foi suficiente por um tempo, mas depois da realidade ela ficou inexata. Veja como entendo a física: uma teoria como a newtoniana eu não reputo como ‘incorreta’, mas apenas como ‘inexata’, pois ela conseguia explicar os fenômenos enquanto a medição era menos ‘fina’. Por analogia, digo o mesmo dos gregos antigos, que diziam que planetas executam uma ‘circunferência’ em torno do Sol. Eles não estavam ‘incorretos’, apenas ‘inexatos’. Acho interessante fazer essa distinção.

    2. Oi Tadeu.
      Achei interessante seus questionamentos sobre se realmente o tempo existe, se o passado ainda existe também, e se o futuro já está pronto.
      Escrevi um pequeno livro sobre isso há alguns anos; nele menciono várias descobertas da ciência para corroborar com a idéia de que tudo já existe em algum “não lugar” fora do espaço e do tempo.
      Nessa idéia, todos os eventos, imagináveis, ou não. Futuros ou passados. Estão “congelados” em uma “não localidade” aguardando o momento de se tornarem “realidades experimentaveis” quando observados por uma consciência.
      É como se você tivesse uma pasta no seu computador onde estariam guardados infinitos filmes versões de sua vida. Enquanto você não abrir a tal pasta, todos os filmes estarão lá congelados concorda? Porém no momento em que você clicar em um deles, dá-se início à time line – linha do tempo – entendeu?
      Conclusão: É você quem determina qual realidade, existente dentro da pastavai, experimentar.
      Tudo está lá dentro. Todas as histórias, possíveis e impossíveis, do Universo.
      Basta olhar com sabedoria, e escolher com inteligência.

  7. Ainda estamos no alvorecer das conquistas espaciais, uma verdadeira pré-história.
    Precisamos superar rapidamente essa dependência do efeito estilingue e/ou catapulta para arremessar naves para fora do planeta.
    Até mesmo a velocidade da luz se torna absoleta quando se trata de grandes distâncias cósmicas, imaginem navegar a míseros 65, 100, 200 mil km/h.

  8. Salve salva, em caso de bacterias em marte ou na lua, estas poderiam terem sido levadas por nós mesmos, em alguma missão?

    1. Poderiam, sobretudo em Marte. Na Lua, elas só poderiam hibernar, mas em Marte talvez conseguissem proliferar…

  9. Salvador.

    É fato ou mito o caso da sonda americana que foi enviada à Marte e, quando da ocorrência das manobras para entrar em órbita deste planeta, o controle da NASA confundiu milhas com kilômetros, fez a sonda entrar numa órbita muito baixa, e ela queimou na atmosfera marciana?

    Sérgio.

    1. Verdade. Na realidade, o que rolou foi que a Nasa usou newtons, e a Lockheed Martin, fabricante da sonda, usou libras na programação do software embarcado. Aí deu zebra.

      1. Sabia que era alguma confusão entre o sistema métrico e o inglês.
        Provavelmente, quem “dançou” foi o estagiário…

        1. Foi um embaraço danado, mas há de se admirar a postura transparente da Nasa. Se fosse uma cagada russa ou chinesa, teríamos ficado sabendo?

    2. Não, essa foi uma sonda inglesa da Agência Espacial Européia, cujo nome agora me falta. Acreditava-se que tinha se espatifado, mas recentemente foi fotografada na superfície pela Mars Observer.

      1. Lorenzo, essa que teve troca de unidade foi a Mars Climate Orbiter, da Nasa. A que pousou, mas não funcionou foi a inglesa Beagle-2.

  10. Balela, dizem que o homem já chegou a lua em 1969 e de lá para cá nem isso consegue fazer. Acho que a Ciência está patinando, caso contrário já devia ter sido colocadas expedições em vários planetas. É um meio de se jogar dinheiro fora, enquanto no mundo há milhões de famintos que poderiam ser ajudados.

    1. Não existe conexão entre o problema da fome e a exploração espacial. A exploração espacial só ajuda a mitigá-lo, gerando riqueza — e tecnologia — que em última análise ajuda a alimentar mais gente.

    2. Comentário obtuso. Exploração espacial traz tantos benefícios que só um “eclipsado” mental pode questionar.

    3. Tenho a impressão de que não existe um único fio de cabelo vinculando os gastos da exploração espacial com a fome mundial, que me parece ser um problema exclusivamente de vontade politica e de ausência de altruísmo em geral.

    4. A propósito, essa ciência que está patinando possibilitou a existência de coisinhas como computador e internet que você usa para postar sua sábia opinião. Mas já que vc está tão insatisfeito com o progresso científico por que não muda para o século XV?
      Lá você encontrará um monte de gente que pensa igual a si. Infelizmente a ciência não poderá ajudá-lo a fazer esta viagem. Afinal não foi capaz sequer de enviar um homem à Lua! Então use o meio no qual você confie: magia, pó de pirlimpimpim, oração, sei lá. Boa viagem…..

    5. Balela, dizem que o homem já chegou a lua em 1969

      Chegou. E não só em 1969.

      e de lá para cá nem isso consegue fazer.

      Consegue. Quem disse que não?

      Acho que a Ciência está patinando, caso contrário já devia ter sido colocadas expedições em vários planetas.

      Falsa premissa. Se chegamos ao ponto mais profundo dos oceanos, deveríamos ter hotéis e viagens diárias até lá. Não temos. Então não chegamos ao ponto mais profundo dos oceanos?

      É um meio de se jogar dinheiro fora, enquanto no mundo há milhões de famintos que poderiam ser ajudados.

      Acredito que ao se achar no direito de cobrar isso, você doe seu salário ou parte dele para alimentar os famintos todos os meses, não? E você não compra ou faz nada pra você com o seu dinheiro, o utiliza apenas para ajudar os pobres necessitados. Se não faz isso, você é um grande hipócrita.

      1. O problema da fome passa muito longe da exploração espacial, é só você assistir qualquer telejornal de qualquer emissora e saberás a causa desse problema!

Comments are closed.