Professor faz ‘vaquinha’ para comprar medalhas para a Olimpíada Brasileira de Astronomia

Salvador Nogueira

Enquanto o Brasil se prepara — ou melhor, improvisa — para receber os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, no mês que vem, professores precisam “passar o chapéu” e colher doações para conseguir produzir as medalhas para a edição de 2016 da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Os participantes estão correndo sério risco de ficar sem o prêmio simbólico neste ano. Isso porque a verba que o governo federal tradicionalmente destina à organização do evento foi cortada pela metade.

Não é a primeira vez que os responsáveis pela já tradicional OBA precisa recorrer à colaboração do público. Em 2014, para adquirir um planetário móvel, o professor João Batista Garcia Canalle organizou uma “vaquinha” com o objetivo de arrecadar R$ 50 mil. Conseguiu.

Agora, dois anos depois, o desafio é ainda maior — o objetivo é arrecadar pouco mais de R$ 170 mil. E, diferentemente do esforço anterior, não é para um “plus a mais”, mas para o básico. Que diacho de Olimpíada vai ser essa, se não tiver medalhas para premiar os primeiros colocados? Trata-se de uma situação deplorável, para ser gentil.

“Estamos atravessando a pior crise financeira dos nossos 19 anos de atuação”, escreveu Canalle, consternado, na página da campanha de arrecadação.

O evento custa anualmente cerca de R$ 1,2 milhão, mas o CNPq (órgão de fomento à pesquisa do governo federal) só financiou pouco menos da metade do valor neste ano. O resultado foi um golpe quase fatal à organização, que costuma envolver anualmente quase 1 milhão de alunos espalhados por mais de 10 mil escolas, públicas e privadas, em todo o país. (Pense um pouquinho nesses números: pouco mais de R$ 1 por ano para encorajar de uma forma incrível um aluno a se interessar por ciência. É barato demais, e o resultado é assombrosamente positivo.)

Ao todo, costumam ser distribuídas cerca de 50 mil medalhas, divididas em ouro, prata e bronze. A um custo de R$ 3 por unidade, sairiam por R$ 150 mil. O valor adicional na meta da campanha pagará as taxas do site que faz o serviço de arrecadação.

Claro que não será moleza arrecadar o valor total nos 58 dias que restam para o término do prazo. Até agora, foram cerca de R$ 2.000.

(Falte talvez à iniciativa uma garota-propaganda tão boa quanto a nossa presidente da República afastada, que conseguiu arrecadar em poucos dias quase R$ 1 milhão para viajar pelo país. Hmm, pensando bem, acho que não, né?)

A despeito do aperto no bolso que praticamente todos os brasileiros andam sentindo agora, aposto que ainda há boa-vontade suficiente para viabilizar a aquisição dessas medalhas, cujo impacto positivo será sentido agora em cerca de 10 mil escolas e anos depois no desenvolvimento do país, conforme esses alunos, devidamente incentivados, cresçam para se tornar os cientistas brasileiros do futuro. (Boa sorte para eles! Vão precisar!)

Para ler mais sobre a campanha de arrecadação e colaborar, clique aqui.

Delegação brasileira na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica de 2014; nossos moleques vão bem, e tudo começa com a OBA, que "revela" os nossos pequenos astrônomos. (Crédito: Divulgação)
Delegação brasileira na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica de 2014; nossos moleques vão super-bem, e tudo começa com a OBA, que “revela” os nossos grandes cientistas de amanhã. Mas sem medalha, vai ficar difícil… (Crédito: Divulgação)

AH, SE A MODA PEGA!
Ademais, a essa altura, o Mensageiro Sideral teme que a moda pegue e o governo desista de vez de retomar seu papel crucial como fomentador de pesquisa e desenvolvimento no país. Quer ver? Um grupo de astronomia liderado por Jorge Melendez, da USP, abriu há três semanas sua própria vaquinha para financiar a participação de seus alunos em congressos científicos, depois de ter o pedido de recursos recusado pelos órgãos de fomento (a meta é de apenas R$ 8 mil, mas ainda assim eles estão sofrendo para chegar lá, com apenas R$ 420 em 20 dias de arrecadação). E estamos falando de um cientista extremamente produtivo — certamente world class.

Como também o é a neurocientista Susana Herculano-Houzel, cuja história quase todo mundo já conhece. Ela estava na UFRJ e recebeu apenas R$ 50 mil do CNPq para manter seu laboratório por TRÊS ANOS (o valor não paga nem dez dias de um deputado, mas vá lá). Num esforço supremo de resistência, conseguiu arrecadar passando o chapéu mais R$ 113 mil para complementar o financiamento. Depois que a grana acabou, e o governo seguiu em sua clássica postura “não é comigo”, ela jogou a toalha e se mudou de mala e cuia para a Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos. Agora está fazendo por lá a ciência de alta qualidade que as circunstâncias não permitiam aqui — e claro que os benefícios ficarão por lá também.

Com o quadro de deterioração crescente, aproveito para jogar uma ideia no ar, para discussão: diante da inoperância e da falta de prioridade do governo federal na gestão do sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação, não estaria na hora de uma espécie de Lei Rouanet para a pesquisa básica? Claro que teria de ser muito bem estruturada, para que não ocorram abusos como os que já foram cometidos por meio da Lei Rouanet original, voltada para a cultura. Mas assim pelo menos as empresas poderiam financiar diretamente o progresso científico nacional, associar sua imagem à pesquisa de ponta e ainda descontar isso da bolada que mandam regularmente para Brasília — e que muitas vezes evapora por lá sem deixar vestígios, por mecanismos ainda não totalmente explicados pela ciência, se é que você me entende.

Pelo sim, pelo não, uma coisa é certa: precisamos ajudar a OBA a premiar os alunos que arrebentam em astronomia! Qualquer valor ajuda. E o futuro não vai nos perdoar se renunciarmos ao papel que infelizmente o governo, apesar de equipado para tanto, não consegue desempenhar.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Que pena que o Brasil não consegue manter o mínimo de ciência e de incentivo para os discentes e docentes. Eu, inclusive, larguei de fazer ciência por esta razão. Não dava para viver com bolsa de mestrado e doutorado, fora que nem os mínimos incentivos eram dados ou mantidos. Espero que um dia o país se conscientize da importância de se investir em ciência. é só ver a Coréia do Sul e entender sobre o que estou falando.

  2. Ufaa!!!!! Salvador….. Finalmente reapareceu. rss!
    Sua última aprovação foi na quinta-feira dia 28-06-16, às 3:29 pm. Já estavam dizendo que você tinha sido abduzido e que iria pagar a língua!
    Se verdade quero as provas!!! Hahahaha

    Brincadeiras a parte, PARABÉNS pelos 3 anos de absoluto sucesso!

  3. Pô, Salvador, não consigo mais ler seus posts. :/ Mesmo logado, não é mostrado a postagem completa.

    1. terça feira vai chegar a cuspida que o sol deu na terra no dia 28, vamos ver , ainda tem tempo pro mundo acabar, aproveite os últimos instantes hahahahah!!

      1. O mundo não vai acabar. Mas aposto que se você olhar fixamente para o Sol vai acabar vendo olhos eclodindo nele. Hehehe

        1. Eu vi mesmo, Dai fui conferir de perto, (app jheliover) “não” estavam, mas ai que falo deste fenômeno dos olhos físicos, esta força harmônica 2-hexadecimal, que fundamenta a origem da existência das espécimes talvez, mas se você me moderasse menos, já estaríamos dando um passo, pra tentar desvendar isto, e desatar paradigmas!!>>OS OLHOS FÍSICOS QUE ECLODEM<< menas moderação ai Salvador, pls!!

  4. Meu caro amigo EU™
    Parece que nossos dias de diversão hilária com seus irritados comentários vão chegar ao fim! É muita pena, pois perderemos também vários comentários enriquecedores de outros visitantes.
    Veja o que recebi no meu e-mail da UOL:

    “Mudanças nos comentários na folha

    Caro leitor,
    A área de comentários da Folha vai mudar, numa medida para estimular o debate qualificado sobre o noticiário.
    A partir de 1º de Agosto, apenas assinantes poderão comentar as reportagens e colunas da Folha. Nessa mesma data, os comentaristas passarão a ser identificados por seus nomes, e não será mais permitido o uso de apelidos.
    Queremos que você continue conosco e o convidamos a assinar o jornal – os valores começam em apenas R$ 1,90 no primeiro mês na versão digital. Confira as opções em nossa página de assinaturas.”

      1. Você e eu (Afrânio) somos assinantes, mas me referi a maioria dos “Trolls” que não são!

          1. O lance é que também iam barrar pseudônimos, como esse seu nick ridículo. Mas fique tranquilo, pelo visto a regra não vai valer para o blog e você vai poder continuar com essa sua fissura pelo Projeto Apollo. rs

          2. Quem tem fissura pelo projeto Apollo é você, que acredita nessa baboseira. Deve acreditar em Papai Noel e no Socialismo também. hua hua hua.

          3. Salvador, seria muito bom que os comentadores não pudessem usar pseudônimos… Limparia muito lixo e melhoraria o nível dos comentários! É incrível como as pessoas têm medo de se identificar…

            Em tempo: Radoico é meu nome mesmo, real. É de origem sérvia, apesar de eu ser brasileiro e não ser descendente de sérvios.

          4. Sim, eu acho que teria um benefício em qualidade, embora também restringiria bastante a interação. Pelo que entendo, o sistema vai valer para matérias e colunas, mas não para o blog, que continuará com as ocasionais tempestades de merda. 😛

          5. Quem tem fissura pelo projeto Apollo é você, que acredita nessa baboseira.

            Prove que é baboseira. Duvido.

            Deve acreditar em Papai Noel e no Socialismo também. hua hua hua.

            Falsa premissa e imbecilidade, como sempre.

            Chola mais, jumento.

  5. Salvador,

    Viu que a partir da semana que vem para comentar vai ser preciso ser assinante? Acho que afeta blog também né? Os comentários aqui vão ficar mais sem graça….

  6. Salvador,
    Boa noite

    Näo resisti e voltei para compartilhar com teus leitores, pois acho que você já deve ter visto.
    O Instituto Smithsonian disponibilizou em sua página um mapa interativo em 3D do módulo de comando da missão Apollo 11. Achei sensacional…..
    Dá uma olhada nas imagens 25 e 26/27.
    http://3d.si.edu/apollo11cm/#3d-player
    Bom passeio
    Abraços

      1. Fiquei feliz que vocês gostaram. Não conhecia o Kerbal .
        Obrigado pela dica Eu™.
        Abraços.

    1. Bem legal , só que ele ta parecendo meio anos 40, acredito que os módulos hoje, estão com um design mais modernos, tipo 2001 odiceia de Ciborgues!! olhos fisicos eclodindo etc…rsrsrs

      1. Gilberto, eu acredito que as imagens ficaram desse jeito por causa das gravações em 3D.
        Se você observar na imagem 6/27 aparece uma foto original da escotilha (lado direito abaixo do desenho-The “Unified Hatch”), bem diferente das demais.
        Com certeza o designer da Orion é mais moderno, nos mesmos moldes do Space Shuttle.
        Dá uma olhada no link abaixo que também é sensacional.
        Caso você já tenha visto…. fica para os demais leitores do Salvador.
        DISCOVERY STS-133 LAUNCH VIRTUAL TOUR
        http://360vr.com/2012/02/16/discovery-flight-deck_2193/
        Abraços

  7. O Minimo que a NASA poderia fazer esta dizer; olha comunidade, existe vários oceanos que se secaram em marte, como existe ainda alguma quantidade de água corrente em marte,> isto eles já quase dizem, >mas dai falta dizerem não estamos sozinhos<. Dai tento de alguma forma mostrar e provar isto, o que esta inegável segundo as imagens das rovers oportunity, curiosit e spirit, o que eles que como agencia Espacial ,merecem a credibilidade, e por verdade ja deveriam ter dito, ai lá vem moderação. menas censura ai salvador , pls!!

    1. Eu só estou barrando quando você começa a fumar maconha estragada. Enquanto você se comporta e mantém seus comentários minimamente compreensíveis, eu deixo passar.
      Aliás, parabéns! Você descobriu um jeito de me fazer barrar comentários, coisa que eu praticamente não fazia até você começar a ver olhos eclodindo em todo lugar e postar 85 links do Google Drive por comentário. 😛

      1. Salvador, tem gente te pilhando, e tu ta entrando na pilha, deixa estes caras pra la, tao com ciumes de você, rsrsrsr!! nem fumar e beber eu bebo, só tenho um jeito diferente de me expressar, estes links estão algo “material”, só isso, um jeito “esquisito’ de tentar sair da mesmice, tente entender a diversidade!! Relaxa!!

    2. A gente tinha que pular esta parte, já que você não aceita comprovação por fotos nem imagens, e por isso envio os links, e partir de forma, analítica, cientifica,formal, se não estão olhos, estão o que, porque não tem como negar, esta evidencia por incidência de anomalia, para mim o mais obvio que estejam olhos mesmo, mas se não estão, estão o que?, mas este papo de pareidolia em tudo que lugar ,tanto no passado,como também no presente, isso sim parece um refugio nas drogas das mesmices, vamos dar um passo a frente, pergunta a um biólogo ai, o que esta isto!? vlw!

      1. Cara, que mania de olhos você tem! Muitas criaturas não têm olhos. Bactérias não têm, fungos não têm. Relaxa. Olhos não brotam do nada. rs

        1. Que bom que você falou isso, dai podemos já dar um passo para frente, usar o método de redução, se bactérias e fungos não tem olhos, podemos descartar estas formas de vidas, já que existem olhos nas anomalias que verificamos,se e que etão realmente olhos, dai pergunto quantos tipos de olhos existem entre as espécimes vivas?!(sei que existem olhos parietais também, e também que existe aranhas com 6 olhos), eu vi uma anomalia que parecia ter três olhos e duas patas dianteiras somente, também uma espécime como uma bola tipo um sapo que só tinha um olho e sem membros.!!não espere DNA terreno conhecido em marte existem outras evoluções de DNA( outras moléculas formadora outra força de gravidade etc…(olha o paradigma ).

  8. Salvador,
    Boa tarde

    No teu post dos 47 anos do feito da Apollo 11, acho que minha solicitação se perdeu em meio a tantos comentários…
    Gostaria de saber se tem informações sobre os livros do Aldrin:
    “Nenhum Sonho é Muito Alto” e “Missão Marte”
    Alguns ano atrás você fez uma entrevista com Eugene Cernan, da Apollo 17 sobre o livro ” O Último Homem na Lua” que ele escreveu.
    Algum destes livros foram publicados no Brasil ?
    Obrigado e bom trabalho.

    1. Gilson, que eu saiba, nenhum deles foi publicado no Brasil. A melhor aposta no momento é em inglês, em formato digital, para não precisar esperar a importação.
      Abraço!

  9. Salvador,

    Existe alguma estrela de nosso céu visível que mudou de posição devido a sua translação em volta do núcleo galáctico? Ou quase todas giram a mesma velocidade em volta da galáxia? E para qual direção está indo o sistema solar inteiro?

    1. Jonata, ao longo de milhares de anos dá pra ver mudança de posição. Mas não de um ano para o outro, a não ser que você tenha instrumentos de precisão. A estrela que se desloca com mais velocidade no céu ao longo do tempo é a Estrela de Barnard, uma anã vermelha a 6,2 anos-luz de distância. O movimento dela pode ser medido em questão de anos. Mas ela não é visível a olho nu.

  10. De minha parte, poderiam simplesmente substituir a Lei Rouanet por uma de patrocínio à pesquisa científica. Seria infinitamente mais útil ao país do que seguir financiando show da Claudia Leitte e filme do Porta dos Fundos.

    Já contribuí. Fico na torcida para que atinjam o valor necessário.

    Ah sim, porque nunca é demais: parabéns pelo blog, Salvador! Vc certamente é um grande colaborador desta sofrida Terra de Vera Cruz na divulgação do conhecimento científico, sempre em linguagem acessível aos mortais.

  11. Contribuição dada! E o recado dado, lembra que foi o Mensageiro Sideral que me informou da necessidade! Go Star Team!! rsrs

  12. Bom salvador, ao meu ver; tanto astrônomos, quanto astronomia no geral, tem se desqualificado ao meu ver, por permanecerem na inercia, da mesma mesmice de sempre, quando alguém(GP) tenta uma nova hipótese,>>(olhos físicos que eclodem de montanhas de matéria orgânica),que esta fora da mesma mesmice de sempre, la vem moderação,Censura etc.. por isso, para um pais de “paradigmados’, mesmice por mesmice, eles preferem não incentivar, como a mesma mesmice forma de agir de sempre. “Não há nada de novo entre a terra e o céu, nada de novo,
    se não houver o dragão e seu tenebroso véu de destruição e de fogo
    …”.

  13. Stephen Hawking vive na Inglaterra, apesar de globe-trotter. A Inglaterra é um dos países mais cientificamente avançados do mundo. Hawking aconselha a todos os gênios científicos jovens, não só ingleses, a emigrarem para os EUA. É lá, nos EUA que a pesquisa científica realmente avança, não só na Astronomia (a ESA até que faz bonito…).
    A questão é a necessidade, que é a mãe da invenção.
    Certos ou errados, os EUA vivem da guerra, como a Inglaterra antes.
    A guerra é um incentivo tremendo para a ciência. A Alemanha nazista quase conquistou o mundo, não fosse alguns cientistas alemães-judeus-judeus-alemães tipo Einstein terem fugido de Hitler.
    Stalin, já antes da WWII e também depois, matou milhões de russos para acompanhar (tentar) o desenvolvimento industrial americano, que já participava de guerras pelo mundo todo. E o fez também através da indústria bélica, principalmente, transformando um enorme país rural em urbano, ou num enorme campo de concentração, mas fez os EUA suar.
    No Brasil temos “universidades” que formam centenas de alunos. Em Exatas, Biológicas e Humanas. Não há mercado para quase ninguém. Meu irmão formou-se e doutorou-se em Geologia na USP. Estava morrendo de fome…foi para o Japão, trabalhando com Geologia…ganhou dinheiro, voltou ao Brasil e trabalha ganhando bem – fora – da Geologia.
    Durante os anos 1980 o Brasil foi o 5º exportador de armas do mundo. Havia bastante emprego, então, para engenheiros. Depois, a Imbel faliu, a Avibrás faliu (parece que renasce com o Astros 2020), enfim, a indústria bélica transformou os EUA no império mundial que é hoje, e que se dá ao luxo, entre aspas, de fazer Astronomia. Os EUA querem explorar os minerais da Lua, Marte, e onde der. E na órbita terrestre há armas. Americanas x Russas x Chinesas x Israelenses e sabe-se lá quem mais.
    O Brasil não tem mercado. Não é uma economia de mercado. Nem, p.ex., para comida e automóveis (a não ser McDonald’s e quejandos. Os carros chegam aqui muito depois de lançados no primeiro mundo).
    Na Marinha de Guerra, só se fala em Paz.
    No Exército brasileiro só se fala em Paz.
    Na Força Aérea só se fala em Paz.
    Para o Brasil é ótimo. Para as Forças Armadas e para o Mercado Científico é péssimo. Conversei com um jovem ex-capitão do exército brasileiro, que pediu baixa para trabalhar em uma concessionária de automóveis. O salário não sustentava a pequena e modesta família. Disse-me ele que os militares brasileiros morrem de medo da Argentina. Seria uma boa idéia…
    Afinal, os americanos quando não têm um inimigo real, inventam algum.
    É tal complexo industrial-militar que Eisenhower falava. Que dominou o mundo. E está fazendo dos EUA um estado policial, como na ex-URSS.
    A guerra é boa ? Para a Ciência, sim. Desde que não destrua o planeta.
    O Brasil vive em paz. Ótimo. Mas aceitemos que somos 3ª categoria em tudo, (às vezes aparece um César Lattes, um Edson Arantes do Nascimento…).
    E olha que nem sequer falei em corrupção…
    O panorama é amplo. Falei de muitas coisas.
    O panorama brasileiro é aterrador.

    1. Quero fazer umas perguntinhas: a quem o Brasil vai declarar guerra? Você citou a Argentina, mas para que serviria uma guerra contra um país que já esta ferrado? Qual o motivo concreto para uma ação destas? Guerra, meu caro, é complicado, é caro, tem que ter um bom motivo e alguém tem que convencer o povo da sua necessidade, senão vira Guerra do Iraque 2, a guerra onde se tentou achar pelo em ovo e nem o ovo foi achado, só o Saddam foi enforcado. Aquela guerra inútil serviu apenas para endividar os países que foram a ela, desestabilizar uma região inteira do mundo e resultou no Estado Islâmico que hoje aterroriza o mundo todo. Você quer que o Brasil se meta numa guerra com os argentinos? Fume outra erva, porque esta deve estar estragada.

    2. não é necessário matar alguém para ter razão, menos ainda uma guerra para escravizar em nome da riqueza do vencedor. O que torna um país rico em essencial é o uso correto da verba para pesquisas em vários campos, no Brachil o roubo não deixa nada ir para frente e sempre tem 30% de propina, mas uma pesquisa científica é também um tiro no escuro, pois, mesmo algo aparentemente simples de fazer, como um foguete lançador, porque usa conceitos estudados no Nível Medíocre do Brachil (ou deveria ser estudado, não sei, tudo muda par pior), acaba tendo um orçamento ridículo e sujeito a severos cortes.

      a nossa cultura é de comprar pronto para não ter de desenvolver a tecnologia do zero, porque é mais caro e demorado. Já vi país desenvolvido ter ideia oposta, preferem ignorar uma tecnologia barata para gastarem bilhões em pesquisa até obterem algo igual ou melhor. No Japão o pessoal desmonta as coisas e descobre como funciona, aplicam daquelas técnicas de Melhoria Contínua para aprimorar, daí parece que fizeram do zero.

      no Brachil somos bons em piratear filmes e CD sertanejo ou evangélico.

  14. “O Brasil é um país que não deve ser levado a sério” (Charles de Gaulle – 1962).
    Alguma surpresa?
    Se o Charles já tinha vaticinado isso a 54 anos anos passados, imaginem em nossa história recente sob a égide de 13,5 anos de populismo?
    Investimento ZERO em educação, muito menos em ciência e tecnologia.
    Eu vi, juro que vi!
    Professores mal remunerados, espancados e humilhados dentro da sala de aula.
    O resultado está aí!
    Muitos sonhadores e abnegados, garimpando, rodando o pires.

    1. não é apenas o populismo que ferra tudo, tem o Patrimonialismo e o Coronelismo, também temos o foco exagerado na religião com intuito de poder financeiro e fanatismo e a corrupção desenfreada. Vejo o tempo todo empresários tentando obter vantagens no órgão onde trabalho, depois falam que privatizar tudo é a solução. Só se for para ampliar a corrupção, afinal, se fossemos terceirizados seriamos obrigados a nos curvar às “necessidades” corruptas dos empresários gananciosos que almejam apenas enriquecer às custas dos direitos dos trabalhadores.

      empresário rico sem passar a perna em alguém é bem difícil. Na prática as empresas quando são obrigadas a seguir a linha (pagando impostos e os direitos dos trabalhadores) acabam quebrando quando são pequenas, as grandes até que resistem porque possuem ganhos diversificados, daí a gente não alcança as falcatruas cometidas em outros lugares e essas grandes sempre possuem as burras cheias.

  15. Oi, Salva.. há pouco tempo atrás, li uma entrevista de um dos principais pesquisadores do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e ele dizia que, no Brasil, há um grande distanciamento entre os centros de pesquisa e universidades dos investidores e empresas. Segundo ele, este seria um dos principais óbices ao fomento da atividade científica (e da divulgação científica) no país, a qual fica dependendo de financiamento público e caridade.

    Também, não é para menos. Um lugar onde o ambiente de negócios é péssimo e o sistema tributário só serve para alimentar a sanha arrecadatória do Estado, e não para fazer políticas fiscais, não se poderia esperar menos. Sua ideia sobre uma “Lei Rouanet” da ciência cairia muito bem neste cenário, funcionando como um incentivo legal aos investimentos na área. Mas acho que o problema do ambiente de negócios e investimentos seria resolvido mesmo com amplas reformas no Estado, o que eu tenho a certeza que nunca irá ocorrer. Mesmo se ocorresse, poderia haver uma deturpação dos institutos, como ocorreu na Lei Rouanet original.

    Estou sendo excessivamente pessimista. Queria pensar diferente, mas é difícil.

    Abraços!

    1. Note que foquei em uma “Lei Rouanet para a Pesquisa Básica”. Se uma empresa quiser fazer pesquisa aplicada, para desenvolver produtos, nada muda. Penso em encontrar financiamento para pesquisas sem potencial de ganho econômico imediato, a exemplo da produção cultural sem potencial de lucro (o que não deveria incluir shows de Chico Buarque, Rock in Rio etc., mas acabou “agraciado” pelo mau uso da Rouanet).

      1. Aí é que está, Salvador! A ciência hoje não pode ser dissociada da técnica (tecnologia). Os dois inter-relacionam. A pesquisa científica aplicada reverte, posteriormente, para a própria ciência. O aprimoramento desta acaba gerando novas técnicas também, e assim sucessivamente. Uma relação dialética. Na economia capitalista, é o jeito! O Estado não pode custear tudo, sempre tem alguém pagando (no caso, nós). No entanto, as aplicações do Estado são quase sempre ineficientes, razão pela qual acredito que a iniciativa privada deve comandar as mudanças. Foi assim nos últimos 500 anos. E nós chegamos até aqui 🙂

        1. Sim, claro que as coisas se retroalimentam, e é bom que seja assim. Mas caberá ao comitê julgador definir se o recurso solicitado se destina a uma pesquisa aplicada ou apenas a pesquisa básica — dá pra fazer a distinção com razoável clareza. Para ser básica, basta que não tenha nenhum potencial uso prático em vista num futuro próximo. 😉

  16. Recentemente eu financiei meu livro de fantasia/ficção A Senhora do Caos por crowdfunding. Muitas das idéias aplicadas no livro, como dobra espacial, buracos de minhoca e física quântica aprendi com as reportagens do Salvador tanto aqui no blog quanto em matérias na Superinteressante. Eu me sinto muito feliz de poder contribuir com esse projeto (já o fiz) mas realmente é lamentável reconhecer que nossos governantes não tem qualificação nenhuma pra tocar esse país. Nossos cientistas pracisam pedir ajuda pra sociedade ou ir pra fora, enquanto eles se chafurdam em nosso dinheiro…

  17. é ipresionante a capacidade que os homem tem de nega o que foi dito e mostrado pelo S E N H O R pareci mentinra mais infelismente não é os que se chamão cientista querem acha que sabe tudo mais quem sabe é DEUS sem DEUS você é pó e ao pó voutara eu sei que vou vouta pra DEUS e voces sera que vão

    1. Impressionante é o português (?) do comentário! Mais um motivo para ajudarmos iniciativas educativas, pessoal! Deus vos pague. 😉

      1. Meu portugues não é bom mesmo eu não pude estuda mais minha alma é do SENHOR e a sua quando JESUS volta eu vo se salva e voce sera que vai pense nisso e arrependa se para DEUS não importa se voce é rico ou pobre ou se é intiligente ou se não pode estuda DEUS ama o cerumano do mesmo jeito mais eu amo JESUS e voce sera que ama mesmo ou é da boca pra fora em

        1. Eu tenho certeza que vou me salvar se e quando Jesus voltar, por dois motivos:
          (1) Jesus é um cara do bem, não é esse sanguinário vingativo e escroto que às vezes os crentes podem fazer parecer. Ele supostamente perdoou ladrões na cruz, lembra? Ele vai deixar de me perdoar por eu achar que muita gente é enganada em nome Dele? Acho que não. Na boa, acho que ele vai perdoar até os pastores filhos da puta que exploram a fé dos fieis ignorantes por aí…
          (2) Eu sou um cara do bem também, costumo ajudar ao próximo e tenho um senso de ética e moral. Cometi meus erros, claro. Quem não os cometeu? Tenho certeza de que ainda cometerei muitos outros. Mas tenho vontade de aprender. Aprendo com os meus erros.
          Agora, perdoe-me (e Jesus também há de me perdoar, se for o caso) por achar que ninguém vai descer do céu e magicamente nos salvar de nós mesmos. Esse trabalho é com a gente mesmo. E aí a receita passa fundamentalmente por educação. E é disso que trata este meu post. Não de Deus, Jesus, Apocalipse ou outras crenças particulares que você ou outra pessoa possa ter ou não e que por algum motivo você achou que deveria trazer à tona aqui.

          1. 17 hrs e 27 min…
            ” Caraca meu !!!!! Gostei dos “efes-dp”
            Ganhei meu dia hoje com tua resposta.
            Obrigado

          2. voce não intende DEUS pode perdoa tudo mais ele não perdoa que você coloque outros deuses eciparados ao verdadeiro DEUS de ISRAEL voce fala mau dos pastores mais são os pastores que salvam almas para oferecer à JESUS e voce quantas almas voce salva com todo seu grande saber de livros sera que você conhece tão bem o LIVRO quanto dis conhece os livros da escola

          3. Alguns pastores também chutam estátuas da mãe de Jesus também. O que Jesus acha disso? Se fosse da minha mãe, eu não deixava… 😛

        1. E eu só vi depois da primeira resposta minha, mas não podia deixar passar… ah! as claudias da vida…

    2. EuTM, você alimentou os ogros e os “trolls”, não é? Agora eles nunca vão deixar de mandar lembranças usando a linguagem “rebuscada” deles.

    3. Tá na cara que vc tá de brincadeira né Cláudia… Se é que vc é Cláudia mesmo.
      Ninguém que se propõe escrever num blog desse nível escreve desse geito.
      Vc se esforça para escrever errado. Penso que nem cristã ou cristão vc é.
      Fica com Deus… O seu Deus é claro!

  18. Infelizmente, temos que nos conformar que ciência e educação são encarados como perigosas ameaças para quem financia o lobby da Terra plana e de Edão e Eva nas escolas… É questão de política, e podemos e devemos nos preparar para mais cortes e mais dificuldades – essa ideia incrível de um financiamento privado para pesquisa e tecnologia nunca vai conseguir sair do papel num congresso como o nosso, que se pudesse botava queima às bruxas em votação… O governo federal – qualquer um, mas este interino que não nem compromisso com as urnas mais do que qualquer outro, até porque o atual presidente está inelegível por oito anos – nunca vai peitar o congresso para defender educação. Educação é perigoso e liberta mentes. Quem participa de olimpíada de astronomia não dá boa parte do salário na mão de quem não trabalha e vive de pregação.

  19. Salva, tenho certeza que se essa ideia chegar até o nosso caro deputado Bolsonaro ele abraça a causa.

  20. Olá salvador só dois poréns: o fato de termos políticos ladrões não é desculpa para que não se pague impostos, estes são muito importantes para a sobrevivência de qualquer país, de escolas públicas e tudo mais, corrupção é desculpa para empresários corruptos não cumprirem sua obrigação. Não precisa de Lei Rouanet para ciências – nem para cultura – basta que tivesemos empresários menos preguiçosos e dependentes do Estado, uma empresa grande ou média – ou várias pequenas – poderiam bancar esta olimpíada e associar sua marca profundamente nela, os empresários americanos fazem isso direto, é extremamente lucrativo, só os empresários preguiçosos do Brasil – que ainda por cima querem fazer da universidade publica seu departamento de P&D de forma gratuita e sem custos – é que não enxergam isso.

    1. Fabiano. Só lamento ao ler o seu comentário! Comparar o empresário brasileiro com o norte-americano é covardia, e chamá-lo de preguiçoso é a prova de que você não sabe o que está dizendo.

      Quem carrega nas costas a economia deste país é o empresário, mais especificamente o micro e médio empresário, que normalmente é cadastrado no Simples e Super-Simples, onde o imposto é abatido sobre o lucro real, não havendo espaço para sonegações.

      Nos EUA existe uma política séria de abatimento de impostos para o empresário que patrocina causas como ciência, esportes, bem estar social, etc, etc… Agora, vai fazer isso no Brasil, vai…

      Resumo: Chola mais, cholão!

  21. Eu acho que o problema é amplo e necessita mesmo de discussão. O Brasileiro é um grande improvisador, haja vista os problemas nos apartamentos da Vila Olímpica a menos de 10 dias do início. Situação piorada ainda pela piadinha do prefeito do Rio. Parece que por aqui não se leva mesmo as coisas a sério. Este comportamento se repete em todas as áreas e esferas. Os responsáveis por determinadas áreas não tomam as ações necessárias e depois ainda fingem que não é com eles. Não é diferente no campo científico. Acho que o problema já começa na escolha de quem vai segui carreira de pesquisa no Brasil e depois passa pela forma que a verba é distribuída. Quem deveria discutir este assunto e fazer toda pressão é a própria comunidade científica. Mas não é o que vemos. Não conseguimos identificar um líder que possa defender a Comunidade Científica e além disto, parece que quem já garantiu a própria verba não levanta a cabeça para não ser pego pelo facão.

  22. Salvador, já que o assunto é Astronomia em sentido amplo….

    Há alguns anos eu vi um site que me deixou perplexo e mudou a maneira como entendo a astronomia. Não, não é nenhum nibiru. Trata-se do site do prof. Silvestre, um engenheiro de Uberlândia que tem um telescópio em casa e é astrônomo amador.

    Particularmente, este artigo aqui: http://www.silvestre.eng.br/astronomia/artigos/bigbang/ (é longo, mas vale a leitura).

    Qual a sua opinião sobre a existência, bastante explorada pela física quântica, de mais dimensões espaciais além das 3 que conhecemos??

    1. Não li o link, pois estou na correria agora, mas acho interessante a possibilidade de dimensões adicionais, embora as observações limitem sua existência às menores escalas, o que torna a ideia difícil de testar. E, se não houver como testar, não há relevância nela, por mais fascinante que seja.

      1. Só discordo da última frase. Acho que uma ‘teoria’ bem fundamentada, ainda que não possa ser testada, tem seu valor, ainda que limitada ao campo teórico. Exemplifico fora do contexto astronômico, com a Psicanálise, que surgiu em 1899, e sempre foi “não-demonstrável”. (Somente nos dias de hoje, com os mapeamentos cerebrais em PET (algo impossivel no início do século passado) estão conseguindo demonstrar as alterações da fisio-anatomia cerebral no curso de um processo psicanalítico). Ainda assim, ela sempre teve seu valor – especialmente para o campo filosófico.

      2. Salvador, volta e meia me deparo com isso de observações limitarem outras dimensões serem minúsculas. Nunca entendi isso: se estamos limitados a perceber o Universo em 3 (ou 4) dimensões, como podemos assumir essa “pequenez” das outras dimensõesque não percebemos, ao menos com os meios atualmente disponíveis? Seria muito legal se você, com seu jeito didático, pudesse lançar alguma luz sobre este assunto!

        1. Em essência porque, embora não possamos perceber mais que 3 dimensões esticadas, podemos descrever matematicamente que efeitos seriam observados. E não bate com a realidade! 😉

  23. kkkkk, achei um ninho de nerds-da-luneta-no-quarto. Chega pro primeiro e pergunta “o que é aquilo ali?”, ele responde “é uma nebulosa”. Chega pro segundo e pergunta “e aquilo?”, ele responde “é uma estrela binária”. Chega pro terceiro “e aquilo lá, o que é?”, ele vai dizer “ih, não sei…..”, aí tu diz “aquilo lá é mulher, rapá! Coisa que tu só conhece pelo redtube, kkkkkk”. Esses aí COM CERTEZA acreditam na lorota que o homem foi na lua e que tem alien na área 51. kkkkkkkkkkk

    1. kkkkk, achei um ninho de nerds-da-luneta-no-quarto.

      Aposto que alguém precisou te ensinar, pela sua parca capacidade cognitiva com certeza não deve nem ter aprendido como se respira pelo nariz.

      Chega pro primeiro e pergunta “o que é aquilo ali?”, ele responde “é uma nebulosa”. Chega pro segundo e pergunta “e aquilo?”, ele responde “é uma estrela binária”. Chega pro terceiro “e aquilo lá, o que é?”, ele vai dizer “ih, não sei…..”, aí tu diz “aquilo lá é mulher, rapá!

      Fique tranquilo, sabemos o que é uma mulher. A tua mãe já passou por aqui e mostrou pra gente!

      Coisa que tu só conhece pelo redtube, kkkkkk”.

      Nesse você tem até conta VIP, né, mão cabeluda?

      Esses aí COM CERTEZA acreditam na lorota que o homem foi na lua

      E você com certeza é um analfabeto científico que adora querer pagar de espertão mas tem um QI de ostra em coma! Quero ver provar que a ida do homem à Lua é mentira. Duvido.

      e que tem alien na área 51. kkkkkkkkkkk

      Tem tantos aliens lá na Área 51 quanto tem neurônios na sua cabeça oca de vento.

      KKKKKKK

    2. Eu não escrevi que estes tipos não são capazes de fazer nada que presta? Nem para fazer piada eles servem.

    1. Sim, estamos fazendo a nossa parte! Fico feliz! Agora, o UOL podia dar uma mãozinha e chamar a história na home, né? 🙂

  24. Salva, bom dia.

    Esse país não me dá um motivo de orgulho faz tempo…

    Cada vez mais comum ver avanços e conquistas científicas divulgadas pelos países de 1° mundo com brasileiros participando ativamente em suas equipes de pesquisadores…

    Simplesmente porque não possuem a menor chance de desenvolver algo palpável com o péssimo financiamento disponível por aqui…

  25. Imoralidade isso, sinceramente, gostaria eu de ter uma fortuna para poder ajudar os nossos futuros cientistas.

    Honestamente, ainda há uma chance para nosso país? Se ela existe, deve estar a bilhões de anos-luz daqui.

    1. Complicado. Mas você pode pelo menos ajudar a espalhar a notícia nas redes sociais. Já ajuda!

  26. Não haverá maneira de comentar sobre este assunto, sem entrar na política.
    Vai dar muita discussão sobre o dinheiro mal empregado.
    Tanto dinheiro desviado nos últimos anos em várias pastas, que só podia terminar prejudicando quem sempre recebeu pouco.
    E lá se vão as mentes brilhantes. E continuamos andando de lado.
    Bom, vamos contribuir. Cada um dando um pouco já ajudamos bastante.
    Lei Rouanet, ajudou muito…Chico Buarque 23milhões; a irmã dele 17milhões e por ai…vai.

  27. …papel que infelizmente o governo, apesar de equipado para tanto, “não consegue” desempenhar… Ou melhor: “não desempenha”, pois “não consegue” seria válido para quem tenta…

  28. Podemos criar uma petição online para defender a “Lei Rouanet da Ciência “.
    Se tiver muitos apoiadores algum deputado pode se interessar pelo assunto e apresentar um protejo de lei.
    Que acha salvador?

    1. Eu joguei mesmo para discussão. Nem eu tenho convicção de que é uma boa ideia. Mas acho que seria uma forma inteligente de incentivar o apoio a projetos científicos.

      1. O mundo odeia Ciência,
        é só começar alguma crise que a primeira coisa que roda é a ciência e pesquisa.

        1. Não diria que é o mundo não. A China, vendo seu crescimento declinar em anos recentes, AUMENTOU sua despesa com pesquisa, porque sabe que daí sairá o crescimento futuro!

    2. Uma “Lei Rouanet da Ciência” sofreria os mesmos males que a Lei Rouanet da Cultura, uma vez que ela seria criada e aplicada no mesmo país onde se rouba até na merenda escolar. Não tem jeito. Tenho idade suficiente para saber que o problema do Brasil é moral e não educacional. É triste, mas é verdade.

        1. Não, o certo é “mein”, uma vez que “Freund” é masculino, então fica “mein Freund”.

          Se fosse “Freundin”, seria feminino e, portanto, “meine Freundin”…

          Tks btw!

          1. Como o Eu™ tinha afirmado que brasileiro odeia ciência, e já que eu gosto, respondi uma groselha qualquer em outro idioma, só pra ser engraçadinho…

            Também aproveitei pra tirar o alemão da gaveta, porque fiz umas aulas quando era jovem, mas ultimamente anda mais enferrujado e parado que o rust belt…

    1. Não generalize, Eu™, há muitos que gostariam de aprender sobre astronomia e a ciência em geral, mas a educação falha típica do brasileiro não permite. E não estou escrevendo somente das escolas públicas e sua enorme capacidade de destruição em massa de estudantes interessados, transformando-os em desinteressados de tudo, mas também das escolas particulares e de sua “decoreba” massificada para passar no vestibular ou alcançar notas altas no ENEM. Há exceções como os estudantes das fotos desta postagem e das Olimpíadas de outras áreas, mas eles são poucos e pelo jeito nem estímulos bobos como uma simples medalha eles não tem.

      Porque estes organizadores destas Olimpíadas de matemática, física, astronomia não se juntam e fazem uma Olimpíada geral de todas as áreas nos moldes das Olimpíadas de esportes e daí vão buscar patrocínio cultural na lei Rouanet, pois eu penso que isto é uma atividade cultural que pode se enquadrar nos requisitos da lei. Pressionar os congressistas ou o governo para fazer uma lei similar na área de ciência e tecnologia é bem mais demorado e com os cabeças ocas agora descendo o malho na lei cultural e procurando qualquer falha na aplicação dela, além do rombo alegado nas contas públicas, fica difícil aprovar qualquer lei neste sentido mesmo com alguma pressão popular.

Comments are closed.