Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Astronomia: Missão ao asteroide assassino

Por Salvador Nogueira

Nasa prepara nave para visitar e colher amostra de asteroide que pode colidir com a Terra.

ASTEROIDE INCONVENIENTE
No próximo dia 8, a Nasa vai lançar uma espaçonave para estudar minuciosamente e então trazer uma amostra de um asteroide com respeitável meio quilômetro de diâmetro. E não é qualquer asteroide, não. Esse aí tem uma probabilidade significativa de impactar com a Terra no decorrer do próximo século.

MISTURA DOS EUA COM O EGITO
A missão se chama Osiris Rex, supostamente uma sigla, mas obviamente uma referência a uma das divindades do panteão egípcio antigo — Osiris era o deus que reinava sobre o mundo dos mortos. Asteroide, possível colisão, morte… Sacou?

CHARME PARA DANÇAR BONITO
Apesar do melodrama, a missão é uma ótima oportunidade de mostrar como a humanidade pode lidar com a ameaça dos asteroides quando as coisas ficarem tensas. O asteroide-alvo, batizado de Bennu (uma ave mitológica egípcia, para manter tudo em família), foi descoberto em 1999.

É LOGO ALI
O asteroide tem uma órbita similar à da Terra, que ele completa em 436 dias, e os astrônomos calcularam que ela trazia uma chance de impacto, ou melhor, oito chances de impacto, na segunda metade do século 22. O risco é baixo, apenas 0,037%, mas não desprezível.

INCERTEZAS
O duro é que prever órbitas de asteroides com séculos de antecedência não é trivial — coisas sutis, como o modo como ele reflete a luz solar (o que depende de seu formato), podem causar alterações que representam a diferença entre bater na gente lá adiante ou não. Daí a necessidade de enviar uma nave para investigar o Bennu de forma pormenorizada.

LÁ E DE VOLTA OUTRA VEZ
A Osiris Rex chegará lá em 2018 e fará a coleta de uma amostra em 2020, que depois será trazida de volta à Terra em 2023. Se o asteroide realmente estiver destinado a trombar com a gente no futuro, pelo menos saberemos com quem estamos lidando. Tudo isso a um custo de quase US$ 1 bilhão.

BÔNUS: AOOO VIVOOO…
O Mensageiro Sideral irá transmitir ao vivo, no dia 8 de setembro, o lançamento da sonda Osiris Rex ao espaço, com a participação do astrônomo Cristóvão Jacques, do Observatório Sonear, o maior caçador de asteroides ameaçadores do hemisfério Sul. Fique ligado!

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade