AO VIVO: Lançamento da sonda OSIRIS-REx

Salvador Nogueira

A Nasa deve lançar nesta quinta-feira (8), a partir de Cabo Canaveral, Flórida, a sonda OSIRIS-REx, a primeira espaçonave americana destinada a colher uma amostra de um asteroide e trazê-la de volta à Terra para análise. E o que apimenta ainda mais a iniciativa é o fato de que o objeto-alvo, um asteroide chamado Bennu, tem uma chance não desprezável de colidir com nosso planeta no fim do século 22. O Mensageiro Sideral transmitirá ao vivo o lançamento, com comentários de Cristovão Jacques, astrônomo do Observatório SONEAR (MG), e Lucas Fonseca, engenheiro aeroespacial que participou da missão europeia Rosetta. A transmissão começa às 19h30, e a janela de lançamento se abre às 20h05. A meteorologia dá 80% de chance de boas condições para o voo.

Para uma breve apresentação da missão, confira também o vídeo abaixo!

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Salvador, vai ai um estudo que fiz sobre “pareidolia”, Civilizações intro-terrenas em
    cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko , rossetta philae, que demonstra que pilhae esteve movida por áliens, e também uma cidade intro-terrena em marte. vista no worldwide telescope.

  2. Olá Salvador! Puxa que legal! Ver um lançamento no Cabo Canaveral… Pontinha de inveja aqui 🙂
    Por curiosidade, onde vc ficou? Muito longe do local ou perto o suficiente para sentir o tremor do lançamento.
    Sonho um dia poder estar lá (ou aí) para ver ao vivo. Parece q ano que vem haverá um lançamento de uma versão do SLS… Essa quero ir ver 🙂

    1. Fiquei na minha casa, hehehe. A Globo anuncia suas transmissões de futebol “ao vivo” mesmo quando os narradores estão no estúdio. O que conta é o evento. 😉
      Tendo dito isso, já estive em Cabo Canaveral, mas infelizmente não vi lançamento de lá. Por ora, vi um de Baikonur (o voo do Pontes!) e um de Kourou (um lançamento de satélite comercial).

      1. Hehehe… achei q estava por lá 🙂
        Putz, esteve em Baikonur e viu uma Soyuz subir! Aí sim! Esse foguete é show demais.
        Kourou também! Tá andado heim kkk
        Muito legal Salvador, um dia quero ver um lançamento e poder sentir o peito tremer. Uma hora eu consigo 😉
        Abraço!

  3. Salve Salva….
    Salva e a Juno?…to achando que está demorando muito essas fotos… Vc tem alguma previsão?

    1. To achando que pela demora, deve vir algo extremamente surpreendente nessas fotos que foram tiradas a apenas KM 4.000
      Devem estar estudando demais para poderem divulgar.

      1. Acho que não, Oswaldo. Também tão fazendo charminho para manter a sonda em evidência. Com a New Horizons fizeram isso. Toda sexta era “dia” de New Horizons, embora só tenha havido uma coleta de dados.

  4. Salve Salva!
    O M.S. cada vez melhor, parabéns.
    Só uma pergunta. Quais as chances de ao invés de um asteróide, a nossa terra etravessar, em algum momento, um grupo de asteróides orbitando próximos um do outro. Seria ruim, não?
    Abrç.

    1. Seria ruim, mas normalmente asteroides “em bandos” são mantidos assim por alguma configuração gravitacional específica (como os “troianos” de Júpiter) e não teriam chance de trombar com a gente todos juntos. Abraço!

  5. Salvador,
    Pode esclarecer melhor o que determina essa janela de lançamento? (clima, rotação da terra, posição do asteroide?)

    1. Um pouco de tudo isso. A janela em si tem a ver com a posição dos objetos (Terra e asteroide-alvo) e a capacidade do foguete de colocar a sonda numa trajetória para lá, combinada à rotação da Terra que determina que momentos do dia seriam propícios para o lançamento. Janelas para missões interplanetárias normalmente duram algumas horas por dia num período de algumas semanas, enquanto janelas para missões a um ponto específico da órbita terrestre costumam ser instantâneas a cada dia, ou seja, ou o foguete sai naquela hora, ou só no outro dia. Cada uma dessas oportunidades de lançamento exige cálculos para determinar o quanto o foguete terá de operar e os ajustes de curso necessários. E, claro, se a meteorologia não ajudar, o lançamento precisa ser suspenso.

  6. Salvador, se já vão lá pra esse tal Benu Assassino porque já não levam uma bombinha de uns bons TNTs com um detonador transmissor de rádio pra ser acionado lá em 21?? Se por acaso o tal pedregulho resolver vir no nosso caminho? Aí é só apertar o botão aqui na terra e “bum” o Benu vai pro espaço, quer dizer, mais pro espaço ainda, quem sabe até esfarela tudo.

    1. Pra esfarelar 500 metros de asteróide vai precisar mais que meia dúzia de bananas de dinamite…

  7. Parabéns pela cobertura! Depois desse lançamento espero que o Salvador se anime e jogue o ótimo Kerbal Space Program. Tem muita coisa interessante que aprendi por lá. ISP, Delta V, combustível sólido vs líquido, etc…

  8. Que seja mais uma bela aventura pelo cosmo….
    Poderia trazer uma molécula de DNA com 3 hélices só para abalar o mundo. Rs

  9. Missão importante.
    Além de conseguirem a amostra, não podem aproveitar e darem um “pequeno” empurrão que até o fim do século 22 as chances de colidir na Terra, diminuam ainda mais?

    1. Sem saber, eles podem até ocasionar uma colisão que não ia acontecer se mexerem demais. 😛

  10. Eu fico pensando: como é que com uma tecnologia tão avançada que nós temos, e até agora não conseguimos captar um etêzinho sequer?
    será se estamos sozinhos no universo mesmo? Começo a achar que sim.

    1. Acho que estamos bem…
      Eles também ainda não conseguiram pegar nenhum humaninho !
      0 x 0 é um bom resultado !

    2. A tecnologia humana ainda está engatinhando em todas as áreas, não se iluda com notícias, imagens e “gadgets”. Captar uma transmissão de muito longe e entende-la não é nada fácil, são muitas estrelas para investigar e várias possibilidades de sinais e linguagens. E se pelos padrões de possíveis civilizações extraterrestres nenhuma civilização poderia ter surgido em volta de uma estrela como o Sol e eles nem desconfiam que há alguma coisa aqui? O nosso Sol não é uma estrela tão grande quando pensamos e basta se afastar algumas centenas de anos-luz que ele não é mais visto com facilidade no meio de milhares de estrelas. E se alguém até captou alguma coisa mas por algum motivo não quer, não pode ou foi impedido de contar ao mundo?

    3. Vamos imaginar que nós pudéssemos voltar no tempo na época das cavernas. O que ensinaríamos aos nossos ogros passados? Como nos comunicaríamos com eles? Haveria alguma chance de passar alguma coisa de nossa tecnologia atual para eles? Com certeza NÃO!
      Então… Com uma civilização capaz de viajar pelas galáxias, sóis, sistemas planetários… seria mais ou menos a mesma coisa. A tecnologia deles é tão superior e tão misteriosa para nós seres humanos que não dá nem prá se comunicar, imagina querer nos ensinar algo. É impensável.
      Melhor assim: Cada macaco no seu galho. rsrsrs

    4. José, bilhões de galaxias, com seus bilhões de planetas, muitos bem parecidos com o nosso, não é possível que estejamos sozinho nisso tudo. Uma pena estarem tão longe :/

Comments are closed.