Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Após consulta popular, asteroide descoberto por brasileiros será o Mula-sem-cabeça

Por Salvador Nogueira

E o primeiro asteroide próximo à Terra a ser batizado no Brasil será chamado de… Mula-sem-cabeça.

O astro foi descoberto em 2014 pelo grupo do Observatório SONEAR, em Oliveira (MG), e tornou-se o primeiro a receber uma numeração oficial da União Astronômica Internacional. Com isso, estava apto a ganhar um nome.

Órbita do asteroide Mula-sem-cabeça, descoberto por brasileiros em 2014 (Crédito: MPC/IAU)
Órbita do asteroide Mula-sem-cabeça, descoberto por brasileiros em 2014 (Crédito: MPC/IAU)

Normalmente, cabe aos descobridores indicar seu nome preferencial, seguindo as regras gerais da UAI. No caso de asteroides próximos à Terra, os nomes precisam ser inspirados na mitologia.

O pessoal do SONEAR, contudo, resolveu promover uma consulta popular, em parceria com o UOL. Eles submeteram três nomes do folclore brasileiro para que o público decidisse o vencedor. E aí deu Mula-sem-cabeça na cabeça.

A misteriosa criatura levou 47,4% dos votos. O Curupira ficou em segundo lugar com 37%, e o Saci terminou na lanterna, com 15,6%.

“Gostaríamos de agradecer a todos que participaram, somando quase 15 mil votos”, disse Cristovão Jacques, astrônomo do SONEAR, ao comunicar o resultado na página do observatório no Facebook.

Confesso que não era o meu favorito, mas, não há de ser nada. O pessoal de Oliveira ainda tem muitos asteroides a batizar nos próximos anos e anunciaram que manterão a ideia de privilegiar a cultura nacional na submissão dos nomes. “Tal política irá continuar para batizarmos os próximos asteroides descobertos pelo nosso observatório e que ainda não foram numerados oficialmente pela UAI.”

Quando ao Mula-sem-cabeça, agora será submetido à organização internacional para aprovação final. Com uma pequena ressalva: a grafia terá de dispensar o cedilha, ficando Mula-sem-cabeca.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Blogs da Folha