Descobriram uma federação galáctica alienígena?

Salvador Nogueira

Por mais absurdo que soe, não há como dizer isto de outro modo: dois astrônomos no Canadá acreditam ter encontrado evidências de nada menos que 234 civilizações alienígenas na Via Láctea. Seus sinais, produzidos com pulsos de laser apontados na direção da Terra, estariam todos obedecendo a um mesmo padrão arbitrário, espertamente misturados à assinatura de luz de suas estrelas-mãe para facilitar sua descoberta.

Uau.

Calma.

Respira.

Isso é o que eles acham que é. Provavelmente não é. Mas como evitar o assunto? Se, quando um grupo de pesquisa anuncia ter detectado um único sinal que pode ter sido enviado por uma única civilização alienígena, o mundo já é tomado por um frenesi descontrolado, imagine quando estamos falando de 234 detecções simultâneas, possivelmente uma vasta comunidade galáctica lá fora?

Nessas horas, o Mensageiro Sideral se sente um pouco como o tenente Frank Drebin, na cinessérie “Corra Que a Polícia Vem Aí”, tentando dizer que não há nada demais para ver.

frankdrebin

Certo, agora aperte os cintos. Vamos entender essa história, tintim por tintim. Ela começa em 2012, quando o astrônomo italiano Ermanno Borra, da Universidade Laval, em Quebéc, no Canadá, se deu conta de que seria possível usar dois pulsos de laser separados por algo como um décimo de nanossegundo para gerar um sinal que indicasse nossa presença a quem estivesse por acaso estudando o espectro (a “assinatura de luz”) do nosso Sol. Isso contanto que tivéssemos disparado nossos pulsos de laser na direção deles.

Pode parecer insano esse negócio de disparar dois pulsos de laser separados por 0,1 nanossegundo, mas, de acordo com os cálculos de Borra, publicados no “Astronomical Journal” na ocasião, poderíamos perfeitamente gerar um sinal desse tipo com tecnologia atual que seria detectável a até 1.000 anos-luz de distância. Presume-se, claro, que alienígenas possam fazer ainda melhor.

Inevitável que, ato contínuo, ele se perguntasse: será que alguém está usando esse método para tentar sinalizar sua existência e se comunicar conosco? Borra então se emparceirou com o colega Eric Trottier para analisar os 2,5 milhões de espectros — um para cada astro — colhidos por uma das maiores varreduras astronômicas do céu, o Sloan Digital Sky Survey (cujo telescópio é o da imagem que ilustra a abertura desse texto).

Para isso, eles aplicaram um método conhecido como análise de Fourier para tentar extrair o tal sinal do ruído. Para sua surpresa, encontraram, em meio a essa vasta amostra de estrelas, uma pequena fração delas — 234 — que parecia ter em seu espectro exatamente o que eles haviam predito caso existisse alguém lá fora tentando se comunicar.

Hmm. Interessante. Mas calma. Fica ainda mais interessante.

TIPOS ESTELARES VELHOS CONHECIDOS
A imensa maioria dos sinais encontrados está concentrada entre as estrelas de tipo K, G e F. Há apenas uma estrela do tipo A com um sinal, e nenhuma do tipo M.

Traduzindo a sopa de letrinhas: os astrônomos classificam estrelas de acordo com a temperatura superficial, que por sua vez tem uma correlação com o tamanho. Da menor para a maior, temos M, K, G, F, A, B e O. As M são as anãs vermelhas, como a badalada Proxima Centauri, que são bem menores que o Sol e têm suas zonas habitáveis muito próximas de si. No outro extremo, as estrelas B e O são as anãs azuis, que de anãs não têm nada, exceto o nome. Muito maiores que o Sol, elas são velozes e furiosas — vivem apenas algumas dezenas de milhões de anos, na melhor das hipóteses.

Entre os dois extremos, temos as estrelas K, G, F e A. São elas as moderadas — vivem um longo tempo, pelo menos uns 400 milhões de anos e, na média, uns 10 bilhões de anos. São o lugar ideal para o eventual surgimento da vida complexa, até onde sabemos. O Sol, por exemplo, é uma estrela de tipo G.

A classificação espectral dos tipos estelares segue o tamanho e a temperatura. O sol é de tipo G. Quanto menor, mais comum a estrela no Universo. (Crédito: Creative Commons)
A classificação espectral dos tipos estelares segue o tamanho e a temperatura. O sol é de tipo G. Quanto menor, mais comum a estrela no Universo. (Crédito: Creative Commons)

Se a detecção fosse um artefato estatístico, dizem Borra e Trottier, não haveria razão para que os sinais se concentrassem em torno desses tipos estelares. Aliás, por conta da relação sinal-ruído, a tendência maior a um falso positivo estaria nas estrelas maiores e mais brilhantes — onde nenhum sinal foi detectado.

Hmmm. Calma. Não surte ainda.

Os pesquisadores estão convencidos de que a hipótese de que esses sejam sinais inteligentes é a mais provável. Eles fazem um esforço danado em seu novo artigo, que acaba de ser publicado no “Publications of the Astronomical Society of the Pacific”, para demonstrar que as detecções não podem ter sido causadas por efeitos instrumentais ou artefatos de análise de dados. Na opinião deles, ou essas estrelas têm alguma peculiaridade química completamente inesperada e desconhecida que explique esse fenômeno, ou só podem ser os ETs.

“Nós descobrimos que os sinais detectados têm exatamente a forma de um sinal de uma IET [inteligência extraterrestre] predita numa publicação anterior e estão, portanto, em acordo com essa hipótese. O fato de que eles são encontrados apenas numa pequena fração de estrelas numa estreita faixa espectral centrada perto do tipo espectral do Sol também está em acordo com a hipótese da IET”, dizem os pesquisadores em seu artigo. Mas, quando você acha que eles vão cravar a maior descoberta da história da humanidade e abrir um Chandon, eles moderam o tom: “Entretanto, nesse estágio, essa hipótese precisa ser confirmada por mais trabalhos. Embora improvável, também existe uma possibilidade de que os sinais estejam atrelados a composições químicas altamente peculiares numa fração pequena de estrelas do halo galáctico.”

A BUSCA PELA CONFIRMAÇÃO
Como você já deve ter reparado, há muitas estrelas lá fora. Muitas mesmo. Só na nossa Via Láctea, pelo menos uns 100 bilhões (e provavelmente mais). Não é fácil procurar inteligência extraterrestre em cada uma delas, olhando uma por uma. Portanto, qualquer estratégia que permita criar subconjuntos de estrelas mais promissoras para uma busca mais detalhada parece uma boa pedida.

No atual momento, o que o trabalho fez de melhor foi separar 234 estrelas que merecem essa olhada mais atenta. E é isso que vai fazer agorinha mesmo o projeto Breakthrough Listen — a maior iniciativa global de SETI (sigla inglesa para busca por inteligência extraterrestre), financiada pelo magnata russo Yuri Milner. Mas eles não estão esperando grande coisa.

“Picos em análises de Fourier de espectros estelares, como esses discutidos por Borra e Trottier, podem ser causados pela óptica instrumental ou introduzidos durante a redução de dados”, disse o pessoal do Listen, em nota divulgada à imprensa. “Artefatos nos dados, franjas e inconsistências na manufatura dos detectores são conhecidos dos usuários de espectrógrafos de alta resolução por causar padrões diminutos que aparecem nos espectros resultantes. O movimento do telescópio, variações nas condições de observação e o processo de calibração de comprimento de onda podem facilmente introduzir sinais indesejados em níveis que são apenas precariamente detectáveis. É, portanto, importante checar o suposto sinal usando um telescópio e instrumento diferente.”

O Breakthrough Listen no momento usa diversos radiotelescópios de grande porte em busca de sinais “clássicos”, de rádio, mas também tem um telescópio dedicado à busca de sinais ópticos, de laser, como os que supostamente Borra e Trottier encontraram. Trata-se do Automated Planet Finder, de 2,4 metros. “As capacidades do espectrógrafo do APF são bem equivalentes às da detecção original, e essas observações de seguimento independentes nos permitirão verificar ou refutar as detecções reportadas”, disse a nota.

Cúpula do Automated Planet Finder, do Observatório Lick, na Califórnia. (Crédito: Oleg Alexandrov/Creative Commons)
Cúpula do Automated Planet Finder, do Observatório Lick, na Califórnia. (Crédito: Oleg Alexandrov/Creative Commons)

Por ora, a atitude científica mais adequada — e a adotada pelo megaprojeto de SETI — é a do Frank Drebin lá em cima. Na escala Rio de detecção de inteligência extraterrestre, que vai de 0 a 10, os resultados de Borra e Trottier ganharam uma classificação entre 0 e 1, que é traduzida como “nada” ou “insignificante”. “Se o sinal for confirmado por outro telescópio independente, sua significância subiria, embora uma análise exaustiva de outras possíveis explicações, incluindo fenômenos instrumentais, seja necessária antes que isso apoie a hipótese de que pulsos artificialmente gerados são responsáveis pelo suposto sinal.”

É a velha frase de Carl Sagan, citada novamente pelo pessoal do Breakthrough Listen: “Afirmações extraordinárias exigem evidências extraordinárias.”

IMPLICAÇÕES
Provavelmente, a suposta detecção acabará tendo uma causa bem mais trivial. Na história da ciência, estamos cansados de encontrar fenômenos de início sem explicação — e, quando finalmente descobrimos do que se trata, nunca, até hoje, a resposta foi:

meme-aliens

Bom lembrete disso é a descoberta dos pulsares — cuja regularidade de início foi cogitada como um possível sinal de inteligência extraterrestre, mas depois se revelou apenas um fenômeno natural.

É como disse o astrofísico Neil deGrasse-Tyson, em entrevista recente ao Mensageiro Sideral: “Bem, vamos olhar para a história das coisas que não entendíamos no passado. A explicação acabou sendo Deus, ou alienígenas ou energia espiritual, ou o que quer que seja? Não! Então, a história desse exercício é uma em que a explicação mais extraordinária para responder pelo que não sabemos tende a ser a menos provável. É divertido especular. Talvez sejam alienígenas. Mas, se eu fosse um apostador, não seria aí que eu colocaria meu dinheiro. Eu colocaria meu dinheiro em algum fenômeno cósmico que ainda temos que descobrir, que logo será revelado como uma nova coisa que acontece no Universo.”

Tendo dito tudo isso, caso Borra e Trottier contrariem essas expectativas e se mostrem corretos, as implicações são extraordinárias. E, aí, não custa nada deixar a imaginação voar para delineá-las.

A primeira e mais óbvia é que as duplas de pulsos que supostamente estariam gerando os vários sinais têm todas exatamente o mesmo intervalo entre elas: 1,64 x 10-12 s. E essa é uma escolha — se foi mesmo uma escolha — completamente arbitrária. Ou seja, se forem todas civilizações diferentes, elas precisam estar todas cientes umas das outras para optar por enviar a mesmíssima assinatura na nossa direção. Isso, por si só, já soa absurdamente improvável (e parece refutar a ideia de origem inteligente). Mas, se for esse o caso, implicaria que elas estão em contato entre si por muitos milhares, possivelmente milhões, de anos.

A segunda implicação é que, se esses sinais forem mesmo de ETs, deve haver muitas, muitas, muitas civilizações na Via Láctea. Um número tão enorme que faria Carl Sagan soar como um pessimista ranzinza.

Senão vejamos: foram 234 detecções dentre 2,5 milhões de estrelas. Dito desse modo, não parece muito. Mas, se levarmos em conta que essas 234 representam aproximadamente 1% de todas as estrelas dos tipos K-G-F na amostra, vamos inevitavelmente chegar à conclusão de que a evolução da vida para a inteligência deve ser extremamente comum.

Sabemos, por estatísticas confiáveis geradas pelo satélite Kepler, que um em cada cinco astros do tipo K-G-F tem um planeta potencialmente similar à Terra, em termos de dimensões, massa e distância da estrela. Juntando isso com a suposta detecção de Borra e Trottier, temos que a chance de um planeta como a Terra em torno de uma estrela como o Sol dar origem a uma civilização inteligente é de apenas 1 em 20!

(Não me chame de bidu, mas foi exatamente essa a minha estimativa para o item fi, fração de planetas com vida que evolui para inteligência, em minha “solução” da equação de Drake: para mim, fi = 0,05, ou 1 em 20.)

É planeta candidato a abrigar uma civilização que não acaba mais. (Crédito: PHL/UPR)
É planeta candidato a abrigar uma civilização que não acaba mais. (Crédito: PHL/UPR)

O que é mais assustador nem é isso, mas o fato de que o resultado da dupla do Canadá, se for realmente fruto de inteligência extraterrestre, exige que as civilizações tenham um tempo médio de vida incrivelmente longo — afinal, essas aí estariam todas transmitindo ao mesmo tempo! (Foi aí que a minha solução da equação de Drake pegou a rota pessimista, ao estimar, de forma assumidamente conservadora, um tempo de vida médio de uma civilização comunicativa em apenas 200 anos. Se você supuser um tempo de vida de muitos milhões de anos, pode facilmente chegar ao que Borra e Trottier acreditam estar vendo.)

Moral da história: se esses 234 sinais forem mesmo fruto de alienígenas, acaba que deve ter muita gente lá fora. Estimando grosseiramente que estrelas dos tipos K-G-F respondam por 20% do total da galáxia, e que a Via Láctea tenha 100 bilhões de estrelas, usando a amostragem de Borra e Trottier como referência, teríamos por aí uns 200 milhões de civilizações espalhadas pela galáxia. Para ter uma ideia do que isso significa, imagine o que seria produzir 10 milhões de temporadas de “Star Trek” sem repetir os alienígenas da semana uma única vez.

ONDE ESTÁ TODO MUNDO?
Vamos combinar que esses números não caem muito bem com a frase clássica que inspirou o famoso paradoxo de Fermi. “Onde está todo mundo?” Foi o que o brilhante físico Enrico Fermi se perguntou na década de 1950, e nunca é tarde demais para nos perguntarmos novamente. Se houvesse tantas civilizações assim, saindo pelo ladrão, a essa altura já não devíamos ter obtido algum sinal incontroverso de sua existência? Já não as teríamos reparado?

Bem, talvez estejamos reparando agora. Ou, o que é bem mais provável, talvez tenha algum caroço nesse angu todo. Essa seria a minha aposta.

De toda forma, pensar nessas possibilidades é um exercício interessante. E é assim que se faz ciência: formular hipóteses, testar predições, observar os resultados, e então chegar a hipóteses mais refinadas, que exigirão mais testes de suas predições, e por aí vai. O lance é não ter preconceito com ideia alguma, mas deixar os resultados falarem por si mesmos. A natureza, no fim das contas, é quem manda. Nós só jogamos as ideias para o alto, acompanhadas por formas de testá-las.

Se por ventura houver algo de concreto nesse estudo, agora que os olhos da comunidade SETI estão sobre ele, logo teremos chance de descobrir. Até porque, se é possível colher 234 civilizações numa única baciada, é sinal de que elas não estavam exatamente escondidas — o problema éramos nós, que até então não sabíamos como achá-las.

A PALAVRA DO PESQUISADOR
Para terminar essa longa história, segue um rápido bate-papo com o astrônomo italiano Ermanno Borra, que graciosamente encontrou tempo para me responder em meio à tempestade de e-mails que está acontecendo na caixa postal dele agora.

Ermanno Borra (Crédito: Universidade Laval)
Ermanno Borra (Crédito: Universidade Laval)

Mensageiro Sideral – Achei curioso que, no estudo, primeiro você defenda a necessidade de estabelecer uma taxa de sinal-ruído alta o suficiente para que você não obtivesse muitas falsas detecções, e então você adiante diga que é muito improvável que esses sinais sejam detecções falsas geradas por ruído aleatório, problemas instrumentais ou processamento estatístico. Isso não é um pouco contraditório? Se o sinal é tão certamente verdadeiro, por que se preocupar tanto sobre falsas detecções em primeiro lugar?

Ermanno Borra – Embora não houvesse chance [de falsa detecção] por ruído aleatório, poderia ser por fontes artificiais como análise de dados ou questões instrumentais. Por isso tínhamos que olhar isso também. Concluímos que os sinais não podem ter sido gerados por fontes artificiais como análise de dados ou questões instrumentais.

Mensageiro Sideral – O que acho muito interessante no conceito de vocês é o fato de que uma IET estaria escolhendo um meio de se fazer conhecida que seria facilmente detectável uma vez que se soubesse o que procurar. O fato de que vocês puderam usar uma varredura de 2,5 milhões de estrelas [feita para outros fins] é muito revelador nesse sentido. Mas, tendo dito, isso o que seria preciso para converter essa aposta em fato? Como podemos dizer com certeza de que se trata isso?

Borra – Mais trabalho precisa ser feito. Alguém terá de observar essas estrelas com instrumentação especializada para confirmar que elas são causadas por pulsos de luz.

Mensageiro Sideral – Outra coisa que se destaca é que, aparentemente, se isso for IET, eles devem estar em contato uns com os outros, de forma que eles possam usar o mesmo intervalo na separação entre os pulsos. Pode ser que tenhamos tropeçado no sinal de chamada comum usado por uma comunidade galáctica? Se esse é o caso, deveríamos nos juntar a ela?

Borra – Boa pergunta. A resposta é: provavelmente, mas a humanidade terá de discutir isso e tomar uma decisão.

Mensageiro Sideral – Quando combinamos seus resultados (cerca de 1% de todas as estrelas K-G-F têm esse tipo de sinal) com a equação de Drake, as coisas parecem muito, muito otimistas para o surgimento da vida inteligente. Um cálculo de verso de envelope sugere a existência de 200 milhões de civilizações na Via Láctea. Nem Carl Sagan seria tão otimista! Isso, por si só, não aponta a necessidade de uma explicação alternativa, que não seja IET?

Borra – Boa pergunta. Resposta: eu não sei. É também possível que exista um número muito pequeno de IETs e a razão pela qual seja 1% em nosso caso seja que observamos um número limitado de estrelas. Talvez se observássemos mais estrelas teríamos detectado o mesmo número em uma amostra maior e teríamos uma porcentagem menor.

Mensageiro Sideral – Seus resultados apontam uma concentração de sinais em estrelas de tipo solar, mas o que podemos dizer de sua distribuição na galáxia? Há algum padrão? Uma vez que o intervalo certo para os pulsos precisa ser aprendido, seria natural esperar que essas estrelas estivessem de algum modo agrupadas na Via Láctea, se fosse IET…

Borra – As estrelas não estão numa localização particular. Elas estão espalhadas por toda parte.

Mensageiro Sideral – Qual foi a reação da comunidade de SETI até agora ao seu artigo?

Borra – Nenhuma reação em particular ainda.

Mensageiro Sideral – Por que a escolha do “Publications of the Astronomica Society of the Pacific” para a publicação?

Borra – É um dos mais populares periódicos astronômicos.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Hehhee Salvador, esse post nunca pareceu tão atual como agora com a volta de star trek! Será esse sinal de luz uma saudação “vida longa e próspera” ou um “viemos em paz”?! Rsrs legal se você abordar esse tema lá no canal de star trek

  2. Olá Salvador, tudo bem ?

    Sou fã dos seus posts. Parabéns pela maneira clara, muitas vezes divertida, e objetiva com que você os escreve!

    Resgatei esse seu post bem antiguinho para comentar o seguinte: a busca bem sucedida por vida extraterrestre pode estar mais próxima do que imaginamos. Diria até que com certeza isso vai acontecer daqui a algumas dezenas de anos.

    E não, não se trata de formas de vida elementares (bactérias e outros microorganismos) nem de seres verdes com anteninhas como vemos nos filmes (antigos) de sci-fi …

    Cenário: estamos em plena era da colonização espacial. Vou aqui desconsiderar a já possivelmente existente vida em estações espaciais para não tirar a graça do enredo, ok ? O homem já domina toda a ciência & etc. para aventurar-se a morar fora do seu planeta natal. Vamos supor que Marte (podia ser a Lua, mas parece existir uma eterna fixação por Marte), seja o primeiro planeta colonizado por terráqueos.

    E eis que os terráqueos que lá moram dão sequência à atividade mais primordial do ser humano: reproduzirem-se. Nasce então o primeiro e legítimo ser marciano, de carteirinha (rsrsrsrs), ainda que seja um humanóide (ou perto disso, pois sabemos lá que modificações o ambiente marciano pode causar fenotipicamente e genotipicamente falando).

    E eis que este primeiro marciano resolve dar um passeio até a Terra. Ver o planeta de origem dos seus ancestrais.

    Pronto !!! Temos então o tão sonhado, almejado, batalhado contato imediato de sei-lá-que-grau com um um ser extraterrestre !!! Afinal, é um ser nascido em Marte. Portanto, no exato sentido da palavra, uma forma de vida extraterrestre …

    É claro, agora falando com a devida seriedade, que não é este o tipo de contato com vida extraterrestre que a Humanidade sonha. A busca é como o seu post bem relata.

    Mas dando continuidade à minha “brincadeira”, pense no que terá que surgir (entre outras tantas coisas) em termos de leis e políticas imigratórias, de conceito de cidadania e etc. Afinal, quando viajamos aqui no nosso planeta Terra de um país para o outro, somos tratados do ponto de vista de leis de imigração como sendo cidadãos de um país ‘X’. Mas e nesse futuro não muito distante? Ao invés de cidadania estaremos falando de “planetania” ? (palavra mais horrorosa que inventei …). Imagino que já tenha gente se dedicando a isso, muito provavelmente um americano … rsrsrsrs

    Era isso. Fique à vontade para responder, se quiser e puder.

    Abraços!!!

    1. Peri, sua ideia é bem real, e discuto isso, não só no meu “Rumo ao Infinito”, como também mais recente no Canal Livre que gravei com o Marcelo Gleiser na Band. Talvez nós nos tornemos no futuro os extraterrestres. E talvez, projetando isso num tempo longo, nos tornemos até mesmo fisiologicamente extraterrestres, moldados pela seleção natural em outros mundos… 😉

  3. Caso seja IET, a similaridade no sinal poderia indicar que trata-se da mesma civilização que se espalhou, mas se estão por toda parte, isso inviabilizaria essa teoria, não é?

    Mesmo para seres avançados, comunicar seria bem mais fácil que viajar, correto, Salvador?

  4. Caro Salvador, adoro seu blog e sempre passo por aqui pra me manter informado. Em sua opinião acha possível que nos próximos 50 anos teremos condições de confirmar a existência de vida inteligente em outros sistemas? Queria muito estar vivo pra ver isso…. Abraços e obrigado!

  5. O perigo é que deve ser tentador concluir pela vida extraterrestre. Quando o cientista começou a verificar o sinal que tinha sido previsto anteriormente, o coração dele deve ter começado a pular.

    De qualquer maneira, é uma notícia muito interessante que vou querer acompanhar de perto. Quanto à aposta, meu palpite é que o Salvador e o DeGrasse-Tyson estão apostando bem.

  6. Salvador, imagine que você desenvolveu um laser infravermelho que, por alguma razão tecnológica, funciona melhor na frequência correspondente a 49,395 micrômetros. Você vai utilizar esse laser para enviar pares de pulsos a estrelas distantes. De modo a não deixar dúvidas quanto à natureza inteligente da transmissão, você pode estabelecer um intervalo entre os pulsos correspondente ao tempo que a luz leva para percorrer o comprimento de onda utilizado, ou seja, (49,395E-6m) / (300E6m/s) = 1,6465E-13s. Será que não pode ser essa a peça que está faltando para completar o quebra-cabeças?

  7. A questão não é se existe vida inteligente fora da Terra, mas quando iremos descobri-la
    . Com a quantidade de estrelas na Via Láctea; é muita pretensão achar que seríamos os únicos a sermos capazes de desenvolver umá civilização. Quanto a questão porque ainda não entramos em contato ainda existem dois fatores. A primeira é que devem existir inúmeras civilizações que estão tecnológicamente mais atrasadas que a nossa a segunda e que ainda não temos a capacidade técnica para detectar este fluxo de informações das demais. Mas o principal ponto é : somos incapazes de aceitar as diferenças entre os seres de nossa própria espécie; como reagirmos ao contato com civilizações completamente diferentes tanto biologicamente quanto culturais?

    1. Eu acredito que ainda vamos levar mais alguns séculos até termos tecnologia para viajarmos na velocidade da luz, mas não devemos nos esquecer do paradoxo de Fermi, onde sugere que talvez nunca encontraremos vida inteligente fora da terra porque estas já teriam se extinguido antes de evoluir até esse ponto, o que pode ocorrer com nós mesmos, ou seja antes de conseguirmos tecnologia para tal intento já teríamos nos destruído.

  8. Olá!!! Você quer ser um membro do grande illuminati e começar a receber 50.000.000,00USD mensalmente e ser popular entre outros e ter riquezas e fama, esta é a única chance de ser do illuminati .. Eu fui enviado pelo chefe freemason alta Para trazer 52 membros para o illuminati, eu tenho 32, por isso estamos à procura de 20,, então tente e estar entre as pessoas twentyenty para ser rico e famoso, WhatsApp nós não; +2348119239306 ou Envie-nos um e-mail; Illuminatiword0666@gmail.com Para que possamos iniciar o processo de adesão !!!

  9. Amigo, ler seus posts nos transporta para o sonho que mais cedo ou mais tarde será real de confirmação de vida extraterrestre.
    Gostei demais de seu livro “Extraterrestres”. Achei a leitura bem agradável, aprendi inúmeros fatos que desconhecia, concordo com a maioria de suas opiniões a respeito da possibilidade de vida extraterrestre.
    Impossível não recordar do magnífico “Contato”, onde o Robert Zemeckis trouxe para as telas a obra inesquecível do mestre Carl Sagan.
    Nesse mesmo tema vem coisa boa por aí. Do canadense Dennis Villeneuve vem “A Chegada” (Allied), onde pelo trailer a tarefa de contato será feita por uma tradutora, que dentre outras coisas coloca em dúvida a capacidade dos visitantes em diferenciar instrumentos de armas.
    Fato é que, na minha humilde opinião, viveremos para ter a resposta mais aguardada pela humanidade no século XXI.
    Ainda na minha humilde ignorância, com o avanço espetacular e ininterrupto da tecnologia encurtando cada vez mais prazos de descobertas e inovações, com as equipes de cientistas e mini-gênios conectadas a todo tempo, com as coisas de ficção se tornando realidade em velocidade difícil de se acompanhar, soma-se a tudo isso a impossibilidade de manutenção de segredos até então facilmente ocultados, surge o cenário propício para a situação que vejo próxima: a comprovação ao vivo e à cores da vida extraterrestre.
    É esperar para ver. E ver para crer.
    Grande abraço,

  10. Continuo achando que se trata de 234 anos luz, pois a 4 / 5 anos já temos possibilidades de vida, imagina a mais de 200 anos, temos milhares de possibilidades com certeza.

  11. Conhecer com profundidade os segredos do Universo e da vida nele é fundamental para podermos definir o que é o que significa ou o que deverá ser a tal “SUSTENTABILIDADE” que tanto se fala mas cada um interpreta segundo seu próprios interesses.
    Vejam até hoje ainda não sabemos se a gordura ou o açúcar são nossos vilões do colesterol e do triglicérides.
    Não sabemos se a lua esta se afastando da terra ou aproximando.
    Se a lua de marte vai cair sobre ele ou não.
    Se o tal do nono; decimo . . . planeta existe ou não.
    Se o clima da terra depende do homem e das suas atividades ou se é influenciado pelo universo.
    Se existe vida além da terra ou não. etc etc.

    E estas duvidas tem impacto fundamental na definição dos rumos que a humanidade deve seguir para não se auto destruir e sim buscar alternativas de continuidade.

    Por isso a humanidade deveria concentrar seus esforços acima de tudo, para aprofundar os conhecimentos científicos universais podendo assim melhor entender o universo e a vida nele, definir melhor os conceitos relacionados a tal da vida e sua sustentabilidade.

    Muito me entristece quando perdemos tempo recursos com cultura / conhecimentos inúteis e em beneficio de grupos, setores ou países que querem se firmar como lideres, mas que podem estar na verdade contribuindo com o atraso do nosso real desenvolvimento em direção certa da nossa sustentabilidade aqui na terra e em outros planetas ou luas.

  12. caramba!!!!! fico uns dias sem internet (estava mudando de casa, e não conseguia acessar direito o mensageiro sideral do meu trampo) e quando volto me chegam com esta cacetada, de 234 possíveis sinais alienígenas??? calma gente, estou ficando velho!!! meu coração não aguenta mais essa emoção toda!!! 😀 me contem os detalhes aos poucos, pra eu conseguir absorver, ok?? 🙂

  13. Vixe, tomara que eles estejam certos! Não está na hora da gente começar a enviar esse sinal, também, ininterruptamente? 🙂

    1. Hmm, sei não. Lembra o que o Hawking diz sobre tentar ativamente comunicação? Teremos de discutir isso antes. 😛

    2. concordo. acho que para o nosso nível atual de desenvolvimento, nossa capacidade (praticamente nula) de defesa contra possíveis visitantes hostis, o mais inteligente é tentarmos não aparecer, se é que isto é possível (já estamos emitindo sinais eletromagnéticos coerentes a algumas décadas, denunciando nossa localização!!)

  14. Olá Salvador, valeu a foto do Giorgio 😀 sou teu fã mas também sou fã do Giorgio. Quando eu li o “Eram os deuses astronautas” lá pelo meio dos anos 70 realmente fiquei espantado e fascinado com o livro, que é cheio de argumentos excelentes. Quando vi que hoje em dia existia um programa de tv sobre o assunto fiquei curioso, mas depois de alguns programas, agora só assisto pra ver o cabelo do Giorgio e dar umas risadas. Uma hora o Pé Grande é assistente dos ets, outra hora ele é o verdadeiro nativo do planeta e os humanos são a colônia dos ets… p%rr@ decidam-se kkkkkk

  15. Salvador, adoro o Mensageiro Sideral, seu comentários sobre a ciência astronômica me deixa muito satisfeito. Me diverti como os comentário dos céticos. Mas vamos ao que me parece o melhor da Matéria…
    Se os sinais fossem realmente de uma civilização inteligente e avançada, como poderíamos entender o que eles querem comunicar? Sabendo que nós mal conseguimos uma comunicação eficiente com outros seres vivos aqui na nossa “casa” mesmo.
    Imaginando que a vida se formou completamente independente dos nossos padrões, que nos garante conseguir entender esta ” comunicação”? Aguardo seus comentários

    Claudio P

    1. Garantia nenhuma. Pode bem ser que não entendamos. Temos de torcer para que eles queiram ser entendidos e tenham enviado uma mensagem fácil de decodificar. Alguns experimentos já foram feitos na Terra em que cientistas tentam gerar “mensagens para ETs” e deixam outros cientistas decifrarem, e deu certo. Mas, claro, pode haver grandes diferenças entre a ciência alienígena e a terrestre que impossibilitem uma decifração mesmo de uma mensagem projetada para ser entendida. No mínimo, se for um sinal inteligente, outras 233 civilizações entenderam o suficiente para reconhecer sua artificialidade e repeti-lo… o que já é uma mensagem simples: “Estamos aqui!”

  16. De fato, o recorde de comentários, 3.458, é do artigo de que o “Homem foi à Lua” do Salvador Nogueira, enquanto sites de que o Homem Não Foi eram apenas de um ou dois comentários, por ser o mais normal!!! Mas com 5 “irrefutáveis e extraordinárias provas” que requeria o evento “extra ordinário”, apresentadas nesse artigo, pela Ciência Oficial de Marcelo Gleiser e Salvador Nogueira, finalmente seria revelada a verdade!!! Todavia, o maior guindaste do mundo em 1968 estava na base simulada da Lua com a NASA e filmada por Kubrick ( Diretor de 2001 Odisséia no Espaço) que levantava e descia a nave lunar. Em todos os testes com essa nave lunar (a “Águia”) os astronautas tiveram de ser injetados, pois as descidas foram todas catastróficas! E os acidentes que mataram muitos astronautas até antes de entrar em órbita da Terra mostrava a insuficiente tecnologia. Recentemente, uma das amostras de rocha da Lua entregue ao Governo da Escócia revelaram que era formada por árvores petrificadas! A NASA informou que houve uma mistura de amostras “por acaso”!!! Nas imagens transmitidas “da Lua pela Apollo” e fotos como pelos astronautas não havia um único grão de poeira nos suportes (pé de apoio) da Águia! Em todos os testes em Terra a Águia ficava toda coberta de pó quando pousava! No filme recente, Interestelar, o Diretor Christopher Nolan teve a grande ousadia de mostrar que sabia muito bem de uma grande Farsa da NASA! Como ele é do ramo, devia ter sabido das filmagens do Stanley Kubrick da nave Apollo “tripulada” da Lua. Pois, logo no início do filme quando o ator entrava na primeira reunião secreta com a NASA, um dos principais integrantes da NASA dizia: ” Nós nunca pisamos na Lua, era propaganda anti-soviética”. Todos os astronautas viveram décadas depois que foram à Lua, tomando doses maciças de radioatividade!!! Para evitar a radiação é necessário uma espessura de vários centímetros o que o foguete, módulo e a “Águia” não tinham, e se tivessem não subiriam!!! E os astronautas podiam dar entrevistas somente com perguntas pré-formuladas ou artigos com aprovação da NASA, até o final de suas vidas! O homem esteve na Lua? Sim, no Simulado de aterrissagem esteve na Lua!!! Mas, o Salvador Nogueira em um desses comentários do recorde considerava como “burro e ignorante quem achasse o contrário”!!! E o mais espetacular era a foto limpíssima, brilhante como se vê nafoto, sem qualquer pó no pé da “Águia”, logo após o “desembarque”. Agora, mesmo com excelente tecnologia a nave da ESA espatifou-se em Marte justamente no pouso!!! Fantástica a “Águia” que pousou sem uma única partícula de pó no pé de apôio!!! Stanley Kubrick foi realmente um gênio!!!

    1. Eu poderia chama-lo de babaca e imbecil. Eu poderia dizer que você é mesmo muito estúpido.

      Mas prefiro solicitar que nos deixe ficar aqui em nosso mundinho em que acreditamos na ciência e nos feitos do homem.

      Não tente nos evangelizar. Não queremos suas “luzes” aqui.

      Vá para outro canto. Suma, escafeda-se.

      BTW… babaca, imbecil.

      1. Não me surpreende os “elogios” de imbecil, estúpido, e outros que recebi de ignorante, analfabeto, burro, (faltou asno), etc. e também seu convite à expulsão deste site por ser contrário às crenças que seguem dessa ciência oficial. De fato, é assim, afastando e sumindo com os hereges que desafiam os doutores da lei e da ciência!!! Mente aberta, novas idéias, opiniões divergentes, desde que aprovadas pela sua ciência oficial!!! De fato, as luzes dos OVNIs são muito brilhantes e cegam aqueles que não querem ver!!! Evidentemente que podem ser balões, planeta Vênus, raios atmosféricos, aurora boreal, e alucinações principalmente!!! Mas, se são esses os argumentos, como esses “elogios” proferidos por essa ciência, então é um pó de ciência, que não ficou nenhum no pé da “Aguia que pousou na Lua”, pois foi retirado para ser lustrado e ficar bem brilhante, para a foto oficial da”Águia na Lua”!!! A Inquisição dessa sua ciência oficial pode excomungar, condenar ao inferno e à fogueira, mas “Que se Move se Move” e que “Lá não pisaram, não pisaram”!!!

      1. Fernando, realmente ejetado e não injetado é para nota zero mesmo com direito ao burro! Grato por anotar meu erro.

    2. De fato, o recorde de comentários, 3.458, é do artigo de que o “Homem foi à Lua” do Salvador Nogueira, enquanto sites de que o Homem Não Foi eram apenas de um ou dois comentários, por ser o mais normal!!!

      Idiotas sentem vontade de expressar sua idiotice. Por isso a grande quantidade de comentários, a grande maioria deles, estúpido e sem sentido. Tipo esse seu.

      Mas com 5 “irrefutáveis e extraordinárias provas” que requeria o evento “extra ordinário”, apresentadas nesse artigo, pela Ciência Oficial de Marcelo Gleiser e Salvador Nogueira, finalmente seria revelada a verdade!!!

      Não vi você refutar nenhuma das provas apresentadas. Só chololô num post que não tem nada a ver com o assunto. Cadê as refutações?

      Todavia, o maior guindaste do mundo em 1968 estava na base simulada da Lua com a NASA e filmada por Kubrick ( Diretor de 2001 Odisséia no Espaço) que levantava e descia a nave lunar.

      Arrã. Ô.

      Em todos os testes com essa nave lunar (a “Águia”) os astronautas tiveram de ser injetados, pois as descidas foram todas catastróficas!

      “injetados”. Além de burro, é analfabeto.

      E os acidentes que mataram muitos astronautas até antes de entrar em órbita da Terra mostrava a insuficiente tecnologia.

      Cite um acidente que matou astronauta antes de entrar em órbita. Um só.

      Recentemente, uma das amostras de rocha da Lua entregue ao Governo da Escócia revelaram que era formada por árvores petrificadas!

      Sim, e isso prova que TODAS as rochas eram árvores petrificadas, né? Acho melhor você pesquisar a história completa antes de vomitar ignorância, menino! Senão passa vergonha!

      A NASA informou que houve uma mistura de amostras “por acaso”!!!

      Nunca disseram isso, é mentira e invenção de conspiracionista.

      Nas imagens transmitidas “da Lua pela Apollo” e fotos como pelos astronautas não havia um único grão de poeira nos suportes (pé de apoio) da Águia!

      E isso “prova” o que, mesmo?

      Em todos os testes em Terra a Águia ficava toda coberta de pó quando pousava!

      Arrá! Isso só prova que realmente estiveram na Lua. Já que na terra ficavam cobertos de poeira, e na Lua não, só quer dizer que as filmagens do pouso NÃO foram feitas na Terra! TIRO NO PÉ, BANG!

      No filme recente, Interestelar, o Diretor Christopher Nolan teve a grande ousadia de mostrar que sabia muito bem de uma grande Farsa da NASA!

      Conhece SARCASMO? Claramente, não!

      Como ele é do ramo, devia ter sabido das filmagens do Stanley Kubrick da nave Apollo “tripulada” da Lua.

      Claro, afinal todos os diretores fazem parte do clã Illumination Illuminati, e ficam colocando dicas nos filmes pra que os sagazes e inteligentes como você consigam decifrar a verdade. Uma coisa meio “Código Da Vinci”. AHAHAHA

      Pois, logo no início do filme quando o ator entrava na primeira reunião secreta com a NASA, um dos principais integrantes da NASA dizia: ” Nós nunca pisamos na Lua, era propaganda anti-soviética”.

      Outra mentira. Só prova que você NUNCA viu o filme. Esse trecho do filme nunca existiu, se quiser te passo o arquivo de legenda e a transcrição do Script original. De novo inventando coisas pra tentar provar um ponto cheio de furos… shame on you!

      Todos os astronautas viveram décadas depois que foram à Lua, tomando doses maciças de radioatividade!!!

      Você toma dose de radioatividade diariamente e – infelizmente – continua vivo.

      Para evitar a radiação é necessário uma espessura de vários centímetros o que o foguete, módulo e a “Águia” não tinham, e se tivessem não subiriam!!!

      Outra mentira. Você ASSUME que precisava de uma proteção de vários centímetro, baseado na sua ignorância. Falsa premissa. Para de mentir, menino.

      E os astronautas podiam dar entrevistas somente com perguntas pré-formuladas ou artigos com aprovação da NASA, até o final de suas vidas!

      Mentira de novo. Nunca existiu isso.

      O homem esteve na Lua?

      Sim, 12 homens, 6 vezes.

      Sim, no Simulado de aterrissagem esteve na Lua!!!

      Não, no simulado não. Afinal, era só um simulado! Mané.

      Mas, o Salvador Nogueira em um desses comentários do recorde considerava como “burro e ignorante quem achasse o contrário”!!!

      Ele não sei, mas eu continuo considerando. E você acaba de dar mais um exemplo, em um comentário BURRO, IGNORANTE e MENTIROSO.

      E o mais espetacular era a foto limpíssima, brilhante como se vê nafoto, sem qualquer pó no pé da “Águia”, logo após o “desembarque”.

      De novo isso? Essa é sua “evidência” mais contundente? Precisa melhorar – e muito – pra entar chegar na “big league” dos conspiraciotários. Por ora vc continua na junior league. Só faltou citar a falta de estrelas nas fotos! AHAHAH

      Agora, mesmo com excelente tecnologia a nave da ESA espatifou-se em Marte justamente no pouso!!!

      Marte não é a Lua, jumento.

      Fantástica a “Águia” que pousou sem uma única partícula de pó no pé de apôio!!!

      Cri… cri… cri…

      Stanley Kubrick foi realmente um gênio!!!

      Ele foi mesmo, agora você é realmente um analfabeto.

      1. Primeiro: Realmente, ejetado e não injetado mereci o burro e analfabeto, perfeito!!!

        Segundo: No filme Interestelar que assisti, a frase “Nós nunca pisamos na Lua, era propaganda anti-soviética” foi pronunciada logo no início do filme. E também no DVD é emitida essa mesma frase.

        1. Tá ligado que Interestelar é ficção, né? Eu confesso que adorei essa brincadeira que eles fizeram. O começo de Interestelar mostra o que aconteceria ao mundo se sucumbíssemos ao senso comum/idiotice do “como gastar com espaço enquanto há fome no mundo?”. Naquele futuro, a humanidade inteira se tornou agricultora (para acabar com a fome no mundo, hahaha) e os EUA tiveram de propagar a noção falsa de que as viagens à Lua foram uma fraude porque era indecente admitir que todo aquele dinheiro havia mesmo sido gasto no espaço. E a Nasa virou uma agência clandestina, para evitar a fúria do povo! É muito engraçado, uma crítica bacana à babaquice comum… 🙂

          1. Prezado Salvador Nogueira, observar que o agente da NASA se dirigia e informava exclusivamente para o oficial ao qual pedia sua ida para aquela missão, e não divulgada à população em geral. A conversa era “in off” com a equipe da NASA. Uma reunião secreta para contar o que todo mundo já sabia ou saberia??? A brincadeira entenda cada um como quiser, mas pode ser entendida sim como a farsa da aterrissagem pelo homem na Lua, tanto que é explicado a sequência da operação do filme ao oficial. O diretor do filme ao fazer a bricadeira, chamou atenção para a “eventual” farsa, dando uma pisada na NASA!!! Ou seja, parece que as explicações da NASA sobre os astronautas pisarem na Lua não convenceram o diretor do filme!!! Essa brincadeira no filme não teria sentido se a farsa do homem na Lua não existisse, pois a ficção era em outro foco!!!

          2. Você tem a tese de que a Nasa revelou para o Chris Nolan que as viagens à Lua foram uma fraude para que ele fizesse o filme afirmando isso? Ainda acho mais plausível a minha ideia de que é ironia para burrões que não acreditam nas missões… 😛

          3. Salvador Nogueira, se a NASA pediu ao Chris Nolan para ele fazer essa ironia aos burrões, então só restava mesmo esse tipo de argumento de zombaria para defender a farsa dela!!! Todavia, acho que foi o Chris Nolan que fez a ironia, que pode realmente ser a que você acha mais plausível de ironia aos burrões que não “acreditaram” no modo como ocorreu. Nesse caso, mais um a favor do pouso perfeito da `’Aguia” sem qualquer pó de retrofoguetes nos pés da Águia!!!!

          4. Caro, Salvador Nogueira, os artefatos deixados lá na Lua podem ser de sondas, dos Estados Unidos, Rússia, ESA, China, e não necessáriamente de missões lunares! O espelho de laser lá colocado havia sido pela sonda soviética. E tanto faz emitir o laser em cima do espelho ou direto na superfície lunar que ele volta do mesmo modo!!! O Próprio Laboratório Jet Propulsion adjunto da NASA conhece esse caso muito bem, inclusive de contatos que tive deles!!! Não pretendo nenhuma tese sobre essa conversa de ida à Lua, apenas uma simples observação de que é a tese de “que foram” que deveria melhor ser preparada!!!

          5. Salvador, as trlhas do carrinho de equipamentos podem ser também de sondas. Lá na Lua, “eles tiveram de voltar no meio do caminho e nem sabiam a distância que tinham percorrido”, e na foto dessa trilha é que é a distância da trilha foi medida!!! Que beleza de programação para uma missão tão importante!!! É por isso, que tudo é ad hoc para provar que missão sonda é missão tripulada!!! Logo mais vai aparecer uma foto da ESA mostrando a marca de bota dos astronautas. OK, desde que não peguem a bota errada, como a amostra de árvore petrificada ao governo da Escócia como rocha lunar que os astronautas pegaram lá em Roswell!

          6. Salvador, a trilha é de carrinho de equipamentos, ferramentas, conforme o projeto, formando linha contínua, mas que coincide pela resolução da imagem com passadas que ficariam como juntas pela resolução da imagem. Para detectar as marcas de pegadas teria de ser de uma distância mais próxima para obter a devida resolução. Então, tanto faz, se é marca do carrinho conforme o projeto de ida á cratera objetivada ou pegadas, que a trilha formada é igual.

          7. Não, não. Tem trilha de pegadas. Olha as imagens do LRO da Apollo 11, que não tinha carrinho, era só os negos andando. 😉

          8. Salvador, você escreve que a Apollo 11 não tinha carrinho! Tinha sim carrinho, e eram dois: o LRRR, justamente de coletas do solo lunar e o PSE de medição de sismos! Mas,como afirmam que o homem pisou na Lua, chamam a trilha do carrinho como “pegada da bota” do astronauta. Somente que a resolução da LRO não permite ver marcaalguma de bota!!! A trilha detectada pela LRO de uma sonda lunar da Rússia é idêntica às trilhas de todas as Apollos e outras sondas!!!

          9. Refiro-me ao rover. A Apollo 11 não tinha rover. Claro que tinha equipamento de pequeno porte sobre rodas, mas as trilhas não são de rodas. E o que não tínhamos na época era a tecnologia para fazer tudo isso com robôs. E ainda transmitindo ao vivo da Lua uma imagem supostamente falsa dos astronautas. Poxa, se você acredita nas imagens que mostram os artefatos lá, é surreal você acreditar que as missões Apollo trouxeram mais de 300 kg de rochas da Lua e foram todas não tripuladas. Compare com os retornos de amostra soviéticos — gramas de poeira lunar. Não havia tecnologia para deixar aquelas marcas só com robôs.

            E as trilhas têm padrões diferentes sim: veja nesta imagem do sítio da Apollo 17 as diferenças entre as trilhas do rover e as trilhas das caminhadas dos astronautas: http://www.nasa.gov/sites/default/files/images/584392main_M168000580LR_ap17_area.jpg

          10. Salvador, você parte da premissa que as amostras de rocha eram lunares, e aquela ao Governo da Escócia que era árvore petrificada? Vê como a sonda russa somente poderia ser de algumas gramas? Agora pulou da Apollo 11 , para a Apollo 17 com o rover? Dá na mesma, a resolução não indica que seja sonda tripulada!!!

          11. Rochas lunares têm um valor absurdo. A doada ao governo holandês (não escocês) provavelmente foi substituída por madeira petrificada por ladrões. (Há outros casos de rochas lunares roubadas, mas ainda assim há muitos quilos de rochas que se submeteram a análises dos cientistas e eram mesmo da Lua. Aliás, o fato de que cientistas conseguem identificar uma amostra como falsa é a prova de que todas as que eles dizem ser verdadeiras de fato são).

            Sobre a Apollo 17, lancei mão dela para mostrar como o rover e os astronautas deixam traços diferentes na superfície (você disse que eram indistinguíveis). Não usei a Apollo 11 justamente porque não havia rover na Apollo 11!

            Vamos nos ater à quantidade de amostras. Para recolher todos os quilos de rocha recolhidos pela Apollo, a nave teria de ser de um tamanho compatível com uma nave tripulada. (Veja as não tripuladas russas, menores, que só trouxeram gramas.) Qual é o sentido de fazer uma nave não tripulada com tamanho para carregar gente e NÃO colocar gente nela?! Lembrando que a inteligência artificial era bem menos desenvolvida naquela época, o que tornava a presença do piloto uma garantia a mais de sucesso. (Para dar um exemplo com base num episódio recente, se houvesse um piloto no controle da Schiaparelli, que se espatifou em Marte, ele poderia ter descartado os comandos errôneos enviados pelo computador e a sonda provavelmente teria pousado com sucesso.)

            Por fim, dê uma olhada no sítio da Apollo 11, que é o seu favorito: http://www.nasa.gov/sites/default/files/images/628459main_Apollo_11.jpg

            Há uma trilha de pegadas que vai do LM até a maior cratera da região, depois volta e se encaminha na direção do LRRR. Note que num determinado momento a trilha da ida e da volta se separam! Fosse um jipinho robótico, ele iria até a cratera, daria ré e voltaria exatamente pela mesma trilha da ida! A irregularidade só pode ser explicada por um *não tão preciso e apegado à linha reta* humano no comando! Ou vai me dizer que pilotaram o suposto carrinho de maneira errática para quando, dali a décadas, alguém tirasse uma foto do sítio de pouso eu apresentasse esse argumento a você??

            Agora junte tudo isso. Como explicar tudo isso sem considerar que a hipótese mais provável é que o projeto Apollo tenha mesmo acontecido conforme descrito e registrado na história? 😛

          12. Só complementando sua resposta sobre a amostra que era “árvore petrificada”, o pedaço de rocha recebido pelo diplomata ficou em seu poder durante 20 (VINTE) anos até ser doada para o museu, após sua morte. Ou seja, tiveram 20 (VINTE) anos para substituir a rocha original pela árvore petrificada, que só depois foi entregue ao museu.

          13. Salvador, seu último parágrafo é perfeitamente lógico e corretíssimo, não se podendo negar que seja nave tripulada. Mas, em vista de constantes negativas da ciência oficial e imposições do que deve ser aceito, pode-se sim apresentar diferentes interpretações as quais também não podem ser corretas. Assim, também, não aceito a conversa que cientistas dizem que amostras da Lua são somente da Lua somente porque não encontraram antes padrões iguais na Terra. Podem perfeitamente achar ou não um padrão similar. E essa amostra de árvore petrificada, como engano de apenas uma amostra, e outras desculpas, como se fosse um fato normalíssimo, nada sério, então não venham cobrar seriedade para somente acreditar no pré-estabelecido!!!

          14. Sabe quanto vale uma rocha lunar? Não é tão misterioso que uma seja substituída em vista de seu valor…

        2. Bla bla bla do Hansen

          Vai ignorar tudo o que perguntei pra basear seu argumento num… filme? Quando você responder aos questionamentos que fiz acima, conversamos:

          1) Não vi você refutar nenhuma das provas apresentadas. Só chololô num post que não tem nada a ver com o assunto. Cadê as refutações?

          2) Cite um acidente que matou astronauta antes de entrar em órbita. Um só.

          3) E isso “prova” o que, mesmo?

          No aguardo.

          1. Os acidentes que me refiro, por exemplo, são dos astronautas que morreram dentro do módulo quando explodiu com 100% de Oxigênio, o que foi o maior absurdo que existe, pois somente de esfregar as mãos, por estática salta faísca e a explosão é inevitável. Coisas da NASA!!! E outro da Challenger antes de entrar em órbita. A NASA não sabia que quando resfria a borracha de vedação ela se contrai e o Oxigênio sai do container e explode ao contato do ar ao entrar em reação. Por incrível que pareça, foi preciso Richard Feynman-Prêmio Nobel de Física ensinar esse fato elementar à NASA.

            Ora, se na trasmissão ou foto da NASA, em que não há nenhum pozinho no pé da “Águia” , pelo contrário esta´ brilhante, nunca no pouso por mais suave que fosse deixaria da poeira lunar ser soprada pelos retrofoguetes, e mesmo uma pequena ondulação seria formada conforme estava nos cálculos de Werner Von Braun. Então, O Stanley Kubrick foi junto com eles na Lua, desceu, lustrou o pé da “Águia” e filmou a espetacular e irrefutável prova do homem na Lua! Genial Kubrick!!!

            Correto, apenas uma das amostras “da Lua” era árvore petrificada, as outras foram recolhidas perto de Roswell!!!

            As demais provas “irrefutáveis requeridas para o extra-ordinário fato do piso na Lua” pela NASA, conforme Carl Sagan da Ciência Oficial, nada a acrescentar, são extra “ordinárias”!!!

          2. Há incontáveis provas da ida à Lua. Duvida? Monte sua espaçonave e tira fotos dos artefatos deixados lá. Não consegue? Então não encha a paciência. Se quer provar a “farsa”, tem de estar pronto para isso… 😛

          3. Os acidentes que me refiro, por exemplo, são dos astronautas que morreram dentro do módulo quando explodiu com 100% de Oxigênio,

            Primeiro. Foi UM acidente. Terrível, triste, fatal, mas foi só UM. E era uma SIMULAÇÃO, não haveria lançamento naquele dia. Logo, sua a afirmação inicial “E os acidentes que mataram muitos astronautas até antes de entrar em órbita da Terra mostrava a insuficiente tecnologia.” é exacerbada e incorreta. Segundo. Não foi uma EXPLOSÃO, foi um INCÊNDIO.

            o que foi o maior absurdo que existe, pois somente de esfregar as mãos, por estática salta faísca e a explosão é inevitável.

            Absurdo é o seu total desconhecimento dos detalhes do Programa Apollo, e do seu constante abuso de falácias. Uma atmosfera a 100% de oxigênio pressurizado possui sim um risco bem maior de incêndio, mas não ache que fizeram sem pensar. A NASA ordenou ao fabricante do módulo que fosse usado oxigênio puro por motivos técnicos, especialmente porque a mistura oxigênio-nitrogênio pode ser tão fatal quanto a atmosfera de oxigênio puro, se não controlado corretamente. Como já havia sido testado várias vezes nos inúmeros lançamentos anteriores à Apollo (missões Mercury e Gemini), decidiu continuar, e infelizmente custou a vida de 3 astronautas. Mas após os acertos tanto no desenho da cápsula como na mistura da atmosfera, NENHUM OUTRO ASTRONAUTA AMERICANO perdeu a vida durante o programa Apollo.

            Coisas da NASA!!!

            Só erra quem faz.

            E outro da Challenger antes de entrar em órbita. A NASA não sabia que quando resfria a borracha de vedação ela se contrai e o Oxigênio sai do container e explode ao contato do ar ao entrar em reação. Por incrível que pareça, foi preciso Richard Feynman-Prêmio Nobel de Física ensinar esse fato elementar à NASA.

            De novo, falácia. Não vou explicar porque foge do contexto da conversa, mas não foi bem assim. E não é que “a NASA não sabia”, existiram outros fatores envolvidos que culminaram com essa tragédia. Mas, novamente, foi APÓS a ida do homem à Lua, o que eu assumi que fosse o assunto da discussão.

            Ora, se na trasmissão ou foto da NASA, em que não há nenhum pozinho no pé da “Águia” , pelo contrário esta´ brilhante, nunca no pouso por mais suave que fosse deixaria da poeira lunar ser soprada pelos retrofoguetes,

            O motor foi desligado alguns segundos antes do toque do módulo no solo. Logo, não havia tanta poeira suspensa e/ou levantada, e o pouco que levantou, não ficaria em suspensão por não haver atmosfera. De novo, desconhecimento dos detalhes das missões.

            e mesmo uma pequena ondulação seria formada conforme estava nos cálculos de Werner Von Braun.

            Gostaria de ver essa afirmação, onde que o Von Braun declarou que deveria haver uma “pequena ondulação” após o pouso? Fontes por gentileza.

            Então, O Stanley Kubrick foi junto com eles na Lua, desceu, lustrou o pé da “Águia” e filmou a espetacular e irrefutável prova do homem na Lua! Genial Kubrick!!!

            Outra falácia. Tá se especializando!

            Correto, apenas uma das amostras “da Lua” era árvore petrificada, as outras foram recolhidas perto de Roswell!!!

            Mais uma falácia. Continue assim, fica fácil de te responder.

            As demais provas “irrefutáveis requeridas para o extra-ordinário fato do piso na Lua” pela NASA, conforme Carl Sagan da Ciência Oficial, nada a acrescentar, são extra “ordinárias”!!!

            E, ainda assim, você não apresentou uma refutação sequer das 10 provas que o Mensageiro Sideral apresentou. Vai tentar ou vai continuar com as falácias sem fim?

      2. Esse “EU” consegue ser mais JUMENTO que o próprio HANSENÍACO.
        Deve ser aquele moleque manhoso que quebra o teclado quando o PC trava.

    3. Qual das missões que pousaram na Lua vc queria que se espatifasse? Ou em quais das várias dezenas de missões dos anos 60 e 70 com astronautas no espaço vc queria que os coitados morressem com a radiação?

      1. Na órbita da Terra a radiação é inofensiva. Nas sondas enviadas à Lua, algumas pousaram e outras espatifaram. E em missões tripuladas astronautas não passaram da órbita terrestre.

        1. Inofensiva em termos. Mesmo em órbita baixa, os astronautas cruzam rotineiramente a borda interna do cinturão mais interno de Van Allen. E as missões tripuladas mais distantes foram até a Lua, mas, claro, como a Lua está em órbita terrestre, você poderia argumentar que elas, embora tenham ido até a órbita lunar, nunca chegaram a sair da órbita terrestre. 😛

          1. Caro, Salvador Nogueira, vocé está corretíssimo. É a órbita com o cinturão mais interno ou mais externo que define o grau de radiação atuante, além da radiação solar para esse grau de atuação.

          1. Na realidade, na própria fonte da NASA, mostra os retrofoguetes ligados, inclusive em visualização por desenhos, de como seria o pouso na Lua por Von Brawn e outros. Veja lá no site da NASA. O que formaria era até cratera e não apenas ondulações. E o pó arremessado pelos retrofoguetes e pela ação da gravidade lunar depositaria sobre o pé da “Águia” pela ação dos retrofoguetes, mesmo sem atmosfera! Quanto às 10 irrefutáveis provas, são “irrefutáveis”, que anulam qualquer outra análise!!! Se uma simples partícula de pó lunar não fica um único pela ação dos retrofoguetes no pé da “Águia”, porque o argumento é que o pouso foi perfeito sem emitir um único pó, então qualquer outro argumento é desnecessário!!!

          2. Na realidade, na própria fonte da NASA, mostra os retrofoguetes ligados,

            QUE FONTES, criatura? Links por gentileza, senão vou ter certeza achar que você tá inventando coisas!

            inclusive em visualização por desenhos, de como seria o pouso na Lua por Von Brawn e outros.

            Entendi. Então pela sua lógica, o Von Brawn, que trabalha na NASA, diz que o pouso vai gerar ondulações na superfície, mas a NASA faz uma farsa em estúdio onde NÃO HÁ “ONDULAÇÕES” na superfície, contradizendo o próprio Von Brawn, que trabalha na NASA. Entendi. Foi um “descuido”, igual ao da bandeira balançando ao vento (vento dentro do estúdio? Vento que só chacoalha a bandeira, mas não levanta um grão de poeira na superfície?) ou das falta de estrelas (que a NASA “apagou” porque não queriam que os astrônomos descobrissem a farsa ao analisar a posição das estrelas falsas e identificassem que estavam no lugar errado, sendo que os próprios astrônomos da NASA poderiam colocar as estrelas nas posições corretas, afinal se qualquer um poderia identificar que estavam erradas, qualquer um poderia colocá-las no lugar certo, né?). Realmente, camarada, seus argumentos não possuem ABSOLUTAMENTE NADA de lógica. Só de falácia, sua especialidade!

            Veja lá no site da NASA.

            Cadê o link?

            O que formaria era até cratera e não apenas ondulações.

            Cadê o link?

            E o pó arremessado pelos retrofoguetes e pela ação da gravidade lunar depositaria sobre o pé da “Águia” pela ação dos retrofoguetes, mesmo sem atmosfera!

            Cadê o link?

            Quanto às 10 irrefutáveis provas, são “irrefutáveis”, que anulam qualquer outra análise!!! Se uma simples partícula de pó lunar não fica um único pela ação dos retrofoguetes no pé da “Águia”, porque o argumento é que o pouso foi perfeito sem emitir um único pó, então qualquer outro argumento é desnecessário!!!

            Entendi. Você daria um “ótimo” advogado de defesa. Seu cliente está sendo julgado por assassinato por arma de fogo. A acusação apresenta ao júri as seguintes provas: -centenas de pessoas que interagiram com seu cliente antes do crime, o vendedor da arma e da munição, o funcionário do range de tiro que seu cliente usou para praticar, os colegas de trabalho dele que viram seu cliente planejando o crime, entre outros. No dia do crime, várias pessoas viram seu cliente se dirigindo à casa da vítima; outras pessoas ouviram seu cliente discutindo com a vítima, e o disparo, com seu cliente gritando “MORRA! MORRA MALDITO!”; o crime foi filmado, fotografado e transmitido ao vivo para o mundo todo, e todas as filmagens foram apresentadas ao juri; o relatório do legista não só aponta que foi o disparo quem matou a vítima, mas também que a arma do seu cliente foi a responsável pelo disparo, já que o projétil passou por teste de balística, além das digitais do seu cliente baterem com as digitais encontradas na arma, na cápsula e no gatilho, além dos resíudos de pólvora na mão dele. Aí você, como “ótimo” advogado de defesa, vira pro juri e diz “- Jurados, peço que desconsiderem todas as evidências apresentadas pela defesa. Como não o sangue da vítima não foi encontrado na arma, isso prova que meu cliente não cometeu o crime”..

            BBBBBBZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ… CADEIRA ELÉTRICA pro teu cliente, E A CARREIRA MAIS CURTA DE UM ADVOGADO JÁ REGISTRADA NA HISTÓRIA DO DIREITO!

            Realmente, faz TODO o sentido. Só que nunca. Tente de novo, agora com argumentos de verdade.

          3. É o contrário de seu exemplo: se houvesse apenas a marca de sangue na arma e ninguém tivesse visto nada ou sabido de nada desse cliente do advogado, seria o suficiente para a condenação dele!!! Não importa se milhões não percebessem coisa alguma!!! Uma prova anulava milhões de testemunhas que nada viram ou participaram de coisa alguma com esse cliente!!! A NASA deve procurar um advogado, que não sou eu!!!

    4. Jose Paulo Hansen, vc falou tantas besteiras que não vou ter tempo de desmentir todas. Vou falar então apenas de uma que ninguém comentou: os pés de apoio do módulo lunar. Vc diz que eles voltaram sem nenhum grão de poeira lunar. Isto é mentira sua, simplesmente porque eles não voltaram. O módulo decola sem os pés de apoio como vc pode ver no link abaixo. Eu vejo muita gente desinformada falando besteira quanto as missões à Lua. No seu caso, notei que além de desinformado vc age com má fé no intuito de desinformar outras pessoas. Gente como vc devia ser proibida de chegar perto da internet.
      Concluindo, vc não é só um desinformado. Vc é um mentiroso.
      Segue o link:
      https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwil3srH7YXQAhVFDZAKHepZAF4QtwIIHDAA&url=https%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3Dn4yYZh1U908&usg=AFQjCNFgK1Xx1Ig49lv7xyy06npBkdGBKg&sig2=uqtr_gMBk0TnBUEZViIxrg&bvm=bv.136811127,d.Y2I

      1. Eu não disse que o módulo voltou sem nem um grão de poeira. Eu disse que a foto do pé do módulo foi tirada no Estúdio do Kubrick antes da “ida”!!! Pois ao menos um mínimo de pó deveria estar na área do pe´ de considerável 1,5m de diâmetro!!! Mesmo que toda poeira fosse arremessada para longe pelo retrofoguete, algum pó deveria atingir uma parte inferior do módulo, indo algum pó para a área do pé do módulo. No seu link veja a poeira intensa provocada pelo retrofoguete, e se o pé não se destacasse estaria com muito pó na foto de “descida na Lua” que era o caso dito pela NASA como tripulada, mas que poderia ser sonda não tripulada!!! Quanto aos seus argumentos de ataque pessoal é o que resta de argumentação para tentar impor seus ensinamentos por esse seu tipo de postura!!!

  17. Os kryptonianos poderiam ser salvos se fizessem parte da Federação Galáctica. Como se recusaram a participar, ninguém foi salvá-los em seus últimos dias. Não podemos cometer o mesmo erro. Pede logo um invite pros caras.

  18. Bom cheguei um pouco tarde e parece que tudo que tinham para comentar já comentaram… Nunca vi tantos comentários! Recorde? Cá entre nós, nada como uma italianada para jogar um loco live no meio científico, a exemplo dos neutrinos que achavam que tinham quebrado a velocidade da luz e relatividade, mas vai que dessa vez vai, quem sabe… No mínimo uma divertida instigada “to infinity and beyond”, tá valendo. By the way, parabéns pela Matéria, Salvador! Abraço

  19. Salvador, sou seu fã, tenho seu livro e acompanho diariamente seu site. Partindo para as hipóteses, alguma chance de que nós mesmos tenhamos enviado esses sinais de locais já colonizados, ou seja, nós do futuro? Um grande abraço!

    1. Hmm, não. Essencialmente porque ninguém partiu da Terra ainda. Se alguém tivesse já partido da Terra com tecnologia para chegar lá mais depressa que a luz (algo que não sabemos fazer, by the way), poderia chegar lá em tempo de nos mandar um sinal que chegaria, digamos 8.000 anos depois (a distância mínima dessas estrelas, segundo o paper, é de 8.000 anos-luz). Mas como ninguém partiu ainda, qualquer sinal enviado de nós mesmos teria de chegar DEPOIS de 8.000 anos. A não ser que tenhamos também aprendido a viajar no tempo em direção ao passado… Abraço!

  20. A formação da vida na terra é oriunda de todo microcosmo que é nosso sistema solar e de todo contexto cósmico que é o universo; A evolução da consciência na vida, a condição de potencializar sua existência no ápice de ir para o espaço em torno de sua estrela cósmica, como que nascendo para além de todas as estrelas, posto que se deixa todas as estrelas ao deixar de onde se originou em sua, ao deixar a terra; a consciência, principalmente, na condição humana é fruto de diversos bombardeios conjecturais binários de espécies vivas de outros planetas que conseguem emitir suas conjecturas binarias à formação de seres vivos, fazendo os seres vivos, e que nasçam biologicamente mais ou menos distintos, mas sempre distinto um do outro, macho e fêmea, no real e no ideal, cada um como um observador vital, em que os sentidos como são hoje, no hoje de um ou no hoje do outro, não resolve tudo, mas sim um pouco, o que resolve tudo é o que eles sucederam e sucederão como idealizado e realizado;

    A refração de partículas emitidas por estrelas binaria em que uma explode, é a possibilidade de enviar sinal às outras estrelas pelo trajeto dos seus elementos que navegam por toda galáxia, pois o elemento de uma estrela binaria que explode perante sua parceira, tem uma condição especial de carregar informação devido a um reflexo gerado na explosão por “digitar” sua localização universal junto à sua estrela mais próxima, como que momentaneamente ali ouve-se um buraco negro invertido iluminando toda galáxia e nisto a mapeando no universo, inclusive buracos negros presentes na galáxia, daí a necessidade da consciência: não criar um, mas fugir de buracos negros ou de estrelas que se tornarão em um, como se foge dos perigos da vida.

  21. Acredito que nossa existência já seja conhecida por outras civilizações mais avançadas, porém para que iriam fazer contato com uma civilização que não se entende nem entre si, guerreando por motivos religiosos e econômicos e que rebaixa o valor da vida e do amor ao próximo cada vez mais.
    Acredito que a ciência seja a chave para evoluirmos. Neste estudo, vejo a ansiedade de dois astrônomos querendo comprovar sinais de vida alienígena com parcas evidências. Teriam sido mais inteligentes se publicassem a descoberta sem a conclusão sensacionalista.
    Aliás, o que não faltam são seres humanos querendo provar a existência de vida alienígena a qualquer custo. Inventam sinais em plantações e histórias mirabolantes que batem de frente com a lógica.
    Já tive a oportunidade de ver OVNIS. Os primeiros, foram dois discos voadores voando em sincronia. Posso afirmar que são alienígenas? Óbvio que não, apesar que definitivamente não era um fenômeno natural, mesmo que desconhecido. Recentemente filmei um OVNI, mas analisando as imagens, cheguei a conclusão que pode ter sido um simples balão…ao invés disso, poderia botar o vídeo no youtube com um título sensacionalista para chamar a atenção…
    Enfim, se as pessoas se preocupassem mais com a evolução da ciência e menos em chamar a atenção, a ufologia poderia ser levada mais a sério…

  22. Jorge em uma frase resumiu tudo: “Eles (ETs) já estão por aqui!”. E Alexandre e mc indicaram a evidência dos OVNIS, como os que seguiram o Comandante Osiris Silva, que foi presidente da EMBRAER, que pilotava o avião nessa noite em rumo a São José dos Campos. Mas o Salvador Nogueira que segue a doutrina Marcelo Glaiser da Ciência Oficial quer uma evidência com hora marcada e que a rede Bramon com câmaras no céus do Brasil que não tem nada detectado, devia então ser fantasia de Osiris Silva que em seu livro publicou um capítulo sobre esse caso, sem receio de passar por visionário, lunático, cometido de alucinação, loucura, conforme a escolinha de ciência oficial de Marcelo Glaiser seguida pelo Salvador Nogueira. Então, terremoto somente existe se um cientista querer detectar a hora que ele quiser!!!. Se não, não é reprodutível, é movimento de câmara ou fenômeno meteorológico eternamente desconhecido pela ciência oficial!!! Décadas inventando matéria e energia escura, e agora a velocidade de rotação das galáxias foi detectada como proporcional às suas massas! Procuravam evidências da escuridão! Mas, os OVNIs são brilhantes demais, não dá para ver direito ou são luzes atmosféricas desconhecidas que fazem curvas de 90 graus ou seja muito mais desconhecidas, e é necessário evidências fantásticas, provas irrefutáveis, mas em hora marcada para o Comandante Marcelo Glaiser e seu Oficial seguidor Salvador Nogueira, da Ciência Oficial!!!

    1. Eu consigo voar e tenho visão de raio-x. Você TEM que acreditar em mim, afinal EU estou AFIRMANDO!

      Quem é você pra duvidar da minha palavra?

        1. Nunca falei que sou o Superman. De onde tirou isso? Superman é ficção!

          Tá vendo como você tem o hábito de inventar mentiras e imaginar coisas?

          Coisa feia, menino!

      1. Eu achei inicialmente que esse pôia era só mais um ETófilo. Mas a pérola dele logo ali em cima, voltando com a historinha de poeira, radiação e Kubrick rebaixa o sujeito de ameba para samambaia.

        Parabéns hansen.

    2. hehehe…

      Esse sujeito frequenta a mesma igreja que o outro porralouca lá atrás (Fabio, creio), que veio com a historinha de terremotos…

      mimimi terremoto mimimi Gleiser mimimi

  23. “Nessas horas, o Mensageiro Sideral se sente um pouco como o tenente Frank Drebin, na cinessérie “Corra Que a Polícia Vem Aí”, tentando dizer que não há nada demais para ver.”
    Imagina então quando os Ets pousarem ? kkkkkkk

    1. Se e quando os ETs pousarem, certamente não me sentirei assim! Quero estar na linha de frente para entrevistá-los. rs
      (Mas infelizmente, ao que tudo indica, eles só pousam hoje em dia para assustar velhinhas no interior do Pará… :-P)

  24. Grande Salvador,
    Apenas exercitando a imaginação, mas se daqui alguns anos comprovar os quês os sinais são emitidos de forma artificial, teríamos como nos comunicar com esses aliens?

    1. Bem, teríamos como emitir um sinal parecido, mas só chegaria lá em milhares de anos. Então, temos de torcer para, se for um sinal artificial, ele já ter misturado a ele alguma transmissão que possamos decodificar. Porque conversa de mão dupla aí seria inviável.

  25. Pode ser uma boa idéia pra ‘alguns’ aproveitar que Marte é vermelho e fugirem pra lá depois da vergonha que passaram em casa ontem. Foi cômico.

    A propósito, a filhota vai bem, obrigado.

  26. Salvador, tenho uma técnica que uso um aplicativo, que tem mapeamento de relevo subterrâneo por ressonância por satélites, que me indica os lugares onde existe mundo intro-terreno,somado a um traço de “pareidolia” ja descobri variadas relíquias antropológica, como lesmas-sauros jurássicas, santuários de gigantes , entradas de mundo intro-terreno, como cupinzeiro gray em marte, eles que vem do espaço(Lua marte titã, Europa, órion etc.) usam a “pareidolia” para identificar as entradas das cavernas, mas deixo quieto, para não afetar a ordem natural das coisas.

    Acredito que esta não tenha vindo de órion assim existam outras bases espalhadas por ai.
    https://drive.google.com/drive/folders/0B5cxGBQGeFpcVTBEa2Rpa3ExaFk?usp=sharing

    Esta base de transmissão óptica de órion.

    https://drive.google.com/drive/folders/0B5cxGBQGeFpcOTRZQ1FIV1BuRFk

    Parece estar algo relacionado a placa de corais, tambem pode estar relacionada a (ThYaMath), a possibilidade(hipótese) de estar o planeta que esteve retirado da orbita do sol.
    la existem cabeças de tourossauros(triceropts)(fosseis) gigantes como também de grays gigantes (pareidolia).
    ” vejo algo semelhado a um óculos 3D lá.

    1. cara, procure um psicólogo com urgência. Essa é a dica mais valiosa que você terá em toda a sua vida.

      e esses possíveis ETs que comentamos não tem nada a ver com nu-du-biruta (que é um cara nu e muito biruta). Ainda não passa de uma possibilidade e não venha endeusar um ser que ainda seja tecnologicamente superior, ele não vai dar bola para você e no máximo vai querer dissecá-lo por mera curiosidade.

    2. NÃO SÓ ACREDITO QUE O HOMEM FOI Á LUA, COMO ACREDITO QUE DESCOBRIRAM ALGUMA COISA LÁ RSSS. TENTEI VER AS COISAS QUE VC FALOU MAS NÃO CONSEGUI. PODE ME AJUDAR?? ESTOU NO FACE COMO MIRIAN SOUZA DE MARTINÓPOLIS-SP

Comments are closed.