Astronomia: Há vida nos planetas de Trappist-1?

Estudo investiga chance de haver vida nos planetas recém-descobertos por telescópio da Nasa.

MÃOS À OBRA
Com a descoberta de sete planetas rochosos ao redor de uma pequena estrela a meros 40 anos-luz de distância, o mundo inteiro se perguntou: será que há vida neles? Mas Lisa Kaltenegger, diretora do Instituto Carl Sagan, fez mais que se perguntar. Ela decidiu investigar se formas de vida de tipo terrestre teriam vez nos mundos do sistema Trappist-1.

BANHO DE SOL
Em trabalho recém-divulgado, Kaltenegger realizou simulações de quanta radiação nociva banharia a superfície de quatro dos planetas do sistema, aqueles cuja chance de ter água em estado líquido era maior, em contraste com a capacidade de sobrevivência da bactéria extremófila Deinococcus radiodurans.

E VIVA O OZÔNIO
O nível de raios X e ultravioleta que chega ao chão depende, é claro, da atmosfera. Na Terra, uma camada de ozônio nos protege de boa parte da radiação nociva do Sol. Mas nem sempre foi assim. Quando a vida surgiu aqui, há uns 4 bilhões de anos, não havia camada de ozônio. E, mesmo assim, deu tudo certo.

NERVOSINHAS
A encrenca, contudo, é bem maior para planetas que orbitam estrelas de pequeno porte, menores que o Sol, porque elas costumam ser mais ativas e os planetas se localizam muito mais perto delas.

VARIAÇÕES
As simulações envolveram três tipos de atmosferas: uma similar à da Terra (20% de oxigênio, camada de ozônio e pressão de 1 atm à superfície), outra com mesma composição, mas mais rarefeita, e uma baseada em dióxido de carbono e sem ozônio, similar à que nosso planeta deve ter tido em seus primórdios.

TEM OU NÃO TEM?
Na prática, o estudo demonstrou que as condições na superfície desses mundos podem ser amigáveis à vida — mas só com uma atmosfera de tipo terrestre. Sem ozônio, os seres vivos, na melhor das hipóteses, estariam confinados ao subsolo ou às profundezas dos oceanos. Perguntas que não querem calar: os planetas de Trappist-1 têm atmosfera? Se têm, há ozônio nelas? Isso só o Telescópio Espacial James Webb poderá responder. Ele deve ser lançado pela Nasa em 2018.

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Mesmo uma anã vermelha emite radiação suficiente para tornar a vida impossível sem uma atmosfera com ozônio?

    1. Sim, principalmente porque estrelas pequenas são MUITO ativas, sobretudo em seus tempos de juventude.

  2. O duro vai ser ter que aguentar quase dois anos para a entrada em operação do James Webb. Pelo menos, quando isso acontecer, já teremos tantos outros temas para se discutir que nem teremos percebido esse tempo todo. Vida longa e próspera à ciência, aos cientistas, aos divulgadores da ciência e a nós, mortais amantes das maravilhas do universo.

  3. Acabei de confirmar, tem vida lá sim! O planeta habitável vai se chamar Homestead e quem vai levar a gente pra lá é a Avalon, a nave que Homestead Company vai criar!

  4. Mano Salva, escute essa!

    Segundo a revista PLoS Biology, existem 8,7 milhões de espécimes devidamente catalogadas no planeta terra..
    Dessas 8,7 milhões de espécimes, apenas UMA conseguiu passar pela fase de transição, da instintiva para a racional.
    Assim sendo, até podemos detectar vida num outro planeta, mas vida inteligente/racional, será praticamente impossível.
    Outra!
    Essa estrela Trappist-1, é tão pequena e com tão pouca luminosidade, que até a própria fotossíntese pode ficar comprometida e ainda temos que considerar a mega velocidade orbital e uma provável ausência de rotação dos planetas.

    1. Mentira. Mais de uma espécie fez essa transição. Fale com os neandertais. Eles morreram, mas estiveram aqui!

        1. Mais ou menos. O correto é dizer que eles foram diluídos. Há DNA neandertal em você e em mim (estou apostando que você não é africano, apesar do apelido). 😉

          Meu ponto é: mesmo que os humanos modernos jamais surgissem, teríamos uma espécie inteligente na Terra — e possivelmente mais de uma, pois ainda teríamos o controverso Homo floresisensis… Sinal de que, a partir de um certo conjunto de traços evolutivos, a inteligência vira uma tendência é não mais um acidente.

          1. E o homem de cro-magnon.

            Vou mais longe: será que podemos afirmar, acima de qualquer dúvida, que orangotangos, gorilas, chimpanzés e bonobos são mesmo “irracionais”?? Eles domindam o uso de ferramentas, são capazes até de criar as próprias ferramentas, vivem em sociedades às vezes com organização complexa…

          2. Claramente — e foi algo que eu defendi no meu post das 5 provas em favor da evolução –, inteligência é um gradiente. Não é uma coisa tem/não tem. E sim, alguns primatas e cetáceos são notavelmente inteligentes e conscientes…

  5. Mas como sao imaturos, Deus que me perdoe… sera possivel que esses caras querem jogar Albert Einstein no lixo? Einstein PROVOU que NADA no Universo pode ser mais rapido que a velocidade da luz. Porque, minha mae do ceu, nao cai essa ficha???Esses planetas estao a 40 ANOS LUZ de distancia. Uma nave espacial precisa de UM MILHAO, QUATROCENTOS E OITENTA E OITO ANOS, viajando a 29.000 km/h pra chegar la. Ou inventem tecnologias de re-materializacao, tipo Star Trek, ou transposicao de distancias por pensamento, ou tratem de achar outro planeta habitavel dentro do Sistema Solar, no MAXIMO. Ridiculo!!!!

    1. Mas como sao imaturos, Deus que me perdoe

      Ou inventem tecnologias de re-materializacao, tipo Star Trek, ou transposicao de distancias por pensamento,

      Arrã. E eles que são imaturos…

    2. A tal “velocidade de dobra” não está contra as leis de Einstein. Não temos tecnologia para construir isso, mas talvez um dia.

      Wormholes não afrontam as leis de Einstein. Hoje é só uma teoria, mas se existirem e formos capazes de detectá-los, poderemos fazer viagens interestelares.

  6. Aguardo com ansiedade a segunda-feira por causa de suas postagens Salvador. Juntamente com os comentários da turma, rio e aprendo muito sobre este tema tão fascinante. Valeu!

  7. É VERDADE.
    CONFUNDI GIGANTE VERMELHA COM ANÃ VERMELHA. OBRIGADO.
    MAS, SE TRAPPIST 1 ESTÁ ENTRE ANÃ VERMELHA E ANÃ MARROM, QUE TIPO DE ANÃ É ?
    E, REITERO, MESMO SENDO ANÃ VERMELHA (ou marrom, ou o que seja) COMO ELA INFLUENCIOU SEUS PLANETAS DURANTE SUA VIDA ? (vida da estrela e dos planetas, separadamente ou não).
    HIPOTETICAMENTE, SENDO ANÃ VERMELHA OU MARROM OU INTERMEDIÁRIA ENTRE ELAS, SUA RADIAÇÃO OU TAMANHO EM ÉPOCAS PASSADAS PODE TER “FRITADO”, OU INFLUENCIADO DE OUTRA FORMA, OS PLANETAS, MATANDO EVENTUAL VIDA ANTIGA ?
    SUA RADIAÇÃO E TAMANHO ATUAL É COMPATÍVEL COM VIDA TIPO TERRESTRE ?
    OBRIGADO.

  8. ESSA ESTRELA É UMA ANÃ VERMELHA ?
    SE SIM, ELA JÁ PASSOU PELOS ESTÁGIOS DE VIDA QUE NOSSO SOL PASSARÁ ?
    SE SIM, ENTÃO OS NOVOS SETE PLANETAS PODEM SER MEROS CADÁVERES PLANETÁRIOS, COMO OCORRERÁ COM A TERRA, MARTE E ETC, DAQUI A 5 BILHÕES DE ANOS ?
    SE A ESTRELA NÃO É UMA ESTRELA VERMELHA E – OU – NÃO SEGUIU O PROCESSO DE AUTO-DESTRUIÇÃO DO SOL, DE QUE TIPO ELA É ?

    1. Ela está entre anã vermelha e marrom. Mas você está confundindo com GIGANTE vermelha, que é o futuro do Sol. Essas estrela não está no fim de sua vida…

      1. Mas se ela for uma anã marrom, não existe (ou existe pouca) queima de material por fusão nuclear. Neste caso, ela emitiria muito menos radiação, facilitando a evolução da vida nos planetas.

        1. É, mas se for uma anã marrom, é uma anã marrom ativa no momento, queimando um tantinho de deutério (a única coisa que anãs marrons conseguem queimar). Teria, portanto, radiação. Mas vida curta.

  9. Se hipoteticamente houvesse um planeta c/ as características da Terra, com uma órbita de aproximadamente 15 dias ao redor da estrela, uma pessoa lá viveria em média 3,5 anos terrestres. Eu hem? Tô fora.. hahahaha

    1. Não é isso, não. Uma pessoa viveria os mesmos anos terrestres que aqui. Mas viveria muito mais anos de lá e comemoraria um aniversário a cada 15 dias!

    1. Só porque você não acha que tem vida então não tem mesmo? É muita arrogância de sua parte, não é?

  10. Como o mestre Carl Sagan sempre acreditou, por causa da consequência matemática de haver bilhões e bilhões de estrelas espalhadas por aí, acho que um dia a tecnologia humana será capaz de vasculhar tão profundamente o Universo que iremos esbarrar com algum tipo de vida. Isso se alguma civilização avançada não nos achar antes, a partir do magnífico Disco de Ouro embarcado na Voyager…:)

  11. deve ter em um ou dois deles, desde que tenha atmosfera estável, ou seja, sem perda de gases e de água. Campo magnético do planeta é fundamental também, é o que segura tudo isso.

  12. Incrível descoberta. 7 rochosos aqui do lado. Imagine só as incríveis novidades que teremos com essa nova geração de telescópios… desse sistema e de outros q com certeza existem e nem sequer ainda podemos imaginar sequer. Por que 7 planetas rochosos orbitando uma mesma estrela e a maioria deles podendo abrigar agua em estado liquido e talvez ate mesmo vida é novidade né? Ou já imaginavam poder haver?
    Abçs Salva…..
    bom carnaval a tds
    …e ótima cobertura ontem, estávamos eu e meus filhotes aqui acompanhando, o céu pouco encoberto mas conseguimos … vlw

    1. Que bom que conseguiram! Também só tive uma brechinha, mas consegui mostrar à patroa e ao moleque! 🙂

  13. Sr Salvador deve procurar inserir material com mais conteúdo para justificar seus títulos ao invés de apropriar-se de notícias bombásticas e sem resposta para atrair seu público.

  14. Acontece que tal bactéria só foi descoberta em 1956, e depende de matéria orgânica, oriunda da decomposição de seres vivos para sobreviver, ou seja, na ausência de quaisquer outros seres vivos ela não existiria, pois a resistência à radiação é apenas uma capacidade em reparar o dna danificado de forma mais eficaz, o que pode ter sido desenvolvido ao longo de milhões ou talvez bilhões de anos de evolução, obviamente em competição com os demais seres vivos

    1. E “extremófilo” é apenas uma classificação relativa.
      Os primeiros seres vivos a surgirem aqui na terra certamente teriam muita dificuldade em sobreviver nos dias de hoje, nesta atmosfera impregnada do venenoso gás oxigênio…

  15. Gostei de todos livros que li de sua autoria, em especial o “Extraterrestres”. Mas as novidades que surgem a cada mês, faz com o mesmo mereça uma atualização (ou um outro, com tema parecido). Acredito que já tenha pensado nisto, se sim, sugeriria uma nova edição 6 meses após o início dos trabalhos do telescópio James Web, que tudo indica, irá inundar a astronomia com muitas (mas muitas mesmo…rs) novidades e mistérios revelados (e novos mistérios, claro). Vc tem a capacidade de bem expor/ensinar…parabéns! Acredito que o sucesso se repetiria com tal atualização…. Mais uma vez parabéns, este blog é ótimo, aprendo mto.com ele….e isto graças a vc…Abçs.

    1. Lúcio, valeu! E só de pensar que o “Extraterrestres” não tem Próxima b, já concordo contigo. Quem sabe…?

  16. Para que exista uma biosfera igual a nossa,bilhões de características terão que coincidir.
    Para que apareça a primeira célula viva,terão que coincidir outros bilhões de fatores,ordenados na mesma sequência de tempo.
    Se tivesse que apostar,apostaria na não existência de vida em outro lugar do universo.
    Afirmar,…….impossível.

    1. Você está presumindo que o único caminho para a formação da vida é exatamente, passo por passo, o que ocorreu aqui. Mas a própria rapidez com que ele se desenvolveu aqui não parece apoiar essa ideia. Seria uma violação brutal do princípio copernicano…

      1. O início ocorre casualmente por reações e formatações químicas que tendem a multiplicar-se por separação. Quando se pensa apenas em um universo (o nosso) e e não consideramos que em um espaço que é infinito há grande possibilidade dese fenômeno ocorrer e formas de vida, ainda assim a probabilidade de eventos casuais virem a gerar biotipos inteligentes terem qualquer tipo de contato conosco é impossível! são centenas milhares (no mínimo) de anos luz de distância – Nossa existência, por exemplo poderia não ter ocorrido não fora a queda de um meteoro que liquidou com os dinossauros e permitiu a proliferação de mamíferos!! As notícias empolgam, mas devem ser mais criteriosas no conteúdo.

        1. Não faz muito sentido o que você está dizendo, à luz do que sabemos. No momento sabemos que:
          – Os elementos e compostos envolvidos na química pré-biotica (de origem da vida) são comuns.
          – As circunstâncias em que esses compostos se combinaram para formar a vida na Terra (fundo de oceanos com gradientes de energia) são comuns.

          Daí a conclusão mais trivial é a de que o surgimento da vida tende a ser comum. Pode estar errado? Pode. Se o processo de origem da vida for raro mesmo em circunstâncias favoráveis, teremos pouca vida lá fora. Mas aí é difícil explicar como um processo tão improvável foi acontecer tão depressa na Terra.

          Agora, não estou falando de inteligência extraterrestre. Isso é uma coisa que reputo ser de fato rara, embora não tenhamos subsídios suficientes nem para um palpite informado.

      2. Salvador, aposto uma nota de R$ 13,00 que este José Lopes é na verdade é o imbec… (ops, hahaha) do Tersiog.

        Ele sempre fala a mesma coisa, aos tais “200 parâmetros finamente ajustados” para que se possa ter vida, e por este motivo só aqui, com a graça do deus dele (sic). Pode olhar o que ele escreveu na semana passada, no posta da divulgação da descoberta.

        Agora o José exagera um pouco mais e já cita “bilhões”. Mas ainda acho que são o mesmo imbec… (hahahaha)

        Difícil estes religiosos postando em páginas cientificas.

        (Ontem, mesmo através das nuvens, deu para ver um pouco do eclipse. Mas o astrônomo lá do Sonear falou dos próximos eclipses e parece que nos próximos 50 anos (exagero meu) não vai ter um eclipse anular aqui no Brasil??? Culpa dos “coxinhas” ou dos “mortadelas”??? hahaha)

  17. Só o Salvador para salvar o carnaval da gente. A tv é uma tristeza só e fica pior nessa época do ano. Não aguento mais ouvir enredo se escola de samba. kkkkk

    Felizmente temos a internet e pessoas que produzem conteúdo de qualidade.

    Nunca fui fã do carnaval e antigamente, sem internet, a vida nessa época do ano era particularmente mais difícil do que no sistema Trappist-1 rssss

      1. Eu adoro carnaval. Já morei em Recife e ia passar os 4 dias em Olinda. Galo da Madrugada??? Não perdia um…

        Agora, eu tô aqui, entre os clips de carnaval que os jornais estão mostrando e uma rádio de Classic Rock lá da Irlanda (Zenith Classic Rock – http://www.zenithclassicrock.com/ ). Muito boa.

        Não tenho nenhum problema em misturar “alhos com bugalhos”.

        Allha-la-ho, la, la, ho…

  18. Salvador, é possível que dois dos planetas com as órbitas mais distantes da estrela não tenham a sua rotação travada?

      1. Pô, Salvador. Você deveria ter dito que viu um buraco negro super massivo na Rede TV. Perdeu a oportunidade de “mitar”…

Comments are closed.