Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Astronomia: 5 desafios para a reconquista da Lua

Por Salvador Nogueira

Confira cinco tarefas que a SpaceX precisa cumprir antes de enviar gente à Lua, em 2018.

FLY ME TO THE MOON
Na semana passada, a empresa americana SpaceX fez um anúncio surpreendente: enviaria duas pessoas numa viagem ao redor da Lua até o final de 2018. A questão é: dá tempo? A julgar pelos atrasos de cronograma da própria companhia, não. Confira a seguir cinco coisas que ainda precisam acontecer antes da histórica reconquista lunar.

O FOGUETE
A missão depende totalmente do lançador Falcon Heavy. Mas tem um detalhe: nunca vimos esse foguete voar. Originalmente, Elon Musk prometeu o primeiro teste para 2013 ou 2014, mas até agora nada. Diz a SpaceX que ele será lançado pela primeira vez em meados deste ano. A ver.

A CÁPSULA
A SpaceX também está concluindo o desenvolvimento de sua cápsula capaz de transportar astronautas, a Dragon V2. A ideia era realizar o primeiro voo com gente dentro em 2017. Mas, adivinhe só, atrasou. Diz a companhia que um voo de teste, sem astronautas, será feito em novembro, e o primeiro tripulado ocorrerá em maio de 2018. É um começo. Mas a viagem será só até a Estação Espacial Internacional.

ESCUDO TÉRMICO
Por mais malucos que sejam os milionários que contrataram o voo, dificilmente eles embarcarão numa cápsula sem a certeza de que ela pode fazer o serviço: contornar a Lua e retornar à Terra — inteira. A velocidade de reentrada numa missão lunar é bem maior que de viagens à órbita terrestre baixa, e o escudo térmico da cápsula precisará aguentar o tranco. Um voo-teste antes da missão tripulada será necessário.

UM VOO LUNAR SEM GENTE
O sistema de rádio da Dragon V2 foi projetado só para órbita terrestre baixa. Para ir até a Lua, será preciso substituir a antena principal por outra maior. E seria bom testá-la por lá antes de mandar gente.

NADA PODE DAR ERRADO
Por fim, nada pode sair dos trilhos daqui para a frente. A SpaceX teve duas explosões nos últimos dois anos. Qualquer problema que ocorra entre hoje e o fim de 2018 certamente gerará novos atrasos e impedirá que a histórica missão lunar aconteça no prazo.

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade