Nasa está pronta para o fim da missão Cassini

A Nasa realizou uma entrevista coletiva para apresentar a conclusão dramática de sua missão a Saturno, a Cassini. Apelidada de “Grand Finale”, a última fase do projeto começa no próximo dia 26 e verá a sonda mergulhar no vão entre o planeta e seus majestosos anéis, não uma, mas 22 vezes, antes de queimar furiosamente na atmosfera saturnina, em 15 de setembro.

Em termos de navegação — acertar o vão –, o problema não é tão grande. A sonda terá de passar numa faixa de 2.400 km de largura, numa série de órbitas alongadas ao redor do sexto planeta do Sistema Solar. O maior desafio será passar incólume ao encontrar um fluxo de partículas perigosamente alto, proveniente dos anéis mais internos.

“Fizemos muita modelagem dos anéis”, explicou Earl Maize, gerente do programa da Cassini. “Esperamos que seja mais como atravessar fumaça do que realmente receber impactos de partículas maiores.”

A manobra, contudo, não é livre de riscos. Na pior das hipóteses, segundo Maize, há um risco de 3% de perda da espaçonave por uma colisão imprevista e fatal. “De todo jeito, a Cassini vai terminar onde planejamos, na atmosfera de Saturno.”

Isso porque as últimas manobras terão um piloto insuspeito: Isaac Newton. No próximo dia 11, a programação para o Grand Finale será transmitida para a Cassini. E no dia 22 a sonda fará seu último sobrevoo próximo de Titã, a maior das luas saturninas. E será a gravidade do satélite natural que colocará a espaçonave em sua rota para sua primeira passagem entre os anéis e o planeta, marcada para acontecer no dia 26.

A órbita resultante permitirá que a sonda complete 22 desses sobrevoos rasantes de Saturno, ao ritmo de um por semana. Mas Newton seguirá no comando e uma última intervenção gravitacional, distante, de Titã em setembro alterará suavemente o trajeto da sonda, que então mergulhará na atmosfera do segundo maior planeta do Sistema Solar no dia 15 de setembro.

Concepção artística de sobrevoo da Cassini pelo polo Norte de Saturno, em suas órbitas finais. (Crédito: Nasa)

E ainda bem que podemos contar com a gravidade para o serviço, porque a razão pela qual a Cassini está sendo encerrada, após 20 anos no espaço e mais de 13 nos arredores de Saturno, é que não há mais combustível a bordo para operá-la de forma segura. Arriscar prosseguir com o tanque praticamente vazio implica perder o controle sobre o futuro da sonda, e aí arriscar derrubá-la numa das luas saturninas potencialmente habitáveis. A pequena Encélado tem um oceano habitável em seu interior, e evidências mais recentes colhidas pela espaçonave sugerem que Dione também tem o seu.

Como a Cassini não foi esterilizada com tanto cuidado ao sair da Terra (ninguém imaginava esse “show da habitabilidade” que a sonda descobriu por lá), ela pode ter em seu interior bactérias que “entraram de gaiato no navio”. Em caso de possível colisão com uma dessas luas, nada garante que elas não desembarquem e façam vida por lá. Por isso a sonda terá de encontrar seu fim na atmosfera de Saturno em 15 de setembro.

A última etapa da missão será a mais arriscada, mas promete incríveis recompensas científicas. Espera-se com a manobra poder medir com precisão a massa dos anéis e, com isso, determinar sua idade — há controvérsias sobre se eles são tão velhos quanto Saturno ou recentes, formados há meros 100 milhões de anos. Também será possível sondar a estrutura interna do planeta gigante, a exemplo do que a Juno está fazendo em Júpiter, e observar os anéis de uma distância inédita. Por fim, a Cassini promete dar seu mergulho final transmitindo informações sobre a composição da atmosfera do planeta. “Sabemos que ela é 99% hidrogênio e hélio, mas estamos atrás desse 1%”, disse Linda Spilker, cientista-chefe do projeto.

Este dia fatídico, 15 de setembro, será agridoce para todos os entusiastas da exploração espacial. Haverá razão para festejar o sucesso de uma incrível e longeva missão, que literalmente reescreveu tudo que sabíamos sobre Saturno, mas também motivos para tristeza, pelo fato de que não teremos mais uma conexão direta com o majestoso planeta dos anéis. A Cassini já está lá desde 2004 e fez descobertas incríveis. Quando ela se for, teremos de nos acostumar a olhar apenas de longe por alguns anos — talvez décadas –, até que a próxima espaçonave possa continuar de onde ela parou.

Se você é fã da Cassini, tente ver o trailer acima e não chorar. Eu não consegui.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Lindo.
    A Cassini foi um grande marco para a NASA e para a humanidade.
    E para os de visão mais estreita, que ainda acham que a fome na terra é causada por falta de alimento, e a pobreza por falta de riqueza, é sempre bom lembrar que não há investimento que traz mais benefícios à humanidade que os em ciência e tecnologia.

  2. Salvador, ótimo Post. Vídeo resumido, incrível.
    Sensibiliza aqueles que acompanharam esta Missão nos últimos 20 anos.
    O quê esperam encontrar no “famoso” 1% da composição atmosférica de Saturno? o mesmo de Júpíter?
    Aproveitando a oportunidade e a JUNO?? Quais são as novidades?
    Continuam temerosos em perder a Nave.
    A radição do Planeta é fortíssima, maior que o previsto? ou tudo conhecido.
    Afinal, aquele problema da válvula do motor foi solucionado ou não? continua engripado?
    Por isso, não conseguem mudar a órbita?
    Nem fotos novas foram divulgadas. Processamento demorado demais.

    1. Raf, de cabeça EU(™) consigo te responder estas:

      Aproveitando a oportunidade e a JUNO?? Quais são as novidades?

      Vai bem. Novidades, só algumas imagens novas.

      Afinal, aquele problema da válvula do motor foi solucionado ou não? continua engripado?

      Resumindo, não. Então acham mais seguro manter a órbita alongada.

      Por isso, não conseguem mudar a órbita?

      Isso.

      Nem fotos novas foram divulgadas. Processamento demorado demais.

      Tem umas fotos do fim do mês passado:

      http://gizmodo.uol.com.br/nova-imagem-jupiter-hipnotizante/

      Prometeram mais para os próximos dias, fique ligado!

      1. O 1% não é vagabundo neste Gigante Gasoso, pode ser quase um planeta pequeno.
        É o que pergunto?. E se for chuva de Carbono puro…naquelas pressões gigantescas do Planeta…Diamantes???
        O mais provável é Hidrogênio Liquido…mas é o que pergunto?

  3. Salvador me tira uma dúvida, porquê nas missões Cassini e Juno, as sondas só enviam fotos e nenhum filme. São dificuldades técnicas? Obrigado, acompanho seu canal e os comentários, mas nunca tinha escrito antes, e aproveitando poderia me explicar o quê é “janela de entrada nos planetas”

    1. Manoel, filmes são sequências de fotos. Em geral, são fotos porque é isso que permite a ciência. Não há nada que os cientistas possam obter com um filme que vai mostrar 60 vezes a mesma lua (o equivalente a 2 segundos de filme) que eles não possam descobrir com uma foto só — e com economia muito maior de transmissão de dados.

      Tendo dito isso, há diversos “filmes” que são gerados por sequências de fotos da Juno e da Cassini, e as animações são incríveis. Podemos ver, em ritmo acelerado, a Juno mergulhando na direção de Júpiter e a Cassini flagrando luas passarem à frente umas das outras… é lindo. Não é útil, mas é lindo. 😉

    2. Salvador, obrigado pela atenção. Onde encontro estes filmes? E as janelas? Parabéns pelo trabalho de puro jornalismo científico e pela paciência que responde aos nossos questionamentos. ABS.

  4. Acredito ser de muita relevância estas explorações pois desmistifica o desconhecido e passa para a dimensão do conhecido, até porque talvez estas explorações planetárias são parecidas com as explorações que tivemos antigamente aqui na Terra, pois os países mais desenvolvidos buscavam novas terras distantes ainda desconhecidas que pudessem trazer retorno aos seus exploradores!!!!! Nem mapas existiam antigamente mas por causa dos exploradores veja o desenvolvimento e crescimento que foi gerado!!!!! Desmistificar tbm trás desenvolvimento cientifico!!!!

  5. Muito legal a matéria
    É triste a missão acabar, por outro lado, esse fim estará bem distante de um fim melancólico que poderia ter.
    Creio que será espetacular. Digna de uma missão tão produtiva
    Muito bacana também a preocupação em não “contaminar” as luas com nosso material orgânico

    Só uma dúvida
    A atmosfera de Saturno é azul?
    Parabéns

    1. O espalhamento de luz na maior parte das atmosferas tende a deixar o céu azulado. Em Marte também é assim. O céu só aparece naquele tom avermelhado pela quantidade de poeira suspensa no ar…

      1. Salvador, eu pensava que o céu na Terra é azul por causa do oxigênio na atmosfera…. Estava enganado pelo jeito. Grato pela informação!

  6. Ah, salvador, qualé?! Eu li o texto e todos os comentários, até o final… E não há nada sobre o buraco de minhoca que há naquelas bandas de Saturno, por quê?

        1. No primeiro livro era em Saturno, mudaram no filme para Júpiter e após o filme, mudaram inclusive no segundo livro.

          1. Kubrick (e Clarck) fez o filme após o livro. Isso significa que ele trocou o buraco de minhoca de lugar. Agora ele fica em Júpiter.

      1. Realmente um feito e tanto, esse do Clarke, de mudar o Wormhole de um planeta para o outro! 😛

      2. Como Salvador diz: Ficção é Ficção. A Realidade é muito diferente
        De onde tiraram que Arthur C.Clarke sabia da existência de um Wormhole em Saturno e quiçá Júpiter??
        Vcs acham que a NASA está escondendo a verdade, teoria da Conspiração…..acordem!

    1. Se quiser saber mais sobre o assunto de “buracos de minhoca” , precisa estudar a física quântica e a teoria das supercordas, e navegar no vão entre as galáxias para chegar no outro, alcançando impulso específico de um milhão de segundos.

    2. Porque no filme Interestelar, até essa parte do buraco de minhoca na órbita de Saturno tava bem legal, depois avacalhou tudo e ficou uma bosta. Aí, mandaram tirar o dito cujo.

    3. Hum…buracos de minhoca em 2001 e em Interestelar, e nenhum buraco de minhoca na vida real? O que a NAZA está escondendo da gente?

      😛

  7. Pois é Salvador, a ciência e a tecnologia são tão fascinantes que com essa notícia de “Grand Finale” deveria estar ocupando a página principal da Folha, e no entanto vejo tal de José Mayer entretido nesse caso de assédio. Fazer o quê do diretor né, ele é quem manda aqui. Como li esse assundo em várias mídias hoje, a sua matéria é extraordinariamente bem redigido. E quanto a sonda Cassini, espero que o desfecho final seja bem sucedido, e dentro da espectativa prevista pelo controle da NASA. Terá ele um mergulho suave e digno de uma missão cumprida.

  8. Desculpe a pergunta idiota…. mas as tais luas de saturno ficam antes ou depois dos anéis? Ou têm eclípticas diferentes?

    1. Tem luas conduzindo anéis — as luas pastoras –, por dentro e por fora, e tem luas além dos anéis. Tudo no mesmo plano.

  9. Mano Salva!

    Esses planetas muito distantes do Sol, são muito violentos, super agitados, super gelados, com pouquíssima luz, fora da zona habitável para o ser humano e não me emocionam.

    O que me emociona de verdade, são as tecnologias empregadas, necessárias para explorar e desvendar esses mistérios longínquos, mas, … a curto e médio prazo, na minha singela visão, essas tecnologias PROVARÃO quão inúteis são esses ambientes inóspitos em termos de custo/benefício para os humanos.

    SE, condicional, encontrar-mos alguma atividade biológica alienígena em algum oceano lunar submerso, pouca coisa mudaria em nossas vidas, exceto para os fanáticos religiosos.

    Por outro lado e a longo prazo, esse conjunto de tecnologias empregadas no nosso quintal solar, será um ensaio de vital importância na exploração de exoplanetas em sistemas interestelares distantes., … abs, ..

    1. Ué, quem disse que a missao da Cassini era descobrir vida ou sondar possivels planetas para futura colonizacao?
      O pessoal mistura as coisas. A missao da Cassini era aprender sobre Saturno e suas luas. A Huygens foi de carona e pousou em Tita.
      Agora contente-se com as fotos de nuvens e luas geladas. A sonda nao foi enviada ate la porque achavam que iria descobrir homenzinhos verdes.

    2. Cara, pra que desprezar Saturno desse jeito? Só porque lá não existe chão pra ser loteado? Talvez essa “falta de emoção” seja porque está olhando para cima com olhos de empresário, e não de cientista.

      1. É, porque cientista não tem interesse nenhum em encontrar ETs, né. Isso é coisa de empresário capitalista malvado!

        Só faltou o “Lula 2018” no fim de seu post.

    1. Toneladas. Inclusive no site da missão você pode ver as imagens não-processadas (raw), como chegam da espaçonave. (E, claro, serão todas PB, porque a sonda tira fotos em diferentes comprimentos de onda e aí elas precisam ser combinadas para gerar uma versão colorida — exatamente como faz a sua câmera do celular, by the way.)

    2. Algumas imagens sao excelentes, de cair o queixo. Saturno de perto é tao bonito que os incredulos acham que é CGI… E os instrumentos opticos da Cassini eram (e em parte ainda sao) de ponta (pra 1997).

  10. Qual satélite ficará no lugar da Cassini, Salvador? Existe alguma missão planejada para substituir a Cassini?

  11. Salvador, sem levar em conta os custos e também o acesso ao plutônio, o Brasil teria tecnologia pra construir e operar uma sonda como a Cassini?

    1. Não. O que permite missões como essas é a experiência. O Brasil, em termos interplanetários, vai começar do zero. Estamos planejando a Garatéa-L, para a Lua, que será bem elementar e dependente de elementos estrangeiros — a nave-mãe inglesa para inserção orbital e telecomunicações, o foguete indiano para o lançamento. É um primeiro passo. Mas daí a termos a capacidade de fazer uma Cassini… não custa lembrar que até hoje nenhuma entidade que não fosse a Nasa, no mundo inteiro, realizou uma missão ao Sistema Solar exterior (Júpiter em diante) até hoje. O mais longe que uma sonda europeia chegou foi às proximidades da órbita de Júpiter, mas em estado de hibernação — caso da Rosetta. Ninguém “operou” no Sistema Solar exterior a não ser a Nasa. E mesmo aí são modestas as missões: tivemos de sobrevoo a Voyager-1, a 2 e a New Horizons, de orbitadoras de Júpiter a Galileo e a Juno, e de Saturno a Cassini. É isso.

      1. Desde 72, 45 anos, 8 missões… uma a cada 5 anos e meio, aproximadamente. É bem pouco, de onde se depreende a imensa complexidade, custo e risco de missões como essas.

  12. Salvador!

    Você é o melhor colunista da Folha. Tem os textos mais incríveis. E ainda por cima, não tem comentários de ódio em sua página.

    Parabéns pelo trabalho!

  13. Salvador, parabéns pelo seu trabalho. Realmente emocionante o trailer e me lembrou muito a emoção que tive ao visitar o ônibus espacial Atlantis no Cabo Canaveral. Para quem não conhece e tiver oportunidade de ir até lá, com certeza se emocionará com o vídeo que apresentam antes de entrar no salão onde repousa esse “guerreiro”. Abraços!

    1. Eu vi isso! É de chorar também! Eu, como sou chorão, chorei lá e chorei agora. Chorei com o flyby de Plutão. Sou chorão. Heheheh

    2. Nossa, a visão do Atlantis é algo que comove qualquer um!
      Uma experiência impressionante 😉

  14. E tome doutrinação!

    É para isso que a Nasa gasta o dinheiro público? Sorte nossa não ter uma estatal como essa sugando nosso dinheiro para fazer pirotecnias. Não fiquei nem um pouco comovido com o vídeo, pois sei que o objetivo real disso é fazer o ilustre povo americano pagar mais tributos para sustentar esse elefante branco.

    Não sei como o comunismo chegou tão longe. Para quem não sabe, o nome de batismo da nave foi feito em homenagem a um renomado cientificista: Giovanni Domenico Cassini, “professor” de matemática. Professor.

    Por último, se vocês repararem bem, na foto do blog os anéis estão a “esquerda” da nave. Isso é semiótica doutrinária inventada pela escola de Frankfurt.

    E ainda digo mais, eu não disse nada verdadeiro.

    1. Pois é, esse dinheiro público que nos deu o painel solar, o termômetro auricular, os satélites artificiais que você usa no seu GPS, os membros artificiais para quem perdeu perna e braço, o detector de fumaça, os trajes de bombeiros para combate a incêndio, a ressonância magnética e a tomografia computadorizada, e por aí vai…

      1. Engraçado meu Tataravô nunca reclamou dá falta disso, enfim, o ser humano cria a necessidade ( mas ele já tem a solução) ou seja , criou um monte de doença e tecnologia, que ultimamente dependemos mesmo delas, Porque só é o que eles oferecem… Ex: a internet, não fazemos nada se ela for interrompida, mas porque, porque só deram essa opção, não tem outra forma, eles te cercam e acabou, Vc precisa deles mesmo não querendo ….. No Final, é um porre de dinheiro gasto atoa, pra curiosos mexer na onde não foi chamado

        1. Se o seu tataravô soubesse do que temos, desde a Internet até a Medicina, passando pelos confortos na cozinha, banheiro, som e TV, automóvel, ônibus, avião…ele iria ficar doido para ter tudo isso! Não despreze o seu tempo, vivemos na Idade de Ouro da humanidade.

        2. Vai esconder no mato. Selva Amazônica está logo ali. Fica lá e como seu Tataravô, vc não vai mais reclamar disso.
          Você não terá mais esta opção e nem se preocupará do dinheiro gasto á toa. Não vai saber de mais nada.
          Que legal, bacana, natureba…beleza….Tchau. Vai com Deus.

    2. Eduardo Farva é tipo um Gilberto Pessagno: no começo vc acha divertido, depois interessante, depois já começa a achar desnecessário.

  15. Realmente emocionante. Acompanho esta missão desde o início.
    Um Grand Finale espetacular para uma Grand Adventure da raça humana.
    Parabéns para a Nasa e todos os envolvidos, e para vc tb Salvador que ajuda os brasileiros a melhor entender estas novas fronteiras.

  16. Lindo! (não vc, o trailler). Savador, o brilhante Newton era um físico teórico ferradão em matemática, Einstein nem tanto. E, esses físicos teóricos famosos atualmente (Michio Kaku, Stephen Hawking, Neil deGrasse Tyson, Marcelo Gleiser, Salvador Nogueira, etc), são fodões na matemática ou “apenas” em descrever como o Universo funciona.

    1. Então, deixa eu me tirar da lista para começar, porque não sou físico, sou jornalista. Minha matemática é beeem rudimentar.
      Quanto aos demais, realmente é difícil dizer, porque, como você apontou, nem sempre físicos são exímios matemáticos. A matemática se ocupa de uma beleza abstrata, e a física precisa dar conta de fenômenos reais. Para a física um modelo operacional aproximado é melhor que uma linda equação exata e insolúvel. Ademais, nem tudo que a matemática descreve corresponde à realidade. A matemática permite estudar todos os Universos possíveis, enquanto os físicos estão presos a este aqui.
      Quanto aos nomes mencionados, eu só colocaria o Hawking acima dos demais em termos matemáticos.

      1. Valeu! Seu nome na lista dos físicos foi uma brincadeira, no entanto, o seu conhecimento e capacidade em descrever em palavras o cosmos, estão nivelados com esses citados.

      2. eu diria que os físicos “inventam” a matemática que precisam para usar como ferramenta em seus estudos, e depois os matemáticos pegam essas coisas inventadas pelos físicos e começam a delirar sobre elas, viajar na maionese… 🙂

        mas prefiro evitar polêmicas, hehehe!

        1. Há controvérsias. O Einstein, por exemplo, foi buscar a matemática para a relatividade geral com o Riemann, que, sabe-se lá porque cargas d’água, meio século antes resolveu descrever um espaço curvo de quatro dimensões, sem jamais ter pensado que aquilo pudesse se aplicar à realidade. Acabou que os tensores de Riemann eram a resposta certa, encerrando uma busca de uma década de Einstein pela matemática apropriada… foi um caso inverso ao que você descreve. 😉

          1. tem razão. mas de qualquer forma, foi necessário um físico para enxergar a utilidade de algo que a princípio não servia para nada… 🙂

        2. A álgebra matricial também é um bom exemplo, desenvolvida por matemáticos e só mais tarde aplicada na física (mecânica quântica por exemplo).

        3. Está claro que o colega David desconhece a Matemática e, principalmente, a história das Ciências. Além do exemplo citado pelo Salvador, poderíamos voltar mais no tempo e verificar que a sublime Matemática Grega foi desenvolvida, em grande medida, sem nenhuma preocupação com atividades aplicadas (Arquimedes talvez seja uma honrosa exceção). Posteriormente redescoberta pelos Matemáticos Medievais, tornou-se a chave para que o grande Isaac Newton formulasse a sua Mecânica Universal…

          1. Faltou dizer que os matemáticos medievais só puderam fazer essa redescoberta por conta dos matemáticos árabes, que preservaram as tradições enquanto a galera destruía livros e se dedicava ao feudalismo na Europa… rs

          2. É David, o Apolinário está com a razão.
            Não sou matemático mas, sem a matemática o que seria da Física?

  17. Isaac Newton foi aquele que descobriu as Leis Cósmicas que regem o movimento dos planetas. Ele não é o “piloto”! Quem pilota de fato é a força da gravidade…

    1. Parabéns, você acaba de descobrir a figura de linguagem conhecida como metonímia! Tomei o descobridor para me referir às leis que ele descobriu! 😉

      1. Ué…eu achei que tinham tirado o Isaac do formol e colocado o cara sentadinho na cadeira de comando, qual o capitão Kirk…

    2. …então, quem pilota qualquer avião no planeta Terra é o Newton, quem faz os objetos caírem quando largados também é o Newton e o movimento dos planetas e das estrelas de todo o Universo observável também é responsabilidade dele…coitado, esse Newton trabalha muito…

      1. Não, não é. Se você deixar o Newton pilotar o avião, ele cai. Sugiro, para pilotar o avião, contratar o Bernoulli. 😉

  18. Salvador, parabéns pela sua aula, é muito difícil encontrar informações deste nível em reportagens.

  19. Vi o trailler e, confesso, me emocionei. Intimista e falando já de saudade. Belo vídeo.

  20. Não acompanhei muito da missão, não entendi muito sobre a última frase do artigo, ao menos não até terminar de ver o video… realmente, emocionante!

  21. Salva… Arrepiou até os pelos que não devem ser mencionados…

    Mas me trouxe umas outras questões sobre a exploração do sistema solar externo, como anda aquela questão de que a NASA já quase não tem mais plutônio para fabricar os geradores das possíveis futuras sondas?

    E a Juno, vai rolar uma nova tentativa de ajuste da orbita?

    1. Os RTGs, pilhas nucleares, são fabricados pelo DoE (Departamento de Energia) e fornecidos à Nasa. Um acordo recente garantiu a reativação da fabricação para fornecer mais pilhas para missões futuras. A Saturno, por exemplo, não há muita escolha; é muito longe do Aol para alternativas solares.

      A Juno vai ficar onde está, com a órbita longa mesmo, para não arriscar a espaçonave.

      1. Bom, com o Trump por lá, vai ter plutônio de sobra até para usar no fogão de casa… (Para quem não sabe o plutônio q a NASA utiliza nos RTGs é um derivado, ou resto, da fabricação das bombas atômicas)

        1. Na verdade, pelo que entendo, plutônio-238 é usado para RTGs, e plutônio-239 para bombas. Não sei se, para produzir um, você tem como subproduto outro, mas sei que os EUA reativaram em 2013 sua produção de Pu-238, justamente porque o estoque estava acabando, e os russos não queriam mais vender… rs

          1. por que tem que ser esse plutônio 238, algum outro elemento radioativo tb não daria certo?

          2. É subproduto mesmo no processo de enriquecimento, ele é pouco “fissil”, mas libera muita radiação por longo tempo, tá aí a jogada de usar como combustivel…

  22. Salvador… só de ler, eu já sinto a presença de “ninjas cortadores de cebola” ao meu redor… Imagina, então, quando o dia chegar.

      1. É… com a Rosetta estavamos preparados, ela ja vinha se segurando numa perna so (literalmente 🙂 ), mas a Cassini até hoje mandas imagens incriveis…

      2. O mesmo com o fim do Hubble. Por sorte, vem aí o James Webb.
        Mas, temos de esperar que seja posto em órbita. Até lá, só nervos em frangalhos.

  23. Caro Salvador, segurei as lágrimas ao ver o espetacular trailer! Quem um dia iria nos imaginar tomando o cuidado de não contaminar luas de Saturno com eventuais bactérias terráqueas? Forte abraço!

    1. Eu acho que essa preocupação, muito correta, surgiu inicialmente nas histórias de ficção científica, de Asimov a Clarke, passando por Jornada nas Estrelas… Aliás, essa série divulgou bem o perigo que é interferir em possíveis vidas e culturas estranhas à nossa, lição trazida da descoberta da América pelos espanhóis, que perpetraram horrores em nome de sua religião.

    1. Tenha em mente que as manobras mais agudas da Cassini, ao trocar de órbita em Saturno, eram cortesia de Newton, usando a gravidade das luas — sobretudo a grandona Titã — para ajustes de curso.

  24. Essa é a notícia mais triste que vou ver hoje! :,(

    Salvador, a sonda poderia ficar numa órbita distante, permanente e segura apenas para ser nossos olhos em Saturno, transmitindo dados de lá, mesmo que não possa mais ir para outros lugares?

    PS: Buááááááááááááááááááá!!!

    1. Em tese poderia, mas aí perderíamos toda a ciência espetacular que ela vai produzir no Grand Finale. Será um fim incrível de uma missão incrível. E, por mais triste que eu fique, todas as coisas boas um dia terminam… faz parte da vida aceitar o fim.

  25. O desaparecimento da Cassini é bem mais que uma perda. Estava lendo a notícia no celular de manhã ainda deitado e minhas lágrimas molharam a fronha do meu travesseiro. Mais triste que a perda é a ausência de outra para substituir a atividade. Quem sabe no futuro, se desenvolvam técnicas de recarregar melhor estas coisas ou ainda se reserve um compartimento maior para o modulo de energia para ter maior durabilidade igual pelo menos a uma geração. Mas Salvador, você podia aproveitar a ocasião fazendo mais uma das suas muitas cortesias, publicando um post com um inventário das vinte principais sondas que estão por aí espiando o espaço assim como um resumo em três linhas contendo contendo a missão de cada uma. Que lhe parece a ideia?

  26. Gostaria de uma conotação mais científica e menos dramática, por parte da NASA, para o final da missão. O video deveria ser festivo e constar as principais descobertas desta missão de sucesso e não dramatizar o seu término. Mas fazer o que né?

    1. Uma coletiva de uma hora falando da ciência a ser produzida no fim da missão foi realizada ontem. O trailer é o que é — um trailer.

  27. Bom dia Salva,

    Se os planos de Musk se confirmarem enviar naves automáticas para os planetas não vai ser tão caro como foi até agora. Por isto creio que logo vamos ter uma substituta para Cassini, mesmo porque Titã e seus mares é um dos alvos preferenciais da pesquisa astronômica e astrobiologica, graças, óbvio à Cassini.

    Abraços

    1. Sem dúvida ajuda. Mas não resolve. Uma missão a Saturno precisaria de uma bateria nuclear (Sol tem um centésimo do brilho lá, comparado com cá) e também leva vários anos para chegar lá. Além disso, há dois gigantes ainda não visitados esperando sua vez — Urano e Netuno. Talvez possam iniciar nos próximos anos uma nova missão de classe intermediária focada em Encélado, Titã ou os dois, mas até ela ser lançada e chegar lá eu apostaria mais de uma década…

    1. Idem eu, admiro o trabalho e a visão que a Folha tem do que é bom jornalismo e como se esforça para praticá-lo, apesar da incompreensão de alguns mal-intencionados…

      É importante que aqueles que gostam da Folha assinem o jornal. A versão digital é baratíssima pelo que nos fornece, menos de um real por dia! Torramos muito mais que isso diariamente, em bobagens.

  28. :,( A Cassini me inspirou varias vezes com suas belas imagens de Saturno e luas
    No aguardo das ultimas imagens…

Comments are closed.