Cassini sobrevive à primeira viagem sob os anéis de Saturno; veja as fotos!

Na última quarta-feira (26), a sonda Cassini fez seu primeiro mergulho no estreito vão entre os anéis e o topo da cobertura de nuvens de Saturno, numa audaciosa travessia que marca o início da etapa final de sua missão. E agora a Nasa comunica que a manobra foi realizada com sucesso, trazendo as imagens mais próximas já feitas do globo saturnino.

O mundo prendia a respiração pelo sucesso do procedimento, que foi até mesmo objeto de uma animação na página de abertura do Google na quarta.

A comunicação com a sonda — e a confirmação da manobra bem-sucedida — só veio às 3h56 desta quinta (27), e a transmissão dos dados começou às 4h01 (pelo horário de Brasília). As imagens apresentadas, portanto, estão em seu estado “cru”, ou seja, sem qualquer pós-processamento feito em solo. Mas revelam detalhes estonteantes da atmosfera de Saturno, que certamente interessam e muito aos cientistas.

A razão para o longo atraso entre a travessia e a retomada das comunicações é que o controle da missão resolveu ser extra cauteloso nessa primeira visita a essa região inexplorada, potencialmente cheia de pequenas partículas provenientes dos anéis.  Na aproximação máxima de Saturno, a Cassini atingiu uma velocidade de estonteantes 124 mil km/h com relação ao planeta, e qualquer colisão com uma partícula, dependendo de onde pegasse, poderia ser fatal. Para evitar um risco maior, a sonda mergulhou usando sua antena principal como um escudo, apontada na direção de seu movimento, protegendo a eletrônica mais sensível. E, com esse apontamento, era impossível manter contato com a Terra.

“Nenhuma espaçonave voou tão perto de Saturno antes. Só podíamos depender de predições, baseadas em nossa experiência com os anéis mais externos de Saturno, do que pensávamos que esse vão entre os anéis e Saturno seria”, disse, em nota, Earl Maize, gerente do projeto no JPL, Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa. “Estou encantado em reportar que a Cassini se atirou através do vão exatamente como planejamos e saiu do outro lado em excelente forma.”

Imagens não processadas e recém-transmitidas pela Cassini após seu primeiro mergulho sob os anéis de Saturno (Crédito: Nasa)

A Cassini passou a cerca de 3.000 km do topo das nuvens saturninas (nas nuvens, a pressão atmosférica já é equivalente à que encontramos na Terra ao nível do mar), e a apenas 300 km da faixa mais interna visível dos famosos anéis. Em seu “Grand Finale”, nome que os cientistas deram à etapa final da missão, a Cassini repetirá esse feito audacioso 22 vezes, ao ritmo de uma por semana. A próxima passagem será no dia 2 de maio. E, na última delas, em 15 de setembro, a sonda mergulhará de vez na atmosfera de Saturno, para nunca mais ser vista.

Nesse meio tempo, os cientistas da Nasa esperam extrair novas descobertas sobre a estrutura interna de Saturno e de seus anéis, graças à geometria de suas últimas órbitas. A missão, que chegou ao segundo maior planeta do Sistema Solar em 2004, está sendo encerrada por falta de combustível e precisa ser destruída para evitar contaminação acidental das luas saturninas que têm potencial biológico, como Encélado e Titã.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

    1. Tá nada. Vivíssima. Fazendo imagens bem legais. Mas resultado científico ainda não saiu. Demora um tempo até analisar os dados e publicar numa revista científica.

        1. Como ela só faz a mesma órbita de novo e de novo, não gasta combustível. A ironia é: como o problema está numa válvula do tanque de combustível, ela está impedida de gastar combustível! Justamente por isso ela está presa nessa órbita de 53 dias, em vez de ir para os 14 planejados.

          1. Isso quer dizer que não tem uma previsão de encerramento da missão? Ou em caso de encerra-lá não teria o mesmo desfecho da cassini?

          2. Em algum momento eles vão ter de arriscar e ligar o motor, nem que seja para encerrar a missão. Mas não tem previsão de encerramento. Originalmente era para durar dois anos só (e claro que ia ter uma extensão). Mas agora, não sabemos.

  1. Salvador, como sempre, excelente texto, parabéns pelas explicações tão boas. Quando a Cassini entrar na atmosfera de Saturno ela ainda vai ser capaz de transmitir imagens, pra que a gente possa ver como é “dentro” do planeta? Abs!

    1. Não, Antonio. Eles nem vão tentar, porque a transmissão de uma imagem levaria muito tempo, e a comunicação com a Terra deve ser errática nos momentos finais, enquanto a sonda luta para manter a antena apontada para nós contra o atrito crescente da atmosfera. O que ela vai fazer é ir “saboreando” a atmosfera e nos contando as moléculas que encontra pela frente — dados que ela pode transmitir por mais tempo, por serem mais “leves”. Abraço!

      1. Incrível! Por um lado é triste que ela vá; por outro lado esses dados são muuuito aguardados.

  2. Eu simplesmente adoro esse blog e o seu trabalho, Salvador!!!!
    To acompanhando ansiosa esse grand finale!
    😀

  3. Acho uma pena que um feito dessa grandeza seja tão pouco divulgado pela grande mídia.

    Como dizia Carl Sagan, se as pessoas soubessem quão bela a ciência pode ser, as superstições não seriam tão valorizadas.

    Imagine que um objeto feito pelo homem está a ~10 UA daqui, passando entre anéis com uma ‘margem’ de meros 300km… com um bom carro dá pra ir da Cassini aos anéis em meras 2h.

    BTW, a velocidade da Cassini de 124 mil km/h (em relação a Saturno, eu presumo) é maior que a velocidade de translação da Terra.

    Só por curiosidade mesmo, Salva, qual o tamanho do vão entre os anéis?

    1. O vão entre os anéis e a atmosfera do planeta é estimado em pouco mais de 2.000 km. O número mais “cravado” que vi é de 2.400 km, mas há incertezas.
      O vão entre a porção visível mais interna dos anéis e o topo da cobertura de nuvens (pressão atmosférica a 1 bar) é de 3.300 km. A Cassini passou a 3.000 das nuvens, e a 300 da porção visível mais interna dos anéis, bem na faixa de 2.400 km que precisava passar.

      1. Eu tinha entendido que a Cassini ia passar naquele vão entre os anéis, não entre o planeta e o “anel interno”.

        Brigadão

        1. Opa, não. A divisão de Cassini — o maior vão entre os anéis — vai permanecer inviolada. (Além de ser uma manobra absurdamente arriscada, poderia ocasionar o maior evento de vandalismo cósmico de que se tem notícia… rs)

          1. Agora fiquei curioso.

            Por que seria tão mais arriscada que passar entre o planeta e o anel mais interno?

            Por que isso seria vandalismo?

          2. Veja o que é de fato a “divisão de Cassini”: from Earth it appears as a thin black gap in the rings. However, Voyager discovered that the gap is itself populated by ring material bearing much similarity to the C Ring.

            Agora imagine uma sonda em alta velocidade batendo ali e perturbando as pequenas partículas, potencialmente iniciando uma reação em cadeia que produzisse um buraco ou uma perturbação nos anéis. Nunca vi modelagem para saber se é possível, mas não arriscaria. rs

          3. Hahaha vandalismo cosmico foi boa 🙂
            Fiquei imaginando os vandalos na NASA planejando “roubar” o anel de Saturno 😛

    2. Pois é, também pensei nisso. 300km é o limite? Ou estão calibrando pra passar mais perto? Parece muito aqui pra nós, quase a distância Rio-São Paulo, mas lá deve ser uma ou duas quadras rs.

          1. São, exceto pela composição minoritária (1%). Mas a formação de nuvens exige certas condições específicas que o topo da atmosfera não fornece. Da mesma forma que a maioria das nuvens na Terra fica bem abaixo do topo da atmosfera. (Num avião, voamos rotineiramente por cima das nuvens, embora ele esteja a uma altitude que representa só 10% do caminho até o espaço.)

  4. O que pode ser este grande “buraco” que aparece na foto principal da matéria? Seria uma tempestade como o “grande olho”de Júpter?

  5. Infelizmente não tenho tempo de ESPERA pra vê um futuro com todas essas dúvidas aqui apontadas além de outras mais incríveis ainda aqui esclarecidas. Tenho certeza que num futuro não muito distante, quem estiver por aqui, saberá das respostas. Enfim, somos todos um só conjunto repleto de perguntas e ávidos de respostas de COMO SERÁ, ONDE ESTAMOS, PRA ONDE VAMOS, QUEM SOMOS e Deus nos defenda dos predadores dos humanos que estão nos esperando no futuro.

    1. Rapaz, eu não vi Deus até hoje nos defender de nenhum dos parasitas que já nos infestam — do Trypanosoma cruzi ao vírus da Aids, para ficar em só dois exemplos. Por isso, duvido que Ele vá mudar de postura no futuro. Melhor aposta para a auto-defesa é a ciência mesmo.

      1. Eu O vi nos defender dos vírus da gripe espanhola, por exemplo, guiando a evolução do vírus para uma cepa mais interessante ao próprio vírus, que não mata mais o hospedeiro. Atchim.

        Eu O vi mandando uma pedrinha pra acabar com os Dinos e assim permitir que nossos ancestrais evoluíssem para dar origem a nós, sem correrem o risco de serem almoçados.

        Eu O vi nos defendendo quando inspirou americanos e soviéticos a encontrarem uma solução não-nuclear para a crise dos mísseis em 63.

        Ainda assim, apostar na ciência para auto-defesa continua sendo a melhor idéia. E rezar para que Ele inspire nossos cientistas.

        1. Hahaha. Sério que você viu Deus fazendo isso? Porque o que eu vi foi a gripe espanhola seguindo seu curso evolutivo natural, como o vírus altamente mutante que é (tanto que continuamos sob risco de enfrentar uma cepa tão perigosa quanto a da gripe espanhola). O que eu vi foi o fato de que existem centenas de milhares asteroides perigosos no Sistema Solar e vez por outra alguns se desgarram do cinturão e atingem a Terra, de modo que um impacto mata-dinossauro aconteça em média a cada 100 milhões de anos (e vai acontecer de novo se contarmos só com Deus para evitar, pode apostar). O que eu vi foi uma situação diplomática muito volátil evoluindo para uma desescalada depois de quase chegar a uma guerra nuclear total por conta de conselhos sábios e presidentes sensatos das duas maiores superpotências (se Deus evitasse guerras, acho que Cesar, Napoleão, Hitler e Stálin não teriam chegado ao poder; até mesmo os religiosos aceitam que o ser humano tem o livre-arbítrio).

          Então não é que a ciência para auto-defesa seja a melhor ideia. É a única ideia. 😉

          1. Na verdade Salvador, você também não viu nada, apenas leu a respeito e tirou suas próprias conclusões. Respeite as demais, pois você que pelo seus comentários é ATEU, JAMAIS verá DEUS em coisa alguma, mas isso não quer dizer que ELE não exista, pois não pode ser refutado. Continue com o seu trabalho, mas respeite a divergência, sem fazer piadinhas ou tratar os seus leitores com desdem. Um abraço.

          2. Eu não sou ateu, justamente pelo que você disse: a hipótese de Deus não é testável. (Claro, se ele tivesse a mania de meter o bedelho em nossos assuntos, seria facilmente testável; mas, como não é o caso, não há mesmo como testar, e portanto não se pode refutar ou confirmar sua existência. Por essa razão, sempre me declarei agnóstico. É a única posição filosoficamente respeitável.)

            Por outro lado, as hipóteses de que o vírus da gripe tem alta taxa de mutação, asteroides caem com frequência na Terra e nada de sobrenatural (incluindo aí os X-Men) impediu que a crise dos mísseis de Cuba descambasse para a Terceira Guerra Mundial são facilmente testáveis, e já foram corroboradas com incontáveis evidências. Ou seja, nada de novo aí.

            Volto a repetir: com Deus ou sem Deus, a ÚNICA linha de defesa da humanidade é a ciência. Isso não é incontroverso, nem é desdém para com os leitores. É apenas um fato da natureza. Como já dizia Galileu, católico devoto: “Não acredito que o mesmo Deus que nos deu a inteligência quisesse que abdicássemos de seu uso.”

          3. Pode. Depende do quanto você quer apoiar sua vida em pensamento mágico ou em evidências.

      2. Cara, sou homem da ciência, e te digo que, vejo Deus em tudo, desde da menores estruturas da matéria, suas inúmeras combinações e as até nas equações matemáticas que abriram as portas de outras dimenções (antiverso e multiverso)

        1. Ué, o que você vê é uma impressão pessoal sua, e se ela te faz feliz, parabéns. A religião é exatamente isso: uma coisa pessoal e intransferível. Não estou na sua cabeça para ver Deus como você vê. Mas veja só que maravilha, a ciência ambiciona a objetividade: sobre o que ela revela, podemos todos concordar. Ela é universal.

          Por isso costumo dizer que, na psique, ciência e religião podem ser complementares. A primeira é universal e versa sobre tudo que podemos testar objetivamente. A segunda é pessoal e versa sobre tudo que é subjetivo e não pode ser confirmado ou refutado.

          Em outras palavras: por mim, acho maravilhoso que você veja Deus em tudo. Só não tente me dizer que, por causa disso, você rejeita a evolução das espécies. Aí é a religião tentando invadir o espaço da ciência — aquele que é universal e objetivo. Costuma dar merda. E o mesmo vale para a ciência tentando dizer que Deus não existe. Se tentar, está fadada ao fracasso, porque Deus não é uma hipótese testável.

          É isso.

        2. Rsrsrsrs, Caro Salvador, não citei em nenhum momento a palavra religião, A “Ciência sem Deus é capenga” A. Eintein.
          Não, recebo isto como uma agressão, acredito que, até por você pensar e dizer o que pensa, tem a tendência de outras pessoas te colocam como insano…Bom, em instante algum, disse ou afirmei: Ser Religioso, em negar a Evolução das Espécies, que não exista Vida fora da terra, que a Terra é plana ou Oca…etc. Poderíamos ficar aqui entre uma assunto e outro por anos-luz. Deus é causa primária de todas as coisas, e conforme o ser humano desenvolve a inteligência dando caracteres de sabedoria, as coisas inexoravelmente ficam claras. Se for assim, nossa alma, espírito, ser objetivo ou subjetivo também seria uma hipótese.

          hoje falo contigo, ontem pessoas te viram..daqui alguns anos “após” sua morte (não morra logo)…conforme a “hipotese de Deus” você e eu também seriamos uma hipótese, que embora exista toda espécie de meio comprobatórios de tua existência, poderá para aquele que nasceu depois de você, simplesmente de valorar como uma hipótese, ainda que teus netos digam e falem de você, muito provavelmente, ainda assim, eles dirão que é uma subjetividade.

          Sobre sentir-me bem sobre Deus, sim, me sinto bem. Salve a ciência.
          Obs: coloque seu endereço aqui para mandar uma intimação para você.

          Destinatário: Salvador Nogueira
          Remetente: Papa Gregório IX

          Relaxa Salvador, não sou adepto de Religião. Nada contra.

          1. Einstein nunca disse que a ciência sem Deus é capenga. Ele disse o seguinte: “A ciência sem a religião é tosca, a religião sem a ciência é cega.” E o que ele quis dizer com isso é que a ciência depende de um sentimento que ele interpreta como religioso de que o Universo pode ser compreendido pela mente humana. Por isso a ciência sem a religião seria tosca. Já a religião, sem a ciência, seria cega, porque acreditaria na compreensibilidade do mundo sem nada realmente saber dele, como alguém tentando “adivinhar” a natureza, só pelo fato de ela ser compreensível. Foi nesse contexto em que ele proferiu a frase.

            Mas, para não deixar dúvidas sobre o que Einstein pensava, ele escreveu isto também:

            “A palavra Deus para mim nada mais é do que a expressão e o produto de fraquezas humanas, a Bíblia uma coleção de lendas honradas, mas ainda assim primitivas, que são ainda assim bem infantis. Nenhuma interpretação, não importa quão sutil, pode (para mim) mudar isso.”

            Acabo de terminar um livro sobre Einstein, então li bastante sobre o pensamento dele a respeito dessas coisas (embora o livro se concentre na ciência dele, claro). Melhor não citá-lo para defender o que ele mesmo chamou de “superstições infantis”. 😉

            Gosto da sua reflexão de que nos tornaremos meras hipóteses — ou lendas, melhor dizendo — no futuro. Na verdade, seremos completamente esquecidos. Só quem não é esquecido vira lenda, e são poucos. Einstein é um deles. A maioria some mesmo. Mas isso não me desanima. Porque estou construindo os alicerces para o futuro, como as gerações anteriores construíram os alicerces para a nossa época. Eles não são lembrados por nome, nem eu serei, mas deixamos nossa marca. O objetivo é entregar o mundo um pouquinho melhor do que encontramos. A meu modo, de forma modesta, acredito realmente estar fazendo isso.

            Abraço!

          2. Concordo com vc, a expressão que usei é síntese.
            o importante é que estamos fazendo ciência, ainda que teórica em determinados campos que as vezes, tendem a ser extremamente opostos, mas, seja como for, o oposto é necessário e faz, ainda que, sem a convicção ou crença de ambos. Cada qual caminha uma convergência, mesmo que, estes pensamentos sejam antagônicos. Acredito piamente na ciência como a única forma que temos para sair do ostracismo. que a educação possa abrir as mentes, o intelecto, etc.

            Que venham as novas missões, encêlados, Titã (nossa próxima casa), acredito que, quando o Sol começar a fase Gigante Vermelha, Titã será um local muito propício a vida humana, claro que, com muita adaptações, mas será melhor que qualquer outro corpo do Sistema Solar.

            Obrigado.
            Ps: cadê o endereço.

          3. Que endereço? O Papa Gregório IX pode me encontrar no Facebook, na página do Mensageiro Sideral! 😛

    2. Eu, nem vou falar nada, e estender muito, porque sei que vocês preferem a dualidade do E-Ser e E-não Ser , ao invés da tri-unidade do “ESTAR”.
      vou só reemendar a linha do labirinto, que traz contenda entre vocês! em uma sequência menos paradigmada, ou esteja a parte da linha na posição acertada, próximo ao carretel.(dês do no dos primeiros 2,4 bilhões de anos).
      Dai, como diz a pedra branca; O criador do principio,dês do principio, deu autonomia as criaturas ,que se chamam ANJOS, detentores de com-ciência divina; assim diz o livro!
      la na frente existem outros nos que precisam estarem reemendados e realinhado.
      O terceiro homem(eva) se tornou hibrido com a geração do primeiro criado a mais 2,4 bilhões de anos antes.O primeiro hominídeo, que não estava o segundo hominídeo , O (adão).
      dai a natureza do quarto homem(o hibrido), hibrido com a geração de outras gerações de outros híbridos, carregando diferentes cargas genéticas, e se se tornou menos imune e mais suscetível a doenças,etc.. assim diz o livro da com ciência!
      depois tentem re estabelecer a sequencia dos nós e acrescentar sequencias antes relevadas, seguindo a ideo-logus-grifação, pela etimologia literal, que vocês acabam se entendendo!
      “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, estaria como o metal que soa ou como o sino que tine”, não posso comentar sobre os Anjos? se nem a-do-na-y pode quanto mais anjos?

  6. Salvador muito esses estudo, mas porque não estudar mais as luas Encélado e Titã ao invés de Saturno

    1. Acabou o combustível. A missão precisa acabar. Essa foi a solução para produzir ciência nova até o final.

  7. Um dos meus piores terrores espaciais estão os anéis dos planetas, em especial do planeta saturno! realmente se eu pensar neles eu não durmo”!
    Preferia ver um predador 4 , cara a cara; ou a bolha 46, do que ver os anéis, se espatifando no espaço e vindo em direção ao sol!!
    rsrsr, talvez nem acompanhe, só para não ter que olhar para eles!! hahaha”.
    só imaginar em alguma coisa passando por lá , me da ojeriza!

    1. GIgantes gasosos sao assustadores, talvez porque sabemos que se nosso planeta estiver perto o suficiente deles para que ocupem 1/3 do ceu, a coisa estaria mais do que preta para a vida no planeta como a conhecemos. O campo eletromagnetido de um planeta gasosos como esse e a radiacao oriunda do mesmo seriam o suficiente para destruir toda a vida no planeta terra. Eu tenho pesadelos com Jupiter, aquelas nuvems todas circulando… Tem alguma coisa la embaixo…

    2. Os anéis de Saturno não fariam nem cócegas no Sol, seriam vaporizados ainda a uma boa distância deles, pelo seu tamanho. Até mesmo Saturno, caindo no Sol, só faria um “blop” e desapareceria…

      1. isso eu sei, o problema esta onde ficaria a terra e nos no meio deste caus planetário junta toda massa dos anéis ! e compara com o tamanho da terra pra ver, ainda mais o sol ia reagir, e cuspir alguma coisa de volta.
        só um simples asteroide ele já berra, imagina todo aquele anel de saturno!
        também ia carregar um cado de asteroide do cinturão principal e o de júpiter,(trojans e greeks) alem de possíveis luas.
        Urano ta alinhado com peixes , isso para mim tem um significado caótico, que eu não vou estender.
        Imagina se um vem em cima do outro , se um já trinca o neurônio, imagina os dois anéis vindo , e arrastando ate asteroides do cinturão de Oorts por vácuo . com certeza o planeta em si Urano e Saturno também iriam ficar reagindo desequilibrados sem sem roupa dando golfadas a cada tentativa de re equilíbrio quando recebesse parte dos anéis dentro deles!

        Para,para,para, que eu não quero pensar mais nisso!hahahah
        Se não vou dar dar convulsões epilépticas daqui a pouco hahahahah
        por isso que digo, que precisamos subir logo,motor hexa-ressonante-capacitivo ou extinção em massa, tecnologia tesla anti-gravidade já! todo poder emana do povo!

  8. Percorri as respostas dadas e acho que ninguém perguntou: e as temperaturas? Na ‘superfície’ visível, qual seria? Ao aprofundar no planeta, a combinação pressão mais temperatura é que determina as fases? Ou não? Aprofundando também esquenta, e também existe alguma geração de luz? Viu, só isso. Parabéns pela matéria.

    1. Sim, a combinação pressão+temperatura determina as fases. E a temperatura sobe na direção do interior. E sim, há geração de luz (mas não visível, mas sobretudo no infravermelho). Saturno emite duas vezes mais radiação do que recebe do Sol. A Cassini inclusive fez observações importantes a esse respeito, mostrando que a quantidade emitida de radiação varia com as estações do ano em Saturno.

      1. deve ser congelante no topo das nuvens mas também deve ter uma “zona habitável” em algum momento penetrando na atmosfera onde água deve fazer um ciclo gasoso/liquido/sólido? nesse caso é possível dar asas a imaginação e ter esperança de algum tipo de vida nessa região?

        1. Com bastante asa e bastante imaginação… as condições não são propícias, pelo que entendemos. Mas impossível é uma palavra perigosa para a ciência… rs

  9. Grande Salvador, boa tarde! Espero ansioso pelas fotos dos anéis… quando criança, vi Saturno em um telescópio daqueles amadores com meu pai, e desde então aguardo uma foto em alta definição e com detalhes vistos de perto dos anéis… teremos algum material assim? Em um outro artigo li que a Cassini ia “passar” por entre os anéis, o que poderia possibilitar as tão sonhadas fotos que mostram visualmente a estrutura dos mesmos… será assim, de fato?

    1. Então, segundo a Linda Spilker, eles poderão enxergar até mesmo partículas individuais dos anéis, se houver alguma com 1 ou 2 km de diâmetro — o que é bem grande para o porte das partículas típicos, mas pode existir nos tais “propellers” que eles enxergaram já na estrutura dos anéis em imagens anteriores. Veja imagens da Cassini feitas do “propeller” Santos-Dumont (sim, batizado em homenagem ao nosso Santos-Dumont!), no anel A: https://saturn.jpl.nasa.gov/resources/7611/

      1. Fantástico! E também é fantástica essa homenagem ao nosso pai da aviação, rs, pois vinda dos EUA, me surpreendeu! Estarei acompanhando a transmissão ao vivo do Grand Finale…

        1. Eles pescaram vários aviadores pioneiros para os “propellers”. Sei que tem o Blériot também, e não duvido que tenha os Wright — nada mais justo que todos estejam lá.
          A exploração espacial é um empreendimento internacional, e a Nasa entende isso. Não vamos nos esquecer também que a New Horizons mapeou e batizou a montanha “Coleta de Dados” (com esse nome, em português mesmo), em homenagem ao Satélite de Coleta de Dados (SCD-1), o primeiro satélite brasileiro. 😉

          1. Verdade, agora que vc comentou me lembrei do caso da “Coleta de Dados”! Não sabia essa das homenagens aos aviadores, sensacional a NASA não ter bairrismo nessas questões…!

  10. Cassini “pé-de-boi”!!! =D Fará os 22 mergulhos com 100% de eficácia e partirá “de pé”, com méritos eternos! Que honra ser contemporâneo dessa maravilha da engenharia humana. =) –
    (já segurando aqui as lágrimas de Setembro… rs)

    1. Vai ser tenso. Vou transmitir ao vivo via YouTube e estou com medo de passar vergonha… rs

  11. Salvador, parabéns por mais uma matéria fantástica!

    Juno ou Cassini, qual tem maior potencial para nos surpreender com descobertas incríveis ao longo dos próximos meses?

    E a sonda Cassini, em seu ultimo mergulho, será capaz de enviar informações para terra até que momento?

    1. Cassini, não só pelo conjunto da órbita, mas por ter órbitas de 7 dias, enquanto a Juno, coitada, por um problema no propulsor, ficou presa a uma órbita looooonga de 53 dias.
      A Cassini deve mandar informações até ela perder a capacidade de manter a antena apontada para a Terra. Ela vai estar com o espectrômetro de massa ligado na descida. É um equipamento que detecta moléculas individuais batendo nele e, por sua massa, deduz sua composição. Por exemplo, quando bate uma molécula de peso 2, sabemos que é H2. (Tem um joguinho aí porque moléculas diferentes podem ter pesos iguais, mas pelas quantidades e pelos modelos dá para saber qual que é.)

  12. Alguém pode me explicar o motivo que as imagens enviadas mesmo com o avanço tecnológico de hoje com câmeras digitais de milhões de pixels e bilhoes de cores a Nasa ainda transmite as fotos em Preto e branco ? o canal de transmissão de dados continua ainda nos anos 70 ?

    1. Já respondi para outro leitor. Vai a cópia para você também. 😉

      A câmera do seu celular tira fotos em PB também. Você sabia disso? Só que o que ela faz é tirar, em rápida sequência, uma foto PB captando verde, uma foto PB captando vermelho, e uma foto PB captando azul. Aí ela combina as três fotos numa só e gera uma imagem colorida. A Cassini também faz isso, mas só quanto tira as três fotos em sequência e aí os cientistas pegam as três fotos e recombinam numa só. Isso é o tal processamento. O que você está vendo são várias imagens não processadas, ou seja, a versão PB, com diversos filtros. Se você for na página de imagens “cruas” da Cassini (recomendo: visite saturn.jpl.nasa.gov e clique em Raw Images), verá que tem várias imagens aparentemente iguais em PB. Provavelmente são filtros de cores diferentes, que depois poderão ser recombinados para gerar uma imagem colorida.
      Agora, tenha em mente que, nas fotos de aproximação máxima, talvez não tenhamos mesmo uma visão colorida. Por quê? Porque viajando a 124 mil km/h não é fácil tirar 3 fotos da mesma coisa com 3 filtros diferentes sem uma mudança de perspectiva que desalinhe as imagens.
      Numa nota final, acho engraçadas essas críticas. Se a foto é coloridaça, lindona, perfeita, aí acusam a Nasa de fazer CGI, imagens por computador. Se a imagem é bruta, PB, claramente com viés científico, com filtros específicos para detectar certos elementos químicos, aí a Nasa é tosca. Como agradar a essa gente?
      (Numa nota final final, estamos no século 21, mas a Cassini foi lançada em 1997. E, claro, suas câmeras foram construídas antes disso. É um testemunho da alta tecnologia da Nasa que a Cassini tenha a bordo uma câmera de mais de 20 anos que faça imagens melhores que a do seu celular, como esta: https://saturn.jpl.nasa.gov/internal_resources/628/)

      1. Orra mas se meu celular tira a foto em 1 segundo e ela sai lindona e colorida pq a câmera da Cassini não consegue tirar? pq o processamento dela tem que ser super demorado e Oh meu Deus…da forma que você explicou parece que eles colocaram um filme de 36 poses e precisam revelar as imagens e etc… nossa inteligência é melhor que isso vai, sabemos que as cameras hoje em dia são minúsculas e ultra avançadas…outra coisa, as imagens são sempre horríveis e de qualidade péssima…sei lá, sei que vc explicou mas essas coisas pra mim não colam muito, Se meu S7 tira uma foto perfeita nada explica pq uma câmera da NASA não iria conseguir tirar, sei lá…não tem sentido

        1. Pega o seu celular e tira uma foto da rua com seu carro a 124 mil km/h. Vamos ver o que sai. 😉

        2. Euzinho leia toda a resposta do Salvador!!! A câmera da sonda é dos anos 90!!!! O que não tem sentido é você querer comparar a tecnologia daquela época com a tecnologia atual do seu “S7″e comparar as fotos que você tira com aquelas sacadas a 124 mil km/h!!

          1. Com um detalhe adicional: essas imagens aí são não processadas ainda. Você, como usuário de celular, quer que o aparelho faça todo o trabalho de processamento sozinho, pois seu objetivo é uma foto bonita, não uma medição científica precisa. Os cientistas da Nasa prezam pela informação científica nas imagens, então preferem fazer o processamento em solo, deixando para a Cassini o trabalho de mandar só as imagens brutas, para depois serem processadas por técnicos e computadores em solo. Ou seja, é injusto comparar uma foto sem processamento de uma câmera dos anos 90 viajando a 124 mil km/h a mais de 1,5 bilhão de km daqui com a sua câmera de celular modelo 2017 que só entrega imagens pós-processadas, com filtros automáticos de embelezamento, tiradas a velocidades modestas e aqui mesmo na Terra!

      2. Talvez não sejam críticas mas apenas uma curiosidade aguçada de uma mente mais crítica.

        1. Não tenho o contexto. Mas se foi aquela foto de Saturno inteiro, é um mosaico, feito de quando a sonda estava numa órbita mais alargada em torno de Saturno. (Lembre: ela nunca esteve tão pertinho quanto agora!)

          1. Sim, era essa. A foto (as fotos) então foram quando já estava em órbita, não na aproximação.

            Detalhe interessantíssimo: a tênue sombra que os anéis projetam sobre o planeta!

    2. Uma coisa que sempre me perguntei: como Saturno fica muito longe, a NASA deve automatizar todo o processo de tirada de imagens, não é mesmo? Não daria para apertar um botãozinho de máquina fotográfica e esperar um bom resultado, pois o sinal demora vários minutos para chegar lá. Como funciona esse processo, Salvador? De comando das sondas a grandes distâncias? Obrigado.

      1. É isso mesmo. Tudo é programado de antemão e a sonda executa sua programação na hora certa. Isso dá uma medida boa de como têm de ser precisos os cálculos de órbita. Imagine, por exemplo, a sonda que foi a Plutão. Se os cientistas errassem um pouquinho que fosse o cálculo de onde estava a sonda com relação ao planeta, ela ia tirar fotos nas direções erradas e todo o esforço de décadas teria ido pro lixo. Tenso.

        1. Problema que já não assusta tanto para as próximas missões, que podem ser equipadas com IA. A própria sonda pode corrigir desvios de rota, ajustar órbitas e escolher as fotos a serem tiradas.

          1. Mais ou menos. A ciência ainda é feita pelos cientistas, e eles precisam escolher os alvos. Quanto aos cálculos, eles são largamente feitos por IA, mas aqui na Terra, onde você pode ter computadores mais potentes — e mais novos — do que aqueles embarcados há 20 anos na Cassini. E não preciso dizer que todos esses cálculos precisos só são possíveis porque nosso entendimento da física é bastante robusto — um famoso cala-boca naqueles que adoram nutrir besteiras como “Einstein estava errado” e tal.

    3. Olhe, se bem me lembro de uma matéria do Salvador sobre a sonda de Plutão, o canal de transmissão realmente ainda é padrão anos 70/80 rs.

      1. Não é que o canal de transmissão seja padrão anos 70/80, é que a relação sinal/ruído lá dos cafundós do Sistema Solar, sem uma antenona na outra ponta para transmitir, é ingrata, obrigando a taxas de download bem lentas.

        1. Hum valeu o esclarecimento Salvador, pensei que fosse alguma limitação tecnológica.
          Comparando Saturno com Plutão, a taxa é a mesma? Levando em conta que a distância é quatro vezes maior.

          1. Não, Plutão é bem mais lento. (Sem falar que a New Horizons têm câmeras mais potentes, e fez a coleta de dados toda de uma vez, um pacotaço que levou mais de um ano para baixar.)
            Mas esse é um problema crítico. A Galileo rendeu muito menos do que se planejava, em Júpiter, porque a antena principal falhou. Aí tiveram de usar a antena secundária (normalmente destinada a emergências) para transmitir os dados. Até aí, você fala: beleza, o único problema é o download mais lento. Só que a Galileo era uma missão orbitadora. A cada “download”, ela apagava sua cópia dos dados da memória para liberar espaço para novas observações. Se o “download” é lento, a memória de bordo logo “entope”, e aí nem adianta fazer mais observações porque não tem onde salvar. Apesar dessa imensa dificuldade, a Galileo foi muito produtiva. Um sucesso. Mas veja como são as coisas: você pode ter a melhor sonda do mundo, mas se a comunicação com a Terra não é boa, lascou-se.

          2. Comentando sua resposta ao “Pare com a loucura”, Salvador: não adianta a pessoa ser a mais inteligente e maravilhosa do mundo, nem a sonda ser a mais moderna, espetacular e mais cheia de instrumentos do mundo, se não houver uma comunicação de qualidade.

            Aos jovens, que fique essa mensagem: desenvolvam sua capacidade de comunicação (oral e escrita) para que seus ouvintes e leitores os entendam, sejam eles seus pais, seus amigos, seus colegas, seus chefes… Quem se comunica bem consegue ser entendido e progride mais em suas carreiras profissionais.

            Como já dia o filósofo Chacrinha: “Quem não se comunica se estrumbica”.

          3. Putz imagine o desespero no comando da missão, a sonda atolada de fotos e leituras e não dá pra baixar nada nem fotografar nada novo porque não tem espaço. Mas acho que isso deve entrar na conta da missão, o que vier é lucro, sempre haverá acertos e as perdas a gente só imagina o que perdeu rs como aquelas imagens incríveis dos impactos de pedaços de cometa em Júpiter, essa foi um hit de peso.
            Os miss a gente só pode imaginar rs.

  13. Há tantas belezas em nosso planeta e insistem em buscar outras alternativas…acredito que melhor seria se valorizássemos o que temos preservando.Acreditar que teríamos condições de criar todos os recursos necessarios para vivermos é nos iludir, se nem uma nave conseguiu se manter por mais tempo, nós teríamos?

    1. Acreditar que uma coisa exclui a outra é ridículo. É como dizer que não deveríamos dar condições a você de ter atendimento de saúde enquanto não acabássemos com a fome no mundo inteiro. Faz sentido isso? Ou você acha que devemos tentar resolver o seu problema de saúde junto com os problemas de fome no mundo? E será que ao investirmos em tecnologia não estamos gerando mais empregos, produtos e serviços, gerando impostos, e ajudando a resolver todos esses problemas de forma mais eficiente do que com uma visão tacanha e limitada?

  14. Aqui só se pode postar o que se refere a opinião do moderador?
    Porque meu comentário foi removido.

    1. Não foi removido. Moderador estava levando e buscando filho no inglês, almoçando e levando filho na escola. Perdoa o moderador? rs

          1. O hexágono como citei no outro comentário, têm 25.000 km de diâmetro. Com essa largura e a sonda Cassini a 3.000 km do topo da nuvem, vc teria um zoom 8 vezes menor dentro do orifício, não sei se teria uma câmera de 360grau.

          2. Sim, mas lembremos que a Cassini, pra tirar uma foto do polo norte de Saturno, não pode estar na aproximação máxima. Tem de estar na entrada da travessia, a uns 10.000 km ou mais do planeta.

          3. Há sim, vc está certo! Essa foto não engana, podemos perceber nessas três fotos, que a ordem está na sequência 2,1,3 pelo zoom. Ademais foi cortado.
            É bem provável que esteja dentro!

  15. Salve Salvador!!!!
    Parabéns e obrigado pelas postagens.
    Saturno é gasoso, sem núcleo. Então haveria a possibilidade de uma sonda, claro que fabricada para isso, entrasse em um lado e saísse do outro? Imagina a quantidade de informações!!!!!!

    1. Não teria como. A pressão lá dentro é impensavelmente alta. Faz hidrogênio se comportar como metal e, antes disso, como líquido.

      1. “Gasoso, sem núcleo”???? Existe comprovação disso, ou é uma teoria? Até onde eu sei, tem hidrogênio líquido lá dentro…

        1. Tem hidrogênio líquido, mas esse não seria o núcleo. O núcleo, talvez, seja de silicatos. Mas não temos certeza se existe ou não. Para Saturno é mais provável que exista, para Júpiter talvez tenha existido, mas já tenha se “diluído” pelas forças convectivas. Enfim, questão controversa. Não por acaso a fase final da Cassini se destina, entre outras coisas, a estudar a estrutura interna de Saturno, e a Juno esteja estudando a estrutura interna de Júpiter. 😉

  16. Salvador,
    Essa coisa de “não ter chão” em Saturno e nos demais planetas gasosos me intriga… é realmente tudo uma enorme esfera de 100% gás? Nem um núcleo metálico ou rochoso que seja sequer do tamanho de um asteroidezinho?
    O que se espera é que essa atmosfera densa e inóspita “dissolva” a sonda?

    1. Já abordei isso no caso de Júpiter. É tudo majoritariamente hidrogênio-hélio, salvo talvez um núcleo de silicatos. Mas com o aumento de pressão, conforme se desce, o hidrogênio passa a se comportar como líquido e depois como metal. Ou seja: na verdade são planetas que começam gasosos, passam a líquidos e terminam metálicos.

      1. Basicamente, como a Terra…. gás, líquido e sólido. Com outras proporções, outras densidades, outros materiais.

        É puramente uma questão conceitual. Você poderia entender simplesmente que o núcleo sólido-líquido é o planeta, e todo o gás, a densa atmosfera.

        Ou não?

        1. Não diria basicamente como a Terra, porque a Terra tem essa combinação de água e silicatos na superfície. Lá seria só líquido por cima e silicatos, se houver, muito por baixo. Mas sim, você pode dizer que Júpiter e Saturno são “gigantes líquidos” com um enorme invólucro atmosférico. Gosto mais da convenção, contudo, porque não há mudança de composição, há só mudança de fase. Aqui saímos de uma atmosfera de N2 e O2 para uma superfície de silicatos ou H2O. Lá temos uma atmosfera de H2 e He, e um oceano global de H2 e He… o que muda é só a pressão, mas não a composição.

  17. Salvador, não é possível que o núcleo de Saturno seja rochoso, tal como teorizam alguns chineses, o mesmo valendo-se em relação á Júpiter?

    1. Pode haver um núcleo rochoso, mas não devemos imaginá-lo como uma Terra lá dentro. Ele é rochoso no sentido de que é composto de silicatos. Mas sob uma pressão tão absurda que provavelmente não se pareceria nada com o nosso planeta rochoso.

    2. É bom que fique claro uma coisa: O SALVADOR NOGUEIRA, é de fato um pesquisador e sabador de muito, muito mesmo das coisas que se falam do UNIVERSO. Entretanto seria interessante quem por aqui passa, saber que o amiGÃO SALVADOR ainda não tem nem terá respostas para as perguntas mais cobiçadas, mais esperadas e as que de fato mais tiram o sono do PESSOAL DA NASA, inclusive o meu, rs, quando se imagina das coisas que estão no universo adentro, pelo menos nos próximos 100/200 anos, imagino!

      1. Não sei do que você está falando, mas eu sou um jornalista de ciência com paixão pelo meu trabalho, que lê um bocado e fala com uma porção de gente mais esperta que eu. É isso. rs

      2. Eu mesmo não consigo entender por que o Salvador fala tanto no Universo, como se o Universo fosse a coisa mais importante do mundo….

        1. O Universo É o mundo. Acho que os humanos eventualmente vão parar de se ver como cidadãos da Terra para se ver como cidadãos do Sistema Solar, da Via Láctea e do cosmos. O penúltimo capítulo do meu primeiro livro, “Rumo ao Infinito”, de 2005, se chama “Cidadãos do Universo”.

          Tendo dito isso, eu normalmente sou mais objetivo e falo de objetos dentro do Universo, e não do Universo em si (salvo nas reportagens de cosmologia, claro, em que o objeto de estudo é de fato o Universo inteiro).

  18. eu devo ser burro pa cassete, por isso me expliquem por favor, por que as fotos da nasa, e nos estamos em pleno seculo 21 e com boa tecnologia, as fotos vem todas em preto e branco???

    1. É, você é meio tosco mesmo. rs. Brincadeira. Vamos lá.
      A câmera do seu celular tira fotos em PB também. Você sabia disso? Só que o que ela faz é tirar, em rápida sequência, uma foto PB captando verde, uma foto PB captando vermelho, e uma foto PB captando azul. Aí ela combina as três fotos numa só e gera uma imagem colorida. A Cassini também faz isso, mas só quanto tira as três fotos em sequência e aí os cientistas pegam as três fotos e recombinam numa só. Isso é o tal processamento. O que você está vendo são várias imagens não processadas, ou seja, a versão PB, com diversos filtros. Se você for na página de imagens “cruas” da Cassini (recomendo: visite saturn.jpl.nasa.gov e clique em Raw Images), verá que tem várias imagens aparentemente iguais em PB. Provavelmente são filtros de cores diferentes, que depois poderão ser recombinados para gerar uma imagem colorida.
      Agora, tenha em mente que, nas fotos de aproximação máxima, talvez não tenhamos mesmo uma visão colorida. Por quê? Porque viajando a 124 mil km/h não é fácil tirar 3 fotos da mesma coisa com 3 filtros diferentes sem uma mudança de perspectiva que desalinhe as imagens.
      Numa nota final, acho engraçadas essas críticas. Se a foto é coloridaça, lindona, perfeita, aí acusam a Nasa de fazer CGI, imagens por computador. Se a imagem é bruta, PB, claramente com viés científico, com filtros específicos para detectar certos elementos químicos, aí a Nasa é tosca. Como agradar a essa gente?
      (Numa nota final final, estamos no século 21, mas a Cassini foi lançada em 1997. E, claro, suas câmeras foram construídas antes disso. É um testemunho da alta tecnologia da Nasa que a Cassini tenha a bordo uma câmera de mais de 20 anos que faça imagens melhores que a do seu celular, como esta: https://saturn.jpl.nasa.gov/internal_resources/628/)

        1. É real. Mas precisamos qualificar “real”. Imagens do Sol como essa, por exemplo, pegam certas frequências de luz, muitas delas que nossos olhos não veem, e aí convertem em cores que podemos ver. Ou seja, a imagem é real, mas foi “convertida” em algo que pudéssemos ver com os olhos. Quando a Nasa produz imagens multicoloridas que não representam o que veríamos, costumam indicar como “cores exageradas” ou “cores falsas”. Essas imagens são as mais úteis cientificamente, porque eles podem usar um filtro para identificar dióxido de carbono, outro para identificar metano, outro para identificar nitrogênio, e aí criar uma imagem “colorida” que represente as diferenças de composição de um terreno. Veja, por exemplo, a imagem de “cor real” de Plutão e a de “cor exagerada”, da New Horizons.
          Cor real: http://pluto.jhuapl.edu/Multimedia/Science-Photos/pics/012017-videoStill.png
          Falsa cor: https://www.nasa.gov/sites/default/files/thumbnails/image/edu_what_is_pluto_1.png (tem Caronte ao fundo)

          1. Se um astronauta chegar até plutão e olhar pela “janela” da nave. Ele vai ver a primeira (do link cor real) ?

      1. Salvador, para casos como esse em que a sonda está a mais de 100 mil km/h e que, para tirar uma foto com as cores reais do planeta precisaríamos de 3 imagens alinhadas para combiná-las posteriormente, se a sonda tivesse 3 câmeras (uma para verde, uma para vermelho, uma para azul), não seria mais apropriado? Nesse caso, teríamos as fotos PB e sempre poderíamos combiná-las para termos as cores reais…

        Mas não deve ser simples assim né … hehehe…

        Abraço e obrigado por tantas informações!

        1. Sim, com três câmeras você teria essa imagem. Mas precisaria do triplo de fornecimento de energia naquele momento. E vamos lembrar que a Cassini não foi projetada para o Grand Finale. As órbitas dela originalmente previstas eram bem maiores, nunca traziam a sonda tão perto de Saturno, nem a tamanha velocidade…

    1. Não. O espaço entre o topo das nuvens de Saturno e a primeira fila VISÍVEL de anéis é de 3.300 km. Mas no topo das nuvens a densidade da atmosfera já tem pressão equivalente à do nível do mar aqui na Terra. Ou seja, a atmosfera vai muito mais alto que isso. Estima-se que o espaço entre a atmosfera e os anéis seja de pouco mais de 2.000 km. Mas, claro, a Cassini deve ajudar a DETERMINAR isso com mais exatidão em sua fase final. 😉

  19. Pelo que li a contaminação se daria pelos resíduos do combustível nuclear que alimenta a sonda.

  20. Confesso que dá um aperto no coração quando é decido destruir uma sonda que tanto conhecimento trouxe para a humanidade. Como a perda de um ente querido. 🙁

    1. Não, não é isso. Radiação lá não é um grande problema. Já está cheio de radiação por lá. O medo é de contaminação biológica.

  21. Um planeta que, que supostamente é formado SÓ por gases, pode ter um chão sólido (centro do planeta), oculto, por estar, densamente, envolvido pelos gases que compõem a sua atmosfera, isto se explicaria pelo fato de possuir luas sólidas.
    Por exemplo: Se o Planeta Terra estivesse densamente envolvido por enorme quantidade de FUMAÇA e não de gases transparentes, daria a impressão falsa de que o planeta é formado só por gases.
    Então, pode haver uma surpresinha, futuramente, ou seja, ninguém pode afirmar nada, até que se consiga viajar até o centro do planeta.
    Os cientistas, ultimamente, têm sido obrigados a corrigir muitos conceitos errados, a respeito do Espaço Sideral.

    1. Roberto, a gente sabe a densidade de Saturno, porque sabemos a massa e o volume que ocupa. Isso já descarta que tenha uma superfície rochosa. (Aliás, a densidade de Saturno é tão baixa que, se você o colocasse numa banheira gigante, ele boiaria. Daí sabemos que ele é imensamente feito de gás mesmo.) A estrutura é de hidrogênio-hélio gasoso, que passa a líquido no interior pela pressão e se torna metálico ainda mais fundo. Talvez um núcleo de silicatos ao centro. 😉

  22. Se um dia a raça humana colonizar o sistema solar com certeza as classes mais abastadas ocuparão alguma lua saturnina, a visão de Saturno e seus anéis é “simplesmente um luuuuxo”, como diria o saudoso Athayde Patreze.. rsrss

  23. Hmmm.. Essa foto de um redemoinho negro. Uma tempestade? Um dos polos do planeta? O reto do titã Saturno? O que seria?

      1. Já eu aposto que é alguém da NASA fazendo piadinhas com a parte mais afastada do tubo disgestivo.

    1. Fiz uma complementação da resposta do Salvador de um outro comentário abaixo a respeito disso, mas esse redemoinho negro a que se refere é uma tempestade ciclônica no polo norte, e está dentro de uma nuvem hexagonal de 25.000 km de diâmetro. Portanto não se assuste!

          1. Pois é, a grande mancha de Júpiter todo mundo tem idéia, mas o hexágono foi realmente uma surpresa, troço gigantesco. E na minha opinião, mais bonito que a grande mancha.

          2. É bem bonito, mas muito mais sutil. Saturno parece ser um planeta sutil. A atmosfera não é turbulenta como a de Júpiter, que daqui a gente vê que o bicho pega. rs

  24. Salvador,

    Se a destruição da Cassini em Saturno é para evitar a potencial contaminação das Luas com potencial biológico como Titâ e Encedalo, o pouso da Huygens por si só não traria exatamente o mesmo problema que querem evitar?

    1. A Huygens foi feita para pousar, e passou por um processo de esterilização mais rigoroso. É o mesmo que se adota para os jipes marcianos. É sempre uma troca entre “quanto você quer esterilizar” versus “quanta radiação você pode jogar nos instrumentos sem estragá-los”, porque a esterilização é feita basicamente com radiação ionizante de alta intensidade. Então você tem de saber o que vai fazer com sua espaçonave e para onde ela vai antes de decidir pousá-la em algum lugar.

      Além disso, Titã é mais um “long shot”, porque dificilmente vida terrestre poderia viver lá. Mas já sabemos que Encélado, em compensação, seria um paraíso tropical para metanógenos terrestres.

  25. Salvador,
    ja esta completamente descartada a possibilidade de haver um nucleo solido nos gigantes gasosos? Eh so gas mesmo?

    1. Não, não está descartada a possibilidade de ter um núcleo rochoso (ou seja, silicatos). Chamar de sólido, não sei se podemos, porque a pressão lá embaixo deve ser tão imensa que eu duvido que eles se comportem como sólidos. O nosso magma mesmo já não é lá tão sólido… imagine no interior de Júpiter ou Saturno.

  26. Se não há chão, qual a possibilidade da Cassini simplesmente atravessar e sair do outro lado?Ou será que vai se incinerar ao entrar na atmosfera? Haverá blackout? Os dados coletados serão apenas os produzidos até o blackout?

    1. Queima na atmosfera. Os sinais serão coletados só até o blackout. Se uma sonda retornando à Terra sem escudo térmico já queima, imagine uma sonda retornando a Saturno voando a uma velocidade seis vezes maior do que a de sondas que descem da órbita terrestre… 😛

  27. Bom dia! Amo a astronomia. Sou fascinado por ela. Eu tenho algumas perguntas nesse assunto. Onde posso fazê-las?

    Grato,

  28. Salvador, essa atmosfera azulada e luminosa de Saturno é lindíssima assim mesmo ou é apenas uma licença poética da NASA?

    1. Acho que não teve licença poética não. O espalhamento de luz deve produzir céu azul, igual aqui na Terra.

    2. Isso mesmo, Salvador! Esses pontos azulados não tem nada a ver com alguma obra artistística da Nasa. São descargas elétricas de raio equivavente a 1.000 vezes maior do que aqui na Terra. E pelo comprimento de ondas, se torna azul. Ok?

  29. O mundo prendia a respiração pelo sucesso do procedimento, que foi até mesmo objeto de uma animação na página de abertura do Google na ***********quinta**************.~
    NA QUARTA.

  30. Legal, mas um pouco decepcionante, nessa primeira foto juro que achei que já eram as imagens reais do Sgr A*. Tô numa gastura que só.. rsrs

  31. Eu fico maravilhado com a precisão que a operação está sendo conduzida, de tão longe. E com tanta falta de informação de como é o ambiente em termos de detritos.

    E também do cuidado com que estão trabalhando a não contaminação dos satélites.

    Nem parece coisa de humanos……….rs rs

  32. Caro Salvador……

    Adoro esses novos conhecimentos…..
    o Único problema é não estar vivo para todas essas descobertas que nos próximos anos serão mais constantes e possivelmente incríveis….
    Nunca ive medo de morrer, mas conhecendo as verdades do universo, fico morrendo de pena de morrer !!

    Abraço!

    1. Caríssimo, vamos saborear cada novo mistério desvendado, sabendo que sempre haverá mais deles para as próximas gerações. 😉

    2. para não correr este risco, pretendo transferir minha mente para um suporte cibernético assim que isto se tornar possível! 😀

    3. Agosto, tenho a mesma visão que você.
      Gostaria de estar vivo por muito e muito tempo só para acompanhar o progresso da expansão do conhecimento. Só.

  33. Bom dia Salva!!!

    A Cassini já está passando em uma região que contém uma atmosfera apreciável… Então, em cada uma das passagens ela já estará sendo gradualmente freada pela atmosfera de Saturno até o momento em que a freada final (setembro) será suficiente para quebrar o período orbital e provocar o mergulho derradeiro, entendi certo?

    Também é de se esperar que os períodos orbitais vão se reduzindo desde hoje até setembro, o que hoje é feito em aproximadamente 7 dias, até setembro deve se reduzir a 6 ou 5…

    1. Não exatamente. A Cassini passou bem fora da atmosfera. O que vai colocá-la na direção de Saturno é a gravidade de Titã, de longe, na 21a órbita.

  34. Será que nesse mergulho ela vai conseguir medir a profundidade da atmosfera até encontrar o chão? (Se é que há algum)

    1. Não tem chão. A Cassini poderá sondar a estrutura interna do planeta por gravimetria e, talvez, por radar. Mas na entrada final, ela colherá dados sobre a composição da atmosfera com espectrometria de massa.

  35. Salva, eu entendi bem? 124 mil km/h atravessando uma atmosfera de 1bar de pressão? Qual a mágica? aqui na terra se você atingir essa velocidade você vira pastel…

      1. Eu também tinha entendido do texto a mesma coisa que o Leonardo.. que a Cassini teria passado a 124.000 km/h através de uma atmosfera de 1 bar.

        Sugiro editar a frase… 😉

    1. Ia perguntar exatamente a mesma coisa, mas esta resposta esclareceu a dúvida. Erro de interpretação de texto, havia entendido que 3000km acima do topo das nuvens a pressão era de 1 bar…

  36. Joga a Cassini em Encelado, dentro das chamadas plumas, até cair na fissura do planeta e aprender mais sobre esse incrível satélite, se contaminar teremos espalhado vida por aí, o que tem isso?

    1. Espalhado morte, porque a contaminação se dará pelo combustível nuclear usado nessa sonda, que embora esgotado para a finalidade de alimentar a sonda, possui dejetos radioativos.

      1. Você postou três vezes a mesma coisa. Não é isso. É por medo de contaminação biológica. O plutônio da sonda não seria suficiente para produzir uma grande contaminação, porque não se multiplica. Vida tem esse péssimo hábito de se multiplicar. rs

    2. acho que aprendemos bem a lição sobre o que acontece se espalhamos “sujeira” aqui em nosso próprio planeta, para não repetirmos isto no espaço… 🙂

        1. Espero que passe o fim do imposto sindical, já imaginou seis bilhões e tanto “contribuindo” para o sindicado da Força Maior? rs queria uma diretoria nessa boquinha…

          1. Olha, se a Força Maior é quem eu estou pensando, a galera já arrecada um montão, viu?

    3. A sonda Cassini é equipada com um reator movido à Plutônio-238 …..extremamente radioativo e nocivo à organismos vivos, seja lá qual for o tipo. Por isso, lançá-la contra um planeta que pode abrigar alguma forma de vida seria algo totalmente injustificável e sem sentido. Já Saturno é um planeta gasoso e – aparentemente – desprovido das condições básicas que conhecemos para abrigar vida. Por isso, faz muito mais sentido arremessar a sonda contra este planeta.

      1. Não é verdade. Bactérias Deinococcus radiodurans comeriam esse plutônio com manteiga no café da manhã. 😛

        1. Achei o nome tão engraçado que pensei que fosse zueira, mas não é que existem mesmo e com esse nome 😉

      2. Para mim não faria sentido em de nenhuma forma violar uma divindade de ninguém,
        também, acredito que saturno possua dispositivos naturais, para não deixar astros naturais fazerem as manobras artificiais ,que a sonda artificial vai fazer, acredito esta arriscadíssimo, esse paga pra ver.
        descargas elétricas e reações nucleares ,que nunca aconteceriam de tal forma, de tal angulo de , de tal velocidade, de tal ponto geográfico, de tal intensidade!
        no minimo deveria deixar ela a deriva, de preferencia perto do polo, e deixasse que o planeta ordenasse onde , como, quando, de qual forma deveria cair!
        não colocar um androide auto-teleguiado para la, pode existir algum paradigma em todo este processo!

  37. Bom dia Salvador,
    De antemão, parabéns pelo post e outro parabénzao pra Cassini pelo feito! 🙂 hehe
    Pergunta: Na foto, esse “buraco” que vemos(ao menos eu), faz parte da estrutura de Saturno? Nunca tinha dado conta desse detalhe ou apenas estou vendo do ponto de vista errado?

    1. Eu acho que isso aí é o polo norte de Saturno (se bem que não enxergo o hexágono na imagem). Pode ser, alternativamente, uma tempestade local. A Nasa não processou as imagens nem deu detalhes das coordenadas. Teremos de esperar mais um pouco pra saber.

      1. Exatamente, Salvador! Como a Cassini está passando a 3.000 km acima da faixa de nuvens, já não é possível enxergar a tempestade ciclônica no formato de nuvens exagonal no polo norte.

    2. eu chutaria que é um furacão visto de cima. como a grande macha de jupiter, só que pequena… e em saturno, hehehe.

Comments are closed.