Da série ‘Não desistam do Brasil’

Salvador Nogueira

Três notícias bacanas e fresquinhas que mostram que, apesar de tudo, se o Brasil escolhesse focar em seu potencial — em vez de preservar a bandalheira, objetivo-mestre da atual classe política –, poderia ir muito mais longe e dar melhores condições de vida a todos os brasileiros.

Brasil é campeão da 9a Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica

Foi realizada no Chile, entre 8 e 14 de outubro, a nona edição da Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica, e o Brasil liderou o quadro de medalhas, com um total de 5 — quatro de ouro e uma de prata. A competição envolveu 50 alunos de Ensino Médio de 10 países latino-americanos (Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, México, Paraguai, Peru e Uruguai), classificados a partir das olimpíadas nacionais. Os medalhistas, Miriam Harumi Koga (ouro), Henrique Barbosa de Oliveira (ouro), Fernando Ribeiro de Senna (ouro), Danilo Bissoli Apendino (prata) e Bruno Caixeta Piazza (ouro) têm entre 16 e 18 anos e vêm todos do estado de São Paulo.

Parceria de brasileiros e americanos leva recicladora de plástico à estação espacial

Uma parceria entre uma empresa brasileira, a Braskem, e uma americana, a Made in Space, levará à Estação Espacial Internacional, no ano que vem, a primeira recicladora de embalagens plásticas. O projeto fecha um ciclo, uma vez que as duas empresas já estiveram envolvidas no desenvolvimento de uma impressora 3D para o complexo orbital capaz de usar o Plástico Verde, um polímero desenvolvido pela indústria nacional a partir da cana-de-açúcar. A partir do ano que vem, será possível não só fabricar mas também reciclar peças impressas no espaço. A iniciativa foi apresentada nesta quarta-feira (18) num evento no MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo).

Para mais detalhes, confira a reportagem do Mensageiro Sideral publicada nesta Folha, clicando aqui.

Peças de Plástico Verde, produto brasileiro, fabricadas na Estação Espacial Internacional (Crédito: Nasa)

Acontece neste sábado seleção de experimento brasileiro a ser enviado à ISS em 2018

Neste sábado (21), 73 projetos espaciais de alunos brasileiros participam da primeira etapa de uma seleção que vai escolher um deles para ir à Estação Espacial Internacional (ISS) em um foguete da empresa americana SpaceX em 2018. A bordo da ISS, o experimento será executado por um astronauta americano e, depois de quatro a seis semanas, será trazido de volta à Terra para análise dos resultados.

O evento, que envolve alunos do sétimo ano do colégio Dante Alighieri e de escolas públicas do Estado de São Paulo, faz parte da chamada Missão XII, uma iniciativa da Missão Garatéa, um consórcio espacial nacional liderado pelo engenheiro Lucas Fonseca que pretende também colocar uma sonda brasileira em órbita da Lua em 2021.

Trata-se da primeira participação do Brasil no Student Spaceflight Experiments Program (SSEP), programa do Centro Nacional para Educação Científica para Terra e Espaço (NCESSE em inglês), projeto reconhecido pela Nasa que está em sua 12a edição.

A iniciativa é financiada por recursos privados. Visite o site da Missão Garatéa aqui.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Mais uma vez parabéns aos alunos que conquistaram as medalhas na 9ª OLAA 2017. Merecem todos os elogios. Lembro que na 8ª OLAA 2016 todos os integrantes da equipe brasileira também ganharam medalhas (2 ouros, 2 pratas e 1 bronze). No ano passado, destaco a atuação de Lucas Camargo da Silva, medalhista de prata da OLAA 2016, aluno de escola pública no período de 2013 a 2016, e que também se dedica à observação astronômica visual. Não por acaso recebera um telescópio newtoniano de 130mm como prêmio pela melhor prova observacional – junto com a aluna Beatriz de Brito. Tentei encontrar um artigo sobre a OLAA 2016 aqui no blog Mensageiro Sideral, mas não encontrei. Se alguém tem o link, por favor, pode informar.
    Forte abraço!

  2. Parabéns aos alunos participantes da OLAA, grande vitória! Tipo de conquista que vem do amor pelo conhecimento e pelo esforço em aprender.
    Sucesso para todos vocês! Que consigam trilhar os caminhos daquilo que gostam 🙂
    Grato por nos representar. Parabéns!

    1. Qualquer criança tendo a mesma oportunidade que eles tiveram faria a mesma coisa ou até muito mais.

      Mentes pequenas repetem aquilo que os dominadores almejam.

  3. Parabéns aos jovens premiados e que nunca se esqueçam dos sonhos da juventude.
    São eles que movem o mundo e podem fazer a diferença para este País tão sofrido e que um dia vai acordar e sair do berço esplêndido
    Continuem sonhando, estudando e, posteriormente, trabalhando muito para o nosso Brasil
    É isso aí

  4. Equipe OLAA:
    **DANILO BISSOLI APENDINO – TEM 16 ANOS, É DE SÃO PAULO (SP) E CURSA O 3º ANO DO ENSINO MÉDIO NO COLÉGIO ETAPA (FOTO: DIVULGAÇÃO)
    **BRUNO CAIXETA PIAZZA – TEM 17 ANOS, É DE CAMPINAS (SP) E CURSA O 2º ANO DO ENSINO MÉDIO NO COLÉGIO ETAPA (FOTO: DIVULGAÇÃO)
    **HENRIQUE BARBOSA DE OLIVEIRA – TEM 18 ANOS, É DE VALINHOS (SP) E CURSA O 2º ANO DO ENSINO MÉDIO NO COLÉGIO ETAPA (FOTO: DIVULGAÇÃO)
    **MIRIAM HARUMI KOGA – TEM 17 ANOS, É DE GUARULHOS (SP) E CURSA O 3º ANO DO ENSINO MÉDIO NO COLÉGIO MATER AMABILIS (FOTO: DIVULGAÇÃO)
    **FERNANDO RIBEIRO DE SENNA – TEM 17 ANOS, É DE JUNDIAÍ (SP) E CURSA O 3º ANO DO ENSINO MÉDIO NO COLÉGIO LEONARDO DA VINCI

      1. Então, estude bastante, se empenhe de verdade, arrume um bom emprego ou abra uma empresa. Assim vc irá ganhar bastante dinheiro vindo do seu esforço, é mérito seu. Com esse dinheiro vc poderá pagar a mensalidade de uma boa escola para seu filho. E se ele não for preguiçoso e dedicar com afinco, aproveitar a oportunidade que o pai lhe proporcionou ele também conseguirá sucesso financeiro por mérito próprio.
        O sucesso é mérito de quem trabalha, se esforça, produz.

        A regra é simples: quer algo? Conquiste, corra atrás, se empenhe… isto é a base da meritocracia.

        Ficar de mimimi reclamando e se achando vítima da sociedade, reclamando que o outro tem de dividir o “mérito” é coisa de mente doutrinada, típico da “elite intelectual da esquerda tupiniquim”.

        1. Você está partindo de uma falsa premissa: quem corre atrás, se empenha, conquista. É falsa. Veja que, no seu exemplo, o filho se escora na conquista do pai para ter condições competitivas. E é isso que você vai descobrir se fizer uma pesquisa estatística. A maioria dos bem-sucedidos financeiramente (o que não os impede de serem uns merdas como profissionais e/ou pessoas) é filho de gente bem-sucedida financeiramente, que por sua vez é filho de gente bem-sucedida financeiramente.

          A noção de que pessoas esforçadas sobem na vida é um mito, escorado em exceções. A regra geral é que filho de pobre, por mais esforçado que seja, continua pobre, e filho de rico, por mais vagabundo que seja, continua rico.

          Cito um trecho de um livro que acabei de ler (Os robôs vão roubar seu trabalho, mas tudo bem), do Federico Pistono, publicado recentemente no Brasil:

          “As estatísticas confirmam esse cenário: a mobilidade social vem declinando significativamente nos últimos anos na maioria dos países, em particular no mundo industrializado. O Reino Unido e os Estados Unidos têm a menor mobilidade social entre os países da OCDE, como atestam estudos feitos pela London School of Economics e pelo Journal of Social Science and Medicine. Os pobres continuarão pobres e os ricos continuarão ricos, independentemente do quanto se esforcem.

          (…)

          “Como vimos, há pesquisas sérias que mostram que desigualdades sociais e econômicas são estruturais. Isso significa que, se você nasce pobre, é provável que continue pobre, mesmo se trabalhar como uma mula doze horas por dia. Da mesma forma, se nascer rico, é provável que continue rico.

          “Diante dessas constatações, a exaltação dos casos excepcionais de gente pobre que se tornou milionária, promovida pelos meios de comunicação, só pode ser considerada uma impostura injusta e doentia, um conto de fadas para os crédulos, um jogo cruel para reforçar o status quo, deixando os pobres brigarem por restos, enquanto os mais ricos desfrutam de copiosas refeições.

          “Claro, algumas pessoas ainda são bem-sucedidas. Se você por inteligentíssimo, muito bom em marketing direto e souber estabelecer fortes conexões sociais, pode acabar ganhando um monte de dinheiro. Mas, para cada um que consegue isso, mil fracassam. Trata-se simplesmente da natureza do sistema.

          (…)

          “Um dos problemas é que ainda acreditamos no mito de que a disposição de dar duro será recompensada, o que pode ter sido verdade há um século, quando a economia era baseada em bens concretos e as corporações e instituições financeiras não davam todas as cartas. Hoje, porém, isso é meramente um véu de ilusão, uma frase de efeito, uma ferramenta de marketing para manter as pessoas acreditando no impossível, no inalcançável. O motivo da persistência dessa ilusão é principalmente nossa recusa a acreditar em outra coisa. Não queremos aceitas que não podemos melhorar nossa situação, e é por isso que aspiramos a ser como ‘eles’. Gostaríamos de pertencer ao ‘clube’. Esse é o principal valor no qual fomos doutrinados desde o nascimento, em quase toda parte, em todos os países, em todas as culturas, em todas as religiões, em todas as línguas. O valor universal que está inexoravelmente enraizado em nossa mente é ser bem-sucedido. E por isso queremos dizer, naturalmente, bem colocados na arena financeira e social. E, se somos bem-sucedidos, deve ser porque merecemos. Quanto mais trabalhamos, mais ricos ficamos.

          “Há, sem dúvida, um grupo de pessoas que pertence a essa categoria; são gênios dos negócios, inventores e inovadores que temos em alta estima e desejamos emular. São as mentes brilhantes que provocaram mudanças disruptivas, seja no design, na tecnologia, nos negócios, nas artes, na política, seja na sociedade. Mas há também outro grupo de pessoas que não fez por merecer sua posição, e ele pode ser significativamente maior do que você pensa.

          “Se trabalho duro significasse que todos podemos ser ricos, teríamos uma multidão de mulheres africanas milionárias. George Monbiot disse:

          “‘A alegação de que os 1% mais ricos se fazem por si mesmos — que possuem inteligência, criatividade ou energia sem par — é um exemplo da falácia da autoatribuição. Isso significa atribuir a si mesmo resultados pelos quais você não foi responsável. Muitos dos que são ricos hoje chegaram lá porque foram capazes de conseguir certos cargos. Isso se deve menos ao talento e à inteligência do que a uma combinação da exploração desapiedada dos outros e a acasos de nascimento, uma vez que tais empregos são tomados desproporcionalmente por pessoas nascidas em certos lugares e em certas classes.’

          “O psicólogo e vencedor do Prêmio Nobel de Economia Daniel Kahneman descobriu que o aparente sucesso dos ultrarricos é apenas uma ilusão cognitiva. Ele analisou os resultados alcançados por 25 consultores de riqueza ao longo de oito anos e constatou que a consistência de desempenho foi zero. ‘Os resultados pareciam com o que se esperaria encontrar em um jogo de azar, não em uma disputa de habilidades.’ Aqueles que receberam os maiores bônus simplesmente tiveram sorte. Não são resultados isolados, uma vez que foram amplamente repetidos. Eles mostram que os operadores e gestores de fundos de toda a Wall Street recebem sua enorme remuneração para fazer algo parecido com o que um chimpanzé obteria se jogasse para o alto uma moeda. Quando Kahneman tentou chamar a atenção para isso, foi ignorado. ‘A ilusão de habilidade […] está profundamente enraizada na cultura deles.'”

          1. Salvador tem razão em parte, mas a questão é mais profunda: “VOCÊ TEM OPORTUNIDADES MELHORES PORQUE SEU PAI LHE DEU”. Experimente analisar ao contrário: “EU vou trabalhar mais, conquistar mais, para poder dar oportunidades para o MEU FILHO. Eu NÃO QUERO que o meu filho tenha as mesmas oportunidades de todos, quero que tenha oportunidades melhores, POR ISSO vou trabalhar mais, produzir mais, vou inventar esse treco aqui que salva a vida das pessoas, vou botar o nome de air-bag nele, as pessoas vão querer comprar pra ter mais segurança, e eu vou ganhar dinheiro e poder dar pro MEU FILHO a chance de estudar em uma boa escola e uma boa universidade”.

            A expectativa de um futuro melhor e de uma oportunidade melhor para os descendentes gera desenvolvimento. Oportunidades iguais a todos geram atraso porque não geram motivação – como TODOS os países socialistas, sem exceção, comprovam. As pessoas burocratizam muito, trabalham mais ou menos e produzem pouco.

          2. Sim, é isso que todos os pais responsáveis fazem. Eles tentam dar um duro danado para dar condições melhores aos filhos. Nada de errado com isso. Errado é achar que vai funcionar ou culpar os pais pelos casos em que isso não funciona. Em cada 1.000 pessoas pobres que tentam dar um duro danado para melhorar a condição dos filhos, 999 não saem do lugar socialmente. E aí temos duas opções: culpar as 999 ou concluir que isso não é solução.

          3. Salva,
            Só faltou você fazer a seguinte afirmação *ESTÁ CIENTIFICAMENTE PROVADO QUE*, antes da frase que você escreveu: “Em cada 1.000 pessoas pobres que tentam dar um duro danado para melhorar a condição dos filhos, 999 não saem do lugar socialmente”.
            Pois me parece um absurdo negar que ao se mandar os filhos para uma escola melhor do que a que se teve, não acarrete automaticamente maiores chances (que podem se concretizar ou não) de eles terem mais prosperidade!

          4. Afrânio, só existem dois meios de mandar uma pessoa para uma escola melhor do que a que se teve. Ou o pai sobe na vida para pagar uma escola melhor (o que não acontece em 999 de 1.000 casos) ou a escola a que o pai teve acesso melhora para deixar o filho em pé de igualdade com seus competidores. Obviamente, a solução que contemplará o maior número de pessoas e viabilizará algum tipo real de meritocracia é a segunda, e não a primeira. A primeira é a falácia do “trabalhe muito que você consegue”.

          5. Então, esse é o mito. É falso. Essas condições são necessárias para o sucesso, mas não são suficientes. Você precisa ter uma boa rede de relações sociais, uma boa dose de sorte e sua chance aumenta muito se você já vier de uma família com boas condições financeiras.

            Se você tivesse que estimar, entre o 1% mais rico do Brasil, quantos deles são ricos por família e quantos são ricos por esforço, que percentuais você daria para cada grupo?

          6. Salvador, eu não concordo, mas não vou ficar aqui discutindo educação de filhos, e perdendo o precioso tempo que posso utilizar para continuar aprendendo coisas de física e astronomia, como tenho maravilhosamente aprendido com você nestes mais de 4 anos. Mas para seu conhecimento, te digo que pude estudar em escolas melhores que meu pai estudou, meus filhos em escolas melhores das que eu estudei e meus netos estão estudando em escolas melhores do que as dos pais deles. Sou muito velho (71 anos de idade) para acreditar que isto tudo não foi mérito do esforço do meu pai, meu e dos meus filhos, sendo que a estória se repete igual com quatro (4) dos meus cinco (5) irmãos, pois um deles não tem filhos, e curiosamente é o mais bem sucedido economicamente de todos!
            Recomendo que você converse carinhosamente com o Sr. Salvador seu pai e veja a opinião dele, e tente perceber o quanto ele deve sentir orgulho de ter, pelo esforço dele, conseguido dar condições de você ser tão brilhante quanto é, e tenho certeza que num futuro você sentirá o mesmo orgulho em relação a seu filho, e sei convictamente que não somos exceções.

          7. Você está confundindo o que estou querendo dizer, Afrânio.
            Não estou dizendo que pais não devem sentir orgulho e ambicionar que os filhos tenham condições melhores que as que tiveram. Devem sentir orgulho e devem ambicionar.
            O que estou dizendo é que é falacioso dizer que os que hoje não têm condições de fazer isso por seus filhos não o têm por falta de esforço. Em alguns poucos casos pode ser verdade, mas a imensa maioria, tenho certeza, tem tanta vontade de dar aos filhos condições melhores quanto o melhor dos pais que conseguiram fazer isso.
            Então, chegamos à conclusão de que o mérito aí é relativo: ou a situação de partida já era melhor para uns que para outros, o que permite essa melhora gradual, ou uma conjunção inusual de sorte e competência permitiu o salto — que, na maioria dos casos, não acontece.
            Veja o aumento recente de pessoas inscritas em curso superior no Brasil. Não aconteceu porque a atual geração de pais é particularmente mais esforçada que as anteriores para dar o melhor para seus filhos. Foi porque o governo deu condições para esse aumento de ingressos, criando planos de subsídio para faculdades particulares e aumentando oferta de vagas nas universidades públicas. Então temos aí gente que está tendo mais chance do que as gerações anteriores, mas não pelo esforço dos pais, e sim por políticas públicas eficientes.
            Esse é o mito que precisamos desfazer: o de que quem não sobe na vida é preguiçoso. Tá cheia de gente esforçada aí que nasce e morre sem um gato para puxar pelo rabo, e a culpa não é delas.

          8. Eu sou pessimista ao extremo quanto a esperar que o governo faça algo. Só consigo enxergar: livre mercado, propriedade privada, estado mínimo, e uma sociedade que estimule a alta cultura e conhecimento.
            Isso tudo é muito mais trabalho de indivīduos.

          9. Se houver livre mercado, é o governo quem está fazendo isso, reduzindo a regulamentação sobre o mercado. É política pública, e política pública quem faz é o governo. Quem define quão livre ou preso tem de ser o mercado é o governo (e aí cada governante ou postulante ao governo tem sua visão particular). Veja que uma das políticas públicas citadas acima foi o subsídio para acesso a universidades privadas. Não existiria sem o governo, embora esteja estimulando a iniciativa privada no processo.

            Temos de lembrar também que a cultura do conhecimento é largamente anti-econômica, e capitalistas não são conhecidos por fazer investimentos em pesquisas que só gastam dinheiro. A iniciativa privada pode apostar em P&D de coisas cuja potencial aplicação é conhecida. Mas dificilmente você verá empresas investindo em ciência básica — aquela movida pela curiosidade pura e que envolve grande risco de não produzir retorno do investimento: pode ou não levar a futuras aplicações.

            Isso me lembra o que Faraday teria dito quando um oficial do governo britânico, lá para 1850, perguntou para que servia aquela tal eletricidade, além de ser uma curiosidade. Faraday teria respondido: “Um dia você vai cobrar impostos sobre ela.” Dito e feito. Mas nenhum empresário apostaria nisso naquela época.

            Só o governo está disposto, por definição, a fazer esse tipo de investimento, arcando com o prejuízo de que algumas das descobertas não poderão ser taxadas no futuro. Atividades anti-econômicas, mas necessárias à sociedade, são a vocação do investimento governamental. Não consigo imaginar, por exemplo, a iniciativa privada bancando policiamento público. Nem seria desejável, pois a iniciativa privada tem seus próprios interesses.

          10. Parabéns e muito obrigado por suas réplicas e tréplicas nesse tópico, Salvador. Elas são tranquilas, inteligentes e, principalmente, humanistas!

          11. Salva, na boa, lendo sua primeira resposta fiquei até um pouco chocado. Pensei comigo: não é possível, não é tipico do Salva essa resposta. Mas lendo as outras respostas do debate foi ficando mais claro o seu ponto de vista. Ufa! É o Salva que todos conhecemos.Ponderado e realista.

            O Tijolada entendeu meu ponto de vista, e minha resposta foi direcionada ao José do Egito (que aliás, o que ele disse foi ignorado pelo debate).
            É muito fácil desmerecer o sucesso do outro acusando-o de ser favorecido e desprezando o empenho que foi necessário para atingir o sucesso. Coisa que o José do Egito fez, desmereceu o mérito dos jovens campeões e motivou a minha resposta.

            De resto, o governo é importante para criar a base de uma economia sólida? Sim.
            O governo como regente da economia funciona? Não.
            Uma economia regida pelo governo como nos modelos socialista a falência é certeira, a história do século 20 prova isso de forma incontestável, pior que a custa do sofrimento de milhões.
            É como diz Milton Friedman: “Se colocarem o governo federal para administrar o deserto do Saara, em cinco anos faltará areia”

            Um governo saudável, presente onde deve estar e uma economia capitalista pujante é o que temos de melhor hoje. Exemplos não faltam.
            É o melhor caminho? Não sei, mas até agora é um caminho que vem dando certo.

            Estamos nele? Não. Existe muita gente (partidos, movimentos) que luta por um governo regente, e isso tem destruído sistematicamente qualquer tentativa do país caminhar. Sofremos isso na pele.

            Enfim, a esperança é que a nova geração abandone de vez o imaginário do século passado que rege a cabeça de muitos de nossos “pensadores” e governantes, e comecem a encarar o século 21 de fato.

          12. O governo é um regulador da economia, não um regente. Ele não pode permitir o capitalismo selvagem, que pode ser desumano. Mas não deve ter a neura de regulamentar tudo, como nos regimes socialistas.

        2. Metendo o bedelho: Também imagino o que restaria da Terra se quase 8 bilhões de pessoas “chegassem lá” e passassem a consumir recursos feito americanos de classe média alta.

  5. Sobre a única menina entre os ganhadores do OLAA:
    Dona de uma coleção de 43 medalhas conquistadas em competições de matemática, física, química, robótica e astronomia, Miriam Harumi Koga, de 17 anos, agora se concentra para finalizar o ensino médio e entrar na faculdade. O foco são as universidades norte-americanas, de preferência MIT ou Stanford.
    Miriam era a única garota do time brasileiro que esteve na 9ª Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (IX OLAA), realizada entre 8 e 14 de outubro na cidade de Antofagasta, no Chile. Foi lá que ela garantiu mais uma medalha de ouro, a primeira em disputas internacionais.
    Ela está terminando o terceiro ano do ensino médio no Colégio Mater Amabilis, em Guarulhos, na Grande São Paulo e faz o application [processo de seleção] para nove universidades americanas. Também fará o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o vestibular da Fuvest para o curso de engenharia de materiais.

  6. Eu vi esta reportagem aqui sobre cavernas na lua:

    https://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/descoberta-de-caverna-na-lua-alimenta-esperancas-de-colonizacao-21966240

    e fiquei com uma dúvida, se alguém puder me esclarecer eu agradeço: alguns dias de exposição fazem com que o lado iluminado da Lua chegue a mais de 100ºC de temperatura. Quando deixa de ser iluminado rapidamente cai pra menos de -100ºC. E isso com toda a massa lunar. Como que cometas como o Halley, com muitíssimo menos massa e compostos principalmente por gelo, não evaporam ou sublimam totalmente durante os vários meses em que estão próximos ao Sol? Intuitivamente, me parece que eles deveriam perder muito mais massa durante cada passagem.

    1. É, eu vi essa história ontem, sobre uma caverna na Lua. É bem legal, mas ainda acho que qualquer esforço de colonização terá de ser nos pólos, nos “picos de luz eterna”.
      Bom, sobre cometas, é o seguinte: primeiro, eles PERDEM muita massa. A coma e a cauda deles é essencialmente massa sendo perdida, e já vimos alguns cometas por aí que são “extintos”, ou seja, esgotaram seu material volátil e restaram só as pedras.
      Segundo, tenha em mente que a amplitude de temperatura da Lua tem a ver com duas coisas: uma é a falta de atmosfera para reter o calor do dia para a noite, e outra, MAIS IMPORTANTE na nossa discussão, é a rotação extremamente lenta. O dia lunar leva quase um mês para se desenrolar, o que quer dizer que, na região equatorial, você tem 14 dias terrestres seguidos de Sol, seguidos por 14 dias terrestres seguidos sem Sol. Isso é um bocado de tempo para aquecer e resfriar o solo.
      Nos polos lunares (em que o Sol nunca está “a pino”) a amplitude térmica é menor, mais amena (uma das razões pelas quais qualquer colonização deveria começar por lá).
      Cometas, em contrapartida, giram muito mais depressa, então a diferença de efeito entre eles e a Lua é que enquanto a Lua é um churrasco que queima de um lado só enquanto o outro está cru, o cometa é aquele churrasco bem feito, douradinho, tostado na medida certa por igual. rs

      1. Em quanto tempo a Terra terá o mesmo fim, ficar com uma face voltado para o sol permanentemente? Nunca ? Ou dependerá de a Lua se afastar até que se imponha a maré devida ao Sol?

        1. Nunca. Para a Terra ficar com a mesma face voltada para a Lua já vai levar mais que o tempo de vida do Sol. Imagine até passar a ter um dia de 365 dias. E, mesmo que tivesse tempo, não chegaria lá, porque a Lua seguraria nessa trava com ela.

    2. Já mostrei cavernas ,carrancas pontes suspensas por Cunha ,,nave-anti-gravidade ,,lunarianos vestidos em tunicas .
      Salva não leva fé.
      Quem viver vera os contatos imediatos vlw!

        1. HE HE HE, MAIS UM LUNATICO CONSPIRACIONOSTA, E NESSA BRINCADEIRA KA SE VENDEU QUASE TUDO, AINDA FALTA O OUASE ;MOVIMENTO DE REVOLUCAO DA
          LUA.

  7. Tá ai a pauta para seu próximo livro… O complexo de vira lata que domina os brasileiros (na ciência e em tudo).. Mesmo com uma notícia fantástica dessa, o povo acha um pelo fora do lugar para menosprezar os nossos avanços….
    (Postei errado antes no post anterior… )

  8. Salvador
    Considerar o Tiririca honesto me parece um pouco ingênuo, peço que se informe um pouco mais sobre o papel que o mesmo representa na politica. Ele é um puxador de votos, então ele precisa parecer honesto, votar conforme o povo gostaria, para que na próxima eleição ele auxilie outros a se elegerem.

    1. Ele é um puxador de votos porque a legislação faz isso dele. Ele pessoalmente é um dos mais assíduos deputados da Câmara, é pouco ativo em termos de projetos de lei (até porque tudo que ele propõe não vai pra frente porque ele não tem conchavos) e tem conduta ilibada (já mandou devolver mala de dinheiro que tentaram empurrar para ele votar de um determinado modo, passando um esfrega em corruptor, isso segundo delações!). As três qualidades são admiráveis e estão em falta na maioria dos deputados.

  9. Os medalhistas brasileiros são provenientes de escolas públicas ou privadas?
    Quantas medalhas cada país participante recebeu?
    Os medalhistas de outros países eram de escola pública ou privada? ( desculpe mas, tão escaldada, preciso saber direitinho antes de comemorar porque não estou mais aguentando tanta decepção)

    1. Veja, a informação objetiva é: o Brasil foi o campeão, ou seja, o melhor desempenho entre os dez países. Não tenho o quadro de medalhas completo, mas já solicitei aos responsáveis e coloco aqui assim que tiver. Sobre o fato de serem de escolas públicas ou privadas, não vejo a relevância. Todos sabemos que existe uma defasagem enorme entre o ensino público e o privado e, com efeito, os ganhadores são todos do ensino privado. Mas a notícia a ser comemorada não é o fim dessa desigualdade no Brasil, é mostrar que o nosso melhor é tão bom ou melhor que o melhor dos outros. Ou seja: não devemos desprezar as conquistas desses jovens só porque estão em escolas privadas. Eles estavam competindo com outros alunos de outros países, não com os alunos da escola pública brasileira. E foram selecionados pela Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, da qual participam escolas públicas e privadas. Eles não têm culpa de serem os melhores e terem acesso a um ensino melhor. E, sim, abrilhantam o Brasil, mesmo que representem um problema crônico de desigualdade no país.

      Note que a Missão Garatéa, da qual faço parte, está tentando contribuir para reduzir isso, e o projeto que vai para a Estação Espacial envolve alunos da rede privada E pública. Foi, aliás, condição sine qua non na parceria com o colégio Dante. Só iria adiante se pudéssemos incluir alunos do ensino público. E a ideia é expandir o projeto para o ano que vem, atingindo ainda mais alunos do ensino público. Enfim, se todos fizerem a sua parte, quem sabe não conseguimos mitigar esse problema, em vez de meramente lamentar?

      Volto quando tiver o quadro de medalhas. Abs!

    2. Elaina, sou um dos professores responsáveis pela seleção e treinamento dos alunos. É um processo seletivo que dura um ano e meio, inicialmente aberto a todos os estudantes do Brasil. Participam escolas públicas e privadas de todo o país, em proporção mais ou menos semelhante.
      Como o Salvador já comentou, as desigualdades do nosso sistema de ensino acaba funcionando como peneira e no final sobram quase que somente estudantes da rede particular, mas já tivemos em edições anteriores estudantes de escolas públicas.
      Na OLAA cada país pode concorrer com equipes de até 5 alunos. Não tenho o quadro de medalhas final, mas posso garantir que só o Brasil conseguiu 4 medalhas de ouro.
      Tampouco sei informar se os estudantes dos outros países estudam em escolas públicas ou particulares. Concordo com o Salvador que esse dado é irrelevante, pois a situação em cada um dos países é muito particular.

      1. Satisfação enorme em ler seu comentário, Gustavo! Também sou seu fã há muito tempo. Além de ser colunista do Estadão, e apresentador de “Dicas da Semana – com Gustavo Rojas” na UnivespTv, é provessor de astrofísica da Universidade São Carlos. “Céus limpos a todos”.

    3. A pergunta é relevante porque são os estudantes de escolas particulares os que têm maior e melhor acesso à educação. Em escola pública os problemas se agigantam:
      – perseguição contra os alunos mais estudiosos;
      – entrada de estudantes violentos, drogados e daqueles que querem até matar um desafeto;
      – desprezo total dos docentes pela classe inteira, apesar da falsa referência a darem aula “para o aluno que esteja prestando atenção”;
      – professores sempre desmotivados nunca buscam atualização e querem apenas melhorar sua própria remuneração sem dar contrapartida;
      – violência sexual contra qualquer jovem pode acontecer e ninguém se importa;
      – movimentos grevistas são a prioridade dos docentes;
      – qualquer coisa é motivo para não dar aula e não há reposição, nunca!
      – cobram dos alunos o pagamento de taxas com a desculpa de que é para “fazer uma reforma ou pintar uma parede”, mas na verdade a reforma é feita com dinheiro público, do Estado, e não dessa arrecadação forçada (crime de prevaricação);
      – mesmo o conteúdo normal não é aplicado na íntegra e ainda assim sem qualquer esforço didático;
      – nunca buscam motivar e até ridicularizam os alunos;
      – os professores não se unem para resolver essas questões e tantas outras do cotidiano;
      – é comum aos docentes educarem de forma errada ou incompleta;
      – os docentes não raramente até incentivam o bullying ou não fazem nada contra a sua prática;

      e isso é a parte “leve” dos problemas. Sabemos que há culpa também do Estado e dos pais, mas com um Estado omisso e pais que acham que escola é sempre creche, é necessário a ação daqueles que já possuam a experiência necessária para saber que o desejo do Estado é formar idiotas e o dos pais é ter tempo para fazer mais sexo.

      também existem escolas privadas ruins, obviamente, porém essas escolas não ganham reconhecimento e os pais podem observar as informações relevantes na internet e com outros pais para evitar este tipo de caça-níqueis.

      é imoral achar que essa juventude viciada em escola boa e que nem imagina o que é uma lista de problemas sérios presenciadas pelos estudantes de escolas públicas vai mudar a realidade, então, ficar jogando elogios para privilegiados é comum no Brasil e tem um nome bem legal: MERITOCRACIA. Quando nasce de pai rico e que não é idiota em colocar o filho em um puteiro, alguém que se preocupa e cobra qualidade está transformando sua prole em futuros profissionais gabaritados. Já no lado dos “coitados” até aspas usam e dizem que essa gente NÃO MERECE, NÃO HÁ MERITOCRACIA EM VAGABUNDOS. Sim, essa é a magnífica alcunha que um estudante de escola pública carrega, pois, se não aprendeu o que ERA OBRIGATÓRIO é por que o estudante é sim o VAGABUNDO e não TODOS OS SEUS PROFESSORES.

      1. José e suas generalizações. A culpa da má qualidade do ensino é dos professores. Só esqueceu de colocar nessa conta quando falou da violência que os professores são tão ou mais vítimas dela que os alunos.

        1. Você esqueceu de que estamos falando de quem mora no brazil? Onde a verdade vira mentira e a mentira vira verdade? E professor vítima? Tá bom, isso ajuda muito e sempre ajudou. E um país que os privilegiados jogam a culpa no outro sempre evoluiu muito, estamos muito bem e lançamos nossas astronaves aeroespaciais de última geração e a IA é coisa comum, inclusive nunca houve diferença social aqui.

          Realmente, é o paraíso! Concordo plenamente e não há dúvidas!

  10. Salvador, essa missão de colocar uma sonda na Lua remete à ideia de sua exploração que parece meio abandonada. Pensando um pouco sobre isso e já que a tecnologia de alcance está bem avançada pelo menos para ela, a Lua, não seria o momento, principalmente pela existência dos recursos minerais, de as nações que tem programas espaciais avançados, interessarem-se por bases, como fizeram na Antártica? Porque esse caminho está sendo tão ignorado em detrimento à mineração de asteroides ou o pulo direto para Marte, por exemplo?

    1. Mas isso está acontecendo. Europeus, chineses, russos e, mais recentemente, os americanos, estão retomando a exploração lunar. Em menos de uma década teremos gente de volta na Lua (e robôs muito antes, claro).

    2. Sinceramente, prefiro que esburaquem algum asteróide por aí que continuarem espremendo a Terra até o bagaço.

  11. Depois da experiência de mandar Passat 82 pro Iraque, agora o Brasil vai mandar lixo pro Espaço. Legal.

      1. Eu falava do LIXO que vai ser reciclado na recicladora. Que cara agressivo, o prazer dele é xingar os fãs? PQP! Educação vem de casa, não se compra na esquina….

        1. Rapaz, desculpe se interpretei mal suas palavras. Mas elas obviamente tiveram tom depreciativo. Releia-as e pergunte de novo quem agrediu primeiro.

        2. a única coisa que eu depreciei foi o Passat 82! Sério você deve estar com algum problema pessoal. Não é possivel que sua diversão seja xingar as pessoas.

          1. Vamos lá, bora desenhar.
            Você disse: “agora o Brasil vai mandar lixo pro Espaço”.
            Onde que o Brasil vai mandar lixo pro espaço? Sério que você honestamente pensou que íamos colocar uma recicladora no espaço para reciclar lixo da Terra lá em cima? E você conseguiu pensar isso mesmo o texto dizendo expressamente o contrário, ao apontar que “a partir do ano que vem, será possível não só fabricar mas também reciclar peças impressas no espaço”?
            Ou, alternativamente, você quis fazer uma piada de mau gosto e agressiva, ironizando que o Brasil só faz porcarias, o que emparelha os passats 82 com a história do post?
            E, tendo dado a entender que o Brasil só faz lixo, sendo você brasileiro, não seria você também lixo?
            Fiz uma piada com a sua piada. Por que a sua é boa e a minha não?

          2. Você fala em uma RECICLADORA. Eu digo que vanos mandar lixo. Parece ÓBVIO que vamos mandar lixo PARA A recicladora. Blza expliquei a piada. O único lixo produzido pelo Brasil até agora citado foi o bendito Passat 82. Mas se quizerem mandar Celtas e Fiestas pra reciclar lá be my guest.

          3. Se você tem um copo de plástico, mas precisa de uma chave de fenda de plástico, nada disso é lixo. Você só transforma uma coisa em outra.
            E nada vai disfarçar a sua piada. É óbvio para quem quiser ler que você quis fazer troça da capacidade do Brasil de produzir coisas boas.
            Mas, claro, se o seu argumento é válido, o meu também: eu disse que o Brasil não ia mandar você, por que quem mandaria uma pessoa para uma recicladora? 😛

        3. O Salvador e bem agressivo mesmo . Fora isso e mal educado. Ele deveria se retirar deste negócio de internet e cair fora. Acho que ficou rico escrevendo livro e não liga mais para isso. Deveria ao menos respeitar nós.

          1. Eu não sou rico. Aliás, não conheço ninguém no Brasil, fora o Paulo Coelho, que tenha ficado rico escrevendo livros.
            E é verdade que tenho ficado mais agressivo nos últimos anos, algo de que não me orgulho. Mas, entenda, a paciência vai se desgastando. Você não tem ideia do que é lidar com trolls o dia inteiro, todos os dias da sua vida, enquanto se assiste, impotente, ao mundo ficar mais imbecil e radical a cada dia que passa. Faz um mal danado. Eu diria que perco muito do meu bem-estar tendo de lidar com isso e acabo, por tabela, sendo injusto com algumas pessoas — como *aparentemente* fui agora (e ressalto o “aparentemente”, porque continuo achando que o comentário original foi, sim, malicioso e depreciativo).
            A solução, claro, seria parar de interagir nos comentários. Deixar os trolls se matarem. Mas aí punirei a comunidade “do bem” que existe ao redor do blog, que gosta de conversar comigo e trocar ideias numa boa. Acho injusto com eles e injusto comigo, porque gosto de interagir com eles. Mas admito que tenho pensado a sério nessa possibilidade.
            Uma solução intermediária do tipo “responder aos bons, ignorar os potenciais trolls” não funciona comigo, porque me sinto tentado a responder a todos e caio fácil em provocações — mais um defeito que você pode incluir aí na minha lista pessoal. Ou respondo livremente ou não respondo ninguém. Por enquanto, sigo com “respondo livremente”. Mas tenho cogitado a possibilidade de, infelizmente, passar a não responder ninguém. É triste.
            A toda e qualquer pessoa de boa-fé que tenha se sentido ofendida por manifestações mais ríspidas da minha parte, peço desculpas. Tenho certeza que, sendo pessoas de boa-fé, compreenderão a situação.

          2. Eu desculpo, mas só dessa vez hein? Que isso não se repita! A soberba é um pecado capital!

            Reze dois Pai-Nosso e uma Ave-Maria! 😛

          3. Nah, você mereceu todas. Um olho por um olho, um dente por um dente, não é disso que você gosta? rs

          4. Adoro o sarcasmo das respostas do Salvador e de (alguns) leitores. Sarcasmo bem humorado e ironias mais provocativas pra mim não qualificam como agressão. Hoje tem muita gente que pensa que blog é penico. Aqui tem que pensar só um pouco antes de falar qualquer bobagem – ou estar pronto pra tomar uma alfinetada. Que não vai matar ninguém. Quem aprende a rir um pouco de si mesmo se diverte mais na vida, relaxa aí gente!

        4. Seu comentário foi tão despretensiosamente ofensivo que conseguiu até deixar o Salvador “triggered”. Relê em voz alta e pensa a respeito.

  12. Os atuais políticos só estão em Brasília porque foram eleitos pelo povo! Não adianta colocar a culpa por tudo o que ocorre apenas neles.

    1. Mais ou menos. É fato que o povo os elegeu. Por outro lado, há regras. As gravações do Aécio, NO MÍNIMO, são quebra de decoro parlamentar, o que enseja a cassação do mandato. São as regras do jogo. Mas a classe política não cumpre a parte dela nas regras do jogo. A nossa parte é: nós elegemos os políticos que irão nos representar, sendo eles bons ou ruins. A parte deles é: existem regras para a conduta dos políticos, e eles não estão acima dessas regras. Em caso de flagrante violação, elas devem ser aplicadas com rigor. Essa parte não é cumprida, porque todo mundo tem telhado de vidro e sabe que será o próximo. Mas se são 80 bandidos, que sejam 80 cassações. O voto vale até o ponto em que o cara viola a confiança do eleitor. A partir daí, o jogo muda.

      E vamos combinar que uma das coisas que a Lava Jato vem mostrando é que a putaria é ecumênica. Os eleitores escolheram mal seus representantes, mas, por tudo que sabemos, todas as escolhas possíveis eram igualmente ruins… rs

      1. Negativo! Se o eleitor fosse mais politizado, o estrago seria bem menor. Tenho certeza que muitos não se lembram em qual deputado (estadual ou federal) votaram na última eleição. Os marqueteiros e a classe política exploram essa ignorância do povo, candidatando palhaços e animadores de auditório. E o pior é que funciona!

        1. E o palhaço (Tiririca) está entre os honestos. Talvez a solução fosse ter mais palhaços e menos políticos. O circo, paradoxalmente, seria menor.

          1. Ser honesto é condição necessária, mas não suficiente para um político ser útil ao Brasil. Desqualificar a classe política é jogar o Brasil nas mãos de arrivistas. Deve-se insistir na discussão de idéias e ideais para o Brasil. A imprensa, da qual você faz parte, tem muita responsabilidade nessa história.

          2. Claro, na teoria concordo. Mas cite aí cinco honestos e competentes que vão disputar a próxima eleição presidencial. Vai.

          3. Discordo. Honesto e incompetente não resolve nada: os outros deitam e rolam em cima. Todo político tem que ter um pouco de malícia, conhecer o lado negro da força. O problema é que os brasileiros acham que a corrupção é a raiz de todos os males, caindo num discuso moralista vazio. O velho Maquiavel se tornou o primeiro cientista político, ao separar política da moral. Não confundam as coisas: não estou defendendo a corrupção, mas os “puros” no ambiente político são os que menos contribuem. Precisamos ser realistas e procurar aperfeiçoar o sistema para se aproximar de um nível escandinavo. Mas não vai ser os tiriricas que vão fazer isso.

          4. O que eu disse foi: para o Legislativo, honesto e incompetente é melhor que desonesto e competente. Para o Executivo, de fato, é preciso ser as duas coisas: honesto E competente.

          1. Sério que você vê esperança nesses três? Qual é a chance de algum deles acabar vencedor? Mesmo supondo que sejam honestos e competentes (tenho dúvidas sobre ambas as coisas), explique a diferença entre votar neles e votar nulo. Nenhum deles figura sequer em pesquisa. Luciano Huck tem mais eleitores que eles. rs

          2. O Salvador acredita na “honestidade” do Ciro e do Haddad, apesar de todas as acusações contra ambos. Mas duvida da honestidade da Ana Amélia, contra quem não pesa e nunca pesou acusação nenhuma.

          3. Não é uma questão de acreditar ou desacreditar. Eu não vi contra o Ciro ou o Haddad nenhum inquérito. Ou seja, todas as investigações que se fizeram deles não resultaram sequer em acusação, que dirá condenação. E note que ambos tiveram acessos a orçamentos vultosos, com Ciro como governador do Ceará e Haddad como ministro da Educação e prefeito de São Paulo. Então, digamos, eles são “provisoriamente” inocentes (e digo “provisoriamente” porque, dado o que sabemos hoje sobre o sistema político em si, todo e qualquer político acaba sob suspeita). Da mesma maneira, os três citados são também “provisoriamente” inocentes — pela mesmíssima razão. Mas não colocaria a mão no fogo, nem por aqueles, nem por esses, de novo, pela mesmíssima razão.

            Tendo dito isso, acho que o Ciro é uma opção real. O que quero dizer com isso? Que acho que ele tem uma chance de ir ao segundo turno e, eventualmente, vencer. Já Haddad ou os outros três considero apenas uma forma elegante de anular o voto, pois não vejo como possam ir sequer ao segundo turno.

            Mas ainda tem água para correr debaixo dessa ponte. Note que semanas atrás Doria era favorito à disputa. Hoje já derreteu como farinata… A política é dinâmica. Aguardemos o desenrolar dos acontecimentos.

          4. Não sei quanto à honestidade, mas em termos políticos Ana Amélia ou é muito ruim de julgamento ou está travestida de inocente:
            “”Na sessão do julgamento, foi escolhida pela bancada pró-impeachment para ao lado do senador goiano Ronaldo Caiado (DEM), encaminhar o voto sim pela cassação do mandato de Dilma Rousseff. Encaminhou nas seguintes palavras:
            “ Um fio de esperança nasce. A nova esperança, um novo Brasil. Um novo sistema político, melhor, mais transparente, mais responsável, é isso o que a sociedade quer. E é essa resposta que hoje estamos dando à sociedade brasileira. Dizer que o empoderamento de cada cidadã e de cada cidadão nos dá um aumento de responsabilidade, não apenas no cumprimento da lei, mas nos valores éticos e morais, que nos impõem uma nova atitude.””

            Não, ela não é inocente e sabia quem iria assumir.

          5. Na boa, você está sendo muito parcial. Ciro responde a vários processos por improbidade. Inocente até que provem o contrário ok. Haddad responde processos de improbidade pela indústria da multa. Mas pra ganhar meu voto (e pelo que você falou o seu também) precisa provar inocência. Você compara a mesma ”inocência provisória” deles com a de políticos que nunca foram acusados de nada. Não são comparáveis, são coisas diferentes. E o Doria não responde por nada, por que teria derretido? Ele só não sai candidato se o partido optar pelo Alckmin, que também tem lá suas tramoias.

            OFF: mas seria muito legal ver um debate Ciro x Bolsonaro no segundo turno. Haja pipoca!

          6. Ninguém prova inocência, pelo ordenamento jurídico brasileiro. O ônus da prova é de quem acusa. Repito: onde estão os links para os processos a que supostamente respondem Haddad e Ciro Gomes? Veja, não investigações ou suspeitas, porque essas são naturais para qualquer um que tenha se envolvido com a coisa pública — é praticamente impossível ter um governo livre de corrupção (são muitos funcionários para controlar), e qualquer escândalo terá de ser investigado para determinar quem está envolvido e quem não está. Então, vamos lá: onde estão os processos contra Haddad e Ciro?

            Eu não acho que seja necessário haver processos para que percam meu voto, mas é preciso no mínimo ter provas publicamente conhecidas de envolvimento dos agentes políticos em malfeitos. Não vi até agora, nesses dois casos. Mas estou abrindo o espaço para você colocar os links aí dos processos a que eles respondem, se respondem a algum. Se não respondem a nenhum, acho importante também você reconhecer isso.

            O Doria derreteu porque é imbecil, suponho. Meio como o Russomanno. A natureza marca. Os índices dele nas pesquisas estão empacados, mesmo depois de todas essas viagens e o marketing intensivo, e não são melhores que os de Alckmin, mostrando que o discurso “não sou político, sou gestor” já ficou velho e não cola mais.

            Quanto ao debate ficcional que eu gostaria de ver, seria Lula x Doria. Mas acho que não seremos premiados com essa obra-prima do entretenimento televisivo. rs

          7. Vc ta falando de Magno Malta cara…
            precisa falar mais alguma coisa?!
            Quer transformar o Brasil numa igreja evangélica gigante é?

          8. O Fabio é um dos incendiários do blog. Fica tacando fogo nos comentários com off topics, e depois que paga de malcriado com leitores mais exaltados sou eu. 😛

          9. Beleza aproveitando o espaço para colocar os links dos PROCESSOS contra Ciro e Haddad. Se procurar melhor, talvez ache mais coisa.

            HADDAD PROCESSADO pela industria de multas: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2016/05/justica-aceita-acao-de-improbidade-contra-haddad-por-dinheiro-de-multas.html

            HADDAD PROCESSADO por fraude no Teatro Municipal: http://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2016/12/mp-de-sp-pede-condenacao-de-fernando-haddad-em-caso-do-teatro-municipal.html . CONDENADO A DEVOLVER MAIS DE 120 MI.

            CIRO PROCESSADO por fraude na SAMU: https://www20.opovo.com.br/app/politica/2015/09/29/noticiaspoliticas,3511897/mpf-entra-com-acao-de-improbidade-contra-ciro-gomes-e-carlile-lavor.shtml

            CIRO PROCESSADO pela farra das passagens: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/ciro-gomes-diz-estar-indignado-por-denuncia-do-ministerio-publico/

            Se procurar, acha mais.

            única acusação que você tem contra o Doria é ”imbecil” e ”discurso velho” onde o ”velho” é menos de um ano? Velho é o Ciro que foi ministro do ITAMAR!

          10. Começando pelo fim, eu não estou acusando o Doria de nada. Estou dizendo que ele já está derretendo nas pesquisas, só isso. E certamente é porque é imbecil e tem um discurso que não cola mais, porque, como você mesmo aponta, não é por denúncias concretas. É pura idiotice mesmo. Falta de traquejo para o negócio. 😛

            Sobre os seus links, é foda você me dar trabalho extra, mas vamos lá, porque é preciso enfatizar a precariedade das suas acusações, pinçando links que mais lhe convêm. O primeiro link contra o Haddad, de maio de 2016, é o mais simples de resolver. Ele foi inocentado do caso em dezembro de 2016. https://www.conjur.com.br/2016-dez-16/mp-nao-prova-existencia-industria-multa-haddad-absolvido

            Sobre o segundo, Haddad não foi processado. Leia lá. O MP pediu a inclusão de Haddad como réu, mas as investigações seguem. Até agora, até onde pude apurar, não há processo em trâmite que tenha o ex-prefeito como réu. Curiosamente, a proposta veio do promotor Marcelo Milani, acusado por Haddad de pedir propina no caso da Arena Corinthians. Que houve irregularidades no Theatro Municipal não há dúvida. Que Haddad tenha sido cúmplice delas, até agora não houve sequer sinalização da Justiça de que esse fosse o caso — somente da promotoria. Mas entenda a função de cada um no sistema de Justiça. À promotoria cabe acusar, ao juiz cabe julgar. A promotoria carrega nas tintas, porque essa é a função dela. O que conta para efeito de avaliação da honestidade/desonestidade é a posição do juiz, que é imparcial. A promotoria, por definição e por atribuição, tem de ser parcial, e contra os acusados.

            O terceiro link, de novo, diz que Ciro foi acusado pelo MPF, mas a denúncia parece não ter sido aceita. Pelo menos fiz uma busca exaustiva aqui e não achei mais informações. Talvez a denúncia tenha sido aceita, talvez ele até já tenha sido julgado. Difícil avaliar só com a sua pinça. Se a denúncia não foi aceita, o assunto acaba aí. Se a denúncia foi aceita e ele foi julgado e condenado, podemos tirar a pecha de “provisoriamente honesto” dele. Se foi julgado e inocentado, mais um ponto para ele. Se o processo ainda está tramitando, sem julgamento, temos de manter o “provisoriamente honesto”, mas com uma certa ressalva. Li do que ele é acusado no link que você postou e não achei grande coisa.

            O quarto link, ainda mais irrelevante. Aqui um link mais atual sobre o caso mostra que o MPF está pedindo devolução de 1 passagem internacional e 14 nacionais e ressalta que não há processo criminal contra ele: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/os-politicos-dos-quais-o-ministerio-publico-pretende-cobrar-r-50-milhoes-pela-farra-das-passagens/ Então parece mais um acerto administrativo do que qualquer outra coisa.

            E veja: estamos falando, no caso de Ciro Gomes, de um político com quase quatro décadas de carreira. Foi eleito deputado estadual em 1983. Se comparar a “ficha corrida” do Ciro com a da maioria dos macacos velhos, verá que essa escassez de denúncias — nenhuma delas resultando em processo em trâmite na Justiça, até onde pude apurar — é um grande atestado de idoneidade.

            De novo, mantenho o “provisoriamente honesto”, porque também não dá para confiar na eficiência das instituições para investigar, denunciar, julgar e punir no passado. Só em tempos mais recentes a coisa parece ter engrenado nesse sentido. Mas, convenhamos, contrastar com outros políticos com o mesmo tempo de estrada já ajuda a mostrar que o Ciro pode ter muitos defeitos, mas não parece ser um sujeito propenso a se envolver em escândalos de corrupção.

            Contraste com o Doria, que tem aí menos de um ano de prefeito e já aumentou as mortes nas Marginais, autorizou a dar remédio vencido para os doentes, autorizou a dar comida vencida para as crianças nas escolas, quer usar dinheiro de multas que ainda não foram sequer aplicadas (isso sim é indústria da multa!) e, no mais, pelos vídeos que circulam por aí parece ser tão destemperado quanto o Ciro, ou mais. Alberto Goldman que o diga. De novo, não estou acusando Doria formalmente de nada. Mas é muita merda para um ano só, hein? Imagine quando ele estiver na quarta década de política, como o Ciro… 😛

          11. Ah Salva, para. Incendiário é muito radical, não acha? No fim, as discussões têm algum efeito benéfico, pois já cansei de contar quantas vezes você teve a palavra final 😛
            Não dá pra reclamar hehe…

          12. Vou concordar com você que as acusações são defensáveis. Não tem batom na cueca. Mas você mesmo admite que no Municipal teve fraude. Ou seja, se o Haddad não foi desonesto, foi incompetente por não ter evitado a fraude, por ter escolhido fraudadores para os cargos, por não ter percebido que estava acontecendo, por não ter denunciado. Ou fez vista grossa. 120 milhões é muita grana para um gestor não perceber que está sendo desviado de um Teatro sob responsabilidade dele! E o Ciro tem quatro décadas mas vamos combinar que faz pouco tempo que se investiga e pune. Até 2014 não existia nada contra o Aécio e agora olhaí o nível do malandro. Honesto honesto mesmo entre os presidenciáveis parece ser só Marina e Bolsonaro. O resto todo mundo deixou algum rabo pra pisarem, maiores ou menores.

          13. Não foi incompetente pelo que já disse antes: é impossível, numa grande estrutura de governo, coibir totalmente a corrupção. IMPOSSÍVEL. O prefeito não pode controlar cada fiscalzinho que vai ver extintor em boate para saber se ele não cobra propina, vigiar cada contrato do poder público, controlar cada funcionário. Não tem como. Seria incompetente (ou desonesto) se tivesse mais roubalheira na sua gestão do que ações reais, como parece ter sido o caso dos governos federais recentes, em que até medidas provisórias eram na verdade “compradas”. Mas por um caso isolado, no Theatro Municipal, não acho que seja caso de incompetência, não. E 120 milhões parece muito, mas será que é? Em quanto tempo? Quanto de cada vez? Qual é o orçamento do Município? Por ano, é R$ 54 BIlhões. Não acho impossível que, ao longo de várias gestões, 120 milhões vazem pelas fissuras da corrupção sem serem percebidos pelo PREFEITO, que ademais conta com secretários, subsecretários e todo o aparato de gestão para ver isso.

            Bolsonaro, por exemplo, não vejo como tão honesto assim, não. Recebeu dinheiro da JBS. Aí mandou devolver. Mas peraí. Como a JBS tem a sua conta para mandar um dinheiro pra você, pra começo de conversa? A minha conta eles não tinham, te garanto. Aí o segundo ponto: em vez de devolver o dinheiro pra JBS, passou pro partido. Uai? Não era contra dinheiro sujo? Pra ele não pode, mas pro partido dele pode? Aí, não bastando tudo isso, o partido depois depositou pra ele o mesmo valor que a JBS originalmente tinha depositado. Uai? É outro dinheiro? Ou é o mesmo dinheiro? Então, de novo, ele entra na minha lista de “provisoriamente honesto”, mas está alguns degraus abaixo do Ciro e do Haddad, por exemplo, cujas acusações envolvem uma aparato de gestão e não necessariamente ações individuais deles. A dança do dinheiro da JBS pro Bolsonaro envolveu ações dele diretamente. Não dá para alegar desconhecimento. Complicado.

            Marina até agora também incluo na lista dos “provisoriamente honestos”.

          14. Você distorce, hein. O Bolsonaro NÃO PEGOU o dinheiro! Ele recebeu uma ”ordem de pagamento” vinda da JBS através do partido e devolveu A ORDEM DE PAGAMENTO. O dinheiro nem passou por ele. Se você não gosta do Bolsonaro porque ele não é de esquerda, ou porque ele gosta dos militares, ou porque você acha ele homofóbico, é direito político (e sexual 😛 ) seu criticá-lo. Mas quando você deliberadamente distorce os fatos para fazer parecer que ele se corrompeu fica complicado. Fica parecendo o yarruim quando a manchete diz “Fulano declara propina paga a Sérgio Moro”. Aí você vai ler a notícia e vê que o Fulano declarou PARA O SÉRGIO MORO que pagou propina.

            Pra mim provisoriamente honesto, Marina e Bolsonaro. Pode incluir o Cristóvam aí nessa lista – este sim tem décadas de vida política ilibada. Doria ainda está no nível ”sem nota” pelo pouco tempo, não entrou nos provisoriamente honestos nem nos desonestos. Haddad, Ciro, Alckmin, Serra, FHC, estão no meu rol dos suspeitos. E claro, Lula, Dilma, Aécio, Temer, Sarney e Maluf estão na terceira lista.

          15. Não, não é questão de eu gostar ou não gostar do Bolsonaro. Não gosto. E acho que é óbvio que qualquer pessoa que preza pela democracia não deve gostar, uma vez que ele é um admirador confesso da ditadura. Mas isso vai além da questão.

            E não vejo como a “ordem de pagamento” e o pagamento em si podem ser diferenciados. Fato é que ele fez o dinheiro dar uma volta para chegar nele, numa tentativa de apagar a ligação da grana com a JBS. Ou não?

            O Cristovam acho que é provisoriamente honesto também. E veja, mantive o Bolsonaro na lista dos provisoriamente honestos, como você. Só apontei uma historinha mal-contada dele para temperar essa honestidade toda. rs

          16. Claro, estamos debatendo. Eu também apontei historinhas de alguns, mas se tem historia mal contada vai pra minha lista de suspeitos. Na lista dos honestos provisórios se tem história tem que estar bem contadinha e passadinha a limpo. Não acho que a história do Bolsonaro ficou mal-contada. O cheque chegou pra ele e ele mandou voltar. Não botou a mão na grana. E foi ele mesmo quem deu publicidade aos fatos (claro, pra faturar com a imagem de honesto, o que não impede que seja honesto mesmo). Pra mim também tá nos provisoriamente. E o Temer, pra você está em qual lista?

          17. Ele é falastrão, mas até aí o Doria também é, e o Bolsonaro também, e o Lula também. Só temos toscos disputando a eleição. rs

        1. Mas Salva, Eu achei Boa a pasta nutritiva, pois, além de reduzir desperdícios, fortalece. Eu mesmo faço parecido em casa, aqui nada é desperdiçado. Vocé vê problemas?

          1. Vejo problemas sérios. Primeiro porque a iniciativa favorece e muito a indústria. Com o esquema, eles não só não precisam gastar com o processo de destruir alimentos vencidos como ainda ganham isenção de imposto. Se fosse uma circunstância pura ganha-ganha, vá lá. Nada contra. Mas por enquanto temos só esse “ganha”. Será que as crianças também têm o seu “ganha”? Ninguém sabe, porque o prefeito anunciou o projeto sem consultar nutricionistas, o que inclusive viola as leis do município, que regem o processo para determinar o que vai na merenda das crianças. Nem o secretário da Educação estava presente ao anúncio! Então, assim, o cara faz um troço que é uma bênção para a indústria sem nem se certificar de que é bom pras crianças. Como posso achar isso legal?

      2. Concordo com os colegas. Estamos vivendo um paradoxo: proclamamos um discurso moralista, assim como nossos representantes, mas todos sabem que esse discurso está apenas nas aparências. Como eles (os representantes) são o espelho do povo, não há o que reclamar. Esqueçam os argumentos morais e trabalhem para o aperfeiçoamento prático do nosso sistema.

    2. Se tentar discutir a questão política, é muito pouco espaço para tanta divergência no meio político. De um lado sim tem regras na política. Por outro lado, existem diferênças em meio aos parlamentares. Você sabe o que é “cabeça quente”? Cabeça quente é o deputado novato que não vale quase nada, ou seja, não tem poder de decisão. Você sabe o quem são os deputados de segundo escalão? Também é a outra categoria dos deputados com menos poder. Quem tem mais poderes no senado, são os líderes e senadores que são os poderosos, e a maioria são investigados. Exatamente essas turmas que estão aí, como, o presidente da câmara e seus aliados, que imperam a explanado dos ministérios.
      Fora essas questões, são estudos de sociólogos que analizam o comportamento desses jovens, que sofrem trote nas escolas, e quando começam a política nos chamados partidos nanico, crescem, e depois se tornam corruptos. São influenciados, porque a corrupção é um meio endêmica em quase todas as prefeituras.
      Além do mais, no Brasil, a verba orçamentário é pouca, devido a incompetência do Ministério da Ciê cia e Tecnologia. Em São Paulo, é apenas 1% de todo imposto arrecadado, a exemplo da Fapesp, cuja administração está sobre a custódia do físico José Goldenberg.

    3. Não me lembro de alguma vez na minha vida ter sido consultado se queria ser presidido por alguém… Alguém lembra?

  13. É com dizem por ai, o melhor do Brasil é o brasileiro. Grandes conquistas, parabéns mesmo ao vencedores pelas conquistas! Todos na luta por uma país melhor!

    Galileu Ribeiro

Comments are closed.