Astrônomos encontram cometa interestelar

Salvador Nogueira

Em setembro último, um cometa passou raspando pelo Sol. Até aí nada de novo; esses astros fazem isso o tempo todo. Mas este foi especial, pois ele parece ter vindo de outro sistema solar — um viajante interestelar.

Se essa conclusão se confirmar, será a primeira vez que se detecta um cometa interestelar, ou seja, que viajou de um sistema planetário a outro, cruzando o imenso vazio entre as estrelas.

O astro foi descoberto na semana passada pelo projeto Pan-STARRS, um sistema de busca de bólidos celestes próximos à Terra apoiado pela Nasa, a agência espacial americana. De início, parecia só mais um cometa, como tantos outros, sem risco de colisão com nosso planeta.

No entanto, o acompanhamento do objeto indicou que ele estava numa rota hiperbólica, termo técnico para “não estava preso a uma órbita ao redor do Sol”. Mais que isso, sua velocidade de deslocamento era incomum. “Foi medida em 26 km/s, compatível com a de objetos situados no disco galáctico”, diz Cristóvão Jacques, astrônomo do SONEAR, observatório brasileiro de busca por asteroides próximos à Terra. “Por causa dessa velocidade, sabemos que ele não é do Sistema Solar, e sim de fora.”

Os astrônomos sabem que cometas são ejetados do Sistema Solar o tempo todo, então é de fato esperado que eles transitem por aí, entre as estrelas. Mas ninguém tinha visto até agora um exocometa cruzar o Sistema Solar, e esse em particular mostrou uma peculiaridade adicional. “O que é estranho e uma incrível coincidência é como um cometa de fora do Sistema Solar passa tão perto do Sol”, diz Jacques. “Foi quase um sungrazer“, referindo-se a cometas que mergulham tão próximos de nossa estrela que muitas vezes são completamente destruídos e nem saem do outro lado.

O cometa interestelar, C/2017 U1 (Pan-STARRS), segue sendo observado atentamente conforme se afasta depressa do nosso Sistema Solar, para nunca mais voltar. A esperança é que se possa confirmar sua órbita e sua natureza hiperbólica, que indicaria origem extra-solar.

Entre os que estão registrando sua fugidia presença por essas bandas é o astrônomo brasileiro Paulo Holvorcem, que, trabalhando em parceria com o americano Michael Schwartz, registrou o objeto no último dia 21. “Nelas, não se vê atividade cometária”, diz Holvorcem, num elemento que aumenta o mistério. Seria um núcleo de cometa esgotado? Ou sua passagem tão rápida pelo Sol limitou o nível de atividade?

Imagens em negativo do cometa interestelar, feitas do Observatório Tenagra, no Arizona (EUA). (Crédito: Paulo Holvorcem e Michael Schwartz)

Imagens colhidas e tratadas pela Mount Lemmon Survey de início pareceram detectar uma pequena coma (a atmosfera do cometa), compatível com a que se esperaria de um objeto desses, da ordem de meros 100-200 metros de diâmetro. Mas observações posteriores refutaram isso — se for um cometa, está inativo ou extinto.

E as investigações continuam. Na noite desta quarta-feira (25), Joe Masiero, astrônomo do JPL (Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa), usará o Observatório de Palomar para tentar capturar o espectro — a assinatura de luz — do objeto e assim dizer algo sobre sua composição.  (Ciência em tempo real é assim!)

E eis a maior de todas as perguntas: de onde ele teria vindo? Os astrônomos ainda não sabem com certeza, mas, com o que se pôde calcular até agora, ele deve ter vindo da direção da constelação Lira, muito perto de onde se localiza a estrela Vega, a 25 anos-luz daqui. Contudo, a trajetória até agora não bate exatamente lá. Talvez com a coleta de mais dados e a definição mais precisa da órbita, possamos determinar se esse ilustre visitante veio de lá ou de outro lugar.

Indicação da faixa de onde pode ter vindo o cometa. (Crédito: Daniel Bamberger)

O mais provável, contudo, é que sua origem permaneça para sempre desconhecida. Seria mais uma enorme coincidência (além da passagem próxima do Sol) que ele viesse diretamente de uma estrela próxima, em vez de ter vagado a esmo pela galáxia por bilhões de anos antes de cruzar o nosso caminho.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Olá Salvador…minha duvida foge desta matéria, espero não atrapalhar…
    Li um artigo recentemente sobre Matéria Escura e a Energia Escura e sobre as mesmas pergunto:

    -Seria absurdo admitir que a Matéria Escura faz parte de outra dimensão interferindo na nossa matéria conhecida ? Ela se comportaria como matéria que preenche todo o vazio (que na verdade possui massa) e pode sim agir em nossa dimensão sem ser captada. Isto responderia como 30% da massa medida não é captada…

    Por outro lado a Energia escura seria a força que une a matéria conhecida e a matéria escura mas que com o passar dos tempos perde força permitindo desta forma que as galáxias mais distantes se distanciem cada vez mais rápido de nós…

    O que você acha sobre isso ? Estarei viajando na maionese por acaso ?

    1. Gerson, obrigado por sua mensagem.
      Assim, se você não se incomoda de postular a existência de uma dimensão sobre a qual não temos nenhuma evidência, tudo bem. Mas, entre postular a existência de uma partícula de matéria que não conhecemos e postular uma dimensão inteira, a partícula parece a hipótese mais parcimoniosa, não?
      Sobre a energia escura, você presumir que ela seja um enfraquecimento da gravidade (a força que une a matéria nas grandes escalas!) não é consistente com os fenômenos gravitacionais que observamos com grande precisão…

  2. Tenho essa duvida persistente a qual não consegui uma resposta ainda, paralela a questão do objeto visitante (cometa/asteroide), se somos todos formados da poeira de uma estrela anterior de grande massa, que explodiu após consumir todo seu combustível (hidrogênio) e derivados da agregação dessa poeira que se formou em torno de uma estrela (Sol), como haveria hidrogênio remanescente suficiente para formação do mesmo?

    1. As estrelas só consomem todo o seu hidrogênio no núcleo, mas ainda sobre muito hidrogênio nas camadas externas. E as gerações futuras são nascidas de nuvens de hidrogênio primordial ENRIQUECIDAS com o conteúdo das estrelas mortas.

  3. Salvador, eu sempre acompanho suas matérias mas nunca fiz comentários, mas fiquei com uma dúvida sobre a velocidade do cometa. Qual a velocidade dos objetos de nosso sistema solar? Pergunto pois no 4º parágrafo você faz a referência de que “sabemos que ele é de fora pela velocidade incomum”.

    1. Então, vamos lá. O que acontece é o seguinte: a velocidade de um objeto em órbita é ditada pela gravidade. Cometas de longo período, que vêm dos confins do Sistema Solar, passam pelo Sol, e retornam aos confins do Sistema Solar, seguem a lei de Kepler: quanto mais perto do Sol, mais depressa andam. Logo, quando estão afastados, além de Netuno, são extremamente lentos.

      Este objeto chamou a atenção porque entrou na região dos planetas já muito rápido — indicando que não estava numa órbita longa ao redor do Sol, mas sim vinha de fora do Sistema Solar. É isso.

      A rigor, um objeto a 26 km/s não é incomum para astros no Sistema Solar, mas é incomum para astros no Sistema Solar além da órbita de Netuno.

  4. Corrigindodo, extincao(to num LG 40 de 3.5″ isso aqui vai diminindo diminuido………..,,….)
    Entao vamos la, por nao acretitarem que exista uma anam marrom na atual janela de urano-netuno (PEIXES-CETUS), capaz de acelerar o corpio celestial(asteroide-cometa), esta que se cria esta hipotese de trajetoria.
    Ele pode ter ido pra lira, mas o corpo” que eu achei que estivesse ficado estendido no chao”, , para mim nao veio de la.
    Esse evento tem se repetido neste periiodo-janela, como tenho mencioinado aqui.
    so rever as images deste ano e dos anos anteriires e se vera.

  5. Mensageiro,
    Percebes a alcunha de mais um (outro) Sideral?
    Dita a cifra, erra a rota, consulta teorias e comunga hipérboles. Objetando “certezas” em um bate-papo local vai-se injetando uma consciência casual.
    Procede o abjetar?
    Ejetar!
    Sobrevida…
    Trouxe o paraquedas?
    A coceira no fiofó e o arrastar-se de bandas (oxiúros dos porquês) e como um cão danado.
    E o enigma persiste, matemática cheia de causos e razões, um e outro decifrador de códigos (meia boca) e o promissor silício “a rocha pensante” corre riscos na prancheta de indumentárias.
    Códigos pra quê? Estamos tateando no Breu. Abra este blackout!
    Eu não quero espiar neste buraco de fechadura /minhocas ou grilos na cuca em o seu eixo gravitacional.
    “Vai que estás nu?”
    Delimitado, sobra o espaço e bota espaço nisso.
    Flutuante, a letra e o câmbio impedem (a aventura humana na Terra) esse campo de pesquisa extra-sensorial.
    Falta vontade coletiva e sobra recursos de pesquisa?
    A limitação dos materiais (no planeta) foi proposital.
    Guenta aí, somente um cadim… O empurrãozinho e deixe o menino rodar (carrossel de moto perpétuo).
    Ovóide ou geoide? Prefiro o meu e ao ponto de escorrer a gema planetária. Bora dolarizar (U$) em metonímicas.
    O ovo do povo, a ambiguidade geral das nações e as suas pluralidades. O vislumbre em multiversos (armazém da utopia) imaginem o rabisco e o grito no “vácuo”!
    Estampido eis o traque no bang bang evolucional.
    Alguém me ouviu?
    Diz aí: Cumé que é?
    Bombástico!
    Cumé que é?
    Bombástico.
    Armadilha do destino, existe isso? Um jogo perigoso numa brincadeira do pique esconde.
    De onde você vêm?
    Doação, uma palavra que está na moda: de coisas e órgãos.
    Doando palavras e formas de vida: reluzentes, estáticas rastejantes; “Mutantes”, floridas e pensantes.
    C R I A C I O N A L !
    Objetos de certeza?
    Temos alguns: um guia prático, funcional, de mão em mãos.
    Torá!
    A mão humana, ferramenta quase que perfeita que nos difere dos primatas. E cabe práticas? Porquê esta (subespécie) não deixou o rastro do existir?
    Rhesus a lenda, que os “primos” de longa data, fincaram estacas (não evoluíram) e nós pulamos etapas “dos galhos”.
    Será que somos peixes?
    Se somos terra, tudo que há na Terra! No guia do mochileiro das galáxias, o feriadão, não significa nada.
    Barulheira chata sô! Também observo o silêncio.
    Dominamos a grosso modo (palavras e os seus significados), classificamos e tabelamos existências: (mineral, vegetal e animal). E o porquê detonou essa bomba “protões”?
    Causa e efeito, reverbério e os gases.
    Empachado! Um planeta de “ressaca”.
    Alimentando: filósofos, matemáticos e etc(s).
    A sopa das galáxias aquece, neste quase que absoluto zero (vontades, opiniões, debates e fé).
    Até breve amigos opcionais!
    “Ambiguidade e singularidade” certeza? (Esta);
    É preciso ter fé.
    A viagem, caindo ou subindo, elevados ou não, ajeite-se em sua poltrona pois haverá solavancos.
    A bolha azul e os seus micro furos;
    Coordenada cravada!
    ( O menino do sertão – Brasil).

  6. Eu so penso que a hunanidade E-stariana tenha verbo-substantivado para se, por um acaso(hipotese )de isso vir a acontecer de uma forma ou de outra,(por algum evento catrastrofico envolvendo corpos celestiais ou nao),
    e dai usar a conciencia e sabedoria pra se livrar da instincao; talvez este feito ja tenha ocorrido ,sobre a conciencia dos nao ceticos que conviveram(“encontrada pegada humana que compartilha da mesma era dos dinossauros”) que compartilha com os dinossauros, imagina o que o ceticismo possa nos deixar acontecer?

  7. Lembrando que os cometas são o pilar da teoria da panspermia…ja se encontrou aminoácidos em vários deles…são o plano B para a difícil sintetização em laboratórios de proteínas replicadoras…quem sabe…a vida aqui começou com um desses…

  8. nao tenho muito para comentarios,porem sou seu fa de carteirinha

    salvador

    abraçao do seu admirador
    mario sergio

  9. quem traduziu esse link da nasa, traduziu errado, pois a velocidade correta nao é 28 km/s, e sim, 27 Milhas por segundo (travelling at 27 miles per second (44 kilometers per second)

    1. Acho difícil você dizer que esta matéria foi uma tradução do link da Nasa. Veja a data da matéria e veja a data da matéria da Nasa. Eu publiquei antes!
      Desconfio que a diferença de velocidade seja porque a Nasa disse a que velocidade estava o cometa ou asteroide quando ele passou pela órbita da Terra, e eu indico a velocidade dele na entrada do Sistema Solar, ainda bem longe do Sol. A velocidade do objeto variou, entre aproximação e afastamento, de 26 km/s para quase 100 km/s no periélio.

  10. Salvador, boa noite!

    Só passei aqui pra dizer que depois de suas respostas, me tornei sua fã.

    Um grande abraço,
    Vida longa e Próspera!

    Cláudia.

    1. Há. Mas é bem, bem pequena para os próximos séculos (e praticamente nula para as próximas décadas). Mas, em milhões de anos, a chance é quase 100%. Só questão de tempo.

  11. Salvador, desculpe a singeleza da pergunta, mas há chances de um novo bólido suficiente para mudar as coisas atingir o planeta azul?

  12. Salvador Boa tarde

    Muito interessante esse cometa…mas eu sou apaixonado pelo planeta Júpiter queria te perguntar á sonda Juno acabou sendo um fiasco pra os meros telespectadores como eu e um grande segredo para a Nasa escondendo tudo e mostrando pouco. Agradeço sou seu fã

    1. A Nasa está mostrando ABSOLUTAMENTE TUDO da Juno. Você pode inclusive baixar as imagens brutas da sonda e processar você mesmo. Todas elas.
      E ela não é um fracasso, é um grande sucesso. Contudo, sua missão envolve descobrir a estrutura interna de Júpiter. Talvez isso em particular não lhe seja tão interessante. Se for, aqui os últimos resultados publicados: http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/2017/05/25/campo-magnetico-de-jupiter-surpreende-cientistas/

  13. PAD, de tds os comentários o + lógico goi aquele q não foi feito, kkkkkk…
    Eu particularmente acho q vcs tds estão usando pedra d+, cama ai é muita besteira de ima só vez, kkkkkkk

  14. Sendo sincero com vcs, o reportagem ruim. o sujeito diz, se confirmado??? NASA?? nASA nao e aquela instituição que por acaso levou homem à LUA, que quando chegaram lá ja havia alguem filmando o homem saindo daquele lugar??? eles nao sabem de nada e sendo sincero mais uma vez com vcs, a terra e plana sim, so filmar ela la de cima, isso se conseguirem pois todos os astronautas que iriam à lua estao vivos, porque nao procuram por eles no youtube???? vcs leem e acredtiam no que querem mas nao querem acreditar no que leem.. muito interesseantes vcs

    1. Acho que você não entende ciência. Em ciência é assim. Tudo que um pesquisador diz precisa ser objetivamente confirmado por outros. Ninguém age por fé. 😉

    2. nASA nao e aquela instituição que por acaso levou homem à LUA, que quando chegaram lá ja havia alguem filmando o homem saindo daquele lugar???

      Ué, mas filmaram chegando ou saindo? Decida-se!

  15. Gostei do autor da matéria Salvador Nogueira pois além de escrever algo interessante também esclarece as dúvidas dos leitores e rebate os comentários toscos feitos por patetas.

    1. É, mas estou tentando evitar os toscos e ficar só com os bons comentaristas. Acho que vai ser mais saudável, no longo prazo. O duro é resistir às asneiras sem falar nada…

  16. Boa tarde! Gosto de suas publicações Salvador, seus artigos, acho interessante! Tenho algo na minha cabeça, gostaria de saber sua opinião! Talvez seja meio fútil, mas enfim, vamos la! Nas partes mais profundas dos nossos mares a chances de vida e tão difícil a locomoção quanto a chance de achar vida! porem nos mares existe algo como buracos de minhocas em que os animais se utilizam para chegar em outros partes dos mares muito mais rápido! a resposta para viajarmos rápido pelo espaço não poderíamos achar em nosso mares? penso da seguinte forma, se o escuro do universo é uma substancia que esta em expansão, então teria estes tão sonhados buracos de minhoca, e o certo não seria tentar identificar anomalias na substancia escura e quem sabe achar estes buracos? o humano tenta tanto construir uma nave rápida, penso eu que ajuda ser rápido, porem o mais importante seria achar uma forma de achar estes buracos! por fim, sei que meu comentário não tem haver com a reportagem, e que sempre leio seus post, porem a correria quase não da tempo de postar algo, hoje estou tranquilo em casa! obrigado! continua assim!

    1. Anderson, embora eu costume brincar que São Paulo é cheia de buracos de minhocas que ligam regiões distantes da cidade por caminhos não convencionais, não consigo imaginar como algo assim seria possível. Qualquer manipulação radical do espaço-tempo causaria variações de gravidade que mediríamos. Além disso, não há nenhuma observação que exija a presença de buracos de minhoca para explicar a distribuição da vida no fundo do oceano. Então é uma hipótese sem evidências e supérflua, além de radical e muito improvável. Em suma: acho que não. 😛

  17. O título da matéria na capa da UOL está tão apelativo que achei que estava no site da Revista Ufo.

    “Objeto misterioso pode ser o primeiro visitante interestelar”

    Pede pro editor pegar leve, Saver!

    1. Eu não acho também ruim. O objeto não foi identificado como asteroide ou cometa, então é mesmo misterioso. Quem disse que não é uma espaçonave num sobrevoo de reconhecimento do Sistema Solar? rs (Lanço a pergunta não porque eu acho que seja, mas para mostrar que não temos subsídios nem mesmo para refutar essa possibilidade, o que faz do objeto um genuíno mistério.)

  18. A chamada da matéria fala que era um Um objeto espacial estranho. Ai vc entra na matéria para ver e o texto fala que não é mais estranho e sim um cometa. Fui enganado só para abrir a materia. Mas nem li só de ver que se tratava de um objeto não estranho, como afirmava o chamado e sim de um cometa.

  19. Bom dia, Salvador.
    Pergunta: Você sabe se houve algum esforço da comunidade astronômica mundial em tentar pegar mais informações/imagens desse “corpo celeste”? Tipo, redirecionar o Hubble, LBT CTC, a antena de Arecibo, RATAM-600, o novo chinês (que não sei o nome…rs), ou algo assim?

  20. BOM DIA. DARIA PRA EMBARCAR NESSE OBJETO A MAIORIA DOS POLÍTICOS BRASILEIROS PARA UMA VIAGEM DE IDA? DETALHE COM OXIGÊNIO LIMITADO AFINAL NENHUM ET MERECE ESSES ESTRUMES..

  21. A existência do Universo. Quem admite um Deus como Primeira Causa de Tudo apenas cessa o pensamento, capitula-se. Pois se há um Ente sem Causa – Deus – por que o próprio Universo não poderia também existir sem causa? E se não se pode tirar Algo do Nada, uma vez existindo o Algo – o Universo – este está condenado a existir desde sempre – eternamente. Mas se fosse possível existir Algo a partir do Nada, então o Universo poderia também ter surgido desse Nada, e mais uma vez não precisaríamos de um Criador.

  22. Salvador, você é um sujeito muito legal. Conhece, informa e ensina. Sou um leigo que tenta entender o máximo possível e agradeço, sinceramente, pelo que você tem feito. . Grande abraço.

  23. COM OS DADOS QUE POSSUEM, NÃO É POSSÍVEL CALCULAR A DIMENSÃO DESTA HIPÉRBOLE?…SEGMENTO DE PARÁBOLA, VELOCIDADE E MASSA DO OBJETO? MAIS A TRAJETÓRIA DENTRO DOO SISTEMA???…TEMOS COMPUTADORES CAPAZES DE FAZER ISTO…

  24. Não sou especialista no assunto mas estas curiosidades do espaço sempre me chamaram a atenção e sempre faço leituras sobre. Para mim, obra de Deus. Parabéns pela matéria e pelo seu trabalho.

  25. a verdade é que nao estamos sozinhos e o misterio da vida deixa de ser misterio quando a fé nos leva a Deus;;;;

  26. Salvador, na sua opnião e registros , estamos tendo mais eventos notificados porque a tecnologia na astronomia aumentou ou porque a dinamica do universo mudou

  27. Impressionante!! Acontece um evento, dessa magnitude, e temos que acompanhar comentários medíocres. O povo perdeu à noção..

  28. Salvador, qual a possibilidade desse (e outros cometas) mudarem a velocidade e a trajetoria ao passarem proximos de estrelas ou buracos negros? Isso infuenciaria a compreensao da origem destes objetos?

    1. Bem, eles certamente mudam de trajetória. Esse aí quase deu meia volta ao passar perto do Sol.

    1. Atividade cometária é basicamente a atmosfera estendida que ele ganha quando seu material volátil sublima — passa de gelo a vapor — ao se aproximar do Sol. A coma e a cauda, resumindo. Um cometa, longe de estrelas, no espaço interestelar, pode durar bilhões de anos. Nossas boas e velhas Voyagers devem durar bilhões de anos… 🙂

  29. Bom dia Salvador. Os cometas são objetos pequenos e vão deixando rastro de ¨poeira¨ no caminho, ou seja, imagino que vão se desfazendo e, consequentemente, perdendo massa. Porque duram milhares, milhões de anos? Não deveriam se desfazer rapidamente? Obrigado.

    1. Quando visitam frequentemente as imediações do Sol, sim, esgotam eventualmente seu material volátil e restam só rochas. Os que passam muito perto do Sol nem voltam de lá para contar a história. Ou seja, cometas se esgotam ou se destroem o tempo todo. É que são muitos, e a maioria ainda está nos reservatórios nos cafundós do Sistema Solar, onde não há radiação suficiente para desgastar seus componentes voláteis.

  30. Olá Salvador!

    Os britânicos fizeram um estudo e mostraram que o brasileiro é o terceiro país mais idiota do mundo…. (pena que isso é um boato…), mas pelas respostas ao seu brilhante vídeo acho que eles estão certos! (como você tem paciência?)

  31. Seria possível que o “suposto nono planeta” ou até mesmo “Nêmesis” (a irmã do sol) tivesse desviado esse cometa/asteroide do cinturão de Kuiper e lançado ao sistema solar ?

    1. Nêmesis era uma hipótese que já foi refutada e, mais recentemente, uma “barriga” de uma matéria do UOL. rs

Comments are closed.