Astronomia: Um Netuno sem sol vagando por aí

Salvador Nogueira

Cientistas descobrem possível planeta sem sol, do porte de Netuno, vagando pela Via Láctea.

TRANCOS E BARRANCOS
O processo de formação planetária é tudo menos tranquilo. Incontáveis colisões num disco de gás e poeira que circunda a estrela nascente vão acabar, na base das forças gravitacional e bruta, configurando o sistema, que pode ou não terminar parecido com a família do Sol. Seja como for, nesse esquema, muitos objetos de todo tamanho devem ser ejetados para o espaço interestelar.

OS VISITANTES
Recentemente os astrônomos encontraram um pequeno viajante dessa categoria cruzando as nossas redondezas. O 1I/’Oumuamua, como foi chamado, veio, passou perto do Sol e agora já está de saída, de volta às estrelas. Mas e quanto a objetos de grande porte? Existe o risco de um planeta inteiro de repente entrar no Sistema Solar e bagunçar o nosso coreto?

SORRY, NIBIRUTAS
Bem, a chance de isso acontecer é baixíssima, por simples questão estatística: planetas errantes devem ser bem menos numerosos que meros pedregulhos espaciais. Ainda assim, a julgar pelo tamanho da galáxia, devem existir muitos deles, vagando pelo espaço interestelar.

NETUNO PERDIDO
Dando credibilidade a essa ideia, um grupo de cientistas acaba de anunciar, em artigo submetido ao “Astrophysical Journal”, a descoberta de um possível planeta errante, com massa similar à de Netuno, trafegando sossegadamente pela Via Láctea. O achado não deixa de ser um grande feito. Afinal, planetas solitários não têm brilho suficiente para que os vejamos ao telescópio.

COMO ENTÃO?
A descoberta em questão só foi possível graças ao fenômeno das lentes gravitacionais. É o fato de que corpos com massa curvam os raios de luz que passam perto deles, agindo como uma lente, só que feita de gravidade.

MICROLENTE
Os pesquisadores flagraram uma pequena variação na luz de uma estrela distante e, fazendo os cálculos, concluíram que se tratou de uma microlente gravitacional produzida por um objeto com porte planetário que passou entre nós e a estrela. Agora, eles querem estudar as redondezas e confirmar que se trata mesmo de um planeta sem sol.

BÔNUS: COSMOS
Neste domingo (10), nesta Folha, saiu uma resenha minha da nova edição de “Cosmos”, clássico livro de Carl Sagan recém-republicado pela Cia. das Letras. Fiz também um vídeo sobre a obra, que você pode ver abaixo.

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Em tempo: O Dr. Afonso, geofísico da USP também afirma que o homem nunca pisou na Lua. Será que agora vão conseguir quebrar o Domo (escudo invisível), que protege a Terra. Nada entra e nada sai da terra.

    1. Lua? Você ainda acredita em Lua?! O Dr. Afonso fez um vídeo novo dizendo que a Lua não existe. É uma lanterna colocada pela Nasa para nos enganar! Confira lá o vídeo mais recente: “A Lua existe?”. É muito bom.

    2. geofísico da USP

      EX geofísico da USP. Ele foi exonerado há uns bons anos, não ficou sabendo? Tão dizendo que foi porque ele enlouqueceu e começou a acreditar em idiotices, tipo Terra plana e afins…

  2. Bom dia a todos.
    Ele foi o primeiro geofísico graduado e doutorado na USP: Universidade de São Paulo, em tempo recorde. Normalmente um aluno de Geofísica na USP demora em média de 5 a 7 anos para concluir a graduação. Ele foi o primeiro a concluir o curso em apenas 4 anos, com altíssimas notas de avaliação. Não, não parou por aí, da graduação ele foi direto para o Doutorado, caso raríssimo também na USP. E depois prestou concurso na própria USP e foi professor universitário dessa mesma Universidade. Eu estou falando do Professor e Dr. Afonso E. V. Lopes. Podem pesquisar na Internet que vocês vão comprovar tudo isso acima. É muito fácil de pesquisar no Google. Mas podem confirmar na USP também, fiquem a vontade. Em tempo: Ele (Dr. Afonso), um dos mais respeitados cientista do planeta é Terraplanista. Vocês podem ver também os vídeos dele no Youtube. Será que tem alguém aqui no seu Blog Salvador que pode contestar um cientista do nível do Dr. Afonso, que diz categoricamente que a terra é plana?

    1. USP? Não vai me dizer agora que você acredita em USP também. É muito crédulo mesmo. A USP é uma fraude, meu caro! É só matagal lá. Você já foi? A USP é uma conspiração que a Nasa inventou para ter aliados aqui no Brasil. Por isso o Dr. Afonso correu de lá. Quando ele viu aquela gringaiada cercando ele no meio do matagal, achou melhor correr. A USP não existe! Vá lá se tiver coragem. É tudo uma conspiração.

    2. Claro, claro. Agora por gentileza apresente o link para o Curriculum Lattes dele, que mostre os estudos que ele tenha publicado que comprovem as merdas que ele fala sobre o formato da Terra.

      No aguardo.

  3. Salvador, bom dia,
    Se me permite um comentário sobre o bônus da matéria (alias, isso que eu chamo de BÔNUS, valia um tópico só pra ele).
    A reedição de COSMOS realmente foi uma grata surpresa para mim, pois sou uma daquelas crianças que ficou maravilhada com esta serie que passou na globo aos domingos após o fantástico e era reprisada aos sábados pela manhã se não me falha a memoria.(se não me engano, tb foi apresentado primeiro de forma condensada em 4 episódios e depois sim na integra).
    Hj em dia é difícil explicar a uma criança ou adolescente o impacto que essa serie causou, pois nunca tínhamos visto nada sequer vagamente semelhante na tv brasileira. Era, em uma palavra, Fascinante!
    Entretanto, fiquei um pouco decepcionado com a edição, pois nem se compara com as antigas, em formato maior com capa dura e, principalmente, fartamente ilustrada com fotos, desenhos e gráficos que ampliavam em muito não só o prazer da leitura mas tb enriqueciam grandemente a absorção das informações, tudo isso em cores e em papel de ótima qualidade.
    Estou pensando em adquirir um exemplar somente pelas atualizações, mas realmente gostaria de uma edição atualizada nos mesmos padrões da antiga.

    1. É, eu senti que a edição podia ser mais caprichada. Nem um papel diferente para o encarte de fotos eles usaram.

  4. Parabéns pelas suas reportagens. Textos claros, com palavras de alto nível. Um verdadeiro aprendizado. Difícil de encontrar equivalente ao seu trabalho na internet.

  5. Me intrigou um comentário seu acima, sobre a interpretação ser subjetiva. Estudo filosofia e história das ciências e suas organização e funcionamento me intrigam profundamente. Vou propor uma pergunta/provocação. Um famoso psicólogo publicou alguns livros sem quaisquer interpretações afirmando que “os dados falam por si mesmos”. Na sua opinião, Salvador Nogueira, os dados falam por si mesmos?

    1. Não, os dados nunca falam por si mesmos, exceto sobre eles mesmos. Então, se eu digo “a estrela sofreu uma alteração de brilho assim, assim, assado”, esse é um dado objetivo. Mas ele só faria sentido, e poderíamos dizer do que se trata, à luz de uma teoria que explique o fenômeno.

  6. Falando em Netuno… me perdoe por fugir do tema objeto do tópico… Sobre Tritão. Há rochas, gelo (de nitrogênio, mas gelo!), planícies, muitos geyseres, os quais penso que não devem ser nada amistosos… Há algum programa espacial (ou projeto) para o envio de alguma sonda para essa Lua de Netuno? Imagino que não, mas por eu acreditar que ela foi captura gravitacionalmente pelo planeta, penso que há coisas interessantes a se descobrir dela. Abraço.

  7. Qual a possibilidade de ser uma “micro anã marrom”?
    Existe algum limite teórico para a massa mínima de um objeto formado por colapso gravitacional de uma nuvem de gás / máxima de um objeto formado por acreção?

    1. Não existe “micro anã marrom”. A divisão é arbitrária. Menos de 13 massas de Júpiter é planeta.

      1. Salvador, desculpe se me expressei mal. O que eu gostaria de saber é se existe a possibilidade desse objeto ter sido formado diretamente por colapso gravitacional de uma nuvem de gás, sem nunca ter orbitado uma estrela.

        1. Hmm, com esse tamanho, só se for de um jeito que não sabemos como. Não descartaria, mas também não sei dizer como. Planetas errantes podem “nascer” errantes, mas, segundo nossos modelos, acabam maiores que Júpiter em massa…

          1. Caro Salvador, em primeiro lugar, muito obrigado.
            Com isto, outra dúvida minha também já foi respondida – então, os modelos teóricos disponíveis indicam um tamanho mínimo para objetos formados por colapso gravitacional das nuvens de gás, que devem ser maiores do que Júpiter!
            Por outro lado, ainda tenho dúvidas quanto ao tamanho máximo de um objeto formado a partir do disco de acreção de uma estrela. Me parece que o disco de uma protoestrela hipermassiva poderia ter matéria suficiente para uma anã vermelha (ou até maior), mas, minha dúvida é se, quando a estrela hipermassiva “acende”, os ventos estelares “varreriam” toda essa matéria do disco, impedindo a formação de qualquer coisa?

          2. É isso. O vento estelar sopra o gás. Planetas gigantes têm pouco tempo para juntar seu gás. Até outro dia, os modelos não conseguiam sequer fabricar planetas gigantes no tempo disponível. Hoje temos modelos melhores que explicam como, por exemplo, Júpiter pode se formar. Mas assim que a estrela acende, ela sopra o gás ao seu redor e em coisa de milhão de anos ele já foi expulso.

      2. Mas existe outra diferença, não? Anã marrom é acesa, queima matéria ainda que essa queima não seja nuclear, e planeta é apagado.

        1. Anã marrom pode ter um resquício de fusão nuclear no começo, mas com o tempo esfria e se esgota. Uma anã marrom velha e um planeta gigante são bem semelhantes.

  8. Boa noite
    Discussão interessante. Apenas como curiosidade [ Salvador disse em algum momento que o sistema solar e harmônico , significa ‘ estavel’ ] um famoso matemático francês [ Henry Poincare ] ganhou um premio circa 1900 destinado a melhor solução para a questão : O sistema solar e estável ?
    A solução de Poincare foi provar que sistemas estáveis e periódicos são equivalentes.
    Se um sistema , após um período de tempo, retorna a mesma condição inicial, e periódico e estável.
    Tudo isso esta explicado em um livro de um matemático inglês[ Ian Stewart ];
    Does god plays dice ?

  9. Se o corpo estiver dentro da Via Láctea logo deve ser capturado por uma estrela, em algum momento. Aliás sua “liberdade” deve ser recente, se não já teria sido “preso”, não é? Seria completamente livre se estivesse no espaço intergaláctico, tipo entre Andrômeda e a Via Láctea.

    1. Não. Seria muito improvável a captura, na verdade, uma vez que ele fosse ejetado do sistema de origem.

      1. Oi Salvador, bom dia,
        Estaria este planeta a uma velocidade de trânsito bastante superior à “habitual”? do tipo que permitiria entrar e sair de sistemas estelares e assim permanecer vagando? e, por isso mesmo, seria muito improvável a sua captura?
        Aliás, vagando pressupõe “sem destino”… sei lá, suponho que ele também orbita algo… não consigo pensar em um objeto desses ziguezagueando ou em uma rota realmente errática…
        abraços, obrigado,

        1. Ele está numa velocidade típica de objeto girando ao redor do centro da galáxia, que é bem alta pelo afastamento que tem de qualquer outro corpo celeste com grande massa.

          1. um bom novo dia,
            rapaz… de repente, imaginei recebermos a súbita visita de um peregrino de Laniakea e como o dono do boteco viria nos contar…

    2. se ele foi ejetado, é sinal que se formou com muita energia cinética. a menos que encontre um sistema estelar com estrela central grande e, consequente, gravidade forte o bastante para segurá-lo de novo, ele atravessará e será ejetado de novo de qualquer outro sistema com entrelas de porte médio do qual se aproxime…

    1. Nada de muito novo, Afrânio. A Nasa está há mais ou menos uma década falando de ir a Marte enquanto desenvolve nave e foguete para ir à Lua. E o Trump, seguindo a agenda republicana, já tendia a isso desde o ano passado. A surpresa é ele ter levado um ano para reorientar a Nasa nesse sentido. Até agora, o cara que ele nomeou para ser o diretor da Nasa ainda não assumiu, fazendo o atual diretor interino bater recorde histórico de interinidade. Ainda preciso ver detalhes da joça que ele assinou, mas desconfio que não contenha grandes novidades, talvez bancando (não no sentido de financiamento, mas no sentido de objetivo) o Gateway, de que já falamos aqui, que ficaria em órbita da Lua…

    2. Afrânio, isso para mim tá com cheiro de propaganda governamental. Não há nada que o Trump tenha feito que de fato me faça pensar que existe novos ventos soprando na NASA, no intuito de acelerar missões tripuladas tanto para a Lua como para Marte.

      Para mim trata-se de mais “bravata trumpesca” direcionada ao mundo, em especial, aos russos e aos chineses. Ele precisa fazer esse tipo de autoafirmação. É apenas o velho Trump dizendo que os EUA são os maiorais no espaço e dizendo que manterão esse título (embora de fato sejam).

      Para mim não passa disso. Gostaria de lembrar que o Trump é muito bom em prometer e péssimo em cumprir, já que ele é um péssimo administrador público, um péssimo planejador.

      Em comparação Trump está para o EUA assim como a Dilma esteve para o Brasil. O Trump é sofrível em questões orçamentárias, para mim, quando ele sair da casa branca, tenho por certo que ele deixará um belo rombo nas contas americanas, o que imporá corte de gastos e, lamentavelmente, impactará negativamente o orçamento da NASA.

      No mais, o presidente Trump está isolando os EUA diplomaticamente perante o mundo. Está deixando a nossa superpotência vizinha menos potente e mais e mais decadente.

      Se o seu slogan de campanha era fazer a América grande novamente, tenho para mim está fazendo justamente o contrário, ele apequenou os EUA, seja em questões diplomáticas, orçamentárias, ambientais, humanitárias ou étnicas.

      Por fim, deveriam mandar o Trump para Marte e deixá-lo por lá.

  10. Salva, so falta estar aquele que havia mencionado, que cruzava os pes de Orion(um pouco abaixo) indo em direcao a peixes-cetus,
    Estava grande, parecia mais uma estrela, mas tambem pode estar um planeta errante ou nao, deixou uma linha de rastro, segui seguindo aquele rasto de plasma, ate que deu nele,( na imagem digital na wide).
    se tiver um planeta, esta porque esta mais perto de nos, voce sabe a localizacao,?

        1. Salva, voce embromou e nao disse a distancia , cordenadas de localizacao?
          e constelacao dele,
          porque o autor fez referencia a urano e netuno
          11/onnuramma , a 15 UA na materia?
          na parte de observavao e localizacao

          1. Tá chegando. Vai cair aí no seu quintal até o fim do dia. Fique olhando para cima aí que você vai ver.

          2. vai brincando com a palavra dos profetas!

            a rota de orbita dele passou por venus e o fez girar ao contrario assim dizem
            , muita coincidencia o trijam passar na data esperada na data(23/2017) do alinhamento da professia antropoligica,
            pra mim eles estao omitindo algo, como voce parece fazer, traduz ao pe da letra la o que voce entendeu da piblicava, sem esta tua otica anti-nibirita anti enpirica, diz a verdade, porque eles faxem referencia a 11/ommuammamma?

  11. OLA, AMIGO
    sou obstetra ha 30 a, e na lua nova ha mais partos e mais complicaçoes obstetricas.
    um terror os plantoes nessa lua.
    vc tem alguma explicaçao?

    1. Na Lua nova nunca tinha ouvido falar. Tinha ouvido falar na Cheia, e só em populações sem luz elétrica. Veja aqui:
      http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/2015/09/14/astronomia-a-lua-cheia-e-os-bebes/

      Estudos feitos por astrônomos com registros de nascimento em cidades grandes não mostram qualquer correlação entre fase da Lua e nascimentos.

      Como seu comentário está sendo feito com base em evidência anedótica (sua própria perspectiva, sem uma estatística rigorosa), pode ser coincidência ou apenas impressão sua. Acho até estranho que haja esse efeito já que a maioria dos bebês, no Brasil, infelizmente nasce de cesariana e com data marcada previamente.

        1. Você tem toda a razão!!! Em algum lugar do planeta estará chovendo em algum horário no dia 2 de novembro. Mas isto também vale para qualquer outro dia do ano…

      1. “infelizmente nasce de cesariana”.

        Esse vive na idade da pedra. Acha que medicina não é ciência. Levar gente pra lua deve ser mais importante do que trazer gente ao mundo, pra esse retardado. Se bobear, é até abortista.

        1. É cientificamente demonstrado que parto natural é uma opção mais saudável, tanto para a mãe quanto para o bebê. Cesariana é um procedimento cirúrgico que pode e deve ser usado, mas só em caso de necessidade, e não como método preferencial. Isso é o que diz a ciência.
          (Rapaz, de onde estão vindo esses malucos reaças?)

        2. Irmão Zózimo, aqui neste blog há apenas a escória da internet, fariseus, infiéis, abortistas, evolucionistas, amantes do parto natural, amantes da ciência, todos os que vão queimar no fogo de Belzebu. Não percamos nosso precioso tempo de adoração ao Criador aqui neste antro de pecadores. Sugiro que nós, louvadores do Senhor, nunca mais comentemos nada aqui neste blog. Por favor espalhe esta idéia para todo o povo de Deus.

    2. tem evidências e dados estatísticos concretos correlacionando os dois eventos? (complicações nos partos e lua na fase nova?) Se não tem, não nos venha com churumelas… 😀

  12. Não poderia ser o “resto” morto de uma ex-estrela que já terminou de queimar tudo o que tinha pra queimar?

    1. Não, não há massa comparável a de Netuno ou Saturno que possa ter sido estrela no passado. Se fosse tamanho, sim. Mas massa, não.

  13. Pouco tempo atrás eu li neste espaço notas de escárnio sobre a possibilidade de um “Marduk-Nibiru”. Eu sou um fã da ciência moderna e de tudo o que o homem consegue inferir, dispondo de recursos tão limitados. Faço parte desta comunidade. Mas a conversão da ciência em profissão de fé e a radicalização dos seus fieis é tão comum, que não tem como não rir diante de uma capitulação tão singela e resignada: sim, é possível ter um planeta inteiro errante… Parcimônia, pesquisadores, parcimônia…

    1. Não, meu caro Rodrigo. Nibiru continua sendo uma cascata pseudocientífica, como sempre foi. E por uma razão muito simples: ele jamais foi um planeta errante.

      Desde o primeiro nibiruta a evocar sua existência, o maluco lá chamado Zecharia Sitchin, Nibiru foi proposto como um planeta SOLAR (ou seja, numa órbita ao redor do Sol) que teria uma órbita extremamente excêntrica (uma elipse bem alongada) que o trazia ora para a região interna do Sistema Solar, ora para as profundezas do nosso sistema planetário.

      Então veja: Nibiru, pela loucura inicial, teria nome, sobrenome e endereço conhecidos. Embora continuemos à procura de um planeta solar além de Netuno, hipótese que não foi descartada, Nibiru, como proposto por Sitchin, já pode ser descartado, pois sabemos que uma órbita como a proposta para ele seria instável — Júpiter já o teria ejetado para fora do Sistema Solar há bilhões de anos — tornando-o, ironicamente, aí sim, um planeta errante, mas um que jamais voltaria ao Sistema Solar.

      Então note como as coisas não são tão simples como você gostaria: a ciência é feita de hipóteses com parâmetros específicos que podem ser colocados à prova. Se Nibiru algum dia foi uma hipótese científica (e é bem questionável que tenha sido, uma vez que a loucura toda é baseada numa leitura deturpada da mitologia suméria, e não baseado em fatos astronômicos reais), a essa altura já foi fartamente refutado. Não existe um planeta como Nibiru no Sistema Solar. Se alguém fala de Nibiru como algo real, é, na melhor das hipóteses, desinformação, e na pior, MENTIRA DESLAVADA.

      Aqui tratamos de outra questão: um planeta errante, ou seja, que não orbita estrela alguma e que por acaso atravesse nosso Sistema Solar. Isso é uma possibilidade. Mas, volto a repetir, uma possibilidade EXTREMAMENTE IMPROVÁVEL, porque se isso fosse uma ocorrência comum, já teria acontecido nos 4,5 bilhões de anos do Sistema Solar, e provavelmente alterado (para pior) a dinâmica harmônica dos planetas solares. Não há evidência alguma de que isso tenha acontecido — pelo contrário, simulações dinâmicas indicam que o Sistema Solar já está nessa configuração estável há bilhões de anos, e deve ficar outros bilhões nessa condição. Ou seja, se por acaso algum planeta errante já passou por aqui, passou sem deixar qualquer indício de sua existência. O que parece corroborar a noção de que eventos desse tipo são raríssimos.

      Ou seja, os nibirutas continuam sendo nibirutas, gostem eles ou não. E se mudarem o discurso para transformar Nibiru num planeta errante, só mostram o quanto são picaretas, adaptando seu discurso de mentiras às circunstâncias só para enganar mais trouxas.

      1. Salva, se wornwood(trojam) voltou entao, esta porq
        ue existe uma orbita, tambem possivel tao aguda
        quanto a dele(Absinto) ,como dizem na antropologia, imagino uma que chegue espetar o cinturao de jupter , como um arpao.

  14. Pode também ter sido ”retirado” de alguma órbita por alguma influência gravitacional de outra estrela, não?

    Imagine só as temperaturas desse planeta… se Plutão já vai a duzentos e cacetada negativos…

    Dada a citada dificuldade em detectarmos esses errantes, talvez eles possam ser bem mais comuns que se imagina, não? Ou os modelos de simulação dizem o contrário?

    1. Ainda não sabemos exatamente a frequência. Certamente eles parecem mais comuns hoje do que quando só tínhamos o Sistema Solar para se basear em termos de arquitetura. Existe inclusive a possibilidade de que o Sistema Solar tenha “perdido” um ou mais planetas. Eles devem ser bem comuns, mas não sabemos o quanto.

  15. Fico curioso como seria a aparência desse planeta se visto de perto.
    Estando ele longe de uma estrela, será que só a luz das estrelas seria suficiente para deixá-lo um pouco iluminado?
    Ou no espaço interstelar, um objeto, apesar de rodeado por incontáveis estrelas, seria tudo muito escuro?

    1. Eu acho que o único jeito de ver seria no infravermelho — o calor interno ainda seria vísivel. Mas, em luz visível, seria um troço bem, bem, bem escuro.

      1. Aliás Salvador. E se estivéssemos em uma das naves que passaram por Plutão e Netuno, e olhássemos pela janela, conseguiríamos ver esses planetas/planetas anões? A luz do Sol é suficiente para torná-los visíveis a olho nu?

  16. O risco de um planeta estranho bagunçar nosso coreto foi a preocupação de um rei da Suécia que propôs um premio para quem provasse que a órbita da terra era estável…Henri Poincaré…um gigante francês da matemática e física se debruçou sobre o problema…conhecido como o dos 3 corpos…e viu que a matemática de então não tinha poder de resolver o problema…e assim nasceu a teoria dos grupos…um braço da matemática na qual se agarram os físicos da época e atual para resolver seus problemas….novamente…uma ótima reportagem…valeu.

    1. É, mas tenha em mente que aí eles estavam preocupados com a estabilidade do Sistema Solar com relação aos planetas conhecidos. Estamos falando de um planeta errante adentrar o Sistema Solar e mudar esse jogo de forças.

  17. Agora fiquei na dúvida; a partir do momento em que o planeta deixa de orbitar a sua estrela, ele não (teria/se encaixaria) mais na nomenclatura de planeta? E muito menos seria chamado de planeta sem sol.
    Qual nome cientificamente para esse caso específico? Ajuda aí Salva..

    Abraços…

    1. Pela definição da IAU, para se chamar “planeta”, só estando em órbita do Sol. Contudo, por analogia, chamamos de planetas todos aqueles objetos que parecem equivalentes aos planetas solares. De novo, a nomenclatura é uma arbitrariedade nossa — faz mais sentido a gente chamar de planeta (e os astrônomos o fazem) porque aí sabemos todos do que estamos falando. Se inventássemos outro nome, perderíamos de vista que esses objetos nasceram como planetas similares aos solares.

  18. Sempre me me traz dúvidas a indagação sobre o papel da nossa Lua sobre a vida na Terra. Sem o balanço da sopa primordial seria o surgimento do “milagre ” da transformação ¨de particulas físicas em microrganismos biológicos? À partir daí como avaliar a influência da gravidade sobre a vida na Terra?

    1. O papel da Lua na história da vida na Terra é ainda um tema controverso. Há quem diga que a Lua ajudou a estabilizar o eixo de rotação da Terra, o que por sua vez tornou o clima mais regular e estável, o que por sua vez favoreceu a vida. Contudo, hoje vemos criaturas vivas que moram a 3 km de profundidade em rocha sólida, e elas não estão nem aí para o clima lá em cima. Da mesma maneira, simulações mostram que o eixo de rotação de um planeta pode se conservar mais ou menos estável mesmo sem uma lua grande como a nossa. Em resumo: não sabemos ainda se ter a Lua foi importante para a vida, que dirá quanto e de que maneira. Conforme estudemos mais planetas lá fora, em situações diferentes, teremos uma noção melhor.

  19. Incrível descoberta! Mas, com base nos dados disponíveis, já é possível afirmar que esse planeta é plano, também? 😀

      1. Então demos a sorte de encara-lo quando estava de frente, porque se estivesse de perfil… pensaríamos que era apenas um outro charuto…
        ;o)
        abraços,

    1. Um planeta errante. A massa não deixa muita margem. A única dúvida é se é errante mesmo, ou se está em órbita distante de uma estrela — algo que os pesquisadores querem checar agora.

  20. Meio off…
    Salvador, você já disse que vive oscilando: às vezes pensa que talvez o universo possa ter tido um criador, outras que não…
    Não acabas pendendo a maior parte do tempo pra uma inteligência superior?

    1. Na maior parte do tempo, para ser bem franco, eu nem penso nesse assunto. Não vejo o que temos a ganhar especulando sobre a existência de uma “inteligência superior”. Vai mudar alguma coisa especularmos sobre isso? Eu me tornarei uma pessoa diferente, melhor ou pior, ao pensar nesse assunto? Como um humanista, tenho de dizer que não. Minha ética é secular. Não preciso de uma instância sobrenatural para agir eticamente, nem espero dela qualquer favorecimento, o que torna a existência de uma “inteligência superior”, ao menos na minha vida, algo totalmente supérfluo.

      Agora, se essa tal inteligência existe mesmo, tenho de parabenizá-la pela modéstia. É impressionante que ela tenha feito o cosmos de tal forma que podemos compreendê-lo em grande detalhe justamente supondo que a tal “inteligência superior” não exista. (Supor que ela exista, em contrapartida, interrompe a busca por respostas e acabamos sabendo muito menos.) Ou seja, se houve um ato de criação intencional no Universo, o criador claramente não quis chamar atenção para si mesmo. O que faz qualquer um que tenha obsessão com a tal “inteligência superior”, ela existindo ou não, estar em desacordo com os desejos aparentes dessa suposta inteligência.

      1. Exibicionismo e modéstia são valores humanos, desenvolvidos por nós ao longo de nossa convivência social. Não são atributos de um Ser Supremo. Por quê o Criador de tudo seria modesto ou exibicionista? Para quem Ele estaria interessado em demonstrar sua infinita sapiência e poder, se foi Ele o Criador de tudo e de todos? Por quê o Criador do Universo teria algum “desejo” aparente, se foi Ele – e só Ele – quem tornou possível a vida?

        1. Pois é. Ele não tem nenhum interesse. Esqueça-o, portanto. É o que Ele mais deseja. Não aguenta mais ouvir a sua ladainha. 😉

          1. Como você sabe o que Ele “deseja”? Vai me dizer que você anda fazendo orações escondidinho… 😛

        2. Se deus não quer se modesto nem exibicionista, não quer aparecer nem sumir, PORQUE ELE QUER TANTO QUE VOCÊ AME ELE, AO PONTO DE TE CONDENAR À ETERNIDADE EM UM LOCAL DE TORTURA CASO VC NÃO O AME??? LOCLA QUE ALIAS FOI CRIADO POR ELE E COMANDADO POR UMA CRIATURA DELE. O pessoal odeia o diabo, mas quem define quem vai ser torurado pra sempre não eh o diabo. Quem criou o inferno não eh o diabo. Quem criou o diabo?

          AMEM

  21. Bom dia
    Tudo bem por aí

    Então, eu agradeço a você Salvador, pela sua atenção e paciência para comigo até agora, um simples estudante que sou, curioso em querer saber e conhecer um pouco mais sobre o planeta em que vivemos, qual o seu formato, como funciona, etc e tal.

    Eu vou dar um tempo agora, vou tirar umas férias de trabalho, vou viajar, mas vou continuar pesquisando e estudando.

    1. Silvio, no sentido de encorajá-lo a ser conciso, a partir de agora só vou publicar os primeiros parágrafos de suas mensagens. Assim quem sabe você começa a ir direto ao ponto. Aqui é espaço para comentários, não para ensaios. 😉

  22. Salvador, bom dia. Parece pouco usar a pequena variação de luz na estrela para concluir que um planeta errante passou por lá. Por exemplo, um planeta de rotação bastante larga poderia provocar o mesmo fenômeno? Por larga entendo bem distante da estrela e suficientemente lenta para demorar milhares de anos até a próxima passagem.
    Melhor ainda ainda. Quais outros fenômenos poderiam provocar resultado similar?

    1. Nenhum outro fenômeno conhecido poderia provocar resultado similar. A magnitude do efeito indica a massa do objeto (com alguma incerteza sobre a distância, o que faz o planeta poder ter a massa de Saturno, em vez de Netuno, numa situação menos provável, mas ainda assim na faixa dos planetas) e o tempo do efeito indica a velocidade orbital do planeta com relação à estrela de fundo, que no caso é consistente com um objeto numa órbita própria ao redor do centro da Via Láctea.

  23. Induzidos por convicções pessoais e acreditando estar vendo (ou melhor, detectando) alguma coisa , tudo se torna possível. Se alguém famoso afirmasse que viu papai noel com seu trenó de renas sobrevoando a Laponia, por ex, muitos acreditarão nisso. Aliás, estamos na época mesmo

    1. A observação aí é um ato objetivo. Outros cientistas podem analisá-la e concluir outra coisa. O que é subjetiva é a interpretação. Mas, francamente, ninguém tem outra hipótese melhor para explicar o fenômeno observado.

      E aí, vai contar de onde veio a sua “informação” do cataclismo de daqui a 2 ou 3 séculos ou não? Sigo esperando…

      1. O cara finge que não lê! Parece meu filho que fingia que algo não era com ele… Quando tinha dois anos…
        Se bem que nesse caso a idade mental deles bate

    1. Ambos bem longe — vários milhares de anos-luz. Os pesquisadores não conseguem fazer uma estimativa precisa, mas imaginam que a estrela de fundo estaria no bojo da Via Láctea, e o planeta errante já mais para fora, no disco galáctico, com uma pequena chance de estar no bojo também.

Comments are closed.