Complexidade irredutível

irredutivel

Num pequeno planeta azul, orbitando uma estrela anã amarela a milhões de anos-luz daqui, vivia uma pacífica sociedade paleolítica. Bem, tão pacífica quanto pequenos grupos isolados de caçadores-coletores podem ser. No relativo conforto de uma úmida caverna, um clã inteiro – homens, mulheres e crianças – se protegia de um temporal inclemente no meio da noite. Trovejava muito. Bebês choravam ao fundo, enquanto dois homens faziam a guarda na entrada do abrigo.

Em meio à chuva torrencial, os dois jamais esperavam que alguém pudesse vir de encontro a eles. Mas se há uma coisa que a vida no paleolítico ensina é que atenção nunca é demais. Eles espremiam os olhos, enquanto gotas de água carregadas pelo ar insistiam em vir de encontro às pupilas dilatadas pela escuridão. E então eles se surpreenderam ao ver duas silhuetas caminhando pela chuva, contornando o terreno pedregoso com dificuldade, paulatinamente se aproximando.

– Você está vendo isso? – perguntou Dareem.

– Alguém – ou alguma coisa – vem vindo aí! – confirmou Ualaco, seu colega de vigília.

– Quem está aí?

Uma voz distante, se aproximando, respondeu.

– Não se preocupem! Somos amigos! Peregrinos à procura de um abrigo da tempestade!

A dupla de guarda ficou receosa em dar tão facilmente entrada ao refúgio de seu clã, mas diante de tamanha inclemência dos céus, que alternativa? Os vigias recuaram dois passos, dando espaço para que os forasteiros saíssem do temporal, mas sem permitir um acesso irrestrito ao interior da caverna.

– Podem aguardar aqui até a chuva passar. – disse Dareem. – Temos frutas, caso estejam com fome. E tenham algo para dar em troca, é claro.

– Claro. Permita que eu nos apresente. Meu nome é Naberlind e este é meu colega Azneso. Naturalmente temos coisas a lhe oferecer que decerto vão interessá–los. Somos sábios em nossa terra e podemos trocar informações.

Dareem e Ualaco se entreolharam. De fato, havia uma coisa que precisavam desesperadamente saber. Algo que seu clã há tempos tentava produzir, sem sucesso. Ou melhor, com resultados apenas parcialmente satisfatórios. Mas poderiam os forasteiros ajudar? E mais: ainda que pudessem, concordariam, dado o tamanho do pedido?

– Há algo que talvez possam nos ensinar. – replicou Dareem. – Estamos tentando resolver isso há anos. Nós queremos… bem, queremos… estamos buscando aprender como… como fazer fogo.

O fim da frase saiu baixinho, quase como um sussurro, interrompido bruscamente por um par de gargalhadas.

– Hahahaha! Fazer fogo! Hahaha! Ouviu isso, Az? Eles querem aprender a fazer fogo!!! Hahahaha! Pois bem, podemos vos dar a mais importante informação a esse respeito: é impossível fazer fogo.

Ualaco estranhou.

– Impossível? Não, não deve ser! Já fizemos progressos importantes nessa direção! Conseguimos produzir pequenas fagulhas de fogo com pedras escuras que encontramos no fundo desta caverna. Falta-nos gerar um fogo contínuo a partir delas. Mas está claro para nós que é perfeitamente possível.

Naberlind e Azneso ainda mantinham um sorriso no rosto, triunfal.

– Não, você está errado. É impossível. Essa história de fazer fogo é apenas uma teoria. Vocês já deviam ter percebido isso, depois de tantos e tantos anos tentando. É impossível. Uma falácia. E vamos dizer por quê. Az, você explica ou eu?

O colega nem esperou e emendou.

– Complexidade irredutível.

– Quê? – franziu a testa Dareem.

– Complexidade irredutível – retomou Azneso. – Veja só. Vocês são sujeitos observadores, estou certo de que já notaram isso. Existem quatro essências possíveis para tudo que existe. Sopro, água, terra e fogo. Essas são essências básicas. Você não pode transformar uma em outra senão por processos muito complexos, que não podem ser gerados por vias naturais. O fogo possui uma complexidade irredutível. Não é possível pegar outros elementos e combiná–los para produzi-lo. Sem um controle muito além das nossas capacidades, não há como sintetizá-los a partir de partes de terra, sopro e água.

Naberlind regojizava-se com a explicação do colega.

– Fabricá-lo seria algo como… um vendaval espalhar folhas molhadas pela sua caverna e com isso produzir uma de suas pinturas rupestres. Nem em incontáveis dias isso poderia acontecer, certo? – prosseguiu, sem esperar uma resposta.

– Não é maravilhoso? – interrompeu Naberlind. – O mundo foi planejado e construído com quatro elementos irredutíveis, todos muito complexos para ser produzidos por vias naturais, pelos Projetistas. E não há meio de obter fogo que não seja por intervenção deles, os únicos capazes de promover a transmutação de algo inanimado, como a terra, em algo animado, como o fogo. Claro, também não há como fazermos terra com água, ou sopro com terra. Vocês sabem disso, lá no fundo. Afinal, vocês já manipularam o fogo antes. De onde ele vem?

Ualaco pensou por um par de segundos antes de responder.

– Bem, todas as vezes que conseguimos trazer fogo pela caverna, ele estava em galhos de árvores secas, queimando após uma grande luz vir do céu e atingi–las. Por isso sempre saímos para procurar fogo depois que ouvimos o barulho da grande luz.

– Exato! – exultou Naberlind. – Esta é a intervenção dos Projetistas, dando-nos o fogo. Não podemos criá-lo a partir de terra, sopro ou água. Você já viu uma árvore virar fogo espontaneamente, sozinha, do nada?

– Bem, não. Mas já vi o fogo começar em lugares secos e sob muito sol. Sem grande luz. Só o sol.

– Az, só o sol! Ele disse “só o sol”! – Naberlind gesticulava negativamente com a cabeça. – Tsc, tsc, tsc. Meus caros amigos, abracem o verdadeiro conhecimento. Esqueçam essa filosofia materialista, que não levará a nada. O sol é feito de quê? Do mesmo material que a grande luz. Sabe qual? Fogo! E quem cria o fogo, lá em cima, e nos cede gentilmente? Os Projetistas! Não há fogo sem os Projetistas!

– Só eles controlam o sol e a grande luz, podendo assim criar o fogo – complementou Azneso. – Não há meio de o surgimento do fogo ser um fenômeno natural. É uma manifestação evidente dos Projetistas! Complexidade irredutível!

Dareem não sabia o que dizer. Será possível? Aquilo contestava todas as observações feitas. Porém, também era verdade que, ao menos em seu clã, nunca ninguém jamais havia produzido o fogo em caverna. Mas…

– Mas e as faíscas que geramos com pedras? – disse Ualaco, tirando as palavras da boca de seu amigo.

– As faíscas, ora, as faíscas! Elas acendem e apagam numa fração de segundo, pois essa é sua natureza. Mas o fogo não. O fogo se mantém queimando. Ele contraria a segunda lei da termodinâmica! – disse Naberlind.

– A segunda o quê? – perguntou Dareem, exasperado com o linguajar sofisticado dos visitantes. Ele desconfiava que o palavrório complicado escondia ideias simples demais. Poderia o mundo ser tão simples assim? Era fácil demais varrer para o fundo da caverna tudo aquilo que não fosse imediatamente explicável, alegando “complexidade irredutível”. Era um argumento-coringa. Seria este o fim de todas as reflexões a respeito do fogo? A conclusão de que ele era fruto de uma intervenção de ordem superior? Dareem não gostava da ideia, mas seus interlocutores eram incansáveis.

– A natureza de todas as coisas é decair, exceto aquelas elementares, que já estão em seu estágio mais simples – disse Azneso, interrompendo os pensamentos do guarda. – A fagulha é o melhor que podemos chegar de produzir o fogo. Mas ela logo decai em ar, que é seu verdadeiro elemento natural. O fogo se mantém de forma indefinida, enquanto houver madeira. Embora não seja, claro, feito de madeira. Ele contradiz a segunda lei da termodinâmica. A natureza não produz coisas assim. A natureza segue suas leis. Só os Projetistas podem contrariá-las.

– Hmm… – respondeu Ualaco, enquanto olhava para fora e notava que a chuva havia dado uma trégua. E, vejam só, ao longe, uma árvore se incendiava. – Bem, a chuva parou, acredito que vocês possam seguir viagem. Dareem, siga de guarda, eu vou buscar o fogo para trazer para dentro da caverna. Sem experimentos com pedras hoje.

Os forasteiros se despediram e partiram, satisfeitos de terem iluminado mais um grupo de ignorantes nessas terras ermas.

Dareem nunca comprou a versão deles. Mas nem todos em sua tribo eram tão questionadores. E ele já não era mais um menino. Eventualmente, o grande experimento da civilização – a fabricação do fogo – foi interrompido. Por todos os agrupamentos humanos, cristalizou-se a noção de que o fogo era produto de um Projetista inteligente e jamais poderia ser obtido de forma natural por algum arranjo apropriado. O sonho de Naberlind e Azneso, convencer a todos da veracidade de suas proposições, havia se tornado realidade.

Sem compreender o fogo, essa civilização jamais cresceu em grande número. Nem sempre era possível cozinhar os alimentos, e doenças proliferavam por conta disso. Os clãs eram pequenos. Contagens, desnecessárias. Nada de escrita. Ninguém jamais compreenderia o fogo e seu fenômeno químico correspondente, a combustão. Não haveria saltos tecnológicos. Agricultura, cerâmica, metalurgia. Imprensa. Automóveis. Foguetes.

E então um dia, sem aviso (não havia telescópios), nem defesa (não havia naves espaciais), um grande asteroide impactou contra aquele idílico planeta azul. Uma nuvem espessa e cinza recobriu o mundo inteiro, para desespero de seus habitantes. Eles apelaram o quanto puderam para os Projetistas, mas ninguém estava lá para ouvi–los. Incêndios globais tomaram de assalto toda a vida, apagando qualquer resquício de habitabilidade. Em alguns milhões de anos, criaturas microscópicas voltariam a subir a ladeira íngreme da evolução. Mas àquela altura estava encerrado, de forma melancólica, mais um experimento conduzido pela natureza sobre a vida inteligente no Universo.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Comentários

  1. Sério mesmo. Quando entrei nesse link pra ler essa matéria, pensei que tentariam explicar cientificamente o porque a complexidade irredutível não é válida. O que li, foi apenas algo podre e tendencioso por querer ridicularizar um assunto que é tão sério. Chega a ser irônico que um texto dessa profundidade, tenha sido escrito por um blog “cientifico”. Pqp… perdeu totalmente a credibilidade. Não tem o que falar, seria melhor ficar calado, não tentar ridicularizar a parada.

      1. Soh rindo mesmo… E o argumento evolucionista para a origem da complexidade celular continua sendo.. zero… mesmo dez anos depois de Behe lançar seu best seller a caixa preta de darwin. Se for falar de evolução, por favor a definam como ela realmente é, uma teoria que fala sobre adaptação do mais apto, seleçao natural, mas nao como algo que explica a origem da vida no nivel celular e ainda sem comprovação no nivel da macroevolucao. Ate hj tudo o que a ciencia conseguiu comprovar foi que especies continuam sendo as mesmas no decorrer dos milenios. Acho que e hora da ciencia assumir que esteve errada em muitos dos conceitos apresentados nos últimos seculos.

        1. Difícil a ciência assumir que esteve errada sem ter errado. A ciência ainda não apresentou um mecanismo confirmado para a origem da vida. A ciência só explicou a origem das espécies a partir de um ancestral comum, movida principalmente pela seleção natural. Só isso. E não adianta o Behe “behar” a esse respeito, que não vai mudar nada. 😉

          1. Bla bla bla sem comprovação científica… isso tudo continua sendo evidência de um grande fundamentalismo anti-religioso no meio científico, mais nada. Como voce disse, a ciência nao tem teorias formadas para a origem da complexidade celular.. mas uma coisa voces já dizem ser certa: foi de origem naturalista! A ciência não é mais ciência! Toda novidade no meio cientifico ja parte de pressupostos e todo o descobrimento com relação à origem da vida tem, mesmo que de uma forma mirabolante e EXTREMAMENTE IMPROVAVEL ESTATISICAMENTE, de ser encaixada na teoria da evolução. E quando nao se encaixa, ou se omite a informação, ou precisa-se dizer que algo estava errado nas informações encontradas. Sinceramente, de onde que está comprovado que a origem das especies ocorreu através da evolução? Se eu tivesse visto um unico elo transicional, uma prova real e concreta, e não alguma teoria formada por mentes ateistas querendo defender a sua própria religião, nao haveria tanto blablabla e mimimi a respeito destes temas. Resumindo o que todos os criacionistas, evolucionistas honestos ou até agnosticos conseguem ver claramente com toda essa discussão: microevolucao, é real, existe, macroevolucao: é mito! Dai pra frente, é uma questão de ponto de vista. O que é mais facil de crer, numa ciencia tendenciosa que cre no impossível, ou num Criador que só pode ser experimentado pessoalmente e nao comprovado empiricamente? Agora é com cada um…

          2. A teoria da evolução está provada por A + B. O que ainda se discute é a origem da vida, que não se confunde com a origem das espécies (o que a evolução explica). E não existe fundamentalismo anti-religioso na ciência, porque a ciência não versa sobre a fé. Ela só versa sobre aquilo que pode ser testado e verificado. A origem da vida é testável empiricamente (daí os experimentos que são feitos em torno do tema), e não dá para entender por que os religiosos ficam chiando pelo fato de a ciência tentar compreender um fenômeno natural. Mesmo que expliquem a origem da vida, isso não será um feito anti-religioso, porque nada explica as razões pelas quais nosso Universo é favorável à existência da vida, ainda que por vias naturais. Então, o resumo da ópera é o seguinte: investigar a origem da vida não tem nada a ver com religião. Siga com a sua fé e deixe a ciência fazer seu trabalho. 😉

      1. Hilário, mesmo é ver como os materialistas possuem uma FÉ extraordinária no pretenso processo aleatório da origem da vida. No presente artigo, mais uma espetacular demonstração da fé no DEUS ACASO. O evolucionismo é tão DOGMÁTICO quanto a mais fanática religião que existe no mundo. Eles partem de premissas falsas, imaginadas por Darwin. No livro A Origem das Espécies, a Bíblia dos evolucionaistas, existem mais de 300 expressões de dúvidas. Inclusive uma pérola como essa: “Se minha teoria estiver certa”…Pois é. A base da evolução é essa. Mas os novos discípulos do sumo sacerdote Darwin acreditam em novos dogmas evolucionistas, e desprezam e debocham de tudo o que não concordar com suas especulações ditas científicas. Nunca provaram nada. Nunca conseguiram provar a existência (verdadeira) de um só “elo perdido”, na cadeia evolucionista. Gastam bilhões de dinheiro para provar que a vida surgiu por acaso, “com um simples ponta-pé” de uma reação química POR ACASO!! Dawkins , o mais novo discípulo adorador de Darwin, diz, em seu livro O Relojoeiro Cego (sabe quem é esse relojoeiro?) que A VIDA SURGIU DE UM PROCESSO INCONSCIENTE, CEGO (SIM, CEGO!!), e (pasmem) “SEM NENHUM PROPÓSITO”. Pronto. Está decidido. Dogma é isso. Não admite discussão. A estorinha contada neste artigo dá para fazer crianças dormirem. Desdenha a ideia de um PROJETISTA, um planejamento, um planejador, cuja origem não é indispensável saber, mas que sua realidade é indispensável para que se entenda qualquer processo lógico, organizado, complexo, sim de complexidade irredutível (debochado pelo autor do artigo). Sem planejamento, jamais as células poderiam ter começado, a mais simples delas, e se organizado de forma tão extraordinária. A replicação da célula jamais poderia ser um processo aleatório, “aprendido” por acaso. Ou tudo foi planejado e reunido num conjunto altamente organizado, ou jamais seria viável. Carl Sagan, famoso astrofísico, materialista, ateu, que apresentava a série Cosmos, nos EUA, disse que a vida (o homem) jamais poderia ter surgido por ACASO. Seriam necessárias UMA PROBABILIDADE EM DEZ, ELEVADA A 2 BILHÕES DE ZEROS. E concluiu: isso é impossível!. Mas, para “não dar o braço a torcer”, em sua arrogância científica, e não aceitar a explicação de uma origem inteligente e planejada, disse:> “Mas aconteceu”. Pronto. Mas aconteceu. Pronto. Agora, continuam as estorinhas dos cientistas alemães que imaginam ter descoberto A ORIGEM DA VIDA! Por acaso. NÃO TENHO FÉ SUFICIENTE PARA SER ATEU. GOSTARIA MUITO. Mas é impossível ter tanta fé no DEUS ACASO, assim.

        1. Você não acredita no acaso? Você acha que, se eu jogar um dado aqui, Deus vai pessoalmente determinar o número que vai sair? Então tá.

    1. Hahahahahahahaha “A Santa Maria foi uma caravela que os portugueses utilizaram para chegar ao Brasil”. Certeza desse pessoal que esse cara é cientista mesmo!? Confundindo Colombo com Cabral assim? Hahahahahahahahaha Tô desopilando meu fígado!

    2. What you mean?? Nao assistiu 05 minutos da palestra e nem apresentou argumentos cientificos que refutassem as alegações do PHD em bioquimica Marcos Eberlin e quer dizer que conhece mais de ciencia que ele? Voces deveriam ter vergonha dessas atitudes! Qual a proxima falácia, dizer que entendem mais de datação de carbono que o próprio phd? E depois nao querem que sejam interpretados como seita fundamentalista naturalista…eu so queria entender como um oceano subterrâneo existe se a terra de acordo com o modelo evolucionista era uma grande massa de ferro e niquel fundido?

      1. Eberlin? Aquele cientista que falou que os dinossauros eram todos vegetarianos, que a arca de Noé foi construída na Pangeia e que a Terra sem a Lua só teria dengue? Esse Eberlin? Só confirmando…

  2. Isso nunca aconteceria no Paleolítico. E caso acontecesse “o” Projetista seria “a” Projetista.

    Furado.

    abs

  3. Engraçado, a comparação que vi foi com a casuística dos discos voadores no discurso dos céticos, em que até o planeta Vênus costuma passear pelos radares: “As distâncias estelares são enormes e segundo a relatividade nada alcança a velocidade da luz, logo os discos voadores não podem existir!”. Às vezes até a própria ciência imita a religião e se engessa em seus dogmas temporários para a luta contra os FATOS.

    1. A diferença é que os dogmas da ciência, como você disse, são temporários. Já os da religião………

      1. Em minha bíblia assim foi o começo dos tempos em que vivemos > Na verdade vos digo, no início, pairavam pelo espaço congestionado duas entre tantas membranas -branas- que contiam toda a matéria e energia escura que hoje pairam pelo nosso universo.
        Estas branas se colidiram, e booommm, provocaram um enorme Big-Bang. Não havia ainda o tempo e o resultado desta colisão foi uma gigantesca inflação, expansão, que fez os rústicos campos de energia se expandirem pelo novo espaço criado em velocidade muito, mas muito acima da velocidade da luz.
        Isto foi a uns 13,8 bilhões de anos atrás mas este universo ainda continua se expandindo infinitamente (?).
        Esta nova brana onde hoje vivemos poderá um certo dia se colidir com outra, pois afinal o espaço exterior anda congestionado de muitas outras, pairando ao léo até o final dos tempos -e será que lá fora existe mesmo o tempo ?
        Afinal, de onde viemos, onde estamos e para onde vamos ? Talvez os avanços da ciência e da tecnologia possam elucidar daqui a uns cinco mil anos este enigma que hoje ainda acreditamos ser insolucionavel.

    2. A CRIAÇÃO DO NOSSO UNIVERSO

      Em minha bíblia assim foi o começo dos tempos em que vivemos >

      NO LIVRO DO GÊNESIS LEIO >

      CAPÍTULO 1 > Na verdade vos digo, no início pairavam pelo grande espaço exterior um congestionamento de membranas ou *branas* contendo toda a matéria e energia escuras que hoje ainda em boa parte se encontram por lá.
      CPT 2 > Não havia ainda o universo onde vivemos, mas a matéria e a energia escuras continham as branas que circulavam em suas rotas aleatórias.
      CPT 3 > Então, por simples acaso, duas daquelas branas se colidiram, e booommm, provocaram um enorme Big-Bang.
      CPT 4 > Não havia ainda o tempo e o resultado desta colisão foi uma gigantesca expansão ou *inflação* que fez os rústicos campos de matéria e energia escuras se expandirem pelo novo espaço em velocidade muito, mas muito acima da velocidade da luz. E então surgiu primordialmente o Tempo, e isto era bom.
      CPT 5 > Isto foi a uns 13,8 bilhões de anos atrás, mas este novo universo criado no Big-Bang ainda continua se expandindo diuturnamente, assim como prova os registros em efeito Doppler.
      CPT 6 > Esta nova brana ou universo onde hoje vivemos, por simples efeito natural, criou a luz ou fótons.
      CPT 7 > logo após, a matéria e a energia escuras encontraram um ambiente favorável para a formação de átomos de hidrogênio, hélio e lítio, e isto era bom.
      CPT 8 > Com o tempo o novo universo contido na nova brana foi esfriando e, criando por fusão, átomos mais pesados como o carbono, o ferro, etc….
      CPT 9 > Estes átomos foram formando grandes nuvens que mais tarde dariam no surgimento de estrelas ou sois que foram se espalhando por todo o nosso universo ou brana, e isto era bom. Melhor ainda, estes sois foram formando um grande ajuntamento a que chamamos de galáxias, e isto também era bom.
      CPT 10 > Nestas galáxias os sois ou estrelas foram criando os seus próprios sistemas solares com planetas e satélites onde hoje encontramos o planeta Terra, e isto era bom.
      CPT 11 > No início a Terra era uma bola incandescente de matéria, foi a uns 4,5 bilhões de anos atrás.
      CPT 12 > Na terra não havia ainda água mas ao se esfriar muitos meteoros foram colidindo com o nosso planeta trazendo o precioso líquido em forma sólida que daria mais tarde origem aos oceanos e aos seres unicelulares, a origem de todos os seres vivos que habitam o nosso Planeta.

      NO LIVRO DO APOCALÍPSE LEIO >

      Certo dia, a qualquer momento, nossa brana que contem o universo onde vivemos poderá colidir com outra, pois afinal o grande espaço exterior anda congestionado de muitas outras pairando ao léo e aí será o final do nosso tempo. Será criado um outro universo talvez parecido com o que vivemos, este de 11 dimensões da qual só conhecemos experimentalmente até hoje apenas quatro:: altura, comprimento, profundidade e Tempo.

      CRÍTICA A MINHA BÍBLIA >

      Afinal, de onde viemos, onde estamos e para onde vamos ? Talvez os avanços da ciência e da tecnologia possam elucidar daqui a uns cinco mil anos este enigma que hoje ainda acreditamos ser insolucionavel. E aí talvez o Vicente Nogueira, se vivo for, irá nos relatar sobre estas antigas dúvidas.

      1. Gostei. Vou usar essa sua explicação da origem do universo pra explicar a bíblia pra ele e ele não me fazer as mesmas perguntas que fiz pro meu pai.

  4. Havia lido essa cronica na Super Interessante mas nem tinha me ligado que era sua.
    Cada vez mais fan do seu trabalho.

  5. É preciso diferenciar entre acaso e previsibilidade, pois são conceitos completamente opostos. Para se alegar que algo é ‘casual’, é preciso antes de mais nada saber qual a probabilidade de sua ocorrência. O ‘casual’ por sua vez também é limitado, depende de algo ‘previsível’ para ocorrer. É justamente por isso que se criou o conceito de probabilidade e de eventos aleatórios. Por exemplo, um sorteio da megassena é aleatório, mas ele depende de 60 números que foram ‘projetados’ e esses números só podem estar entre 1 e 60
    Extrapolando isso para o nosso mundinho faz de conta aqui criado, o fogo, célula, universo ou o que quer que seja, apresentam uma parte ‘aleatória’ que é o seu surgimento num determinado tempo e espaço e outra ‘previsível’ que é a sua dependência de leis específicas, que por sua vez não podem ser aleatórias, pois são previsíveis e obedecem na íntegra a essas leis

    1. O DI/Criacionismo apenas vive no interior de templos de fanáticos, na cabeça destes fanáticos e nestas discussões infrutíferas. Não tem absolutamente nenhuma relevância no mundo da ciência real. A maioria absoluta dos cientistas que realmente faz ciência (inclusive cristãos) aceita a TE como explicação válida para o surgimento e desenvolvimento da vida no planeta. O DI é irrelevante e inútil; serve apenas para reforçar a fé de algumas pessoas e nada além disso.

        1. significa apenas que é a melhor explicação disponível. Ciência não trabalha com verdade. 😉

          1. Há um erro epistêmico nesta sua última afirmação, Salvador. Ciência trabalha excluindo o que sabemos não ser verdade. Parte-se da suposição de que não temos a verdade, testa-se e descarta-se aquilo que não se mostrou verdadeiro. Em termos objetivos, ciência é um método para se chegar a uma verdade inicialmente não presumida.

            Quanto ao mais, parabéns pelo texto!

          2. Humberto, essa é a visão popperiana. Concordo com ela. Não entendi onde contradisse isso.

      1. a teoria da evolução é fabulosa tmbm, ois se baseia num pressuposto de crenças fanaticas de que mutações ao acaso geram seres complexos e indiferentes entre si. Ninguém nunca observou a evolução, mas afirmam que existe, mesmo sem os ELOS. kkkkkkkkkkkkkkk

        1. Já viram os elos, já viram a evolução em operação e as mutações ao acaso não geram seres complexos sozinhas, elas só fazem isso graças ao mecanismo da seleção natural, que nada tem de aleatório.

  6. Tudo bom! Sr. Salvador Nogueira. Uma sugestão de reportagem é sobre o Projeto News Horizons – Mission to Pluto.
    Interessante notar que uma sonda está a 300 dias de alcançar o pequeno “planeta”.

    1. Aislan, estou muito de olho na New Horizons! Tenho até pensado numa coisa muito especial para ela! 🙂

  7. Adams você está equivocado em duas coisas; primeiro ninguém é dono da verdade. A ciência possuiu um método para se chegar à realidade. Só isso. Melhor do que acreditar em coisas sem prova sobrenaturais. Segundo: o principio antrópico é uma visão míope do Universo do ponto de vista humano. O universo é muito vasto e hostil à vida. Portanto o único planeta que possuiu vida – por enquanto, conforme o que sabemos – nós representamos uma ínfima parte dele. Uma irrelevância. Outra: a inteligência – se é que o somos – demorou quase 13, 7 bilhões de anos para surgir. Perto do tempo do universo sua importância nada representa em termos percentuais. Portanto estamos longe de saber se o universo está afinado, seja para o que for. De repente ele pode estar afinado para planetas com formas de vida muito mais inteligentes que a nossa e que poderiam ser bem diferentes do homem, sem com isso, imaginarem que o universo foi feito de encomenda para eles. Pense, o mundo poderia ter sido afinado para rochas. Existe muitas delas por ai. Ou então para as formigas. Não é um mundo perfeito para elas, se pudessem pensar como você pensa? Quanto ao conto de H.G.Wells aplica-se perfeitamente à visão criacionista de mundo. Ou como os habitantes da caverna de Platão.

  8. SENSACIONAL O SEU TEXTO MEU AMIGO. NÃO CONSEGUI PARAR ATÉ O FINAL. CLARO E RÁPIDO.
    PARABÉNS E MANDE LOGO OUTROS.

    AGORA, SE ME PERMITE UM COMENTÁRIO SOBRE ESTA CRIATURA COM UM “NOME” APÔLONIÁRIO: SABE DE NADA INOCENTE.

    VIDA LONGA E PRÓSPERA.

  9. Excelente meio para demonstrar aos crentes criacionistas, que sua fé em divindades não passam disto: crenças sem respaldo algum, a não ser de suas idiossincrasias que não admitem a falta de um criador. Aliás, fica evidente que apelar para um desígnio, inteligência ou seja lá o que gostam de dizer, simplesmente não explica coisa alguma e como afirmou, só cerceia o pensamento e a curiosidade, mola motora do avanço científico. Aliás os tais crentes são apenas homens das cavernas que procuram explicar tudo que veem como produto de deuses ou forças sobrenaturais. Estes ai, precisam fazer um viagem no tempo até o século XXI.

    1. Afirmar que nós criacionistas somos como homens das cavernas e somente vocês ateus sabem das coisas me faz lembrar do conto de H.G.Wells do homem que caiu num vale onde só viviam cegos e somente ele tinha visão. Em terra de cego quem tem olho é rei, pensou,mas descobriu que aqueles cegos sabiam muito mais do que ele pensava e podia entender.
      Não somos os donos da verdade (por suas afirmações vocês é que são), e também não somos homens das cavernas, apenas enxergamos na complexidade da vida e do Universo indícios de que há um Princípio superior em todas as coisas. O Princípio antrópico por exemplo mostra que o uNIVERSO foi feito para mentes inteligentes e quase pode-se dizer que foi feito para nós. Bem, mas nós somos como homens das cavernas e apenas enxergamos as sombras que perpassam por sua entrada, vocês racionalistas que sabem de tudo têm, infelizmente que suportar que existam pessoas como nós que ousamos apenas ser humildes diante da grandeza deste Universo…

      1. A disputa não é criacionistas versus ateus. É religiosos versus cientistas. E não chega a ser uma disputa. É domínio de aplicabilidade. A ciência não se propõe a dizer qual é o sentido de estarmos aqui, nem diz o que vai acontecer com você após a morte, nem pode invalidar a ideia de alma. Isso tudo fica para os religiosos. Agora, os religiosos que não venham dar palpites no mundo material, na evolução biológica e cósmica, porque esses assuntos materiais são o campo da ciência. Por que não podem ambos respeitar isso?

        1. resposta: porque acreditam piamente em contos da idade do bronze, de povos invasores e belicosos (Belial), que só pensavam em matar os vizinhos e se apoderar de suas terras.

          Mas na hora do vamos ver, renegam a fé, correndo para hospitais. Na hora do aperto, buscam a Ciência.

          Nunca na vida vi forçação de barra maior (politicamente correto: distorção de fatos) que o filme Noé, tentando explicar a criação, que está escrita como dias, transformando cada dia em milhões de anos… e não discutindo a moralidade de assassinato em massa… e colocando um egoísta excludente como herói…

          1. Marcinha, fazendo um pouco de papel de advogado do diabo aqui, e desculpe pelo trocadilho infame, mas o filme Noé “noé” pra ser usado como exemplo de nada. Nem defendendo os religiosos (a própria igreja meteu o pau no filme) nem defendendo os não-religiosos. É só um filme, puramente ficcional e deve ser tratado como tal.

            😉

          2. Olá, EU,

            Perfeita a tua resposta. Porém só é válida para pessoas que sabem distinguir as coisas.
            Para as pessoas em estágio camelo, as coisas são literais.

            Veja “”Assim falou Zaratustra, de Nietzsche, quando ele fala do camelo, do leão, do dragão e da criança – as metamorfoses do espírito (sem ofender a ninguém, apenas situando na narrativa do livro).

            Para os camelos, Noé é o Noé bíblico. E do filme vão tirar conclusões e “sabedoria e mensagens divinas”.

            Uma experiência que vivi, quando saiu o filme “A paixão de Cristo”, de Mel Gibson (ele próprio fundamentalista), eu e a minha congregação (na época) fomos intimadas a assistir o filme. O pastor exigiu que cada membro fosse, e acompanhado, assistir. Assisti a um filme horrível, péssimo e torturante, onde uma pessoa sofre por antecipação para perdoar os pecados de quem ainda não nasceu, mas mesmo com este sacrifício a maior parte da humanidade vai com certeza queimar para sempre no fogo do inferno. Quer dizer, aquele sacrifício de sangue humano não valeu nada, porque muita gente ainda irá ser condenada (então, cadê o perdão? Já não houve o sacrifício humano?). Sem contar que é imoral alguém pagar pelos erros dos outros.

            Eu mesma vi em um blog um comentário dizendo que uma das coisas mais lindas do filme “Noé” foi a explicação da Criação, onde a Evolução é transformada em dias – e cada dia bíblico tem infinitos dias terrestres – e encaixada desta forma incorreta e maluca – na narrativa do Gênesis!!!

            Em resumo, tu sabes das coisas, os camelos, não; e não querem saber e tem orgulho de não saber. E vão usar o filme para alicerçar ainda mais as tristes e enganosas fantasias deles.
            Marcinha.

  10. Salvador, só vi o texto hoje, e achei simplesmente SENSACIONAL!!!
    Parabéns!!
    De forma clara e objetiva, sem rodeios…(e de quebra, ainda da um chute no traseiro do DI e do criacionismo…rsrsrs…)

    Só para ilustrar, e rir um pouquinho…segue um vídeo com uma certa dose de realidade!!
    https://www.youtube.com/watch?v=DkamOvEXaZc

    Abraços!!

  11. A complexidade irredutível proposta por Michael Behe se aplica a sistemas funcionais. A comparação com o fogo foi péssima.

    1. Ivan, note que a complexidade irredutível na verdade não é aplicável a nada, por princípio, pois uma vez que é aplicada a qualquer coisa ela impede futuras investigações. É anticientífica, portanto. Foi o que o texto demonstrou. Se é aplicável ao fogo ou não (obviamente não é, como também não é aplicável à biologia) é irrelevante.

    2. E o que seria um “sistema funcional”, então? Qualquer coisa pode ser vista como um “sistema funcional”, até mesmo um simples átomo. A analogia com o fogo é perfeita, e dizer que a complexidade irredutível só se aplica àquilo que lhe é conveniente não passa de uma tentativa de superar a dissonância cognitiva causada por uma análise crítica e lógica da “teoria” do “design inteligente”.

      1. Sistemas funcionais orgânicos biológicos possuem alta complexidade irredutível e complexidade especificada ao contrário do fogo – uma reação físico química simples.

        1. Cícero, não lhe ocorre que a biologia possa parecer tão complexa para a ciência atual quanto o fogo pareceu complexo aos povos paleolíticos? Isso é motivo para desistir de compreender a natureza e apelar para uma explicação sobrenatural?

          1. A questão não é o tempo do evento, e sim os próprios eventos. O FATO é que o fogo em si, é um evento muitíssimo mais simples que um ser vivo orgânico biológico com metabolismos, adaptações e reprodução.

            E se torna extremamente mais complexo quando esse organismo é um humano pensante…

          2. Cícero, sim, o fogo é mais simples que a biologia. E a biologia é mais simples que uma teoria unificada de todas as forças da natureza. Nem por isso devemos desistir dela e dizer que só o Designer poderá compreender o Universo de maneira unificada. Não tem jeito, meu filho. Você precisa admitir que o conhecimento atual não é final.

          3. O criacionismo científico/DI não é contra a ciência e nem a biologia, em vista dos fatos observáveis é a melhor resposta
            as várias estruturas complexas e
            finamente ajustadas no universo e vida biológica terrena, onde muitos cientistas e astronomos já reconheceram isso:

            Robert Wilson ganhador do Nobel, descobridor da radiação pós Big-Bang admite:
            “Certamente houve alguma coisa que fez tudo funcionar. Se você é religioso, é certo que não posso pensar numa teoria melhor da origem do universo do que aquela relatada em Gênesis”.

            Lembre-se, o desenho, a obra requer um Desenhista, Escultor.

          4. Veja que confusão. Você primeiro precisa definir que versão do design inteligente você vai defender. É a cosmológica? Beleza. Concordo que não há hoje como explicar a sintonia fina do Universo. Contudo, também não temos uma teoria unificada da física, que poderia jogar luz sobre os primeiros momentos do Universo. Portanto, cabe reservar julgamento. Mas concordo que o design inteligente nesse caso é tão bom quanto o princípio antrópico ou a ideia do multiverso — todos intestáveis.

            Já com relação à origem da vida e, principalmente, a origem das espécies, não há contorcionismo que salve o design inteligente. É uma ideia errada e pronto.

          5. Na verdade, a Física Quântica e a Teoria da Relatividade estão sendo usadas para a compreensão dos movimentos de objetos/corpos nos mundos microcósmico e macrocósmico. Os movimentos em sua totalidade estão ligados a causa e efeito, que por sua vez estão “presos” as LEIS UNIVERSAIS pré-determinadas e não a entidades inexistentes como: nada, acaso, sorte.
            TODAS evidências descobertas até hoje, mostram As LEIS e CONSTANTES pré-estabelecidas, presenciadas e ordenadas em fina harmonia, nem UMA SEQUER é aleatória, produto de acidentes desorientados as cegas (acaso das lacunas) mas sim ao contrário, sendo bem previsíveis.
            E as simples leis naturais exigiriam um Legislador para implantá-las e mantê-las. O caos aleatório não poderia estabelecer Leis dirigidas em seus múltiplos processos e mecanismos ordenados como vemos claramente à nossa volta.

            Por ex.: o nosso sistema solar possui ajustes matemáticos muito finos e precisos, possibilitando a vida orgânica complexa e variada aqui na Terra. (com inteligência!). Nosso poderoso e complexo cérebro também poderia ser comparado com uma Grande Mente Inteligente, surgido de forma INTENCIONAL, PROPOSITAL, DIRIGIDA, ORDENADO, CONSTRUÍDO INTELIGENTEMENTE.

            A crença dos céticos de que o NADA pudesse gerar os elementos constituintes do Big-Bang (o que já é uma contradição absurda): matéria, energia, espaço e tempo, o problema piora, com a incrível ordem que segue o Big-Bang com leis e constantes finamente ajustadas que não se modificam, portanto não poderiam se formar aos poucos. Se dependêssemos do acaso, sorte às cegas, seríamos uma eterna sopa de partículas, gases e radiação no pós-big-bang. Um caos gerando novos caos eternamente.

            Admitir a origem do formidável e ordenado universo e da complexa e multiforme vida em tal processo; é um assassinato da lógica, razão e coerência, sendo q os processos biológicos exigiriam ainda mais um Ordenador Inteligente devido a maior complexidade nos seres vivos.

        2. Acontece que “sistemas funcionais orgânicos biológicos” não passam de uma longa e complexa série de “reações físico químicas simples”.

          O que você chama de “complexidade irredutível” na realidade só *parece* irredutível, principalmente para aqueles que não têm o interesse (ou a capacidade) de estudar e compreender a complexa e belíssima cadeia de reações físico-químicas que dão origem à vida.

          1. Os cientistas e biólogos não sabem como surgiu a vida. Eu poderia citar muitos alegando esse desconhecimento.

            A origem da vida na verdade, assim como o início do universo, são eventos únicos, especiais, singulares, sobrenaturais.

            Percebemos que tudo está sujeito a um propósito, que por sua vez é evidenciado pelas Leis Naturais (Informação, ordem, complexidade, direção, inteligência) e não por uma ilusão em entidades naturalistas inexistentes das quais uma suposta evolução biológica dependeria que seria: nada/aleatoriedade/acaso/sorte/ de partículas ao léu… sem inteligência, sem direção, sem propósito, sem ordem, sem intenção, sem leis.

        3. Cícero,
          quando você analisar algo, procure conhecer, estudar, interpretar e sobretudo buscar a realidade.

          Você afirma: “”O criacionismo científico/DI não é contra a ciência e nem a biologia, em vista dos fatos observáveis é a melhor resposta
          as várias estruturas complexas e
          finamente ajustadas no universo e vida biológica terrena, onde muitos cientistas e astronomos já reconheceram isso””
          Eu afirmo: é contra a Ciência, sim. E é a pior resposta para o “ajuste do universo””. Não existe o “”fino ajuste do universo””. O Caos é a melhor resposta, compondo-se ao longo de bilhões de anos.
          Se cientistas e astrônomos reconheceram ou não, pouco importa. Importa que está errado.

          Você afirma: “”Robert Wilson ganhador do Nobel, descobridor da radiação pós Big-Bang admite:
          “Certamente houve alguma coisa que fez tudo funcionar. Se você é religioso, é certo que não posso pensar numa teoria melhor da origem do universo do que aquela relatada em Gênesis”.
          Eu afirmo: você não leu o que ele disse(se é que disse): Ele falou “”””se você é um religioso”””. Pronto, acabou. Mas se você for lúcido, vai procurar coisa mais inteligente.

          Você afirma: “”Lembre-se, o desenho, a obra requer um Desenhista, Escultor.””
          Eu afirmo: O desenho das nuvens, das ondas do mar não requerem um escultor personagem. Antropocêntrico. Não mesmo.

          Vá ler seus textos religiosos – que com certeza você nunca leu – e veja a absurda quantidade de amoralidade, imoralidade e abusos que lá estão e de lá foram inspirados.

          Depois tente imaginar, na sua concepção antropocêntrica, um camarada de dois metros criando um buraco Negro com massa de Bilhões (isto, bilhões) de estrelas, tamanho muito maior que todo o sistema solar e densidade na casa de quatrilhoes de toneladas por metro cúbico, girando a rotações muito maior que a super broca dos seu dentista.

          Imaginou???
          Eu não.

  12. Bom dia Salvador,
    Só pude ler este texto hoje, dois dias depois de publicado.

    É um ótimo texto, e concordo plenamente com a crítica de que muitos utilizam a religião para se acomodarem e não evoluírem no mundo, já que “está tudo feito”, ou “já foi tudo revelado, “, ou até “não foi revelado, não devemos saber”.

    Sou cristão e ouço isso há muito tempo.
    Sou fascinado pela ciência, mais pelo lado da astronomia (sempre estou aqui pelo blog, parabéns pelos textos e por nos deixar sempre informados).

    Possuo vários amigos cristãos que amam a ciência também, e não se prendem apenas aos ensinamentos bíblicos. A Bíblia é sim para ser seguida, nas bases éticas e morais.
    Tenho um amigos que faz biologia, e ele acredita sim na evolução das espécies. Até achou (eu também) MUITO interessante quando o Noé (do atual filme Noé ) contou sobre a criação do mundo e a demonstração foi realmente desde o Big Bang e a evolução. Perfeito.

    Não estou retirando a soberania e poderio de Deus. Creio sim que ele pode fazer as coisas sobrenaturais, mas também poderia ter usado as coisas naturais.
    Ele não será menor se eu tiver dúvidas e querer procurar saber mais sobre onde vivo. Ele nos deu o questionamento, a inteligência e a capacidade de utilizá-los para as pesquisas.
    As dúvidas e questionamentos são fundamentais para o crescimento humano.
    Pode-se até questionar a Deus (Davi questionou no Salmo 13, querendo saber o porquê da demora da aplicação da justiça).

    Enfim, em resumo, quero dizer que a ciência e religião têm se separado de forma errônea.
    Os religiosos não querem saber de evoluir,
    os cientistas não querem saber de divindades.

    Acredito que dá para conciliar os dois.

    Nunca parei para comentar algo, mas parabéns pelo blog! Acompanho desde o início e são sempre ótimos textos.
    Muito obrigado também pelos texto que falam de religião. Mesmo me sentindo atingido em alguns, o confronto ajuda a entender mais e, através do questionamento, fortalecer minha fé.

    Desculpe pelo longo texto, mas achei que deveria comentar minha experiência de cristão e amante da ciência. Desculpa se não deixei algo claro também hehe.

    1. Valeu, Rodrigo. Concordo inteiramente com você. Como já disse Galileu, “não acredito que Deus nos tenha dado o intelecto para que abdicássemos de seu uso”. Abraço!

      1. Prezados,
        Nessa analogia se confirma mais ainda o Projetista Inteligente Criador.
        Os homens da caverna tinham inteligência pra fazer fogo de forma eficiente e segura. 🙂

        1. Fizeram fogo depois de muitas observações, tentativas e erros. Pesquisa “tecnológica” ao modo primitivo. Mas para que eles quiseram fazer fogo se todos os animais tem medo instintivo dele, inclusive eles mesmos tinham? Alguém certamente viu a utilidade do fogo ao ver o que os animais faziam ao se deparar com ele e tiveram que perder o medo para poder usá-lo. O medo é que nós torna fracos e atrapalha o nosso desenvolvimento, tire ele e muita coisa pode ser descoberta para melhorar a nossa vida.

          1. E de repente ficaram burros quando demonstraram a veracidade da evolução. Falta-lhe coerência.

          2. Mas bem menos que uma teoria testada, retestada e confirmada por todas as evidências. 😉

          3. Confirmada? então não é mais teoria? Então já é uma LEI CIENTÍFICA?! (não é mais mito?) Poderias me mostrar um exemplo, apenas UM, comprovado empiricamente pela CIÊNCIA; que uma espécie transmutou em outra diferente MORFOLOGICAMENTE nos planos corporais evidente? Ou as fases da evolução do animal marinho p/terrestre, bem descrito de forma detalhada.
            Ou a forma como um não-mamífero virou mamífero.
            Ou a formação do sistema da visão.
            Ou como um mamífero terrestre passou a ser baleia!
            Ou como é que um réptil passou a ser ave! 🙂

          4. Cícero, você mais uma vez mostra que não entendeu a evolução. Uma espécie não se transforma em outra. Não é que um lobo tem filhotes e eles nascem cães ou, pior, um bicho nasce lobo e cresce cão. Essa é mais uma das idiotices dos antievolucionistas, como dizer que o homem veio do macaco. O que acontece na realidade é que populações animais lentamente mudam com o passar do tempo. Quando você estuda isso nos fósseis, vê diferenças marcadas entre as etapas, porque o registro é incompleto. Mas tudo isso acontece lentamente, ao longo de incontáveis gerações. GONG pra você!

          5. “O que acontece na realidade é que populações animais lentamente mudam com o passar do tempo. Quando você estuda isso nos fósseis, vê diferenças marcadas entre as etapas, porque o registro é incompleto. ”

            Logo, se a evolução fosse lenta, gradual, cumulativa deveriam haver trilhões e trilhões de fósseis transicionais evidentes e plenamente característicos. Mas NENHUM até hoje foi encontrado com esta singularidade. As ADAPTAÇÕES dos seres são frontalmente e mortalmente contra as supostas macroevoluções, por isso só encontramos fósseis inteiros completos funcionais e complexos caracterizando as eternas lacunas transicionais.

            Colibris não virarão águias/condores, nem em milhões de anos.

          6. É justamente o contrário. O fato de ser IMPOSSÍVEL haver trilhões de fósseis transicionais com mínimas diferenças entre si (decorrência de que é raro virar fóssil, o mais comum é sumir mesmo — imagine quantas criaturas já viveram sobre a Terra e desapareceram sem deixar vestígios para cada um dos fósseis que conseguimos juntar até agora) é que produz essa sensação clara de que uma espécie vira outra. Quando, num tempo curto, isso nunca acontece. É um processo de milhões de anos. Contudo, as lacunas transicionais são claramente observadas no nível do DNA, quando se pode comparar as diferenças genéticas entre as espécies, calcular o tempo de divergência entre elas e verificar que isso bate com o registro fóssil. Enfim, quer mais informações sobre isso, leia minhas “Cinco provas da evolução das espécies”. Não vou reescrever o artigo aqui só para o seu benefício. Mas posso te antecipar que em breve vou publicar outra daquelas notícias que não deixam dúvidas sobre a evolução. Hahaha

            E colibris de fato não virarão águias. Mas nada impede que colibris e águias tenham um ancestral comum. GONG!

          7. “É um processo de milhões de anos”.

            Sim, é o velho dogma fundametalista a ser defendido desesperadamente. Apelar pro tempo… LOL!

            Segundo a crença evolucionista, não só o homem como TODOS os seres vivos “vieram” de um suposto ser (não observado ou comprovado) INFERIOR a uma ameba.
            Adiciona-se o famoso refrão religioso: “durante milhões de anos…” para proporcionar este milagre mágico, assim como os supostos/imaginários seres transicionais no processo, não mudará o fato de que TODOS evolucionistas possuem a fé de que o homem um dia foi peixe (ou para piorar, foram “amebas”).

            Engraçado, que de tantos fósseis já achados, NENHUM tem características típicas transicionais… aff. chega.

          8. Não tem dogma. Datação de rochas é coisa segura. Seria dogma se tivessem tirado essas datas de um livro e se recusassem a revisá-las diante de outras evidências. 😉

          9. Salvador, não perca tempo com o Cícero. Tem muitos destes fazendo propaganda criacionista ou do “design inteligente” na internet e eles sempre vão contestar todos os seus argumentos evolucionistas como se eles estivessem certos e você é que estivesse errado. Tenho a impressão que alguns deles são até pagos para isto, mas a maioria está nisto pela própria ideologia. Basta alguém citar alguma palavra chave que eles aparecem e citam argumentos importados dos criacionistas americanos. Quase nenhum deles pensa por si só e os que pensam, até elaboram argumentos mais complexos, mas cheios de furos de lógica e preconceitos diversos. Como você, eu e outros disseram, um erro básico que este pessoal comete é o de tomar um livro que tem quase 2000 anos e que foi escrito com outras intenções, para ser usado como um manual científico para explicar coisas que eles nem entendem. Seria o mesmo que um sujeito que estudou gastronomia tentar explicar Relatividade usando o livro de receitas da avó. Eu sei que alguns deles contentam todas as descobertas científicas dos últimos 500 anos, desde a teoria Heliocêntrica até a Cosmologia moderna, chegando a contestar até a teoria Eletromagnética Clássica e pasme, achei um que contestava até a Termodinâmica, todas as contestações baseadas na mais pura ignorância tirada de algum culto religioso ou desconhecimento mesmo. A culpa disto tudo é do analfabetismo científico que grassa neste país e em outros, principalmente aqueles sob muita influência religiosa.

          10. Não Salvador & Cia. A datação de rochas é coisa INSEGURA e totalmente FALÍVEL.
            Mais uma vez, as observações científicas empíricas refutam os métodos de adivinhação da crença evolucionista:

            “Ao examinar os dados de isótopos radioativos, os investigadores descobriram um desacordo nas taxas de decaimento medidas, o que vai contra a crença de que estas taxas são constantes. ”

            http://hypescience.com/a-atividade-solar-influencia-materiais-radioativos-na-terra/

            E repetindo já inúmeras e inúmeras vezes: A Bíblia não fala em datas do universo e humanidade.

          11. Cícero, já inventaram barras de erro. Você sabe exatamente qual é o tamanho da incerteza, e ela está muito longe de corroborar as cascatas que você adora, como humanos convivendo com dinossauros antes do dilúvio e outros surtos psicóticos inspirados por livros velhos.

          12. Já q vc falou em dinossauros, não poucas vezes estão achando tecidos moles orgânicos nesses bichos – o que seria incompatível pro seus “milhões de anos”.

            Mas recentemente os torquemadas da inquisição fundamentalista darwinista não suportaram a afronta de nova descoberta. A exemplo dos xiitas muçulmanos cortaram a ‘cabeça’ desse cientista PhD por tamanha blasfêmia!!
            http://www.uncommondescent.com/expelled/mark-armitage-possibily-the-latest-victim-of-darwinist-inquisition/

            Nenhuma novidade: perseguição, preconceito, intolerância são naturalmente válidos pra blindar o dogma religioso darwinista contra as evidências :-/

          13. Nada a ver. E eu fico imaginando que boa explicação você tem para fósseis de dinossauros, com ou sem tecido mole preservado, em meio a sedimentos que, a despeito de quaisquer incertezas, têm comprovadamente dezenas de milhões de anos. E fico também imaginando onde preservação fóssil afeta de algum modo o darwinismo. Aproveita e explica por que não há pinturas rupestres de dinossauros.

          14. “a despeito de quaisquer incertezas,”

            Cuidado! não tenha tanta certeza dessa afirmação!

            Nestes links, há três fatores que influenciam e descontrolam o que supostamente era para ser constante com respeito as datações radiométricas em materias fósseis e sedimentos:

            1º As reações nucleares
            http://www.popsci.com/science/article/2010-08/strange-solar-particles-might-be-affecting-earths-radioactive-materials-scientists-say

            2º Rotação do Sol
            http://phys.org/news202456660.html#jCp

            3º Manchas solares:
            http://news.stanford.edu/news/2010/august/sun-082310.html

            “Aproveita e explica por que não há pinturas rupestres de dinossauros.”

            Não só pinturas rupestres.
            Há abundantes evidências sobre a coexistência de dinossauros, dragões (répteis alados) e humanos em ambientes próximos: Uma infinidade de objetos, jarros, vasos, gravuras, pinturas, esculturas, e cavernas comprovadamente antigos mostrando esses seres. O que vc deduz? intrigante não? Será que era pura imaginação fértil ou CRENÇA deles pintarem esses seres? Ora, certamente os viram. http://www.genesispark.com/exhibits/evidence/historical/ancient/dinosaur/

            O evolucionista Samuel Hubbard diz:
            “O fato de algum homem pré-histórico ter feito um petróglifo de um dinossauro nas paredes deste canyon PERTURBA completamente todas as nossas teorias relativamente à antiguidade do ser humano…”
            “O fato de o animal estar em pé e apoiado na sua cauda parece sugerir que o artista pré-histórico deve ter visto um vivo”.

            Tantos dinossauros pintados parecidos em lugares diferentes? é FATO cfe. estudos que povos antigos desenhavam, pintavam animais do seu ambiente próximo tipo: bois, cavalos, pássaros então pela lógica esses dinos também estariam próximos, há estudos sobre isso: amazon.com/Mystery-Acambaro-Dinosaurs-Survive-Recently/dp/0932813763.
            Um dos mais desconcertantes são os dinossauros desenhados no túmulo do bispo Bell do séc.XV junto com outros bichos que conhecemos, então só eles seriam falsos??
            http://www.apologeticspress.org/apcontent.aspx?category=9&article=3533

            Engraçado que a mídia não gosta de divulgar essas coisas, será por que hein!! mas é fácil deduzir. Tais achados não são politicamente corretos de acordo com a crença religiosa fundamentalista darwinista e seus milhões e bilhões de anos…

            Sds.

      2. Eu ia comentar algo a respeito – também sou cristão – mas depois do seu comentário nem preciso mais! Concordo 100% em tudo o que disse.
        Contrariando um pouco o que disse no começo, apenas acrescento que, mesmo sem religiões, a maior parte dos humanos ainda teria pouco interesse pela ciência, visto que ela nos tira da zona de conforto, – de onde geralmente não saem, salvo casos e vida ou morte.
        Parabéns pela forma de pensar, tanto ao Rodrigo quanto ao Salvador.

        Abraços!

    2. Rodrigo, como você consegue “fortalecer sua fé” diante do sofrimento que as pessoas deste país e deste mundo passam? Como um Deus bondoso, misericordioso e todo-poderoso permite que uma mulher sofra violência sexual ou que uma criança definhe por causa de um câncer ou que um idoso indefeso seja maltratado?

      Nunca consegui entender isso. Logicamente só consigo pensar em duas explicações: 1) Deus não está nem aí para o que acontece neste mundo ou 2) não há Deus nenhum.

      Para mim, a segunda explicação é que melhor se encaixa no que observo no mundo. Não há nada nem ninguém protegendo a humanidade. Se nós, estúpidos humanos, não aprendermos a viver em conjunto e não aprendermos a preservar nossos recursos naturais seremos, assim como o texto exemplifica, expurgados do planeta.

      1. Anderson,

        Disse sobre fortalecer a fé em relação à ciência (mais especificamente astronomia). Vejo a relação de que é realmente necessária uma inteligência acima da humana para poder criar algo desde o Big Bang, juntando todas as peças fundamentais para o funcionamento de tudo. Tudo é grandioso, e seria necessário alguém muito maior (seja em tamanho, poder…) para criar algo deste tamanho. É de se impressionar!

        Sobre as pessoas sofrerem com violência sexual, câncer e tudo mais, eu também tenho este questionamento.
        Porquê Ele, que se diz todo-poderoso não vem e dá um toque e acaba com o agressor; ou toca e cura o câncer da criança? Não sei!
        Nós devemos parar e apenas questionar a soberania inteligência Dele? Não! Vamos nos mover para acabar com estas coisas que acontecem ao nosso redor!
        Não posso viajar o mundo para mudar, mas posso fazer o máximo que posso aqui mesmo.
        Você pode até pensar que sou um idiota por ainda acreditar Nele. Mas acontece que já aconteceram tantas coisas ao meu redor que o difícil é não acreditar.

        Concordo plenamente que devemos aprender a viver em conjunto! Não deveríamos depender que uma divindade venha e nos diga o que devemos fazer…

        1. Rodrigo, isso não é ser intelectualmente incoerente ou, talvez pior, desonesto?

          Acreditar em uma divindade que é boa e nos quer bem mas que permite que sua criação, indiscriminadamente, sofra de maneiras imensuráveis. E ainda dizer que quando tudo dá certo é graças a ele mas quando dá errado é mistério da fé?

          1. Anderson,

            Você viu a frase do Rodrigo: “”Não deveríamos depender que uma divindade venha e nos diga o que devemos fazer…””

            É revolta ou está inconscientemente negando esta divindade.

            Mas veja, discutir com pessoas que só fazem repetir bobagens de livros criados pelo homem para domínio e controle da população, é realmente perda de tempo. Estas pessoas agitam crenças como se fossem verdades. E não possuem a menor vontade de conhecer a realidade, pois temem crescer.

            Saramago disse:” Leia a Bíblia e perca a fé”

            e

            “”me perguntam como pode haver moral e bondade em um homem sem a Divindade. Pois eu pergunto como pode haver tanta maldade em homens que se dizem pertencentes à Divindade”””.

      2. Permita-me explicar teologicamente a questao da maldade no mundo. O Criador criou o mundo perfeito e o homem conforme a sua imagem e semelhança. Deu o controle de toda a criação para este homem para que eles o adorasem e vivessem de maneira amorosa e justa, adorando ao Seu criador O TEMPO TODO. O homem caiu ao desobedecer a Deus, de livre e espontânea vontade, e com isso toda a humanidade dai para a frente e toda a criação, que estava sobre o controle do homem, cairam juntos.Os homens se tornaram cada vez mais maus, e a criação nao mais glorificava ao seu criador mas começaram a praticar atitudes ruins e a sua natureza se tornou tao má que ela passou a ignorar totalmente ao Seu Criador e viver para si mesma, como se Deus não existisse. Mesmo diante de toda essa rebeldia, o Criador continua querendo que Sua criação O adore e escolha seguir a Sua perfeita Lei. A unica forma disso acontecer, agora que toda a direção de coração do homem é para si mesmo, egoista, mesquinha, superficial, deteriorativa, seria Ele enviando o Seu Filho para morrer pelos homens e cumprir a Lei Dele perfeitamente, sendo homem sem pecado, cumpridor da Lei divina. Agora, todo aquele que está em Cristo e cre que a sua injustiça foi paga na justiça de Cristo irá desfrutar de uma eternidade de adoração com o seu Criador. Resumindo, em Cristo, o plano da criatura adorar ao seu Criador foi perfeitamemte cumprida. Para concluir, Deus não irá torturar aos homens no final das contas porque Ele é um tirano mau, mas sim, porque Ele é perfeito e perfeitamento justo para julgar e retribuir a todos conforme aquilo que praticaram durante a sua existência.

  13. A ideia do texto me parece contrapor a ideologia da religião e a ciência. Metaforicamente, os personagens que pedem abrigo seriam religiosos argumentando que não haveria necessidade de tentar desvendar o segredo de produção do fogo, uma vez que ele só pode ser feito pela “ação dos projetistas” (uma inteligência superior).
    Nesse ponto estou de acordo: não há dúvida de que essa resistência dos religiosos em relação a evolução do conhecimento científico deve ser combatida. Se for possível algum dia produzirmos vida (que talvez esteja metaforizada no texto por “faísca”) em laboratório, esse fato não deverá ser contestado pela religião, seja ela qual for.
    No entanto, não tenho a crença de que o conhecimento científico poderá, um dia, nos proporcionar todas as respostas para todas as nossas questões existenciais. É importante também tomar cuidado para que a admiração pela ciência não a torne um novo tipo de religião, correndo-se o risco de tomar como verdade uma série de teorias que ainda não foram devidamente comprovadas, que ainda são apenas hipóteses em estudo.
    Devemos incentivar a produção de conhecimento científico, mas ao mesmo tempo, temos que ser humildes para aceitar a nossa ignorância. Sabemos muito? Sim, com certeza! Saberemos mais? Não há dúvida! Mas, será que algum dia saberemos tudo, absolutamente tudo? Acho pouco provável. Sendo assim, enquanto houver dúvida, haverá espaço para a religião. A questão que fica é: será que alguma delas tem razão? Qual delas possui a verdade? Isso já fica a critério de cada um, e nesse quesito, não existe uma verdade absoluta.
    Enfim, desculpe-me falar de religião nesse excelente blog de divulgação científica, mas por conta da ideia que está contida nesse texto, foi algo inevitável.
    Um abraço.

    1. Rafael, eu nunca disse que a ciência teria todas as respostas. De fato, não terá. Mas abandoná-la em favor de uma visão em que aceitamos respostas prontas é extremamente perigoso. Abraço!

  14. Meus queridos amigos do blog, é sempre uma satisfação para mim partilhar de meus conhecimentos bíblicos com vocês aqui no maravilhoso blog do Salvador. A Religião e a Ciência, ao contrário do que vocês pensam, tem muito em comum. Basta dizer que a Ciência Ocidental só foi possível graças a atuação de inúmeros Sábios Cristãos que ajudaram a promover a Razão e o Intelecto num mundo marcado por guerras e violência. E isto não é apenas a minha opinião: é um fato histórico! Em breve voltarei, com mais Verdades Bíblicas. Uma excelente semana a todos.

    “A esses quatro jovens Deus deu sabedoria e inteligência para conhecerem todos os aspec­tos da cultura e da ciência. E Daniel, além disso, sabia interpretar todo tipo de visões e sonhos.”

    (Daniel 1:17)

    1. Apolinário Messias comentou em 13/09/14 at 8:36 pm: “” Tudo o que Ele faz é certo, justo e bom, embora você possa não concordar com isso.””

      A Biblia diz: Isaias 45:7 “Eu formo a luz e crio as trevas; Eu faço a paz e crio o mal; Eu o Senhor , faço todas essas coisas.”

      E aí, amigão, tudo o que Ele faz é certo, justo e bom ? Criar o MAL também é bom? ? ?

      Apolinário Messias comentou em 13/09/14 at 9:41 pm: “”Deus não é Bom e nem é Mau.””

      Ué ? o quê está escrito não vale ?
      ¶ Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração.
      E disse o Senhor: Destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; porque me arrependo de os haver feito. Gênesis 6:6-7

      IIIiiiiihhhhh!!!!! Arrependimento ? ? ? Não sabia o quê fazia? ? ? Destruição? ? ? Matar as aves, os animais e até as lagartixas? ? Tadinha da lagartixa, morrer por causa dos humanos? ? ? Até os fetos foram assassinados!!!

      E essa é a Entidade que querem que eu reverencie.

      1. O Antigo Testamento ensina que Senhor é o Criador da paz e da calamidade. Isso não quer dizer que Deus seja o autor do mal, mas que, soberanamente, ele envia desastres ou adversidades sobre indivíduos e nações, como uma justa punição. Basta se contextualizar com a realidade dos homens daquele tempo, com tanta maldade em si mesmos, que Deus optou permitir que a propria maldade de outros homens fizesse justica e causasse sofrimento a outrens, tao maus ,uanto os outroso. Que Deus é o Criador de todas as coisas assim como o criador do bem e do mal, isso e verdade, às e soberano e Senhor da história. Ele e o começo e o fim, Ele é o Criador de toda a realidade que conhecemos. Porem, o fato Dele ser o Criador, nao faz Dele o autor direto deste mal. Problem solved!

    2. Ah, é verdade! A “sapiência cristã” ajudou tanto a ciência com a queima de livros pela Inquisição e a condenação de Galileu Galilei – Um “errinho besta” que a Santa Madre Igreja levou “apenas” 358 anos pra reconhecer…

  15. Juro que imaginei que esses dois malucos que vieram da chuva e entraram na caverna, estavam de gravata, com um livrinho debaixo do braço e disseram pros guardas “Oi, muito prazer, eu sou testemunha de {complete a lacuna como preferir}. Teria um minuto para ouvir a palavra do senhor?”. Mas aí eu lembrei que o texto é fictício…

    …Ou não. 😉

    1. Quase isso. Mas, como já apontei ao nosso malvado favorito, o GONG divino, o texto deixa claro que não havia escrita naquele mundo. 😉

  16. Incrível como ainda existem pessoas que pensam feito o Apolinário e que pena não existirem mais pessoas feito o Salva!
    Parabens pela oportunidade da discussão simples e inteligente.
    abraços

    1. Hilariante! O Salvador foi considerado uma espécie em extinção por um de seus admiradores! Será batizado de “extincta salvator”. Um TRIPLO GONG!!!!!!!!

      1. Tá ficando saidinho, hein, Apolinário? Vai rolar uma sessão de autoflagelação mais tarde para se punir por essa insolência toda? 🙂
        GONG!

        1. O gonguinha vai precisar de uma seção de cilício triplo com pontas de adamantium depois dessa insolência.

          😀

  17. Grande texto, Salva.

    Só não consegui enxergar nada sobre DI (nem queria, mesmo, hehehe)

    O que eu consegui enxergar foi uma ótima “discussão” filosófica, muito provavelmente pelo fato de eu estar pela segunda vez, tentando ler “O Mundo de Sofia”.

    Como o (aparente) mote do livro é sobre a evolução das escolas e doutrinas filosóficas, eu achei muita similaridade entre os textos (o seu e o do outro livro)

    Mas, como eu falei que estou na segunda tentativa, foi/é pelo fato do MS ser muito “Cristão Doutrinatório”. Lá está o escritor falando sobre Sócrates (que não escreveu nada, mas deixou várias provas sobre sua existência) e do nada ele compara com os ensinamentos de Jesus Cristo, que teoricamente teria vivido cerca de 500 anos depois.

    Teoricamente, pois não existe nenhum “comprovante” sobre sua existência. Os romanos que documentavam tudo, principalmente os julgamentos e revoltas, não fazem nenhuma menção a este tal “Messias”. (A desculpa de que eles apagaram os registros, com vergonha da derrota, existem centenas de registros históricos romanos, onde eles reconhecem seus erros e derrotas. Existem sim).

    1. Os romanos deviam condenar Jesuses semanalmente nos territórios ocupados na Palestina! 😛

  18. Achei interessante o texto terminar de forma abrupta, exatamente como acontece na trama. Mas fiquei com raiva do asteróide!
    Abraço!

  19. Salvador Nogueira, parabéns pela “cutucada” sutil. O conhecimento humano como um todo não pode ser freado por pensamentos obsoletos e até conservadores, como no exemplo que você criou. Mais do que um jornalista, você está exercendo um papel de educador. Um bom trabalho pra você.

  20. Bora voltar pra realidade meu filho? Vamos?
    Fica ai com essa historinha pra boi dormir com intuito de atacar a opinião de outros cientistas teístas.
    Bora estudar um pouco e lembrar que os maiores cientistas que já existiram acreditavam e ainda (os vivos) que existe uma inteligência por trás de tudo e que corrobora um D.I?
    Você está partindo para o fundamentalismo Darwinista. Quer testar? Faça o teste —> http://www.thebestschools.org/darwinian-fundamentalism-index

    1. Allison, já te respondi no Facebook. O ponto importante aqui não é discutir os argumentos do DI (hipótese que já demonstrei como equivocada no meu texto “Cinco provas da evolução das espécies”), mas mostrar o perigo de respostas definitivas como um bloqueio à evolução do conhecimento.

    2. “Design Inteligente” é pseudociência. Se formos ensinar uma coisa destas nas escolas, eliminando o ensino da Teoria de Darwin, dentro de uns 20 anos estaremos passando fome e morreremos de doenças infecciosas bem cedo.

  21. Salvador, só uma coisa me incomodou. Faço agora um comentário que não precisa ser postado, que pode ficar só entre nós.
    Ao final, após a chuva, Ualaco diz que vai sair para buscar o fogo causado por algum dos raios. Isso contraria a lógica. Normalmente os raios precedem as tempestades, pois são causados pelo choque de uma frente fria que chega contra o ar quente que predominava. O fogo pode permanecer se não estiver na rota da tempestade, fora de seus limites. O mais provável é que os homens pré-históricos tenham coletado o fogo depois dos primeiros raios, mas antes da tempestade que apagaria o fogo.
    Aquele abraço, Hélio.

    1. Hélio, acho pertinente sua observação e faço questão de publicá-la. (Sou fã de “peer-review”!) De fato, você apresenta as circunstâncias mais verossímeis. Contudo, note que a chuva havia dado apenas uma trégua — a nebulosidade ainda era forte, ainda havia relâmpagos, e a tempestade ia recomeçar a qualquer momento. É possível que um raio tenha incendiado uma árvore nesse curto momento de parada da chuva. E acho que o valor metafórico da desistência dos experimentos em favor da solução simplória APÓS o encontro com os forasteiros valia essa pequena improbabilidade. 😉
      Abraço!

    2. Nem tanto Helios, eu por exemplo fui vítima indireta de um raio que caiu depois de uma chuva forte há alguns anos atrás. Um faísca dele caiu no poste de casa e entrou pela linha telefônica, queimando o modem e o computador. Depois do raio choveu muito mais fraco naquele dia.

    3. Geraldo, eu estava me referindo ao que acontece mais comumente. Outra coisa: num ambiente natural, ao contrário da sua casa, é muito mais difícil uma árvore pegar fogo ou se manter queimando por um tempo razoável durante ou depois de uma tempestade, pois tudo está molhado.

      Salvador, admiro sua disposição de publicar e discutir meu comentário, que eu julguei ser um detalhe num texto excelente, e que poderia, portanto, ser guardado apenas para sua reflexão e/ou eventual ajuste no texto antes de publicá-lo em livro.
      Abraços, Hélio

      1. Salvador, Coloque o sobrenome Eberlim no lattes e verá um professor da unicamp, que é responsável pelo laboratorio de espectrometria de massas que possui mais 500 artigos cientificos publicados. Tipo: vc usa o lab dele e vc coloca o nome dele no artigo. O problema que ele usa esse suporte cientifico e o fato de ser professor da unicamp para divulgar o desing inteligente com ciências para leigos no país afora.

        1. Qualquer cientista com 500 artigos publicados devia ser automaticamente investigado por má-conduta científica. Imagine um cientista produzindo um artigo qualificado por mês durante 30 anos. Dá 360. Para ter 500 artigos, você precisa produzir um novo trabalho a cada 20 dias durante 30 anos. Obviamente a única forma de fazer isso é se apropriando do trabalho alheio.

          1. So dando corda pra pipa: eu nao sei se isso vale no BR todo, mas qdo fazia pesquisa na graduacao e de vez em quando virava um artigo, meu “orientador” dizia que era pra por o nome de mais 3 professores… Isso pq ele era um dos bambambams da faculdade (federal). Nao sei se americanos, chinese e outros q produzem muito fazem igual, mas acho que brasileiro é nó cego, e se produz pouco aqui, imagina qdo passar a regua…. fica 1/3 ou menos…
            Agora, sugiro que os cristao (q tbme me enquadro) deixem a negada viajar na ciencia, pô! Ninguem se converte por questao de lógica, alias, so atiça pra outra extremidade.

      2. Recomendo o curso “Como escolher nomes para personagens em seus contos de ficção científica” do Dr. Ronald Chavalier.
        E nunca mais se meta em confusões!
        Ha ha!

  22. Texto simples, profundo mas nada redutível!

    Vou usá-lo para abrir minhas aulas de evolução da vida em tema sobre Complexidade Irredutível. Ainda bem que a escrita emerguiu nesse planeta e caiu nas suas mãos.
    Em boas mãos!

    Para exemplos biológicos, o professor Charles Morphy explica a complexidade irredutível na biologia nos fazendo pensar como entender a evolução dos olhos no planeta:

    http://charlesmorphy.blogspot.com.br/2014/09/pseudo-ciencia-e-as-intencoes-do-design.html

    Nossa espécie descobriu o “fogo” mas infelizmente até hoje sempre querem apagar a chama com um sopro do Design Inteligente.

  23. Esse texto explicita todo um preconceito contra o Design Inteligente. É um aglomerado de falácias ideal para uma resposta elucidativa que em breve postarei e divulgarei.

    Abraços

    1. Quem falou em Design Inteligente? Estou falando em qualquer proposta ideológica que queira colocar um ponto final à investigação da natureza, seja ela do que for.

      1. É que a carapuça serviu, Salvador. A posição desse pessoal é tão indefensável que você dá bom dia e eles já acham que é um ataque. 🙂

      2. Pra que se proteger atrás dessa mentira, sr. Salvador Nogueira? É obvio que o seu objetivo com esse conto foi denegrir o DI (que lhe falta capacidade intelectual para apreciar) e fomentar discórdia e bagunça. Isso que dá dar espaço irrestrito a qualquer um (você mesmo).

        1. A ideia foi criticar uma idiotice sem fazer propaganda dela. Você entendeu pela metade apenas.

    2. Lá vem o Eskelçam chorar contra a ciência.

      Salvador, esse aí é criacionista da Terra jovem, nem adianta tentar argumentar com ele.

    3. Junior, o Salvador nunca negou espaço pra réplica de ninguém. Se tiver algo válido, científico e publicável a favor do DI, coloque pra discussão. Mas saiba que quem se expõe publicamente em defesa de um ponto de vista – principalmente em ciência – deve estar disposto a receber a crítica. Se não for assim então nem comece.

  24. Este é o verdadeiro mal do obscurantismo religioso, toma a liberdade do ser humano para substituir por um monte de crendices sem fundamento baseados num medo irracional de algo que não existe. Terminam por provocar um mal maior do que pretendiam sanar, apesar que nem tudo o que eles consideram “mal” é de fato alguma coisa ruim para a sociedade ou para os indivíduos, as vezes é só puro reacionarismo.

  25. Muito bom, Salvador! Você sempre mostrou uma grande capacidade de discutir assuntos difíceis de forma palatável, em textos que temos vontade de “deglutir” de fato. Isso só é possível com a mente inteligente e criativa de alguém que já leu muitos bons textos, refletiu bastante, formou sua própria visão sobre muitas coisas, e já conseguiu dominar a arte de escrever.
    Seu conto ficou interessante, estimula a reflexão e deve ajudar a “abrir mentes”. Está bem escrito e tem um bom ritmo / encadeamento de idéias / desenvolvimento / finalização.
    De agora em diante teremos um divulgador científico que também é um ótimo ficcionista? Se sim, só teremos a ganhar. Thumbs up!!!

  26. Excelente Salva, um texto como se fosse um conto, e ajuda a questionar a idéia do “Design Inteligente”.

    Grande abraço!

  27. Ótima leitura para aliviar as minhas atividades de monitoramento, deu vontade de acender uma fogueira, fazer uns assados, estender os pensamentos e acessar mais conhecimentos sobre o cosmos.

  28. Existe um final alternativo para essa história: Naberlind e Azneso mostraram que o fogo não era possível de ser obtido mas, em contrapartida, mostraram a Dareem e a Ualaco o “Grande Livro” com os Ensinamentos do “Grande Mestre do Céu” e lhes disse que se seguissem à risca todos os seus Sagrados Mandamentos, teriam uma vida próspera, feliz e frutífera. Inteligentes, Naberlind e Azneso adotaram imediatamente os preceitos do Grande Livro e construíram uma maravilhosa Civilização. Como agradecimento, o Grande Mestre os protegeu para sempre de todos os infortúnios da Natureza. E todos viveram a mais feliz das existências.

    “Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês’, diz o Senhor, ‘planos de fazê-los prosperar e não de causar dano, planos de dar a vocês esperança e um futuro.”

    (Jeremias 29:11)

      1. Ora, no Paleolítico também não havia a linguagem falada. Eu apenas segui a fantasia da histórinha…GONG!

        1. Não existia a linguagem falada?? De onde você tirou essa? Além de não termos essa informação (e isso ser muito improvável, porque as pinturas rupestres já demonstravam alto nível de abstração), este é um outro planeta, não a Terra. As regras que valem são as que estão no texto. E o texto ESPECIFICA que não há escrita! Releia! E GONG!

          1. Pô Salvador, que mau humor! Eu até que gostei da historinha. Só procurei mostrar um outro aspecto, o da religiosidade, que certamente salvaria esses tristes seres da extinção. Além disso, o conto induz uma idéia incorreta: a de que o conhecimento científico nos salvaria da destruição. Mas o que vemos hoje é exatamente o contrário: a destruição ambiental, e conseqüentemente a nossa própria, é justamente resultado do uso indiscriminado e predatório do conhecimento científico acumulado…

          2. Apolinário, veja qual era a expectativa média de vida no tempo de Jesus e veja qual é agora, ainda que num país desigual como o nosso. Sim, o conhecimento salva. Já sabemos o “Pai-Nosso” desde o ano 33 d.C., mas a expectativa de vida só começou a subir radicalmente com a descoberta dos antibióticos e a invenção das vacinas. E na Idade Média a chance de você morrer em um conflito interpessoal (ou seja, em algo tão trivial quanto uma briga de bar) era imensa. Hoje, a violência parece maior, mas isso é enganoso. O lance é que somos hoje 7 bilhões de pessoas. Proporcionalmente ao total da população, a violência é muito menor que em tempos bíblicos. Então, como todo o respeito à religiosidade (você sabe bem que eu considero uma dimensão humana importante), os dados indicam que ela nada faz para salvar ninguém (exceto, talvez, em hipotéticos cenários pós-vida sobrenaturais). O que ela pode fazer bem é consolar e dar um sentido à existência. Para me salvar de um asteroide, permita-me apontar que temos mais chances com um foguete e uma bomba nuclear do que com reza. Mas fico feliz que tenha gostado da historinha. E ressalto que não é um discurso antirreligião. É uma reflexão do risco que se corre ao deixar noções religiosas tomarem conta do pensamento científico. E, para não perder o hábito, GONG! Abraço!

          3. Ninguém disse que era necessário “rezar” para evitar a destruição! As tragédias e as alegrias da existência são determinadas por Ele! Deus dá a Vida e toma a Vida. Se Ele desejar que alguma civilização seja extinta, não serão bombinhas nucleares que vão impedir a hecatombe. Não haverá força no Universo, que possa salvar essa gente. Tudo o que Ele faz é certo, justo e bom, embora você possa não concordar com isso. Os antibióticos, as vacinas e toda a evolução que a medicina produziu ou venha a produzir só existem porque Ele assim o determinou, porque Ele entendeu que era hora de alguém produzi-las. A destruição, que tanto nos apavora, é mais um feito na rotina do Criador, assim como a explosão de uma SuperNova. Ele não nos deve absolutamente nada, pelo contrário, nós é que devemos a Ele: tivemos a chance de viver no Paraíso e optamos pela desobediência. Devemos sempre lembrar que estamos vivos apenas porque Ele assim o quer.

            “Nenhuma pessoa consagrada para a destruição poderá ser resgatada; terá que ser executada.”

            (Levítico 27:29)

          4. Então como você explica o súbito e acelerado aumento de expectativa de vida a partir de meados do século 19? Deus ficou de bom humor? Se ele mudou de opinião quanto ao tempo médio de vida do ser humano recentemente, talvez seja o caso de incluir mais um ou dois capítulos atualizando aquele seu livro favorito. Afinal, ele reflete o pensamento divino de outra época, quando Ele era muito menos entusiástico acerca da humanidade. GONG!

          5. Deus não tem “humor”. Deus não é Bom e nem é Mau. Esses são valores que a nossa cultura produziu. Deus é simplesmente o Senhor de tudo o que existe. Ele não precisa de nenhuma “motivação” para realizar algum feito, pois Ele é o Senhor de todas as motivações, de todas as atitudes no Universo. Tudo o que foi feito ou que o virá a ser feito, tudo aquilo que aconteceu ou que irá acontecer, só ocorreu, ou ocorrerá porque Ele assim o determinou. Quais as razões Dele? Nunca as compreenderemos pois seria o mesmo que tentar explicar a teoria da relatividade a uma ameba. Sim, fomos feitos à sua imagem e semelhança: mas é só! Não temos a mínima idéia de como se processa a inteligência Daquele que criou tudo o que existe, que é o Senhor da Vida e da Morte, Daquele que sabe tudo sobre tudo.

            “Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos!”

            (Romanos 11:33)

          6. Se nunca entenderemos, para que estudá-lo num livro velho? Ou, para que o adorarmos, se Ele não é sujeito a mudanças de humor? Se ele já tem tudo planejado, tanto faz o que fazemos por aqui. Podemos simplesmente esquecer que Ele existe e tocar nossa vida adiante. Vê como seu raciocínio não faz sentido? GONG!

          7. Apolinário, chega, já ficou feio pra vc. Aliás, colocar trechos biblicos bonitinhos é tipico de cristão alienado. Porque não coloca esses aqui???
            “Ó cidade de Babilônia, destinada à destruição, feliz aquele que lhe retribuir o mal que você nos fez!
            Feliz aquele que pegar os seus filhos e os despedaçar contra a rocha!

            Salmos 137:8-9”

            “Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada;
            Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra;
            E assim os inimigos do homem serão os seus familiares.
            Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim.

            Mateus 10:34-37”

          8. Salvador,

            O Apolinário adora o que você faz…..alimentá-lo. Ele já mostrou que não está aqui para discutir em bases concretas todos estes conceitos. Ele é apenas mais um alienado que tem muito pouco a contribuir. Eu não perco mais tempo lendo as bobagens que ele escreve.

    1. Não existe proteção divina, até porque Deus não existe. Se um civilização for protegida o tempo todo de infortúnios, ela se tornará fraca e perecerá com o passar dos milênios. Se esta for a proteção divina, então este Deus está mais para a descrição do Diabo.

      1. “o Grande Mestre os protegeu para sempre de todos os infortúnios da Natureza”. Na realidade isto NUNCA aconteceu na história humana.

    2. Dai-me Paciência Senhor! Mas eu explico! O Livro dos Livros não foi escrito para “estudar Deus”, a Bíblia é mais um manual de instruções para os homens, um guia para a vida humana e um relato da nossa Origem. O propósito de todo o ser vivo é estabelecido por Ele e só Ele pode alterar isso, e eu não disse que tudo está pré-determinado. Por essa razão, temos que trabalhar e produzir para garantir o nosso sustento, mesmo sabendo que Ele é quem vai decidir tudo.

      “As mãos preguiçosas empobrecem o homem, porém as mãos diligentes lhe trazem riqueza”

      (Provérbios 10:4)

      Há um propósito para a nossa Vida. Mas acontece que Ele não quer que você se preocupe com isso, pois isso é tarefa Dele! Se você ficar esperando a “ajuda” Divina pode se frustar uma vez que tem muita gente na fila. Por isso, a vida em paz de espírito é sempre recomendada para que se evite a angústia de indefinição.

      ” Minha paz, Eu dou a vocês. Minha paz Eu deixo com vocês”

      (João 14:27).

      1. Ótimo, se você acha que a Bíblia é um conjunto de mitos com moralidade embutida, ambos concordamos. Como qualquer mitologia, não deve ser interpretada literalmente, muito menos tratada como livro de ciência. Em resumo, não pertence ao rol de assuntos deste blog. Em suma, parece de falar dela por aqui, sob pena de receber mais um “GONG!”.

  29. Muito bom o texto!

    É da característica de um exímio escritor fazer o leitor concluir seu ponto de vista sem obrigar o leitor a aceitar suas opiniões e, ao mesmo tempo, fazê-lo refletir com argumentos sólidos e razoáveis sem utilização de sofísmas.

    Demonstrou uma analogia como muitos de nós ainda nos fazemos de sábios e na verdade estamos é indo na contra-mão do explorar, investigar, descobrir e, enfim, evoluir.

    Posso encaixar tanto o ponto de vista dos religiosos, que são irredutíveis e que foram, ao longo do tempo, se auto-condicionando a não serem críticos, como o grupo de pessoas que não são criticas pelo fato que de que se contenta com o que já foi postulado pela ciência e que ecoa tais postulações sem ao menos entendê-las muito bem.

    Adorei seu texto e admiro muito seu trabalho!

    Por favor, continue assim!

  30. Fantástico texto! Meus mais entusiasmados parabéns para sua escrita, tanto na forma do texto, quanto no estilo narrativo e, claro, no assunto.
    Abraço,

    Ricardo René Guzmán

    1. Valeu! Minha ideia era explicar o absurdo com uma analogia que o tornasse transparente e, o mais importante, sem fazer propaganda obscurantista.

Comments are closed.