O céu de Plutão é azul!

As últimas de Plutão: imagens da New Horizons revelam que o céu plutoniano é azul. Segundo Alan Stern, cientista-chefe da missão, foi uma surpresa. “Quem teria esperado um céu azul no cinturão de Kuiper? É lindo”, disse, em nota divulgada pela Nasa.

Imagem feita pela New Horizons que se aproxima do que veríamos com os próprios olhos revela a atmosfera azulada de Plutão. (Crédito: Nasa)
Imagem feita pela New Horizons que se aproxima do que veríamos com os próprios olhos revela a atmosfera azulada de Plutão. (Crédito: Nasa)

Tão interessante quanto foram os últimos dados espectrográficos, que sugerem a presença de gelo de água exposto na superfície plutoniana. Já sabíamos, com base nas observações iniciais e no conhecimento que temos da física em baixas temperaturas, que as grandes cadeias de montanhas vistas no solo de Plutão eram feitas primordialmente de gelo de água. Contudo, é sempre bom obter validação por observações, e o espectrógrafo Ralph revelou a assinatura de água em suas detecções.

Curiosamente, as regiões com gelo de água exposto coincidem com algumas das áreas mais avermelhadas na superfície. Ainda será preciso quebrar a cabeça para entender o que está dando essa coloração ao gelo.

Regiões marcadas em azul indicam a presença de gelo de água exposto na superfície. (Crédito: Nasa)
Regiões marcadas em azul indicam a presença de gelo de água exposto na superfície. (Crédito: Nasa)

Quanto ao céu azul, ele parece estar relacionado com a forma como certos compostos orgânicos gerados pela reação do metano e do nitrogênio primordiais com a radiação ultravioleta do Sol produzem material particulado — provavelmente de cor cinza ou vermelha, mas capaz de espalhar a luz dando a tonalidade azul ao tênue invólucro de ar em torno de Plutão.

O estudo da cor da atmosfera ajudará a determinar exatamente a natureza, a densidade e o tamanho dessas partículas suspensas no ar.

A essa altura, a sonda New Horizons já está a milhões de quilômetros de Plutão, mas segue transmitindo alguns de seus mais bem-guardados segredos, fruto do encontro rápido entre os dois, ocorrido em 14 de julho. Fique de olho, que vem muito mais por aí. O livro definitivo sobre o “ex-planeta” ainda está por ser escrito!

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook e no Twitter

Comentários

  1. Vendo que Haumea e Makemake estão apenas 20/22 AU mais distante que plutão em 09/10/2015 bem que poderia acontecer uma New Horizons 2.0 pra um desses corpos, infelizmente eu achei que Eris seria o próximo visitado, mas está numa distancia de 94 AU nesse momento, três vezes a distancia de Plutao.

  2. Carl Sagan, qual o motivo de uns terem atmosferas e outros não? Caso de Plutão e a Lua. A proximidade da Lua com a Terra influencia? Se a Lua tivesse atmosfera e com ela água em forma líquida, o homem já teria motivos suficiente para construir uma base lunar. Concorda? Desculpa se estou escrevendo muitas abobrinhas….é só curiosidade. Abraços!

    1. Kennedy, duas coisas: gravidade e temperatura. Gravidade é o que segura a atmosfera no planeta. E a temperatura é o grau de agitação das moléculas na atmosfera. Quanto mais quente, mais rápido elas se movem, e mais gravidade é necessária para segurá-la no chão. Por isso um corpo com a massa da Lua, aqui na nossa região, não segura atmosfera, mas um corpo com a massa de Plutão, lá nos cafundós, consegue segurar. Abraço!

    2. Kennedy, você só pode estar de sacanagem, né? Salvador não merece ser chamado de “Carl Sagan”, talvez o maior responsável pela ignorância publica, a respeito de vida alienígena inteligente!
      Ele (Salvador) até que tem se esforçado pra ser diferente! (rsrs)
      Abraços
      F.A.R.

      1. Soa meio equivocadas as suas afirmações, meu amigo. Carl Sagan é considerado um dos divulgadores científicos mais carismáticos e influentes da história, graças a sua capacidade de transmitir as ideias científicas e os aspectos culturais ao público não especializado. Foi durante a vida um grande defensor do ceticismo e do uso do método científico, promoveu a busca por inteligência extraterrestre através do projeto SETI e instituiu o envio de mensagens a bordo de sondas espaciais, destinados a informar possíveis civilizações extraterrestres sobre a existência humana.
        O Salvador Nogueira, o qual o chamo carinhosamente de Carl Sagan brasileiro, é um tremendo divulgador do conhecimento científico, sua maneira fácil de escrever e transmitir suas idéias a respeito de astronomia, é singular e apropriada ao seu tempo. Não furta-se de responder uma pergunta sequer, seja ela a mais banal ou a mais erudita. Usa os meios que lhes são disponíveis de maneira inteligente, estando sempre na vanguarda do jornalismo científico.
        Quanto ao Carl Sagan ser responsável pela ignorância pública a respeito de vida inteligente alienígena, digo a você, que nesse quesito os seus adjetivos são incoerentes. Cada um tem a sua opinião própria e cada cientista ou jornalista especializado, lida com o assunto de acordo com as ferramentas à disposição em seu tempo. Astronomia é uma ciência mutável, teoria e hipóteses estão aí para serem questionadas ou confirmadas. Era criança no tempo que passava cosmos e aprendi muito com seus ensinamentos. Me fez pensar, questionar e ser curioso e isso não tem preço! Abraços!

        1. Até entendo a admiração astronômica pelo Sagan, e até certo ponto, o endeusamento que vocês fazem dele, embora isso não seja nada científico.
          Mas, olhando pelo prisma da ufologia, e aqui em particular, pela busca por vida extraterrestre inteligente, Sagan foi, é e sempre será um zero à esquerda. Aliás, se considerarmos o que dizia o astrofísico da J. A. Hinek, antecessor do Sagan e que resolveu abrir o verbo sobre as falcatruas da NASA e da CIA, de zero à esquerda Sagan passaria a ser um número negativo.
          Abraços
          F.A.R.

          1. Sagan era criticado pelos ufólogos por não se fiar em óvnis e criticado por boa parte da comunidade científica por defender a existência de vida inteligente fora da Terra. Desconfio que ele podia ser classificado como “equilibrado”, tendo sido alvejado nos dois extremos. 😉

          2. O deslumbrado por discos voadores Fernando de Aragão Ramalho aparece aqui no respeitado blog de ciência da Folha, do jornalista científico Salvador Nogueira, tentando malhar a memória do maior divulgador científico de todos os tempos, o Carl Sagan, classificando-o de “um zero à esquerda” e “maior responsável pela ignorância pública a respeito de vida alienígena inteligente”.

            A demonstração de grotesca ignorância deste sujeito se superou. Carl Sagan foi um dos maiores incentivadores da busca de vida inteligente no Cosmos. Ele inclusive escreveu livros específicos voltados a este tema – divulgação esta que estes “ufólogos” arrogantes são incompetentes em fazer de maneira científica, séria, e responsável.

            Sagan foi co-fundador da The Planetary Society, que tinha uma das metas a busca por vida inteligente, tendo também promovido o SETI, um legítimo programa científico de busca por vida inteligente, além de trabalhar em missões de envio de mensagens em sondas espaciais. E há muito mais…

            Como astrônomo amador, não posso ficar aqui calado, ouvindo um zé ninguém como este Fernando, um garoto de recados da revista UFO e puxa-saco de outros ufólogos, vir aqui vomitar em cima do pioneirismo do Sagan nesta área que ele tanto batalhou.

            Nem o nome do astrônomo e ufólogo J. A. Hynek, que este Fernando tanto venera, sabe escrever direito (“Hinek”). Vá estudar e, quem sabe um dia, você chegue na unha dos pés do Sagan.

  3. Salvador, parabéns pelo blog ! Referência na língua Portuguesa sobre o espaço sideral.

    Apesar de não ter haver com o assunto em questão, estou muito curioso sobre a que caminhos anda a missão Rosetta da ESA. Acredito que muita gente tem curiosidade sobre isso, pois se gerou muita expectativa.

    Abraços e boa sorte !

    1. Estevão, estou de olho, principalmente na segunda quinzena de outubro, quando vão tentar retomar contato com o Philae. Em breve faço um update! 🙂

    2. Eles levaram a nave para uma órbita alta, para fotografar a “cauda” do cometa. Depois voltarão a uma órbita mais baixa.

  4. Ralph ainda não mandou nada sobre vegetações? Tem uma imagem colorida com uns tons de verde que bem que poderia ser. Ali Alan há algo.

    1. Imagem colorida artificialmente para ressaltar diferenças de composição ou estruturais na superfície do planeta. Não é verde de vegetação.

  5. Salvador, pode existir algum líquido estável fluindo na superfície de Plutão?

    Não estou certo, mas parece que o nitrogênio cai como neve lá, ainda sim gostaria de saber se poderia existir nitrogênio líquido escorrendo na sua superfície, isto é, algum tipo de “ciclo hidrológico” do nitrogênio lá?

    Água é um meio que possibilita diversas reações químicas e é vital para a vida como conhecemos. Especulo se se outros líquidos teriam essa capacidade, fornecendo um meio ideal para reações químicas.

    Sabemos que a vida na Terra depende da água, mas ela poderia existir com outras combinações, de formas que nem imaginamos.

    Titã, por sua vez, possui lagos de metano na superfície, o que é bem interessante também.

    Por isso a curiosidade.

    1. No máximo gelo fluido de nitrogênio, mas é difícil chamar de líquido. Talvez uma fina camada líquida na interface do gelo.

    2. Sobre a possibilidade de vida em Titã transcrevo esse excelente artigo:

      FORMAS DE VIDA BASEADAS EM METANO PODEM EXISTIR EM TITÃ

      Quase todos os organismos vivos na Terra têm estruturas à base de água em torno de suas células chamadas bicamadas de fosfolipídios. Estas mantêm a água dentro (ou fora), e abrigam o interior de suas células do resto do mundo. Agora, de acordo com um estudo baseado inteiramente em modelos de computador, pequenas moléculas em ambientes livres de oxigênio podem ser capazes de formar compartimentos que se assemelham a estas membranas lipídicas. Os resultados, publicados na revista Science Advances na semana passada, dizem que a vida, “mas não como a conhecemos”, – é possível em mundos sem oxigênio. Ela só tem de ser composta de células à base de metano.

      Os astrônomos procuram por sinais de vida extraterrestre (e lugares onde a humanidade pode colonizar um dia) focando na zona habitável, uma área estreita em torno da estrela onde a água líquida pode existir. No entanto, se as células não forem baseadas em água, mas sim em metano, a zona habitável passa ser muito mais distante da estrela, permitindo a existência de vida mesmo em mundos extremamente frios, como Titã, uma das luas de Saturno. A lua gigante é repleta de mares de metano líquido e não tem nenhum oxigênio disponível para a formação de uma membrana de bicamada lipídica.

      http://misteriosdomundo.org/formas-de-vida-baseadas-em-metano-podem-existir-em-tita/

      1. Victor, realmente muito interessante, mas gostaria de lembrar que a vida na Terra começou sem oxigênio. Até hoje, temos bactérias anaeróbicas vivendo no planeta e até dentro de nós mesmos.

  6. Salvador tenho uma dúvida quanto ao estudo do Premio Nobel de Física deste ano. A reportagem do Estado de São Paulo, descreveu como o “sabor” dos neutrinos. Em inglês esta a palavra ” taste” . Será que a tradução esta errada? Na verdade no estudo de física de neutrinos teríamos ” preferencias ou ainda nuancias”?

    1. Os físicos costumam falar em sabores mesmo. Mas pode chamar de variedades, se preferir. O que importa é que são três tipos de neutrinos, diferenciados pela massa (ou quantidade de energia, como queira).

  7. Salvador, mesmo sabendo que em outros sites, blogs, etc… poderiam comentar novidades vindo da N.H – Nasa, sempre aguardo as suas postagens (confiabilidade e segurança é tudo). A cada fato novo me questiono: O que realmente os cientistas sabem de um “mundo” para outro. Tou achando que nada. Gelo na terra é formado de uma maneira, em uma lua e/ou planeta não. Isso me deixa “baratinado”. Abcs…

    1. Jailton, com a comparação aprendemos o que é igual e o que é diferente. Em Plutão, a diferença básica com relação à Terra é a temperatura. Àquela temperatura, gelo de água é como rocha.

    2. Física serve para isto, saber de coisas que estão longe do nosso alcance sem que precisemos tocá-las ou saber o comportamento da matéria conforme condições diversas de temperatura e pressão. A análise espectroscópica é essencial nas missões das sondas interplanetárias e nos telescópios terrestres, pois sem ela seria impossível saber do que é feito o que é observado. E fazendo ensaios em laboratório e usando a termodinâmica e a mecânica estatística se pode explicar o que acontece com os átomos em condições diversas. Quando estão envolvidas temperaturas muito baixas e/ou pressões altas, o gelo muda a forma cristalina dele e se torna rocha.

      Tem um diagrama de fase da água aqui:
      https://en.wikipedia.org/wiki/Phase_diagram

  8. Olá Salvador,

    Apenas uma observação, a NH esta a alguns milhões de km de Plutão, e não a bilhões.
    Na realidade considerando uma velocidade de 45.000 km/h, ela esta a quase 100 milhões de km.

    Ela esta a milhões de km de Plutão, e a bilhões da Terra.

    Quanto a atmosfera azul, é espetacular lol.
    Os encantos de Plutão parece que não acabam 🙂

  9. Salvador, a NH permaneceu girando em torno de Plutão (entrou em órbita) ou passou por ele apenas e foi embora?

        1. Ela teria de chegar lá numa outra trajetória, muito mais lenta. Chegaria depois da morte dos cientistas. rs

  10. Como Plutão conserva sua atmosfera? Mercúrio, a Lua e um pouco, Marte, desistiram das suas, pela pouca gravidade ou pela inexistência de um campo magnético. Cadaum é cada um, mas … e Plutão?

    1. Eu também pensei nisso! Vou dar meu palpite (opinião descompromissada sobre um assunto qualquer) rsrs

      Plutão fica longe do Sol, os ventos solares chegam lá como uma brisa, bem fraquinhos. Apesar da baixa gravidade, os ventos solares não tem intensidade o bastante para “soprar” a atmosfera para longe.

      Plutão tem ainda um campo magnético que protege a sua atmosfera do vento solar, tal como acontece aqui na Terra.

      1. E como o Salvador disse mais acima, a baixa temperatura ajuda a manter a atmosfera, pois as moléculas de “ar” não se agitam muito.

    2. Penso que os seus três primeiros exemplos são astros que estão muito mais próximos do Sol do que Plutão e por este motivo a pressão de radiação solar naquela distância deve ser muito menor do que nos três que você mencionou. Titã, o satélite amarelo de Saturno, mantém sua atmosfera ainda.

  11. “Quem teria esperado um céu azul no cinturão de Kuiper? Realmente, acho que nem os ufólogos mais entusiastas.

    1. Bem, Rodolfo, de fato, não esperaríamos um “céu azul” em Plutão, até por que a atmosfera dos outros planetas não é lá o nosso forte. E, pelo que eu saiba, nenhum de nós esteve na superfície de Marte para olhar o “céu azul” – só para comparar com o que os céticos obtusos falam de nós.
      Os fenômenos ufológicos que observamos, tirando alguns raros que ocorreram em Marte e na Lua, são todos observáveis aqui mesmo, embaixo de nossos bigodes, em nossa própria atmosfera.
      E por falar em fenômenos ufológicos, já viram o que ocorreu esta semana lá em Prudentópolis/PR? Isso, a maior parte da mídia se cala! Por quê será?
      Abraços.
      F.A.R.

      1. O que aconteceu em Prudentópolis?
        Particularmente não acredito em seres de outros planetas. Se podem vir aqui por que não se comunicam direito e não para alguns eleitos? não faz o menor sentido. Por mais que queiramos cada vez que entendo as particularidades da vida na Terra, as especificidades do nosso mundo fico mais cético em relação à possibilidade de ter vida em outros lugares.

          1. Crop circles já foram desmistificados. Os autores dos primeiros círculos nos trigais confessaram, depois de décadas, que foi armação. Outros os seguem, no entanto, infelizmente.

          2. Salve, Salvador.
            Vai uma dica para se animar: Acesse o Crop Circles Connector http://www.cropcircleconnector.com/index2.html.
            Os agroglifos que estão neste site são verdadeiras obras de arte. Considerados autênticos, não são explicáveis através daquela estória dos velhinhos Doug, fraudadores dos anos 70 que até hoje alguns céticos engolem com um certo dom modernismo. Estorinhas essas ridículas, diga-se de passagem. Além do mais, os autênticos surgem aos milhares, todos os anos e em várias partes do mundo.
            Enquanto não surgir uma explicação plausível, esse assunto vai continuar bombando na ufologia, apesar de escondido na mídia de massa.
            Abraços
            F.A.R.

          3. Fernando, a história dos velhinhos certamente não demonstra o único método existente para produzir agroglifos. Só mostra como tem gente que pode ser feita de besta com o argumento de “não conseguimos imaginar como podem ter sido feitos”. Eu tenho uma tremenda dificuldade em supor que humanos — capazes de construir prédios de 100 andares numa boa e mandar coisas até Plutão — sejam incapazes de fazer desenhos em plantações, como se só extraterrestres fossem capazes dessas proezas. E aí é que está o problema de toda a ufologia — ela toda se baseia em duplas negativas. “Não encontramos nada que mostre que a história não é verdadeira”, em vez de “Encontramos alguma coisa que mostre que a história é verdadeira”. É isso que complica a ufologia do ponto de vista científico. Enquanto ela tratar “não foram encontradas evidências de mentira” como “é verdade”, não terá rigor suficiente para convencer ninguém além de um pequeno círculo de entusiastas ingênuos.

        1. Pois a mim, o que parece impossível é que não exista vida inteligente em outros cantos do cosmo, acho que é muita pretensão nossa. Quanto ao fato de não se apresentarem a nós, fico pensando se não seria uma boa comparação um helicóptero sobrevoando um habitat de gorilas e o piloto pensando se pousa ou não. . . e olha que a diferença de discernimento entre nós e os gorilas nem é tão grande assim, rssss

        2. Pessoal, se vocês tiverem um mínimo de senso científico verão que os agroglifos considerados autênticos, isto é, NÃO HUMANOS, têm uma série de particularidades que obviamente ninguém aqui na Terra pode reproduzir. Por exemplo, dobradura perfeita dos caules sem quebra da planta, inclusive a nível celular, permitindo que as plantas continuem vivas e produzindo; magnetismo totalmente disforme nas áreas internas ao desenho; ausência de marcas de pegadas no trajeto até a figura e mais uma série de indícios.
          A Revista UFO já ofereceu um prêmio de R$ 100.000,00 para que esse povo que vive dizendo que é farsa faça um com as características acima. Sabe quantos apareceram? ZERO, ninguém! Simplesmente por que é impossível.
          Abraços
          F.A.R.

          1. Hahahaha Coloco um pedaço de madeira quadrado no pé e consigo entortar as plantas sem quebrar, como testaram essa afirmação do magnetismo disforme e em que revista científica isso foi publicado? os círculos feitos por Bower e Chorley também foram considerados “Reais” pelos ufólogos e outros falsificadores alegaram que fizeram tudo isso com ferramentas simples.

          2. A Revista UFO já ofereceu um prêmio de R$ 100.000,00 para que esse povo que vive dizendo que é farsa faça um com as características acima. Sabe quantos apareceram? ZERO, ninguém!

            Mesma quantidade de pessoas que conseguiram provar que são feitos por ETs.

            Ou seja, bullshit.

          3. Salvador, são vários céticos que leem a UFO. Existe até um em especial, que tem um site chamado “Ceticismo Aberto” que adora ler a revista para tentar pegar algo. Pra variar, vive tomando na cabeça.
            O que você deveria perguntar, é se algum cético já estudou os aspectos particulares dos agroglifos, os quais me referi IN LOCU. Nenhum! Falar de longe, sem ir no local e identificar se trata-se de um falso ou verdadeiro, é fácil. Aliás, esse é um péssimo hábito dos astrônomos que vivem dando palpite!

          4. Fernando, ainda que os agroglifos sejam incríveis e inexplicáveis pelo que se sabe, é muito mais provável que sejam de origem terrestre (basta apenas um terráqueo mais esperto que o ufólogo) do que extraterrestre. E esse é o problema todo. Como você exclui a hipótese de que tenha sido um humano a fazer os desenhos? Agora, o que é mais provável, um humano esperto ou um alienígena desocupado?

          5. Kenny, a proposta continua de pé! Se quiser ganhar uma grana, sinta-se á vontade!
            Quero ver você, ou qualquer um “cientista” dobrar as plantas a nível molecular, sem quebrá-las. Outra coisa, tem que fazer o círculo em áreas onde o celular não pega, como por exemplo, alguns locais de Ipuaçu. Depois, fazer uma ligação do celular de dentro do círculo. O celular terá que funcionar.
            Quanto às análises cientificas, procure no Google o nome do perito criminal Toni Inajar.
            Depois de fazer isso tudo, aí você vem conversar comigo.

          6. Ei, se esses agroglifos são mesmo comunicações alienígenas, nenhum dos seus amigos ufólogos decifrou o conteúdo? O que eles querem dizer? Adoraria ler interpretações desses desenhos… 🙂

          7. Esse é o problema, Salvador! Quem são os verdadeiros autores dos círculos, se até agora ninguém HUMANO conseguiu repetir as características dos ORIGINAIS? Ainda que fosse verdadeira a sua hipótese de “serem muito mais prováveis de serem feito por humanos do que por alienígenas”, ela não daria a qualquer cidadão o direito de dizer que são farsas, ou que ufólogos não podem se basear na afirmativa que, se não são humanos e são inteligentes, é muito mais provável que sejam de origem alienígena. Muito menos os astrônomos, que não entende lhufas de ufologia! Veja que não estou falando dos “falsos”, os quais são tão toscos que os ufólogos são os primeiros a denunciarem. Até por que são pouquíssimos os cientistas que se dispõem a investigar, a não ser cientistas simpáticos à teoria ET. Os outros só sabem cacarejar de longe, sem a mínima autoridade para falar do assunto.
            Atente-se para outras questões que envolvem os círculos considerados autênticos:
            1 – São feitos em questão horas, ou minutos, sem que absolutamente ninguém perceba. A maioria aparece da noite para o dia.
            2 – Não foram notadas a presença de pessoas ou máquinas, imediatamente antes dos mesmos aparecerem, e muito menos deixando as imediações.
            3 – Em muitos casos, onde já se pressupunha onde surgiriam, foram montadas vigílias, percebendo-se ocorrências ufológicas antes das formações.
            4 – Ninguém até hoje foi declarado “culpado” por ter causado algum prejuízo aos donos das fazendas onde os mesmos ocorreram, até por que as plantas continuam a produzir.
            5 – Nos casos onde perdas foram causada por pisoteio de curiosos, os donos das fazendas proibiram a entrada de qualquer estranho, entretanto, os círculos continuaram a aparecer.
            Existem mais uma infinidade de fatores que, sim, nos autoriza a dizer que essas obras são feitas por alienígenas. Ou você vai querer que isso também seja feito por astronautas da NASA, usando “tecnologias ultra-secretas de microondas, raios-laser ou seja lá o que for, super avançadas, com foco fixo nos caules das plantas”, como chegou a sugerir um desses malucos que vivem a criticar os resultados dos ufólogos? Francamente, né bicho!?!
            Abraços
            F.A.R.

          8. 1- São feitos em áreas ermas, e duvido que alguém realmente fique vigiando o local de perto para saber o que se passa lá. Se fosse possível vigiar desse jeito, não haveria roubo de gado, por exemplo.
            2- Não foram notadas não significa que não estiveram lá.
            3- E ainda assim nunca ninguém registrou claramente a produção de um agroglifo, mesmo supostamente sabendo o local e a hora da ocorrência. Não te soa estranho?
            4- Como se fosse fácil descobrir quem faz isso, ainda que seja humano.
            5- Como se proibir a entrada em fazendas fosse efetivo.
            Mas tudo bem, nada disso importa para você. Você prefere a hipótese de origem extraterrestre. OK. Como eu disse, adoraria ler interpretações dos agroglifos feitas por ufólogos… tem alguma? 😛
            Abraço!

          9. O “ufólogo” Fernando prega desesperadamente aqui que nós deveríamos visitar os crop circles.

            Ele deveria começar pregando isto a um colega seu, ufólogo brasileiro, que escreveu um livro inteiro sobre crop circles – que inclusive é vendido pela revista UFO -, mas que nunca pisou em um único crop circle sequer. Vender livro sobre o tema e colocar dinheiro no bolso sem nunca ter pisado em um, pode né? Pode muito!

      2. O que aconteceu? Pelo que vejo as notícias recentes falam sobre besteiras de desenhos em plantações, enquanto a Ufologia continuar acreditando nessas besteiras facilmente refutadas serão considerados pseudociência pela comunidade científica.

          1. Levo a sério Astrobiólogos que usam o método científico para provar suas colocações, algo que quer ser levado a sério e aceitar evidência anedótica já mostra que o método utilizado é extremamente fraco.

          2. Leia o livro de Carl Sagan,
            O mundo assombrado por demônios.
            Depois me venha com essas de ET de prudentopolis.
            Só para início da conversa o dono da plantação é um radialista,

          3. Poxa, imagine se, para acreditar num resultado científico, todos os outros cientistas do mundo tivessem de ir ao laboratório do sujeito… 😛

          4. Salvador, excelente resposta. E mais: Fernando deveria avisar aqui que o tal “perito da polícia” é um ufólogo, que acredita piamente em discos voadores, que aparece nos quadros da própria revista UFO, e que, pasmem, defende por aí que o homem não foi à Lua.

            Belo, belo! O que poderíamos esperar desse incrível trabalho científico?

      3. Considerando que os ufólogos dizem sobre as visitas de extra-terrestres é verdade, qual a explicação para eles se manterem ocultos, sem jamais dar uma única chance de comprovar que vieram/vem realmente aqui? Porque não existe absolutamente nenhuma prova física de que vieram aqui?

        Obs.:
        – Desconsidero totalmente os argumentos de ufólogos que acham q imaginação é uma prova.
        – Acredito realmente que o Universo é grande demais e produtivo demais para que estejamos só.
        – Gostaria q fosse verdade a visita de ETs, mas o silencio se torna insuperável qq tentativa de acreditar nisso.

        1. Pallando, eu já expliquei muita coisa sobre isso aqui, entre os aficionados por astronomia. Inclusive, outro colega já fez uma comparação de gorilas olhando helicópteros. Eu diria que essa comparação pode ainda ser bem modesta, se considerarmos que a diferença tecnológica de quem está há alguns milhões de anos a nossa frente – isto é bem provável -, pode nos comparar a formigas, teoria que já expus aqui.
          Para não me tornar repetitivo, assista a esta entrevista com o Geva postada acima, para começar a lançar luz às suas indagações. Aposto que você vai mudar de ideia quanto ao trabalho dos ufólogos e as provas que já existem.
          Abraços
          F.A.R.
          https://www.youtube.com/watch?v=08hBV09dBY8&feature=youtu.be

    1. A transmissão, umas 10 horas. Mas os bytes vêm pingando. Então o download é lento…

  12. Com essas novas descobertas em Plutão, conseguimos decifrar a porcentagem e os diferentes gases existentes na atmosfera do planeta?

    1. Basicamente os cientista usam spectrometria para decifrar a “assinatura” da luz de um elemento. Com os dados da New Horizons eles podem analisar a luz transmitida e verificar os elementos que compoe a atmosfera.

  13. A Sonda N.H. já está a bilhões de Km de Plutão?? Em menos de 90 dias?? Olha, acho que não está nem a 100 MILHÕES de Km. Ou já dispomos de tecnologia não divulgada?

      1. Carl Sagan usava tanto a expressão “billions and billions” que acabou virando nome de livro. Ô Salvador, ato falho? Me lembrei da piada: “O mundo vai acabar daqui a um bilhão de anos! —Quanto??? Um bilhão! — Ah, que susto, entendi um milhão!”

          1. Que nada, o cara voltou atrás e disse que errou nos cálculos. Mas disse também que vai acabar em breve. TBD

          2. Ah, então está explicado, Eu(TM), ele errou nos cálculos… kkkk

            Mas, eu tenho certeza absoluta, um dia o mundo vai acabar mesmo, eu calculo que será em menos de 2 bilhões de anos… 😉

  14. Há possibilidade de ter algum tipo de vida extra terrestre em Plutão diante dessas descobertas? Os cientistas acreditam nessa possibilidade?

    1. A -240 graus Celsius no verão? Acho difícil, a não ser que descubram alguma fonte térmica no interior do planeta (anão).

        1. Bom, vida depende de reações químicas e elas são extremamente lentas – talvez nem ocorram – nessas baixas temperaturas.

          De repente, alguma bactéria consiga se reproduzir com um metabolismo extremamente lento, mas acho difícil…

        2. Elias, conhecemos extremófilos que necessitam de uma quantidade tão ínfima de energia que eles poderiam até sobreviver em Plutão (mesmo que não saibamos se seria possível na temperatura de lá).
          O maior problema seria a origem desses microorganismos. Dificilmente houve no passado algum ambiente propício para seu surgimento em Plutão, e devido ao seu distanciamento da Terra, também é difícil que tenha ocorrido uma “contaminação” via rochas lançadas ao espaço da única fonte de vida conhecida no sistema solar!

  15. Correção: pelo tempo decorrido seria impossível estar a bilhões de km de Plutão. Milhões talvez

  16. Não concordo com isso de ex-planeta. Se o astro orbita uma estrela, deveria ser considerado planeta. Se orbita outro planeta, aí sim, um satélite. E se anda vagando por aí, sem um “master” então é um asteróide, muito mais simples, pra quê complicar? Questão de nomear as coisas não vai mudar a natureza delas. Perca de tempo ficar dando títulos e depois mudando.

    1. Mas os milhões e milhões de asteróides que também orbitam o sol devem então ser classificados como planetas???

    2. Então pode começar a dar nome a todos os pedacinhos de pedra que orbitam o sol,
      afinal segundo sua definição todos eles são planetas, até mesmo os astros que hoje chamamos de asteróides, já que você resolveu mudar a definição de asteróides…

      ps.: Estou ansioso pela passagem do planeta Harley, daqui algumas décadas…

  17. Boa tarde Salvador,

    Realmente fascinante.

    Ouvi dizer que a NASA faria um pronunciamento importante hoje sobre Plutão, mas estavam fazendo mistério. Sabe de algo a respeito?

  18. Salvador,você citou Titã em um de seus comentários,então,existe,atualmente,alguma possibilidade de mandarem alguma sonda espacial para que fique em órbita dessa lua de Saturno e nos mande mais informações sobre o que ocorre naquele astro?Ou já se têm informações demais sobre Titã?

  19. Boa tarde Salvador !

    As informações são maravilhosas e a cor da tênue atmosfera de Plutão é algo de surpreendente . Como diria o saudoso comandante Spock de jornada nas estrelas : “Fascinante “.
    Mas, sempre tem o mas , A New Horizon ,não está a bilhões de quilômetros de Plutão. Juro Salvador que gostaria que estivesse,pois o voo interestelar estaria ás portas. No máximo a milhões de quilômetros. Não me leve a mal . Mas necessário é corrigir o exagero . Grande Abraço

    1. Amigo, Milhões de Km é a Terra, 147 Mi Km no Perélio (menor distancia do Sol)

      Plutão está sim a Bilhões de Km, no seu perélio chega a 4.4 Bilhões de Km. No afélio (maior distancia do Sol) chega a mais de 7 bilhões de km.

      O universo é exagerado, não o autor do blog 🙂

    2. Estima-se que a NH tenha sobrevoado Plutão a 45.000 km/h no dia 14/07 (há 87 dias). Logo:

      45.000 x 24 x 87 = 93.960.000 km de distância (aproximada)

    3. Curiosidade é terrivel e acaba sendo uma ferramenta para o aprendizado. Lendo a matéria e o comentário do Paulo Jarava já fui logo atras de uma informação mais acurada e descobri que segundo o site da Johns Hopkins University, Applied Physics Laboratory (APL), que acompanha em parceria com a NASA todo o trajeto da New Horizon descobri os números aproximados da velocidade e distancia da nave em relação a Pluto: Até hoje dia 8/10 a nave está a 0.69 AU (Astronomical Units) que equivale a 103 milhões e 223 mil kilometros de distancia. Em milhas seriam 64.139,500. A informação do Salvador pode ser em relação à terra que atualmente é mais de 5 bilhões de kilometros.

  20. A bruma de Plutão é azul! Incrível. Ninguém poderia ter previsto isso! O quão incrível é Plutão, né? Esse artigo bem que poderia se chamar “50 tons de azul!” hahaha 😛

  21. Boa tarde Salvador!
    A coloração avermelhada do gelo exposto na superfície de plutão teria alguma relação com as linhas marrom-avermelhadas de Europa?

    1. Creio que não. As linhas de Europa parecem ser sais em reação com o Sol. Em Plutão, parecem ser compostos orgânicos (chamados genericamente de tholins), algo comum em Titã.

Comments are closed.