Em busca dos porcões do espaço

Um trio de astrônomos nos Estados Unidos acaba de lançar no ar uma sugestão inusitada: eles querem procurar poluição industrial na atmosfera de outros planetas.

Concepção artística de um "planeta porcão", alaranjado de tanta poluição, em torno de uma anã branca.
Concepção artística de um “planeta porcão”, alaranjado de tanta poluição, em órbita de uma anã branca.

Convenhamos, é uma baita sacada na busca por inteligência extraterrestre. Em vez de somente procurar civilizações que estejam disparando sinais de rádio em nossa direção, como fazem há cinco décadas os entusiastas da SETI, por que não buscamos no ar desses mundos sinais de atividade inteligente? Tomando por base os seres humanos (e se somos inteligentes ou não fica por sua conta), é bem provável que outras civilizações, em algum momento de sua história, poluam a atmosfera de seus planetas, assim como nós fazemos aqui no nosso pálido ponto azul.

Henry Lin, Abraham Loeb e Gonzalo Gonzalez Abad, do Centro Harvard-Smithsonian para Astrofísica, fizeram algumas contas e chegaram à conclusão de que o Telescópio Espacial James Webb — sucessor do Hubble a ser lançado pela Nasa em 2018 — poderia detectar dois tipos de clorofluorocarbonos (conhecidos pela sigla CFC) na atmosfera.

Talvez você se recorde desses compostos. Eles já foram emitidos em grande quantidade pela humanidade (com usos que iam de sprays de desodorante a gases de refrigeração de geladeiras), até descobrirmos que eles destruíam a camada de ozônio da alta atmosfera e interrompermos seu uso desenfreado.

(O sucesso é atribuído ao Protocolo de Montreal, que passou a vigorar em 1989, e conseguiu mobilizar o planeta em torno de uma mudança significativa em sua cultura industrial. Ele é tido como um sinal de que talvez estejamos mesmo nos tornando uma espécie inteligente, afinal. Claro, eu teria mais confiança nessa conclusão caso tivéssemos tido postura similar frente à mudança climática. Até agora, nada.)

E o mais interessante é que os dois tipos detectáveis de CFC têm diferentes tempos de residência na atmosfera. Enquanto um se dissipa em 10 anos caso não seja reabastecido, outro permanece no ar por 50 mil anos. Ou seja, em caso de uma detecção, poderíamos até especular sobre a história particular da civilização em questão. Ela pode ter se extinguido, deixando apenas os compostos de longa duração no ar, ou mesmo interrompido as emissões (como nós fizemos).

A PEGADINHA
Um detalhe que talvez lhe interesse: essa detecção não poderá ser feita em planetas que estejam em torno de estrelas similares ao Sol, em plena atividade. As condições adequadas para a detecção exigem que a estrela do sistema planetário em questão já tenha morrido e, com isso, se transformado numa anã branca.

É o destino do Sol daqui a 5 ou 6 bilhões de anos. Ao esgotar seu combustível para fusão nuclear, ele soprará suas camadas exteriores e restará apenas seu núcleo inativo e ultracompactado pela ação da gravidade, ainda quente por toda a história pregressa, mas se resfriando paulatinamente ao longo de outros vários bilhões de anos. Será basicamente uma bolota muito densa, do tamanho da Terra.

Confesso que, quando li esse pedaço no artigo científico do trio, aceito para publicação no “Astrophysical Journal”, minha primeira reação foi de desânimo. Afinal, estamos tão acostumados com a ideia de que devemos procurar vida em planetas como a Terra, em torno de estrelas como o Sol, que achei um disparate pensar que uma anã branca pudesse ser o melhor lugar para achar os tais “porcões do espaço”.

Contatei Avi Loeb, e ele me convenceu do contrário. “Cerca de um terço de todas as anãs brancas mostram evidências de elementos pesados em sua superfície pela acreção recente de detritos planetários. Algumas são cercadas por discos de poeira, potencialmente pela perturbação de planetas rochosos ou asteroides pela força gravitacional intensa em suas imediações. Essa perturbação aconteceria a distâncias que seriam metade de onde estaria a zona habitável do sistema”, ele me disse. “E temos de ter em mente que planetas foram descobertos em torno de estrelas de nêutrons, que são resultado da explosão violenta de estrelas massivas. Se esses ambientes violentos dão origem a planetas, anãs brancas também poderiam fazê-lo.”

Em suma, ao menos no caso das estrelas, talvez exista vida após a morte. Por isso, o grupo de Loeb já iniciou, em parceria com Dani Maoz, da Universidade de Tel Aviv, uma busca por potenciais alvos — anãs brancas com planetas — que estejam devidamente catalogados quando o Telescópio Espacial James Webb entrar em operação.

Um pensamento particularmente arrepiante é o de que talvez exista uma nova janela de habitabilidade para o Sistema Solar depois que o Sol morrer e se tornar uma anã branca. Será que somos apenas a primeira geração da história da vida por essas redondezas? Avi Loeb certamente acredita nessa possibilidade. “Podemos encontrar vida em lugares inesperados.”

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Comentários

  1. “Apolinário Messias” – noto que este nome faz o blog tremer; e alguns bocudos (EU) passarem longe.

      1. Argumentar com idiotas é o que você mais investe tempo. É só observar o teu histórico no blog, ou, a falta de capacidade para bater de frente com alguns seja latente em você.

      1. Isso me lembrou de South Park onde a MIR caiu em cima da cabeça do Kenny logo no começo do episódio…

        uhauhahuahua

        1. Até tu, EU? brigo tanto com meu filho que vive assistindo South Park (que eu detesto!) e olha vc ai…
          Esse mundo esta perdido….rsrsrsrs

  2. Olá Salvador

    Li agora há pouco, no jornal Le Monde, que o planeta terra escapou por muito pouco de uma terrível tempestade solar em 2012. Seria uma catástrofe que faria com que a gente passasse a viver como se estivesse no século XIX.
    um abraço

    1. Acabo de ler também. Tivemos sorte! De toda forma, seria por alguns dias. Mas já instauraria o caos.

      1. ‘maginou? voltar a usar máquina de escrever, papel carbono, cartas comerciais via correio! ia ser o caos!
        O Salvador ia ter que responder por carta aos seus leitores! de repente acabaria aparecendo um monte de emprego novo na praça, hahahaha

        1. Mas a maioria dos danos seria momentânea. Os serviços dependentes de satélites, energia, computadores etc (ou seja….tudo) sairiam de funcionamento mas voltariam gradualmente depois. Danos irreparáveis seriam poucos.

          Seria uma experiência interessante para nós na Terra…..

  3. Seria redundante ter que explicar aos mais incultos o papel DECISIVO do Cristianismo na formação da civilização ocidental. A Igreja Católica sempre foi uma fonte inesgotável e importante de serviços sociais.

    Bastaria dizer que várias Universidades do mundo foram fundadas pela Igreja e portanto, para espanto de alguns neste blog, teve um papel decisivo no desenvolvimento da…Ciência.

    Poderia dizer ainda que o Cristianismo ajudou a extinguir as práticas de sacrifício humano, a escravidão e o infanticídio. Isso sem falar na sua influência sobre a Filosofia e Política.

    Portanto, curvem-se diante dos ensinamentos que proporcionaram a todos vocês o direito de estar aqui neste blog falando abobrinhas sem fim…

    “Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento”

    (Provérbios 3:13)

    1. A Igreja foi a autoridade que sobrou após a dissolução do Império Romano. Natural que ela fosse a instituição a promover a cultura. Mas ninguém precisou dela para fundar a Biblioteca de Alexandria. É ingenuidade da sua parte achar que, sem o advento da religião cristã, não haveria ciência. Basta para isso ver a ligação “direta” que os renascentistas precisaram fazer com a cultura da Grécia Antiga, para resgatar os valores perdidos do pensamento livre e investigativo no campo das ciências naturais durante o período de hegemonia da Igreja. Mas você pode ignorar tudo isso e só fazer aquela citação manjada do “a ciência se multiplicará”, como se isso explicasse tudo… Hehehe

      1. Vou colocar aqui, no seu blog, algumas informações que você e alguns de seus leitores, abduzidos pelas idéias dos ateus moderninhos, não sabem.

        Por exemplo, você sabia que os Professores Católicos Escolásticos criaram a ciência econômica que posteriormente seria popularizada por Adam Smith? Sabia que o uso da racionalidade para resolver disputas e solucionar debates também provém dos ensinamentos oriundos das Universidades fundadas pela Igreja Católica? Sabia que a Astronomia foi financiada pela Igreja Católica durante a baixa Idade Média até o Iluminismo?

        Mas a cereja do bolo vem agora: sabia que existem aspectos do pensamento católico que foram indispensáveis ao desenvolvimento da Ciência? Sim! Podem pasmar! Deixem de ler os ateus bestalhões e leiam, por exemplo, Edward Grant, Thomas Goldstein, A. Crombie e tantos outros que estão relatando a verdade depois de séculos de mentiras.

        Uma dessas mentiras mais escandalosas é a da “terra plana” atribuída, maliciosamente, aos católicos quando, na verdade, foi uma criação de um pequeno grupo de intelectuais do século XIX que queriam fazer a Igreja parecer ridícula assim como fazem hoje Dawkins e Dennett.

        Portanto amiguinhos, deixem de asneiras. Procurem a verdade dos fatos! Em breve voltarei com mais Verdades Bíblicas!

        “Peço-lhe que seja um pouco mais paciente comigo, e mostrarei a você que se pode dizer mais verdades em defesa de Deus.”

        (Jó 36:2)

        1. Apolinário, o problema aí é a diferença entre correlação e causação. A classe dominante sempre será aquela a empurrar o conhecimento numa determinada época, justamente porque é quem tem mais acesso a ele. Se a Igreja não fosse poderosa, não teria tido efeito nenhum. E suas contribuições não se deram por ser a Igreja, mas simplesmente por ser a classe dominante. Os chineses desenvolveram tecnologias incríveis muito antes dos europeus, e sem a ajuda da Igreja. Mas decerto com a ajuda da organização dominante lá. É falacioso você apontar o papel que a Igreja teve como algo meritório. Se não fosse ela, teria sido outra instituição. Conhecimento é poder, seja quem for seu detentor. Por outro lado, veja a resistência da Igreja contra a tradução da Bíblia para a língua local como forma de manter-se dominante sobre os ignorantes oprimidos, que durante séculos adoraram um livro que eram incapazes de ler. Tudo em nome do status quo.

          1. Uma “classe dominante” pode ser benéfica ou maléfica! Aí está a diferença! A doutrina do Comunismo foi dominante na antiga URSS e o que ela produziu? Milhões de mortos e autodestruição! Se o Catolicismo fosse tão irrelevante ou pérfido como muitos afirmam, não teria sobrevivido mais de 2000 anos! Ele promoveu mais bem-estar, mais conhecimento, mais cultura e mais solidariedade do que QUALQUER outra Instituição já criada.

            Como alguém pode afirmar que um período de mais de 1000 anos, que vai da baixa Idade Média ao Iluminismo, possa ter sido desprezível? A sua insistência em negar a Igreja Católica se assemelha a das pessoas que escreveram a Constituição da União Européia: mesmo cercados por catedrais e obras religiosas seculares por todos os lados, eles trataram de excluir toda menção à influência cristã na civilização ocidental! Isso é o máximo da caturrice!

            Por fim, sua informação sobre as traduções é simplesmente absurda! A tradução deveria ser feita do Latim, uma língua que poucos dominavam na época. Portanto, havia uma preocupação, muito justificada, contra traduções aproximadas que pudessem produzir alterações de sentido! O Concílio de Trento não proibiu a leitura das Escrituras. Os padres tinham permissão de ler a Bíblia Latina. Alguns inquisidores, como Torquemada, extrapolaram essa determinação a fim de perpetuar suas idéias anti-semitas.

            É isso! Em breve voltarei, com mais Verdades Bíblicas!

            “Delas também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito, interpretando verdades espirituais para os que são espirituais.”

            (Coríntios 2:13)

          2. Apolinário, vamos colocar os pingos nos is. Não sou eu que saio por aí perseguindo e criticando a Igreja Católica. É você que vem a um blog de ciência criticar a ciência e apresentar suas irrelevantes (para o tema) citações bíblicas. Acho que discutir a influência da Igreja Católica sobre a civilização ocidental é um tema complexo, que demanda muito estudo. Não me apresento como especialista, nem gostaria de me aprofundar. No particular da ciência (minha seara), acho que ela foi mais maléfica que benéfica, e uso como prova o fato de que vários textos e conhecimento da Antiguidade tiveram de ser resgatados do mundo árabe, pois já haviam desaparecido do Ocidente. Além do quê, temos os casos clássicos de perseguição ao livre pensar, representados por Giordano Bruno (executado) e Galileu Galilei (prisão perpétua domiciliar), que não podem de modo algum ser vistos como exemplos de cultivo ao saber. Claro, você pode contra-argumentar a citar a criação de N universidades (convenientemente sem mencionar que o curso de teologia era o mais importante dessas instituições) como exemplos de promoção da ciência pela Igreja.
            Tendo dito isso, não guardo ressentimentos. A Igreja fez o que tinha de fazer quando achou que tinha de fazer. Tantos outros povos e governos cometeram atrocidades no passado que acho desonesto perseguir só a Igreja por isso. Quantos não praticaram a escravidão, o genocídio e a violência, em nome dos mais variados valores? Ainda hoje temos episódios de barbarismo espalhados pelo mundo, inclusive no Brasil. E hoje sinto a Igreja numa vertente mais positiva que negativa (apesar daquela idiota recomendação contra a camisinha, admiro os esforços do papa Francisco para erradicar a corrupção no Vaticano e assumir as mazelas da Igreja, assim como espalhar uma mensagem de tolerância e amor a todos os povos). No que tange à ciência, a Igreja já deixou de ser inimiga há muito tempo. Como exemplo, temos aí a conferência sobre vida extraterrestre recentemente promovida pelo Vaticano. O livre pensar finalmente chegou por aquelas bandas.
            Em resumo, não quero travar uma guerra religiosa aqui. Este é um blog sobre ciência. Se você quiser discutir ciência, estamos aí. Se só quiser fazer propaganda religiosa, não responderei mais seus comentários — embora, claro, vá continuar aprovando-os por aqui, em respeito à liberdade de expressão, que muito valorizo.
            Abraço fraterno.

    2. Nossa! Não precisa delirar! Onde foi que eu escrevi que sem a religião Cristã não haveria Ciência? Além disso, saiba que se na Grécia Antiga ou em Roma você fizesse algum tipo voluntarismo social você seria taxado de demente.

      O “período de hegemonia” da Igreja, leia-se Idade Média, foi o período em que a Humanidade mais avançou social e políticamente. Os Iluministas fizeram um bom trabalho de propaganda ao desqualificar esse período que promoveu, entre outras coisas, a Ciência Econômica e o Direito comum.

      Livre-se dessa influência nesfasta e mentirosa de gente como Richard Dawkins ou Daniel Dennett, bestalhões consumados que vivem de escrever tolices.

      1. Certo. Idade Média, avanços sociais. Dissolução das cidades, relações de suserania e vassalagem, opressão ao livre pensamento. Uau. Avanços incríveis. Adoraria ver você se casando e tendo de entregar sua mulher ao seu suserano na noite de núpcias e ao mesmo tempo comentando os avanços sociais… 😛

  4. A civilização humana no atual nível produz muito lixo, devido à industrialização que há pouco tempo se iniciou, mas uma civilização que esteja no mesmo nível que estávamos há 200 anos seria difícil detectar, pois a quantidade de lixo é mínima. O que observamos hoje é que conforme avançamos nas tecnologias, o aproveitamento é maior e consequente menos lixo. Imagine uma civilização em estágio bem superior à nossa e consequente produção quase nula de lixo, pois aproveitariam tudo e com maior qualidade, seria praticamente uma perda de tempo. Só vejo possibilidades para civilizações equivalentes à nossa. Mas, tudo é valido. O importante é diversificar os métodos de busca.

  5. Salvador, achei muito inteligente essa idéia! Lembrou a abordagem do genial James Lovelock e sua maravilhosa Hipótese Gaia. No começo dos anos 60 ele concebeu a idéia de estudar as atmosferas dos planetas do nosso sistema e concluiu que os planetas sem vida tem atmosfera homogênea e a Terra, até então o único descoberto com vida, apresenta atmosfera heterogênea. Em setembro de 65 ele apresentou a teoria que prova que a Terra é um organismo vivo. O mais absurdo é que demorou décadas pra essa teoria ser aceita. Até hoje tem gente que discorda. O poder da indústria é bizarro… Ele por sinal foi o primeiro a medir o CFC na nossa atmosfera. O cara tá vivão com 94 anos!! Gênio!
    Pensar que podemos monitorar a atmosfera de planetas distantes é muito promissor…

  6. Salvador tenho uma dúvida. Nosso planeta mesmo está passando por problemas com a poluição, porém ela (acredito eu) não é perceptível do espaço por observação. Isso pelo menos é o que vemos em fotos de nosso planeta. Então, baseando-se nisso, como os cientistas esperam detectar a poluição?

    Outra questão é, supondo que um planeta com vida inteligente possua atmosfera rica em metano (suposição), como eles esperam distinguir quais gases são poluentes neste planeta?

  7. Salvador, o sol se alimenta dos planetas ao seu redor e por último se consome, mas aí vem a fase anã e há planetas ainda!?. Sempre achei a Natureza um paradoxo: tão frágil/tão forte; sempre existindo. Que maravilha! Se nunca tivéssemos visto o mar, jamais acharíamos que tivesse tantas formas de vida em sua profundeza…há até mamíferos.. com certeza há mais vidas por aí. E citando versículos bíblicos, existem alguns que se referem aos “exércitos do céu”… o que será que estes nossos ancestrais testemunharam… mistério!

    1. É uma surpresa recente, mas os pesquisadores têm observado acreção de material rochoso em torno de anãs brancas. Ou seja, a nebulosa formada pela dissolução da anã vermelha parece poder, em alguns casos ao menos, levar ao surgimento de novos planetas.

  8. Salvador, sou leiga em astronomia, mas entusiasta na ciência. É uma pergunta ridícula, mas que tem me cutucado há alguns dias. É possível viajar abaixo no espaço? “Caindo”? As sondas voyagers e os demais objetos se afastam do sistema solar na horizontal, na medida em que visitaram os outros planetas, certo? Seria possível que um objeto de exploração espacial, ao invés de viajar na horizontal, viajasse… para baixo?

    1. Sim, claro! O espaço é em 3D. Inclusive, a Voyager 1, após passar por Saturno, foi disparada numa direção diferente da do plano das órbitas dos planetas!

  9. Todo debate sobre a vida na Terra ou hipoteticamente fora dela atrai tanta atenção de religiosos! Eles tem tanto medo de estarem errados nas suas convicções bíblicas!

    A vida existe aqui pela combinação dos mesmos elementos químicos espalhados pelo resto do universo. É uma mera questão de probabilidade completamente indiferente de qualquer dogma em que se queira agarrar.

    Preparem-se para reinterpretar seus livros, pois na impossibilidade de rejeitá-los ou atualizá-los, como faz a ciência, em respeito às evidências da realidade, só lhes resta um infinito esforço de reinterpretação.

    1. QUERO VER QUANDO ACHAREM ETS QUE ADORAM COMER GALINHAS E ACHAREM NOSSA CARNE HUMANA MAIS GOSTOSA QUE A GALINHA DELES….

    2. O problema, Rafael, está justamente nessas tais convicções bíblicas. Não há nenhum relato nela que impeça a existência de vida em outro lugar, pelo contrário: “a casa do meu pai (os céus, o todo) tem muitas moradas”. Os espíritas creem na bíblia e em vida em outros planetas. Fora o fanatismo, não precisamos de uma afronta religiosa para falar em ciências. Infelizmente esse fanatismo e a ignorância (de todas as partes) sobre o que realmente é essa tal bíblia é o que impera.

  10. Salvador, tenho uma dúvida: já li que quando o Sol se tornar uma gigante vermelha ele atingirá um diâmetro além da órbita de Marte.

    Nessa situação os Gigantes Gasosos estarão então dentro da zona habitável? Ou seja, será que Saturno ou Urano serão a nova Terra?

    1. Nunca vi se chegarão a estar na zona habitável, mas ela de fato se expandirá. De toda forma, a fase de gigante vermelha dura pouco tempo, se comparado ao tempo de vida do Sol. As zonas habitáveis mais “permanentes” são a atual e a da anã branca.

  11. Acho controverso, pois tal ideia sugere que eventuais planetas, que pudessem ter vida inteligente, disporia das mesmas fontes de energia poluidoras que as nossas. Será possível? muito difícil. E aqueles planetas que eventualmente tiverem vida primitiva, passarão despercebidos.

    1. Acho que as fontes de poluição seriam meio universais. O difícil mesmo é ter os potenciais poluidores… 😛

  12. Idéia tola demais…como o próprio SETI, que JAMAIS vai localizar coisa alguma. Não é por aí MESMO. Por que não? É óbvio. Nossa “civilização” (hahaha) é apenas uma tentativa muito recente de dominar a tecnologia, e que por ser jovem, optou por diversas tecnologias primitivas algumas das quais erradas. (Poluentes e que devastam nosso próprio meio ambiente). Ora, já podemos prever que agora que começamos a ter consciência desses erros, breve optaremos por outras tecnologias, melhoradas e não poluentes. Dentro de 1 a 2 séculos, já não usaremos petróleo, fissão, nem produtos agressivos ao meio ambiente (até porque se continuarmos a fazê-lo já não existirá a própria raça humana). Então a “poluição” é apenas uma fase transitória, própria de civilizações primitivas como a nossa. O mesmo vale para radioemissões, daqui a poucos séculos serão tão modernas quanto sinais de fumaça são para nós. Ou seja, o SETI está procurando por algo RARÍSSIMO: Uma “civilização” que esteja NO MESMO NÍVEL de avanço que a nossa. Aí já é querer demais da sorte. Qualquer civilização que esteja 2 séculos à nossa frente – ou atrás de nós – NÃO usará nem sinais de rádio, nem produtos poluentes como os nossos. As chances de encontrar vida inteligente já são ínfimas, mas querer encontrar alguém no EXATO ponto de desenvolvimento em que estamos é piada.

    1. Um dos tipos detectáveis de CFC nos da uma janela de 50 mil anos, como facilmente é notado no texto. Acho que a idéia é valida, se junta às outras técnicas já existentes e aumenta as nossas chances de encontrar alguma forma de vida.

    2. Pelo que entendi do texto, um dos CFC’s fica na atmosfera por 50 mil anos. Isso estende o período que o Stephen citou de 2 séculos para 50 mil anos. Continua difícil, pois concordo com a maior parte do comentário, mas 50 mil anos tem chances maiores que 200.

    3. São apenas suposições suas. Concordo que procurar algo tão específico como CFC realmente parece uma ideia tola. Procurar por um conjunto de elementos poluidores, semelhantes ao da Terra, pressupõe civilizações e meio ambiente muito próximos do nosso. Mas procurar por desequilíbrios nas atmosferas dos planetas que não se justificam por fenômenos naturais, pode ser uma ideia razoável. Temos que ler esta iniciativa de uma forma mais ampla. Agora que teremos equipamentos mais eficientes para a busca, diversos métodos indiretos estão sendo propostos.

      Quanto ao uso ou não do rádio pelas civilizações ai não temos como saber. Você não pode afirmar que os meios de comunicação vão sofrer alterações tão radicais ao longo dos séculos.

    4. Análise bem crítica, mas você falha ao não apontar nenhuma solução. Ok, as chances não estão do nosso lado, mas mesmo assim é melhor procurar alguma coisa do que não procurar nada, certo?

  13. Mais hestorinhas, que otimo, adoro essas hestorinhas sobre universo, planetas e sistema solar… oque eu gosto mais de saberem da idade de tudo isso…adoro mesmo!!!!

  14. Salvador !
    Gosto e admiro o assunto, Porem, não conheço muito muito. Vejo que em suas palavras vc pare conhecer conhecer bem.

    O que sinto’e uma pena que, a mais 2000 anos de sociedade civilizada, ainda tem gente que acha que ciência e religião não podem caminhar juntas…

    1. Concordo. Tem gente que acha que uma tem que vencer a outra. O que é uma covardia de parte a parte. Porque a religião não tem como se sobrepôr à ciência onde a ciência é aplicável. E a ciência não tem como se sobrepôr à religião onde a ciência não é aplicável.

    2. Raul tenho acompanhado noticias nesse espaço do Salvador e o que posso te dizer é o seguinte, existem religiosos que sabem perceber quando uma noticia científica é valida e aprendem com ela e existem os que não, da mesma forma existem pessoas das quais fazem da ciência sua fé (não encontrei uma palavra mais adequada, não considerem como ofensa, caso haja uma definição melhor é só comentar) e ainda assim sabem admitir a realidade de que a igreja (no meu caso cristianismo) ultrapassa o nosso plano físico para o espiritual, quando aplicada da forma correta e qua a mesma tem seus mistérios, bem como aqueles que só procuram uma forma de difama-la. Então faça como eu absorva a parte boa e a ruim descarte.

      Quanto ao texto, acho interessante sim a tentativa.

  15. Ao Apolonario:
    Eu não sei se é o céu ou inferno, qual dos dois você vai ter que encarar, mas para não lhe deixar no horror, o meu cajado vai lhe purificar, pois eu transformo chão em céu , pau em terra e cuspe em mel , pastor João e a igreja invisível….Aos pobres e aos desesperados e todas as almas sem lar chegou a luz no fim do seu túnel vendo barato minha nova água benta 3 prestações qualquer um pode paga….;

    Raul Seixas faixa 2:0

  16. O espaço desperta sempre muita curiosidade, até porque, é ainda um lugar desconhecido e, se é que podemos dizer, ainda um sonho para nós seres humanos, uma vez que até o momento não conseguimos fazer uma nave que possa ser tripulada por homens em busca de outras descoberta espaço afora, como no filme “JORNADAS NAS ESTRELAS”.
    Quanto a questão de haver ou não vida fora do nosso sistema solar, isso eu vou preferir deixar por conta da imaginação de cada um, pois tenho um convicção de que se houvesse vida fora da terra, isso já teria sido revelado, como nos foi revelado o nascimento do Cristo a milhares de anos antes de seu nascimento e tudo quanto haviam dito sobre ele, assim aconteceu.
    Tenho um interesse enorme sobre o assunto: espaço, a fronteira final. Sabemos que tudo que se refere a construção de naves espaciais são muitos caros, requerem muitos dólares. Creio que somente quanto toda a humanidade se unir em prol de um só objetivo, essa conquista será possível, ou seja, o homem poderá em fim, viajar pelo espaço sideral. Enquanto gastamos horrores com guerras que não trazem nada para o homem, poderíamos estar investindo nessas buscas, que ao menos, poderíamos descobrir muitas coisas interessantes para nossa vida aqui na terra. De qualquer forma, creio que toda pesquisa sobre o espaço é válida e deve ser estimulada sempre e sempre.

    1. Quem te garante que Jesus existiu? É muito mais plausível com as evidências que temos acreditar que existe vida fora da Terra, do que acreditar que existiu um homem nascido de uma virgem, que fez água virar vinho, andou sobre aágua etc. E o pior, que dado ser o pai dos seres aqui existentes e com tantos poderes atríbuidos não tenha tido mecanismo de construir uma raça menos letal do que a nossa. Ele deveria ter vergonha do projeto. Parece um Felipão.

  17. Acho válido a procura por vida inteligente no universo e um tema fascinante! Estamos em fase de muitas descobertas e por isso qualquer busca é válida, por isso começamos procurando formas de vida com a qual conhecemos hoje, pois tem que haver um ponto de partida!
    Num futuro distante talvez tenhamos respostas a muitas perguntas sobre o universo e a vida inteligente, então vamos a caça!

  18. Se os gases se dissipam em no máximo 50 mil anos (CFC), então quando virar anã-branca já se passaram bilhões de anos e então não acharão evidência nenhuma, Alguém sabe me explicar esse ponto?

    1. A ideia é achar uma civilização corrente ou recentemente extinta, surgida já no estágio de anã branca.

        1. Como eu tentei aludir no texto, depende da definição. Mas esse é tema pra outro post! 🙂

    2. sim, as pistas foram deixadas por descendentes de uma provável civilização (atual). É tb uma hipótese de haver vida após um “cataclisma” solar já que o planeta encontra-se numa região habitável.

  19. Nada contra os cientistas, mas deveriam usar o tempo livre para tentar livrar o planetinha Terra da poluição que está acabando com tudo, essa arrogância do homem de que ainda tem tempo para fazer alguma coisa (e nunca faz nada) ainda vai nos levar a extinção. Acho que já passou da hora de virarem seus potentes telescópios para dentro e ver o tamanho da m…. que estamos fazendo com o planeta.

    1. John: O ser humano será extinto, mais cedo ou mais tarde. Milhões de outros seres vivos (animais e vegetais) já foram extintos da face da Terra, muito antes do surgimento dos humanos. Nossa extinção é questão de tempo. Afinal, somos recém-chegados… As condições dos ambientes terrestres mudam por circunstâncias geológicas, independente dos seres humanos, e não há nada que possamos fazer a esse respeito.

      1. Cebola,

        Se pudermos contar com uns 10.000 anos pra frente, acho que podemos fugir desta cina. A de sermos extintos. Se ficarmos presos ao Sistema Solar, por inviabilidade técnica das viagens interestelares, substituiremos o Sol por reatores a fusão, teremos dominado a biologia e genética para produção de alimentos e erradicação de doenças, faremos prospecção no Sistema Solar para extração de elementos como oxigênio, carbono etc. O que não extrairmos vamos sintetizar. Nesta possível realidade ficaremos apenas a merce do envelhecimento do Sol, o que nos dá alguns milhões de anos a mais para povoarmos a vizinhança do sistema solar. Se não nos destruirmos no próximo milênio, acho que vamos longe.

    2. John, na maioria das vezes o cientista é refém da indústria. As poderosas não deixam quem é sério trabalhar livremente ou denunciar. Leve isso em consideração e você entenderá porque não aprovam leis de redução de poluentes, pex. Já viu cientista afirmando que o aquecimento não é causado pelo homem? É a indústria falando, não a ciência.

    3. Mas, infelizmente alguns preferem usar o tempo livre se divertindo ou descansando. Forget. Faça esta sugestão aos religiosos quem sabe a coisa muda.

  20. Com o nosso Sol tendo 1/3 da idade do Universo, é muito possível que sejamos até uma terceira geração de vida nessa região do espaço.E ainda vejo possibilidade de mandarmos uma sonda espacial com materiais orgânicos e mesmo bactérias congeladas para outros sistemas, “semeando” a vida… A Vida pode ser “eterna”, enquanto houver condições de se reproduzir e evoluir e sempre buscará meios de conseguir isso.

    1. Ah sim, acreditam que o sol surgiu de uma grande explosão? Se não existe um criador que o sustenta deveria apagar em poucos anos nada queima para sempre, não vem como esse teoria vaga, de daqui a bilhões de anos… O criador o mantém aceso. Simples assim.

      1. Na real o sol não queima. o fenômeno que gera a energia no sol não é a combustão (até pq essa precisa de oxigênio para ocorrer) e sim a fusão nuclear, que transforma dois átomos em um.

        O átomo mais pesado gerado dessa fusão é menos energético que a soma de seus dois átomos “pais”, essa energia excedente é a que chega até nós e mantem nosso planeta girando (se bem que não, nosso planeta gira por inércia, mas enfim, deu pra entender 🙂 )

        Se houve criador ou não, eu particularmente acho que sim, mas é isso, achar… Supondo que há um criador, creio que um ser mega inteligente criaria sistemas autônomos.

        Se eu fosse fabricar um relógio, faria uma que funcionasse o maior tempo possível sem a minha interferência direta. Por exemplo, faria um movido a bateria, não a corda. Porque Deus faria um sol que precisa ser mantido “aceso” por Ele, que não funciona sozinho? Isso parece menos inteligente que nós, meros mortais…

      2. Não consigo acreditar que alguém, em pleno século 21, possa ser tão ignorante em relação aos fenômenos da natureza. Chega a ser decepcionante.

  21. Putz, que doidera.. Mas Salvador, um sistema desse tipo, com anãs brancas, seria altamente instável, não?

    1. Acho que não. Li que um planeta poderia permanecer na zona habitável por 8 bilhões de anos! É mais tempo do que a Terra terá! 🙂

      1. Anãs brancas são mais frias não são? a temperatura desses planetas seria (brrrrrr…) menos quente que a Terra, estou correta??

  22. Bom dia, Salvador, belo comentário, e arrepiante ao mesmo tempo…se pensarmos como vc falou…será? grata.

    1. A temperatura da anã branca seria mais ou menos a da superfície do Sol, 6.000 graus, mas ela seria muito menor, de porte similar à Terra. A zona habitável seria 100 vezes mais próxima do que a distância Terra-Sol.

      1. Salvador, estar em uma zona habitável 100 vezes menor colocaria estes planetas em uma orbita menor que a orbita de Mercurio? A quantidade de luz recebida pela Anã Branca daria condição de haver distinção de dia e noite nestes planetas??

        1. Isso! Mas o planeta provavelmente estaria numa trava gravitacional — mesmo lado sempre apontado para estrela.

      2. Quer dizer que, considerando o modelo de anãs brancas, a zona habitável seria bem próxima? no nosso caso, após o sol tornar uma destas, não teríamos chances devido a distância?

        1. Não, porque ele será engolido pelo Sol quando ele virar gigante vermelha, antes de se tornar anã branca. Novos planetas terão de se formar em torno dele naquela região.

  23. Salvador, uma dúvida: depois da estela se tornar uma anã branca, existe a possibilidade de novos planetas se formarem no sistema a partir das camadas exteriores sopradas pelo astro? Não ficou claro pra mim se essa é uma possibilidade.

    1. Essa é a ideia. Até porque quaisquer planetas que existissem nas regiões de interesse teriam sido destruídos quando a estrela passasse pela fase de gigante vermelha, antes de virar anã branca.

  24. Pode-se dizer então que o desespero tomou conta dos caçadores de ET’s. Desistiram de tentar achar homenzinhos verdes com antenas na cabeça. Agora restou aos pobres coitados procurar os detritos das hipotéticas indústrias espaciais. Se continuar assim, o próximo passo será tentar encontrar “côcô” espacial. Não há dúvida, os pobrezinhos se transformaram nos garis do espaço!

    “Trarei aflição aos homens; andarão como se fossem cegos, porque pecaram contra o Senhor. O sangue deles será derramado como poeira, e suas entranhas como lixo.”

    (Sofonias 1:17)

    1. Apolinário, uma coisa não exclui a outra. Uns procuram poliição, outros oxigênio molecular, outros bactérias marcianas, outros extremófilos europanos, outros sinais de rádio de outras civilizações. A ciência é inclusiva! Todo mundo com uma boa ideia pode participar! Já o mesmo não se pode dizer da religião, que exclui todo aquele que não concorda com algum de seus dogmas. Use como exemplo essa citação sua, que evoca terror e aflição para aqueles que “pecaram contra o Senhor”.

      1. Vou perdoar a sua ignorância com relação às frases da Bíblia. Saiba que não existe Igreja mais inclusiva do que a Católica. Atuamos em programas sociais e instituições no mundo todo: escolas, universidades, hospitais, abrigos e instituições de caridade. Se não fosse o Cristianismo, a Civilização Ocidental simplesmente não existiria.

        Mas eu sou realista, não poderia esperar que uma mente saturada pela idéia absurda de encontrar vida extraterrestre pudesse compreender que as palavras de Sofonias dizem apenas que existe alguém acima de nós a ser respeitado e temido. Isso é uma lição de humildade, exatamente o que falta aos caçadores de duendes espaciais.

        “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.”

        (Romanos 8:6)

        1. E a Igreja Católica é entusiástica acerca das possibilidades de vida extraterrestre! 🙂

          1. Não existe um só comentário científico, sem que tenhamos o mesmo padrão dos religiosos de plantão: “Nunca saberão, pois versiculo tal do livro tal diz: Não saberás nunca, bla, bla, bla”. Então porque insistem em ler (e comentar) os artigos cientificos dos quais não partilham suas proprias crenças?

          2. Pô Salvador, tem que dar um desconto. O Papa é argentino, às vezes ele exagera na brincadeira… 😀

        2. O grande mal da humanidade é o fanatismo: seja ele religioso, racial, esportivo, etc. O fanatismo só cria ódios e guerras, além de ‘congelar’ o progresso mental e científico. Se não fossem os ‘rebeldes’ contra todas as ‘escrituras’, de todas as religiões, ainda estaríamos pensando que a Terra é o centro do universo (e é quadrada)…

        3. APOLINARIO MESIAS,,PODE ME RESPONDER QUANDO FOI QUE O SENHOR (DEUS) FALOU QUE QUERIA TER UM BANCO COMO A IGREJA CATOLICA TEM NO VATICANO??

        4. APOLINARIO MESSIAS OUTRA COISINHA; SE NAO FOSSE A IGREJA CATOLICA A CIVILIZACAO DO ANTIGO EGITO TANBEM NAO TERIA EXISTIDO??

        5. ” Se não fosse o Cristianismo, a Civilização Ocidental simplesmente não existiria.”

          Não falo do Cristianismo, mas sem a Igreja Católica não só o Ocidente, mas o mundo todo, realmente, não seria como é hoje: seria bem melhor, sem que precisássemos ter sido torturados, queimados em fogueiras e mortos, proibidos de pensar e de publicar, como fomos no passado.

          1. Sem Grécia e Roma, a civilização ocidental não existiria. O cristianismo pegou carona no Império Romano, pouco antes de sua desintegração completa.

          2. Puxa, eu pensava que a causa do Cristianismo eram os pais do JC que eram judeus que eram dominados pelos Romanos que dominaram os Gregos que dominaram os Egípcios que dominaram…endless…que foram todos criados por um Deus, etc, etc, etc

      2. Por qual motivo aqueles que se dizem cristãos não seguem ao Cristo? Ele disse “Ama a teu próximo como a ti mesmo”. Com isso vejo subentendido: se vc não deseja ser condenado por tua crença não condene o próximo pela crença dele.

    2. Apolinário, eu acho mais digno de serem “pobres coitados” os que passam a vida acreditando que estarão condenados eternamente caso não tenham fé em uma entidade sobrenatural, que aparentemente é um pouco carente de atenção e cheia de birra, além de desmedidamente cruel.

      Se esse é o tipo de gente que povoa o céu, prefiro viver em campanha pra me mandarem pro inferno. A companhia é mais interessante.

      1. Se formos pensar bem, todo mundo que crê em algum livro sagrado e não deixa margem para outros pensarem diferente teria que “ir para o inferno”, pois se este é uma ditadura do mal encarnado pelo Satanás, qualquer ditadura do pensamento está muito mais próxima do inferno.

        Mas não existe inferno, nem paraíso e muito menos purgatório, pois quando alguém morre, acontece o mesmo para todos os seres vivos de qualquer espécie, a vida se esvai e não há alma, espírito ou coisa parecida após a morte e nenhum ser sobrenatural que nos recebe em vida posterior alguma e julga conforme o que fizemos durante a vida. Estas crenças só existem porque o ser humano pensa que é superior a todas as outras formas de vida, quando na verdade ele não é. Penso que crenças como esta acontecem em todas as civilizações com seres que tem inteligência para entender apenas superficialmente a si mesmos, mas não o suficiente para entender que eles são uma parte minúscula do Universo e que a natureza aleatória deste não se importa com os desejos, pensamentos e existências contidas nele e não há ser algum que se importe com o que fazemos durante a nossa vida, que nos ajude de alguma forma, que nos conforte e que “fale” conosco. Quem acredita nisto tem características esquizofrênicas e se recusa a acreditar na pequenez da sua própria existência e da existência de qualquer vida humana.

        1. Exatamente como acredito ser….. e até que me provem do contrario…. estamos mais certo do que todas as outras crenças.
          A morte de uma bacteria ou formiga é exatamente igual a do ser humano.
          E pasmem…. pensar assim nos faz respeitar mais todas as outras formas de vida, pois toda vida é uma chance unica de estar ali naquele momento.

      2. É isso aí, Arthur, assino embaixo ao que você escreveu. (Pena que esse blog não tenha um “Gostei” e “Não gostei” nos comentários…)

      3. Caro Arthur Pradella,

        Você citou que em tais circunstâncias preferiria fazer campanha para “ir para o inferno””, ou seja vir para cá, onde estou e seguir vivendo como meu vassalo, sob a minha suserania.

        Tenho que gratificar você por lembrar-me e preferir meu reino. Vais receber privilégios quando chegardes. Escolha seu pecado preferido.

        Porém esclareço que não é necessário fazer campanha para vir até aqui, ao inferno, porque TODOS, ABSOLUTAMENTE TODOS virão para cá.
        Explico: todos receberão um julgamento justo, imparcial e perfeito.
        E neste julgamento conduzido pela Suprema e Perfeita Divindade (meu respeito, gratidão, reconhecimento e prostração eternos), cada um será julgado com a mais total sabedoria, justiça, bondade e amor.
        Acontece que todas as pessoas gostam de pelo menos um dos pecados seguintes: ambição, egoismo, inveja, cobiça, orgulho, mentira, luxúria, gula, vaidade e mais alguns. Ora, NUNCA houve arrependimento VERDADEIRO destes pecados. E o Supremo Juiz sabe disto e não quer permitir que pecadores tão abjetos compartilhem de sua presença. O Supremo Juiz encontra pelo menos um destes pecados em todas as pessoas e as envia para mim.

        Por isso, eu, euzinho, sou o depositário de TODAS as almas.

        Cuidarei bem de você, também!

        Tenho imensos laboratórios, observatórios etc… aqui. Também ensino a aparatar (ensinei até o Voldemort e o Dumbledore a aparatarem para qualquer lugar deste e dos outros universos – só ainda não ensinei a eles como voltar).

      4. Não é mesmo?? tenho um colega que é evangélico, veio com uma conversa outro dia dizendo que só as almas de quem seguia sua igreja (e pelo visto as outras igrejas se ferraram…) seriam salvas no final, quando, como ele mesmo diz, Jesus voltar e destruir tudo. Dai eu, que gosto de ajudar velhinhos, crianças e bichos, que paro na faixa de pedestres, pago minhas contas em dia, sou educada com todo mundo, cumprimento as pessoas e uso as famosas três palavras mágicas, faço o possível para ser uma boa cidadã… Tou ferrada porque não acredito que uma entidade mitológica vai chegar por aqui detonando geral. Que danação…

    3. Terroristas da al Qaeda ficariam entusiasmados com essa técnica de tortura citada pelo Apolinário.

      Essa citação é imposta as crianças também?

      1. O Livro “Sagrado” é cheio de história interessantes, eu gosto mesmo é da história das filhas de Ló !!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    4. Essa sua mensagem ai desse tal de Sofonias, que nem sabia que existia, convenhamos, foi um tiro no pé.

    5. Leia o texto com cuidado e sem pré julgamentos. A começar por não se trata de poluição da indústria espacial.

      Alias seu Deus e seus Profetas são bem legais…pulverizam aqueles que não compartilham as mesmas idéias…

    6. Apolinário

      Será que nosso Deus seria tão egoísta a ponto de fazer um universo tão grande e com uma única raça que habita um único planeta ?
      Penso que a grandiosidade de Deus é muito maior do que as “poucas” palavras deixadas por alguns escribas.
      Que Ele seja sempre louvado e que proteja nós terráqueos e toda a criação existente neste grande universo.

    7. é por esta razão, por existirem pessoas com mentalidade do apolinário – são muitas – que “eles” não fazem contato, então, imaginem a barbárie que esta gente pode fazer. Em nossa história mais recente é sempre bom lembrar da “bruxa” que ofereceu uma banana a um garoto e por isso foi torturada até a morte com requintes de crueldade, mas era só uma mãe.

    8. Pessoal, o Apolinário Messias é um troll! Ele só quer causar tumulto e, infelizmente, tem conseguido. Ele nunca escreveu nada construtivo e nem mesmo relacionado ao assunto.

      Por favor, desconsiderem os comentários dele.

      1. Acho mesmo que o Salvador gasta muita energia com ele, mas é interessante notar como o que anda no imaginário coletivo (brasileiro) , quando o assunto é sobre nossa origem e se estamos sós,é diferente do que se poderia imaginar. Eu acreditaria nuns 10% de incrédulos científicos,mas esta porcentagem é muito maior. O impacto de uma má educação, principalmente científica, meio que justifica alguns comentários que vemos aqui.

Comments are closed.