A volta dos pontos brilhantes em Ceres

Salvador Nogueira

Os misteriosos pontos brilhantes de Ceres voltaram a se tornar visíveis nas imagens mais recentes enviadas pela sonda Dawn, da Nasa. Obtidas a uma distância de cerca de 22 mil quilômetros da superfície entre os dias 14 e 15, elas revelam o momento em que a rotação do planeta anão as expõe à luz solar, aumentando seu brilho. (Clique aqui para ver uma animação da rotação produzida pela agência espacial americana.)

Imagem obtida pela Dawn a 22 mil km da superfície, entre 14 e 15 de abril (Crédito: Nasa)
Imagem obtida pela Dawn a 22 mil km da superfície, entre 14 e 15 de abril (Crédito: Nasa)

Sua composição e natureza, contudo, seguem misteriosas. Os dois objetos cintilantes reunidos numa mesma cratera são os que mais chamam a atenção, mas eles são apenas as maiores estrelas numa constelação de pontos brilhantes que salpicam a superfície de Ceres. Uma análise recente dos dados colhidos pela espaçonave em infravermelho durante a aproximação da espaçonave mostra que eles têm características diferentes do ponto de vista térmico. Um deles é muito mais frio que seus arredores — reforçando a hipótese de uma conexão com gelo — e outros não. (Os dois pontos gêmeos que mais chamam a atenção, designados como “Mancha 5” pela Nasa, entram nessa segunda categoria — o solo ao redor parece estar à mesma temperatura que eles.)

Imagens em cor real, falsa cor e infravermelho. Note como a Mancha 1, acima, é bem mais fria. Já a Mancha 5, embaixo, tem a mesma temperatura do resto do solo. (Crédito: Nasa)
Imagens em cor real, falsa cor e infravermelho. Note como a Mancha 1, acima, é bem mais fria. Já a Mancha 5, embaixo, tem a mesma temperatura do resto do solo. (Crédito: Nasa)

Fala-se em minerais no solo, criovulcanismo (ou seja, vulcões que expelem água) ou gelo exposto em crateras (sabemos, pelos cálculos de densidade, que a composição interna de Ceres deve ser 25% água), mas os cientistas não fecharam com nenhuma hipótese. E ainda podemos ser surpreendidos.

A Nasa também divulgou recentemente um mapa em cores (exageradas) da superfície de Ceres, que revelam a grande variação existente no solo do planeta anão — uma rica história geológica, prestes a ser explorada.

Mapa de Ceres com exagero de cores, feito pela Dawn (Crédito: Nasa)
Mapa de Ceres com exagero de cores, feito pela Dawn (Crédito: Nasa)

Em quatro dias, a Dawn irá se estabelecer em sua órbita científica inicial e, com isso, vai começar o trabalho para valer — o mapeamento sistemático da superfície e o estudo de um objeto que se formou nos primórdios do Sistema Solar e, por pouco, não conseguiu virar mais um planeta rochoso.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook e no Twitter

Comentários

  1. Salvador, acompanho seu blog há pouco mais de um ano e, apesar da escassez de “concorrentes”, acho o melhor que temos no Brasil. Dessa forma, vou me sentir no direito de te fazer uma crítica (espero que construtiva). A frequência com que você posta conteúdo novo é muito baixa. Não tem como a gente trabalhar nisso, não? 🙂

    Brincadeiras à parte. Parabéns.

    1. Vinicius, se eu conseguisse, postava todo dia. Mas tem tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo comigo… tem a GloboNews uma vez por semana, tem os textos pro jornal impresso, o blog, textos para outros veículos, livro… não tá fácil, não! 😛
      Abraço!

          1. Será sobre o lado negro da ciência e o fato de que nossa tecnologia pode estar avançando mais depressa que nossa sabedoria. Mas não espalhe. 😉

          2. Legal! Mas então a IA terá um papel central em seu próximo livro, já que muita gente acha que ela é a principal ameaça à espécie humana…

          3. Salvador, esse assunto vai ser mais ou menos fazer-se uma multiplicação sem conhecer números?

  2. Qualquer fenômeno natural besta como esse já é logo associado à existência de ET’s pelos comentaristas e pelo blogueiro. Patética demonstração de ignorância e de subcultura. LIXO!

    1. Nota-se que sua capacidade de compreensão é que é um lixo, pois o autor sempre deixa claro que trata-se de especulação (por enquanto, nunca se sabe o amanhã). E vida extraterrestre não quer dizer homenzinhos com antenas verdes como você provavelmente tá pensando. Formas muito mais simples, sim…

    2. Parabéns, JR. Comentários como os seus faz com que os Cientistas mudem o foco, e procure por vida aqui na Terra, que seja no mínimo educada.

    3. É cara…

      E não é muito especulativo não. Se existe água e algum calor, porque não haveriam bactérias? Se até na mais profunda escavação de gelo há quilômetros de profundidade na Antártida encontraram extremófilos o que tornaria tão diferente de Ceres? (bem… talvez a radiação…)

      É esta vida alienígena que se espera não só em Ceres mas nas luas de Júpiter e Saturno.

    4. Patetico e ignorante é alguem afirmar com tanta certeza ser um fenômeno natural e ainda besta… hahaha Olha, lendo esse comentario podemos afirmar que só pode ter vindo de um”fenômeno” ignorante, patetico e besta! Bota a NASA pra estudar o cara pq tem coisa estranha ai hein! =P

    5. Releia o texto com atenção e procure a palavra “vida” ou sinônimo qualquer. Você quer atenção? Vai pra fila do INSS conversar com os demais.

    6. Então, JR, dê-nos uma aula, do alto da sua sabedoria e conhecimento cultural infinito, ilustre quadrúpede!

  3. Ceres, Ceres, até que enfim notícias fresquinhas uauauuaauua. Obrigado Salvador, para nós, amantes de Astronomia, é sempre gratificante obter novas informações sobre um assunto tão apaixonante. Tenho mais uma dúvida, apesar de não estar relacionado diretamente ao tema inicial mas que tem relação indireta com a exploração dos satéites Europa, Ganimedes e Encélado: Sobre o Lago Vostok, cujo ambiente se assemelha as condições possíveis das luas citadas, os cientistas não encontraram nada interessante? Estou louco atrás de artigos científicos mas esta complicado, você sabe alguma coisa a respeito?

    Abração e parabéns pelo excelente trabalho.

    1. A última coisa que li é que os russos estavam analisando as amostras de vida colhidas lá. Depois disso, não vi mais nada. E já faz um bom tempo isso… boa lembrança. Vou ficar de olho! Abraço!

      1. Descobriram aliens na agua do vostok :D,por isso ainda não divulgaram.Lembrem que o Putin recebeu um pouco da agua do lago,por isso ele tem agido tão estranho:querendo guerras e cortando relações com todo mundo 😀 …brincadeira pessoal para descontrair em 😀

  4. Bem, vamos aguardar com ansiedade que esse fenômeno seja esclarecido o mais breve possível . Apesar de todos avanços e conhecimentos adquiridos pela ciência, precisamos sair dessa mesmice que tanto nos tortura . Precisamos de descobertas mais palpáveis que nos de caminhos fora daqui.

  5. Todos os comentários que estão sendo feito estão dentro das leis da física, agora tem que pensar fora da casinha, pensar de outra forma, qual é a maior limitante atual da física?, a velocidade da luz, hoje todas as medições e fatos estão feito em relação a uma velocidade inferior á de la luz, o home até agora não tem domínio de uma velocidade maior, pode alguma civilização maior ter dominado esta variável e se desplazar a velocidades muito maiores?, se movimentar como uma nave espacial da gerra das galaxias?, por que não?, como podemos ir alem da velocidade da luz?

      1. Na verdade, a física diz que a velocidade da luz é a velocidade limite para a energia e a matéria bariônica, provavelmente sendo o limite da matéria escura também. Mas é sabido que o próprio espaço já se expandiu a uma velocidade superior a esse limite.
        Partindo dessa premissa, em futuro tecnologicamente brilhante, poderíamos fazer uso de fenômeno similar para aparentemente viajarmos mais rápido do que a luz, quando na prática mal sairíamos do lugar. Difícil? Sim, e muito. Impossível? Não me atrevo a dizer que não.

        1. Bom…

          Quanto a expansão do universo, lembre-se que matéria é uma quantidade de energia extremamente concentrada. O que significa que um ponto ínfimo de matéria contém grandes quantidades de energia.

          Se Einstein estiver correto, e é o que se tem provado, para impulsionar matéroa à velocidade da luz, é necessário energia infinita.

          Agora quanto ao Universo expandir muito mais rápido que a velocidade da luz, lembre-se que quando o cientista diz o universo, ele não está se referindo a um vazio com um monte de estrelas dentro. Ele está definindo uma estrutura onde o espaço e o tempo estão contidos. Quando o universo se expandiu, pelo menos é o que se conta, no Big Bang, tudo se inflou como uma bexiga, inclusive o espaço (e o tempo).

          Agora dentro do universo, no espaço, que não é absoluto, uma partícula não pode se mover mais rápido que a luz, pois isso faz parte das regras que regem este universo, pelo menos o que se tem provado até agora.

          Como o espaço está contido no universo, e não é absoluto, também nada impede de dobra-lo, torce-lo, esticá-lo, contrai-lo.

          A unica questão é como você fará isso. Lembre-se: Mal e mal não conseguimos extrair uma amostra de outro planeta no nosso próprio sistema solar.

          Abraços!

    1. Jaime, acho q merece um esclarecimento. Leis da Física é uma interpretação da natureza, isso é, descreve como o mundo funciona. Não é a “física” o fator limitante é a própria natureza, o mundo como é. Quanto a sua dúvida, pode começar por aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Relatividade_restrita

      Mas afinal, o que é “desplazar”?

  6. Soube por fontes seguríssimas que se trata de gelo. A versão oficial vai afirmar que há água e gelo na superfície, por conta de movimentos tectônicos. Segundo a minha fonte seguríssima, a verdade é outra: Há uma concentração gigantesca de um mineral ainda desconhecido (ou não identificado) e não se sabe ainda como e por que foi parar lá. Apesar da garantia que minha fonte me passou, vou aguardar a “versão oficial”.

    1. Ed, em suma, você acha que a Nasa vai fazer um acobertamento. E ainda por uma coisa besta — um mineral desconhecido que não se sabe como e por que foi parar lá. A Nasa está lá justamente para estudar o desconhecido e tentar encontrar as respostas. Seria idiota acobertar o desconhecido — aí nunca o conheceremos. A Nasa depende da comunidade científica para “ler” as informações que suas sondas transmitem…

      1. Como eu disse, vou aguardar pra verificar se a “fonte” estava certa. Acho que entenderam errado, mas faz parte. Se eles vão ocultar ou divulgar, eu realmente não sei. Não disse isso. Mas a galera adora confabular sobre opiniões alheias… E quem disse que “é” um material desconhecido? Observem o “ou”… Observem o texto, observem…

        1. O mais improvável é você ter uma “fonte” de verdade dentro da equipe de cientistas da Dawn. 😉

    2. As pessoas se sentem tão importantes por saberem de algo que as outras não sabem… que as vezes acabam as inventando.

    3. A melhor forma de esconder algo é não procurar. Não tem sentido o que você escreveu, apesar de que, como uma vez o Salvador escreveu, questões estratégicas poderiam fazer a NASA esconder algo, mas questões científicas, não.

      1. E com cada vez mais gente olhando lá pra cima e com telescópios cada vez mais potentes aqui na Terra mesmo, impossível esconder coisas assim por muito tempo…

    4. Uuuuhhh!!!, o Ed tem fontes na NASA, na ESA e na CIA, além do Departamento de Defesa dos EUA! É o próprio Nick Fury!

  7. Esses pontos brilhantes são minerais que incidem a luz. Um pequeno planeta desses que esta em formação, poderá sofre muitas reações de poeiras cósmicas e combinar muitos compostos.

  8. Na última matéria semelhante, perguntei se isso poderia ser algum tipo de vidro formado naturalmente como já se viu aqui na Terra. Nem veio resposta, então deve ser uma hipótese muito estúpida minha. Mas continuo sem saber se isso seria possível ou não. Porque, veja só, superfície arenosa, impactos e crateras… sem chance mesmo?

    1. Dan, não cheguei a ver seu comentário anterior, sobre vidro. Sinceramente, não acho que chega a ser impossível, mas nunca se viu fenômeno similar, e como você disse a vitrificação é um processo relativamente comum em crateras de impacto. O difícil é produzir material suficiente para tornar a superfície tão reflexiva. Acho pouco provável. Mas temos de aguardar para ver. Note que o lance térmico já mostra que temos pelo menos dois tipos diferentes de pontos brilhantes em Ceres…

  9. Essas luzes, na minha opinião, são uma prova incontestável de vida inteligente fora da Terra. Portanto, isso é a maior prova de que deus não existe.

    1. Manézão, veio aqui querendo trollar o espaço, acender uma polêmica…e tomou uma na orelha.
      Podia ter passado o feriadão sem essa.

    2. i eu chego a uma conclusão que você é uma insignificante bactéria que vive dentro de um glóbulo branco dentro do corpo de Deus !

    3. Em uma bela manhã de Sol , saio ao jardim é quando brincando com o meu cachorro , um espectador verá uma vértice em meus olhos , assim também ocorrerá nos olhos do meu cachorro , é desta inenarrável experiência que me coloca ao sentimento de uma Verdade conhecida e absoluta , que é : D”US EXISTE .

      1. Estudos indicam que olhar o cão nos olhos libera em ambos o hormônio oxitocina, o mesmo que é liberado nos organismos de mãe (ou pai) e filho. Biologia pura, evolução das espécies.

        1. Em breve, vou falar desse estudo na GloboNews! Já está gravado! E foi muito legal! 🙂

      2. Acho que é minha pífia apreciação por literatura que me fez um sentimento de desgosto, talvez por não entender a mensagem:

        MAS QUE DIABOS tem a ver Deus com seu sentimento com seu animal de estimação?

    4. Mesmo que você esteja certo em ambas as coias, ainda assim você estará errado no seu comentário!

    5. Ok, vida inteligente é a prova de que Deus não existe. Mas o seu comentário acaba de me provar que Ele existe sim…

    1. Em tempo, Filosofia e esoterismo são incompatíveis. Pelo menos, se falarmos de Filosofia no sentido mais essencial da coisa.

    2. Em tempo, Filosofia e esoterismo são incompatíveis. Pelo menos , se falarmos de Filosofia no sentido mais essencial da coisa.

    3. Detector de nibiruta ativado:
      pi pi pi pipiiiiiiii
      POW!!

      Capitão Kirk, as leituras explodiram o detector!

        1. Ah, bem longe. Ceres fica a 2,8 UA do Sol, mais ou menos. A Terra, a 1 UA. Então você pode imaginar que a distância mínima é de 1,8 UA (algo como 280 milhões de km) e a máxima é de 3,8 UA (algo como 580 milhões de km).

      1. E a 265 milhões de km da terra, olhando de uma distancia do Rio a Israel por um telescópio qual a probabilidade de vermos alguma coisa?

        1. Não entendi o “do Rio a Israel”. Vamos ao que está acontecendo. A sonda está lá, a 22 mil km da superfície de Ceres, tirando foto. A resolução é de 2,1 km por pixel. Ou seja, uma coisa que tenha 2,1 km apareceria como 1 único pixel na imagem. Ela tira essas fotos e transmite para a Terra. A distância entre ela e a Terra só conta para o tempo que a transmissão demora para chegar e o tempo que dura o download, mas não influencia na qualidade da imagem em si. Entendeu?

          1. Salvador, não é importante entender o que a trollzinha oswalda gil de souza escreve. Ela fica fazendo perguntinhas bobinhas e sem nexo para depois defender sem lógica idéias pré-fabricadas. Ela é muito tolinha.

          2. a sonda está a 265 milhões de km da terra e estará a uma distância de 13,5 mil quilômetros de ceres (rio/israel), tirando foto, correto? o que poderemos esperar das fotos?

          3. eu acho que ele quis dizer qual é a possibilidade da sonda ver alguma coisa interessante quando começar os trabalhos pra valer…

          4. Mané, normalmente não respondo a m. e nem para o m., todavia para que iniciemos um bate papo necessito saber de de caminhão caiu do reciclável ou orgânico.

          5. Mesmo com a dica do “de”, não entendi. Exceto pelo fato de que você parece estar perdendo a paciência… rs

          6. É que ele não parou pra apreciar a riqueza de detalhes que a imagem do post já traz mesmo estando a 22 mil km de distância.

        1. Ela vai estudar a origem do Sistema Solar, o que divide protoplanetas de planetas formados e a prevalência de material volátil no cinturão de asteroides, além de estudar Ceres — um mundo — por seu próprio valor intrínseco. É um mundo inteiro lá fora. Deve ser interessante, não?

  10. Realmente são intrigantes tais brilhos. Às vezes parecem a reflexão da luz sobre um ponto de gelo, já que água na forma líquida na superfície seria impossível. Ou erupções súbitas de vapor o que intensificaria o aparente brilho. Enfim, seja o que for, logo descobriremos. E veremos que é algo prosaico, sem alienígenas inteligentes. No entanto, como ressaltou um dos acompanhantes do blog, a vida pode ser não possível em Ceres. Na verdade o conceito de vida é difícil. Quem sabe um dia, em nossas explorações, encontraremos uma que extrapole todos os parâmetros atuais. Isto aliás, faz-me lembrar de a Horta do episódio de Star Trek, The Devil in the Dark, lembra-se? Quem diria que aquilo era uma forma de vida? Mas não vamos misturar ficção com ciência.

    1. Ronald, revi na semana passada esse episódio, um dos melhores de Star Trek, pela mensagem que nos passa. Não à toa, virou um clássico da FC.

      Procuramos por vida similar à nossa no universo, mas podemos nos surpreender, por que não?

      1. De fato, caro Radoíco. No momento, só possuímos um parâmetro para mensurar a vida: a da Terra. Apesar de existirem os estremófilos que poderiam ser indicio de um modo de vida espalhado pelo Universo, não há garantias de que sejam semelhantes, mas é um forte sinal de similaridade. Quanto ao episódio, de fato, considero um dos melhores, apesar de que meu favorito é The City on the Edge of Forever, que escrevi uma continuação ( De volta ao Guardião da Eternidade) e All Our Yesterdays.

  11. Salvador… eu e minha obsessão alienígena… olhando os oceanos do google maps você já reparou como existem algumas crateras e riscos interessantes pelo padrão reto ou alguma deformidade familiar? muitas delas inclusive borradas meio que propositalmente.. Como esses fenômenos são explicados pela ciência? se pude dar sua opinião seria legal. Abç.

    1. Alex, juro que não olhei, e nem recomendaria que a gente tentasse tirar conclusões com base em imagens do Google Maps. Elas foram recolhidas e tratadas com rigor menos que científico, e é natural que a cobertura de imagens dos oceanos não seja lá tão completa (quem iria observar oceanos no Google Maps?). Abraço!

      1. Eu já olhei pesquisei bastante o Atlântico, porção referente à área do pré-sal brasileiro. É bastante interessante ver e relacionar a geografia do solo marinho e relacioná-la com as áreas das descobertas e, também, com as áreas espelho na costa da África.
        Digo isso para esclarecer, desde o meu ponto de vista, que os mapas do Google Maps ou do Google Earth não são tão inúteis para essas observações.

        1. Eles não são inúteis, mas não são científicos também. Estou certo de que a Petrobras, ao estudar a costa brasileira, não usa dados do Google Maps…

    2. Alex, tem mais uma coisa: é natural no ser humano buscar padrões similares ao que conhecemos em qualquer coisa. As figuras nas nuvens são um bom exemplo disso. As constelações são outro exemplo: nossos ancestrais viram um escorpião, um caçador, peixes, panelas… tanta coisa, apenas “ligando os pontos” no céu.

      1. Bom, quanto às panelas, eu é que vejo na Ursa Maior uma panela… De onde tiraram a idéia de urso ali? 🙂

    3. Estudar geologia vai te ajudar a entender o que são esses riscos, e como foram formados naturalmente. Vai descobrir que a natureza é muito mais interessante do que parece e como a ciência abre as portas para esse conhecimento.

    1. Acho que não. O site do JPL é que tem frescura para abrir de vez em quando (desconfio que bloqueia certos IPs brasileiros). Eu não coloquei direto no post o GIF porque aqui só com 1 MB, e o bicho tem 1,5 MB…

      1. Eu consegui ver, há poucos minutos. Talvez o problema tenha sido apenas congestionamento no site.

    1. Em termos de composição, não acredito que vá ser extraordinário. Mas as implicações para a história de Ceres certamente serão interessantes.

  12. Cara, esses cientistas da Nasa não sabem de nada. Aposto que o Giogios do Alienígenas do Passado teria uma resposta plausível: Aliens!

    P.S.: Salvador, já faz algum tempo que eu tenho acompanhado seu blog e sempre achei muito interessante. Recentemente descobri que você é colaborador do Trek Brasilis, ou seja, já acompanho seu trabalho há muitos e muitos anos. Parabéns e obrigado por tanta informação.

    1. Rafael, eu criei o Trek Brasilis, lá no longínquo ano de 1999! Coisas do século passado! 🙂

      1. Cara, eu tenho 24 anos. Lá para 2000 e poucos eu descobri série clássica e lembro que vocês tinham resenhas de quase todos os episódios. Eu assistia o episódio e depois ia ler a resenha (ver as “Trivias”) e coisas do tipo. Depois veio Enterprise e eu ficava acompanhando todo que o site publicava. Depois veio a “Era das Trevas” que só tinha rumores (aguardando a série nova na CBS até hoje) para a gente chegar na Era do JJ. Nesse tempo todo, sempre acompanhei o site. Por isso eu tenho que te falar: Muito obrigado e parabéns, a você e todos que te ajudam lá.

      2. huahuahuahuah…quer dizer que o Salvador era daqueles que se vestia de “capitão kirk” e ia pra galera??????? huahuahuahuahuah….que infantilidade

  13. Sensacional, com água abundante por todo lugar fica difícil mesmo no nosso sistema solar não encontrarem alguma forma de vida…

    1. Não acredito que a vida, mesmo com a presença de água seja assim tão fácil de ocorrer.

      1. Essa é a grande pergunta. Não sabemos. Se for muito fácil, vamos achar vida em tudo quanto é lugar. Se for muito difícil, não vamos achar em lugar nenhum. E se for mais ou menos, talvez achemos, talvez não. Os cientistas hoje tendem a achar que é relativamente simples — porque não foi preciso muito para ela aparecer por aqui, tanto em termos de tempo como em termos das condições…

        1. Salvador, boa tarde. Parabéns pelo blog. Apenas quero externar uma recorrente “encafifação” minha quanto ao conhecimento nosso em relação ao universo. Penso que a evidencia ou não do desconhecido está correlacionado em muito com nossa inteligência. Nossa capacidade de perceber…como um inseto nos ignora solenemente…nós ignoramos algo que pode estar bastante evidente por um pouquinho mais de intelecto. Não acha?

          1. É possível. Não podemos descartar. Contudo, o fato de que continuamos a aprender mais e mais dá a entender que, ainda que exista alguma limitação ao nosso conhecimento por conta de nossas capacidades, ainda não atingimos esse limite. E outra: nada impede que criemos computadores cuja inteligência supera a nossa e abra caminho para esse conhecimento supostamente inacessível. Claro, construir máquinas superinteligentes pode também ser uma péssima ideia… 😛

          2. Os grandes cientistas tiraram o tempo da subjetividade e lhe deram contornos matemáticos…com intuição transportaram suas convicções para modelos demonstráveis. Grandes cientistas no caso simboliza nossa mente em cada momento.

Comments are closed.