Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Problema com a Juno impede ajuste de órbita

Por Salvador Nogueira

A sonda Juno está passando por um aperto em Júpiter. Um problema com duas válvulas que compõem o sistema de pressurização do combustível obrigou os engenheiros a cancelarem a tentativa de reajuste de órbita marcada para esta quarta-feira (19).

A manobra estava agendada desde antes da chegada da espaçonave ao maior planeta do Sistema Solar, no dia 5 de julho. De início, a Juno se estabeleceria numa órbita bastante elíptica com período de 53,4 dias. Após o segundo perijove — momento de máxima aproximação com Júpiter –, um disparo de seu motor reduziria o período orbital para 14 dias.

Esse é o procedimento que estava marcado para quarta-feira e que agora teve de ser adiado. “A telemetria indica que duas válculas de checagem de hélio que têm um papel importante no disparo do motor principal da espaçonave não operaram conforme o esperado”, disse Rick Nybakken, gerente de projeto da Juno no JPL (Laboratório de Propulsão a Jato) da Nasa.

Imagem dos turbilhões atmosféricos do polo Sul de Júpiter, fotografado pela Juno em 27 de agosto. (Crédito: Nasa)
Imagem dos turbilhões atmosféricos do polo Sul de Júpiter, fotografado pela Juno em 27 de agosto. (Crédito: Nasa)

O programado era que as válvulas se abrissem em alguns segundos, mas o procedimento levou vários minutos. Isso naturalmente causou apreensão no controle da missão, que decidiu investigar a fundo a anomalia antes de acionar o motor da sonda e colocá-la sob risco maior.

Isso significa que ela passará de raspão por Júpiter na quarta-feira, mas não reduzirá sua órbita. A próxima tentativa, portanto, só poderá acontecer no próximo perijove, daqui a 53,4 dias, em 11 de dezembro.

IMPACTO CIENTÍFICO
A mudança repentina de planos levou os cientistas a replanejarem suas observações para quarta-feira. Originalmente, por conta do disparo do motor, nem todos os instrumentos a bordo colheriam dados. Agora, todos estarão em operação para o perijove.

Será a segunda oportunidade de registrar imagens a cerca de 4.000 km de distância do topo das nuvens jovianas. (Veja, no vídeo abaixo, uma sequência de fotos que mostra, de forma dramática, a aproximação anterior, em 27 de agosto.)

A notícia do problema, óbvio, não é boa. Mas ainda não está claro que impacto o problema poderá ter na missão a longo prazo. Por um lado, é uma manobra que pode ser realizada sem problemas no próximo perijove. E, no limite, a sonda poderia se manter na órbita atual e cumprir seus objetivos principais de onde está — mas a um ritmo muito mais lento.

Seja qual for o desfecho, cientistas e engenheiros terão um longo trabalho pela frente, essencialmente replanejando todas as observações daqui para a frente (seja na órbita atual, ou num reajuste mais adiante). Mas é melhor isso do que perder a espaçonave por conta de uma falha explosiva do motor.

A Nasa realizará uma entrevista coletiva no fim da tarde de quarta-feira para discutir esse problema e abordar os resultados científicos iniciais colhidos pela Juno. O Mensageiro Sideral, claro, estará de olho.

SEMANA ESPACIAL
Mudando de assunto, um cargueiro Cygnus partiu com sucesso às 19h45 desta segunda-feira (17), rumo à Estação Espacial Internacional, retomando com sucesso o voo dos foguetes Antares, depois que uma explosão espetacular os tirou de circulação dois anos atrás.

E a super-sequência espacial continuará semana adentro. Nesta quarta, além da coletiva da Juno, uma nave Soyuz russa deve partir com três astronautas para promover a rotação de tripulação a bordo do complexo orbital internacional. E, no mesmo dia, pela manhã, europeus e russos tentarão promover seu primeiro pouso bem-sucedido, não tripulado, em Marte. E, claro, com transmissão ao vivo do Mensageiro Sideral, a partir das 11h. Não perca!

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade