Astronomia: Duas novas luas em Urano?

Salvador Nogueira

Nova análise de imagens da sonda Voyager 2 sugere a existência de mais duas luas em Urano.

CHÁ DE SUMIÇO
Revirando dados colhidos pela sonda Voyager 2 durante sua passagem por Urano, em 1986, uma dupla de pesquisadores da Universidade de Idaho, nos Estados Unidos, encontrou evidências de mais duas luas no sétimo planeta do Sistema Solar. Detalhe: elas não aparecem em nenhuma das imagens.

DE BACIADA
Urano tem 27 luas conhecidas, mas é certo que existam muitas mais — planetas gigantes são notórios pelo grande número de satélites naturais ao seu redor. O principal problema para contá-los todos é a distância que nos separa deles.

QUARTETO MÁGICO
Júpiter e Saturno, os dois mais próximos, são bem conhecidos. Várias espaçonaves passaram por lá e algumas por lá ficaram. É o caso da Juno, que está neste momento orbitando Júpiter, e da Cassini, que já explora o sistema saturnino desde 2004. Urano e Netuno, contudo, ainda são dois grandes desconhecidos. Ambos só foram visitados uma vez, e de passagem, pela Voyager 2.

PANELA VELHA
A sonda foi lançada em 1977, então você pode imaginar que ela não está exatamente equipada com câmeras de última geração. As imagens que ela fez, por melhores que sejam, têm limitações. Por isso, as pequenas luas sugeridas pelos astrônomos seriam invisíveis nas fotografias. Mas elas teriam deixado uma pista de sua existência nos anéis de Urano.

NA TRILHA DO PASTOREIO
Os pesquisadores notaram irregularidades em dois dos anéis, alfa e beta, que parecem indicar a existência de luas “pastoras”. Elas são assim chamadas porque guiam os anéis e os mantêm coesos. O fenômeno foi descoberto e bem estudado em Saturno, onde vários de seus anéis são “escoltados” por luas pastoras.

PEQUENAS E DISCRETAS
Pelas contas dos cientistas, essas duas hipotéticas luas uranianas seriam bem pequeninas — teriam entre 4 e 14 quilômetros de diâmetro. Agora começa a corrida pela confirmação de que elas estão lá mesmo. E, para isso, observações por telescópio terão de bastar; não há no momento planos para o envio de uma nova espaçonave a Urano, localizado a quase 3 bilhões de quilômetros daqui.

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Salvador, Acredito que Urano passe bem perto das linhas gravitacionais de Hercolubus e sistema Nêmesys, por isso adquire energia (elétrons), o que amplifica teu campo magnético gravitacional, em todo redor de tua orbita, que o potencializa, tanto para afetar a posição de asteroides na Nuvem de Ôort, tanto no sentido de capturar; como de lançar, por isso exista tantos satélites assim ao teu redor. somado com a inclinação que direciona um dos teus polos ao sol(devido as influencias do sistema Nêmesys-Herocubus) o transforma em um arremessador de asteroides(catapulta). e assim com uma orbita com anéis e cheio de satélites.

    1. Por favor, estude um pouco de física e de química, aí você falaria menos bobagens, amigo. Esse conselho é para seu próprio bem, acredite!

  2. Salvador Nogueira, aqui vai uma pergunta simples pra ti, NÃO pra mim:
    SE Urano deixasse de existir, sei lá, por um motivo aleatório qualquer, o quê aconteceria e quais as consequências para a mecânica do sistema solar?

    1. Boa pergunta. Desconfio que, a essa altura, não faria mais grande diferença (a não ser que ele migrasse em vez de simplesmente sumir). Os planetas gigantes já estão bastante afastados para se manterem em órbitas mais ou menos estáveis. No limite, os planetas internos poderiam migrar um pouco para dentro, e Netuno para fora, considerando que todos já não sentiriam mais a gravidade de Urano. Mas, convenhamos, essa sua hipótese fica só no plano da hipótese. Não saberia como tirar Urano do Sistema Solar. rs

  3. Salvador, sendo possível, eu gostaria que você compartilhasse conosco sua visão pessoal sobre vida inteligente fora da terra, mas sob a seguinte ótica:

    Qualquer forma de vida fora da terra, com níveis de inteligência semelhantes ao dos seres humanos, é sempre teorizada como possuindo instintos, inter-relações, valores (ou falta deles) similares à humanidade. Basta ver estudos, documentários e filmes que abordem o tema. A vida em si também é sempre pressuposta como degenerativa, ou mortal.

    Aí vem a minha pergunta: Havendo vida inteligente em abundância fora da terra, você acredita ser possível que ela seja quase oposta à nossa, com seres imortais, regidos por leis e valores em qualquer aspecto de suas inter-relações e negócios? Sempre imaginados guerra, caos e conflito, mas poderia tudo ser exatamente o oposto?

    Obrigado pela anteção

    1. Rafael, é sempre muito difícil especular sobre cultura alienígena. Há aqueles que acham que a cultura humana é singular e idiossincrática e há os que acreditam que ela tem marcados nela os sinais da evolução. Acho que, na real, deve ser um pouco de cada.

      Então, uma civilização alienígena, ao emergir em outro planeta, terá como ponto de partida a mesma competição por recursos que marca a evolução das espécies por seleção natural. Não tem muito como ela escapar disso. Podemos supor que, de início, ela vai ter aumento de complexidade social como reflexo da necessidade de gerir e distribuir seus recursos, negando-os a grupos rivais.

      O começo, portanto, de uma civilização deve ser sempre mais ou menos parecido. Mas, com o passar do tempo, conforme a cultura começa a tomar rumos próprios, as coisas podem divergir mais. Ainda assim, alienígenas avançados provavelmente terão de aprender a lidar com o aumento do seu poderio tecnológico. Por isso tendo a me alinhar com os que pensam que civilizações altamente tecnológicas devem ser pacíficas — elas tiveram de aprender o pacifismo para não sucumbirem diante de suas próprias tecnologias.

      Essa é a visão mais comum atualmente. Mesmo Stephen Hawking, que fala dos perigos de contatarmos outras civilizações, não diz que os ETs necessariamente vão nos dizimar à la Independence Day. O que ele diz mais frequentemente é que, sempre que uma civilização mais avançada contata uma menos avançada, não importando as intenções, a menos avançada dança. E, no caso, a menos avançada quase certamente será a nossa. 😛

      1. Entendi o seu ponto de vista, Salvador. A moralidade de seres inteligentes é uma discussão filosófica, mas é interessante como a nossa própria inteligência associa avanço com paz e o retrocesso com a guerra. Pessoalmente acredito que quanto mais avançada é uma civilização, mais pacífica ela tende a ser. Em última instância, a vivência coletiva, com leis e princípios morais que estabeleçam limites entre seres inteligente é muito mais vantajosa.

        1. Sem falar que, a partir de um certo avanço tecnológico, torna-se um imperativo. Estamos impedidos de travar guerras mundiais desde que inventamos a bomba atômica, sob risco de acabar com o mundo. Ficamos bonzinhos, ironicamente, na porrada. 😛

  4. Mano Salva, Listen!
    Não sou um cético!
    Acredito piamente em vida inteligente “fora” do nosso sistema solar, desde que, o eventual planeta esteja a uma UA de uma estrela similar ao nosso sol e, com cerca de 4,5 bilhões de idade, um tempo necessário para a evolução dos elementos e das espécies. Isso daria condições vitais 100% favoráveis.
    Pode ser que eu me engane!
    Mas no nosso sistema solar, exceto o planeta terra (por enquanto), tudo é estéril.

    1. Se por “estéril” você quer dizer sem vida inteligente, você provavelmente está certo. Se quser dizer sem vida, provavelmente está errado. 😉

      1. “Provavelmente errado”, anda bem otimista heim Salvador! Eu diria provavelmente certo, sobre inexistência de vida no sistema solar (exceto a originada na Terra), e absolutamente certo sobre a inexistência outra forma de vida inteligente.

        1. Batista. Sei lá. Vamos supor que a colonização galáctica seja comum e que uma espécie alienígena já esteja no Sistema Solar, mas adotando uma postura na linha da resposta “hipótese zoo” ao paradoxo de Fermi, decidiu manter uma distância segura, talvez no cinturão de Kuiper ou em órbita do hipotético planeta 9. Eis aí uma possibilidade de vida inteligente no Sistema Solar.

          Vida inteligente nativa, tende a ser só a gente mesmo no Sistema Solar. Mas mesmo isso, nunca se sabe. E se há vida inteligente presa sob 20 km de gelo em Europa? 😛

        2. Baseado no quê uma afirmação como essa é escrita e publicada? Até o começo da década de 2000 pouco se sabia sobre oceanos em luas distantes, e agora 15 anos depois com as novas tecnologias esses oceanos foram detectados, e onde há oceanos (submersos ou não) existe uma grandíssima chance de existir vida neles. Se é inteligente ou não é outra história. Segundo o paradoxo de Fermi algumas (poucas) civilizações inteligentes próximas a nós podem simplesmente não querer contato conosco, pelos mesmos motivos que Hawkings comentou semanas atrás: medo, precaução, colonização predatória.

          1. O paradoxo de Fermi é uma hipótese, assim como afirmações minha, sua, do Salvador todas elas carecem de provas. A afirmação de que não há vida no sistema solar, exceto a originada na Terra, no momento é a mais assertiva.

          2. No momento, qualquer afirmação assertiva que não seja “não sabemos” é temerária. 😉

  5. URANO, um planeta gasoso, distante 19,1 UA da nossa querida e quentinha estrela SOL, temperatura média de “apenas” – 224ºC, ventos de até 900 km/h, totalmente fora da zona habitável desejável, qualquer mensagem necessária de Urano-Terra leva apenas ” Duas horas, 31 minutos e 11,3 segundos luz”, portanto “é logo ali”.

    – Acordem!
    – Desistam!
    – Joguem a toalha!
    – Capitulem!
    – Esqueçam!

    Aquilo ali, é apenas um empecilho e só serve para constar nos futuros mapeamentos estelares.

    Sobre essas DUAS prováveis LUAS de Urano, são tão desprezíveis (pequenas), que podem continuar sendo componentes dos anéis de Urano, sem nenhum problema.

    Seguuura, Mano!

    1. Não estou entendendo, Nyco. Ninguém falou em vida nesse post. Estamos falando de astronomia. Que ideia fixa com vida, sô! Urano é superlegal, mesmo que completamente inabitável! 🙂

        1. Sei lá. O único motivo para desprezar Urano é astrobiológico. De resto, é um planeta respeitabilíssimo, apesar das terríveis piadas que fazem com o nome dele em inglês… rs

          1. Como diz o filósofo Everaldo Marques (ESPN), a gente sai da 5a. Série da escola, mas a 5a. série não sai da gente 😀

            Tudo é motivo para piadas de duplo sentido. 🙂

  6. Seria muito interessante se enviassem uma sonda para Urano. Assim, poderiam entender melhor o motivo de seu eixo de rotação ser tão inclinado.
    A clássica foto de Urano com tom azul pálido foi tirada em luz visível? Veríamos a mesma coloração se estivéssemos lá?

  7. Salvador por duas vezes que abro o site, abre com o nome e e-mail de alguém nos campos; você deve estar deixando passar alguma coisa.

  8. “Outros satélites foram criados quando Nibiru/Marduk passou por Anu/Urano. Descrevendo essa passagem o
    texto sumério declara que “Anu gerou e produziu os quatro centos” – uma clara referência, como era de se
    esperar, à formação das quatro luas principais de Urano que, como vemos agora, aconteceu durante a colisão
    que inclinou esse planeta. Ao mesmo tempo, ficamos sabendo, em uma passagem posterior do antigo texto,
    que o próprio Nibiru/Marduk ganhou mais três satélites como resultado desse encontro.
    Apesar de os textos sumérios descreverem, depois dessa captura eventual na órbita solar, como
    Nibiru/Marduk tornou a passar pelos planetas exteriores moldando-os finalmente no sistema atual, esse
    primeiro encontro já explica os vários enigmas que a astronomia moderna tem enfrentado e ainda enfrenta
    sobre Netuno, Urano, suas luas e anéis.” Só pra lembrar Salvador, capitulo 2 “Veio do Espaço exterior” Gênesis Revisitado ZS pdf

    1. Momento cultural — as ideias do Dalcin descritas por Bertinho:

      “Quando Marduk passou por Anu, lesmas fósseis se desprenderam, quebrando paradigmas no apogeo-perigeu. Assim, satélites repletos de suricatos gigantes na cratera 3-tres Orion, habitadas por tourossauros amestrados por annunnakis intra-terrenos do grão ph-ara-ó mesopotâneo abalaram Urano, chegando a inclinar-lhe o eixo.”

  9. [OFF TOPIC]

    Acho justo acreditar que somos o ‘primeiro’ caso de vida inteligente na Terra. Se tivesse havido um caso anterior, os vestígios estariam por aí.

    Dita esta obviedade, acho interessante imaginar o seguinte: Imagine que o ser humano se auto-destrua, ou seja destruído por alguma doença, em coisa de alguns milhares de anos. É justo acreditar que as demais espécies continuarão a evoluir, e num futuro distante (centenas de milhares ou poucos milhões de anos), alguma delas, provavelmente Chimpanzés, Gorilas ou Bonobos, alcançará o que chamamos de inteligência. E encontrarão nossos vestígios espalhados por todo canto. E isso poderá ajudar (ou atrapalhar) o seu desenvolvimento cultural e científico, quando se tornarem aptos a isso.

    1. Caramba, velho! Teu comentário foi mesmo uma “tijolada”… Até onde isso seria possível? Pois nem sei se verificamos em micro-organismos, formas de vida inteligente (já passadas), o que eu creio seria bem difícil.

    2. Será que estariam? O que vai restar da civilização humana daqui a um milhão de anos? Acho que nem os plásticos ainda existirão, nosso lixo será um petróleo sujo, nossas obras – faraônicas ou não – serão pó… As pirâmides do Egito, talvez resistam um pouco mais, mas estarão degradas a montículos de pedras desgastadas pela areia… Ferramentas e instrumentos de metal inoxidável, talvez ainda existam, enterradas sob metros e metros de solo novo, ou sob a areia do mar…

    1. 2018 é o ano em que um cometa decágono incompleto (atualmente ele é um eneágono), apelidado de ApophisBrazilis2003 (Apophis em grego significa “destruição”), cuja formação ocorreu nos prelúdios da década de 70 (precisamente numa região conhecida como ABC) passará novamente de raspão pela democracia no brasil, vamos torcer para que o cometa não seja atraído pela gravidade irracional das urnas, caso contrário esse cometa atingirá em cheio a superficie do brasil, e aí sim teremos mais 4 anos de catástrofes, com impactos profundos e crateras no futuro do país.

      1. Benjamin, acredito que esse cometa já causou toda a destruição que poderia, seu potencial destrutivo creio que está exaurido. Neste momento ele ruma velozmente em direção ao Cinturão de Daltanemoro, de onde creio não vá sair mais.

  10. Salvador, impressionante a Voyager ainda ter histórias pra contar! Muito bacana mesmo! Abraços, Ivan

    1. Salva, onde afinal anda a Voyager 1 afinal? Alguns cientistas afirmam que ele saiu do Sistema Solar, posição refutada por outros. Ainda há alguns que afirmam que ele está numa zona chama heliosfera, zona ainda dentro do Sistema Solar, dominada pelos ventos solares. Gostaria de saber se existem mais informações atualizadas e confiáveis a respeito, além de saber até quando receberemos sinais dessa máquina incrível. Abs.

      1. A Voyager 1 está a cerca de 137 UA de distância e segue transmitindo. Ela cruzou a heliopausa, ou seja, na saída da heliosfera, onde o vento interestelar já domina sobre o solar. Por isso, diz-se que ela deixou o Sistema Solar. Mas, naturalmente, ela ainda não curzou a órbita do objeto mais distante a girar em torno do Sol. Há objetos na nuvem de Oort a um ano-luz de distância do Sol! Suas baterias devem permitir o envio de telemetria até 2040, se não me falha a memória.

      1. Mas no artigo os pesquisadores deram a entender que os sinais são atípicos e seria difícil alguns tipos de causas naturais ou acidentais dos próprios radiotelescópios ALMA.

        1. Geraldo, mas quem leu o estudo falou que está cheio de buracos e possíveis falhas de instrumentação.

          1. Eu acho que um sinal que você vê idêntico em 234 estrelas parece ser um artefato do seu equipamento, mais do que um sinal de verdade…

          2. Me lembrei da piadinha abaixo (adaptada para a era do politicamente correto):

            PortuguêsAlemão no médico:

            -Doutor, em todo lugar que eu ponho o dedo eu sinto dor! Ponho o dedo na perna, dói. Ponho o dedo no braço, dói. Ponho o dedo na cabeça, dói. Será que eu tenho algo grave?

            -NÃO MANUELHANS.VOCÊ SÓ TEM UM DEDO QUEBRADO!

          3. Fou denunciar comentarrista EuTM por causa da comentárrio prreconceituosso contrra nós alemons. É inaceitáfel que em plena século 21 ainda essista cherrmanofopia!

          4. Mesmo sendo o equipamento o radiotelescópio ALMA do Chile, em que foram investidos milhões de dólares nele e já se divulgaram outras descobertas que usaram o mesmo?

          5. Eu acho que um sinal que você vê idêntico em 234 estrelas parece ser um artefato do seu equipamento, mais do que um sinal de verdade…

            Salvador Nogueira – 24/10/2016 9:28 pm –

            Mesmo sendo o equipamento o radiotelescópio ALMA do Chile, em que foram investidos milhões de dólares nele e já se divulgaram outras descobertas que usaram o mesmo?

            Geraldo Carmo – 25/10/2016 3:24 pm –

            Perdi o contexto para responder…

            Salvador Nogueira – 25/10/2016 4:26 pm –

          6. A observação não foi feita com o ALMA. O sinal nem é de rádio. Escreverei sobre isso em algum momento do futuro, se o pesquisador responder às perguntas que mandei a ele. Mas eu não prenderia minha respiração por isso aí. Pode ser incrível, mas provavelmente não é nada.

        2. Ó pá, mas esse EuTM nem sabe usar a computadora correctamente! Erra o nome do gajo e nem sabe apagaire! 🙂

        1. Eu explico!

          Transtorno de personalidade masoquista

          Os critérios estabelecidos são:

          A) Um padrão invasivo de comportamento autodestrutivo, a partir da idade adulta e presente em uma variedade de contextos. A pessoa pode muitas vezes evitar ou minar experiências prazerosas, ser atraído por situações ou relacionamentos em que vai sofrer e evitar que outras pessoas o ajude, como indicado por pelo menos cinco dos seguintes:
          -Escolhe pessoas e situações que levam ao desapontamento, fracasso, ou maus-tratos, mesmo quando melhores opções estão claramente disponível
          -Rejeita ou torna ineficazes as tentativas de outras pessoas para ajudá-la
          -Eventos pessoais positivos (por exemplo, a nova realização) é seguido por depressão, culpa, ou um comportamento que produz dor (por exemplo, um acidente)
          -Incita respostas irritadas ou rejeição dos outros e, em seguida, sente-se ferido, derrotado, ou humilhado (por exemplo, gosta de ser o divertimento do cônjuge em público, provocando uma réplica com raiva, em seguida, sente-se devastado)
          -Rejeita oportunidades para o prazer, ou não está disposto a reconhecer e desfrutar a si mesmo (apesar de ter habilidades sociais adequados e a capacidade para o prazer)
          -Não consegue realizar tarefas cruciais para seus objetivos pessoais, apesar de demonstrar capacidade para o fazer, por exemplo, ajuda a colegas em algo, mas é incapaz de fazer o mesmo para si
          -É desinteressado ou rejeita as pessoas que sempre o trata bem, por exemplo, não tem atração por parceiros sexuais afetuosos
          -Se envolve em excesso de auto-sacrifício não solicitadas pelos destinatários do sacrifício
          B) Os comportamentos em A não ocorrem exclusivamente em resposta a, ou em antecipação, de ser física, sexual ou psicologicamente abusado.
          C) Os comportamentos em A não ocorrem somente quando a pessoa está deprimida.

        1. Um contexto religioso repressivo explicaria muita coisa.
          Ou um complexo de messias, cuja própria ridicularização o legitimaria.

          O Enri Cristo uma vez respondeu como consegue aturar tanto xingamento: (com minhas palavras)

          “- Se não me xingassem, se não me ‘cuspissem’, eu me sentiria arruinado, desgraçado.”

  11. Bem que certo pesquisador, conforme post aqui no blog, disse que para dissecar o sistema solar completamente levará centenas a milhares de anos . Né não, Salvador ?

  12. Acho perfeitamente possível a existência de mais duas luas em Urano, conforme a análise das imagens da sonda Voyager 2.

  13. Salvador, existe previsão de alguma missão para visitar/explorar Netuno e Urano ? Já faz tempo que Voyager 2 passou por lá !

    1. Não há nada concreto. Apenas alguma conversa na Nasa para iniciar a geração de ideias para um orbitador para eles, mas nada com data, plano ou orçamento no momento.

Comments are closed.