Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Astronomia: Os destaques espaciais de 2017

Por Salvador Nogueira

Dois eclipses solares, fim de missão a Saturno e uma corrida para a Lua marcarão 2017.

SOL ENCOBERTO
O ano de 2017 terá dois eclipses solares visíveis do Brasil, um em 26 de fevereiro e outro em 21 de agosto. Em alguns locais do globo eles serão totais, mas, por aqui, apenas parciais. Enquanto o primeiro será visível nas regiões mais ao sul do país, o segundo só se exibe aos moradores do extremo norte. Em ambos os casos, será uma ótima oportunidade para ver a Lua passando à frente do Sol e os terraplanistas malucos se debatendo para explicar o que de fato está acontecendo ali.

O FIM DA CASSINI
Depois de quase 20 anos, a missão da sonda Cassini a Saturno chegará ao fim. Entre abril e setembro de 2017, a espaçonave fará voos rasantes sobre o planeta, passando mais perto dele que os anéis, e enfim mergulhará em sua atmosfera, terminando como uma estrela cadente no céu saturnino. O final apoteótico fornecerá informações valiosas sobre a estrutura interna de Saturno e ajudará a entender a origem e a idade de seus majestosos anéis.

Imagem da Cassini revela detalhes do planeta Saturno. Sonda chegou ao planeta dos anéis em 2004. (Crédito: Nasa)
Imagem da Cassini revela detalhes do planeta Saturno. Sonda chegou ao planeta dos anéis em 2004. (Crédito: Nasa)

O NOVO CAÇA-PLANETAS
Enquanto algumas missões chegam ao fim, outras têm seu início. Um novo satélite caçador de exoplanetas da Nasa, o Tess, deve ser lançado em dezembro de 2017. Seu principal objetivo é descobrir uma nova baciada de mundos potencialmente similares à Terra em nossa vizinhança interestelar e, com isso, identificar alvos que possam ter sua composição química estudada.

UM PEDACINHO DA LUA
Ao longo de 2017, a China pretende lançar a sonda robótica Chang’e 5, que viajará até a Lua para colher uma amostra de sua superfície e trazê-la de volta à Terra. Em 2013, os chineses realizaram o primeiro pouso suave na Lua desde 1976, com a Chang’e 3. Agora, tentarão pela primeira vez trazer um pedacinho da Lua de volta para a Terra.

O jipe Yutu fotografa o módulo da Chang'e-3, que o trouxe até a Lua em 2013. (Crédito. CNSA)
O jipe Yutu fotografa o módulo da Chang’e-3, que o trouxe até a Lua em 2013. (Crédito. CNSA)

CORRIDA MALUCA
E, por falar em Lua, até 31 de dezembro de 2017 diversas equipes privadas internacionais tentarão levar seus veículos ao solo lunar e, com isso, ganharem uma bolada de US$ 20 milhões, oferecida pelo Prêmio X Lunar Google. Quem chegar primeiro leva. Vai valer a pena acompanhar.

BÔNUS: O CÉU DE JANEIRO/2017

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade