Mensageiro Sideral

De onde viemos, onde estamos e para onde vamos

 -

Salvador Nogueira é jornalista de ciência e autor de 11 livros

Perfil completo

Publicidade

Astronomia: O que vem aí em 2018!

Por Salvador Nogueira

De possível voo lunar tripulado até o fim do ano à busca por vida em Marte, 2018 promete.

CARRO NO ESPAÇO
Janeiro começa quente, com o primeiro voo do foguete Falcon Heavy. No lançamento de teste, a empresa SpaceX deve colocar um carro da Tesla no espaço. E, seja qual for o resultado, ele deve pavimentar o caminho para voos tripulados ao redor da Lua, algo que não ocorre desde 1972. A SpaceX chegou a prometer o primeiro deles para o fim de 2018. A data é ambiciosa, mas o objetivo nunca foi tão factível.

DE VOLTA AO JOGO
Este também deve ser o ano em que os EUA voltam a ter a capacidade de mandar astronautas ao espaço, o que já não têm desde a aposentadoria dos ônibus espaciais, em 2011. Neste ano devem ocorrer os primeiros testes das cápsulas tripuladas Dragon V2 (SpaceX), em abril, e Starliner (Boeing), em agosto.

DA TERRA À LUA
Enquanto isso, na China, a ambição segue em alta. Os chineses planejam lançar em 2018 o primeiro módulo de sua estação orbital e, até o fim do ano, devem se tornar os primeiros no mundo a enviar um jipe robótico ao lado afastado da Lua, com a missão Chang’E-4.

MARTE ATACA
O ano promete para os fissurados por Marte. A Nasa quer lançar, em maio, e pousar, em novembro, um robô sismólogo por lá, o InSight. Fora isso, é em 2018 que o orbitador europeu Gas Trace Orbiter passará a colher dados científicos — é a Europa iniciando a busca por evidências de vida no planeta vermelho.

REINO DOS ASTEROIDES
No espaço profundo, teremos dois encontros empolgantes para os fãs do estudo de asteroides: a japonesa Hayabusa-2 chegará ao Ryugu, em julho, e a americana Osiris-Rex, ao Bennu, em agosto. Ambas devem colher amostras para trazer de volta à Terra.

GRANDES VOOS
Por fim, teremos vários lançamentos científicos importantes. Entre março e junho, a Nasa deve lançar seu próximo satélite caçador de exoplanetas, o Tess. Depois de junho, um experimento educacional brasileiro deve ir à Estação Espacial Internacional. Entre julho e agosto, deve partir a sonda Parker, que vai roçar a alta atmosfera do Sol. E em outubro os europeus lançarão sua primeira sonda a Mercúrio, a BepiColombo.

A coluna “Astronomia” é publicada às segundas-feiras, na Folha Ilustrada.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Blogs da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade