Micróbios ETs podem ter colonizado a Terra

Olha a vida chegando na Terra aí, gente!

Os ETs podem estar entre nós. Ou, pelo menos, as bactérias ETs. Um novo estudo acaba de demonstrar que criaturas unicelulares embarcadas no interior de meteoritos podem sobreviver à entrada na atmosfera terrestre e seu subsequente impacto na superfície.

O trabalho, coordenado por Dina Pasini, da Universidade de Kent, no Reino Unido, foi apresentado durante o Congresso Europeu de Ciência Planetária, na semana passada. Ela usou uma espécie de alga unicelular oceânica chamada Nannochloropsis oculata, inserida em pequenas pelotas congeladas.

Foi quase uma sessão de tortura microbiana. Com uma pistola de pressão, ela disparou os projéteis a velocidades extremamente altas, na direção de um corpo d’água. Aí foi ver se alguma coisa sobreviveu ao impacto.

“Como você poderia esperar, aumentar a velocidade do impacto aumenta a proporção de morte das algas”, explica Pasini. “Mas mesmo a 6,93 km/s [cerca de 25 mil km/h], uma pequena proporção delas sobreviveu. Esse tipo de velocidade de impacto seria o que você esperaria se um meteorito atingisse um planeta similar à Terra.”

O trabalho vem se juntar a um corpo já respeitável de estudos que mostram que formas de vida simples podem se transferir de um corpo celeste a outro pegando carona em meteoritos. Ben Weiss, do MIT, já demonstrou em 2000 que meteoritos originários de Marte, como o famoso ALH 84001 (que supostamente teria sinais de bactérias marcianas, embora a comunidade científica hoje duvide disso), podem atravessar o espaço e chegar à Terra sem ser completamente esterilizados.

Estudos como o de Weiss mostram que rochas e gelo podem proteger formas de vida no interior do meteorito de perigos espaciais como radiação e variação térmica. Mesmo na entrada atmosférica, só a camada exterior da rocha superaquece, enquanto o interior permanece praticamente na mesma temperatura.

É a hipótese da panspermia — a vida se transfere de um planeta a outro — ganhando cada vez mais força. Recentemente, outro cientistas respeitável, Steve Benner, sugeriu que a vida terrestre pode ter surgido em Marte antes de se instalar por aqui.

A essa altura, é muito cedo para afirmar qualquer coisa a esse respeito. Ainda não compreendemos suficientemente a origem da vida para dizer onde e como ela pode ter acontecido.

De todo modo, há um jeito de testar a hipótese: encontrando formas de vida em Marte. Ao compará-las às terrestres, será fácil identificar um parentesco — se houver.

Claro, se fosse fácil achar vida em Marte, já teria sido feito…

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Comentários

  1. Devido à imensidão universal creio que a panspermia seja não só possível quanto também corriqueira, em se tratando, claro, de seres não muito complexo. Porém, de algum lugar a vida vai ter que se originar, então, acho plausível que a origem a partir de moléculas inorgânicas por aqui pela Terra mesmo seja mais adequada para inserir nas teorias atuais sobre a gênese. Sobre um criador a coisa fica meio paradoxal, pois logicamente a sua origem também deveria explicada. Agora o ancestral comum tá mais do que provado, tanto que os cientistas nem dão mais bola para contestações. As evidências estão em toda parte( na parte reptiliana do cérebro, nas características fisiológicas das espécies, nos fósseis, no genoma e etc). Até o Vaticano, no seu segundo conselho, entendeu como válida a evolução das espécies. Realmente galera, discordar do ancestral comum é ir contra uma legião de cientistas e evidências corroboradasplr mais de um século de pesquisas. É necessário um imenso exercício mental para anular tudo isso e continuar descrente, afinal, porque diabos esse monte de cientistas passaria a vida estudando um farsa ou uma hipótese sem embasamento?

  2. Ola Sergio Nogueira, gostaria de fazer uma pergunta. Você acredita que se os órgãos competentes tivesse a informação de que ha vida inteligente em outro planeta eles iriam compartilhar com população mundial?

    1. Marcio, acredito sinceramente que sim. Os descobridores conseguiriam alavancar muito suas pesquisas (obter mais recursos) com esse tipo de notícia.

  3. Sou completamente leigo no assunto por isso te faço uma pergunta, seria aceitável deduzir que a vida na terra se originou de tais eventos? como uma chuva de meteoritos trazendo vários organismos e a partir disso surgiram varias especies que evoluíram e(…) O motivo da minha curiosidade em relação a isso é porque não consigo concordar com aquela teoria de que toda a vida se iniciou a partir de uma única forma de vida 🙁
    Já que estou com a mão na massa, aproveito pra fazer outra pergunta que tem um caráter mais pessoal. Salvador, sabendo da imensidão do universo e que alguns estudiosos estimam existir mais de 100 bilhões de galaxias, até que ponto você acredita em alguma forma de intervenção divina?
    *aguardo resposta na esperança de iluminar um pouco essa minha pobre mente ignorante kkkkkk
    se possível gostaria ainda que me indicasse algum material 🙂
    desde já agradeço…

    1. Ricardo, começando pela mais fácil, sim, a vida poderia ter começado no espaço e chegado aqui pormeteoritos. Contudo, é fato também que todas as criaturas vivas na Terra tiveram um ancestral comum. Então, se seres de diferentes origens chegaram aqui, só uma das linhagens de fato prosperou.
      Sobre a questão divina, é assunto para um livro inteiro. Em essência, na minha opinião pessoal, a biologia não deixa muito espaço para intervenções divinas. A vida parece um processo natural no Universo em que vivemos. Já quando o assunto é o nascimento do Universo, em si, aí a coisa se complica mais. Não que algo como Deus seja necessário, mas há coincidências que a ciência, sozinha, não consegue esclarecer além de qualquer dúvida.

      1. obrigado pela resposta, vou procurar estudar para poder compreender melhor esse fato de todas as criaturas evoluírem de um ancestral em comum.
        Em relação a segunda pergunta era realmente sobre o nascimento do universo, existem muitas teorias e não consigo ainda ter preferencia por nenhuma. kkkkk
        Parabéns pelo blog, vou continuar acompanhando e recomendar para amigos… você ganhou um fã kkkk

  4. Salvador Nogueira, a música/letra acima chama-se ASTRONAUTA, uma composição inesquecível de Pingarilho e Marcos Vasconcellos…grandes compositores da MPB, arquitetos (creio que infelizmente já falecidos)…

  5. …Ela agora mora só no pensamento, ou então no firmamento, em tudo que no céu viaja, pode ser um astronauta ou ainda um passarinho, pipa de papel de seda ou quem sabe um balãozinho, pode ser a estrela D’alva que daqui se olha, pode estar morando em Marte, nunca mais se soube dela, desapareceu, desapareceu…Pingarilho e Marcos de Vasconcellos, compositores inesquecíveis…

    1. Asteroide é o que está no espaço; meteoro é o asteroide que entrou na nossa atmosfera; meteorito é o meteoro que não queimou na atmosfera e chegou ao chão! Abraço!

  6. Salvador Nogueira, essa ideia de uma bactéria interplanetária aportar na Terra dentro de um asteróide é fascinante, mas a NASA já deve tê-la analisado exaustivamente ( ou não???)…Se houvesse algum perigo para a humanidade o assunto já teria sido divulgado …

  7. Quem ate hoje provou que mutação cria forma de vida diferente? se acredita nisso, porque cientista não reproduzem o ”feito?”
    Porque você fala em ciência que não se reproduz no laboratório?Se nãos e reproduz, é necessário fé, pra usar a fé prefiro crer na criação – a evidencia são as multiplas formas de vida – que não poderia, surgir de matéria inanimada. só isso ta bom pra vc?

    1. Os cientistas já cansaram de fazer isso. Aliás, um dos feitos mais incríveis da ciência moderna foi transformar uma bactéria em outra, com um transplante de DNA. Inserindo apenas trechos novos, é possível criar novas espécies. Em essência, os transgênicos são isso. A evolução nada mais é que uma fábrica de transgênicos muito lenta, operando transformações ao acaso. E isso está mais do que comprovado por n experimentos e observações, feitas nos últimos 150 anos.

      1. Discordo totalmente dessa visão. Em momento algum a ciência comprovou que existiu um ancestral comum para todas as formas de vida atualmente existentes. O que se fez em laboratório foi apenas uma inserção de um genoma substituindo um outro que já existia, criando uma espécie de quimera e de modo artificial. Nunca se comprovou que a natureza pudesse fazer isso espontaneamente. Com os transgenicos acontece a mesma coisa. Quanto à evolução ser ‘lenta’ já se comprovou exatamente o contrário, ou seja, muito mais rápido do que se imagina (cerca de 5 vezes segundo um trabalho recente publicado no Science Daily). Quanto a ser ‘ao acaso’ também já foi descartado por trabalhos científicos dizendo que pode ser tão previsível que se a fita fosse ‘rebobinada’ tudo aconteceria exatamente como aconteceu. Aliás, a própria teoria do ancestral comum já põe por terra a hipótese do acaso, pois nessas condições nada impediria que se formassem inúmeros organismos primordiais, cada um deles com características diferentes do outro, e não um único tipo que depois se modificaria de forma tão previsível, de acordo com as variações do meio ambiente

        1. Ao analisar os genomas de todos os seres vivos, percebe-se sua origem comum. Inclusive há boa correlação entre o registro paleontológico e a filogenia (reconstrução da árvore genealógica dos seres vivos baseada no DNA).

          1. Existem hoje cerca de 1,7 milhão de espécies vivas conhecidas, das quais apenas cerca de 27000 tiveram seus genomas sequenciados, o que daria ínfimos 1.6% desse total. Além disso, dessas 27000, cerca de 23000 (85%) são de procariotas, dos quais não temos registros fósseis. E mais, a simples presença dos mesmos elementos constituintes no genoma não significa necessariamente uma origem comum, e sim que os mesmos componentes foram usados na construção de um organismo de modo que pudesse funcionar como tal, ou seja, se fossem diferentes componentes não funcionaria como deveria, da mesma forma por exemplo que não podemos fazer computadores (que são produzidos independentemente entre si) usando componentes eletronicos unidos com massa de vidraceiro ao invés de soldas metálicas e querer com isso que ele funcione

  8. roda roda roda…e acabam quase que aceitando a criação. 1º ciência não contesta sequencia descrita na bíblia, agora e não é de hoje vemos a defesa da teoria que a vida veio de fora, mais um pouco irão usar a teoria que uma força trasportou (criou a vida) falta pouco…ja que não conseguira aqui na TERRA sair da 1 célula, nem isso sabem, e querem dispensar um forma criativa e inteligente – atribuindo ao acaso todo tipo de vida na terra…JOGUEM A TOALHA LOGO

    1. Criação divina??? Até onde eu saiba essa hipótese já foi descartada a muito tempo. A não ser na cabeça dos crentes, é lógico. Já para os pensadores e estudiosos preferem pesquisar por coisas mais sérias.

  9. NÃO SE ESQUEÇAM QUE OS LABORATORIOS QUE ANALISAM O SOLO MARCIANO E QUE ESTÃO EM MARTE A MAIS DE 8 ANOS, FORAM PRODUZIDOS POR UM FÍSICO DA VALE, DR.PAULO SOUZA…BRASILEIRO, MATOGROSSENSE QUE HOJE MORA E TRABALHA NA TASMÂNIA/AUSTRALIA, ELES EQUIPAM OS DOIS ROBOS DA NASA QUE ESTÃO EM MARTE.

  10. Essa hipótese com certeza é muito mais plausível do que aquela estorinha que diz que o homem foi feito do barro e a mulher de uma costela…

    1. Pois é paulo, é preciso ser muito mais “CRENTE” e ter muito mais”FÉ” do que os criacionistas para ACREDITAR que derrepente em algum momento do tempo e espaço ALGO se originou do NADA…
      a pergunta aqui para mim não é nem tanto se a vida se originou aqui na terra ou fora dela, mas antes: COMO TUDO COMEÇOU?
      Se retroargirmos até o ponto inicial sabemos que chegaremos ao NADA ABSOLUTO ou seja não havia partículas, micro-organismos, forças gravitacionais, gases, composições químicas etc, NÃO HAVIA ABSOLUTAMENTE NADA.
      È neste ponto inicial que quero que vocês evolucionistas me respondam: COMO O NADA PODE PRODUZIR ALGO?????
      Sim porque quando se fala em Big Bang fala-se de coisas já existentes: gases químicos, poeira cósmica, Forças gravitacionais e por ai vai, mas torno a perguntar: QUEM, OU O QUE OU COMO FORAM CRIADOS estas coisas?? DE ONDE VIERAM SE ANTES NÃO HAVIA NADA E ELAS ERAM INEXISTENTES?

      A ciência provou que a EXISTÊNCIA PRODUZ EXISTÊNCIA e não o contrário e ilógico e impossível: A INEXISTENCIA PRODUZIR EXISTÊNCIA.
      sendo assim e a não ser que você afirme outro ABSURDO LÓGICO, de que estas partículas, gases e forças SEMPRE EXISTIRAM SÃO ETERNAS, então PREFIRO acreditar na teoria do DESING INTELIGENTE, ou seja houve um projetista, que criou e ordenou todo o processo da criação inclusive os gases, poeiras, forças que deram origem ao BIG BANG!
      Quanto a questão da matéria se a vida se originou de fora para mim que creio no desenho inteligente A RESPOSTA É SIM! a vida veio de fora da terra projetada por uma mente superior e com poderes para tal de forma que ordenou tudo em cada minimo detalhe a maneira como ele fez isso será pura especulação por enquanto até que se provem como foi este processo: micro-organismos vindo de asteroides e posteriormente se desenvolvendo aqui, CRIAÇAO DIRETA DE ORGANISMOS E ESPECIES etc…
      Como você é um GRANDE PENSADOR E ESTUDIOSO creio que me responderá adequadamente afinal a pergunta que te façoe é pertinente e COISA SÉRIA!!

      1. Então houve um projetista??? Interessante… mas de onde veio esse projetista??? Será que ele surgiu… do nada???

  11. Marcelo gleiser em seu livro ( criacao imperfeita) disse que a ciencia acredita que e quase impossivel vidas vindas em meteoros sobreviver a tragetoria do espaço e ao impacto que ela sofre na terra. Mas a vida sempre surpreende. Vamos esperar.

  12. O estudo é interessante mas eu faria a pergunta ao contrário. Caso detectem rastros de vida em Marte e semelhante a nossa, será que não fomos nós que contaminamos Marte? Entre todos os Planetas do sistema Solar o nosso aparentemente foi o único que desenvolveu vida. Porque ela teria se originado em algum outro? Não me parece necessário. As condições aqui já eram boas o suficiente. Se foi necessário um pontapé inicial? Porque tem que ser extra terrestre? Agora se a hipótese considera a vida de outros sistemas planetários, ai acho mais difícil ainda, pois os seres primitivos teriam que sobreviver a dezenas ou centenas de milênios no espaço interestelar. Acho mesmo que tudo começou aqui……

    1. Paulo, aí tem várias coisas. Primeiro, as rochas vêm de Marte para cá muito mais do que vão de cá para lá (para baixo, todo santo ajuda, como diz o ditado). Segundo, a vida surgiu na Terra muito depressa. Assim que surgiram as condições boas, lá estava ela. Isso faz alguns desconfiarem que ela já estava pronta, ou semipronta, quando a Terra se mostrou habitável. De toda forma, é perfeitamente válido que a vida tenha surgido na Terra e depois migrado para Marte. Agora, para confirmar, só achando uns micróbios marcianos…

      1. Junte este estudo como aquele que mostra que a água é muito mais comum no universo do que pensávamos e que pode surgir como um processo natural no espaço, fora de planetas, e chegaremos a conclusão que a vida pode ser regra e não exceção. Além disto consegue se disseminar por ai. É questão de tempo encontrá-la fora daqui….

      2. Salvador, não seria melhor dizer que Marte tem 1/6 da gravidade da Terra e que é bem mais provável que uma rocha se desprenda de lá pelo impacto de um meteorito, do que daqui?

        1. Na verdade, pelo que me lembre, a gravidade de Marte é 40% da terrestre. Um sexto é a da Lua. De todo modo, sim, a gravidade menor de Marte ajuda a tirar detritos de lá e mandar para cá.

      3. É completamente válido que a vida na terra possa ter se espalhado e contaminado outro planeta no impacto do meteoro que matou os dinossauros. Sua ideia é interessante até, mas vem um problema, como analisar se a vida saiu da terra e caiu em outro planeta sem termos condições científicas de alcança-lo? Um bom estudo seria ir num planeta que possui vida, semelhante a nossa e analisar os dois organismos. Marte é uma boa aposta, por isso eles tão olhando bem direitinho lá. E quanto a vida ser regra, se você der uma determinada probabilidade e um número infinito de chances, mais hora, menos hora isso vai acontecer. 😉

    2. Paulo, não sei o grau de credibilidade que tu da a Wikipédia, mas ela algumas cláusulas pétreas. Quando o assunto é astronomia Suméria ninguém consegue alterar o texto editado.
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Sum%C3%A9ria#Astronomia
      Nela, Nibiru é uma realidade, como também para que já leu Z Sitchin. O Enuma Elish sumério (Epopeia da Criação), Batalha Celeste ou Grande Colisão, nos fala justamente do que aconteceu na formação do sistema solar há + ou – 5 bilhões de anos. Trata-se de um acontecimento astronômico que deu origem a Terra na sua posição atual, e por consequência a semente da vida aqui foi depositada. Todos os planetas ao redor da nossa estrela são oriundos de Tiamat, considerada a mãe de todos, Tehom – Rabah do Gênesis. A primeira plaqueta do Enuma Elish é composta pelo Apsu (Sol), Mummu (Mercúrio) e Tiamat), com nascimento dos outros astros ela fixou-se entre Marte (Lahmu) e Júpiter (Kishar). Antes do primeiro bilhão de ano, um planeta desgarrado é atraído, e ruma em direção ao centro do sistema solar, entrando em rota de colisão com Tiamat, um dos seus satélites atingiu-a, e depois o próprio Nibiru, uma parte espedaçou-se, tornando- se o Cinturão de Asteroides que existe entre Marte e Júpiter, e a outra metade foi impulsionada para onde estamos hoje. A partir daí Nibiru passou a ser membro sistema solar, com uma órbita de 3600 anos, sendo a próxima passagem prevista para 2900. Com a colisão, houve mistura de gases e componentes químicos, etc, etc. e a semente da vida aqui foi deixada. A vida rica evoluiu lá, a mais simples aqui, assim explica-se a longevidade dos anunnaki, a quem os sumerios creditavam todo o seu conhecimento. A grande profundidade do oceano Pacífico, é resultado do lento processo de cicatrização da parte dividida.

  13. Vai confirmando-se a teoria dos astronautas antigos, mudando na fase inicial, apenas o nome e o tempo, para teoria dos micróbios ets antigos.

Comments are closed.