A (não tão) Grande Mancha Vermelha

Salvador Nogueira

Novas imagens do Telescópio Espacial Hubble revelam que a Grande Mancha Vermelha de Júpiter talvez precise de um novo nome em breve. Atualmente, ela está mais para a Modesta Mancha Vermelha, atingindo seu menor tamanho desde que começamos a observá-la, lá no século 17. Será que vai sumir?

Sequência de imagens mostra a recente diminuição da Grande Mancha Vermelha
Sequência de imagens mostra a recente diminuição da Grande Mancha Vermelha

Esse processo de diminuição já foi identificado há quase um século (mais precisamente, na década de 1930), mas de uns tempos para cá o processo de encolhimento se acelerou. Estima-se que no final do século 19, sua largura fosse de cerca de 41 mil km — espaço mais que suficiente para colocar três Terras, uma do lado da outra. Quando as sondas Voyager passaram por Júpiter, entre 1979 e 1980, o tamanho tinha caído para cerca de 23 mil km.  Em 1995, uma imagem do Hubble indicou que ela estava com 21 mil km. Em 2009, nova observação indicou que ela estava com cerca de 18 mil. E agora atingiu modestos 16.500 km — um pouco mais que uma Terra de largura (12.756 km).

Sabemos que a famosa mancha é basicamente uma tempestade gigantesca na turbulenta atmosfera de Júpiter — um planeta gigante gasoso com cerca de 142 mil km de diâmetro. Sua presença constante ao longo dos séculos fez supor até que ela fosse até um traço permanente no planeta — um furacão que nunca se dissipa. Contudo, está cada vez mais claro que algo diferente está acontecendo agora, e a tempestade está diminuindo sua intensidade.

A essa altura, a mancha está se tornando esférica e perdendo, desde 2012, cerca de 1.000 km de largura por ano. Fazendo uma projeção linear, nesse ritmo, ela poderia sumir em menos de duas décadas. Mas a verdade é que ninguém sabe o que vai acontecer, até porque ainda não sabemos o que está rolando. Os pesquisadores liderados por Amy Simon, do Centro Goddard de Voo Espacial da Nasa, acreditam que o encolhimento é resultado da interação da mancha com pequenos redemoinhos que estão se alimentando da tempestade maior. “Nossa hipótese é que eles sejam os responsáveis pela mudança acelerada ao alterar a dinâmica e a energia internas da Grande Mancha Vermelha”, diz.

Seja qual for o destino final da Grande Mancha Vermelha, essa é uma história que nos ajuda a refletir sobre as diferenças de escala temporal em eventos astronômicos. Uma olhada casual para o céu nos dá a impressão de que o cosmos em geral e o Sistema Solar em particular são estáticos, pacatos e ordeiros. Os planetas são como sempre foram. Mas isso é uma ilusão. Na verdade, grandes dramas se desenrolam na evolução do Universo, e só não os percebemos porque uma única vida humana dá uma escala de tempo insuficiente para observar essas tragédias cósmicas, dignas do teatro grego. Talvez tenhamos de ensinar aos nossos filhos e netos que um dia Júpiter teve uma Grande Mancha Vermelha, que durou por séculos, mas depois desapareceu sem deixar vestígios. Ou talvez ela volte a crescer e diremos a eles que no nosso tempo ela chegou a ser bem mais modesta.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook

Comentários

  1. É uma diminuição gradativa e substancial, se continuar nesse ritmo médio de cerca de 1,5km ao dia, teremos ainda uns 30 anos pela frente até que ela desapareça por completo. Até lá eu serei um senhor de quase 60 anos, se vivo estiver! hehehe
    De outra monta, a dinâmica dessas tempestades é desconhecida, mesmo na terra, pode ser que com a perda gradual de sua força, chegue a um ponto em que os ventos atmosféricos liquidarão a mancha ainda mais rápido, ou mesmo o contrário; farão que com ela se cresça.
    Aliás, já li há algum tempo atrás que a mancha vermelha que vemos hoje pode ser diferente daquela observada no século XVII, pois ela ficou mais de 1 século sem ser observada.
    Estou enganado?!

  2. Quanta bobagem. Deus não é o tipo de coisa sobre a qual se aplica existir ou não existir. Mesmo que a linguagem pareça permitir elaborar essa questão, simplesmente não é uma questão. Uma pergunta mais simples resolve: “onde deus acaba e onde deus começa” e “se deus não existir, como saberemos” e outra “como será que podemos saber se uma manifestação é deus ou é um duende?”
    Se essas perguntas forem respondidas, deus pode existir mas ainda não prova sua existência.

  3. É capaz de ela já ter desaparecido, pelo tempo que leva, em anos luz, para que essas imagens chegar até nós.

    1. Não, Astério. Dependendo da órbita de cada planeta, isso só seria possível se a mancha tivesse desaparecido instantaneamente(o que seria impossível naturalmente) há uns 44,3 minutos antes da última imagem ter sido feita. É o tempo em média que a luz leva pra chegar de Júpiter até aqui.

  4. Cada vez que aparece uma notícia de cunho científico em qualquer que seja a mídia, logo vemos gente postando comentários com as teses mais estapafúrdias jamais vistas. O que denota que o conhecimento científico disseminado na população em geral é quase zero. Ainda hoje, em pleno século XXI vemos gente citar o criacionismo. É muita ignorância! Fora ainda os que demonstram total falta de noção das proporções do universo, desconhecimento absoluto de matemática e física, etc. O desconhecimento científico é um fardo muito penoso para um país que quer ser grande. Isso só vai ser remediado depois de muitas décadas de foco em educação, que um dia teremos que ter nesse nosso Brasil. Os leigos não conseguem compreender que, para se chegar ao estudo da reportagem, muito já se sabe sobre astrometria, libração, planetologia, a própria astronomia operacional, que é quem especifica os instrumentos e as experiências como as sondas e o Hubble, além de vários outros estudos, como os fractais de Mandelbrot que guia o estudo das formações de nuvens em Júpiter. Enfim, precisamos urgentemente de um choque científico nesse país.

  5. Boa Noite
    Caro Sr. Salvador
    Vamos ver se agora da certo, estou tentando terminar minha pergunta e toda hora cai.
    Sou leigo perto de seu conhecimento em ciências, portanto, perdoe-me se minha questão não tem lógica.
    O formato da tempestade não estaria mudando, (ficando mais redonda) em função de um aumento na gravidade exercendo uma pressão muito maior na mesma?

    1. João, a gravidade não tem como estar mudando porque a massa é constante. Deve ser algum efeito meteorológico mesmo. Abraço!

  6. Desculpe, mas não resisti. Nem Júpiter está mais aguentando a tal mancha vermelha. Se for em escala cósmica, ela deverá desaparecer do Brasil esse ano.

  7. Isso me faz lembrar…. o TOP GEAR 3000 (Super Nintendo)! Eita joguinho bão, as corridas finais eram em sistema bem perto do centro da via-láctea!

    😉

    1. Lembra daqueles motorzinhos com nano tecnology?? kkkk esse jogo era ótimo, cumprido pra barai!!!

    1. Acredito que nenhuma. Vimos o Shoemaker-Levy 9 colidir com Júpiter e não gerou fenômeno parecido.

      1. Tinha imaginado algo do tipo um núcleo de gelo, flutuando e se dissipando na atmosfera ou mesmo uma rocha. Mas você acabou com minha tragada teórica. rs.

  8. Salvador, duas questoes que um completo leigo faz:
    pq os planetas em sua maioria giram num unico sentido?
    corpos celestes (poeira,cascalho, etc) viajam a velocidades enormes, não são poucos, certo? como é a blindagem dos aparatos enviados ao espaço.
    grato

    1. Explicar a rotação e a translação padrão dos planetas não é difícil. Ela é resultado da formação dos planetas, a partir de um disco giratório. Difícil é explicar como alguns giram pro lado “errado”. Quanto à proteção contra impactos em espaçonaves, o espaço é vasto, o que reduz o risco de impacto. Mas grãos de poeira de fato colidem com elas, em altíssima velocidade. Felizmente, impactos que façam a sonda pifar são raros.

  9. Realmente essa tempestade em Júpiter é muito interessante , porque faz centenas de anos que ela está lá , e agora está se dissipando.

  10. ” Na verdade, grandes dramas se desenrolam na evolução do Universo”. Por isso que não me assusto muitocom esses negocios de mudancas climaticas, posso estar errado mas acho que seja natural, e se eu estiver certo não adianta eu me preoculpar rsrs.

    Queria saber de que tamanho( se pode se resumir a tamanho) de telescopio preciso para observar essa mancha, se alguem poder responder sem usar muita teoria seria otimo, mas se vir com teoria vale tambem.

    1. Eu tenho usado um de 114 mm e ainda não vi (com Barlow x3 com ocular de 25mm). Talvez com umas lentes mais poderosas seja possível.

      1. Eu também tenho um 114mm e ainda não é o ideal pra se ver legal, tem uma camerazinha que se acopla na ocular, mas é carinha pra burro, só pro Salvador mesmo q tem grana,kkkkk
        Um tele bom pra ver júpiter mais detalhadamente seria um de 200mm

  11. o que supostamente compõem o interior de Júpiter? apenas gás? há vestígios de algo sólido?

    1. Ninguém sabe se há um núcleo sólido no interior do planeta, mas os modelos de formação planetária sugerem que sim.

    2. Não existem bolhas de gases no vácuo porque as forças de repulsão são maiores do que as forças de atração entre as moléculas. Em temperaturas baixíssimas os gases passam para o estado líquido e depois para o sólido. Somente a grande força gravitacional dos sólidos que pode reter uma grande camada de gases. Portanto, tem um núcleo gasoso.

  12. Salvador..aproveitando alguns comentarios…qual sua teoria sobre o cinturao de asteroides.qual seria a funçao dele no sistema solar e para a vida na terra?Esse cinturao tem a forma de um “toróide”? Como uma sonda espacial atravessa esse cinturao? Tentativa e erro??

    1. Izidoro, o cinturão é bem menos denso do que se imagina. Diversas espaçonaves o atravessaram sem problemas. Há grande distância entre seus membros. Imagina-se que ele represente planetesimais (rochas formadoras de planetas) que acabaram não se reunindo para formar um mundo em razão da influência gravitacional de Júpiter.

  13. A missão Juno pode ajudar a responder porque a mancha está encolhendo?

    Se sumisse seria uma pena, acho que todo astrônomo amador tem como uma das metas conseguir ver com os próprios olhos essa mancha.

    1. Allison, eu acho triste também a perda da mancha. Mas não sei não se ela vai sumir. Pode ser que passe por ciclos de aumento e diminuição. A verdade é que previsão do tempo já anda bem na Terra, mas em Júpiter nem tanto. rs

      Talvez a missão Juno possa ajudar, sim, embora seu foco principal seja o estudo da magnetosfera de Júpiter.

  14. De acordo com seu descritivo “a famosa mancha é basicamente uma tempestade gigantesca na turbulenta atmosfera de Júpiter”, então parece-me que a atmosfera de Júpiter está se acalmando… Uma observação de diversas imagens ao longo do tempo pode mostrar se isso ocorre ou não (mas tem que observar tudo, comparar um ponto com outro e não limitar-se somente à mancha). Eu penso que isto tem à ver com meteorologia mas, infelizmente, nem aqui sabemos como fazer isto direito, pois a meteorologia estuda qualquer variação acima do solo – não leva em conta as variações de temperatura que ocorrem no próprio solo. Seria bom levar em conta dados do tipo – estrada com asfalto, congestionada ou não (os carros e seres vivos são usinas de calor), áreas com plantação ou em fase de semeadura, áreas com coloração clara/escura, etc. Creio que a implementação destes dados ajudará a meteorologia a melhorar sua precisão (hoje tá tipo Mãe Diná e qualquer “caipira” acerta mais, usando como instrumento 1 dedo babado apontando para o céu).
    Voltando a Júpiter, seria muito bom se algum fera da Meteorologia analisasse o fenômeno e pudesse opinar.

    Alô – chamando METEOROLOGISTAS para opinar sobre atmosfera de Júpiter, respondam por favor…
    — Respondam ou vou lançar sobre vocês a maldição da Chuva Preta (agora também disponível na sua Rodoviária preferida) —

    1. Marques, obrigado pelo seu outro comentário, em off. Adoraria tê-lo publicado. Abraço!

      1. Cheguei tarde de novo! Obrigado! Tenho em mente q a semente que sua mente plantou neste blog (uiii meu saco!) vai frutificar e que nosso Deus, o Ventilador, nos abençoe não soprando seu Vento e tudo o que ele transporta sobre nós.
        E, como bom meteorologista que não sou, eu prevejo chegar mais cedo na próxima vez.

  15. Li, acho que em alguma edição da Scientific American Brasil que, de acordo com alguma teoria de evolução do Sistema Solar, Júpiter seria o mais antigo dos planetas. Bom, pelo menos agora parece que essa tempestade deixará o velho ancião em paz logo mais…

  16. Quando esta tempestade atingir uns 500Km de diâmetro, acho que podemos chamá-la de modesta!
    Mas 16500km é maior que o diâmetro da Terra!
    Não gostaria de estar lá! rsrsrs

    Salvador, pode-se dizer que as linhas horizontais mostram as diferentes velocidades e composições da atmosfera ou apenas mostram as diferentes composições ? A atmosfera de Júpiter tem
    as mesmas variações de velocidades que o sol possui ?

    abs,

    1. Mamoru, mas para quem tinha 41 mil, 16 mil é modesto. Veja, por exemplo, o que acontece com quem investiu R$ 41 mil na Petrobras e hoje tem R$ 16 mil… rs

      1. Até tu S.N. !
        A Petrobrás não é uma quitanda, muito menos uma mancha planetária. Ha ha ha!

      2. As pessoas buscam de todos os lados encontrar um ponto para conter a matéria, porém, o autor busca esquadrinhar outras temáticas, e os argumentos negativos vão desmoronando-se um a um pela sagacidade de Salvador Nogueira.

        1. Não entendi dessa maneira não, Rogerp. Até agora só percebi, duvidas, perguntas e respostas. Tudo dentro do normal em um blog cientifico.

  17. A mancha vermelha do gigante Júpiter esta ativa a mais de 300 ano, Isso significa que ela não estava lá antes disso, certo?

    Moral da história: Tudo normal! Tempestade gigante para um planeta gigante! 😉

      1. Salvador, sempre sagaz em suas respostas, tão feérico que ofusca a mente dos mais inexperientes.

      2. Com esta resposta você me deixou com uma duvida, Salvador.

        Todos os artigos científicos que li sobre a grande mancha vermelha de Júpiter, se especula um período de atividade de aproximadamente 300 anos. Como conseguiram chegar nesse número?

  18. “e só não os percebemos porque uma única vida humana dá uma escala de tempo insuficiente para observar essas tragédias cósmicas”

    Apesar desta verdade inexorável, fato é que a cada geração as pessoas têm privilégios de apreciar aos resultados dos desenvolvimentos humanos e deixarem lições para as próximas e se olharmos para trás com uma visão leiga, seria engraçado pensar que cientistas por volta de 1850 achariam uma heresia o voo do mais pesado que o ar; hoje um A380 ou um Dreamliner ambos vazios devem pesar cerca de 500 toneladas ou ainda, se Cabral em sua nau de poucos metros pudessem ver super navios cargueiros de 800.000 toneladas de peso morto.

    Dos comparativos do passado com o presente é que podemos “delirar” como poderá ser o futuro próximo nas observações do Universo e suas consequências.

  19. Todo comentário deveria começar assim :

    “pela minha teoria eu acho que…..” . Quem tem a verdade ????

    1. Eu diria “pela minha opinião”. Já pensou se cada um de nós formulasse uma teoria?

      E a propósito, a verdade científica é aquela aceita pela maioria e comprovada cientificamente.

      1. Paulo, não sei se vc é morcego como eu, mas se for, dê 1 olhada na sua frase:

        “Já pensou se cada um de nós formulasse uma teoria?”

        — E agora o Jogo do 1 erros!!! —

        O correto é:
        “Já pensou se cada um de nós fumasse uma teoria?”

        P.S. Eu sou (hic) abstêmio.

  20. Sempre achei a imagem de Júpiter parecida com uma pintura. 😎
    Realmente, o tempo de vida humano é muito curto pra apreciar a dança do cosmos e a eterna mutação de tudo. E ao pensar em outras civilizações, será que a escala de tempo para eles seria parecida com a nossa? Quem sabe, eles não veriam as transformações do universo em time lapses?

  21. Pelo que observamos nas imagens, no entorno da mancha vermelha ,aconteceu muitas mudanças .

    1. Com efeito, podemos notar na sequência de imagens que a pista para a mudança de tamanho da Grande Mancha está na diferença notada claramente no seu entorno!

  22. Aos criacionistas : Por quê e para que Deus criou o gigante gasoso Júpiter ? Para enfeitar o espaço ou para aguçar nossas curiosidades e aprendizados ?

    1. Que porre! Entrei para fazer um comentário sobre o post e a primeira coisa que leio já é uma provocação inútil. Cheio de gente que se opõe vindo aqui só para continuar se opondo. Provou que Deus não existem com essa, Luiz?

      1. Fui mal Eduardo, desculpe . Cai no erro das provocações inúteis, mas vc há de concordar que provocações contrárias à ciência é um pé no saco, quanto provar ou não provar não cabe a mim e ninguém, a verdade segue seu curso inexorável sem olhar dos lados e para trás como a mansidão do leito dos rios.

        1. realmente a verdade segue seu curso inexorável, e de repente até a ciência tambem teve que se render a ela algumas vezes… só que a fé em Deus é um pouco mais confiavel do que algumas teorias cientificas, ou até mesmo ao desconhecimento total da ciencia, que caminha ainda com fé enquanto não tem a resposta concreta….como no caso da TEORIA DA ORIGEM DO UNIVERSO…NAS TEORIAS DESSA MATERIA AGORA LIDA…TEORIA DA EVOLUÇÃO… TEORIA… TEORIA …TEORIA, SO QUE ADMITO, COM BASE EM CONHECIMENTO CONCRETO assim como minha fé em Deus,,, pois como seria possível que alguém que viveu 400, 800, 600, 320 anos ANTES possa prever acontecimentos tão precisos anos depois, levando em conta que um ser tão desprezível o havia alertado, com datas, horas, tempos exatos, como a profecia de Ezequiel sobre a cidade de TIRO cumprida historicamente nos tempos de ALEXANDRE O GRANDE? … Para acreditar na ciência não precisa desacreditar em Deus… ele também se auto tem comprovado pelos inquestionáveis fatos históricos… PROCURE ESTUDAR UM POUCO MAIS SOBRE DEUS antes de desprezar totalmente a sua existência.

          1. Você sabe o que é uma “Teoria” na ciência?

            Pelo seu comentario ja vi que não!

            Estude um pouco mais e volte aqui para corrigir seu comentario, vai ser bem vindo seu retorno. 😉

            Abraços

        2. ADMITO…EXISTEM MUITAS BOBAGENS SOBRE A FÉ EM DEUS… MAS EXISTE MUITA COISA INTERESSANTE GAROTÃO!! E AQUI FALA ALGUEM QUE NÃO DESPREZA A INEXORÁVEL VERDADE PARA CRER NELE.

    2. Jó capítulo 5 versículo 9 se enquadra direitinho na parte “aguçar nossas curiosidades e aprendizados” (há várias traduções em português, procure ver). Os cientistas creem que, se não fosse Júpiter, a chuva de projéteis maciços que atingem a Terra seria 10 mil vezes maior do que é no presente. Estou correto Salvador? Calma EU, foi o Luiz quem começou. 3, 2, 1 e….

      1. Eu tô calmo. E quem me chamou foi você, não o Luiz. Obcecado por mim, né? Quer um autógrafo?

          1. Pois é, rapaz.. esse Douglas me ama, só pode. Não tem um post do Salvador onde ele não me chama ou cita meu nome.

            Já falei que não consigo engravidá-lo, ele precisa ser mulher pra isso.

        1. Acho que ele quer que você pelo menos tente um pouquinho pra ver se da certo. 😀

          1. Respeito sua escolha por homens, Ricardão. Porém, não sou adepto da fornicação homo sexual que você pratica.

    3. Tudo bem que o criacionismo não é uma excelente teoria. Mas é melhor que o evolucionismo romântico de Darwin (que por sinal não seria especificamente esta teoria que diz a formação do universo e sim a do lindo conto do Big Bang que, tanto quanto o evolucionismo, tem muitos problemas).

      Todos sabemos que Júpiter está lá por causa do equilíbrio de gravidade em função do total de matéria existente na criação do nosso sistema solar. E assim podemos explicar igualmente e bem limitadamente para todos os planetas gasosos.

      Os tais planetas, por sua vez, tem papel muito importante para “bloqueio” de grandes meteoros, asteroides e outros corpos do espaço profundo que venham a ter curso de colisão com a Terra. Não que seja um bloqueador mas um inibidor efetivo dando um “alivio” para vida por aqui.

      Oras, se por pouco que sabemos (que eu sei) do universo, temos conclusão tão simples disto, quanto mais um suporto arquiteto que eventualmente o desenvolveu.

      E como dizia nosso ficcional e lendário Dr. Brown do filme “De volta para o futuro”: Se vamos construir uma “maquina do tempo” porque não fazê-lo com estilo? Do mesmo modo poderíamos dizer aos planetas gasosos: São estilosamente fascinantes.

      P.S. Não venha dizer que religiosos estão fazendo flame no blog porque quem começou foi você.

      P.S.2. Criacionistas não necessariamente são religiosos.

      1. Minha nossa, o cara inverteu causa e consequência pra dar uma explicação maluca.

        Ainda tem coragem de falar mal de teorias que ele mal conhece.

        Avaliação: Limitado!!

      2. Amigão, a Evolucionismo de Darwin é relativo a evolução das especies na Terra. Não tem nada com relação a astronomia, uma vez que Darwin era biólogo.

        Isso mostra como seria uma boa ideia voce ter pelo menos uma vaga noção de algo antes de criticar…

    4. Na verdade a resposta pouco importa quando a opinião já está formada e não há espaço para a mudança. Mas se quer mesmo saber, como crente não creio que Deus tenha se preocupado com cada detalhe da criação, digamos que ele fez o big bang e deixou rolar, claro com algunas interferencias como acreditam os crentes mas não em tudo, por exemplo no tamanho e quantidade de estrelas.

    5. Luiz Sampaio perguntou e respondeu ao mesmo tempo. Deus criou os planetas tanto para mostrar seu poder quanto para aguçar a curiosidade humana, tudo perfeito, é só olhar para o nosso planeta, ele possui uma camada que protege e ao mesmo tempo permite as condições ideias para vida, coisa que não veio pelo acaso ou uma explosão como dizem os evolucionista que vieram de uma ameba!

    6. Simples Deus criou para nos proteger dos meteoros e cometas que poderiam nos atingir sem Júpiter, ou seja Deus é o maior e seu filho Jesus Também.

        1. Boa Salvador!!!
          Pô tá ficando muito chato essa guerrinha de religião x ciência. Pessoal vamos parar de cutucar os que acreditam piamente na religião e criacionistas pelo amor de seu Deus parem de tentar justificar cada matéria que o Salvador publica com passagens da bíblia.

Comments are closed.