O brasileiro do Philae

Salvador Nogueira

O pouso do Philae teve um sabor especial para engenheiro mecatrônico Lucas de Mendonça Fonseca. Empresário do setor aeroespacial, ele participou, entre 2009 e 2012, dos testes e das simulações que antecederam a descida do módulo no cometa Churyumov-Gerasimenko. Na época ele trabalhava na DLR, a agência espacial alemã. No meio da muvuca ontem, por telefone, o pesquisador se disse emocionado com o sucesso. Fonseca sinceramente não esperava que a descida fosse bem-sucedida.

Lucas Fonseca, o engenheiro brasileiro que participou do projeto que viabilizou o pouso do Philae num cometa.
Lucas Fonseca, o engenheiro brasileiro que participou do projeto que viabilizou o pouso do Philae num cometa.

“Eu e vários dos meus colegas achamos que a probabilidade de sucesso, que a ESA deu em 50%, era muito. O número real devia ser bem mais baixo”, afirmou ao Mensageiro Sideral. Para ele, a ESA (Agência Espacial Europeia) errou ao colocar tanta ênfase no aspecto do pouso, em vez de destacar o sucesso da Rosetta.

ESA divulga primeiras imagens tiradas a partir do solo do cometa

“A missão, desde o começo, foi programada para ter o orbitador”, disse. “O investimento nunca foi feito com base no sucesso ou não do Philae. E, independentemente do que acontecer agora, eu acho que já foi sucesso. Onde chegou, do jeito que está. Pelo menos metade dos experimentos foi realizada. É muito além do que eu imaginava.”

Confira aí os principais trechos da conversa.

Mensageiro Sideral – E aí, como você está depois desse pouso?

Lucas Fonseca – É uma emoção indescritível. Sofri demais.

Mensageiro Sideral – Conta um pouco mais de seu envolvimento com a missão. Você trabalhou nela lá na DLR, mas o que exatamente você fez?

Fonseca – Eu trabalhava com o pouso. Fiquei três anos na DLR. Fiz parte da equipe que desenvolveu o código que simulava o pouso. Fiz isso entre o final de 2009 e o fim de 2012. E uma coisa interessante é que, nessas simulações, a gente não tinha a mínima ideia do formato do cometa. Tudo que a gente desenvolveu era com base no que a gente imaginava que fosse o cometa.

Mensageiro Sideral – E por que você saiu de lá, na bica de chegar no cometa?

Fonseca – Eu tinha mulher aqui no Brasil e tinha minha empresa, precisava voltar. Originalmente era para eu ficar um ano só. Fiquei três. Tinha que voltar.

Mensageiro Sideral – O pouso foi tenso porque dois dos três mecanismos disponíveis para facilitá-lo falharam. O ADS [Sistema de Descida Ativa] fez falta?

Fonseca – Olha, o ADS estava na sonda, mas eles acreditavam que o risco de tê-lo era muito maior que o benefício que ele trazia. A gente sempre achou que o pouso poderia ser feito só com o uso do arpão e os parafusos de gelo. Fora isso, durante o pouso, tinha um mecanismo que chamamos de roda de voo. É um giroscópio de rotação constante, que entrega sempre o mesmo momento angular. Ele servia principalmente para compensar o outgassing, o gás saindo do cometa. Nosso maior medo era que o gás saindo do cometa fosse extremamente agressivo. Imagine umas bolas de neve do tamanho de uma bola de beisebol voando na direção da espaçonave. Depois constatamos que o outgassing era bem menor do que imaginávamos. Por esse lado, foi muito mais fácil do que imaginamos. Essa roda de voo absorveria o impacto dessas bolas de neve na sonda.

Mensageiro Sideral – Bem, o que importa é que aparentemente deu certo.

Fonseca – Sim, e uma coisa que precisa ser lembrada é que essa sonda, não só a Rosetta, mas o Philae também, eles foram projetados para um outro cometa, dez vezes menor. Houve um problema com o foguete Ariane e a missão acabou redirecionada para o 67P/Churyumov-Gerasimenko, que era um plano B. Muita coisa a gente foi descobrindo quando o veículo já estava sendo lançado. Por isso eu e vários dos meus colegas achamos que a probabilidade de sucesso, que a ESA deu em 50%, era muito. O número real devia ser bem mais baixo. A missão, desde o começo, foi programada para ter o orbitador. O Philae foi um algo a mais. O investimento nunca foi feito com base no sucesso ou não do Philae. E, independentemente do que acontecer agora, eu acho que já foi sucesso. Onde chegou, do jeito que está. Pelo menos metade dos experimentos foi realizada. É muito além do que eu imaginava.

Mensageiro Sideral – E a ESA fez um oba-oba enorme em cima do pouso. Poderia ter gerado uma frustração em caso de fracasso, ofustando os resultados da própria Rosetta, não?

Fonseca – Na minha opinião, a ESA não devia ter feito esse marketing em cima do Philae. No fim deu certo, acabou dando visibilidade muito boa para ESA, para justificar o investimento. E tem algo muito interessante. Em todas as simulações, pelo menos em todas das quais eu participei, os pousos levavam entre 45 minutos e duas horas. Nunca se imaginou, na concepção original da missão, num pouso de sete horas. Por que foi feito? Justamente pela complexidade do formato do cometa. Foi no limite. Muito arriscado. Por outro lado, teve essa coisa do outgassing, que preocupava todo mundo antes, e quando chegamos lá vimos que não era um grande problema.

Mensageiro Sideral – Bem, e qual é a sensação para você, agora que deu certo?

Fonseca – O sentimento é interessante. Quando você vivencia o trabalho lá, você não percebe isso. Mas quando sai e começa a fazer outros projetos, fica uma coisa muito interessante. É um trabalho de três anos que é resumido em sete horas. Vem muito forte a sensação de que participei de algo grande. Você vê o resultado num momento muito curto.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook e no Twitter

Comentários

  1. E ai PhilaEu? Que aparecer, chama um carroceiro e sobe na carroça de fio dental em desfile na avenida numa parada Gay! Ai sim você vai aparecer e tirar esta hipocrisia de idiota que parece sabe tudo e não sabe nada!!!!!!

    1. Ps.: e eu sei mais do que você, que além de tudo acredita em homenzinhos verdolengos com dedos brilhantes! kkk

  2. vão ter de manobrar o philae, no local onde caiu é o pior de todos.

    o risco da missão fracassar aumenta a cada instante, mas antes de manobrar novamente é preciso ter a localização precisa do philae no cometa.

    sem a propulsão extra a sonda não pode evitar que ficasse quicando. Nem o arpão funcionou.

    se descobrirem a posição exata será possível calcular uma manobra arriscada para a sonda dar um ou alguns pulos e cair suavemente no cometa, de preferência evitando quicar.

    1. A missão JÁ É um sucesso. O lander pousou, está operacional e manda resultados de oito dos dez instrumentos. Dizer que ele falhou é como sugerir que o Spirit falhou só porque o Opportunity ainda está operacional em Marte…

    1. É evidente que cheque em branco eu não passo. Se forem perguntas passíveis de ser respondidas, prometo respondê-las. 🙂

      1. Confesso que tô com medo do pessoal me esculhambar pelas perguntas se forem bestas, mas vamos lá…

        1-A gente já sabe os motivos por trás da luz se mover a 300 mil km/s e não mais rápido ou devagar? Por exemplo, sabemos que dois objetos com densidades diferentes caem com a mesma aceleração se soltos da mesma altura, mas na prática se fizermos o teste não vemos isso pois temos a resistência do ar na Terra. Claro que é um exemplo bem simplista, mas você já deve ter percebido onde quero chegar. Boson de Higgs e matéria/energia escura tem alguma relação com isso?

        2-Se a luz se movesse a 1 000 000 km/s o que mudaria no nosso universo?

        3-Recentemente você disse se sentir privilegiado por estar vivendo nesta era por conta das descobertas e exploração espacial atuais. Mas você não trocaria nossa era por nada, nem para viver em um futuro em que viagens para fora da nossa galáxia já não fossem mais ideas absurdas?

        4-Vamos divagar mais e supor que nos tenha sido revelado ou descoberto que nosso universo e tudo que conhecemos não se passa de uma simulação extremamente avançada de uma supercivilização que já acumulou níveis de conhecimento inimagináveis para nós. Como você reagiria a isso? Se sentiria chateado por tudo não passar de uma simulação/experimento ou se sentiria feliz por ter feito parte de algo maior?

        1. 1- Aparentemente a luz delineia o espaço-tempo e se move à velocidade máxima permitida porque não tem massa. Mas ninguém sabe por que a velocidade da luz é o que é.
          2- Boa pergunta. Teríamos menos delay nas transmissões esportivas? 😛
          3- Eu não trocaria nossa era por nenhuma outra do passado. Do futuro, não posso dizer, porque ainda temos de construí-lo. Fato é que o estamos construindo agora, e eu me sinto privilegiado por viver nesta época. Transições importantes no conhecimento estão sendo feitas. Vida extraterrestre só vai ser confirmada uma vez, e é especial viver na época em que esse conhecimento potencialmente será obtido.
          4- Não me incomoda nada a ideia de o mundo ser uma simulação. Para mim é real.

    1. Nem pra isso ele presta, man. Com uma mentalidade dessas não passa de um verme que rasteja na lama da própria ignorância.

  3. ISTO É A GRANDE MENTIRA DO MILENIO, E AINDA MAIS COM AJUDA DESSE AZEITONA??
    NÃO SE TEM TECNOLOGIA PARA SE ESTUDAR O PROPRIO PLANETA TERRA, DESCUBRIR OQUE SOB NOSSOS PÉS , ENCONTRAR UM AVIAO QUE SUMIU NO ESPAÇO AEREO , MAS SE TEM TECNOLOGIA PARA FAZER UMA SONDA VAGAR POR ANOS E JUSTAMENTE ENTRAR NA ORBITA DE UM COMETA , POUSAR E DESCUBRIR A ORIGEM DO UNIVERSO!……KAKKA..
    SO TROUXA ACREDITA NISTO, ESTE “MENSAGEIRO SIDERAL” DEVIA DAR O “C” DELE! AI SIM ELE VERIA A SONDA POUSAR COM PRECISÃO! JUNTO COM ESTE AZEITONA BRASILEIRO!

    1. Prove essa imbecilidade que você está falando.

      Eu posso falar que sou um deus, mas sem provar, vou me passar por louco.

      Como você

      CUCO!!!!

      KKK

    2. Este linguajar parece muito com os que foram publicados durante as eleições. O que falta ao nosso povo é berço!

    3. Marcos, infelizmente existem pessoas como você no mundo, mal informadas. Vai estudar um pouco e aproveita para ver se descobre onde estão os acentos no seu teclado…

    4. Pra um imbecil desses a melhor forma é ignorar. Vamos fazer aqui uma corrente, ignorar comentários imbecis. Assim eles se mancam veem que não tem ibope e vão aterrissar em outros blogs ou sites.

    5. VOÇE COMEU MERDA???? SABE DE NADA INOCENTE. FUGIU DA ESCOLA AOS 6 ANOS OU VOÇE PEGOU FOGO E SUA MÃE APAGOU COM UMA PÁ???HEIM????

  4. “Pegar carona nessa cauda de cometa, ver a Via Láctea, estrada tão bonita…” Que enorme privilégio temos agora!

  5. Parabens Lucas!
    para esse tipo de projeto tem que ser mesmo muito louco e inteligente como voce! rss
    grande abraço e desejo muito mais sucesso pra vc!

    1. É muito emocionante mas ao mesmo tempo é temeroso…..vc fazer tudo isso e lançar os dados? depender da sorte? é muito esquisito mesmo!

    1. Philae é grego, e o “e” se junta com o “a” na pronúncia, por isso fica Fílai. Já Fíle (e não Filê, como disse o amigo acima) é inglês mesmo.

      1. Cara, a amigA aqui não vai explicar piada, mas se vc tivesse acompanhado os webcasts da ESA de quarta e quinta, teria captado a ironia do “Fileh”…

  6. É bom demais conhecer um Brasil que funciona.
    Na internet por exemplo, encontramos de tudo, a maioria muito ruim e por outro lado, quase em segredo encontramos matérias como essa.
    Parabéns.

    1. Se tivesse um botão “Gostei”, clicaria nesse seu comentário! Salvador, please, briga com os caras do site, peça a eles um botão “Gostei”! 🙂

  7. Acredito que a maioria das pessoas é aficionada a informações acerca de planetas, galáxias e universo.
    No meu canto, quando ouço ou vejo alguma matéria relacionada ao assunto, dificilmente me afasto. É empolgante, interessante e, acredito, até os religiosos que acham que o homem está indo além do que lhe é permitido, têm interesse em saber da origem de todo esse universo de coisas.
    Antes eu pensava que só os Norte Americanos e os Russos tinham a capacidade de sair da órbita terrestre. No Brasil, enquanto a lei e os governantes se preocuparem com o bem estar de bandidos, vai demorar muito para vermos a bandeira brasileira fora do Planeta Terra.
    Parabéns às equipes da DLR, e ao Salvador Nogueira, o meu muito obrigado.

  8. Fico perplexo com os xingamentos e ataques recebidos por simplesmente expor minha opinião no post anterior.
    Como nossos amiguinhos sugeriram anteriormente, se Deus nos permite criar ou destruirmos, de usarmos algo para o bem ou para o mal, se deve ao livre arbítrio.
    Vejam a beleza da Criação, pois como andaram aí dizendo, é de tamanha complexidade que sequer podemos iniciar a compreender, imagina querer especular.
    O universo tendo mais de 13 bilhões de anos, o que é isso para nós?? Diante da imensa sabedoria divina, que criou isso tudo, quem somos nós para julgar qualquer coisa?
    Se Deus permite que matemos, que deixemos nossos irmãos passar fome, que façamos tanta merda, deduzo que é para jogar na nossa cara como podemos ser podres e pecaminosos!

    Mas ainda há uma luz no fim do túnel, acredito.

    A ciência pode trazer luz sob muitos aspectos da nossa existência é claro, e não há nada de errado nisso. O problema é que nós somos muito pequenos para apreciar toda a Magnífica Beleza da Criação!

    Vejam só, a audaciosa missão da Rosetta já dura mais de 10 anos, só para percorrer alguns míseros milhões de kms! Enquanto o Criador fez todo o universo em apenas alguns dias e ainda se deu ao luxo de descansar no último!

    A ciência com certeza tem muito a descobrir, mas se Ele não consentir que cheguemos a tal ponto, assim será.

      1. Exatamente, Fábio Silva. Muito menos eu disse que assim foi. Como sabem, todas medidas são relativas, e alguns dias Divinos pode e com certeza são muito superiores ao que estamos acostumados, isso é só para contrastar a insignificância nossa diante de universo e do Criador. Milênios ainda é muito pouco diante da longevidade dos nossos cosmos.

        “desculpe, mas se você acredita em um ser que ‘permite’ que um mate o outro e ainda o glorifica, voce merece sim ser xingado.”

        Você não reparou, mas está exercendo seu livre arbítrio e dizendo bobagens. Se o ser humano pensa, tem livre escolha e ainda assim ataca, destrói seu semelhante, usando da mais alta ignorância, assim como você, dizendo que mereço xingamentos, estamos perdidos mesmo.
        Essa exata atitude que provoca desavenças, desentendimentos, guerras e destruição, só é uma questão de escala.

        Caso contrário que adianta livre arbítrio?

        Ainda temos muito que aprender e Ele já disse para não sermos assim. Culpa toda nossa!

        1. realmente, toda hora precisa corrigir (grosseiramente) a conta para bater e fazer de conta que tava lá, tudo bunitinhu.

          as derrapadas biblicas são tragédias trágicas.

    1. Pode parar por aqui!
      Vc descreveu muito bem Deus, mas falar que ele criou esse maravilhoso universo em 7 dias e depois descansou? vc esta humanizando Deus!

      1. pois é, inclusive já afirmam que jesus casou e teve dois filhos. Ou seja, era mais um cara de pau mentiroso, como sempre.

    2. desculpe, mas se você acredita em um ser que “permite” que um mate o outro e ainda o glorifica, voce merece sim ser xingado.

  9. A Ciência não nasceu hoje e continua a crescer com pesquisas. Se alguém joga um aviãozinho de papel, é ciência. Qual modelo, quantas dobras, um corte na cauda o faz deslocar mais rapidamente, e parece brincadeira de criança :”-Meu aviãozinho foi mais longe!”
    Crianças fazem assim por brincadeira mas cientistas tem infinitamente mais cálculos, que envolvem a própria vida Astronautas. são cobaias humanas que permitem arriscar a vida pela ciência. Dezenas de anos de estudos para serem selecionados Ainda não há curas para alguns tipos de doenças, diabetes , gripe, alzheimer, esclerose lateral amiotrófica , e outras. Muitas vacinas previniram poliomielite,sarampo, catapora,tétano. Mas todo esforço é válido. Parabéns a todos os cientistas que conseguiram cooperar para nosso mundo ser melhor, para que a Humanidade também melhore!

  10. Parabéns ao Lucas Fonseca! Pena que ele teve que voltar, mas entendo como é, já trabalhei longe de casa e é dureza!

  11. Com o Ciências sem Fronteira será possível termos maior participação “brazuca” nos projetos científicos de todo mundo. E tem gente que acha que essas oportunidades são obra do “Farol de Alexandria” et caterva!

    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.. ciência sem fronteiras é uma grande piada, infelizmente. Mas dei risada foi de vc acreditar, é mais engraçado ainda!

    2. … se aparece uma penca de gente por aqui doutrinando que Deus criou tudo em dias, por que não apareceria alguém que acredita no “Turismo sem Fronteiras”?

    1. Como tem gente que adora destilar azedume e maledicência. Aposto que você não serviria nem para faxinar por lá.

    2. No Brasil, tá osso, a média de Avaliação do Ensino médio é 3,4, precisaríamos de escola de ensino/com horário integral, para melhorar
      E brasileiro não gosta de ciências, exatas etc !
      Então seremos sempre aspirantes a país
      desenvolvido, Eterno Emergente !
      E com este monte de cabeça de batuque e ainda são invejosos.
      Odeiam quem faz sucesso !
      É a era PTralha !
      !

      1. Erli , a propósito , lendo o seu comentário me lembrei aqui de umas palavras ditas pelo fisico Ernest Rutherford no inicio do séc passado. Algo mais ou menos assim: ” Os povos desprovidos de Ciencia e Tecnologia não passarão de carregadores de água para aqueles que as detém”.

  12. Ae, parece que os peidos do cometa tao gerrando um bonde sisnitro. Tao falando que eh igual a voz dos ETs no Filme SINAIS ! eh sinistro… Baguio la ta fervenu. Esse sonda ai, no primeiro peido que o cometa soltar qdo o Sol esquentar a parada, vai sair voando pa longe !

  13. Boa tarde Salvador. Uma curiosidade: porque escolheram justamente este cometa entre bilhões que existem no universo? Que informações preliminares tinham sobre o mesmo?

    1. O 67P não foi a primeira opção.
      A primeira opção era um cometa, tipo, umas dez vezes maior que esse. Mas deu galho no lançamento do foguete, perderam a janela de oportunidade e tal. Foram pro Plano B, que foi, simplesmente, pra utilizar uma expressão que li em algum blog entre ontem e hoje, “ridiculamente difícil ultra plus”.

  14. Parabéns pela cobertura e pelo trabalho, Salvador!
    Vê se dorme um pouco, agora, hehehe…

    By the way: na coluna de sábado à noite, vc volta ao tema Rosetta e Philae?

    1. Não, Luna. Ia ficar muito em cima. Nesta semana vou pegar carona em “Interestelar”. Quem sabe na semana que vem, com a história mais completa, volto à Rosetta?

      1. Boa, muito boa a temática!
        “Interestelar” vem dividindo a crítica – e a sua coluna no UOL sobre a física do filme me animou a assistir.
        Aguardo a coluna de sábado pra comprar ingresso! 😀

        1. Luna, pretendo escrever sobre ele por aqui amanhã, mas se eu for escrever o que estou pensando vai te desanimar, acho… 😛

          1. Eu gostei do filme e da história. Claro, abusaram com aquelas nuvens sólidas, e, claro, provavelmente quem entre num buraco negro será despedaçado, mas como imaginação é legal 🙂

            Estou doido para saber a sua análise sobre o filme!

          2. Salvador,

            Confio no Christopher Nolan cegamente, depois de ele ter resgatado a imagem do Batman lá do fundo do pré-sal… vê se pega leve com ele!!! Não é um físico, é só um cineasta… 😀

          3. pessoal não compreendeu a teoria da conservação da informação dentro do buraco negro, primeiro que não é fácil escapar da atração gravitacional, é preciso um cálculo muito preciso para aproveitar algum impulso do black hole.

            a conservação da informação se dá pelo fato de que os fótons que geraram sua imagem ou de outros objetos, assim como a energia de seus átomos, se conserva aprisionada no black hole. Mas nada entra inteiro, mesmo com relação ao processo de esticamento (chamam de efeito espaguete) da matéria um objeto não volta remontado como era, uma pessoa também não e já entra morta faz tempo.

            lembrando que a velocidade da luz dentro do buraco negro é igual a velocidade da luz fora dele, acontece que a luz se curva tanto que não escapa, mas se colocássemos uma parede no buraco negro para ver o que acontece se a luz colide nele iríamos ver os objetos que cairam e o efeito da energia dos objetos colidindo com a parede (explode tudo como uma bomba nuclear). Daí a conservação da informação.

            quando matéria começa a entrar no black hole ela gira tão rápido em volta que emite energia, um pouco da energia escapa e é óbvio que isso pulveriza elementos sólidos, mas o que escapa é radiação quando está próximo e não dentro do horizonte de eventos, este é o ponto onde não tem como fugir.

            a força ultra intensa do black hole de uma estrela comum deveria se desfazer ao longo do tempo, as teorias sempre apontaram para uma massa infinita que uma estrela supergigante jamais conseguiria formar. No máximo uma estrela de neutrons ou um magnetar. Veja que esses núcleos densos perdem energia e emanam radiação fortíssima. O black hole poderia estar muito próximo do limiar dessa característica e deve liberar energia, mas seria fraca.

            a teoria mostra que um black hole seria tão forte que as partículas virtuais poderiam se separar de seu par e uma cairia dentro enquanto a outra permaneceria fora e escaparia como radiação. Isso mostra que um black hole é tremendamente poderoso e o conceito de massa infinita não é outra coisa a não ser a massa de um universo. Ou seja, se pegamos a massa de todo o universo temos um black hole. Não é a toa que muitos físicos acreditam que vivemos dentro de um buraco negro, um universo em bolha. Mas parece que não é bem assim, um black hole forma um universo porque tem massa para isso, não falta energia. Uma dúvida é a pergunta: por que um black hole não se rompe e forma um universo e isso não foi flagrado até agora? Provavelmente isso aconteça e um universo se sobrepõe a outro, talvez a própria expansão seja isso.

          4. Ops, desculpem-me, mas o que contei no meu comentário não dá 1% do filme, não estraga nenhuma surpresa, espero.

          5. josé do egito, gostei de suas informações sobre buracos negros, valeu!

            Salvador, desculpe-me pelo excesso de comentários, é porque seu blog está virando uma rede social própria, focada em Ciência e religião… 🙂

  15. Antigamente a gente dizia que na periferia tinha um boteco em cada esquina, mas hoje se diz que há uma igreja em cada esquina. Gostaria que no futuro houvesse uma escola em cada esquina.

    A missão Rosetta e o pouso do módulo Philae são feitos impressionantes, sabemos que com esta experiência no futuro se construirá naves e sondas melhores, mais capazes e autônomas (Lembro-me também do pouso da sonda Huygens em Titã que conseguiu captar até o som do vento naquela lua e tirar muitas fotos, mas muitos instrumentos não funcionaram como deveriam), mas é somente tentando (e as vezes, errando) que se pode conseguir fazer algo realmente importante. Todo o planejamento de longo prazo envolvido tem que contar com dados que as vezes nem estão disponíveis, podemos apenas contar com simulações e chutes (apesar que algumas fotos tiradas em missões anteriores ajudam um pouco) e o mais impressionante: realizar cálculos complexos que envolvem gravitação, navegação planetária e estelar e teoria de controle só para começar, somente para tentar colocar uma nave girando em torno de um objeto que está há milhões de km da Terra e ainda pousar uma sonda nele. O sucesso disto impressiona quem não é insensível ao esforço humano, quem pensa que a humanidade tem a capacidade de um dia fazer ainda melhor e só não impressiona gente insensível e ignorante, incapaz de entender o que um acontecimento destes significa e que também aos despeitados incapazes de realizar quaisquer coisas relevantes para a humanidade.

    Sei que esta mesma humanidade tem muitos problemas, fome, sede, miséria, doenças diversas, mas para resolver estes problemas não basta termos comportamentos assistencialistas que resolvem o problema durante um curto período de tempo, mas adiam a solução completa do problema ou pelo menos adiam o entendimento deste se não houver solução definitiva aparente (é o caso da cura do câncer). Temos que botar a cabeça para funcionar, planejar e fazer tal e qual fizeram os planejadores da missão Rosetta, pensar nos todos os detalhes, mesmo a longo prazo. Aqui neste planeta tem muita gente para se ocupar de todos os problemas da humanidade, não precisamos focar os esforços apenas em alguns e esquecer os outros por ideologia ou conveniência.

    1. olá. Geraldo boa tarde. muitos comentários seus são louváveis. parabéns. mas, o que tem haver essa missão com a(s), igreja(s)?

      1. Comecei com uma frase que era dita no bairro de periferia onde eu vivia. Trocar as igrejas por escolas seria muito melhor.

  16. Parabéns a todos envolvidos nesta grande conquista!

    Mas em especial, ao Pronatec, pois sem isso, o brasileiro não estaria lá. eheheh

    1. O pronatec nao existia quando o Lucas iniciou seu curso de Engenharia Mecatronica na USP-Sao Carlos. Parabens a ele por ter, atraves da busca do conhecimento, participado desse feito historico!

    2. o Pronatec é só uma bandeira dilmista para conseguir votos. Primeiro, os cursos são cursinhos rápidos, de 1 mês ou pouco mais. Lá se forma muita manicure, que é a visão desse governo que ai está de profissão, o resto são desvios. E coleta de nomes de alunos como se coletam e-mails para vender. A maioria das pessoas só de se inscrever como interessado, ainda que nem apareça no curso, terá o curso pago para a escola e o nome não pode ser tirado do sistema, o que mostra que o que eles querem é desviar o dinheiro… e vender a imagem de um programa, não de formar pessoas… Dizer que uma pessoa que participou da programação de parte da missão Rosetta (ainda nos tempos de FHC, talvez) é estímulo do pronatec é mostrar o quanto a nossa população é ignorante, vive ainda na idade das trevas e acredita em todas essas bobagens que se contam por ai.. Tem até gente ai nos posts de cima que ainda é capaz de achar que deus fez o universo em 6 dias… sendo que a ciência já provou infinitas vezes a idade dos planetas e do universo… pior que esse deus era tão poderoso, mas tão poderoso que precisou descansar no 7º dia…. tem cabimento uma estória tão infantil ser levada a sério?… me digam ai, há esperança de um dia eu entrar nesse blog que adoro e NÃO ler crendices? eu quero chorar…

  17. Parabéns pela esclarecedora entrevista por nós revelar detalhes que desconhecíamos sobre a missão Rosetta/Phillae.

  18. É gratificante saber que existe um Brasil que funciona!

    A propósito, conclui hoje a leitura do seu livro “Extraterrestres”.

    Posso dizer, sem medo de errar, que foi uma das obras mais interessantes e instigantes que li nos últimos anos! E olha que eu leio bastante, de livros ficcionais a técnicos, de obras literárias a científicas.

    Um grande abraço, Salvador, e parabéns pelo seu trabalho!

    Seu amigo Paulo Antonio, do blog “Astronomia observacional e astrofotografia amadora”.
    http://astrosantos.blogspot.com.br/

    1. Um brasileiro que foi embora trabalhar no exterior e se virar por conta própria não pode ser chamado de “um Brasil que funciona”. Isso não existe. Só saindo para algum lugar melhor que esta terra de selvagens.

      1. Concordo 100% O Brasil só funcionará no dia em que as pessoas possam empreender sem tanta burocracia, tantas taxas e impostos que travam qualquer empresa por aqui.

        Precisamos de menos estatismo e mais liberdade econômica. O governo que cuide de fiscalizar e propiciar educação e serviço decente a todos!

    2. Paulo Antonio quanto ao Brasil que funciona, bastaria que a classe política apenas deixasse de atrapalhar em nome de um falso nacionalismo e/ou ideologias baratas.

      1. Tetsuo! Falou pouco mas falou bonito! O bom é assim, sem mais delongas em textos compridos que ninguém lê. Ninguem quer saber o quanto você sabe, mas sim as suas “TAKADAS”.

Comments are closed.