Nasa está em dúvida entre colher amostra de cometa e mandar drone a lua de Saturno

Salvador Nogueira

E você que achava que uma dúvida cruel era casar ou comprar uma bicicleta. A Nasa anunciou nesta quarta-feira (20) os dois projetos finalistas na disputa por uma única vaga no topo de um foguete num lançamento em meados da próxima década. Um deles ambiciona fazer o primeiro retorno de amostras do núcleo de um cometa, e o outro quer colocar um drone para voar pelos céus de Titã, a maior das luas de Saturno. Qual deles é o seu favorito?

A disputa faz parte do processo seletivo de um programa chamado New Frontiers, que escala as missões de médio porte da agência, com custo ao redor de US$ 1 bilhão. Nessa mesma classe estão grandes hits, como a New Horizons, que foi a Plutão, e a Juno, que explora Júpiter, além da Osiris-Rex, que vai estudar o asteroide Bennu a partir do ano que vem.

Caso você esteja curioso, a Nasa tem três classes de missões não tripuladas. As mais poderosas são as Flagships, que custam um caminhão de dinheiro — vários bilhões de dólares — e são definidas pela própria agência espacial. Nessa categoria entram, por exemplo, a Cassini e o jipe marciano Curiosity.

Na outra ponta, estão as da classe Discovery, que são as mais “baratinhas”, com custo ao redor de meio bilhão de dólares “porcada”.

No planejamento da agência, costuma sair uma Flagship por década, uma New Frontiers a cada cinco ou seis anos, e uma Discovery a cada dois ou três anos. E tanto as New Frontiers quanto as Discovery são selecionadas por meio de competições: cientistas lideram equipes propondo as missões e entram numa batalha para ver quem agrada mais ao comitê de seleção da Nasa.

Sabe como é, o Sistema Solar é um lugar bem grande, há muito a explorar e conhecer, mas o dinheiro disponível é finito. Há de se escolher prioridades. As duas propostas selecionadas agora já são vencedoras, deixando outras dez pelo caminho. Mas só há um foguete esperando por elas na próxima década. A definição de qual vai voar sai em meados de 2019.

Dê uma olhada nas duas e decida por quem torcer.

Concepção artística da missão CAESAR, que deseja colher amostras do cometa 67P e trazer de volta à Terra. (Crédito: Nasa)

A CAESAR O QUE É DE CAESAR
Uma das finalistas quer visitar um velho conhecido — o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. Você talvez se recorde dele, depois que a missão europeia Rosetta passou três anos, entre 2014 e 2016, estudando-o. Rolou até o histórico pouso do módulo Philae.

A ideia é pegar de onde a Rosetta terminou, colhendo uma amostra do núcleo do Chury e trazendo-a de volta à Terra para análise. E não deixa de ter apelo retornar a um corpo celeste já tão estudado — teremos a oportunidade de aprender como sua superfície se transforma após mais algumas voltas ao redor do Sol. Se pá, poderemos até tirar um foto do Philae, se ele aguentar o tranco preso ao cometa até lá.

A missão tem por objetivo investigar a rica química orgânica presente nos cometas e ver o quanto eles podem ter contribuído ao semear a Terra com compostos potencialmente precursores da vida, além de água. Daí o nome CAESAR, sigla em inglês para Exploração e Retorno de Amostras de Astrobiologia de Cometa. (A Nasa já colheu amostras da cauda de um cometa, com a sonda Stardust, mas não do núcleo cometário.)

O cientista-chefe da missão é Steve Squyres, que também foi o líder da missão dos jipes marcianos Spirit e Opportunity, e a espaçonave em si é fortemente baseada na Osiris-Rex, que colherá amostras do asteroide Bennu e as trará de volta à Terra. É, portanto, uma aposta bastante segura em termos de chance de sucesso.

Conceito da missão Dragonfly, que deseja explorar o intrigante mundo Titã, a maior das luas de Saturno. (Crédito: Nasa)

UMA LIBÉLULA EM TITÃ
A Dragonfly é uma missão como nenhuma outra na história da exploração espacial. É basicamente um drone para voar pelos céus de Titã, a maior das luas de Saturno, e assim explorar diversas regiões da superfície separadas por centenas de quilômetros.

De fato, se há um lugar no Sistema Solar para onde devíamos mandar um drone, é para Titã. Sua atmosfera é mais densa que a da Terra, o que ajuda a gerar empuxo com rotores, e sua gravidade é bem menor que a da Terra, permitindo voos mais duradouros e com menos consumo de energia.

A Dragonfly, a exemplo da CAESAR, também tem uma pegada em astrobiologia — seu objetivo é estudar a rica química prebiótica e o potencial de habitabilidade na lua saturnina. Sua cientista-chefe é Elizabeth Turtle, do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, mesmo “berço” da sonda New Horizons.

Trata-se de uma missão que, em termos operacionais, é bem mais complexa e cheia de novidades que sua concorrente. A equipe da Dragonfly vai ter de ralar muito para provar à Nasa, ao longo dos próximos 18 meses, que há uma boa chance de sucesso. Em seu favor há o fato de que uma sonda já conseguiu pousar em Titã, e na primeira tentativa (a europeia Huygens desceu lá em 2005), de forma que o procedimento não é de todo desconhecido.

Embora a CAESAR seja interessantíssima, o Mensageiro Sideral é #teamDragonfly desde criancinha.

AOS PERDEDORES, ALGUMAS BATATAS
Das dez propostas de missão que ficaram para trás, duas ainda ganharam um prêmio de consolação: a Nasa decidiu dar a elas um financiamento de desenvolvimento tecnológico para que elas possam entrar com tudo numa próxima rodada de seleção.

São elas a ELSAH, que queria buscar sinais de vida em Encélado, a pequena e intrigante lua saturnina que tem todos os ingredientes necessários para abrigar uma biosfera, e a VICI, um módulo de pouso para Vênus.

E não custa lembrar que a concorrência estava limitada a seis temas considerados prioritários pela Nasa, baseados em sua pesquisa decenal com a comunidade científica: retorno de amostra de cometa, retorno de amostras do polo sul da Lua, mundos-oceanos, sonda atmosférica de Saturno, visita a asteroides troianos e exploração da superfície de Vênus.

Uma olhada nessa competição ferrenha ajuda a entender a emoção dos pesquisadores quando sua missão finalmente vai ao espaço — não é só aquele momento de triunfo, mas muitos anos de dedicação e vitórias sucessivas para realizar o sonho de preencher mais uma página na empolgante história da exploração do Universo.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook, no Twitter e no YouTube

Comentários

  1. Optaría pela missão em Titan. Dar uma olhada geral pelas paisagens remotas da lua de Saturno seria uma aventura e tanto.

  2. Bom dia Salvador!!!
    Antes de tudo, parabéns pelo seu blog e trabalho que só engrandece o conhecimento da astronomia no brasil.
    Então, acredito que minha questão deve ser a de muitos aqui a respeito de Titan e suas características, e lá vai ela, como que titan sendo uma lua com suas dimensões menores que marte por exemplo consegue manter sua atmosfera fixa ao seu redor, uma vez que seu potencial gravitacional e muito menor que a dos planetas rochosos? Outra questão o vento solar não devia varrer a atmosfera de titan, ou saturno a protege com seu grande campo magnético???
    Valeu Salvador 😉 feliz ano.

    1. Ótimas perguntas. Titã está numa região muito mais fria do Sistema Solar. Então você tem de pensar que o jogo entre atmosfera e gravidade é um jogo duplo: você pode ter gravidade menor, mas você pode também ter menos energia de movimento das partículas da atmosfera, o que faz com que elas menos frequentemente atinjam velocidade de escape, mesmo com velocidade mais baixa. Não por acaso Plutão e Tritão conseguem manter atmosferas (pouco densas, é verdade), sendo ainda menores. Em Titã, o vento solar também é bem menos poderoso que aqui — um centésimo, para uma distância dez vezes maior –, de forma que a erosão atmosférica é um processo pouco relevante por lá.
      Abraço e bom 2018!

  3. Muito bacana ambas as missões, eu contribuiria com dez reais para cada uma delas e acho que muita gente faria o mesmo. Só acho triste coisas boas serem feitas com dinheiro roubado e não de forma voluntária e ética. Isso não invalida nem ameniza o ato de roubar. Mas já que o roubo é inevitável, que se faça algo útil com isso.
    PS: Que tal privatizar a Nasa para a SpaceX ou alguma outra companhia?

    1. Dinheiro roubado? Não entendi. Então dinheiro de imposto é roubado agora? Isso que você acabou de dizer é uma insanidade completa. Se todos os cidadãos forem decidir exatamente onde será investido seu imposto, não precisamos de governo. E o dinheiro ia ser muito mal gasto, porque jamais poderia prover o bem comum, sendo reinvestido nos próprios indivíduos. Enfim, é uma insanidade.

      1. Imposto é voluntário ou é subtração de riqueza alheia na base da força e de forma compulsória?
        Você está dizendo que o governo sabe gastar melhor o nosso próprio dinheiro? E eu que disse uma insanidade completa…

        1. Imposto não é voluntário. Não tem de ser voluntário. E sim, em tese, o governo deveria saber como gastar o seu dinheiro melhor do que você. Se você fosse tapar os buracos de rua voluntariamente, saberia em que lugar da sua cidade a situação é mais grave e merece mais atenção? Você gastaria mais para fazer o levantamento do que para tapar os buracos. É para isso que temos governo: para gerir os recursos de todos em favor do bem comum, de forma racional e eficiente.

          Essa é a teoria. Podemos argumentar que, na prática, o governo é ineficiente, é corrupto etc. Beleza. Cabe a nós então cobrar do governo eficiência e transparência. Abolir o governo — e é isso que parar de pagar impostos sugere — não vai resolver nada. Sugerir que não precisamos de governo e podemos viver anarquicamente é, seguramente, insano.

          1. Sim, imposto não é voluntário, é riqueza tomada a força, o que é exatamente a definição de roubo.

            Compare as ruas e estradas feitas pelos próprios moradores com as públicas e principalmente seus custos/benefícios.
            Governo não é nada eficiente, basta olhar os gastos com o SUS, a educação estatal e a falida previdência social. Alias, nem superavit primário eles conseguem ter. Não adianta falar que aqui é Brasil, os EUA têm uma dívida pública do tamanho do próprio PIB.

            É muito bonitinho na teoria mas você conhece a Teoria da Escola Pública? Governo não é uma entidade economicamente neutra no sistema todo, e no Brasil sabemos isso melhor que o resto do mundo. É uma crença pra lá de mágica achar que políticos e burocratas estão preocupados com o povo, é literalmente achar que pessoas como Eduardo Cunha, Ciro Gomes ou Paulo Maluf estão preocupados com o povo, com a necessidade alheia ao invés de se preocuparem com seus próprios problemas pessoais, com o jogo político para conquistar mais poder.

            Até mesmo para fazer caridade (e caridade com dinheiro alheio não é algo moralmente correto de qualquer forma) o governo é ineficiente. Há estudos indicando que 70% dos recursos de caridade privada (voluntária) chegam aos necessitados, enquanto apenas 30% dos recursos tomados pelo estado para caridade chegam ao necessitados.

            “É incrível como existem pessoas que pensam que nós não conseguimos pagar por médicos, hospitais e remédios, mas de alguma forma imaginam que nós conseguimos pagar por médicos, hospitais, remédios e a burocracia do governos para administrar isso”
            Thomas Sowell

            Pode ser muito radical falar em anarquia e privatização total, mas compare a quantidade de pobres com acesso à smarthfones, internet, geladeira e o acesso deles à educação, saúde, abastecimento de água, rede de esgoto. Pode também comparar a qualidade de vida dos mais pobres nos países menos estatais como esse estudo faz: https://www.fraserinstitute.org/sites/default/files/economic-freedom-of-the-world-2017.pdf

            De qualquer forma, “imposto é roubo” é um argumento ético acima de qualquer outra coisa como “eficientismo econômico”. E apelar para um positivismo jurídico é a mesma coisa que dizer que qualquer coisa que um estado faça é aceitável ou ético. Pode ser a escravidão, o nazismo, o apedrejamento de mulheres estupradas, tudo feito de forma legal, qualquer coisa que se baseie em leis absurdas deveria ser aceita, como se o certo e errado fosse definido pelo governo num determinado território, ou pela ONU, ou outro grupo de burocratas mundiais.

          2. Não é riqueza tomada à força porque você pode optar por não pagar. Basta renunciar à cidadania do seu país e parar de fazer transações na moeda dele, no território dele ou usufruindo dos serviços de que ele dispõe. Boa sorte com isso.
            Até a hipótese de ganhar qualquer riqueza para começo de conversa é complicada sem governo. Escambo? Se ninguém fiar a moeda — e governos fazem exatamente isso, entre os serviços que prestam –, como você pretende ganhar qualquer riqueza em primeiro lugar?
            Você pode defender que o governo é ineficaz — foi o que discutimos antes — e, que, portanto, quanto menos governo tiver, melhor. OK, isso é defensável. Menos estado, menos impostos. Mas zero impostos? Impossível. O estado, no mínimo dos mínimos, precisará existir para fiar a moeda corrente e garantir a lei e a ordem. Lembre-se: sem impostos não acaba só a política; não há Judiciário também, nem polícia ou exército. Como você pretende viver numa terra sem lei, sem autoridades estabelecidas, vulnerável a outros estados organizados? De novo, boa sorte com isso. Eu preferiria não.

            Na verdade, a humanidade já tentou isso que você propõe. Caçadores-coletores e as pequenas comunidades de agricultores viviam assim. Há quem diga que era melhor. Socialmente era mais igualitário. Mas ninguém teria internet. Veja que até as empresas privadas — essas que vendem smartphones e serviços de internet de forma eficiente, como você menciona — dependem do governo para assim fazer. Se não houvesse lei, Justiça e polícia, como elas seriam capazes de tocar seus negócios, contratar empregados, fabricar coisas?

            Volto a repetir: sua visão é insana. Não existe governo sem impostos, e não existe civilização sem governo. Simples assim. 😉

          3. Milton Friedman não foi nenhum anarquista de mercado (como o filho dele, David Friedman, é) mas vale a pena ver isso, Salvador:
            As 4 formas de gastar dinheiro:
            http://1.bp.blogspot.com/-yaVTqA1DVlU/Th4mIHNdhxI/AAAAAAAAD4w/8rMhBAsB1Sk/s1600/Milton+Friedman+4.jpg
            e
            https://image.slidesharecdn.com/07-planodemarketing-120628124951-phpapp01/95/plano-de-marketing-201201-2-728.jpg?cb=1340887895

            PS: Sou muito fã do seu blog, canal e adorei o seu livro Extraterrestres!

          4. Pô, Salvador, maldade apagar minhas respostas.

            Fiz um resposta completa sobre todos os pontos que você citou e você simplesmente apagou tudo…

          5. Não apaguei nada. Só não tinha aprovado ainda. É impressionante como as pessoas tem um desejo de que eu more aqui na ferramenta de comentários, 24/7.

  4. Diante do URSO POOH de marte e lesmas acasalando , nao faz mais sentido se procurar por moleculas, e se trocar um satelite de um gigante molecular, com atmosfera , e ainda similar a do passado da terra,
    Nao faz mais sentido, pequenos meteoros diante da face de tarsis esculpidass em marte.
    O que havera no mundo intro-terreno sub aquatico, daquele lago ?, olhos eclodidos,?
    poderemos transformar a atmosfera de titam injetando areia na atmosfera? como nao escolher titan com tantas possibilidades futuras?
    so se eles ainda quiserem viver no sistema solar do faz de conta.

  5. Salva, feliz Natak pra ti e um tudo de bom pra voce e familia.
    O AIR-VIR , O ESTAR AND JES-US.
    A UNIPRESENCA DO ETERNIZAR. ESTA CONOSCO , ONTEM, HOJE E SEMPRE.

  6. Titã tem o clima muito frio para que haja água líquida em sua superfície, mas cientistas sugerem que poderia existir vida em algumas piscinas de metano e de etano líquido que existem lá.
    Para confirmar a hipótese de que a vida poderia existir nesse tipo de ambiente só ocorreria se os micróbios alienígenas respirassem hidrogênio e comessem o acetileno, uma molécula orgânica, liberando metano no processo. Comer acetileno pode ate ser um bom Bingo pois o mesmo não foi encontrado na atmosfera da lua. Assim vou votar para Titã.

  7. Voto pela Caeser porque minha curiosidade fica maior pelo fator química orgânica do Cometa, mas seria ótimo se houvesse grana para ambos…

  8. Boa noite Salvador,

    Sempre tenho muitas dúvidas mas procuro pesquisar antes de te perguntar e sempre acabo achando resposta. Essa matéria me fez pensar em perguntar o quão claro seria o dia em titã e ou Europa mas uma breve pesquisa através de uma pergunta bem formulada me trouxa a um site que inclusive contém uma foto artística de como seria o visual de dia na superfícia de europa. Estou compartilhando aqui para quem tiver essa curiosidade também:

    https://www.quora.com/If-you-could-actually-live-on-the-surface-of-Europa-Jupiters-moon-what-would-the-day-night-cycle-and-seasons-be-like

    off: sou fã do GILBERTO PESSAGNO não bloqueia os posts dele não plz…rsrs

    Obrigado Parabéns e abraços..

  9. Este negócio de exploração esta saindo do reino encantado da ciência e migrando para o reino selvagem do “business”. Imagino que por qualquer forma, deveria ser criado um imposto adicional denominado IS ( Imposto Spacial ) a ser aplicado em grande corporações que faturaram acima de 20 bilhões de dólares ano. Este seria um imposto seletivo que em apenas um mês arrecadaria o suficiente para tocar os 10 projetos vencedores e não ficar discutindo entre um e outro uma verbinha mixuruca de 1 bilhão de dólares sem saber direito para qual vai. O progresso chegaria bem mais rápido e ninguém ia sentir.

      1. É uma ideia a se considerar Eu™, o custo da exploração espacial é bem alto e em outros planetas tem recursos que um dia podem faltar aqui. Este pessoal que fica dizendo que a humanidade vai destruir e poluir outros planetas esquece que a Terra é uma só e é neste ambiente que a espécie humana está adaptada, não em outro, sendo por este motivo que deveríamos ir explorar os recursos de outros planetas e ao mesmo tempo reciclar os recursos que consumimos daqui e qualquer outro que for trazido do espaço, minimizando os estragos das nossas atividades econômicas. Se continuarmos somente a se restringir à Terra, certamente teremos guerra e uma bem feia, com os recursos naturais se escasseando cada vez mais e com tantos ignorantes fanáticos dando ou impondo seus palpites idiotas nos governos e nas sociedades.

        1. Sim, Geraldo. Mas não estou me referindo à ideia, mas sim aos personagens trolls criados por ele. Não tenho evidências (nem perguntei aos Salvador), mas minhas suspeitas recaem sobre um antigo usuário que usava como nick um membro inferior do corpo humano usado para locomoção, no singular. De qualquer forma, a recente invasão de trolls e idiotas ao blog se tornou deveras desagradável. Isso que perdeu a graça, já.

    1. A ideia do Crispim está longe de ser absurda. Ela deveria ser trabalhada para a privatização geral deste negócio de espaço onde o Elon Musk já está indo. Um privatização poderia englobar interesses de diversos países com suas respectivas demandas. O Geraldo bem coloca nosso fim se não fizermos desta forma. Não sei porque o nome do Crispim me lembra vagamente um passarinho.

      1. Quem sustenta a NASA é o contribuinte norte-americano e eles se orgulham disso…
        Nós sustentamos o PT, PSDB, MDB et caterva e NÃO nos orgulhamos nadinha disso.

        Feliz Natal e Feliz Ano Novo para todos.
        Trabalhem bastante, pois sustentamos muita gente nas autarquias públicas.

  10. estou tentando fazer tecnologia reversa, vendo um video amador, cicropes , criatura 46b , ciborgs, biinano tecnoligia, usando um tipo de dispositivo , molecular programado, co taser ou lazer , numa operacao conjunta, da pra ver a nave alem de outras bio-nano tecnoligia de mutacao, olhos eclodidos de tudo que esta lado, a energia negativa esta tanta, que chega cataluzar raios voltaicos de uma cerca eletrica de 220v a distancia.
    eles estao anos luz no quizito eletricidade.

    1. Estou tendo dificuldade para digitar, talvez o nosso paradigma esteja , na relatividade do tempo de evolucao, relativo a sete ciclos de periodos longos relativos(encintrado ficeis de 48milhoes de anos),7 cicros de bilhoes de anos cada.
      O que nos remetem a perorexidade e
      ao paradigma da relatividade (Familia-Tempo-evolucao-QI-tamanho- proporciona-relativol), de criaturas com maior coeficiente de inteligencia como os humanos em relacao estarem criados depois e menos tempo de evolucao,(se estas criaturas hibernam na antartida por exemplo); quando os hinen sapiens estao comparados a relatividade comportamental e de QI , a de especimes com menos coeficientes de inteligencia, porem criados antes, mas que evoluem a mais tempo dai mais tempo de evolucao..
      dai a possibilidade de toda esta tecnologia que para nos parevem avancadas , (nano tecnologia) e bio-nano tecnologia, estarem administradas por protoziarios, ou incetos , criaturas marinhas primitivas , gigantes talvez ,quando comoarados a natureza terrena ,comum da matriz (familias)de teu dna etc(dai terem eviluido sibre outra natureza ambiental, (antartida)talvez, outro praneta, lua. marte, venus, titan, europa, etc)
      e mais tempo como civilizacao, o que torna para nosso prisma, algo bizarro, incompreencivel,
      como podem protozoarios gigantes ou lemures primitivos terem comportamento tao rudimentar , e possuirem tecnoligia(bio-nano-tecnologia) tao avancada comparada a nossa.
      me parece que ja vi em minhas pesquisas , esta criatura em marte e na lua,
      e tenha haver com a criatura 46-b
      https://youtu.be/57aP0JwCjW0

        1. Achar um cara o máximo porque ele fala um monte de asneiras sem sentido, sem graça e sem conteúdo diz muito sobre você!

      1. Ola Giba, meu alegre bom dia. Meu nome é Oscar Tomanti. Trabalho na área de adivinhação. Sempre leio os seus posts, mas nunca consigo adivinhar o que está escrito ⚛, mas com treinamento acredito que um dia deste eu chego lá. Estou assustado com a falta de acentos ⚛na sua escrita. Pergunto: Porque você não coloca acento? Seu teclado é velho e não tem estas teclas?
        Sem mais desejo um feliz natal e um bom ano novo para você e família.

      2. Estes videos de OVNIs e ETs no YouTube viciam. Deve ser esta a droga que ele usa. Eu mesmo vejo alguns deles as vezes, tem muito CGI, balões, drones, ET Bilú, ET de Varginha, de Roswell, o que você quiser e não quiser as vezes. Sempre fico tentando ver onde está o truque de mágica.

  11. #teamDragonfly com toda a certeza!!

    Pousar em Titã deve ser moleza e ainda ter um Drone voando por lá por décadas, vai fazer muito mais ciência do que a CAESAR.

    E como inspiração para os leitores (não querendo fazer boca de urna, mas já fazendo), segue link para um excelente conto do Carlos Cardoso que vai definir o voto de vcs: http://meiobit.com/359982/velocidade-terminal-titan-lua-de-saturno-sonho-de-anti-icaro/

    Leiam, reflitam e #teamDragonfly!!

  12. Olá Salvador, observo que você tem grande conhecimento de astronomia ,, mas as regras gramaticais também deveriam ser observadas. Por favor, solte que o título de sua coluna seja colocada crase no lugar devido.Valeu.

    1. Não tem crase. Crase é a reunião de a artigo com a preposição. Se eu usasse o artigo definido a, estaria sugerindo que é Titã é “a lua de Saturno”. Titã é UMA lua de Saturno. Portanto, não cabe o artigo definido a, portanto não ocorre crase, portanto não cabe acento grave.

      Mas obrigado mesmo assim pelo apontamento e pela sugestão. É normal, na correria de fazer o blog, passarem erros de digitação, pasteis, erros ortográficos e às vezes até os gramaticais. Uma das coisas mais prazerosas de fazer um blog desses é ter leitores de alto nível, que possam fazer apontamentos desse tipo e, com isso, ajudarem a abrilhantar o conteúdo, que é produzido com todas as restrições e dificuldades que o jornalismo online impõe.

      1. Salvador está correto. Não ocorre crase neste caso.

        desenhando: você pode ”mandar sonda a asteróide de Saturno” ou “mandar sonda ao asteróide de Saturno”, dependendo do contexto da frase. Da mesma forma, pode “mandar sonda a lua de Saturno” ou “à lua de Saturno”, também dependendo do contexto da frase.

        Muito bom, Salvador! Parabéns, Salvador!

  13. Agora que descobriram que o Oumuamua é um cometa. nada melhor do que estudar o cometa pois eles estão em alta.

  14. Pessoas passando fome no mundo, indústrias evitando curas pra vende mais remédio, governo golpista no Brasil, Trump construindo muros pelo mundo e o capitalismo comemora que vai mandar robozinho pra outro planeta.

    1. A pesquisa científica dá resultados, as vezes, muito tempo depois. Concordo que o dinheiro envolvido é alto mas é melhor gastar com isso do que armas ou muros…

  15. A ideia de uma missão conjunta de países que dominam a tecnologia espacial para aumentar a produtividade da exploração espacial deveria ser discutida seriamente entre todos eles e incluir também empresas como a do Musk e de quem mais se interessar para aumentar as verbas. Estes nacionalismos, vaidades e orgulhos deveriam ser deixados de lado quando se trata de espaço, pois são missões científicas que vão trazer conhecimento para todos e várias tecnologias futuramente desenvolvidas poderiam ser aproveitadas por todos.

  16. A CAESAR tem grandes chances de sucesso? Sim. Mas a DRAGONFLY pode nos ensinar tantas coisas novas, teorias que, talvez, precisariam ser revistas… #teamDragonfly

  17. Creio que Titã é uma missão muito mais importante que um cometa. O que existe entre colinas e montanhas e lagos de hidrocarbonetos? É uma exploração inédita!

  18. Salvador, não me recordo deste assunto ter tramitado por aqui, se já respondeu desculpe. Alguma previsão de enviarmos sondas ou pessoas ao asteróide troiano da Terra?

        1. Ah, é verdade, esse sim é troiano. Pensei no outro que em tese seria mais fácil. Mas nesse daria pé também. O mais difícil é que são muito pequenos, gravidade muito baixa.

    1. Há várias razões possíveis. A mais natural é que, na competição, a missão a Titã pareceu mais madura e consistente que a que vai a Encélado. Vamos combinar que Encélado se resume a fazer mais do que a Cassini já fez, mas com um espectrômetro de massa melhor. Eu gosto muito do conceito da missão a Encélado e acho que vai sair em algum momento — talvez, em menor escala, como uma Discovery, talvez mais para a frente como New Frontiers ou até Flagship. Mas, neste momento, avaliaram que a missão não está tão bem desenhada como a de Titã. Talvez seja importante esperar, por exemplo, o desenvolvimento e talvez até os resultados do Europa Clipper, que faria coisas semelhantes em Europa, para que esses resultados informem uma missão a Encélado.

  19. Se estão em dúvida eu tenho uma solução para resolver definitivamente este problema.
    Fala para a Nasa ficar com a segunda opção, vai de drone para a Lua de Saturno, daí você aproveita Salvador, vai junto e leva o Lula e fiquem por lá uns 150 anos.
    Faz esse favorzinho para nós Salva.
    Eu ouvi dizer que no mundo da Lua de Saturno você pode ficar tranquilo e viver até 200 anos. Pensa nessa possibilidade.

  20. Já que vocês jovens alienados pelo sistema e pela grande mídia não conseguem produzir nenhum tipo de tecnologia para exportação no Brasil, como bem frisou o Radmil no post anterior porque vocês não fazem algo mais útil para a humanidade, tipo: vão plantar laranja, café, cana de açúcar ou vão jogar futebol, porque assim pelo menos vão ajudar um pouco na economia brasileira.
    Esse papo besta galáctico é só para quem vive no mundo da Lua. Só existe farsas nesse meio. São piores do que os políticos brasileiros.
    É tudo impossível de provar essas farsas invencionices da falida nasa.
    Nem mesmo a população dos Estados Unidos da América acreditam mais. E analisem que americanos acreditam em qualquer coisa hein. Pesquisem no YouTube e comprovem essa verdade.
    Jovens, por favor, vão estudar ciência de verdade. Feliz Natal.

  21. Puxa, quem dera se pudessem multiplicar por 4 o número de missões.
    A CAESAR é bem interessante, mas sinceramente, outras agências tem tecnologia e competência para essa missão.
    Melhor deixar a NASA para projetos mais ousados como a Dragonfly.

    Achei todas as propostas muito interessante. O sistema solar tem muito a mostrar, espero ver um dia missões para Europa (já tem alguma Salvador?), para IO, Urano e Netuno… fico na torcida:)

    1. Pallando, Europa é a Flagship dos anos 2020, o Europa Clipper. Cogita-se uma orbitadora para Urano e/ou Netuno, mas aí para a década seguinte.

      1. Como dizia Isaac Asimov, se não fossem guerras, concorrência predatórias, etc… em 1500 anos teríamos tecnologia para viajar por toda a galáxia. Imagina se o que se gasta em guerras, outros sistemas de segurança, etc.. fossem gastos em pesquisa tecnológica? Mas, como na natureza, o animal gasta uma hora por dia para comer, e 23 para não ser comido.

      2. Nossa, essa para Europa vai ser muito legal, principalmente se encontrar vida fora da terra, pena que não vai ter um perfurador para entrar no oceano, se eu não me engano.
        Alias Salvador essa uma dúvida que fiquei quando ouvi a respeito (se estiver correto). Você sabe se o motivo de não ir uma outra sonda para tentar mergulhar no oceano de Europa e questão de tecnologia capaz de chegar até o oceano ou se é outro motivo?

        1. Por enquanto, temos só um orbitador. A ideia é o orbitador caracterizar a lua para escolher o melhor local de pouso, e aí mandarmos um lander
          Mergulhar é beeem complicado. Primeiro porque estima-se que o oceano esteja sob dezenas de km de gelo. Segundo que você teria como transmitir de lá de dentro do oceano, o que não seria tão simples. Talvez um cabo/téter prendendo o submarino a uma estação de transmissão na superfície? Não sei qual seria a melhor solução, mas sei que não seria barata, e sei também que, antes de bolarmos a solução, precisamos realmente conhecer o tamanho do desafio. Talvez o Europa Clipper descubra “lagos” sob a crosta que estão não a km, mas a metros, da superfície, o que tornaria o problema bem mais simples. Antes de caracterizarmos bem a lua, é difícil até escolher o local de pouso para o lander. É duro esperar, mas temos de ir com calma para ter os melhores resultados.

      3. Salva, por quê não realizar uma missão dupla, como as Voyagers? Uma para Urano e outra para Netuno? Vai sair muito mais caro, mas já mata dois coelhos de uma vez, sondas idênticas, mesmo hardware, mesmos objetivos, só muda o lugar onde vão orbitar.

  22. Pois é. Fazendo planos para daqui a 20 anos. Enquanto isso, aqui na terrinha…

    Dragonfly would land on Titan in 2034, Turtle said, and operate there for several years, powered by a radioisotope thermoelectric generator. CAESAR, Squyres said, would return its samples to Earth on Nov. 20, 2038.

  23. Meu voto seria na Caesar, julgo com maiores chances de sucesso e pelo fato de dar continuidade a estudos que já estão “mais avançados” que o de titã. Ainda tem um bônus para quem quer promoção: olha o philae ai…voltamos para fazer melhor

  24. Particularmente, acho que a CAESAR seria mais interessante, pois vai ajudar a montar o quebra-cabeças da evolução terrestre, haja vista que tem o objetivo de “investigar a rica química orgânica presente nos cometas e ver o quanto eles podem ter contribuído ao semear a Terra com compostos potencialmente precursores da vida, além de água”. Assim, acho que seria melhor passar uma régua nesse estudo, já que ajuda a entender a evolução da Terra.
    De todo modo, a DragonFly também é bastante interessante, assim como a citada ELSAH, já que missões assim podem ajudar a buscar sinais de vida no sistema solar. Que dúvida!! Ah se os humanos fizessem menos guerra e mais ciência…

      1. O que a essa altura não é mais eticamente justificável. Temos de aprender a desenvolver a ciência sem precisar de um conflito para nos motivar. A exploração espacial e a busca do desconhecido são dois ótimos substitutos, como a corrida espacial durante a Guerra Fria provou. 😉

        1. Nao discordo em momento algum, mas, se observar o quanto brota por aqui de descrentes quanto a chegada do homem a lua, terraplanistas e varios que acham que deviamos distribuir “bolsas” entre os pobres ao inves de “joga dinheiro fora) com pesquisas e ciencia que conseguimos constatar que convencer o publico em geral sobre a necessidade, vantagem ou importancia de gastar em um projeto desses e uma luta ingloria
          No momento que temos um inimigo externo do qual temos que nos defender para nao sermos mortos ou escravizados, ou qualquer outra justificativa que inventem (desrespeitar minha religiao, por exemplo), durante um conflito armado, fica mais facil alocar os recursos sem gente para contestar (esse viram traidores)….e mesmo ignorar algumas regras eticas (como por exemplo, teste em humanos) em razao da urgencia em obter um resultado

          1. Alexandre, mas nos deixaremos guiar pela ignorância? Agora alguém questiona UM FATO tentando parecer que é uma questão de CRENÇA, gastaremos os recursos disponíveis para provar que esses ignorantes estão errados? Poderiam levar eles para Lua: Eles não acreditariam porque escolheram não acreditar.

    1. É razoável, muitas missões passam por vários processos desses até serem escolhidas. O que, claro, vai as tornando cada vez melhores, mais refinadas. Por isso tendo a apostar que vão investir na CAESAR em vez de na Dragonfly, que ainda pode se beneficiar de avanços de design e tecnologia e se tornar ainda mais sofisticada em rodadas anteriores — enquanto a CAESAR já teve o benefício de a Osiris-Rex ter feito isso por ela.

    1. Ele já está ocupado financiando a colonização de Marte e voos suborbitais para mim e para você, além de carros elétricos que fazem qualquer carro a gasolina parecer de brinquedo. Ele precisa deixar algo para a Nasa fazer, né? E a Nasa hoje é ótima com ciência, enquanto o foco do Musk é engenharia. 😉

          1. O comentário dele esperou mais de uma hora para ser aprovado aqui. A sua resposta, uma vez aprovado o dele, demorou uns 5 minutos. Quem é o baba-ovo do blog, afinal?

          2. Finish her!
            Brutality!
            Está afiado Salvador. Mas eu respondo dia pergunta: Helio tem que digitar porque está com as gônadas dos haters do seu blog entre os lábios.

          3. eles são baba-ovo do blogueiro (e não do blog) – nossa salvador, que erro crasso…..kkkk

            e é claro que quem determina o tempo de aprovação da resposta é o blogueiro…
            se demora mais ou menos é culpa dele, não minha….. 😛

            muito fraco…melhorem na próxima…………….kkkkkk

          4. O importante não era o tempo de aprovação, mas o tempo entre a aprovação (e o comentário ficar visível) e você vir aqui para responder. Você claramente passa o dia aqui, e por isso só tenho a agradecer. São de baba-ovos como você que o blog e o blogueiro precisam. Audiência cativa, fiel, presente, interagindo o tempo todo e instigando outros a comentarem. Obrigado mesmo! 🙂

          5. Puxa, que rapidez! É sempre um prazer passar por aqui e dar umas risadas…

            Claro, afinal idiotas riem à toa!

          6. Aproveite seus últimos dias. Com 2018, virá uma nova política para comentários no blog. Feliz Natal! 😉

  25. É uma escolha sem glória. É como colocar um pé na merda e outro no sabonete. Não se sabe para que lado vai. Qualquer um dos finalistas tem atributos em demasia para ser escolhido. Pelo lado de Titã, a escolha ficaria um pouco opaca pois a intrigante Encélado seria um ´pré-bingo mais atrativo, mas dependendo exatamente do que se queira o núcleo de um cometa apresenta um certo ar de superioridade. Se estamos falando de buscar origem da vida, o núcleo cometa é um vencedor sem segundo lugar. Mas se for para adicionar mais conhecimento sobre Saturno que seja Titã. Pena que não Encélado. Vou pedir licença para contrariar o MS e votar no cometa. Tomara que eu não cometa um engano.

Comments are closed.