Buzz Aldlin ao lesgate!

Buzz Aldrin, o segundo homem a pisar na Lua, está oferecendo sua ajuda aos chineses para auxiliá-los em seu próprio projeto de exploração lunar tripulada. Em visita a São Paulo, o ex-astronauta americano declarou suas polêmicas intenções a um grupo de jornalistas brasileiros.

Buzz Aldrin conversa com jornalistas em São Paulo
Buzz Aldrin conversa com jornalistas em São Paulo

“As pessoas podem reagir de dois modos. Ou elas dirão, ‘ele perdeu a cabeça e decidiu ajudar o inimigo’, ou dirão, ‘ele está fazendo como um cidadão particular o que o governo americano deveria estar fazendo’. Espero que a maioria entenda desse segundo jeito”, afirmou, em almoço promovido pela Omega, empresa suíça que fornece relógios de pulso para a Nasa desde a década de 1960.

O assunto é controverso porque, no momento, existe até mesmo uma lei nos Estados Unidos que proíbe a agência espacial americana de cooperar com a China. Aldrin sabe que os chineses avançarão no espaço com ou sem a cooperação ianque e espera influenciar o Congresso americano para que essa política inflexível seja revertida.

Buzz alega que sua contribuição particular com os chineses não teria nenhum impedimento legal. “Tudo que eu sei de pousos lunares está em relatórios públicos, não há nada confidencial. É só a minha experiência.”

O ex-astronauta diz manter contato frequente com membros do programa espacial chinês, dentre eles Yang Liwei, o primeiro taikonauta a ir ao espaço. “Eles têm muita vontade de cooperar com os Estados Unidos.”

UM OLHO NA LUA, OUTRO EM MARTE

Enquanto defende que os Estados Unidos deveriam usar seu expertise para ajudar outras nações a chegarem à Lua, Aldrin não esconde que sua maior ambição é ver uma missão internacional a Marte. Para isso, ele tem trabalhado nos últimos 30 anos numa arquitetura que possibilite a visitação contínua ao planeta vermelho, por um custo que os programas espaciais do mundo — com um natural acréscimo em seus orçamentos — possam pagar.

Em conversa com o Mensageiro Sideral, Buzz detalhou seu plano, que envolve alguns dos elementos atualmente em desenvolvimento pelo programa americano, como a cápsula Órion, e outros ainda a ser criados, como um módulo rígido de habitação para ser levado à Lua (e depois a Marte), que o ex-astronauta diz que será desenvolvido pela empresa europeia Thales Alenia Space.

A ideia é ir montando gradualmente uma infraestrutura espacial que contemple estações nos pontos de Lagrange do sistema Terra-Lua (onde a gravidade do planeta e do satélite se anulam, permitindo o “estacionamento” de naves) e que, nas viagens marcianas, usem uma órbita descoberta pelo próprio Aldrin e referida hoje nos círculos aeroespaciais como o “ciclo de Aldrin”. Trata-se de uma trajetória em que um veículo se alternaria precisamente entre passagens próximas da Terra e de Marte, a cada 26 meses.

É quase como montar um “circular” que opere entre os dois planetas, sem nunca parar. Ao passar pela Terra, o veículo seria abastecido com suprimentos e equipamentos, para posteriormente deixá-los em Marte. Por nunca descer em nenhum dos dois mundos, ele permitiria o transporte relativamente frequente entre os planetas, a um custo em tese mais baixo. Buzz está colaborando com diversas instituições, dentre elas o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), para dar toques finais ao projeto e submetê-lo à Nasa. O presidente Barack Obama já declarou que o objetivo final da agência é o envio de astronautas a Marte, mas ainda não há uma arquitetura definida para a viagem. É aí que Aldrin quer encaixar seu plano.

Diz ele que a iniciativa poderia ser anunciada em 2019, em celebração aos 50 anos do primeiro pouso lunar, e o primeiro desembarque em Marte ocorreria duas décadas depois, em 2039. Com um detalhe: Aldrin imagina que os primeiros astronautas devem ir até lá para ficar e assim iniciar a implementação de uma colônia humana no planeta vermelho.

“Quero muito que meu legado seja o futuro”, diz o ex-astronauta. Será que dá pé? Bem, não custa lembrar que Buzz já fez o impossível uma vez.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook e no Twitter

Comentários

  1. Ajudar outros países que estão engatinhando na conquista
    da lua, nosso satélite natural, até aí tudo bem. Agora, ir
    até o planeta marte, é bem mais complicado. A meu ver,
    atualmente, o que nós precisamos fazer com urgência
    em primeiro lugar, é pelo menos tentar salvar nosso
    surrado e judiado planeta, que é a nossa casa que Deus
    deixou para nós usufruir até morrer.

    1. E por que não fazer ambos? Sendo que há pessoas engajadas e dinheiro suficiente para isso?

      Falácia das prioridades. Falácia das prioridades….

  2. Venerável Mestre Rabolu, autor do livro Hercólubus, diz que quando a Lua for disputada política e militarmente, Hercólubus estará perto da Terra. Ele também diz que se visitássemos uma civilização extraterrestre muito avançada, haveria a necessidade de sermos enjaulados durante a visita. Nós, seres humanos, não admitimos que um chimpanzé corra solto pelas ruas. Assim é nós seres humanos em relação aos extraterrestres super-avançados. A vida do ser humano não é tão valiosa como pensamos. No Universo, existem seres muito superiores tecnologicamente, moralmente e espiritualmente. Nós somos como macacos muito inferiores para os extraterrestres.

    1. Pena que ele inventou tudo. Mas há de se dar crédito à criatividade do suposto indígena peruano.

  3. A Omega forneceu os relógios para os astronautas que estiveram na Lua.
    Lembro-me de um anúncio da marca mostrando uma dessas máquinas no pulso dos exploradores. Mas a única foto que vi foi essa.

    P.S.:
    Meio brega a vestimenta do heroi, não acham?

  4. Pronto! Agora metade da Lua vai ser capitalista e a outra metade comunista. E o Brasil na platéia com a duvida cruel a quem seguir.

  5. Aldrin já deu aí o mote: os primeiros que forem a Marte lá ficarão, até porque reabastecer quem há de? Combustível será na medida pra ida – e só. E mais: quem lá ficar terá noção de riscos e incertezas o tempo todo rondando, tudo permeado pelo vasto desconhecido. Logo, será uma missão pra gente corajosa e imbuída de espírito de sacrifício Quanto a isso, Buzz Aldrin tem o que ensinar. Mas até chegar o momento de “dar a largada”, muito haverá de ser superado, equacionado, com vistas a municiar do máximo de segurança a trajetória e a estada do pessoal por lá – até onde seja possível prever/planejar.

  6. como esse EU comentou é chato …se acha a cereja do bolo , e ainda por cima sem personalidade propria .

  7. Se eu fosse os chineses tirava aquela bandeira de toalha de natal e colocava a bandeira chinesa no lugar, e de quebra traria de volta toda aquele ferro velho para reciclagem para ganhar uns trocos.

    1. Qual das 6 bandeiras? Escolha uma, fica mais fácil de localizar, já que cada uma está em um lugar diferente da Lua.

  8. Puxa, fiquei admirado com essa idéia do “Ciclo de Aldrin”… Poderá ser a melhor opção, uma grande nave com todos os recursos, utilizável por décadas, um verdadeiro “táxi espacial”!

  9. O senhor Buzz Aldrin poderia fazer um favor inestimável ao seu povo,assim como para toda a humanidade;o de convencer os Estados Unidos da América que a guerra fria acabou,que os outros povos precisam viver com dignidade,que o fato de terem a maior economia e poderio militar do mundo,não os autoriza à humilhar as demais nações,subjugando-as sistematicamente,impedindo o seu real desenvolvimento soberano;antes deveria aproveitar esse momento histórico impar e promover a pax mundial,baseada em fundamentos de respeito,inclusão,cooperação e generosidade;a pax americana atualmente imposta é imperialista,excludente,egoísta;o Brasil à muito tempo é tratado em muitos aspectos de nossas relações bilaterais,como inimigo,nos é proibido ter acesso a varias tecnologias cruciais ao nosso desenvolvimento cientifico,tecnológico e econômico,temos uma historia de amizade entre os nossos povos e o proceder do Brasil no cenário mundial é exemplar;portanto,não merecemos ser tratados como uma ameaça;continuando no contexto,maiores projetos,sejam no nosso planeta ou em outros,somente serão viáveis à partir desta postura de união da especie humana.

  10. Salvador, eu já li alguns artigos sobre lançadores espaciais sobre trilhos. Você não acha que seria uma boa oportunidade para o Brasil criar um sistema de lançamento de mais de 1.000 Km próximo à linha do equador? Me parece que somos o único país próximo ao equador com essa distância disponível. O Brasil poderia vender esse serviço de lançamento a todo o resto do mundo no futuro. Acredito que seria um negócio bastante rentável a longo prazo. O que você acha?

    1. Qual das Construtoras pegas na Lava a Jato você acha que deveriam assumir a obra?
      Tá de brincadeira né?

  11. Descobre pra gente onde ele vai estar em São Paulo nos próximos dias? tenho um livro com o Buzz de capa e preciso de um autógrafo para a posteridade…

    1. Acho que Vênus está descartado, com temperaturas médias na casa dos 735 K e atmosfera de 95% CO2. Lugar um tanto quanto difícil de habitar, principalmente devido a temperatura elevada.

  12. Acho importantíssimo a exploração de outros mundos. Mas a verdade é q uma missão para fins de habitação precisa buscar mundos mais distantes, fora do sistema solar, o q é inviável considerando nosso limitado conhecimento tecnológico. Por outro lado, acho mais viável tornar habitável Vênus em lugar de Marte!

    1. mas venus tem pressão atmosférica imensa, o efeito estufa lá deixa o dia em uns 400°C ou mais, além de vários outros poréns, é uma pena que venus deu errado.

      marte sendo mais afastado é um possível futuro de sobrevivência caso o Sol venha a expandir, demora só uns 4 bilhões de anos, mas se tem gente que acha que dura tanto tempo… não sei se haverá alguém vivo até lá.

      marte é mais viável de se colonizar com drones do que com pessoas, a grande sacada é começar a explorar o solo e detectar elementos preciosos.

  13. Porquê essa loucura de enviar homens ao espaço? Sabemos que a sobrevivência fora da Terra é extremamente difícil e as chances de que algo dê errado é enorme. Certamente astronautas morrerão nessas tentativas de ida à Lua e à Marte. Porquê não investir em sondas não tripuladas cada vez mais avançadas? Já existe tecnologia para isso.

    1. Como ser humano, mesmo sendo um admirador das sondas e robôs que podem fazer muito pela Ciência, ficaria frustrado em pensar que a humanidade está presa a esse planetinha até ver seu fim.

      Imagino, como Isaac Asimov imaginou, uma galáxia habitada por humanos até nos mais longínquos sistemas estelares… E então, partiremos para a galáxia mais próxima!

    2. Não concordo com o seu pensamento e a História é o meu embasamento argumentativo.

      Vamos voltar um pouco o tempo e fazer a mesma pergunta com as condições tecnológicas da época para refletir o que você esta dizendo:

      Supondo que algum dia do Século XIV duas pessoas conversando no pátio do castelo do rei dom Fernando de Aragão e Castela após saberem as notícias que uma campanha espanhola iria fazer um novo caminho às índias sob o comando de Colombo, fizesse a mesma alegação sua com o contexto da época:

      “Porque esta loucura de fazer novos caminhos as índias? Sabemos que a sobrevivência fora da terra [firme ou no mar] é extremamente difícil e as chances de que algo dê errado é enorme. Certamente os marujos morrerão nestas tentativas de ir as índias pelo ocidente. Por que não investir nas viagens mais seguras para fazer o caminho pelo oriente; que, por sinal, esta é a direção para chegar lá. Já existem embarcações para isso [só precisaria ser aprimorado].”

      Você acha que, se todos pensassem como o homem da vila, teríamos o progresso que conseguimos com o feito de Cristóvão Colombo?

      Para mim, o ser humano tem a característica de se lançar ao conhecimento, até mesmo com o preço da própria vida, e qualquer pensamento de deter isso não é válido. Alias, voltando para história, Colombo foi injustiçado, caiu no abandono e morreu em 1506 sem nunca ter sabido que descobriu um continente.

      Reflitamos…

      1. A comparação é absurda. O colega demonstra um total desconhecimento da estrutura social na época das caravelas. Naqueles tempos as relações comerciais eram a grande força motriz para as aventuras marítimas, ou seja, ninguém embarcava numa viagem daquelas para se “lançar ao conhecimento” mas sim por dinheiro mesmo. Os marujos eram compostos pela escória da Sociedade, os estupros de mulheres à bordo eram frequentes e, na falta delas, as crianças eram as vítimas. Leia o livro “Por Mares Nunca Dantes Navegados” de Fábio Pestana Ramos. Você vai mudar de opinião.

    3. Também acho loucura. Em vez de seres humanos deveriam mandar religiosos e políticos, e utilizá-los para experiências
      científicas. E, junto robôs e sondas para monitorá-los com a tecnologia de realidade virtual para melhor acompanhamento dos cientistas aqui na terra.

  14. Falam em povoar marte…é uma idéia bonita, do ponto de vista científico. Agora pensar em povoar marte porque a vida na terra vai se tornar inviavel é um tanto repreensível. por quê não se tenta arrumar a Terra?

          1. Filho, filhinho meu!
            Que tal você redimir-se e fazer-me uma declaração de amor ?
            Eu sou Gaia, tua mãe, acolhedora e amorosa. Tua avó é a Natureza, a grande criadora. E a mãe dela é a Energia, que é o princípio e a existência.
            Honre-nos, filhinho!

          2. Filho, filhinho meu…
            Prometo que te reciclarei e das tuas moléculas farei alguém que mereça viver… alguém digno… alguém que tenha mais inteligência e amor no coração que tu, filhinho… talvez uma barata…

          3. Não, obrigado. Prefiro viver bem longe de você e da estupidez das pessoas que vivem em você. Melhor estar morto pra sempre mesmo, já que não há vida após a morte.

  15. Gostei da idéia do “Aldlin”. Uma nave circular (ou quem sabe mais de uma, para diminuir a espera no ponto, he, he) deve diminuir bem os custos de uma viagem.
    Mas uma dúvida, quem chega, um dia quer sair. Qual a gravidade de Marte? Não deve ser muito menor que a da Terra, então decolar uma nave em Marte irá requerer um foguete com potência razoável. Como fazer? Os foguetes de retorno teriam que ser enviados em partes e montados lá mesmo?
    Sempre leio notícias de pesquisas em como chegar e sobreviver em Marte, mas como retornar não é muito comentado por aí. Aldrin e Armstrong só retornaram da Lua por conta da baixa gravidade do satélite, senão teria sido missão só de ida.
    Aproveito para parabeniza-lo pelo blog, sempre com assuntos interessantes nas áreas de Astronomia e Astronáutica.

  16. Salvador, não consigo compreender o porquê da euforia em torno de um pouso em Marte, ou até da implantação de uma colônia. É uma ideia extravagante e sem sentido, a menos que se queira provar alguma coisa ou se tenha descoberto algo de valor, pois Marte é um ambiente completamente hostil.

    1. Leandro, a colonização de Marte representaria o primeiro passo para tornar a humanidade imune à extinção, pois os dois planetas seriam como sistemas fechados. A catástrofe de um não afeta o outro. Além disso, podemos implementar a terraformação marciana, de forma a torná-lo um planeta vivo, que possa permanecer assim depois que a Terra já não for mais habitável.

      1. Além disso o próprio processo de criar as condições para a ida a marte impulsiona tanto a descoberta de novas tecnologias que só isso vale a pena. Muita gente não sabe o quanto a corrida do homem até à lua trouxe de benefícios à humanidade.

      2. Concordo, mas isso a longuíssimo prazo, do tipo 1000 anos ou mais. Com a tecnologia de hoje, não conseguimos nem criar um sistema totalmente fechado para proteger os pioneiros de Marte.. acho que estamos indo rápido demais! 🙁

        1. Talvez. É que há um senso de urgência por conta da escalada tecnológica com potencial para nos aniquilar…

          1. Mas Salvador, parece que estamos sonhando muito alto, se a escalada tecnológica nos ameaça, como chegaremos lá? 🙂

        2. Discordo Leandro. 1000 anos? A viagem a lua terminou em 1972. Um pouco mais de 40 anos.

          Benefícios reais:

          Teflon, Velcro, Marcapasso, Satélites, GPS, Comida desidratada, Painéis solares, etc.

          Fora as tecnologias que se usam para melhorar o próprio processo de exploração espacial. E fora os desdobramentos que as tecnologias anteriores viabilizaram, dos quais sem elas eu e você jamais estaríamos conversando…

          Poxa, não valeu?

      3. Como poderíamos implementar terraformacao em Marte tornando-o vivo? E as condições atmosféricas, climáticas e biológicas? seríamos capazes de criar/alterar de forma sustentável?

          1. Assim como não são algumas evidências de que a viva é infinita, cíclica e mutante determinadas pela interação entre forças físicas, químicas e biológicas.

  17. Nossa, o turismo espacial da Virgin está engatinhando e o Aldrin ja ta falando em abrir uma linha de BRT tipo Grajaú-Marte. É como ele mesmo diz: ao infinito e avante! Saver, esse “ciclo de Aldrin” seria baseado em empuxo gravitacional ou esse busão teria que ser abastecido cada vez que chegasse à Estação da VELOCIDADE da Luz? <= best trocadilho forever. Amplexos!

    1. Ele realmente disse essa frase??Já li que o personagem Buzz Ligthyear foi inspirado no Buzz Aldrin e tinha a celebre frase: “Ao infinito e além!!” Muito parecida com o original né

  18. Chegar e pousar em Marte não é o desafio. O grande problema é estabelecer humanos no ambiente hostil do planeta vermelho. Trajes espaciais não protegeriam o corpo dos astronautas dos altos níveis de radiação encontrados em Marte, Os exploradores contrairiam várias formas de câncer. Esta jornada deveria ser precedida por uma missão para coleta de dados sobre as condições ambientais de Marte com vistas a uma simulação para avaliar como organismos vivos reagiriam em um planeta como Marte.

    1. Eu acredito que antes ainda que manter humanos em Marte é estabelecer uma tecnologia de retorno. Diga-se de passagem, esta tecnologia ainda é teoria, ninguém ainda fez o ciclo ida-pouso-volta.

      Imagine o estado da nave quando chega em Marte? Agora imagine ela fazendo o processo todo que ela percorreu tudo novamente?

      Sei lá… Talvez teriam que construir uma base de lançamento em Marte. Mandar foguetes desmontados como parte da carga em várias viagens, combustível, para ai sim, mandar uma equipe cujo trabalho é construir a base e montar o foguete para retorno.

      Qual a chance de dar errado? 90%? Mas ainda sim vale a pena. Eu acho.

  19. O nosso planeta está um CAOS agora. O que será daqui a 25 anos? Estão procurando um lugar para nova morada, mas acredito que seja em vão.

    1. Verdade, então melhor abandonar o barco agora e se matar, já que não tem jeito. Pode começar, vá na frente.

      1. Eu, o quanto lhe agrada responder com imbecilidades?

        Diante do seu afirmado vasto conhecimento (como lido noutros posts) atitude nobre seria ignorar ou expor sua polidez.

        Sugestão: Para cada questão que lhe irrita, plante uma árvore!

        Ruy Ney

    2. Será que não dá pras pessoas entender a dizer que vão colonizar Marte, etc é somente uma forma de tentar unir esforços científicos? Ninguém vivo hoje jamais irá morar em Marte. O que importa em todo projeto espacial são as descobertas que isso acarretam. Pensando em ir pra “Marte” desenvolve estudos em robótica, computação, materiais, biologia, medicina, etc. Isso é o que se procura. Se depois de todos esses estudos se conseguir ir pra Marte,ótimo, se não, ótimo também.

  20. Você fala tantas vezes deste assunto que só Freud explica: você está querendo se convencer que isso é verdade.

      1. Ah, eu acreditava sim… mas sabe como é, a gente cresce e deixa de acreditar em Papai Noel, coelhinho da páscoa e americanos na lua, né….

        1. Pois é. E tem alguns ainda mais incautos que crescem e acham até que as três coisas cabem na mesma categoria… 🙂

        2. Pois é. Mas a diferença é que a ida do homem à Lua já foi provada.

          Agora o resto é só imaginação.

      1. É porque aguentar o Apolinário só com paciência de Salvador… rs… quer dizer… de Jó…

  21. Parece que o filme A Fantástica Viagem, de 1966, que mostrava uma aventura dentro do corpo humano, inspirou a NASA a criar um filme de outra fantástica viagem três anos depois: A Fantástica Viagem do Homem à Lua. Analisando todos esses fatos, poderíamos até mudar a categoria do filme A Fantástica Viagem do Homem à Lua. Não o encontraríamos na seção de filmes de ficção científica ou aventura. Mas, poderíamos encontrá-lo juntamente com os capítulos da série Acredite Se Quiser!

    1. Sim, porém a diferença básica que os 6 pousos humanos na Lua REALMENTE aconteceram e já foram exaustivamente provados. Isso que você cita, ao contrário, é apenas ficção.

      😉

    2. Cleomar você já parou para pensar por que você nasceu, por que no Brasil e por que no século XX? Lá atrás, há alguns milhares de milhares de anos, um humanoide do sexo feminino a quem deram o nome de Lucy, resolvera descer das árvores e pesquisar aquele chão imenso fosse savanas ou florestas tropicais e enfrentando terríveis perigos e predadores ferozes, mas apesar dos riscos ela se sentiu impelida a verificar in loco, pegar as coisas nas “mãos”, cheirar, experimentar etc., mas continuar nas árvores já não mais a satisfazia. Este é o espírito do homem e raras são as outras espécies que desenvolveram tanto, acumulando e deixando legados para gerações seguintes. Viva e faça com que os riscos da Lucy tenha valido a pena.

  22. Salvador, você conheceu Buzz Aldrin pessoalmente? Poderia nos dar sua impressão do tipo de pessoa que ele é?

    1. Fabio, é um sujeito entusiasmado, mas que já encontra certas limitações da idade. Quando começa a falar, não para mais. Muitas vezes não responde aquilo que você perguntou, e a assessora precisa guiá-lo de tempos em tempos para ele ser mais objetivo. A gente percebe a mente afiada, mas que já não é mais o que foi um dia. Mas ele passa a impressão de ser confiante no que diz e obstinado por permanecer relevante, 45 anos depois de seu momento de fama. Achei-o sério e um pouco fechado, ressabiado. Talvez também artefato da idade.

      1. Ele é um daqueles homens sortudos que tiveram inteligência, determinação, saúde perfeita e MUITA coragem.

        Quaisquer daqueles homens que voaram as Apollos de 1 a 10 poderiam ter ido nessa viagem, aquela que entrou para a história da humanidade, mas, sem eles a Apollo 11 não chegaria lá (não esquecendo que os tripulantes da Apollo 1 morreram queimados).

        Uma salva de palmas a Buzz Aldrin e seus companheiros de viagem!

  23. Sei não! Mas pela gravata do indivíduo é bem capaz da NASA e a CIA quererem ‘plantar’ o sujeito no meio dos chineses a título de espionagem. Duvidar não ofende.

    1. Renato, eles estão em queda livre, a estação e tudo que está dentro. Por isso flutuam. E a queda não termina nunca porque viajam tão depressa que a curva da queda acompanha a curvatura da Terra. Então eles estão sempre caindo, sem parar, em volta do nosso planeta.

      1. Sem falar que por estarem muito próximos da atmosfera, o arrasto atmosférico faz com que percam um pouco da altitude e precisem ser “empurrados” pra cima de tempos em tempos.

    1. Fábio, se, são ou não confiáveis, o INPE paga para que os chineses coloquem os nossos satélites em órbita.

    2. O problema dos chineses é justamente a versatilidade. Eles fazem o que quiserem, dependendo do nível de qualidade que for solicitado, desde o Iphone ao Hiphone. Tudo depende do quanto está disposto a pagar. E como os Hiphones são uma droga e eles copiam tudo o que quiserem baratinho, esses produtos levam a fama dos “made in china” para a lama. Na verdade você paga pelo que leva. Pagou pouquinho, leva qualidade baixinha. Pagou bem, leva produto bom.

      1. Érico tente se informar mais em sites profissionais e não nas redes de relacionamentos; o meu desktop é HP que deve ter sido produzido entre 12 a 15 anos atrás e acredite tudo nele é Made in China, placa mãe, fonte de alimentação, HD, DVD, mouse e teclado. O modem da GVT que me permite enviar esta mensagem é um D-Link Made in China. Tenho uma TV Philips de 32” Made in China onde até o controle remoto tinha pilhas AAA Made in China e o decodificador da NET é Siemens Made in China isto sem deixar de falar que todos os cabos de conexões são Made in China. Acredite se quiser mas uso shorts comprados nas Lojas Americana que também são Made in China e, aos finais de semana faço as minhas próprias pizzas, diga-se de passagem deliciosas, mas as pizzas são feitas com insumos nacionais, já o cortador também é Made in China.

        Enquanto brasileiros desinformados ficam metendo o pau nos produtos chineses, eles estão trabalhando, produzindo e faturando horrores e nós brasileiros vendendo minérios para importarmos produtos acabados. Não acha que já está na hora de começarmos a pensar diferente e aprender com eles? De que adianta você meter o pau? O PIB deles é um número tão gigantesco que acredito que levaremos décadas para estarmos nos nível deles de hoje. Por favor, pense.

        1. Pois é, Tetsuo.
          Só adicionando mais uma linha de pensamento, desses produtos todos que você mencionou feitos na China, todos feitos com mão de obra baratíssima, enquanto pouquíssimos lucram com isso.
          Acho que não difere muito do Brasil, só em escala, não acha? 🙂

  24. Com a chance cada vez maior dos chineses chegarem a Lua nada mais justificável a preocupação do Buzz de aproximar as agencias espaciais pra com isso tentar manter essa estória da carochinha guardada a sete chaves, e com isso manter a sua reputação de heroi imaculada.
    Respeito toda a coragem e desbravamento desse senhor até o programa Gemini, depois disso só lamento e desprezo todos esses anos de mentiras.

    1. Fala isso pra ele pra você ver o sopapo que leva! 🙂
      Alfredo, ele falou sobre isso. Ao ser perguntado sobre por que algumas pessoas duvidam, ele respondeu: “Porque isso as eleva. Elas acreditam saber de algo secreto, que a maioria das outras pessoas não sabe.” Fica como reflexão pra você. 😉

      1. Foi o que eu sempre falei. A vida de algumas pessoas deve ser MUITO enfadonha, a ponto de precisarem acreditar que fazem parte de algo “especial”, algo “diferente” que os outros não participam.

        Ou seja, vida chata de bosta.

        kkk

      2. 🙂 O senhor Buzz Lightyear realmente já provou que não consegue se dar bem com perguntas desse tipo, e sabemos que o refugio dos fracos é partir para a ignorância.
        Além do mais eu respeito os mais velhos, e o cara ainda é um coronel USAF. Coisas estranhas costumam acontecer com pessoas que contestam esse pessoal, como por exemplo queimar vivo dentro de uma cápsula espacial. Não gostaria de comprar briga com gente desse tipo.
        E essa conversa de se achar “especial” ou “tem problema mental” quem não acredita nas alunissagens é mais um subterfúgio pra desviar o assunto e descredenciar qualquer contestação. Assim como foi com a operação Northwoods, ou MK-Ultra, etc…

        1. Não foi bem uma pergunta… Você viu o vídeo? Ele foi emboscado e hostilizado. Deu a resposta de quem não tem sangue de barata. De resto, eu queria que você me dissesse o que vê nas fotos do LRO, se não é o hardware das Apollos…

          1. Vira e mexe voltamos a esse assunto, mas tudo bem, fica para aqueles que não viram nossas conversas anteriores.
            Pra quem adulterou as imagens na era da fotografia analógica isso se tornaria muito mais fácil na era digital.
            E engana-se quem acha que era impossível antigamente, pois desde que existe fotografia existe adulteração: http://www.fourandsix.com/photo-tampering-history/

            Alguns dos exemplos que as fotos da LRO são adulteradas:

            1- As fotos dos lugares das apollos sempre aparecem as trilhas bem marcadas dos rovers e até das pegadas dos astronautas, mas pouca gente sabe que a LRO tbm fotografou os Roves Soviéticos Lunokhods que eram mais pesados que os rovers americanos mesmo com os astronautas em cima e com as mesmas definições de imagem, pois bem, praticamente nenhuma marca das rodas desses roves pode ser vista nas fotos (fazer photoshop do equipamento russo sem ter os dados da telemetria dos mesmos seria burrice)
            http://www.nasa.gov/mission_pages/LRO/multimedia/lroimages/lroc-20100318.html

            2- A LRO mostra até as bandeiras americanas fazendo sombra no terreno, mais fake impossível, pois elas seria feitas de NYLON ou de aço? 40 anos de sol a +120º e sombra a -180º por 15 dias seguidos teriam as destruído completamente, sem falar na radiação, micro-meteoritos etc… Só a título de comparação os cosmonautas da MIR uma vez estenderam uma bandeira soviética fora da Nave durante uma EVA, 1 anos depois em outra EVA identificaram que só sobraram poucos fios dela.

            Espero ter explicado o que acho dessas fotos da LRO. ;0

          2. 1- diferenças de terreno explicam diferenças nas marcas. Tem marcas faltando também do jipe americano. E o LRO viu sim marcas do Lunokhod, tanto que reestimou a distância percorrida (obtendo resultado mais preciso que a supostamente necessária telemetria russa, que, by the way, está toda disponível se os americanos quiserem.

            2- adoraria ver um link confiável sobre o experimento da bandeira soviética.

          3. Aqui tem o registro da 6ª EVA em 1991 na qual a bandeira foi hasteada. Não foi um ato programado pela missão e sim uma decisão independente dos cosmonautas.
            http://www.spacefacts.de/mir/english/mir-9.htm

            E infelizmente não falo russo mas nessa entrevista com Andrei Sokolov um artista russo diretamente ligado ao programa espacial deles (fazia insígnias e posters) ele narra o que aconteceu quando da retirada da bandeira mais ou menos 1 anos depois. Apesar do google tradutor não ser muito fidedigno da pra entender quais foram as razões de não sobrar nada da bandeira! (penúltima pergunta)

            http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=ru&u=http://www.fandom.ru/inter/lavrenyuk_1.htm&prev=search

          4. Interessante. Não conhecia a história da bandeira soviética. O artista elenca uma série de razões, mas acho que ele não citou a mais óbvia. Arrasto atmosférico. Ainda que sejam poucas as moléculas de ar, a bandeira e a Mir estavam se chocando com elas a 28 mil km/h. Além do quê, ele diz que a bandeira foi comprada numa loja qualquer. Ainda que as americanas não tenham sido confeccionadas em aço, certamente tinham melhor qualidade.

          5. Boa tentativa de explicar a deteorização da bandeira da MIR, mas já vi alguns cálculos do impacto dessas particulas de atmosfera a 370km de altitude e 7km/s em comparação com o constante vento solar que apesar de ter menor densidade nunca fica em menos de 300km/s e a conta nunca é favorável as bandeiras americanas. Sem falar no cozimento e congelamentos alternados de 15 dias seguidos, e é claro ao timeframe de 1 ano contra 40 anos.

          6. Comentário retirado de uma matéria sobre a ida do homem à Lua, em um outro site, mas cabe direitinho aqui:

            “Eh impressionante mesmo que o mundo cientifico tenha sido burlado, enganado, LUDIBRIADO por mais de 50 anos. E eh tudo muito bem feito, com todos os “props” devidamente guardados em museus (aeronaves, rochas que eles juram serem lunares, etc) e depoimentos de “astronautas” (varios deles ainda vivos) cuidadosamente ensaiadas para nao revelarem o grande segredo de estado que foi a forjacao da ida a Lua.

            Eh ainda mais inacreditavel saber que a propria Uniao Sovietica nao desconfia disso tudo mas simplesmente aceitou, como uma cadelinha, que foi tudo verdade.

            Mas o mais inacreditavel eh que os unicos que sabem da verdade sao jovens e velhos sem educacao ou treinamento cientifico.

            Como pode uma instituicao tao inteligente quanto a NASA, que cuidou muito bem de todos os detalhes para que aeronauticos, fisicos nucleares, astronomos, fisiologistas e quimicos dos mais variados paises (inclusive de seus rivais, a Uniao Sovietica) fossem enganados mas permitiram brechas suficientes para que os burros dessa nacao que chamamos Brasil pudessem ver atravez das mentiras e descobrir a verdade?”

        2. Ola Sr. Alfredo.

          O senhor questiona a ida Lua?
          Por que será que os países que antipatizam com o USA não tem a mesma opinião que a do senhor?Poderia me responder por que diabos países como China,Russia,Irã e Coreia do Norte não questionam ate hoje?

          1. Uai, é porque estão todos mancomunados com a farsa. Não conhece a “Nova Ordem Mundial”?

            kkk

            (contém sarcasmo!)

          2. Blz Victor.

            Opinião de países ou governos não passam de fachada e andam junto aos interesses principalmente militares e financeiros.
            Só como exemplo, bem no auge da guerra fria em 1975 os astronautas dos USA e URSS estavam se abraçando na atracagem da Apollo-Soyuz, Dá para ver como eram “grandes inimigos”.

            Se algum dia vc tiver a oportunidade de ser bastante amigo de algum cientista de primeira linha desses países e estiver por exemplo, num churrasco bem divertido com ele, experimenta conversar numa boa sobre esse assunto (nada de entrevista, mas de um papo descontraído), só ai vc vai saber a real opinião dele, aí vc me diz qual.

            Tire um tempinho e dê uma olhada com cuidado nesse site.
            depois vc me fala o que achou.
            http://leoneo30.wix.com/tamanho-da-terra

          3. Parabéns pra esses caras que fizeram todo esse trabalho do link.
            A coisa pelo jeito é muito bem feita que até hoje não vi nenhum cientista/estudioso sério suportar essas teorias mirabolantes.

          4. Entendo..Sr Alfredo.

            Será difícil eu ter amizade com algum cientista iraniano,mas quem sabe um dia né :).E com certeza irei perguntar para ele.

            Sobre os cientistas mundiais então!
            Pergunto que o que ganhariam todos eles somente creditar a ida a lua na frente dos holofotes?Que dizer que foram todos manipulados pela midia?ou ate comprados?
            E Porque o senhor não acredita?gostaria de saber os reais motivos,se quiser falar é claro.E sobre as sondas espaciais lançadas aos planetas e luas do sistema solar o senhor também desacredita deste fato?

      3. Boa Tarde

        Salvador!

        Admiro bastante as postagens que faz sobre astronomia e tenho de admitir que assim que termino de ler vou direto aos comentários, até mesmo para apreender mais com aqueles que são interessados e rir dos hilários. E a resposta de Buzz Aldrin em…. Foi perfeita. Sabe, as vezes fico triste com este povo, mas sei que o que falta é conhecimento. Imploro para que continue sempre com este ótimo trabalho.
        E Sei que é errado ficar publicando propaganda de canal de youtube, mas se poder dar uma olhada nos vídeos que posto de minhas observações em meu canal no youtube, ficaria imensamente lisonjeado.
        É só procurar por Victor Goiano 🙂

        Abraços.

    2. As seis descidas humanas na Lua estão mais do que comprovadas e, para aqueles que gostam dessa palavra, as provas estarão lá, na Lua, pelo resto da “eternidade”.

  25. Os Chineses estão sendo mais pé na Lua. Para iniciar alguma colônia fora da Terra, primeiro, teríamos que conquistar o espaço sideral, mas ainda não temos tecnologia para isto. Mesmo embaixo da “saia da Gaya” , nas estações espaciais, não foi conseguido nada sustentável, tipo cultivo de alimentos, no espaço, para consumo dos astronautas. Vamos ficar muito tempo imaginando uma civilização extraterrestre de colonos humanos, enquanto torcemos pelos robozinhos.

    1. A verdade é que é tremendamente difícil… Tem um documentário “Mission to Mars” (pode ser visto no Netflix), que mostra o quão complicado é e como são enormes os riscos de fracasso.

      Mas esse é o destino da vida terrestre: tentar perpetuar-se. O único caminho é alguma espécie conseguir semear o espaço com DNA terrestre e, por enquanto, a humanidade é a única que pode tentar.

      Mas a Terra tem tempo, que espécie habitará esse planeta daqui a 60 ou 100 milhões de anos? Espero que consigam, se nós não conseguirmos.

      1. Eu vi esse documentário, muito bom. Recomendo.

        E caso não tenha feito ainda, veja também o “Stratos”, aquele da Red Bull que detalha o salto do Felix Baumgartner.

        😉

        1. Valeu a sugestão!

          Achei-o neste link: http://www.redbullstratos.com/gallery/?mediaId=media1902415096001

          Para entender tudo sobre o salto, recomendo a Wikipedia: “Red Bull Stratos”.

          Como diz o artigo, 14 de outubro foi o aniversário do primeiro voo supersônico (em 1947), por Chuck Yeagar – cuja história pode ser vista no filme Os Eleitos (The Right Stuff”, um belíssimo filme sobre esse feito e sobre a seleção dos 7 primeiros astronautas americanos.
          🙂

          1. Apenas complementando, no Netflix está como “Mission to the Edge of Space: The Inside Story Behind Red Bull Stratos”

            😉

  26. Sinceramente o que esse senhor tem a ensinar para os chineses? Com essa gravatinha ridícula. Parecendo menino propaganda da Casa Branca, ou melhor espantalho propaganda. A cadela Laika também foi ao espaço e ai, se manda bactérias o tempo todo para o espaço e dai ? Sinceramente essa propaganda que os Americanos fazem de si mesmos embrulha o estômago, os caras transformaram o planeta em um caos, arrebentam o meio ambiente, faz guerra com todo mundo, assassina uma batelada de pessoas por dia direta e indiretamente. Serio ninguém deu cheque em branco para eles captaniarem a humanidade.

    1. Nem aos chineses, onde a frase “liberdade de expressão” e a palavra “democracia” são proibidas.

      Somente aqueles povos que conseguirem poder e capacidade tais que possam se dedicar a “passatempos” como a exploração espacial poderão levá-la adiante.

      E não se esqueça, Ciência (a busca do conhecimento) não é algo que se faz sozinho. É lamentável que os americanos tenham medo de fornecer tecnologia aos chineses (eles foram proibidos de participar da ISS por causa disso).

    2. Cara, na boa, os americanos defendem o país da forma que eles puderem e do jeito que der. Eles têm um amor à pátria que nós não cultivamos pela nossa (exceto em copa do mundo que realmente é o que importa não é??? – Plagiando o Eu, tem sarcasmo aqui viu?). Se o nosso governo desse para nós o que o governo americano dá para o cidadão (organização, qualidade de vida, segurança, saúde – quem já foi pra lá sabe o que eu estou falando) tenho certeza que até você usaria uma gravata com a bandeira do Brasil. Agora, como a maioria dos brasileiros não sabem se comportar nem no avião da volta para o Brasil, quem dirá ter tudo isso que eles têm… inclusive o orgulho de fazer o que eles fazem.

    3. Eita antiamericanismos babaca bem típico de quem não entende política internacional. Menos ainda sociologia…

    1. Sim, tá na lista de coisas a fazer.

      Foder Terra – Check
      Foder Marte – Em progresso
      Foder comentarista imbecil – Pendente

    2. Sabia que há crianças e pré-adolescentes acompanhando esse blog? Para que usar linguagem agressiva e desnecessária, que rebaixa mais a quem a profere?

  27. Conspiracionistas que acreditam em homenzinhos verdes, rodinhas em plantações, illuminatis, chupa cabra, coelhinho da páscoa, mas não acreditam que o homem foi a lua, cadê vocês?

    1. Tem uns por aqui já. Aguarde que eles se manifestarão mais rapidamente do que seus olhos conseguem acompanhar.

      Ninjas conspiraciotários

  28. Um dos meus Heróis , quando criança !
    E ainda o é.
    Mais o sobrenome dele não esta errado ???
    Não seria ” Aldrin “.

  29. Creio que a palavra ORION, tanto no latim, quanto na língua inglesa NÃO É ACENTUADA. Se a opção é o “aportuguesamento”, OMEGA, por coerência, também deveria receber acentuação.

    1. Omega é marca, Órion não. Fiquei refletindo sobre isso esses dias, se deveria chamar de Órion ou Orion (“Oráion”). Decidi por Órion.

  30. Aproveita Sr. Buzz Aldrin que está em SP, faça um convite para politicos do PSDB, eles irão adorar. Faça uma nave diferenciada para nossos politicos, em que ela vá em direção ao SOL.

    1. De que adianta, se brasileiro é tudo corrupto e burro e não sabe votar? Vamos criar uma nova corja. O problema não são os políticos, é nossa cultura.

  31. Por favor Sr. Buzz Aldrin, ajude os chineses a irem pro espaço, constroem uma nave que caiba todos eles e mandem, todos, para o fim do universo, bem longe da Terra, o mais longe possível e se puder programe a nave para nao voltar, assim salvaremos a Terra de predadores, covardes e mercenários. Aliás, faça uma nave que caiba tambem todos americanos.

    1. …Disse a moça que usa 99% dos itens feitos na China, inclusive componentes do PC ou do Smartphone que está usando para escrever esse comentário impregnado de preconceito.

      Com o perdão do trocadilho, “Senta lá, Claudia”.

  32. Salvador, have a nice day!

    Em fins do ano 1989, o intelectual nipo-americano Francis Fukuyama lançava um estudo teórico de Filosofia da História com o fim da Guerra Fria com uma pergunta: “Seria o fim da História?” (The End of History?). Não vou alongar na tese que é longa, complexa e/ou ambígua, mas numa visão simplista poderíamos entender que a dissolução do regime soviético e a nascente tendência da China para um modelo capitalista restando apenas encaminhar e resolver os pequenos problemas da atividade econômica e da política corrente para que a humanidade pudesse caminhar para um desenvolvimento sem fim. Nada deu tão errado quanto à teoria do filósofo, pois, na Rússia nasceria das cinzas da antiga União Soviética, um Vladimir Putin, ex- agente da temida KGB, que jamais engoliu a ideia do império potência ser rebaixado agora para a categoria de um país emergente e pior ainda, ver uma China que em miseráveis 40 anos superara a terra dos Urais.

    A primeira parte se faz necessária à leitura, talvez para entender que nenhum país isoladamente conquistará a Lua, Marte ou colonizará exoplanetas, mas seria factível se houvesse a sonhada união pelas causas comuns entre os países. Vemos diariamente que esta sonhada união está mais longe que o planeta anão Plutão, pois, ainda vemos na espécie humana, torcedores do futebol brigando e ocasionalmente se matando por algo que nunca lhes trará quaisquer benefícios senão uma efêmera alegria, que dirá se riquezas e vantagens militares estiverem envolvidas? Então para limitarem as cooperações os países criam leis que limitam parcerias científicas alegando questões de segurança nacional (vejam que o Parlamento da UE quer desmembrar e limitar o poderio econômico do Google), daí podemos ver que a espécie humana dá alguns passos para frente com os pesquisadores e cientistas, mas retrocedemos dezenas de passos através das governanças políticas.

    Talvez estejamos entrando no limiar dos processos onde se poderá discutir sobre e em nome da humanidade e não de povos ou nações isoladamente, mas seguramente ainda levará muitas décadas se, não séculos. Buzz Aldrin tem razão nos seus ideais.

  33. Hummmm! Primeiro a série na TV com temas sobrenaturais e agora esse título preconceituoso. A influência da Globo é realmente nociva…

    1. Certo. Agora é oficial. Você está pegando no meu pé. Só me resta então fazer como a Globo e agradecer pela audiência! 🙂

    2. Antes ser “contaminado pela Globo” do que ser contaminado pela imbecilidade de comentar uma estupidez dessas, que não tem nada a ver com a matéria.

      Ah, seu zé….

  34. Interessante esse tal “Ciclo de Aldrin”!

    Salvador, será que existiria tais órbitas entre outros planetas/satélites? Entre a Terra e a Lua, por exemplo. Isso diminuiria consideravelmente o consumo de combustíveis, para viagens constantes de abastecimento.
    Outra coisa, acho que os USA deveriam rever muitas políticas adotadas na época da guerra fria. O mundo mudou, os inimigos mudaram, os problemas deveriam ser enfrentados de forma diferente!
    abs,

  35. Desafiador em, só de imaginar da um friosinho na barriga! .. Espero que não tenhamos chegado ao caos pela falta de água até lá, por mais que eu seja deslumbrado pela exploração espacial eu gostaria ver tambem um pouco de consideração com a nosso querido planeta terra ..

      1. Tá na loja de penhores do Rick Harrison, ele comprou no primeiro episódio da terceira temporada.

Comments are closed.