Apollo, a coleção completa de fotos

As jornadas à Lua, realizadas entre 1968 e 1972, representam até hoje é a maior distância já percorrida por seres humanos além de seu próprio planeta. O esforço bem-sucedido do sucesso Apollo não veio sem grande sacrifício — para vencer a corrida espacial, o governo dos Estados Unidos chegou a empenhar até 5% de todo o seu Orçamento anual na Nasa. Desde então, a agência espacial tem tido recursos bem mais modestos, da ordem de 0,5% do Orçamento. (Isso ajuda explicar por que os americanos pararam de ir à Lua e nunca mais voltaram.)

Astronauta Alan Bean, da Apollo 12, ao lado do módulo lunar Intrepid (Crédito: Nasa)
Astronauta Alan Bean, da Apollo 12, ao lado do módulo lunar Intrepid (Crédito: Nasa)

Cinco provas da ida do homem à Lua
Mais cinco provas da ida do homem à Lua

Agora, um fã dessa incrível aventura humana, Kipp Teague, reuniu todas as fotos arquivadas do projeto Apollo numa página do Flickr. O Project Apollo Archive, iniciativa que Teague tem conduzido desde 1999, é o repositório definitivo para quem quer admirar essas incríveis imagens (ou simplesmente procurar pelo em casca de ovo nelas). São quase 9.000 fotos ao todo, a maioria delas sem qualquer tipo de processamento — apenas o escaneamento bruto em 1.800 dpi feito pelo Centro Espacial Johnson, da Nasa, em 2005.

Ao contrário do que alguns têm noticiado por aí, essa não é uma iniciativa da Nasa. É um projeto pessoal, que apenas contou com a colaboração da agência espacial americana (todas as imagens produzidas pelo programa espacial dos Estados Unidos são de domínio público). Mas não há dúvida do incrível valor histórico. Dá para passar uma tarde inteira só olhando para elas. Então, tenha muito cuidado ao clicar aqui. Eu avisei.

Acompanhe o Mensageiro Sideral no Facebook e no Twitter

Comentários

  1. ai ai ai, essa história de novo…. pessoal não entende as coisas mais simples, do tipo que estão faltando as estrelas no céu, as sombras dos “astronautas” estão desalinhadas (porque a fonte de luz tá perto é os holofotes do estúdio e não o Sol), a bandeira tremelicando no váculo (!), ambientes com luz esparsa onde não tem atmosfera e mais um monte de coisa simples. é cansativo esse monte de ”jornalista” mainstream querendo convencer a todo custo uma versão oficial diferente da verdade. Cansativo. Devem acha também que o JFK foi assassinado por um maluco solitário, que Cabral veio parar no Brasil porque se perdeu, que a CBF não vendeu a Copa de 98 e que a Dilma cometeu crime.

    1. Essa é velha, hein? O jipe levanta um monte de poeira quando anda. Quando para, a poeira assenta. As pegadas são de bastante tempo depois que o jipe parou. E nem sempre ele deixa marcas no solo. A questão é: se fosse fake, os caras iam dar essa moleza? 😛

        1. Já parou pra pensar o quão simplório é seu pensamento?

          Cientistas trabalhando na fraude do século deixaram escapar erros grosseiros, como estes em que acredita: o veículo lunar só deixando uma trilha, ou total ausência deles e ainda soltarem as imagens sem nem conferir se a “fraude” tá nos conformes pro MUNDO inteiro ver e acreditar?

          Alô, vc vive onde? No mundo da lua?

        1. Anibal, no fundo as trilhas são tão indistintas, e tantas, que é difícil dizer com certeza o que é trilha e o que é bota.
          Mas vamos esquecer a foto e só pensar, que faz bem. Não seria muito mais fácil fazer uma fraude em que o jipe se desloca pelo solo e deixa as marcas do que uma em que o jipe magicamente voa até aquele lugar? Para que tanto esforço, equipamento extra, para *não mostrar* as trilhas e deixar gente ficar se perguntando isso? Se você responder essa, me dou por vencido. 😛

    2. Anibal,

      O blog do Salvador tem mais de 2 anos e nestes 2 anos sempre postam baboseiras como estas postadas por você. Além de não ter nenhuma originalidade e sequer colocar argumentações válidas é uma encheção de saco apenas para querer aparecer. Só você e meia dúzia de conspiracionistas vêm esta tal de fraude.

      Quando acontecer uma nova votação para Buda vou sugerir o Salvador. A paciência dele é admirável.

      1. Salvador você não precisa se pronunciar e não vou falar de nenhuma outra foto, mas peço-lhe licença para responder ao Paulo e ao Jango:

        Caros amigos, não coloquei em meus comentários nenhuma alusão à conspiração de o homem ter ido ou não ter ido à Lua. Essa conclusão é pura precipitação dos senhores. Mas todos estamos sujeitos às precipitações, inclusive eu, conforme confessei em uma mensagem anterior.

        Sobre o assunto em questão, as fotos, o Jipe, os astronautas e suas pegadas, que ora estão sobrepostas, ora estão fora de foco, e às vezes parecem inexistentes, são comentários somente a respeito das fotos mostradas, e nada mais.

        Sobre meus simplórios pensamentos que os senhores se arvoraram adivinhar, mas que eu ainda não os havia colocado aqui, vou colocá-los:

        Pergunta para meditação:
        Por que levar um Jipe para a Lua, na Apollo 17 ?

        Já haviam levado o Jipe em todas as outras missões anteriores e estavam carecas de saber que era muito mais fácil andar à pé por lá, do que andar de Jipe. Basta ver a quantidade de pegadas de botas sobrepostas às do Jipe, inclusive faziam questão de pisar 2 ou 3 vezes sobre as trilhas do jipe.

        A distância total percorrida pelos astronautas foi ridiculamente pequena em todas as missões. Basta ver as fotos tiradas a partir da órbita da Lua, em que as trilhas estão visíveis até hoje.

        Não consigo vislumbrar nenhum ganho real de se continuar transportando uma jeringonça pesada daquela pra lá, numa época em que não havia baterias de Íons de Lítio, numa porcaria de um carrinho que no final das contas, demonstrou não ter utilidade prática nenhuma, a não ser fazer os astronautas gastarem tempo fazendo um “reparo” à moda MacGyver, no pára-lamas traseiro…

        É por isso que gosto de brincar de analisar as fotos em que o Jipe e suas pegadas aparecem. Isso é apenas um passatempo. Meu passatempo, e nem é o predileto.

        Não se preocupem com isso. O homem não teria deixado de ir pra Lua, só porque eu gosto de ter um passatempo, de analisar aquelas trocentas mil fotos…

        Até hoje só olhei umas 50 fotos. Tenho passatempo garantido por muitos anos à frente.

      2. Salvador,

        Como o passatempo envolve também pesquisas, fui pesquisar sobre o Jipe.

        Falei várias bobagens em minhas mensagens anteriores, como por exemplo minimizar as distâncias percorridas, e superestimar o peso, além de dizer que em todas as missões anteriores eles teriam levado o veículo. Na verdade, somente na 15, 16 e 17.

        Considero meu passatempo produtivo, porque me leva a estudar, mesmo que seja depois de postar as mensagens…

        As baterias usadas eram de Zinco-Prata, que são muito leves, comparadas às de chumbo.

        Abraços,
        Câmbio final !

        1. Anibal, as missões Apollo são pérolas de engenhosidade. Vale mesmo a pena ler sobre elas. 😉
          Abraços!

  2. Vlw Salvador, muito bom mesmo, lindas as fotos.
    E vários ovnis acompanhando a missão como eu ja esperava :P.

  3. Salvador, sei que exterminar todas as formas de vida de um planeta é uma tarefa difícil, porém tenho uma dúvida. Uma rajada oriunda de uma explosão de raios gama do nascimento de uma supernova certamente aniquilaria com todas as formas de vida na Terra, mas o inchaço do Sol, que irá fazer os oceanos evaporarem, este também será fatal para todas as formas de vida, inclusive extremófilos?

    1. Boa pergunta, André. Fico me perguntando se não haverá ainda habitats residuais nas profundezas da Terra, depois que a superfície se tornar inabitável. Tudo depende de haver água lá embaixo, a uma temperatura tolerável. Não saberia dizer se o extermínio será absoluto. Mas, até aí, se isso é verdade, talvez haja bactérias ainda hoje no subsolo de Vênus (e há quem diga que na alta atmosfera também!).

        1. Depende da intensidade e duração dessa rajada. A partir de um certo ponto seria au revoir vida!

  4. Bom dia.

    Por que os EUA não liberam 5% do orçamento pra enviar homens a Marte e tirar a limpo de uma vez se realmente esta “brotando” água em Marte.

    Gostaria de ver muito a china dar o primeiro passo pra enviar a marte, aí sim a NASA vai soltar o rojão na mão dos governantes americanos.

    1. Porque não há mais motivo geopolítico para isso. A motivação é só científica. E ciência, ao contrário do que o público pensa, não motiva gastos maiores do que os retornos que devolve à sociedade. Só a política faz isso.

  5. Nada de novo nessa história. O Apollo Lunar Surface Journal tem todas essas fotos já photoshopadas a tempos. As imagens digitais mais cruas que conheço estão no http://grin.hq.nasa.gov , essas sim com praticamente nenhum tratamento digital, e datam lá do ano 2000 como esse exemplo http://grin.hq.nasa.gov/IMAGES/LARGE/GPN-2000-001137.jpg Tanto que se vcs fizerem alterações na matiz e tonalidade dessa imagem encontrarão coisas bem bizarras. https://ru.wikipedia.org/wiki/%D0%A4%D0%B0%D0%B9%D0%BB:GPN-2000-001137_300px_gamma.png

    Vamos falar de um assunto novo, finalmente saiu o relatório sobre a radiação encontrada no teste da ORION. Relembrando, no teste a cápsula foi lançada a 6000km de altitude numa inclinação de 30º (a mesma das Apollos) e com isso passou APENAS pelo 1º cinturão de radiação. Nos parcos minutos que isso aconteceu a fortaleza que é a ORION (chamada por alguns de Apollo com esteróides) os sensores específicos de radiação absorvida no seu interior (BIRD) registraram 17,9mgray ou 1,79rad!!!! pg-23 http://ston.jsc.nasa.gov/collections/trs/_techrep/TP-2015-218575.pdf

    Senhores Beatos pró-NASA, isso é simplesmente 9x mais que o registrado em TODA a missão de 8 dias da Apollo 11. Certamente é por isso que NENHUM dado do projeto Apollo foi utilizado nesse relatório, o que é simplesmente inexplicável. Como deixar de fora justamente o que seria o maior motivo de comparação no caso dos objetivos da Orion. Para comparar Utilizaram os dados da ISS onde a radiação absorvida no mesmo momento do teste da Orion foi 1000x menor, 0.015mgray, esse valor sim, comparável as Apollos o que mostra que na verdade elas nunca deixaram a proteção da nossa magnetosfera!

    Infelizmente sinto que estou jogando pérolas aos porcos pois a maioria ainda acha que o problema de se mandar gente para a Lua de novo é dinheiro. Só um exemplo, 4.4% em 1966 (o máximo em percentual do orçamento da NASA) representariam 43bi em dinheiro de hj, pouco mais de 2x o orçamento atual, fora que o grosso de um orçamento é usado para desenvolver do zero uma tecnologia, coisa que não seria necessário fazer atualmente.
    https://en.wikipedia.org/wiki/Budget_of_NASA

    1. Alfredo, a sua comparação é imprópria. Veja a trajetória da Orion. Ela passa muito mais tempo no cinturão. Está numa órbita parabólica que a mantém uma boa parte da órbita dentro do cinturão — praticamente o voo inteiro (1.000 a 6.000 km é a altitude típica do cinturão interno, que aliás é o pior, em termos de radiação, composto por prótons). A travessia das Apollos foi muito mais rápida, pois estavam numa trajetória translunar, não numa trajetória suborbital elíptica curta, como a da Orion. Aí é a diferença entre usar um Saturn V e um Delta-IV. Faça a comparação entre os dois foguetes para entender a diferença de velocidade e o tempo de exposição aos cinturões. E outra, sabemos que a radiação lá fora não é grande coisa também — o problema são mesmo os cinturões. Então, passar mais tempo no cinturão e ficar a 6.000 km da Terra é pior do que passar menos tempo no cinturão e viajar 384.000 km até a Lua.

      1. Então vamos aos números!
        De Acordo com o relatório A Orion passou 20min na ida e 20min na volta dentro do 1º máximo do cinturão e outros 40min no espaço entre os dois cinturões, onde a radiação é muito mais baixa.
        As Apollos necessariamente deveriam passar no mínimo 13min na ida e mais 13min na volta dentro do 1º máximo só nesse cinturão. Sem contar mais de 1 hora dentro do segundo cinturão, na ida e volta, sem contar a menor blindagem da Apollo em relação a Orion, sem contar os EVAS de horas na Lua só protegidos pelos tecidos espaciais, enfim… Não adiantam as voltas mentais, as contas não vão fechar nunca.

        No entanto, entendo que a retórica não tem só o objetivo de convencer os outros né verdade, mas ela é uma poderosa fonte de convencimento do próprio orador.

        1. Você está misturando o tempo total no cinturão interno (10 minutos mais ou menos, nas missões Apollo) com a passagem pelos máximos. Se você levar em conta a faixa inteira do primeiro cinturão (entre 1.000 km e 6.000 km), a Orion passou praticamente a órbita inteira — os 80 minutos — aí. A altitude máxima dela foi de 5.800 km. Já as Apollos levaram 10 minutos na ida e 10 minutos na volta. É óbvio que você percebe a diferença. Uma faz uma trajetória que se curva bem dentro do cinturão, sem nunca deixá-lo, expondo-se a 80 minutos de radiação. A outra atravessa em 10 minutos o cinturão e depois mais 10 minutos no retorno. 80 minutos contra 20 minutos. As contas fecham. Você que é paranoico. 🙂

          1. desculpe Salvador, mas eu não tenho q te convencer. É só ler o relatório da Nasa pra ver q a órbita elíptica manteve a Orion a maior parte do tempo fora do Máximo do primeiro cinturão. Sei q vc é uma pessoa inteligente e tomara q um dia vc é tantos outros saíam debaixo dessa burca.

          2. Alfredo, eu não estou negando isso. Só estou dizendo que, se você levar em conta apenas o máximo do cinturão, ficará com 40 minutos para a Orion, mas apenas uns 5 minutos para a Apollo. Se levar em conta o cinturão inteiro, terá 80 minutos para a Orion e uns 20 minutos para a Apollo. O que não vale é confrontar o tempo do máximo da Orion com o tempo total da Apollo. Isso não faz sentido e cria distorções.

          3. faz a conta. voando a mais de 30 mil km/h numa linha quase reta, quanto tempo leva pra atravessar 5.000 km?

          4. Isso seria verdade se a injeção translunar fosse feita perpendicular ao local de lançamento do foguete, ou seja, o Saturno V subisse direto atingindo a Velocidade de escape em direção a Lua, o que como vc sabe não foi e nem poderia ser o caso.
            Temos que pensar o VAB como uma estrutura 3D. Como a Espaçonave estaria orbitando a Terra , depois da TLI, para atingir os 6000km sobre a superfície, com a gravidade da Terra freiando e a inércia do movimento circular orbital, ela na verdade já teria viajado bem mais que isso dentro do 1º VAB. Quanto? 24min. Sites pró-nasa confirmam isso.

          5. Não foi, mas a curva é bem suave, se você olhar a trajetória. Já no caso da Orion, a curva SE FECHA no cinturão. Bem diferente.

        2. Velocidade da última órbita da Orion nos testes: ~9000 m/s
          Velocidade da Apollo 11: ~11000 m/s

          Tem que comparar as velocidades se quiser saber a incidência de radiação, achar que as duas missões ficaram o mesmo tempo nos cinturões é bastante errado considerando a velocidade.

          1. E não é só a velocidade. Tem que levar em conta a trajetória. Porque a trajetória da Apollo a colocava num rumo de travessia rápida pelo cinturão. Já a da Orion era uma trajetória em que o apogeu estava em pleno cinturão, ou seja, a nave viajava mais devagar e por mais tempo justamente quando estava dentro do cinturão.

            O Alfredo sabe dessas coisas. Ele não é idiota. Só está tentando comprovar o incomprovável, aí precisa fazer essas distorções. Normal.

          2. Essas velocidades interferem no tempo de permanência no 1º máximo e isso estou informando desde o início do post. 20min ida e volta para a Orion e 13 min ida e volta para as Apollos (dados oficiais mostram isso ). E isso é só o 1º cinturão pois apesar do segundo ter menor potência radioativa o tempo que se passa nele é muito maior. 90min na ida e 90min na volta.
            Eu duvido que esses números não ficam martelando na cabeça de vcs. 1.79rem nos minutos da Bombada Orion e 0.2rem nos dias da Apollo 11.

          3. E eu tou dizendo que você está comparando os tempos errados. Mas não vou dizer de novo. Juro.

          4. Chamar isto de distorções é pouco, ele está fazendo a mesma coisa que ele mesmo alega que NASA faz somente para se passar por mais esperto que o mundo todo, coisa bem típica de quem tem poucos conhecimentos científicos, mas quer contestar tudo com base em achismos tolos. Os retrorefletores provam que ele está redondamente enganado.

          5. Os números ficariam martelando se eu não soubesse fazer as contas do tempo e velocidade, você tá olhando pra órbitas totalmente diferentes e comparando como se fossem a mesma coisa, a órbita da Orion se fechou dentro do cinturão e só isso já faz ela ter muito mais tempo dentro do cinturão, a TLI foi feita em órbita baixa e era praticamente uma reta em direção a lua, tudo isso com ~2000 m/s a mais de velocidade, duas coisas TOTALMENTE diferentes.

          6. Ao contrário de vcs que só escrevem achismos que se enquadrem naquilo que acreditam estar certo, eu trago os fatos e as provas daquilo que estou afirmando, como a trajetória que a Apollo 11 deveria ter feito no TLI (nesse tempo verbal mesmo, pois se alguma parte do foguete fez o TLI, não tinha astronautas dentro). http://postimg.org/image/jpwija0px/

            Vejam quanto tempo seria necessário após a TLI para atingir 2 earth Radii (R) = 6375km da superfície ou 1 raio da Terra. Exatamente 23min. O que PROVA que as Apollos ficariam muito mais do que 10 min dentro do 1º VAB, e que foi alardeado post acima. tum tum tum…

            ps: Geraldo, vai estudar sobre esse experimento de se rebater laser na Lua blz. Isso é feito desde 1962 SEM retro-refletores.

          7. Salvador acabou de matar agora, o cara utilizou dados pela metade e vem dizer que nós que queremos os fatos ligando nossas convicções.

          8. Errado novamente, L seria saindo com ângulo 0 no equador, R seria a posição saindo inclinado como saiu. “and L is the maximum value of R, which is found at λ = 0o, the equator”.

            E sim o artigo acerta no cálculo da trajetória que é muito mais fácil de se fazer mas erra na suposição do quanto de radiação é absorvida com a proteção que tinha a Apollo. Se Bob Braeunig fizesse os mesmos cálculos utilizando a proteção da Orion ele erraria feio em relação aos dados colhidos pelo Flight Test-1

          9. Certo, os especialistas estão todos errados, pouco importando que eles coloquem o passo a passo dos cálculos para você verificar. Certo está você, sem fazer nenhuma conta sofisticada, só apresentando uma tabelinha com dados parciais e mal-interpretados. Com esse nível de rigor, você me decepciona.

          10. Alfredo, o experimento com laser disparado na Lua era menos preciso antes das missões Apollo deixarem espelhos específicos lá. Imagine o que acontece quando o laser incide sobre uma superfície irregular como a da Lua, o que acontece é que ele perde muita colimação, mais do que perderia se refletisse num espelho precisamente instalado para refletir numa determinada direção.

          11. Eu duvido que esse Alfredo vai ler todo o artigo. Até eu que não sou mestre já entendi e tô cansado dessa bitolagem dele.

            Que venha o próximo conspiracionista pls… esse tá fraco

      2. Traduzindo: a missão original será bem mais rápida pq é uma orbita bem mais longa e por isso os astronautas passarão bem menos tempo dentro dos cinturões, bastante simples.

      3. Vou retomar o post aqui pois lá pra baixo a conversa mostrou mais uma vez que a maioria dos que acreditam não se diferenciam de muitos dos que eles mais criticam por não acreditar. Os dois lados o fazem por senso comum.

        Mais alguns dados que confirmam todo meu ponto de vista.

        No relatório da ORION tem duas tabelas muito reveladoras.
        A primeira mostra que a maior radiação do cinturão interno (e nós só falamos dele até agora) pode ir de 950km de altitude até 5000km como mostra no gráfico onde valores entre as altitudes de 2000km e 5000km foram os mais intensos.
        http://postimg.org/image/n5nyob097/
        Figura 17 do relatório

        A segunda tabela mostra a comparação da Blindagem da Orion com os mais modernos modelos para a absorção de radiação. os Ap9/Ae9 e que coloca a blindagem da Orion algo em torno 10g/cm^2 no 1º pico (Orion subindo) e 15g/cm^2 no 2º pico (Orion decendo) e máximo de 800microGY/min de absorção. As Apollos tinham proteção de 7/8g/cm^2 o que colocariam no mesmo modelo com uma absorção de 1500microGy/min, ou seja 0,15rad por min ou seja bastaria 90 seg dentro do máximo do 1º cinturão para atingir TODA a radiação que a NASA diz que a Apollo 11 absorveu na ida a Lua.
        http://postimg.org/image/xo1vvcas1/
        Figura 14 do relatório

        como já disse e provo abaixo, A Apollo 11 deveria ter passado bem mais tempo do que todos aqui estão supondo.

        Só Utilizei a tabela do Bob Braeunig sobre a TLI porque ele só acertou nela em todo aquele estudo (já que ele é um entusiasta em Rocketry mas não em radiação).
        É só comparar sua tabela com o listado no Apollo Flight Journal.
        http://history.nasa.gov/ap11fj/03tde.htm

        Do momento que o rádio diz atingir 512 milhas náuticas (950km) até 3140 milhas náuticas (5800km) se passam longos 16min, das 2:55 da missão até 3:11. Exatamente como mostra as coordenadas (R) que afirmei serem as certas no modelo de Braeunig.

        1. Alfredo, a questão é que no voo diagonal, o fim do primeiro cinturão não vai estar a 5.800 km — isso seria no equador. Saindo diagonalmente, o cinturão termina antes — a largura máxima (cerca de 6.000 km) é no equador.

          1. Fico me perguntando, será que ele sabe o que é diagonal? Até agora insistindo na mesma burrada é de matar…

    2. 1,79 rad é menor do que a radiação máxima que o ser humano pode absorver por ano que é de 5 rem (~5 rad) e é muito menor do que os 25 rad que o ser humano pode aguentar sem sofrer grandes danos. Este Alfredo vive de achismos tolos que ele leu num livro de um picareta qualquer que nem tinha formação em física.

      1. Geraldão, essa não é a questão! não dá pra morrer com 1,79rad mas esse é um valor tão absurdamente maior que o registrado nas missões Apollo que além de tudo deveriam ter passado pelo segundo (e quem sabe terceiro pois era solar máximo) Van Allen Belt e enfrentaram Coronal mass ejections aos montes inclusive registradas em jornais da época com auroras brilhantes bem na data das missões.
        Os dados de radiação das Apollos batem com o tempo de exposição encontrada na ISS.

    3. Alfredo,

      Você é mais um que se entende como o único esperto do mundo. Deixa eu entender: O homem não foi a Lua porque não resistiria à radiação. É isso? Bem, primeiro você tem que entender que na missão Apollo contava mais os objetivos geo políticos do que necessariamente a saúde dos astronautas. A missão era ir a Lua e ponto. Você deve saber inclusive que a chance de falha considerada era alta e eles tinham pastilhas de cianeto caso a volta não fosse possível. Então querer argumentar que o homem não foi à Lua por causa da radiação é pura ignorância. Já vimos que você gosta do assunto e utiliza sua teoria como muleta e rema contra a maré apenas para ser diferente. Ai ofende todos que acreditam na ida do homem À Lua dizendo que somos nós que acreditamos em tolices.

      Então nos faça um favor. Apresente argumentações mais convincentes porque sua é bem fraquinha.

  6. Caro Salvador (meio off topic, mas sorry)

    Segui o link dos seus artigos de provas da ida à lua (na verdade, só o primeiro). Claro que eu já os conhecia, e acho que até comentei lá.

    Mas a verdade é que li um monte de comentários “recentes”, ainda da época que o Eu não tinha ™.

    Hilário. E também decepcionante. Caras que escrevem “sensura” e derramam um monte de caca pelo teclado, culpando a mídia dos EUA de manipular bla bla bla.

    Deu saudades do Apô e do Wadão e voltei correndo pra cá.

    Vade retro!

    1. Hehehe, pois é, lá é muito mais obscurantista o negócio. rs
      Mas o Alfredo O. tá aqui para você matar a saudade dessas bobagens. 😛

      1. Lembrou-me aquela propaganda de papel higiênico: Alfreeeeedooooo! Depois de ler a teimosia dele, tudo a ver.

        Somos todos mesmo uns panacas imbecis. Ele é que está certo. Os EUA manipulam a mídia bla bla bla. Os chineses e japoneses estão “de culeio”. Se o Hubble consegue ver uma galáxia distante porque não mostra a bandeira? Por que não levanta poeira…

        Melhor que ele, só aquele sujeito (roger, acho) que fala que é impossível um foguete sair da atmosfera.

        Santa paciência, Batman…

        1. É MC,

          Infelizmente não é só ele. O analfabetismo científico no Brasil é coisa grave. Vez ou outra eu entro em blogs científicos internacionais e percebo um cuidado maior lá com os comentários. As pessoas pensam 2x antes de passar recibo…..

    1. Não confundir os episódios com o ator… E sim, Spock sorriu nos primeiros episódios, só ficou realmente sério depois.

      1. Não estou confundindo nada Radoico, coloquei este link aqui porque é engraçado ver o Leonard Nimoy caracterizado como Spock lendo Mad sendo que na série o personagem era retratado como um Vulcano típico, ou seja, sem emoção alguma. O ator, é claro, era humano e sorria normalmente.

  7. Mas escrevendo sério agora: Os pouco falados retrorefletores aparecem nas fotos das missões. Os mesmos refletores que são utilizados por diversos observatórios no mundo para medir a distância a Lua com uma precisão maior do que antes da missões lunares e calcular os termos das “soluções lunares”, teorias semi-analíticas que descrevem cada coordenada do movimento lunar.

  8. Sim, pelos vídeos que eu assisti ele não é muito fã dos motores iônicos, ele acha que ao invés de utilizar os motores pra diminuir o tempo de viagem era melhor utilizar pra aumentar a quantidade de carga, um ponto que eu concordo com ele é sobre o cancelamento da missão de redirecionamento de asteroídes, é um daqueles casos onde a missão não tem nada a ver com o objetivo final: Marte. Ele fala também que o pessoal do congresso americano é viciado em uma base lunar, sempre querem meter uma base nos planos da NASA prejudicando o andamento da missão tripulada pra marte, agora com as empresas privadas entrando em jogo eu torço pra que façam uma competição pelo contrato com essas empresas pra finalmente construírem uma base lunar com baixo custo e enfim focarem os esforços da NASA em marte, esse novo contrato provavelmente seria disputado pela Lockheed Martin/Boeing com o Delta Heavy e pela SpaceX com o Falcon Heavy, acredito que os custos seriam bem menores do que deixar nas mãos da NASA. Enfim, espero que cancelem essa missão de redirecionamento e coloquem os recursos na missão tripulada pra marte.

  9. Impressionantes fotos, mas na página 125 há uma sequência de fotos da Apollo 16 mostrando “o por da Terra”, isto é, a Terra desaparecendo no horizonte lunar. Imperdível, inacreditável, maravilhoso mesmo!

  10. Mantendo no assunto exploração espacial, recomendaria um texto sobre a Mars Direct do Robert Zubrin que inspirou os equipamentos e orbitas do livro The Martian do Andy Weir, interessante que todos os conceitos de exploração de marte são inspiradas nesse conceito que Zubrin apresentou em 1990 pela primeira vez, tem até vídeo da apresentação no youtube pra quem quiser assistir.

    1. Kenny, escrevi longamente sobre o Mars Direct no meu primeiro livro, “Rumo ao Infinito”. Mas a arquitetura usada no filme “The Martian” é bem diferente da proposta pelo Zubrin (muito mais minimalista).

  11. Certa vez ouvi um comentário do Armstrong dizendo que a poeira lunar é tão fina que parece como talco.
    Alguém sabe dizer porque é assim? Pela falta de atmosfera ou devido a radiação? Restos de lava triturados pelo tempo?

  12. Salvador

    Notei algumas “ranhuras” sobre o solo lunar e algumas parecem ter origem nas crateras outras parecem iniciar e terminarem nas planícies e fiquei intrigado. O que teria formado essas “ranhuras”???

      1. Peguei as referências das fotos e as páginas.
        AS16-120-19298 Pág. 04
        AS16-119-19160 até AS16-119-19180 Pág. 05
        AS17-160-23983 Pág. 17

        fora as outras kkkkkkkkk.

  13. Salvador, você seria uma espécie de Neil deGrasse Tyson brasileiro? já ouviu essa comparação?rs abraços

    1. Não, essa eu não ouvi. Carl Sagan brasileiro o pessoal fala. Mas Neil deGrasse Tyson seria a primeira vez. Sinal dos tempos. Seja qual deles for, são duas figuras maiúsculas da divulgação científica, e sinto-me muito honrado pelo paralelo. 🙂

    2. Não sei se fui o primeiro a imputar ao Salvador Nogueira, a alcunha de CARL SAGAN brasileiro, acredito que sim. As suas palavras corroboram com a minha opinião. O Salvador é merecedor, e muito, de tal singela homenagem.

  14. As fotos parecem muito com as de Plutão e suas luas, ou seja, estão aproveitando as mesmas fotos falsas achando que o mundo já teria esquecido dessas da Lua. Até aquele Canyon que a New Horizons fotografou aparece nestas fotos. Tudo requentado…

    Calma amigos, só zuando. As fotos são fantásticas e a atitude de divulgar tanta coisa, como a NASA faz, é admirável.

    1. Nossa, até pensei que era algum fanático pirado bradando contra tudo isso…

      Na verdade, é admirável a iniciativa da NASA de tornar vasta quantidade de informações ao público. Muito diferente da agência espacial soviética (agora russa).

  15. Salvador,

    Acompanho sempre que possível pelo facebook e blog sua matérias, apesar de não manjar muito fico admirado com cada descoberta feita, cada hipótese lançada e qualquer estudo realizado sobre nosso lindo universo. Vendo as fotos agora me veio uma questão a qual jamais havia me perguntado.
    Porque todas as fotos, filmagens mostrados sobre a Lua vemos somente essa imensa escuridão do Universo. Nunca parei para pensar, mas a claridade do sol não atinge nosso satélite como na terra ou parecido pelo menos? Sei que são superfícies e formações diferentes, porém essa duvida me veio agora após ver as fotos.

    Obrigado e parabéns pelo seu trabalho!

    1. Anderson, a Lua não tem atmosfera, então não há espalhamento de luz durante o dia. Todas as fotos foram tiradas durante o dia lunar, mas o céu fica escuro pela falta de ar!

  16. Ah.. já era. Passei a tarde de ontem vendo essas fotos.

    Salvador, sem querer parecer conspiracionista (huahua), mas qndo o módulo lunar aterrizou na lua, nao deveria ter deixado marcas mais profundas não? Ou a velocidade de descida foi tão baixa que foi insuficiente para deixar tais marcas?

    Grato.
    Att,
    Rafael

    1. Rafael, além de a descida ter sido bem suave, lembre-se de que o motor de descida levantou um monte de poeira na região de pouso, diminuindo a camada de solo fofo sob o módulo.

  17. OMG!!! Cliquei no “aqui”… não resisti kkk

    Estupenda as fotos. Que coleção incrível, da gosto de ver 🙂

  18. Bom dia Salvador.
    Impressionante. Algumas (todas, né?) de tirar o fôlego. Mas o divertido mesmo é ver os comentários por aí, negando o fato. Mas uma dessas negações, admito, não sei responder. Como os veículos exploradores eram acomodados nas cápsulas? Eles parecem bem maiores que as mesmas. Abraço.

    1. Marcos: durante o lançamento o módulo lunar das naves do Projeto Apolo ficava posicionado atrás dos módulos de comando e de serviço, protegido pelo revestimento do último estágio do foguete Saturno V. Durante o voo era executada uma manobra visando o seu engate no “nariz” do módulo de comando. Ele descia na Lua, parte dele retornava ao módulo de comando e finalmente era descartado quando a nave deixava a órbita lunar para regressar à Terra. Quando houve o acidente que quase matou os astronautas da Apolo 13 eles tiveram que usar o módulo lunar como parte do esquema emergencial de sobrevivência e guiagem bolado pelos técnicos da NASA. O módulo só foi descartado pouco antes da reentrada na atmosfera terrestre e do bem sucedido pouso. Quanto aos “jipes” usados pelas últimas missões, eles eram dobrados e parcialmente desmontados para se encaixar no módulo lunar, que realmente não era nenhuma suíte presidencial em termos de área útil. Interessante saber que parte dessa tecnologia se perdeu com o tempo. Os engenheiros e técnicos se aposentaram ou morreram, plantas detalhadas sumiram quando os fabricantes fecharam, e por aí vai. Se alguém tentasse construir um Saturno 5 ou uma nave Apolo hoje, não conseguiria faze-los iguaizinhos aos originais.

        1. Vitor e Marcos: segue a página de pesquisa de imagens do google sobre o acoplamento do módulo de comando com o módulo lunar das Apolo. Entre essas imagens está também uma que mostra o acoplamento Apolo-Soyuz, como ocorreu missão orbital soviética-norte-americana de 1975 mencionada em outro comentário (foi missão orbital e não viagem à Lua!). https://www.google.com.br/search?q=apollo+lem+rendez-vous&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0CAcQ_AUoAWoVChMIgJ2Wp5CxyAIVQaQeCh1wcQV8&biw=1366&bih=659
          Sobre o conceito do “rendez-vous” dos módulos, aqui vai um comentário super-elogioso da própria NASA: http://www.nasa.gov/centers/langley/news/factsheets/Rendezvous.html
          Vale lembrar que antes dessa ideia do módulo lunar os projetistas americanos, sob a liderança do alemão Werner Von Braun, pensavam num foguete decolando da Terra, pousando quase inteiro na Lua e retornando. Um projeto muito mais caro, arriscado e complicado. Lembrem-se: a NASA tinha o objetivo fixado pelo presidente John Kennedy de levar homens à Lua ántes do final da década 1970. Abraços para os dois!

          1. Valeu, Marco! Muito obrigado. Manual de instruções completo, passo a passo. Agora só falta eu ter dinheiro pra comprar um jipinho lunar e montar na minha garagem. Falando sério: novamente muito obrigado pelo material enviado!

  19. Hummmm, demoraram mais de 40 anos porque não é fácil forjar 9 mil fotos simulando a visita do homem à Lua. Vou começar a ver esse prodígio de photoshop assim que terminar este comentário.
    E continuo com a proposta de que Plutão volte à categoria de “planeta”, mesmo que seja “honoris causa”. Depois do que a New Horizon mostrou, ele e sua lua Caronte merecem!

    1. Luiz, as fotos já estão no domínio público há décadas. Só levou tempo até alguém organizá-las assim. 😉

      1. Salvador, eu só estava brincando. A corrida espacial era um dos temas de conversa das crianças da minha época até mesmo aqui no Brasil. Eu assisti ao pouso de Armstrong e Aldrin pela tv, com o coração disparado de emoção. Nunca duvidei nem por um instante, e fico assustado quando encontro gente muito mais jovem que ainda acha tudo isso lorota.

  20. Imagens deslumbrantes e inquietadoras! O espaço é implacavelmente indiferente, vazio e frio.
    Depois dessa demonstração cabal da presença humana na Lua, é inacreditável aina que persista alguma dúvida na cabeça de alguém.
    Quero ver quais serão as desculpas esfarrapadas de todos os religiosos de todos os credos do mundo todo.
    Mais um tapa na cara da ignorância de conhecimento.

    1. Estou tentando entender como pode ligar religião ao fato do homem ter pisado na lua mas foi demais para minha compreensão. Porque essa sanha de ateus com religião mesmo quando ela não é mencionada?

      1. Alessandro, existe um paralelo sim. Muitos religiosos não acreditam. Minha tese é de que eles ainda estão numa fase aristotélica do negócio, em que o céu de verdade é o mesmo que o céu “mítico” (onde moram Deus, Jesus, os anjinhos e os santos, entre outras figuras de menor destaque). Logo, foguete nenhum poderia nos levar até lá. Só reza brava, devoção fervorosa e morrer nos levam ao céu. 😛

        1. Acredito que este comentário tão debochado não sido postado pelo Salvador, me recuso a acreditar! 🙁

          1. Fui eu sim. Lamento se o ofendi, Batista. Não foi a intenção. Quis apenas exprimir o fato de que é ingênuo confundir o “céu” sobrenatural com o céu natural — o espaço. Deus e Jesus não moram no espaço.

          2. Fique tranquilo, não se ofenda. Lembre que o Salvador acredita em “supercivilizações”. Portanto, ficaram elas por elas…

          3. Bem, eu não acredito em supercivilizações. Não como definidas por Kardashev (consumo de energia próximo do output de uma galáxia inteira). Acredito que os números tornem alta a probabilidade de vida inteligente fora da Terra (considerando o Universo todo; só a Via Láctea, já acho as chances mais modestas, vide minha própria extrapolação da equação de Drake para saber exatamente no que eu acredito — http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/2014/12/11/minha-solucao-da-equacao-de-drake/

            Agora, o fato de eu pessoalmente achar improvável a existência de civilizações do tipo III na escala de Kardashev não me faz fugir do assunto e não discuti-lo. Ciência não é sobre o que acreditamos. É sobre as hipóteses que testamos e o que esses testes nos dizem sobre a natureza.

        2. Acredito que este comentário tão debochado não tenha sido postado pelo Salvador, me recuso a acreditar! 🙁

      2. Alessandro, só comentei o fato, porque todas as pessoas religiosas que conheço, sem nenhuma exceção, não acreditam que o homem foi a Lua, simplesmente, porque acham que o Deus deles não deu esse poder aos humanos. Tem uma velha frase que ouço sempre: os homens agora querem ser maiores que Deus. Pode isso?

        1. Me desculpe, mas os religiosos q conheço sabem que o homem foi a Lua, que não é uma farsa.
          Não devemos confundir religiosos com pessoas que teimam expor sua ignorância cientifica usando justificativas “religiosas”.
          Geralmente esse tipo de pessoa não tem convicção da fé que professam, e buscam na discórdia uma forma de de se auto-justificarem.

      3. Comentei no final de semana, em outro site, sobre a descoberta de água em Marte e o fiz, única e exclusivamente, focando a astronomia, seu desenvolvimento e seus objetivos futuros. Recebi em contrapartida uma enxurrada de comentários de religiosos contrários ao meu post e alguns me ofendendo de modo pessoal. mas também recebi inúmeros comentários a favor. Fiquei surpreso com o ocorrido e lamentei em minha resposta o quanto leva essa gente a postar ofensas, sem ao menos, pensar antes a respeito do assunto.

  21. Fui um dos garotos que presenciou esta época de ouro das viagens espaciais, nada se compara até hoje a este período da história; quem estava por aqui na época sabe do que falo.

    1. Paulo, acho tremendamente incoerente e as vezes até engraçado, como uma pessoa diz não acreditar nas imagens e vídeos, evidências reais do acontecido e acreditam em cobra falante, arbusto pegando fogo sozinho, deuses e outras coisitas mais. E aquilo que todos dizem: os crentes acreditam sem ver e deixam de acreditar naquilo que veem. É incrível mesmo! Não acha?

        1. Eu,

          Só acredito se você mostrar onde na Bíblia tá escrito que o homem pisou na Lua.

          Esta tecnologia toda não existe. Inclusive este seu telefone celular…..pura ilusão de ótica.

  22. Lembrei da música dos Paralamas:

    Tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua
    Merecia a visita não de militares,
    Mas de bailarinos
    E de você e eu

  23. As fotos são sensacionais, claro.
    Agora, imagine quando a Apollo 11, e outras, desceram na Lua. Na época não havia Internet, e, provavelmente SALVADOR NOGUEIRA não havia nascido ainda. As fotos, em 1969, e a transmissão de t.v. eram em preto e branco, óbvio (na lua não há cores).
    Mas, inesquecível para mim, foi a missão APOLLO 08, cuja foto mais linda da TERRA, no “éter”, linda, azul, flutuando sobre o cinza da Lua, foi feita por seus astronautas. Jamais uma nave tripulada havia dado volta em torno da Lua.
    Nem se sonhava em INTERNET.
    Meu pai e eu, na noite de Natal de…que ano mesmo ?…ouvíamos, em ONDAS CURTAS, pelo rádio, “VOZ DA AMÉRICA”, em português, com, entre outros, LUIS JATOBÁ e sua belíssima voz, enquanto aguardavá-se o retorno das comunicações com a APOLLO08, pois não se sabia se seria possível a manobra em torno da Lua. No rádio, um tempão de chiados e comentários americanos e brasileiros.
    Era, salvo engano, MEIA NOITE E MEIA, COM A FAMÍLIA COMEMORANDO O NATAL, quando BORMAN ou terá sido LOVEL ?, interrompeu a transmissão terrestre e, do espaço falou suavemente, SAUDANDO A HUMANIDADE E DIZENDO QUE “PAPAI NOEL EXISTE”. Pela data, pelo feito, foi emocionante. Eu tinha 07 aninhos.
    Na APOLLO 11, no Brasil de então, 1969, mesmo no Estado de São Paulo, a maioria da população NÃO TINHA TELEVISÃO. Incrível, mas é verdade…Então, convidamos alguns amigos e com nossa família assistimos NEIL ARMSTRONG dizer: “UM PEQUENO PASSO PARA UM HOMEM, UM GRANDE SALTO PARA A HUMANIDADE”. E sair pulando como uma perereca. Havia o medo de que a superfície da lua fosse um pó fino, tipo areia movediça.
    AÍ…no meio da transmissão de duas horas, apareceu no vídeo, num canto da t.v., NIXON, fazendo os astronautas perderem o tempo mais precioso da história da humanidade, para fazer política…política PESSOAL…
    É claro que as viagens à LUA, eram políticas.
    A URSS perdeu a “corrida” por um mês, quando seu foguete “ENERGIA” explodiu, inexplicavelmente, na rampa de lançamento, sem cosmonautas. Mais ou menos como nosso póbríssimo VLS, de Alcântara, no Maranhão.
    HOJE, ir à Lua deveria ser brincadeira de criança. Mas a GUERRA FRIA acabou, a URSS se esfacelou, e, dizem, os ETs. não deixam mais descer na Lua.
    DIZEM ter havido uma missão conjunta, EUA + URSS, com ALEXEY LEONOV no comando. Ele nunca negou.
    Mas, voltando às fotos, são sensacionais.
    MESMO HOJE.

    1. Não houve missão conjunta e nunca vi Leonov se pronunciando sobre isso. E o foguete russo era o N-3. O Energia foi desenvolvido duas décadas depois, para transportar o Buran (ônibus espacial soviético) ao espaço.

      1. Não houve missão conjunta que V.EXA. tenha conhecimento. E SE V.EXA. NÃO VIU LEONOV FALAR DO ASSUNTO, LAMENTO, VÁ SE INFORMAR, (a entrevista tem mais de vinte anos), COMO REPÓRTER ESPECIALIZADO COMO SE APRESENTA SER. Ele não iria dizer, publicamente, que houve, pois, em tese, a missão era secreta. Aliás, ele NÃO AFIRMOU. COMO EU DISSE EM MEU COMENTÁRIO, “DIZEM”. EU, (há muitos anos, e o boato permanece) LÍ UMA ENTREVISTA DELE, NO SRI LANKA, NO ANTRO PEDOFILÍSTICO DE ARTHUR C. CLARKE, ONDE LHE PERGUNTARAM SOBRE A MISSÃO E ELE NÃO DISSE NEM QUE SIM, NEM QUE NÃO. É COMO A PIADA DA MULHER DO PORTUGUÊS. TIVESSE DITO “NÃO”, O PROBRREMA TAVA RESOLVIDO.
        “NÃO HOUVE MISSÃO CONJUNTA” (sic).
        COMO SABES, ÓH ORÁCULO DA VERDADE ESPACIAL??
        A SOBERBA TRANSBORDA. SE NÃO TENS CERTEZA, DIGA NADA. CONHECEU LEONOV PESSOAARRMENTE ???
        Quanto ao foguetão russo que explodiu eu não sou ESPECIALISTA no assunto, NÃO ME LEMBRAVA. ESCREVO DE “BATE PRONTO”, SEM DEIXAR A BOLA CAIR. NÃO SOU ESPECIALISTA VOCÊ É. MAS QUE EXPLODIU, EXPLODIU, NÉ NÃO ?? Se era o ENERGIA OU O N-3, EXPLODIU, NÉ NÃO ??
        NUNCA VÍ UM BLOG CIENTÍFICO PROSPERAR EM JORNAL ALGUM DA AMÉRICA LATRINA.
        O SEU PROSPERA, FELIZMENTE, POIS O ASSUNTO É MUITO BOM. PENA QUE FALTA CONCORRÊNCIA.
        SEU BLOG CIENTÍFICO, uma raridade no Brasil, PROSPERA.
        ESPERO QUE SEM “BOLSA BLOG” OU “PROGRAMA MEU BLOG MINHA VIDA”.
        SE FOR, O PT ACERTOU DESSA VEZ.
        “HÓ JOAQUIM, SUA MULHER É BOA DE CAMA ?
        – HÓ MANUEL, SABES QUE EU NÃO SEI !!
        – UNS DIZEM QUE SIM, OUTROS DIZEM QUE NÃO…”.

        1. Não houve missão conjunta. E eu sei porque todas as naves Apollo fabricadas, assim como os foguetes Saturn V necessários para a viagem, foram contabilizadas. E não seria fácil esconder a fabricação de um troço daquele tamanho.

          O que houve foi a missão conjunta Apollo-Soyuz, em 1975. Leonov estava nela, a bordo da Soyuz que se encontrou com a última cápsula Apollo na órbita da Terra. Talvez Leonov tenha achado que a pergunta foi referente a esta missão, e por isso não negou. Mas não houve viagem conjunta entre soviéticos e americanos à Lua.

          1. Até pq seria impossível lançar um foguete desse tamanho sem que ninguém perceba. O foguete soviético explodiu pq tentaram utilizar muitos motores (33 se não me engano) no primeiro estagio, os americanos apostaram certo em utilizar 5 gigantescos motores Rocketdyne F-1.

          2. ATÉ POUCO TEMPO, A “ÁREA 51″ NÃO EXISTIA.
            NÃO ESTAVA, AHNN…”CONTABILIZADA”. POUQUÍSSIMOS NO CONGRESSO AMERICANO SABIAM DE SUA EXISTÊNCIA E DAS VERBAS (grana) A ELA DESTINADA. Aliás, hoje, 07/10/2015, o TCU, em Brasília, mostrou quanta coisa NÃO CONTABILIZADA DILMA, LULLA E O PT FIZERAM. IMAGINE-SE NA MAIOR ECONOMIA DO MUNDO, EM PLENA GUERRA-FRIA…O SEGREDO ERA/É A ALMA DO NEGÓCIO. — PESQUISA ESPACIAL É GUERRA NO ESPAÇO, ponto.
            Bom, voltando, então pq LEONOV não confirmou o que todo mundo sabia, o encontro, QUE ASSISTI PELA T.V. (E VOCÊ?? já havia nascido ???????) DA APOLLO COM A SOYUZ. ELE SE ENGANOU E NÃO CONFIRMOU QUE ESTAVA NA SOYUZ ?? É ISSO ???
            ENFIM, não quero polemizar.
            Só acho que seu blog é muito bom, mas para quem não conhece, ou ao menos acompanha astronomia, no caso do Brasil, 99%9 da população.
            É claro que NINGUÉM QUER QUE VOCÊ INVENTE NADA. AS SONDAS ESPACIAIS MOSTRAM TUDO COM NITIDEZ (PLUTÃO E CARONTE FORAM E SÃO UMA SURPRESA).
            E, só acho também, que poderia ser um pouco mais INVESTIGATIVO. Afinal, você é um REPÓRTER. E UMA VEZ REPÓRTER SEMPRE REPÓRTER…E NÃO MERO RETRANSMISSOR DE PRESS REALESES…
            Assim deixaria de ser um blog dublado dos blogs e sites estrangeiros.
            Para quem não sabe inglês ou francês o blog é uma “descoberta”, uma verdadeira “salvação”.
            Mas é SEMPRE MAIS DO MESMO.
            SEMPRE MAIS DO MESMO ASSUNTO FASCINANTE, JÁ TRATADO EM BLOGS AMERICANOS, INGLESES, FRANCESES (não sei russo nem chinês, mas eles não dão destaque ao programa espacial americano e vice-versa).
            Quanto a ALEXEY LEONOV, bem…
            “DIZEM” que ele sabia muito mais que “PRESS REALESES”. E SÃO — COLEGAS SEUS QUE “DIZEM” — OU DISSERAM.
            MAS, tá bom. Prá quem não sabe INGLÊS OU FRANCÊS, TÁ BOM.
            “NÃO HOUVE MISSÃO CONJUNTA” (sic). Acredito. MAS O “ARGUMENTO DA…”CONTABILIZAÇÃO”…HUUUMMMM…QUANTA COISA O GOVERNO AMERICANO NÃO CONTABILIZA…EXPERIÊNCIAS COM SERES HUMANOS, IGUALZINHO A MENGELE, p.ex. e etc. SE JIMMY CARTER, O CAIPIRA (CLINTON TAMBÉM É) NÃO TIVESSE DEIXADO ESCAPAR FALATÓRIO SOBRE “AVIÕES INVISIVEIS”, A TECNOLOGIA STEALTH NÃO SERIA CONHECIDA DO GRANDE, E DISTINTO, PÚBLICO.
            NEM DESTE SEU BLOG.
            REPÓRTER INVESTIGATIVO NÃO É SÓ REPORTER POLICIAL.
            “A VERDADE ESTÁ LÁ FORA”. ONDE ? ONDE ?
            TEM QUE PROCURAR SENHOR REPÓRTER.
            OU…RESENHADOR DE “PRESS REALESES”?

          3. O cara pra não admitir que estava errado enrolou mais que fita cassete. Citou até o PT. rsrsrsrs

          4. PREZADO SALVADOR NOGUEIRA, eu o RESPEITO. POR ISSO FALO O QUE EU PENSO PARA VOCÊ.
            NÃO FICO PUXANDO O SACO.
            O “PUXA-SACO” É UM INFELIZ, QUE NÃO TEM CORAGEM DE DIZER O QUE PENSA.
            REPITO:
            O SEU BLOG É BOM. MUITO BOM. UMA RARIDADE NO BRASIL. ESPERO QUE CONTINUE POR MUITO, MUITO TEMPO.
            MAS EU TENHO OPINIÃO. E NÃO PUXO O SACO DE NINGUÉM.
            ESTOU MUITO CONTENTE COM O MEU.
            P.S. FANTÁSTICA A IMAGEM DA ATMOSFERA DE PLUTÃO, NO “POST” ACIMA.
            MUITO LEGAL, MESMO.
            P.S.do P.S. SÓ NÃO ENTENDÍ O “SÉRIO”…
            VOCÊ NÃO EXPLICOU NADA.
            E TEM PUXA-SACO PUXANDO O SACO…
            NÃO ESTÁ FELIZ COM O DELE.

          5. Não suporto puxa-saquismo! E acho legal que fale o que pensa. Mas você andou meio agressivo. Calmaê. 😉

        2. Na boa SÉRGIO ROSWELL, você bateu, bateu, bateu e me parece que se arrependeu. O Blog aqui do Salvador é com certeza, de longe, o melhor do Brasil sobre astronomia. O nome do Blog também sugere contradição com o que você disse, ou você gostaria que se chamasse “Investigação Sideral”? Assuntos diversos sobre astronomia são abordados no Blog pelo seu criador e nos comentários (aí sim) são debatidos pelos leitores, inclusive com participação assídua do autor. E sim, há diversas opiniões próprias, investigativas, como nos posts sobre Ceres em que Salvador sugere o que pode ser os pontos “brancos” numa cratera ainda nas primeiras imagens recebidas. E sim, o Blog propaga muito conhecimento sobre os temas abordados. Sem mais.

  24. “Desde então, a agência espacial tem tido recursos bem mais modestos, da ordem de 0,5% do Orçamento. (Isso ajuda explicar por que os americanos pararam de ir à Lua e nunca mais voltaram.)”

    Aí os conspiracionistas respondem:

    “Por que cortaram as verbas? O que o governo tem a esconder?”

    1. Caso alguém tem essa dúvida mesmo, uma vez vencida a corrida espacial com a URSS, não havia motivação política para gastar os tubos nisso. Mais ou menos como o governo brasileiro esperando a eleição passar para apresentar o ajuste fiscal.

      1. Ainda assim tem gente que questiona os gastos da NASA, achando que o dinheiro seria melhor aplicado para matar a fome de pobres criancinhas africanas. Imagine se o orçamento fosse o mesmo daquela época? Esse povo piraria a batatinha cozida que chamam de cérebro!

        Kkkk

Comments are closed.