Protótipo de superfoguete da SpaceX voa, pousa suavemente… e explode

Mais um protótipo do veículo Starship, o SN10, da SpaceX, voou em Boca Chica, no Texas, na tarde desta quarta-feira (3), e, pela primeira vez, pousou suavemente sobre a plataforma. Para, minutos depois, explodir de forma violenta. Não se engane: é uma notícia incrivelmente boa.

É difícil descrever a emoção e a empolgação que é acompanhar uma campanha de voos de teste agressiva e ousada como é a da SpaceX. O objetivo é conhecido: criar um veículo totalmente reutilizável capaz de permitir ir a Marte e voltar em segurança, no que seria o principal item de infraestrutura para iniciar a colonização do planeta vermelho. Para isso, a empresa capitaneada por Elon Musk está tentando, no mesmo programa:

  1. Desenvolver um lançador com capacidade similar à do Saturn V, que levou humanos à Lua, mas totalmente reutilizável.
  2. Descobrir como fabricar grandes quantidades desse foguete, a um custo menor que o de qualquer lançador que o precedeu.
Protótipo explode após pouso (Spadre/Pearl South Padre Resort via Youtube/via Reuters)
Protótipo explode após pouso (Spadre/Pearl South Padre Resort via Youtube/via Reuters)

Isso envolve fabricar modelos de teste em ritmo alucinante e testá-los em voo, a fim de aprimorar o design e, ao mesmo tempo, descobrir como construí-los às pencas.

Desde o início do programa de testes, a SpaceX realizou voos curtos, de 150 metros, que subiram e desceram de forma suave. Desde dezembro do ano passado, com o protótipo 8 (SN8), eles tentaram fazer um voo de 10-15 km de altitude, testando a descida e o pouso que esperam de um voo orbital, quando a empresa chegar lá.

Após fazer todas as manobras de voo corretamente, que incluem uma descida de barriga controlada por estruturas aerodinâmicas, seguida por uma virada de última hora para um pouso vertical, o SN8 desceu rápido demais e explodiu no pouso.

O SN9, em 2 de fevereiro (após alguns conflitos entre a SpaceX e a FAA, agência que regula aviação civil e lançamentos de foguetes comerciais nos EUA), realizou basicamente a mesma coisa, com direito a explosão no pouso.

E então, agora, apenas um mês depois, neste 3 de março, vimos o SN10 repetir os sucessos do SN8 e 9 e, por fim, descer suavemente na plataforma. E aí, pouco mais de 7 minutos depois do pouso, explodir – possivelmente por um vazamento de metano.

E aí, é fracasso? Não, é um enorme sucesso. O trio de voos demonstrou que a SpaceX está no caminho certo para 1) escalar para o espaço, 2) controlar a orientação do veículo na reentrada, 3) fazer a manobra de virada para um pouso vertical e 4) reduzir a velocidade para um pouso suave.

O item 4 certamente precisa de aperfeiçoamentos, de forma que a integridade do veículo seja preservada mesmo após o pouso. Mas ninguém negaria que foi um avanço significativo em apenas três meses, entre o fim de dezembro e o começo de março.

O programa agressivo continua. O SN11 vem aí, com as lições aprendidas de seu predecessor. E a SpaceX já se prepara para voar o primeiro estágio que deve impulsionar o Starship, o Super-Heavy. Como um veículo de dois estágios, ele será o mais capaz, mais versátil e mais barato para sua classe, dentre todos os já fabricado na história da humanidade.

Se isso não é de se impressionar, tente imaginar que o SN10 tem 50 metros de altura, o tamanho de um prédio de 18 andares. Caindo do céu. E pousando suavemente. Não fica mais incrível que isso? Calma, o melhor vem aí.

Siga o Mensageiro Sideral no FacebookTwitterInstagram e YouTube